domingo, 12 de outubro de 2008

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I
Rico é jovial; pobre é insosso.



Constatação II (Dúvida crucial)
Os homens que se negam a parar pra perguntar, na estrada, a direção exata do seu destino – conforme sugestão, pedido, imploração insistência da cara-metade –, naturalmente, que se perdem. Neste trágico caso, eles estão na contramão da história ou da geografia? Quem souber a resposta, por favor, cartas através do blog (
http://rimasprimas.blogspot.com). Obrigado.


Constatação III
Rico é resoluto; pobre, hesitante.



Constatação IV
Deu na mídia: “Cientistas descobrem 700 novas espécies da fauna na Antártida”. Sem data vênia, já dá pra ter certeza o que vai acontecer com elas...



Constatação V
Não se pode confundir borocoxô com broxo (u), muito embora, em condições normais de pressão e temperatura o cara que broxo (u) fica borocoxô. A recíproca não é necessariamente verdadeira. Afinal, existem “n” motivos outros para o cara ficar borocoxô, como por exemplo, quando leva um fora da gata, o seu time do coração perde ou é rebaixado para a segunda divisão, se dá conta que no país só ocorre pizzarias sem fim e outras “cositas” desses jaezes.



Constatação VI
Rico se atormenta por não ser mais rico; pobre, atormenta.



Constatação VII
E não se pode confundir restituído com destituído, até porque, até hoje, não se ouviu dizer que um governante foi destituído por não ter restituído os execráveis “empréstimos compulsórios” que acabam se transformando em imposto compulsório. A recíproca para esses casos não é necessariamente verdadeira. Basta ver o que ocorre com os técnicos de futebol que são destituídos sem que possam restituir a vitória dos times que vinham atuando. Dos presidentes dos clubes de futebol que não entendem nada do riscado, nem falar.



Constatação VIII
Antonio Carlos Gomes, César Guerra-Peixe, Alberto Nepomuceno, Heitor Villa-Lobos, Bento Mossurunga, os irmãos Norton e Henrique Morozowicz. Taí um time de musicistas brasileiros da pesada. Tenho humildemente dito!



Constatação IX (A base de chavões)
Rico não tem limite para gastar; pobre dá o passo maior do que a perna.



Constatação X (Teoria da Relatividade para principiantes)
É muito melhor entrar em férias do que entrar pelo cano, muito embora ocorram casos em que, nas férias, se possa entrar pelo cano como, por exemplo, pegar tempo ruim, muita gente no lugar escolhido, ter que levar a sogra e assim por diante. A recíproca é verdadeira. Você pode entrar pelo cano sem estar em férias, na malfadada eventualidade de não receber uma merecida promoção do teu chefe que optou em dá-la ao sobrinho, aquele vagabundo que nada faz a não ser perturbar o ambiente de trabalho.



Constatação XI
Rico mora em mansão; pobre, em covil*.
*Covil = “habitação rude, miserável; choça, casebre” (Houaiss).



Constatação XII
Rico se reúne em turma; pobre, em bando



Constatação XIII (Quadrinha inequivocamente didática).
Só jogar canastra,
Acolá no motel
O fogo não alastra
E que feio papel.



Constatação XIV (Quadrinha da curtição total)
Passar um blefe, um facão,
No científico jogo de truco,
Dá montanhas de satisfação
E deixa o outro meio maluco.



Constatação XV (Quadrinha reivindicatória)
Se no próximo carnaval
Eu não desfilar como destaque
Ficarei irremediavelmente tão mal
Que terei um baita ataque.



Constatação XVI (De uma dúvida crucial)
E já que estamos falando no assunto, o haicai, que os japoneses inventaram, é uma quadrinha de pé quebrado?


Juca

Nenhum comentário: