segunda-feira, 5 de janeiro de 2009


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (Teoria da Relatividade para principiantes).
Até por razões de saúde, é muito melhor concordar com tudo que a tua mulher diz do que contrariá-la.

Constatação II
O vocabulário de um contabilista, evidentemente, está sempre ligado com expressões inerentes a sua profissão: fluxo de caixa, ativo, passivo, imobilizado, patrimônio líquido, lucro operacional, despesas financeiras e por aí afora. Colega de trabalho deste locutor que vos fala, digo digita, no Banco de Desenvolvimento do Paraná. S.A. – BADEP, contabilista de profissão estava fazendo uma visita a uma empresa industrial, gerida familiarmente por dois irmãos. Lá pelas tantas o colega pergunta: “E qual é o ativo da empresa?” A resposta de um deles veio de pronto: “O ativo sou eu. Este meu irmão aí não é de nada”.

Constatação III
E já que falamos no assunto, rico gere seus negócios calculando o seu ponto de equilíbrio; pobre usa a fórmula: o que entra é o bolso esquerdo; o que sai, o bolso direito. Sempre, no caso, o bolso direito é <>Constatação IV
Rico sofre de ginecofobia*; pobre, apanha da cara-metade.
* “Medo doentio à mulher; ginofobia” (Houaiss).

Constatação V (Dúvida crucial via duplo pseudo-haicai).
Todo pastor, rabino ou padre
Que batiza os nossos filhos
Passa a ser nosso compadre?

E se ele passar a ser, incontinente,
Será que ele não fica esquecendo
A cada ano de dar um presente?

Constatação VI
Chutei
O escanteio
Eu mesmo
Fiz o tento.
A bola, a bailar,
Fez no ar
Traços
Esparsos.
Que portento!
Corri, a esmo
Pros abraços
Lá, no meio
Do gramado.
Outrossim
Outro não,
Acordei
Extenuado,
Foi-se a vibração.
Coitado
De mim...

Constatação VII (Dúvida crucial cuja resposta serve para subsídio de cultura inútil).
Será que em Cartagena,
Há doze mil anos lunares
Já se jogava a sena?

Constatação VIII (Poeminha catastrófico. Por causa do tema, não da falta de rima...)
A crise calou fundo em nossos corações
Também no bolso nosso de cada mês
Aqui, ali, lá, acolá do pobre freguês
Trazendo junto tristes recordações.

Constatação IX (Poeminha de deslembranças).
Lá fora me dou conta que neva
Lá dentro, penso em Eva.
Não a do pai Adão,
Mas a que me deixou na mão.

Constatação X
O apito do navio
Era tão triste e alto
Que não lembrava
Um bulício
E sim um contralto
Quando cantava
O solo mio.

Constatação XI
E como se recordava aquele delegado de policia – cada vez mais atônito com a ascensão dos crimes em nosso país – da frase do escritor, filósofo e pensador russo Alexander Herzen (1812 – 1870): “Os nossos tempos para nós na Rússia foram sempre piores daqueles que nos precederam”.

Constatação XII
Deu no Google: "Mata a cobra e mostra o pau" tem um significado corriqueiro e sobejamente conhecido. “Refere-se a alguém, que tenha realizado um feito significativo importante e prova a sua façanha”. Data vênia, como diria nossos juristas, mas Rumorejando acha que é passível de mal-entendidos, isso lá é...

Constatação XIII
Numa corrida desabrida,
Ela se chegou só languidez,
Sensual, voluptuosa
E lhe deu uma lambida,
Muito da carinhosa.
Ele sacudiu o rabo
E sem o menor menoscabo
Retribuiu, com desfaçatez,
Com uma leve mordida.
Ah, o amor, os dois
Pensaram
E, depois,
No canil,
De modo sutil,
Se amaram
Candidamente,
Caninamente.

Constatação XIV
Não era um chiste
Nem achei graça
Fiquei triste
E até me deu ânsias
Tive que tomar
Um chá de margaça
Quando deixei de matear
O meu, até então
Inseparável,
Sociável
Chimarrão
Por instâncias
Do meu médico mandão
(Não confundir com mandrião).
Sou um apenado,
Um pobre coitado!

Constatação XV (A primeira e talvez a maior de 2009...)
Deu na mídia: “Banqueiros sentem 'remorso' por crise, diz presidente do Citigroup”. Data vênia, como dizem nossos juristas, mas Rumorejando considera uma mentira daquelas que as de pescador e de marido que chega tarde em casa não chegam nem perto. Afinal, remorso é coisa do coração...

Constatação XVI
E como dizia aquele professor de português: “A acção para a adopção da nova ortografia, nos países de língua portuguesa é óptima.

Constatação XVII
Rumorejando reitera aos seus leitores votos de Feliz Ano Novo para 2009 e, como já foi dito, para os anos subseqüentes também.

Juca

Nenhum comentário: