sexta-feira, 19 de agosto de 2016

NOTA DE AGRADECIMENTO

Eu, Cecilia Teixeira de Oliveira Zokner, e em nome de minhas filhas e netos, quero agradecer ao Senhor Isac Weishof a inestimável ajuda no sentido de efetuar os trâmites para o velório e para a cremação de meu marido José Zokner, falecido no dia 11 de agosto e velado na Capela Vaticano no dia 12 de agosto das 9 às 11 horas.

Também agradeço as palavras proferidas, na ocasião, por Jaime Lerner e Zigmund Morgenstern que o recordaram na sua alegria de juventude. Sobretudo, desejo expressar o nosso muito obrigada aos meus amigos, aos amigos de minhas filhas e aqueles fiéis e sinceros amigos do Juca que estiveram presentes ao velório, última prova de amizade que ele recebeu e que por nós, sua família, que não será jamais esquecida.


Cecilia Teixeira de Oliveira Zokner

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

NOTA DE FALECIMENTO

E com tristeza que, Cecilia Teixeira de Oliveira Zokner, Valdirene de Oliveira Zokner, Miriam de Oliveira Zokner Santos, e netos, Giovanna Zokner Gonçalves, Gabriel dos Santos Zokner, Davi dos Santos Zokner informam, que José Zokner, “mais conhecido como Juca” veio a falecer nesta data, 11 de agosto de 2016, às 14:00 e o corpo será velado na Capela Vaticano, Salão Turquesa, situado a Av. Desembargador Hugo Simas, 26 - São Francisco, das 9:00 às 11:00h onde seguirá para o crematório.

Pedimos a todos, a gentileza, que não levem flores ao velório, pois o Juca, amante da natureza, sempre pediu que respeitassem seu amor pela natureza e assim preservassem a sua beleza.


quarta-feira, 3 de agosto de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Algumas das músicas que sensibilizaram este locutor que vos fala, digo, digita:
Argentina: La cumparsita.
Bolivia: El Pica Flor.
Brasil: Naquela mesa.
Espanha: Concerto de Aranjues.
Estados Unidos: What a wonderful world.
França: Feuilles mortes.
Grécia: Zorba, o grego.
Israel: Irushalaim shel Zaav.
Italia: Dio como ti amo.
Paraguai: India.
Portugal: Vila morena.
Peru: El condor passa.
Uruguai: Compadre Miguel.
Constatação II
Ainda que não seja ele que não pague a luz, pois ele se ressarcirá com a corrupção, o último desonesto que, por favor, apague a luz por razõesw nã de economia, mas pelos pouco que ficarem.
Constatação III
Nos dias 3 e 4 da agosto foi programado o terceiro livro deste  assim chamado escriba, intitulado REFLEXÕES & DIGRESSÕES, constituído por 2 volumes. Na contracapa do volume I Segue referências  de HENRIQUE MOROZOWICZ, também conhecido por HENRIQUE DE CURITBA.

Henrique Morozowicz, professor e compositor musical, também chamado Henrique de Curitiba, transformou em uma ópera buffa um texto de minha autoria que havia sido publicado no jornal O Estado do Paraná na coluna, que mantive por 13 anos, intitulada Rumorejando.

Quando da sua apresentação em primeira audição, na Capela do Santa Maria, em Curitiba, por iniciativa dos irmãos de Henrique,  Milena e Norton Morozowicz, com a intenção de homenageá-lo já que – logo em seguida a sua criação Henrique veio a falecer – este assim chamado escriba esteve presente. Chamado a dirigir algumas palavras foi possível externar o quanto era importante ser parceiro de Henrique, fato que jamais havia imaginado. Reproduzo abaixo o texto do Henrique, contando um pouco dessa efêmera parceria.
                                                                                                           Juca.

CONSTATAÇÃO FATAL

A inspiração para esta música veio da leitura de um texto humorístico, em forma de versos, do conhecido jornalista José Zokner, publicado na sua coluna "Rumorejando", do jornal "O Estado do Paraná", num dos domingos do mês de agosto. Imediatamente, recortei e guardei aqueles versos para usa-los numa obra vocal, pois eles me soaram como uma letra feita de encomenda para uma ária de opera buffa.[...]
Usei o texto original quase em sua totalidade, deixando de lado apenas umas poucas linhas, o que não alterou o sentido geral da criação literária. Usando um misto de recitativo e arieta, com uma introdução e uma coda, dividi a obra em 4 partes principais, que se sucedem sem interrupção. Como é usual, repeti, num ou noutro lugar, uma palavra ou frase, buscando o equilíbrio formal da música ou um maior efeito expressivo. Dei-lhe ainda o título de "Constatação Fatal" para sua melhor caracterização. Certamente, ela pode ser cantada por barítono ou baixo desde que sua personalidade vocal seja apropriada para expressão de humor.
                                                                 Henrique

. Na contracapa do volume II foi pubicad0 e Conto/CrônIca 0 VELHO E O CÃO que transcrevo a seguir:
                                      O VELHO E O CÃO
Cabisbaixo, desceu do ônibus. Caminhou em direção a casa. Havia sido dispensado do emprego. O Departamento de Pessoal alegou contenção de despesas. Ele sabia que era pela inconstância da sua assiduidade. Tudo, por causa de sua saúde frágil que o mantinha por dias na cama. Já estava aposentado. No entanto, o emprego de distribuir cartão de controle, na entrada e na saída de um supermercado, ajudava a melhorar o que recebia do Instituto de Aposentadoria. Ainda que houvesse contribuído para se aposentar com oito salários mínimos, nunca conseguiu entender porque recebia menos de dois. Um cachorro se pôs a segui-lo. Parou. O cachorro também, olhando para ele com olhos meigos e sacudindo o rabo. Era um cachorro velho. “Velho não tem vez”, pensou. Provavelmente tinha recentemente sido posto na rua pelos seus donos, porque não estava muito magro. Época de férias aumenta o número de cachorros abandonados. Ficou enternecido. Ponderou: “Pelo menos tem quem demonstre apreço por mim”. Vivia sozinho. A mulher, de há muito, já partira, segundo o padre que dera a extrema unção, para junto de Deus. Os filhos, um casal, se dedicavam as suas próprias famílias. Ultimamente, esquecendo ou não se lembrando dele. Salvo em uma ou outra rara ocasião, através de um cartão postal. Ambos viviam fora do país. Haviam partido para a Nova Zelândia. Como outros tantos 160.000 jovens, no último ano, emigraram. Em busca de emprego. Aqui, nem pensar. A filha limpava casas e ganhava razoavelmente bem. Seu marido passeava cachorros. Tinham um garoto de um ano que achava ser parecido com ele. Pena que não pudesse carregá-lo no colo. Mais tarde, brincariam juntos. O filho lavava carros; a mulher trabalhava de atendente numa loja de fotografias. Todos tinham curso superior. Intimamente, ainda que, sentindo aquele aperto no coração por estar longe dos filhos, estava satisfeito que estivessem longe da violência e da corrupção que grassava no país. Olhou novamente para o cachorro que não desgrudava os olhos dele. Lera em algum lugar: quem vive sozinho é muito recomendável ter um bicho de estimação. Rememorou que quando menino quis um cachorro, mas a mãe não permitiu porque achava que ia sujar a casa
Quando adolescente ele estudava e a mãe teve que ir trabalhar fora porque o pai abandonara a família e sumira para sempre. Adorava o pai, mas, por não perdoá-lo, nunca se preocupou em procurá-lo. Naquela vez, também não daria para ter um cachorro porque ele não ia querer que o cachorro ficasse só.
Quando casou, foi morar em um pequeno apartamento alugado e quem ficou de síndico não permitia nem cães, nem gatos nos apartamentos.
Quando foram morar numa casa, o casal trabalhava fora, E, como os filhos estudavam em tempo integral, tampouco daria para deixar em casa um cachorro, sozinho, sem atenção. Lembrou-se de uma canção de um uruguaio que dizia: “Claro que quis querer, mas não pôde poder”.
Com a aposentadoria daria para os dois viverem. Ele e o cachorro. Morava numa espécie de meia-água, nos fundos de um terreno que havia adquirido por preço compatível com seus ganhos. Construíra uma casinha de madeira nos fundos, para algum dia construir, na frente, uma de alvenaria. Os filhos, que estudaram em faculdade particular, por não lograrem classificação na faculdade estatal, haviam consumido grande parte do dinheiro para a casa de alvenaria. A outra parte fora consumida com a doença da mulher e com ele próprio numa operação de ponte safena. Nos dois casos, o Plano de Saúde não cobriu em sua totalidade e havia os remédios cada vez mais caros. Fazia, como tantos, sua fé na Quina, jogando nos bolões. Além de aumentar a chance, pensava que ganhar uma bolada, sozinho, correria o risco de ser sequestrado. Uma vez, havia sido abordado, não longe do banco onde eram creditados a sua aposentadoria e o salário, por dois sujeitos. Eles, demonstrando total ignorância, tentavam passar-lhe o conto do bilhete premiado. Sem dúvida, dois artistas pela representação de ingenuidade e no falar manso. Alegara uma desculpa e tratara de despistá-los. Nunca quis fazer queixa à polícia com medo de represália. E, também, por achar que não ia levar a nada. Se aqueles tipos queriam o pouco dinheiro dele, imagine uma bolada. Chegaram, ele e o cachorro, no portão de casa. Chamou “vem” para o cachorro entrar. Foi seguido na mesma hora. Falou em voz alta: “Vou preparar algo para nós comermos. Vou te dar uma carninha que guardei para minha janta e fazer uma polenta pra nós. E vou preparar uma cama para você descansar”. Encheu um recipiente com água que o cachorro bebeu por inteiro. Deu vazão a sua ternura acumulada. Afagou sua cabeça; o cão lambeu a sua mão. Falou com muita convicção: “Como nos contos infantis, mano velho, de ora em diante, seremos felizes para sempre”...
DÚVIDAS CRUCIAIS
Dúvida I
Será que no amistoso
Dúvida II
Quando alguns times pagam em dia o salário dos jogadores
Dúvida III
Será que já não passou da hora da Anvisa interferir na fabricação do pãozinho francês e outros mais? O que tem de produto químico não está em enciclopédia algum. Vige!
Dúvida IV
Será que no amistoso de Brasil versus Japão saiu do corpo o espírito do Dunga e interferiu no andamento do desempenho da nossa seleção no segundo tempo?
Dúvida V
Quando alguns times de futebol pagam em dia os seus jogadores quer dizer que o dito de Ben Gurion estava correto quando ele proferiu que quem não acredita em milagres não é realista?
Dúvida VI
Será que houve muita gente que começou um regime para emagrecer no primeiro dia de agosto? Afinal de contas, não é sempre que o dia primeiro cai numa segunda feira...
Dúvida VII
A observação do governador do Rio de Janeiro, quando os australianos reclamaram das condições em que encontraram as acomodações onde iriam ficar alojados nas Olimpíadas de que eles precisavam de canguru, demostra que ele cara brilhante, atilado, bem-educado e por aí afora?
Dúvida VIII
Será que, em certos países, para fazer parte de certos governos é imprescindível ter maus antecedentes, inclusive de prova de ser corrupto?


quarta-feira, 27 de julho de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Não se pode confundir atrasar com arrasar, até por quem se atrasar para um encontro amoroso, por exemplo, arrisca que depois venha a se arrasar pela outra parte não perdoar, o que não é muito provável, em certos casos,mas não impossível.
Constatação II (De diálogos esclarecedores).
-“Tudo vale a pena quando a alma não é pequena, disse o poeta”.
-“E quando o sujeito não tem alma, como é que fica?” perguntou o incrédulo.
-“Tudo ou, talvez, quase tudo continuará valendo a pena, dependendo do cidadão ou cidadã”.
-“Ah, bom”.
Constatação III
Os traficantes de votos, que alegam ser para o partido, já aproveitam para cobrar para si uma “propininha”, por que ninguém é de ferro. Pelo jeito, trata-se de uma comissãozinha pelo servicinho prestado. Vige!
Constatação IV
Não se pode confundir infalível com inflável, tendo em vista que é infalível que todo o cara chato, de galochas ou não, maçante, quando te abordar vai te deixar com certa parte do teu corpo inflável. A recíproca não é necessariamente verdadeira. Ela dependerá de como, por exemplo, uma gata te contestar a um determinado pedido que poderá te deixar com o teu ego inflável.
Constatação V (Passível de mal-entendido)
As chatas foram postas no rio.
Constatação VI (Sugestão aos filólogos).
A palavra redondilha que o dicionário Aurélio dá com 1. Substantivo feminino. Antigamente, quadra de versos de sete sílabas, na qual rimava o primeiro com o quarto e o segundo com o terceiro, seguindo o esquema abba.
2. Hoje, verso de cinco ou de sete sílabas, respectivamente redondilha menor e redondilha maior. [A redondilha maior também se chama apenas redondilha.] poderia também ter o significado de filhota que está um pouco acima do peso, tendo ficado redondinha; se não for filha, ‘redondona’. Fica consignada a sugestão.
Constatação VII
E já que falamos no assunto, quando este assim chamado escriba colaborou, durante um ano e meio, na Triboladas, do jornal Tribuna do Paraná com a, digamos, sessão Rimas Primas – Juca, utilizava, alguma vez a redondilha, sem saber o tal nome da dita cuja. Mas de modo geral rimava a primeira estrofe com a terceira e a segunda com a quarta, o que seria abab. Rumorejando não sabe se, neste caso, existe um nome específico. Se alguém souber, por favor, comentários esclarecedores no blog. Muito obrigado.
Constatação VIII (De uma dúvida crucial, via pseudo-haicai).
Será que respirar pela barriga
Faz um eventual benefício
Para a eterna faminta lombriga?
Constatação IX (De uma dúvida crucial).
Primeiro um sujeito, com posição relevante, tratou e liderou em afastar a presidente; agora, estão tratando de afastar o sujeito de posição relevante que liderou o afastamento da presidente. Tendo em vista o país aonde tudo isso vem acontecendo, será que não arrisca que pessoas de posição relevantes acabem afastadas? Aí, teríamos mais um exemplo do moto perpétuo. Quem souber, ou tiver, pelo menos, uma ideia, por favor, comentários no blog. Muito obrigado, novamente!
Constatação X (Lembrete aos pilotos. Também para quem brinca com tal assunto no computador).
Não se pode confundir arremeter com arrematar, ainda que no caso de um avião estiver decolando, quando já atingiu a velocidade desejada ele deve arremeter para arrematar a operação da mencionada decolagem.
Constatação XI
O meu querido e terno time, o Paraná, para cada alegre vitória, ele tem levado três tristes derrotas. Quando muito, duas derrotas e um empate. Esses empates, normalmente, são de zero à zero; As vitórias, de 1 x 0. Duas vitórias em seguida não deixam de ser um milagre... Vige!
Constatação XII (De diálogos esclarecedores).
-“Ué! Você agora deu de falar sozinho, assim como eu também costumo?”
-“De fato. Adotei este esquema nos últimos tempos”.
-“Por quê?”
-“Porque assim eu não tenho ninguém que me contradiga, principalmente a minha mulher”.
-“Ah, bom, quer dizer, ah ruim, que dizer, ah bom, mesmo”
Constatação XIII
Não se pode confundir pregou o olho com pegou o molho, até por que se você passou a noite e não pregou o olho, como se costuma dizer nestes casos, pelas diferentes razões, até as mais comezinhas, como ter de pagar um conta no extremo inferior das probabilidades ou com uma gatona no extremo agradável da probabilidade, você arrisca de quem pegou o molho, por exemplo o de tomate. Bem, ao invés de pôr ele no macarrão, você põe na salada de fruta, ou, se pegar um molho de camarão arrisca misturar com o bife de carne. Vige!
Constatação XIV (De um pseudo-soneto).

Esporte radical?

Ele escreveu um baita tratado
Sobre chegar a casa bem tarde.
E sem se considerar um destemperado
E que tampouco iria provocar alarde.

Teve a infeliz ideia de corrigir a ortografia,
Dando a difícil tarefa para a sua cara mulher,
Que nem havia terminado o secundário sequer
E que ainda tinha dificuldade de ler a caligrafia.

Quanto mais, com esforço, ela lia,
Mais irritada, mais brava ela ficava.
E sua expressão isso não escondia.

Eis que de repente o acordo foi rompido.
Com uma vassoura daquelas de piaçava
E que tinha um cabo daquele bem comprido.

Constatação XIV
Para quem acompanha Rumorejando nestes mais de 20 anos, deve ter se dado conta que a incidência de panegíricos* é praticamente inexistente. No entanto, Rumorejando, dentre as pessoas maravilhosas com quem teve a oportunidade de cruzar, nos seus 79 anos de vida, não pode deixar de homenagear a figura, de quem eu me considerei sempre um irmão, do médico Julio Raphael Gomel, recentemente falecido. Julinho, como também era chamado, foi uma das pessoas que fazem parte, se não a maior, das maravilhosas acima referidas. E não é pelo seu humanismo de médico que era, ou pela causa que abraçou que acolhia crianças para mantê-las. Julinho era a bondade desinteressada, era a pessoa que sofria com o caos no mundo. Se no mundo existissem pessoas como ele, sem dúvida, o mundo seria diferente...

*Panegírico = Substantivo masculino.
1. Discurso em louvor de alguém.
2. P. ext. Elogio, louvor:
Adjetivo.
3. Que contém louvor; laudatório, elogioso, encomiástico, panegirical (Aurélio).

QUADRINHAS PARA SEREM RECITADAS ALGURES.
Quadrinha I (Com pequenina dúvida crucial).
O cara quando em, um assalto, sai ileso,
Deve dar graças ao seu anjo da guarda.
E se seu assaltante algum dia vier a ser preso,
É a justiça, acusada de morosa, que não tarda?
Quadrinha II
O marido e a mulher de um corvo
Fizeram, no nosso telhado, um ninho.
A gente não achou nenhum estorvo
E o filhote, o nenê, saiu bem bonitinho.
Quadrinha III
Na vida, diz a sabedoria, que se perde ou se ganha,
Mas em qualquer caso você não deve fazer patranha,
Como tem sido dado a ver neste nosso Brasil afora
Que até dá vontade, como para tantos, de ir embora...
Quadrinha IV
Para os outros, apertar o cinto,
Nada a ver com ‘o piloto sumiu’.
Neste novo governo, eu pressinto,
Que vai ser igual ao que já partiu.
Quadrinha V
O desígnio* não era de se gostar.
Era muito mais para se repudiar.
Pudera! Vivia sempre de caco cheio.
Quando ninguém lhe punha um freio.
*Desígnio = Substantivo masculino.
1. Intento, intenção, plano, projeto, propósito:
Os desígnios da Providência. (Aurélio).
Quadrinha VI
Ele vinha com um ar pálido, cadavérico.
E estava passando em frente ao cemitério.
Assustadas, as pessoas achavam um mistério.
Algumas, inclusive, acharam o sujeito luciférico.
Quadrinha VII
A contratação ser mostrou fajuta, falha.
O sujeito dizia que quem não trabalha.
Não deixa de ser um grande canalha.
Ele acabou se mostrando fogo de palha.
Quadrinha VIII
Desviou-se do seu desiderato, do seu objetivo.
Havia jurado para sua mulher que iria se comportar.
Tudo isso foi dito com balburdia, estardalhaço, espalhafato.
No dia seguinte o que havia dito, não conseguiu mais se lembrar.
Quadrinha IX
Cândida, meiga, desprendida,
Ela se aproximou pé ante pé.
Ele a chamou, de pronto: “Querida!
Venha me fazer um relaxante cafuné”.
Quadrinha X
Ela toda cheia de salamaleque
Até no inverno usava um leque,
A fim de chamar a minha atenção.
Ela não sabia que eu abomino presunção.
Quadrinha XI
Pretendendo deixar de ficar solitário,
Resolvi adotar, da rua, um cachorro.
Ele se revelou ser tão humanitário:
Até para as minhas fossas me deu socorro.
Quadrinha XII
Nunca tinha ficado tão primoroso
Ao pegar um naco da Petrobrás
E havia aquele que nem era cauteloso
Que tirava sua casca: o leva e traz.
Quadrinha XIII
Fui consultar uma sortista
Pra ver se eu ganhava na loteria
Ela me mandou fazer a pista
E que não acreditasse em fantasia.
Quadrinha XIV (Em homenagem ao Julio Gomel).
Se existe alguém que ele não ajudou ou atendeu
É porque essa pessoa, até agora, ainda não nasceu.
Não é justo apodá-lo apenas com a singeleza de um ‘cara bacana’.
Julio Raphael Gomel era e sempre será unanimidade curitibana!!!

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 20 de julho de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Não se pode confundir ágape que o dicionário Aurélio dá como:
Substantivo feminino e masculino.
1. Refeição que os primitivos cristãos tomavam em comum.
2. P. ext. Banquete, almoço ou outra refeição de confraternização por motivos políticos, sociais, comerciais, etc. com HP, agá pê, que é o símbolo de horse power, cavalo vapor, que é uma medida de potência (Ex. aquele motor tem 50 HP de potência ou 50 cavalos, como se usa comumente), muito embora quando se compra o carro tão sonhado em função da quantidade de HP, modelo, cor, etc. a alegria pode ser manifestada num ágape com a família, amigos não invejosos, etc. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho modesta e abalizadamente dito.
Constatação II
O meu colega do Badep – Banco de Desenvolvimento do Paraná S.A. e grande amigo, Manoel Carvalho, publicou no facebook que “quanto mais alto o som do carro mais baixo é o QI de quem está dirigindo”. Manoel, mano velho, portanto, inversamente proporcional.
Constatação III
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Favoritos para substituir
Eduardo Cunha na Câmara têm pendências judiciais”. “
Dos seis, quatro enfrentam algum tipo de processo, um apareceu na Lava Jato e o sexto não responde mais a ações porque os crimes dos quais era acusado prescreveram”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a tal Ficha Limpa é pura balela. Aliás, pelo jeito se fosse para ser na base da Ficha Limpa seria difícil, se não impossível, achar candidatos factíveis. Vige!
Constatação IV
E já que falamos no assunto, quando alguém lê no site de um jornal, “Candidatos à presidência da Câmara discursam. Acompanhe ao vivo”. Será que há alguma alma caridosa que se proponha a ver e ouvir? Por favor, quem tiver a resposta, comentários no blog que Rumorejando faz questão de outorgar as medalhas de Inocuidade e a de Santa Paciência.
Constatação V
O cachorro só brincava,
Pois vivia sempre contente,
Mas quando o corneteiro tocava
No toque de silêncio, ele se calava.
Assim, não mais que de repente.
Constatação VI (De uma dúvida crucial).
Por que será que os torcedores brasileiros de futebol não respeitam quando, antes da partida, se pede que se faça um minuto de silêncio? Falta de educação e de respeito coletiva? Comportamento de multidão? Quem souber, por favor, etc.
Constatação VII (De afirmação inócua).
E já que falamos no assunto, tem locutor esportivo que está narrando uma partida de futebol e afirma, burramente, durante a transmissão, que o jogador vai fazer o gol e ele não faz. O locutor criou, assim, uma expectativa que não se concretizou. Será que ele não se dá conta disso?
Constatação VIII
Não se pode confundir noz pecan, que é fruto da nogueira-pecan com nós pecamos, até por que a noz pecan é saudável e nós pecamos não é... A recíproca não é verdadeira por que quase sempre nós pecamos e noz pecan dificilmente se come por que não se acha com facilidade no mercado. Elementar, crianças!
Constatação IX (Cena de faroeste que Rumorejando considera antológica).
O amigo do mocinho está sendo enforcado pelos bandidos, naturalmente por acusações falsas e também por que sim e tá acabado. Inclusive está pendurado com a corda no pescoço. Surge o mocinho e com rapidez vai acertando a bandidagem. Um dos tiros, dado do seu cavalo, o mocinho corta a corda e o amigo cai no chão, porém já salvo e em liberdade. Vige!
Constatação X
O marido, o Joaquim Manuel, teve que fazer plantão e pediu para a mulher, a Maria, que não era lá muito versada no assunto, assistir o jogo da final entre Portugal e França para, depois, contar para ele como é que a partida havia transcorrido.
“Pelo o que eu pude ver, Portugal teve dois heróis: Um gajo, que estava com o cabelo totalmente em desalinho, totalmente sem ver pente ou escova e que marcou o único gol do jogo. Seu nome, se não estou enganada, é Éder e que foi muito comemorado pelos jogadores de Portugal”; “o, outro, foi o goleiro de Portugal que, como o goleiro da França, era o único que também podia pegar a bola com as mãos”. “Este acho que se esqueceu de fazer a barba, ainda que não dê para chamá-lo de barbudo”. “Teve um terceiro que foi muito badalado, mas não dá para dizer que ele foi herói, pois logo ele teve que sair por que o machucaram. Foi uma pena, porquanto ele foi muito citado e, além de ser bonito, tinha o cabelo aparado e havia feito a barba”. “Seu nome lembra Cristo, merecido, por que é Cristiano”.
Constatação XI
Embora soem foneticamente iguais, não se pode confundir com descendente com condescendente*, até por que se você se referir a uma estrada que desce do planalto para o litoral, como quem vai, por exemplo, de Curitiba para Antonina, pela Estrada da Graciosa, você dirá, se for um cara otimista, e condescendente, que ela vence a inegável beleza da Serra do Mar, portanto ela é parte com descendente. Se você for um cara pessimista, você dirá que ela é com parte ascendente.
*O dicionário Aurélio apresenta condescendente como “Adjetivo de dois gêneros.
1. Que condescende, transige; transigente (tolerante)”.
Constatação XII
Deu na mídia: “Municípios dizem que, sem socorro, muitos prefeitos ficarão com ficha suja” Data vênia, como dizem os nossos juristas, mas Rumorejando acha que a notícia quis dizer “mais suja”...
Constatação XIII
No fundo, no fundo e no raso, raso, Panoramix, o druída das histórias em quadrinhos de Asterix e Obelix não deixa de ser um bruxo do bem...
Constatação XIV
Duas lembranças de quando este assim chamado escriba era pequeno:
-Os presentes que o vizinho, Sr. Avrum Chameki, me dava no meu aniversário de três ou quatro anos que, em minha opinião, deveria ser um brinquedo ao invés de uma roupa como era o caso. A situação de pobreza de ambas as famílias não recomendavam outro presente que não fosse aquele que me estava sendo ofertado.
-Meu pai me emprestando uma caneta tinteiro para eu ir fazer exame de admissão – espécie de vestibular para entrar no ginásio – no Colégio Estadual do Paraná quando eu ainda não havia completado 11 anos. Guardei a caneta no bolso e lá fui prestar o exame com o coração na mão...
Constatação XV
E não esqueça, prezado leitor, dias 3 e 4 de agosto próximo, lançamento do meu 3º. Livro, Reflexões & Digressões, em dois volumes, nas Livrarias Curitiba, das 14 às 17 horas.

QUADRINHAS PARA SEREM RECITADAS ALGURES.
Quadrinha I
Ela quase teve um peripaque
Quando o relógio que faz tique-taque
Mudou seu jeito de andar com destaque,
Andando para trás como se fosse Mandrake.
Quadrinha II
Atacado pela sede e pela fome
Assaltei na madrugada a geladeira.
Me veio na hora: Teu regime retome
Emagrecer 50 quilos não é brincadeira.
Quadrinha III
Meu Botafogo na zona de rebaixamento,
Considero isso muito grave; uma tragédia.
Espero que seja breve; só por um momento.
E, na classificação, ele fique numa média.
Quadrinha IV
Ele, com muita ironia, muito cinismo,
Disse: “após de cinquenta anos de casado,
Conviver com você foi preciso estoicismo
Pra não acabar completamente amalucado”.
Quadrinha V
“Você é carta totalmente fora do baralho”,
Só por que cheguei tarde a casa, ela falou.
“Tente logo arrumar qualquer trabalho,
Já que, todo esse tempo, mamãe te sustentou”.
Quadrinha VI
Disseram os ditos evangelizadores:
“Com certeza, índio não possuí alma”.
Achavam que eles não sentiam dores
E, desse modo, não sobrou vivalma.
Quadrinha VII
Se você não protege a natureza
Você, entre tantos, é filho daquilo.
Você estará agindo com torpeza.
Tomara que te pegue um bacilo.
Quadrinha VIII
Falar sobre sexo e suas preferências
Absolutamente não é tabu para as musas
Elas falam com desenvoltura, como Ciências,
Deixando a maioria das pessoas confusas.
Quadrinha IX
Mário Quintana e Carlos Drumond de Andrade
Foram dois grandes nomes recente da poesia.
João Manoel Simões forma com essa dualidade
Um terceto de muita cultura e de sabedoria.
Quadrinha X
Quando desaparece o que você estava digitando
Chame, logo, de computação, o teu professor.
É quase certo que ele te estará salvando
E você poderá atenuar e aliviar a tua dor.
Quadrinha XI
Temos dois rins e dois pulmões,
Mas coração nós temos só um.
Isso, não causa quaisquer senões,
Pra banqueiro que não tem nenhum.
Quadrinha XII
Quando a gente é ainda pequena,
A gente gostaria de ser bem grande
Mal comparado, um triângulo escaleno,
Daquele que um dos lados se expande.
Quadrinha XIII
Saber a capital do nosso país
É muito civismo, é muito importante.
O que não se entende é que há vários brasis
Com político inócuo, nada brilhante.
Quadrinha XIV
Em um acerto de contas
Entre dois ou mais sócios
Sempre haverá no fim, nas pontas
Alguém que acusará os demais de beócios.
Quadrinha XV
Por que você age como se fosse canhestro*
E não me agarra com as duas mãos pra me beijar
Afinal, você sempre se mostrou ambidestro**.
E eu terei apenas um algo mais para te solicitar.

*Canhestro = Adjetivo. Popular.
1. Feito às canhas, às avessas, desajeitadamente;
2. Desajeitado, desengonçado;
3. Acanhado, retraído (Aurélio).
**Ambidestro = Adjetivo.
Substantivo masculino.
1. Que ou aquele que utiliza as duas mãos com a mesma facilidade (Houaiss).

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico prepara um aperitivo com vários ingredientes finos; pobre, apenas uma cachaça.
Constatação II
Rico sugere; pobre mete o nariz onde não é chamado.
Constatação III
Rico é proeminente; pobre, carece de importância.
Constatação IV
Rico inova; pobre, continua sempre na mesma.
Constatação V
Rico participa de convenção; pobre é errante.
Constatação VI
Rico é a causa determinante do sucesso; pobre, por força do fracasso.
Constatação VII
Rico é sensível; pobre, impenetrável.
Constatação VIII
Rico é abençoado; pobre, carrega uma cruz.
Constatação IX
Rico tem em grande consideração; pobre, faz gesto obsceno.
Constatação X
Rico é naif*; pobre, pintor, faz mixórdia com as tintas.
Adjetivo de dois gêneros.
1.Diz-se de arte, esp. pintura, desvinculada da tradição erudita convencional e de vanguarda, e que é espontânea e popularesca na forma sempre figurativa, valendo-se de cores vivas e simbologia ingênua (Aurélio).


quarta-feira, 13 de julho de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Quadrinha para ser recitada algures {I}).
A leitura labial
Me revelou, de pronto
E de um modo geral,
Que ela me chama de tonto.
Constatação II
Deu na mídia mais precisamente no site da Ego que, por sua vez saiu no site da Globo: “Adriana Lima aposta em decote vertiginoso em evento de moda. Modelo brasileira foi presença vip na primeira fila do Paris Fashion Week na noite desta segunda-feira, 4, na França”.
O dicionário Aurélio dá vertiginoso como:
“Adjetivo.
1. Que tem ou que causa vertigens.
2. Fig. Que gira com muita rapidez:
3. Que perturba a razão ou a serenidade do espírito”.
Rumorejando, como democrata como se considera e propõe ser, recomenda que o leitor tenha acesso à foto e escolha um dos significados do adjetivo e/ou, se quiser, dois e até os três.
Constatação III
Não é que a gente costume ler esse tipo de notícia, mas ainda do site recente da Ego: “Laura Keller e Jorge Sousa relembram sexo com pedreiro espiando: ‘Aplaudiu’. Tal notícia faz Rumorejando lembrar o que publicou no livro Rimas Primas & Outras Constatações, em 2004, pela editora gaúcha AGE:
“De um cidadão que naturalmente preferiu ficar no anonimato”.
“A minha sorte é que sexo é feito entre quatro paredes. Se fosse um espetáculo público, não tenho dúvida que eu seria vaiado”.
Constatação IV
Quando o Brasil foi escolhido para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, houve muita alegria por parte de alguns e preocupação por parte de outros. Dentre a razão destes, muitos se manifestaram por medo de assaltos a turista e demais, maculando a imagem do país, latrocínio, as ameaças de terrorismo e com mais desperdício de dinheiro em detrimento da Saúde, Educação e Segurança, principalmente. Isso tudo e mais com a experiência das obras superfaturadas, da corrupção e da crise no país.
Ainda antes dos mensalões e petrolões da vida, Rumorejando publicava o seguinte texto: “Não é por nada, não, mas no fundo, no fundo, teve muita gente que deu um suspiro de alívio quando o Brasil saiu do páreo para sediar as Olimpíadas de 2012. Afinal, a turma acha que o país tem uma imagem a preservar...”
Constatação V
E como dizia aquele corrupto, hospedado num hotel de n estrelas: “Como é bom passar bem, não gastando o dinheiro da gente”.
Constatação VI (Pedido ultra respeitoso não assaz usual. Me refiro apenas ao uso da segunda pessoa do plural, via quadrinha para ser recitada algures {II}).
Vós que sois tão gentis; vós que me amais;
Vós que não me aborreceis, nunca, jamais;
Vós que tratais assim tão bem os animais.
Fazei que haja pra eles mais adoções gerais.
Constatação VII
Do Wikipédia transcrevo: “Antonio Franco de Oliveira (Resende-RJ, 16 de junho de 1906 — Rio de Janeiro-RJ, 17 de janeiro de 1976), mais conhecido como Neném Prancha, foi um roupeiro, massagista, olheiro e técnico de futebol brasileiro. Ganhou a alcunha de O Filósofo do Futebol de Armando Nogueira, por suas frases engraçadas”. Dentre elas a mais conhecida é "Pênalti é uma coisa tão importante, que quem devia bater é o presidente do clube". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando está em pleno acordo com Neném Prancha. Já imaginaram se o jogador Griezmann perde o pênalti contra a Alemanha? Provavelmente o resultado seria outro, pois a Alemanha vinha apresentando um futebol com mais posse de bola do que a França. Por outro lado (qual lado?), a vitória da França sobre a Alemanha não lava a alma de nós brasileiros: 7x1. Pode, para alguns atenuar, ainda que tenha ficado a dúvida, em muitos, se não houve falcatrua com compra de jogadores. Como técnico brasileiro número 200.001 e grande entendido de futebol, tenho dito.
Constatação VIII (Quadrinha para ser recitada algures {III}, mormente para os “azes” do volante que costumam “voar baixo”).
Os acidentes nas estradas estão aumentando.
Boa parte com ferimentos e vítimas fatais.
Não é necessário o IBGE* estar contando,
Basta ver na mídia a televisão e os jornais.
*IBGE = Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.
Constatação IX
O deputado Eduardo Cunha pelo menos tem uma atenuante nas acusações que lhe estão sendo imputadas. Como ele faz parte dos Evangélicos, nunca se ouviu ele dizer determinadas frases que alguns “pastores” costumam dizer aos seus rebanhos do tipo: “Jesus Cristo não gosta que a contribuição dos fiéis sejam irrisórias, sejam de pequena monta”. Vige!
Constatação X
E já que falamos no deputado Eduardo Cunha, não se pode negar, conforme ele tem demonstrado, que ele é uma pessoa voltada para o bem-estar da sua família...
Constatação XI (Quadrinha para ser recitada algures {IV}).
Querem dar fim, querem cessar o Lava Jato.
E como fica a devolução do que foi roubado?
Será que quem surrupiou deverá ser perdoado?
E assim, terá sido um bom negócio para o gato?
Constatação XII
O filme À noite sonhamos retrata parte da vida de Frédéric François Chopin (Cornel Wilde). Após ter que fugir da Polônia por se recusar a tocar para o governador (“Não toco para os carniceiros do czar!”), Chopin chega com seu professor (Paul Muni) em Paris. Quando ambos estão esperando para serem atendidos pelos membros da academia de música, a quem eles queriam mostrar as criações de Chopin. Franz Lizt pega uma partitura e se põe a tocar uma das obras de Chopin e, encantado, pergunta várias vezes quem é o autor. Chopin se senta em outro piano que dava as costas ao piano onde estava tocando Lizt e se põe a tocar junto a ele o mesmo trecho. Lá pelas tantas, um deles sugere que em determinada parte seria possível se virarem, sem interromper a música, se cumprimentar e apertar as mãos. E assim foi feito. As descrições românticas sempre enaltecem um casal de mãos dadas. Este aperto de mão este assim chamado escriba considera uma das cenas mais antológicas do cinema. A outra cena antológica é que em Paris, Chopin conhece a escritora Aurore Dupin (Merle Oberon), mais conhecida pelo pseudônimo masculino que usava para assinar seus livros, George Sand, por quem se apaixona perdidamente. Debilitado fisicamente e temendo que seu romance se torne público, Chopin, acompanhado de Sand, viaja para Majorca, onde o clima úmido e chuvoso fortaleceria ainda mais sua tuberculose. E o filme mostra a segunda cena – também considerada antológica – é quando Chopin está tocando e cai uma gota de sangue sobre o teclado. No filme colorido e talvez um dos primeiros filmes coloridos (1945) impressiona sobremaneira tal cena. Comenta o Google: “Excelente adaptação biográfica para as telas, rendendo-lhe 6 indicações ao Oscar, incluindo Melhor Ator (Cornel Wilde) e Melhor Roteiro Adaptado”. Quem tiver interesse encontra o filme na internet. Como ficou assinalado, basta procurar no Google. De nada!
Constatação XIII
E já que falamos no assunto os Noturnos, de Chopin e a Rapsódia Húngara número 2, de Franz Lizt, como de tantos outros, fazem bem as gentes que apreciam a música clássica e, provavelmente abominam, como este assim chamado escriba, os rock em geral e os pauleira, em particular e dos heavy metal da vida, nem falar. Vige!
Constatação XIV (Quadrinha para ser recitada algures {V}, mas não em aula de matemática).
Será que a gata é capaz de falar de outro tema
Que não seja sobre suas necessidades de sexo
E não precisa ser um tema filosófico complexo
Nem resolver ax2 +bx+c=0, ou um teorema.
Constatação XV (Ainda o deputado Eduardo Cunha).
Este assim chamado escriba se emociona com muita facilidade e abre os tarros, seja ouvindo determinadas músicas ou, por exemplo, ver a bandeira brasileira sendo hasteada concomitantemente com o hino nacional pelo feito de um atleta ou atletas. Aplausos e abraços também causam emoções. Quando o deputado Eduardo Cunha chorou ao se demitir da presidência da Câmara posso afirmar, peremptoriamente, que não externei a mínima emoção pelo fato e também por não saber as razões efetivas por que o deputado estava chorando: Seria por se sentir injustiçado, traído pelo afastamento de alguns dos seus pares? Ou seria pela acusação de haver mentido sobre os dólares na Suíça? Ou pelas delações premiadas que o acusaram de cobrar propina e o produto ser lavado, frequentando bons hotéis e restaurantes e também frequentar shoppings para fazer compras, como foi noticiado?
Constatação XVI (Quadrinha para ser recitada algures {VI}).
Fui a uma festa junina e a uma outra julhina.
Em cada uma convidei, pra dançar, uma menina.
Ela me mediram com olhar matreiro de alto a baixo
E as negativas das duas me deixaram cabisbaixo.
Constatação XVII
Rumorejando não se lembra de haver publicado um fato no qual participou o meu grande amigo Walmor Marcelino, poeta, escritor, filósofo, jornalista, dramaturgo,
lamentavelmente falecido em 2009. O Walmor, considerado, por alguns, mais marxista do que Karl Marx sempre quando me encontrava, na maioria das vezes, na Boca Maldita, lugar de encontro no centro da cidade onde se discute todos os assuntos imagináveis, ou não, fazia a maior festa me abraçando efusivamente. Como naquele tempo eu efetivamente lembrava fisionomicamente o filósofo judeu-alemão, depois de certo tempo me dei conta que ele não abraçava o Juca. Ele abraçava Karl Marx... Grande Walmor Marcelino!
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada algures {VII}).
O ministro Lewandowski foi ironizado
Quando jantava num restaurante.
“Parabéns, por ter aumentado
Seu próprio salário já abundante”.
Constatação XIX
Não se pode confundir assista com assusta, até por que se você se assusta com certos filmes de terror, que tantos gostam do gênero, não vale a pena que você assista a tais tipos de filmes. Melhor você assistir filmes do Cantinflas, Jerry Lewis e outros comediantes. Também você poderá optar pelos musicais como, por exemplo, Cantando na Chuva. Só a sequência do ator Gene Kelly, dançando já justifica a película. Ainda tem no elenco Debbie Reynolds e Cyd Charisse.