sábado, 30 de agosto de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (De uma quadrinha aparentemente matemática).
A resolução
Daquela equação
Das brigas do casal
Acabou no hospital.*
*Foi uma briga administrativa. Eles eram irmãos e os donos e gestores do hospital. Também Rumorejando pensou que era um casal, constituído por marido e mulher que teriam se desentendido onde haveria rolado agressões mutuas. Ainda bem!


Constatação II
Surrupiaram o dinheiro da Ong
Com a maior naturalidade
Como numa disputa de pingue-pongue
Como se fosse o jogo da amizade.


Constatação III (Altos e baixos da nobreza).
Por logaritmo,
Tanto decimal,
Como neperiano,
Também por algoritmo
O conde, grande matemático,
Chegou ao resultado
Que nunca mais
Seria amado
Como fora no primeiro ano
Do seu relacionamento matrimonial,
Quando depois de um dia tumultuado,
Estressante e problemático
Ele chegou em casa cansado
Mas ansiado por um antológico,
Nada escatológico,
Evento sexual,
E sem esquecer o dialógico
Cheio de ais
Como jamais.
Ele não havia atinado
Por uma dor de cabeça,
Não necessariamente eventual,
E, sim uma constante opcional
Da senhora condessa.
Coitado!


Constatação IV (Meio repetitiva).
E como finalizava suas elucubrações aquele técnico, precisamente antes da preleção final, no final do alongamento: “Eu preciso dizer para os meus atacantes que é preciso ser preciso nas finalizações”.


Constatação V
Era um cara comedido. Depois de comer 2 pizzas, das grandes, acompanhadas de cervejas, pedia, pra contrabalançar, adoçante no cafezinho.


Constatação VI
E como apregoava filosófica e didaticamente o obcecado: “A gente tem que ser favorável à mudança de posição. Afinal, não adianta querer repetir as inesquecíveis emoções anteriores porque elas nunca se repetem”.


Constatação VII
Preencher uma lacuna é, nas eleições, votar em branco, ou estragar o voto, a fim de que fique bem delineado o repúdio aos candidatos, de modo que a soma dos votos em branco e nulo ultrapassem os demais?


Constatação VIII
E já que falamos no assunto, a vantagem de ser septuagenário é que não se é mais obrigado a votar. Claro que o fato se refere às eleições, jamais à opinião em casa que, essa, já tem dono, quer dizer dona...


Constatação IX
E já que falamos nesse outro assunto, uma das vantagens de ser septuagenário é que a gente, igualmente às grávidas, por exemplo, recebe determinadas atenções. Isso não quer dizer que elas, as atenções, sejam necessariamente àquelas que se almeja...


Constatação X
E como vivia se justificando o pinguço, citando a frase de um autor anônimo, querendo, inclusive, mostrar erudição: “A abstinência é uma boa coisa, desde que praticada com moderação”.


Constatação XI
Rico faz cruzeiros pelo mundo; pobre, tá perdido no mundo.


Constatação XII

Rico emigra para investir numa filial no exterior; pobre, em busca de oportunidade de trabalho.


Constatação XIII
O STJ vetou a aposentadoria
Dos deputados no Paraná
Era o que o povo queria
Salário? Ora, um caraminguá.


Constatação XIV
Defenestrado
Das suas relações,
O renitente obcecado,
Um poço de bravata
E convencimento,
Sentiu-se totalmente
Desiludido
Um falido
Aristocrata
Ao ficar sem as suas funções
E se sentiu completamente
Fu, digo, perdido,
Tão-somente.
Coitado!


Constatação XV
Rico come finas iguarias; pobre, gororoba.


Constatação XVI (Ah, esse nosso vernáculo).
Eu sabia que eu sabia quem é esse tal de Marcos que escrevi o seu telefone nesse papel. Eu só não sabia que não sabia que ia me esquecer tão facilmente.


Constatação XVII
Tirou a prova dos nove
Do seu parco salário:
O patrão não demove
De ficar milionário.


Constatação XVIII
E como dizia aquele deputado adepto da Teoria da Relatividade: “É muito melhor ter desvio de conduta do que desvio de status”.


Constatação XIX
Rico apara a barba e o bigode; pobre, junta apara de papel.


Constatação XX
Rico é perseverante; pobre, hesitante.


Constatação XXI
E como poetava a popozuda”
“Numa casca de banana
Escorreguei
Foi a terceira na semana
E não me machuquei.
A poupança que alguém abana
É de boa madeira-de-lei”.


Constatação XXII
Depois de tomar um daiquiri
Andei fabulando por aí
Que o Paraná será o campeão
Voltando pra primeira divisão.


Constatação XXIII (Epitáfio).
Aqui jaz um destemido
Que nunca dobrou a coluna
Nem num jogo onde havia perdido
Toda sua imensa fortuna.


Juca

domingo, 24 de agosto de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (“Poesia”, dedicada aos jovens da atualidade).
Era um sujeito empírico
Metido a satírico.
Livro, nunca havia lido
Sem, da vista, ter sofrido.
O máximo era ler gibi
Que fazia desde guri.
E nisso estacionou.
Um dia se enamorou.
Por uma jovem formosa
Que lembrava um botão de rosa.
Ela era exatamente o inverso:
Tanto em prosa como em verso,
Lia com sofreguidão de tudo
Mesmo aquele livro maçudo
Que no cara daria arrepio.
Afinal, ele era vazio!
E ela se deu conta na hora
E mandou ele embora.
“Vá pastar”, ela exclamou
Ele de dor quase gritou,
Quase soltou um urro.
“Quando fala parece um zurro.
Seu burro!”
Ele ficou casmurro.
“Você só dá na gente enfado!
Seu abobado.”
Coitado!

Constatação II (Quadrinha didática de mau exemplo).
Cada um se serviu regiamente
Três baitas pratos de feijoada.
Aí, foram pro motel ali em frente.
Quase acaba mal a patuscada*.
*Patuscada = 1. reunião festiva para comer e beber
2. folia animada, divertida e barulhenta; pândega, farra (Houaiss).

Constatação III

Rico sempre é bem-vindo; pobre, é malvisto.

Constatação IV (Reminiscências).
Quando os cursinhos, a fim de preparar candidatos para enfrentar essa excrescência que se chama vestibular, eram específicos para os cursos de engenharia e medicina, por exemplo, no do Dom Bosco havia uma turma de 70 rapazes e uma única moça para o de engenharia. Evidentemente que os tiques e o vocabulário dos rapazes, mesmo que a vestibulanda assim não o desejasse, acabaram se incorporando ao seu. O palavreado nos dias de hoje, então, nem falar: cheio de gírias, ainda que mais, digamos, espontâneo, nem por isso, para a velha geração, muito mais passível de enrubescimento. Um dia a moça entra na sala e, já da porta, grita para os mais íntimos: “Gente! ‘Sentei’ em física”...

Constatação V
Rico é sempre imune a...; pobre é sempre suscetível a...

Constatação VI (De uma dúvida crucial).
Será que as sogras, quando assistem as novelas elas torcem em favor dos vilões?

Constatação VII
Foi o jovem padreco
Que no sermão,
Por um momento,
Usou baixo calão
Ao se referir ao paramento
Como aquele treco?

Constatação VIII
E foi a macaca
Que fez fuxico
Com a comadre,
Soltando a matraca
Que o compadre,
O seo Mico,
Com cara de panaca,
Andava de banzé
Com uma jovem chipanzé?

Constatação IX
E foi o polvo,
Num baita revolvo
Deu um amasso,
Ao agarrar a polva,
Que transcendia perfume,
Com seus tentáculos,
Que pareciam aço
Dando espetáculos,
A tardinha,
A um cardume
De sardinha
Que por ali passeava,
E alguém gritava:
“Que ninguém se envolva.
Essa coisa indecente,
Com tanto pé e mão
Enroscado,
Embaralhado
Algum beliscão
Pode sobrar pra gente”.

Constatação X (Pseudo-haicai).
Em lugar onda há futrica
Muita gente curiosa
Não arreda o pé. Fica...

Constatação XI

Ficou a má lembrança:
O truco aquela vez:
Foi uma lambança,
Uma sordidez
Na última carteada
Apareceu naquela jogada
O mesmo três,
Um ilustre conhecido,
Que, na primeira, já havia saído.

Constatação XII
Rico faz charminho; pobre c. doce

Constatação XIII (Quadrinha para ser recitada aonde mais convém).
Perdi minha lapiseira,
Mas não me importei.
Eu só escrevia asneira
Como certo decreto-lei.

Constatação XIV
Deu na mídia: “Maradona é comunista da boca para fora, afirma Chilavert, o ex-goleiro da seleção paraguaia”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas será que alguém poderia ser comunista da boca pra fora, pra dentro, pro lado, pra cima ou pra baixo, mormente, no tempo das ditaduras da Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, Brasil, Nicarágua, República Dominicana para citar as mais, digamos, recentes?

Constatação XV
Rico faz sacrifício; pobre, esforço.

Constatação XVI (Passível de mal-entendido).
Ela vivia mergulhada tanto nos seus pensamentos de casar com seu namorado, um oficial da marinha, que até passou a sofrer de enjôo.

Constatação XVII (Matemática meio confusa).
O candidato que semeia discórdia na cúpula do seu partido político é capaz de colher a simpatia do partido rival e a antipatia no seu próprio partido. Portanto, diretamente proporcional num caso e inversamente proporcional noutro.

Constatação XVIII
E como ponderava o obcecado: “Eu gosto muito de tirar a minha roupa. Mormente depois de ter tirado a dela”.

Juca

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (Balanço e Balancete de Pessoa Física).
Rico sempre tem na coluna “Ativo”: Realizável a Curto e Longo Prazo; pobre, na coluna “Ativo”: quase nada e na coluna “Passivo”: Exigível a Curtíssimo Prazo.


Constatação II
O meu grande amigo e ex-colega do BADEP – Banco de Desenvolvimento do Paraná S.A., Renato Emilio Coimbra, um dia, após ler o jornal, me perguntou o que queria dizer Yom Kipur. –“É o dia do Perdão”, respondi. “Nesse dia, os religiosos vão à sinagoga, a fim de pedir perdão a Deus pelos pecados cometidos durante o ano”. E a pergunta veio rápida: “E chega só um dia?”...


Constatação III
Cada vez que um novo governo assume a liderança do nosso país e novos deputados, senadores e demais são eleitos, tem-se a impressão que o pessoal vem com o intuito de que “agora é a nossa vez”*.
*Fica a critério dos meus prezados leitores a interpretação do que se refere a tal da “nossa vez”...

Constatação IV
E como elucubrava aquele obcecado: “A erectibilidade é tão importante, se não mais, do que a liberdade, igualdade, fraternidade da revolução francesa”.


Constatação V
Não se pode confundir Hong Kong com King Kong, muito embora Hong Kong possua prédio alto, como Nova Iorque, que King Kong podia alcançar, como ficou provado no filme realizado no país que é a maior potência do Planeta.


Constatação VI
E, ainda, não se pode confundir chuncho com funcho, até porque funcho é uma erva aromática que, evidentemente, cheira bem e chuncho sempre envolve determinado tipo de erva que cheira mal, muito mal...


Constatação VII (Perdão, antecipadamente, caros leitores).
Não se pode confundir ocupado com culpado, até porque o cidadão que tenha ocupado o banheiro público, anteriormente às necessidades de quem veio depois, não é culpado pelos apuros eventualmente ocasionados. A recíproca é como é. Tenho espontânea e didaticamente dito.


Constatação VIII (De matemática concernente ao bem-bom).
Dependendo da idade da parceira e da gente mesmo, espelho no teto não resolve o objetivo colimado. Há que se valer dos remédios. Diretamente proporcional, portanto.


Constatação IX
Deu na mídia: “Vítimas de violência sobrecarregam hospitais no país”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que as cadeias, nem tanto...


Constatação X (De diálogos repetitivos).
-“Doutor. O senhor não acha que essa minha dor de cabeça pode ser algum tumor que eu tenha na cabeça?”
-“Não. Eu acho que o senhor botou minhoca na cabeça”.


Constatação XI (De diálogos políticos mentirosos [político mentiroso é pleonasmo...]).
-“Deputado. Não tenho lhe visto mais na nossa rua”.
-“É que mudei de casa”.
-“Quer dizer que não somos mais vizinhos?”
-“Ah! Isso não. Gente como vocês serão sempre meus vizinhos, porque morarão, eternamente, junto ao meu coração”.


Constatação XII
Rico tem lesão parcial do complexo ligamentar lateral do tornozelo esquerdo; pobre, pisa na bola.


Constatação XIII
Errar é humano; perdoar é induzir a pessoa que errou novamente ao erro...


Constatação XIV (De diálogos matrimoniais).
Comentou a paulista pro marido, depois de ouvir o noticiário na televisão:
-“A Polícia apreendeu, em 2007, aqui em São Paulo, mais de 11,5 milhões de produtos falsificados, importados sem nota fiscal. A maior parte, veio da China”.
Disse o marido, sem tirar os olhos da página esportiva, quando o Corinthians estava ameaçado de rebaixamento como de fato veio a acontecer:
-“É. Parece que nisso nós também somos bons. E a China, hein? Anda estourando em matéria de exportação”.


Constatação XV
Não se pode confundir opacidade, que o dicionário Houaiss define como “qualidade, estado ou propriedade do que é opaco; ausência de transparência”, com capacidade, até porque muito deputado e senador que no seu mandato passa numa opacidade total tem a capacidade de faturar uma nota alta, usando o que instituiram ser de direito através dos seus altos proventos – ainda que as custas do povo –, acrescido de outros negócios não necessariamente transparentes. A recíproca não é verdadeira. Tem gente que, com sua elevada capacidade recebe proventos compatíveis a ela. Como exemplo, os ganhadores de prêmios científicos, literários, artísticos, etc.

Juca

terça-feira, 12 de agosto de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (Dúvida crucial, via quadrinha).
A corneta
De certos quartéis
Soa como lambreta
Por causa dos decibéis?


Constatação II
Rico tem a capacidade de memorizar; pobre, impossibilidade de lembrar.


Constatação III
Deu na mídia: “Um ano depois de ter escapado do sequestrador que a manteve em cativeiro por oito anos, a austríaca Natascha Kampusch diz estar cada vez mais triste com a morte dele”. Vá lá alguém procurar entender a intrincada alma humana.


Constatação IV (Teoria da relatividade para principiantes).
É muito melhor cantar uma gata do que cantar ‘Parabéns pra você’, numa festa infantil, àquela que tá cheia de balões e outras crianças, que você foi obrigado a ir porque era da filha do teu chefe. Nem a possibilidade de você poder levar um balão colorido pra casa pra você levar à tua neta, nem a presença da secretaria boazuda da empresa atenua o atazanante programa.


Constatação V
Rico dá sugestão oportuna; pobre, palpite errado.


Constatação VI
Rico se preocupa com a alta da Bolsa de Valores; pobre, com os baixos valores do bolso.


Constatação VII
Quando o obcecado leu na mídia que a China havia fechado 44 mil sites pornográficos, em 2007, exclamou indignado: Isso é um acinte contra a liberdade de expressão e, daria pra dizer, até da imprensa.


Constatação VIII
Um dos fatos que sempre chamou a atenção deste assim chamado escriba é o investimento de ricaços em jogadores de futebol e, assim, passarem a ser o dono, parcial ou total, do passe do jogador. Segundo alguns, o ricaço estaria ajudando o seu time do coração; segundo alguns outros, ele estaria tentando fazer um negócio; e segundo, terceiros, as duas coisas. Seja como for, para Rumorejando soa como uma espécie de trabalho escravo tal tipo de “investimento”. Fica-se imaginando o cartola falando para o “seu” jogador: “Olha, vê se você dá um pouco mais de você, se esforça mais, porque “nós” temos que ganhar esse jogo e os demais. É tua chance de passar a jogar num time grande do eixo Rio São Paulo e mesmo ser adquirido por um time da Europa que paga em euros, o que é uma maneira de você conseguir a tua independência financeira”. E por aí ele vai. Naturalmente, sem citar o lucro que ele teria. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas para Rumorejando soa, também, como mais uma forma de capitalismo selvagem e de filhadap...ce. Por favor, cartas por e-mail, telegrama, pelo blog (
http://rimasprimas.blogspot.com/), etc., opinando sobre o assunto. Obrigado.

Constatação IX
E como elucubrava o obcecado, mostrando estar por dentro do que se passa na maior potência do Planeta e suas repercussões: “Nem a turbulência do mercado mundial, nem a desaceleração em setores da economia, tampouco as altas e baixas da Bolsa de Valores irão afetar a elevação do que mais me interessa...


Constatação X
Rico é lisonjeador; pobre, puxa-saco.


Constatação XI
O filme “Saneamento Básico” é tão bom quanto os já citados anteriormente por Rumorejando. Dá, mesmo com o comportamento dos políticos, para proferir a frase, já conhecida, “porque me ufano do meu país”. Tenho, sem patriotada, dito!


Constatação XII
E o programa Certa Vez, apresentado pelo Amigo Beto Guiz, na rádio Educativa FM, além de sábado na AM, aos domingos, às seis horas da manhã, não é para nenhum boêmio, que tá chegando essa hora em casa ou quem acorda cedo, botar defeito. E Revivendo, da mesma emissora, apresentado aos sábados, às 4 horas da matina, pelo radialista Ubiratan Lustosa, é o mesmo caso.


Constatação XIII
Sinistrose*, teu nome é dengue, febre amarela, vaca louca e os políticos.
*Sinistrose = “1. tendência a alardear a iminência de colapsos e perigos terríveis, individuais ou sociais, a vaticinar desastres, ruínas, grandes perdas materiais, catástrofes em empreendimentos, planos econômicos, projetos políticos
2. a inquietação causada por tais riscos e perigos sinistros”. (Houaiss).


Constatação XIV
Deu na mídia: “O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, considera possível que a inflação já tenha parado de subir”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas S. Excia., aparentemente, não freqüenta supermercado...
Juca

sábado, 2 de agosto de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I
E como filosofava, enquanto degustava algumas ostras e bebericava um vinho, culminando com um chá a base de catuaba, o obcecado: “Não ter um amor todo o tempo é um desperdício das horas, dos minutos, dos segundos e até mesmo dos décimos de segundo”.

Constatação II (Passível de mal-entendido).
E como comentava aquela consumista contumaz com as amigas: “Eu sempre estarei totalmente aberta e receptiva para grandes e variadas novidades”.

Constatação III (De uma declaração de amor, via pseudo soneto, escrita antes do aquecimento global).
Acordei já não me lembro em qual cidade
E senti falta da minha Curitiba cinza
Dela me deu uma imensa saudade
Que até me deixou meio ranzinza.

Por causa do calor abafado, dormi pouco
Tive maus sonhos, terríveis pesadelos
Eu tava num asilo, tinha ficado louco
O que arrepiou todos os meus cabelos.

Alagado em suor, coração opresso
Na boca, gosto de chá de corrimão
De uma repartição pública, eu padeço.

Quero pro meu torrão voltar correndo,
Minha amada fria do meu sofrido coração
Não! Não quero mais viver sofrendo.

Constatação IV
Não se pode confundir solidário com solitário, muito embora a gente possa ficar o único, solitário, incausado* com certas causas, ao contrário do corporativismo solidário dos deputados e senadores com relação ao despautério de um colega que, comprovadamente, usou de falcatrua para seu – dele – próprio benefício ou de seus familiares. A recíproca, como toda a recíproca pode ser verdadeira ou não. Obviamente elementar, minha gente...
*Incausado = “que não tem causa; que não tem explicação; desmotivado, inexplicável” (Houaiss).
Constatação V
E não se pode confundir furtos com frutos, muito embora, em certos países, há uma infinidade de pessoas colhendo os frutos de roubos, assaltos, furtos, seqüestros, executados por bandos, quadrilhas, assaltantes, súcias, governantes, deputados, senadores. A recíproca é verdadeira, porque há muitos frutos que são motivos de furtos, exceto no caso de frutos, como no caso, antológico, da “laranja madura na beira da estrada tá bichada Zé ou tem marimbondo no pé”, segundo nos fala o grande e imortal mestre Ataulfo Alves.

Constatação VI (Dúvida crucial via pseudo-haicai).
Não ter brincado com a prima
De médico, quando criança, pode
Ter afetado a auto-estima?

Constatação VII
Rico se atrasa no tráfego; pobre perde a hora.

Constatação VIII (Quadrinha, para alguns, masoquismo; para outros, puro sadismo).

Um amor não correspondido
É um martírio, um padecimento
Como se você nunca tivesse tido
Qualquer outro tipo de tormento.

Constatação IX
Deu na mídia: “O jogador português Cristiano Ronaldo, do Manchester United, é o jogador "mais apaixonante" do Campeonato Inglês, segundo o diretor-executivo da Associação dos Jogadores Profissionais da Inglaterra, Gordon Taylor”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas essa do diretor-executivo, não sei, não...

Constatação X
Quem ainda não visitou a exposição do Hélio Leites, na Casa Culpi, em Santa Felicidade, não tá com nada. E quem não conhece a obra do artista Attila Wensersky tá com o dobro de quem não visitou a exposição do Hélio. Tenho dito!

Constatação XI (Ah, esse nosso vernáculo).
A governadora,
Nada impoluta,
Impostora,
Pouco positiva,
Impôs,
Apôs
Impostos
Numa procedura,
Numa impostura
Impositiva,
Nada batuta.

Constatação XII
Quis fazer um papagaio
Pra pagar minhas contas.
O gerente me olhou
De través, de soslaio
E disse que não seria possível
Mas com cara-de-pau me forçou
A comprar ações do banco
E destarte,
Reter uma parte
Por um tempo na conta-corrente
Tão-somente.
O líquido que eu receberia,
Que me competiria
O, digamos, ajutório
Era tão irrisório
Que até fiquei meio às tontas
E quase tive um desmaio.
Ele alegou,
Dizendo ser muito franco,
Por causa da indefectível
Reciprocidade.
Já viram tamanha maldade?!
Tanta iniqüidade?!

Constatação XIII
Rico é badalativo; pobre, puxa-saco.

Constatação XIV
Rico se acostuma; pobre, vicia.

Constatação XV (Dúvida crucial).
Será que, quando Aristóteles, se referindo aos supostos racionais, proferiu “O homem é um animal político”, a frase suscitou protestos dos animais?

Juca