domingo, 21 de setembro de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (O inverso da vice-versa).
[Para a Gigi, Foquinha, Juju, João Raymundo, Preta Joana (in memoriam) e Caxixó. Todas também com o sobrenome Zokner].
Os cães daquela casa eram tão dóceis, faziam tanta festa para quem nela entrasse que os donos é que tinham que fazer o papel de cães de guarda.





Constatação II
Conversa entabulada entre dois políticos, ouvida em qualquer cidade do Brasil:
-“Na tua opinião, por que as mulheres se candidatam menos do que os homens para os diversos cargos, já que elas têm, inclusive, cotas garantidas para isso? Será por medo de perder?
–“Não. Em minha opinião – modesta, aliás – é porque elas são mais honestas do que nós homens”.
-“Há bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”


Constatação III
Rico que dirige um Volvo do ano jamais é multado; pobre, num, digamos, Corcel 80, é um infrator contumaz.


Constatação IV
E como explicava, didaticamente, por carta, para o sobrinho o obcecado de origem portuguesa: -“É preciso reflectir para o facto de que você tem que, ao estar com uma rapariga, otimizar as atividades de contacto, as possíveis e correctas chumbregadas, dando-lhe prazeres mil”. Pois, pois?


Constatação V
Disse, no telefone, a namorada do facínora pra ele. “Venha aqui em casa que eu estarei te esperando com o meu novo baby-doll preto que eu comprei hoje. Você vai ver o que eu vou fazer com você”. Respondeu o facínora pensativo: “Puxa! Foi a ameaça mais doce que eu já ouvi. As que eu escuto ou são da polícia ou dos meus comparsas”.


Constatação VI
Não se pode confundir liminar com eliminar, muito embora quando o governo – que nem sempre se preocupa com tanto desrespeito à vida, em nosso país – pretende, por exemplo, diminuir ou mesmo tentar eliminar os acidentes, proibindo a venda de bebidas alcoólicas nas estradas aparece uma ou outra liminar, ou projeto de lei na Câmara, derrubando a proibição. Livre comércio? Democracia? Ou falta de respeito pela vida, como sempre? Quem souber as verdadeiras razões, por favor, cartas à redação. Obrigado.


Constatação VII
O genro foi se queixar pra sogra que a filha dela o estava tratando mal. “Ela só briga comigo”. E a sogra: “O que você faz pra ela?” Sem responder, repetiu a mesma ladainha para o sogro que perguntou: “O que você não faz pra ela?”


Constatação VIII
Rico é sinérgico*; pobre é individualista.
*Sinergia = Sociologia: “Coesão dos membros de um grupo ou coletividade em prol de um objetivo comum (Houaiss).


Constatação IX
Rico não condiz com certas atitudes; pobre, com nenhuma.


Constatação X (Dúvida crucial via pseudo-haicai).
Todo fedelho
É um inequívoco
Pentelho?


Constatação XI (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ter aspas, escrito no nome do que na testa.


Constatação XII (Dúvida crucial).
Por que será que, em certos países, não se respeita a Lei do Silêncio e por que será que ninguém a controla para que seja respeitada? Quem souber a resposta, por favor, explicar as razões para este assim chamado escriba, através do blog
http://rimasprimas.blogspot.com/ . Obrigado.

Constatação XIII (Quadrinha para ser recitada em certas confeitarias para os donos das ditas).
Era um sonho
Tão sem recheio
No seu permeio,
Que até parecia bisonho.


Constatação XIV (Quadrinha para ser recitada por um(a) nutricionista para seus pacientes).
A obesa quer emagrecer,
Mas, por dia, teima
Em se abastecer
Com dois quilos de guloseima.


Constatação XV
Na ópera, no texto
O cara ao levar
Uma facada
E se põe a cantar
Até uma toada.
Tal está fora do contexto,
Pois quem é agredido
Não canta,
Só se espanta,
E fica assaz desvalido.


Constatação XVI
Não se pode confundir faiança (louça de barro esmaltado ou vidrado) com fiança, muito embora os dois estejam sujeitos a uma quebradeira. A recíproca pode ser verdadeira desde que se compre uma faiança, tão sofisticada, tão rara, tão incrementada, a crédito, que o vendedor exija uma fiança.


Constatação XVII
Deu na mídia: “Itaú vê crédito forte também em 2009, apesar de juro”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas um dos maiores bancos do país, a semelhança dos demais, não fez alguma referência às filas em frente aos caixas e o chá de cadeira de quem quer falar com um dos gerentes. Pena.


Juca

Nenhum comentário: