sábado, 5 de abril de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
Rico vive absorto; pobre, displicente.

Constatação II
Marcelinho Carioca, que recentemente andou jogando no Santo André, depois de uma breve passagem como comentarista esportivo, quando comemorava, como jogador do meu Corinthians, a vitória de um campeonato do seu time, colocava uma faixa de “Atleta de Cristo” na sua cabeça. Durante as partidas distribuía pontapés, chutes e botinadas nos adversários como se eles fossem os vendilhões do templo...

Constatação III
Rico correndo é atleta; pobre correndo é que a polícia vem atrás.

Constatação IV
Quando o obcecado leu na vitrine da livraria a chamada de um livro “Introdução auspiciosa”, incontinente pensou: “Passível de mal-entendidos”.

Constatação V
E como apregoava outro obcecado – nada a ver com o anterior – filosófica e didaticamente: “A gente tem que ser favorável à mudança de posição. Afinal, não adianta querer repetir as emoções anteriores porque elas nunca se repetem.

Constatação VI (De conselhos úteis).
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que S. Excia. a Ministra do Turismo, ao invés de recomendar “relaxa e goza” para quem tomou ou ainda toma um chá de até 12 ou 24 horas nos aeroportos, poderia objetivamente recomendar o seguinte: Que os passageiros antecipem suas viagens em 24 horas para, desse modo, chegariam em tempo para seus compromissos. De nada!

Constatação VII
Deu na mídia: “Mantega nega caos, ‘problema’ é o fluxo de passageiros”. O Ministro da Fazenda acha que crise aérea é o "preço do sucesso" da economia. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que S. Excia., na suas assertivas terrivelmente infeliz, quis dizer, em outras palavras, que há bens que vêm para o mal. Coitado... de nós todos.

Constatação VIII
A frase do Ministro Mantega, ainda segundo a mídia, suscitou o seguinte comentário do relator da CPI da crise aérea na Câmara, Marco Maia (PT-RS): "É melhor que o ministro fique calado. Em vez de ajudar, só atrapalha o processo com essas declarações. Foi um comentário desnecessário, descabido e fora de propósito", afirmou. Data vênia, como já foi assinalado anteriormente, porém Rumorejando acha que não somente o Ministro foi infeliz como também o da Saúde que, ano passado, asseverou que não havia problema na sua pasta. Nossos políticos acham, como tantos, que pimenta nos olhos dos outros é refresco. Nos olhos, porque somos educados...

Constatação IX
Rico subtrai; pobre, surrupia.

Constatação X (Dúvida crucial via pseudo-haicai).
Tento desvendar um mistério
Devo me casar
Ou entrar num monastério?

Constatação XI (Dúvida crucial via pseudo-haicai).
Foi a cartomante
Que não atinou que o marido
Tinha uma amante?

Constatação XII (Truco dramático).
[Para os meus amigos Ernani Buchmann. Nireu Teixeira e Gerson Barão].
Fui convidado
Pra jogar um truco
Na casa de gente fina:
Plantas ornamentais
E outros que tais
Por todo o jardim.
Jasmim-do-campo e bejuco
Era o que não faltava.
O baralho era de plástico
O que produziu em mim
Um efeito bombástico.
Meu parceiro
Sempre foi bem-educado
E meu grande companheiro
Pediu, quando solicitado
A se pronunciar o que queria
“Uma simples cerveja
Não muito gelada, mas fria”.
Eles alegaram
Que não havia
E se serviria um vinho.
Por educação,
O sócio aceitou
Mesmo achando que não combina
Com tal tipo de carteado.
O vinho era francês
De boa cepa
E ele ficou numa embriaguez
Que ao invés de piscar para mim
Passou a fazê-lo pra ricaça
Que felizmente, como o maridão,
Levou como pirraça.
Os adversários
Era o casal de anfitriões
Que sempre jogaram juntos
E que tinham como assuntos,
O comentário de cada jogada.
Às vezes discutiam
E até bramiam
Na discussão
Até que ela se enganou
Numa mão
E ele não perdoou.
Depois daquela jogada
Ficaram de mal
E nunca mais se falaram
Então se divorciaram.
Coitado!
Coitada!
Quanto à moradia
Acabou vendida
Para um casal que nem sabia
Que truco se joga com baralho
O que culturalmente
Era no seu currículo algo falho,
Um atraso de vida
E assemelhados
Tão-somente.
Coitados!

Constatação XIII (Passível de mal-entendido).
-“Vizinho eu preparei isso pra misturar com a sua mandioca”.

Constatação XIV
Rico tem princípios; pobre, é o fim.

Constatação XV
Rico é ingênuo; pobre é burro.

Constatação XVI
Rico é arredio; pobre é omisso
.


Juca

Nenhum comentário: