sábado, 30 de agosto de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (De uma quadrinha aparentemente matemática).
A resolução
Daquela equação
Das brigas do casal
Acabou no hospital.*
*Foi uma briga administrativa. Eles eram irmãos e os donos e gestores do hospital. Também Rumorejando pensou que era um casal, constituído por marido e mulher que teriam se desentendido onde haveria rolado agressões mutuas. Ainda bem!


Constatação II
Surrupiaram o dinheiro da Ong
Com a maior naturalidade
Como numa disputa de pingue-pongue
Como se fosse o jogo da amizade.


Constatação III (Altos e baixos da nobreza).
Por logaritmo,
Tanto decimal,
Como neperiano,
Também por algoritmo
O conde, grande matemático,
Chegou ao resultado
Que nunca mais
Seria amado
Como fora no primeiro ano
Do seu relacionamento matrimonial,
Quando depois de um dia tumultuado,
Estressante e problemático
Ele chegou em casa cansado
Mas ansiado por um antológico,
Nada escatológico,
Evento sexual,
E sem esquecer o dialógico
Cheio de ais
Como jamais.
Ele não havia atinado
Por uma dor de cabeça,
Não necessariamente eventual,
E, sim uma constante opcional
Da senhora condessa.
Coitado!


Constatação IV (Meio repetitiva).
E como finalizava suas elucubrações aquele técnico, precisamente antes da preleção final, no final do alongamento: “Eu preciso dizer para os meus atacantes que é preciso ser preciso nas finalizações”.


Constatação V
Era um cara comedido. Depois de comer 2 pizzas, das grandes, acompanhadas de cervejas, pedia, pra contrabalançar, adoçante no cafezinho.


Constatação VI
E como apregoava filosófica e didaticamente o obcecado: “A gente tem que ser favorável à mudança de posição. Afinal, não adianta querer repetir as inesquecíveis emoções anteriores porque elas nunca se repetem”.


Constatação VII
Preencher uma lacuna é, nas eleições, votar em branco, ou estragar o voto, a fim de que fique bem delineado o repúdio aos candidatos, de modo que a soma dos votos em branco e nulo ultrapassem os demais?


Constatação VIII
E já que falamos no assunto, a vantagem de ser septuagenário é que não se é mais obrigado a votar. Claro que o fato se refere às eleições, jamais à opinião em casa que, essa, já tem dono, quer dizer dona...


Constatação IX
E já que falamos nesse outro assunto, uma das vantagens de ser septuagenário é que a gente, igualmente às grávidas, por exemplo, recebe determinadas atenções. Isso não quer dizer que elas, as atenções, sejam necessariamente àquelas que se almeja...


Constatação X
E como vivia se justificando o pinguço, citando a frase de um autor anônimo, querendo, inclusive, mostrar erudição: “A abstinência é uma boa coisa, desde que praticada com moderação”.


Constatação XI
Rico faz cruzeiros pelo mundo; pobre, tá perdido no mundo.


Constatação XII

Rico emigra para investir numa filial no exterior; pobre, em busca de oportunidade de trabalho.


Constatação XIII
O STJ vetou a aposentadoria
Dos deputados no Paraná
Era o que o povo queria
Salário? Ora, um caraminguá.


Constatação XIV
Defenestrado
Das suas relações,
O renitente obcecado,
Um poço de bravata
E convencimento,
Sentiu-se totalmente
Desiludido
Um falido
Aristocrata
Ao ficar sem as suas funções
E se sentiu completamente
Fu, digo, perdido,
Tão-somente.
Coitado!


Constatação XV
Rico come finas iguarias; pobre, gororoba.


Constatação XVI (Ah, esse nosso vernáculo).
Eu sabia que eu sabia quem é esse tal de Marcos que escrevi o seu telefone nesse papel. Eu só não sabia que não sabia que ia me esquecer tão facilmente.


Constatação XVII
Tirou a prova dos nove
Do seu parco salário:
O patrão não demove
De ficar milionário.


Constatação XVIII
E como dizia aquele deputado adepto da Teoria da Relatividade: “É muito melhor ter desvio de conduta do que desvio de status”.


Constatação XIX
Rico apara a barba e o bigode; pobre, junta apara de papel.


Constatação XX
Rico é perseverante; pobre, hesitante.


Constatação XXI
E como poetava a popozuda”
“Numa casca de banana
Escorreguei
Foi a terceira na semana
E não me machuquei.
A poupança que alguém abana
É de boa madeira-de-lei”.


Constatação XXII
Depois de tomar um daiquiri
Andei fabulando por aí
Que o Paraná será o campeão
Voltando pra primeira divisão.


Constatação XXIII (Epitáfio).
Aqui jaz um destemido
Que nunca dobrou a coluna
Nem num jogo onde havia perdido
Toda sua imensa fortuna.


Juca

Nenhum comentário: