sexta-feira, 26 de junho de 2009


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I
Do meu ex-colega e amigo ainda do tempo da Codepar, Washington Logulo, hoje vivendo nos Estados Unidos, falando da poluição: “Aqui é difícil de ver estrelas até de noite. Eu me lembro do céu de Ponta Grossa, quando era adolescente, voltando das aulas noturnas do colégio, as estrelas eram tantas e pareciam tão próximas, como se fossem olhos me espiando”.

Constatação II
Deu na mídia: “O clube de futebol alemão Energie Cottbus vai devolver o valor do ingresso de 600 fãs em um incomum pedido de desculpas pelo "desempenho patético" na partida que terminou em 4 a 0 para o Schalke”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas se o Paraná, que nunca anda bom das pernas também no sentido financeiro, fosse agir como o time alemão, já estaria na bancarrota há muito tempo. Coitado!

Constatação III
Rico vive no locupletamento; pobre, precisa de linimento*.
* “Derivação: sentido figurado. Aquilo que torna calmo, que suaviza”. (Houaiss).

Constatação IV
Rico é auto-suficiente; pobre, é dependente.

Constatação V
Rico é robusto; pobre engorda com custo.

Constatação VI (Diálogo em quadrinha sem apelação, ainda que com rima tentadora).
Quando ele fez determinado convite
Ela ficou com a face rubicunda.
“Você está com alguma dermatite?”
“Não. Não quero saber de barafunda”.

Constatação VII
Não se pode confundir açodar, que o dicionário Houaiss apresenta, dentre outros, como “Derivação: por extensão de sentido. Apressar(-se) em demasia; levar a agir ou agir de modo inadequadamente rápido; precipitar(-se)” com adoçar, até porque os pais da pátria costumam engavetar certos projetos, a fim de não se pensar que eles não estão estudando com afinco e profundidade e que a vida deles não tem nada que se possa pensar, maldosamente, que é um eterno adoçar.

Constatação VIII (E se for um pescador político como é que fica?).
A diferença entre um pescador e um político, candidato a qualquer cargo, é que este mente antes e aquele depois...

Constatação IX (Esclarecimento).
Essa minha barba branca
É fruto de muita desdita
Nada a ver com birita,
Tampouco com meter panca.

Constatação X
Disse o coronel
Pra amante:
“Montei teu apartamento
Pra não ir mais a motel
Há tempo não sou sargento
Favor cumprir o seu papel*.
*Não ficou muito claro o papel da amante. Parece que ele estava montando uma peça de teatro e ela ia ser uma das partícipes. A outra participação, evidentemente que ela já fazia parte, caso contrário não seria amante. Elementar!

Constatação XI
Deu na mídia: “
Paraná Clube lança novos uniformes para o Brasileirão”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o problema não é o uniforme. É quem tá dentro deles...

Constatação XII
Rico prepara na sua mansão pros seus convivas um churrasqueto; pobre prepara um pastel de vento pro seus vizinhos lá no gueto.

Constatação XIII
E como discursava aquela representante do partido radical: “Nós, as radicais temos muito valor: real e positivo. Como em aritmética”. Como aparteava a representante do partido liberal: “Pra mim radical é qualquer raiz. Mormente, no caso da senhora, a quadrada. Como na álgebra”.

Constatação XIV
Deu na mídia: “Embalados pelo espírito eleitoral do fim de governo, 17 dos 35 ministros devem deixar o cargo, em abril de 2010, para fazer campanha”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que, com tanto ministro, os 17 não vão fazer falta e nem precisa substitui-los. Quanto aos outros 18, que deverão permanecer nos seus – deles – respectivos cargos, também deveriam fazer campanha pelas mesmas razões já assinaladas.

Constatação XV (Dúvida crucial com consequente entupimento).
“Apesar das nossas diferenças ideológicas podemos trabalhar juntos pelo bem do povo”, disse o deputado, considerado de Direita em campanha eleitoral pela sua reeleição num reduto de trabalhadores de, digamos, Esquerda. Aí, alguém no meio do povo perguntou: “Nós vamos continuar trabalhando, como sempre fizemos, e o senhor, de agora em diante, pretende fazer o quê?”

Constatação XVI
Rico é perguntado; pobre, inquirido.

Juca

domingo, 21 de junho de 2009

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I (Para o meu professor do Colégio Estadual do Paraná Estevam Piceski. In memoriam)
Insistente,
Queria colocar
Na boca um tesouro
Um dente
De ouro
Bem na frente.
“Pago pro senhor a vista”.
“Por que?”, perguntou o dentista.
“Por quais razões?,
Se a sua dentadura
É perfeita”.
E o cabeça dura:
“Por várias decisões
Aí, a vizinha não mais me enjeita.
Daí, eu acho que ela me aceita
E também é pra alumiar”.

Constatação II
Junto um caraminguá
Pra ir ao estádio
Ver o meu Paraná
Que nunca me dá satisfação
Igual na televisão
Tampouco na transmissão
Do rádio.
Que desilusão!
Que decepção!

Constatação III
Penteou
Com escova de aço,
Com muito desvelo
O seu encaracolado
Cabelo
Um chumaço
Despontou.
Ficou apavorado.
Coitado!

Constatação IV (Ainda o dedo do Parreira?)
Que bonito o futebol jogado pelo time do Egito! O Brasil não jogou mal. Foram eles que jogaram bem. E contra a Itália, nem falar. Tenho humildemente dito!

Constatação V
O foguista
Do trem Maria Fumaça
Teve a sensação
De uma desgraça
De ter uma faísca
No coração,
Pois
Desconfiou
Que era corneado
Pelo maquinista.
E acessou
O seu pisca-pisca
De prestar mais atenção.
No comportamento
Perebento
Dos dois:
Do colega João
E da sua Francisca.
Coitado!

Constatação VI
Indefeso
Sentiu-se preso
Ao ser levado,
Totalmente aperreado,
Num homérico porre
Para o doce lar,
Pois sabia
Que haveria briga.
Foi jogado,
Arremessado,
De modo arrevesado,
Pelo fiel amigo,
Bem teso,
No jardim.
A mulher se pôs a gritar:
“Pobre de mim!
Por que não morre
Seu bêbado de uma figa.
E esse batom no teu umbigo?
Andou com uma qualquer”.
E o pau cantando,
Acompanhando
De modo sincopado
O que ela dizia.
Coitado!
Coitado?

Constatação VII (Matemática financeira para principiantes).
Juros compostos são aqueles que, num determinado tempo, se juntam ao capital para produzirem juros novamente até que o cidadão não possa mais pagar ou a empresa quebrar. E mais, para tornar o banqueiro, que não se importa se tem ou não fila no seu banco, ficar cada vez mais rico até que, na sua morte, o banco se degringole, pela briga dos herdeiros, como qualquer outra empresa.

Constatação VIII
E já que falamos no assunto, nunca se ouviu falar que um banqueiro tenha doado seu coração em vida para um transplante após a sua morte porque não se doa àquilo que não se tem...

Constatação IX
E quando o professor disse para os alunos: “A aula de hoje é discussão das equações de segundo grau”, todos os alunos se retiraram. O representante da turma explicou: “Professor, não se ofenda, é que a nossa turma houve por bem, depois da última briga com os colegas da turma da tarde, por causa de um jogo de futebol que nem chegou a acabar, não mais participar de brigas e discussões”.

Constatação X (Diálogos rimados com final catártico).
Inseguro
Ele se sentiu
Depois de se esfalfar
De dar
Um duro
E na hora de receber
O pagamento
O paspalho
Para quem foi fazer
O trabalho
Saiu
Da linha:
Admitiu
Que não tinha
Recebido
Aumento
Para quitar
O que era devido.
“Por que me contratou?”,
Perguntou.
“Para impressionar
A minha namorada”.
“E como eu impressiono
A minha?”,
Tornou a perguntar.
“Isso é problema seu
E não meu.
Eu não posso perder
Meu sono.
Eu lá tenho jeito
De burro.
E ainda deu uma gargalhada.
“O senhor é um filho da, digo, batuta”.
E lá foi um murro.
Bem feito!

Constatação XI
Na semana passada, Rumorejando publicou: “Constatação III (Dúvida crucial).
A mulher que dorme de calcinha ela está infringindo a Constituição ao impedir que ‘todo o cidadão tem o direito de ir e vir livremente’?”. Rumorejando recebeu uma resposta de um leitor assíduo da coluna que pediu anonimato e que transcrevemos a seguir: “[...] Quanto à dúvida crucial (Constatação III), cumpre-me dizer que, para muitos parceiros, o fato de a mulher dormir de calcinha não é obstáculo algum para o contubérnio. Para muitas, cabe ao parceiro tirar a calcinha, pois faz parte do ludus amoris. Além disso, estou convencido de que tirar a calcinha da mulher amada é uma das tarefas mais nobres e prazerosas tanto para o homem quanto para ela. Opinião minha, claro.
Um grande abraço do leitor e admirador”,

Constatação XII
Rico ganha regiamente; pobre, porcamente, digo parcamente.

Juca

sexta-feira, 12 de junho de 2009

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I
Para os políticos promessa não é dívida. É mais um – se não o mais importante – instrumento ludibriável.

Constatação II
Rico é perscrutador; pobre, mete o bedelho onde não é chamado.

Constatação III (Dúvida crucial).
A mulher que dorme de calcinha ela está infringindo a Constituição ao impedir que “todo o cidadão tem o direito de ir e vir livremente”?

Constatação IV
Rumorejando não entende a razão de toda essa celeuma em torno das passagens aéreas para os parentes viajarem e usar o telefone celular por conta da viúva. A Declaração de Direitos do Homem e do Cidadão, promulgada pela Assembléia Nacional francesa de 26 da agosto de 1789 e que precedeu o rolamento de tantas cabeças na guilhotina, diz no seu Art.1º.: “Os homens nascem e são livres e iguais em direitos. As distinções sociais só podem fundamentar-se na utilidade comum”. Afinal, os pais da pátria socialmente são muito distintos e o conceito de utilidade comum é muito relativo. Viagens trazem para os viajantes muita utilidade e o uso de celular, ou outro meio ajuda a uma melhor comunicação entre pessoas, mormente entre parentes...

Constatação V
E como dizia aquele sovina, mão de vaca, avarento que comparado com o personagem de Balzac, pai Grandet, este seria considerado um perdulário: “A parte mais sensível do corpo humano, indubitavelmente, é o bolso, como muitos dizem por aí...”

Constatação VI (Mau caratismo).
Quem, à mulher, apregoa
Que o mundo vai acabar
É o tipo de pessoa
Que só quer a pobre perturbar
Depois fica rindo à-toa
Indo uma gatona namorar.

Constatação VII (De conselhos úteis).
Se você tenciona ir pra França, estude bem a tabuada e as quatro operações. Se você, por exemplo, entrar numa loja para fazer compras e o vendedor te disser que um determinado produto vai de custar “quatre vingt douze”, você terá que multiplicar quatro vezes vinte e o resultado somar com doze. Salvo ledo engano, você vai obter noventa e dois. Se for em franco ou euro ele, o vendedor, te dirá. Aí, fatalmente, você vai calcular em reais e provavelmente desistirá da compra. Salvo se você é freguês da Daslu... De nada!

Constatação VIII (Teoria da Relatividade para principiantes beatos).
É muito melhor ter calos nos joelhos do que na barriga...

Constatação IX
Quando terminou a pilha da escova de dente elétrica o sujeito parou de lavá-los até comprar uma pilha nova. Era o mesmo cara que quando estava descendo a escada rolante e faltou energia elétrica, sentou no degrau, esperando que a energia voltasse. Coitado!

Constatação X
Marido que quer soltar as amarras
Arrisca levar uma tunda
De chinelo
Ou com varas
De marmelo
Na bun, digo cacunda.

Constatação XI (Para o paranaense Rogério Ceni, goleiro do São Paulo, que está contundido com votos de Rumorejando pra um pronto restabelecimento).
Sentiu a alma
Cheia de flor
No último minuto
Da partida
Aquele petardo,
Na medida,
Em direção à rede,
Do matador,
Nada fajuto,
Com muita sede
De faturar o seu
O goleiro com calma
Galhardo,
A bola espalma.
Felizardo!
Aí, empate não deu.
O seu time venceu!

Constatação XII
Quando o obcecado leu na mídia que a Chefe da Casa Civil, Dima Roussef, declarou “que não se pode confundir poupança com investimento” deu um sorriso de escárnio e do alto da sua presumida sapiência enunciou a pérola, esnobando no vernáculo: “Mas tem muita gata que investe na poupança para siliconá-la”. Data vênia, mas Rumorejando gostou da expressão: siliconá-la.

Constatação XIII
Não se pode confundir trapaceiro com tapeceiro, muito embora tenha muito tapeceiro que vende tapetes dizendo que são de determinada origem e qualidade e não são. Aliás, isso não ocorre somente com tapeceiro. No comércio, indústria e serviços em geral também podem vir a ocorrer. Nos serviços da Câmara e Senado, inclusive. Serviços? Quais?

Constatação XIV
Deu na mídia: “Palermo é convocado para defender a seleção argentina”. Pelo jeito, depois da surra levado pela Bolívia a comissão técnica dos hermanos achou que a seleção tava com muito pouco palerma no time. (Perdão, leitores).

Constatação XV
Rico se caracteriza por especialização da mão-de-obra; pobre é pau-para-toda-obra.


Juca

sábado, 6 de junho de 2009

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I

Deu na mídia: “Reduzida pena de iraquiano que atirou sapatos em Bush”. Data vênia, como diria nossos juristas, mas Rumorejando ouviu rumores que o cara ia receber uma condecoração por ter virado unanimidade internacional.

Constatação II
(Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ter oscilações no mercado do que no desempenho sexual.

Constatação III
Perspicaz
Como sempre foi
A vaca
Não foi capaz
De fechar a matraca
Do seu marido
Ultimamente
Azedo
Tão-somente
Agora, o casto,
Já gasto
E pacato boi
Considerado,
Outrora,
Quando, desde cedo,
Despontava a aurora,
O rei do pasto,
E do mais lindo mugido.
Coitado!

Constatação IV
E foi a formiga
Que se queixou
Pra comadre,
Sua grande amiga:
“O compadre
Acha que eu estou
Relaxada,
Engordando,
Embuchando
Nessa idade madura,
Ficando
Sem cintura”.
Coitada!

Constatação V
“Não há comiseração.
Aqui não se perdoa”,
Disse a leoa
Pra o seu marido leão.
“Venha cumprir a tua obrigação.
Eu sei que você foi ao cabeleireiro
Pentear a juba
E os pelos do teu rabo no traseiro.
Não seja beócio!
Tire da cabeça esse negócio
De suruba
Com outros animais.
Vou te fazer,
Com devoção,
Algo que nunca te fiz jamais.
Não me vem dizer
Que está cansado”.
Coitado!

Constatação VI (De diálogos conjugais).
E como dizia o físico para a sua mulher, também física, na hora do bem-bom: “Não esqueça, meu amor, que movimento vibratório é o de um corpo afastado da posição de equilíbrio para a esquerda e para a direita deste, que executa um movimento de vaivém. E ela, jogadora de truco, aprendido na faculdade, levantou pra seis na hora: “Tudo bem. Mas lembre-se, meu querido, amor da minha vida, que freqüência é o número de vibrações por unidade de tempo...”

Constatação VII
Muito ativo
Muito vivo
Ao setor público
Foi lesivo.

Constatação VIII
Quando a gente é guri
A grande literatura
É o super-homem do gibi.
Outra, a gente não atura.

Quando a pessoa fica madura
A preferência muda
Lê-se o corpo humano “in natura”
E anatomia feminina a gente estuda.

Quando a pessoa envelhece
A leitura passa pro gênero sensual
Pra ver se aquilo que esmorece
Volta à condição antiga normal.

Quando se está caquético
A leitura passa ao jornal esportivo
Pra saber do Coritiba ou Atlético
Ou do Paraná se ainda tá vivo.

Constatação IX
Quando estragou a televisão
E o cara rádio não ouvia
Nem jornal lia,
Como por encanto
E para seu grande espanto,
Deixou de ter depressão.

Constatação X
Para o zagueiro
E para os demais
Falou
O goleiro;
“Na minha frente, nada.
Deixe que eu encaixo”.
A falta foi mal cobrada.
O artilheiro
Pegou na orelha da bola
Como não fizera jamais.
Até parecia
Que chutou
Com a sola.
E acertou
O infeliz
Longe do nariz
Mais precisamente no país
De baixo.
E logo ele que havia
Se preparado
Pro casamento
No próximo dia.
Que tormento!
Coitado!

Constatação XI
Ela deu um olhar secante
Que resvalou nele como uma tangente
Mas antes ela havia dado corda.
E ele pensou: “Nós somos extremos de um diâmetro.
Ainda que Cupido tentou nos atingir com uma flecha,
Após dar voltas, qual circunferência
Cada vez com raio menor”.
Agora ela me parece um purgante
Igual a tanta gente
Que te aborda
E de distância estamos um decâmetro
O que corresponde uma grande brecha
Por ela não tenho alguma apetência
Já que por aí existe coisa muito melhor.

Constatação XII
Por que será que raramente os jogadores brasileiros pedem desculpas ao adversário quando fazem falta ao contrário de boa parte dos jogadores da Europa? Será que é por uma questão de nível ou de falta de orientação?

Constatação XIII (Quadrinha para ser recitada quando se quer desmanchar o namoro).
“Ver para crer como São Tomé
É preciso, como tudo, ter fé,
Seja na reza ou no candomblé
Você sabe fazer pelo menos um café?

Constatação XIV
“Tô regenerado”,
Ele disse pra mulher
Ao chegar
Em casa tarde
Totalmente chumbado.
“Por favor, não faça alarde”.
Levou o dele com o cabo de madeira
Da colher
Que lhe fez um galo na moleira.
“Vou te deixar
No ostracismo,
Por causa do teu caradurismo”,
Ela se pôs a gritar.
“Vire-se sozinho.
Ponha-se a buscar
Um pingo de carinho.
De ora em diante
Não conte comigo
Nem por um instante.
Você virou meu inimigo.
Seu pilecado”.
Coitado!
Coitado?

Juca