domingo, 27 de setembro de 2009

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES

Constatação I
Deu na mídia: “Pesquisa em São Paulo: Quanto maior a renda e o grau de escolaridade, menor a confiança da população na Justiça brasileira”. Inversamente proporcional, portanto. Dúvida não necessariamente crucial: Precisava fazer a pesquisa ou tava na cara o resultado?

Constatação II
Ela tem problema de osteoporose. O médico recomendou muito sol por causa da vitamina D. Ele, muito branco, tem problemas de pele. O médico proibiu ele tomar sol. Um amigo do casal comentou: “Casal estranho. Eles vão sempre à praia. Ela pra tomar sol; ele pra tomar sombra”.

Constatação III
No dia 26-08-1998 o jornal O Estado do Paraná publicou: “Cidade do Vaticano – A iconografia cristã sobre o Paraíso está sendo contestada pelo especialista em hebraico Louiz Ginzberg, que argumenta que o fruto proibido teria sido um figo, em lugar da maça[...]. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a notícia efetivamente não foi nem é transcendental para o futuro da Humanidade. O que foi transcendental foi o fato de terem descoberto o sexo, depois de terem comido a fruta seja ela qual seja, caso contrário a Humanidade teria terminado apenas com eles. Naturalmente, se outras providências não fossem tomadas...

Constatação IV
Rico, quando abre um comércio de livros usados, dá o nome de Literatura Reciclada; pobre, de sebo.

Constatação V
O ex-técnico da seleção argentina Alfio Basile afirmou que tem medo de Kaká. Será que o hermano Alfio acha que o Kaká é bicho-papão?

Constatação VI
Deu na mídia: “STJ proíbe plano de saúde de limitar quimioterapia”. Com relação a alguma intenção dos planos de saúde querendo limitar o período que um cidadão deve viver nada foi cogitado. Ainda. Medicina, como comércio, só pode dar nisso. E viva os planos de saúde e também “nóis”.

Constatação VII
A falta de pudor
Só pode trazer
Um baita dissabor
E, eventualmente
Prazer,
Tão-somente.

Constatação VIII
Depois que ao time da Ponte Preta empatou com o Paraná, o técnico Pintado, da Ponte Preta foi dispensado. Comentário de um amigo também paranista sofredor, como este locutor que vos fala, digo digita: “Pelo jeito a diretoria da Ponte Preta considerou um acinte não ganhar do Paraná e apenas empatar. Será que se o Paraná ganhasse o Pintado seria crucificado?”

Constatação IX

Recua para o goleiro
O excepcional zagueiro
Que chuta a bola em seguida,
Aliviando a tensão da torcida.

A bola cai nos pés de um companheiro
Que a carrega pra frente altaneiro
Recebe o combate do adversário
Claro, durante o seu itinerário.

Com um drible meia-lua
Tenta alcançar o seu ataque
Um deles chuta e a bola vai pra rua

Garotos que ali estavam sem entrada
Pra ver de fora algum lance de destaque
Pegaram a bola e iniciaram uma pelada.

Dentro do campo o jogo tava tão ruinzinho
Que as duas torcidas saíram de fininho.
E foram assistir os garotos. Quanto craque!

Constatação X
E já que falamos no assunto, quantas partida ruins você assiste, prezado leitor, até ver um que tenha valido a pena? Cartas pelo correio eletrônico. Obrigado.

Constatação XI (De um epitáfio).
Aqui jaz um valente
Que, ironia do destino,
Morreu de tanto conservante.

Constatação XII (Mais um pseudo-soneto).

Gozava de excelente saúde
Quando não tinha muito para comer
Hoje está lá, estirado num ataúde,
Embora neca de intenção de morrer.

Levou-o uma doença moderna
Obesidade, novos tempos, vejam só,
Que está se tornando hodierna,
Coitado! Vai voltar a ser o velho pó.

A viúva, enxuta, viva e alegre,
De olho em alguém com quem se integre
Enxuga uma lágrima nada sincera

O vizinho lá está todo compungido,
O mal (ou bem) intencionado, o fingido,
Abraçando a mulher, quem me dera!

Constatação XIII
Com estes tempos da gripe A, a mídia tem apregoado: “Você não deve tomar remédio sem a recomendação do médico”. Data vênia, como diriam nossos juristas, com todo o respeito, mas Rumorejando acha que, em muitos casos, pelos efeitos colaterais e pelo inócuo resultado, você não deve tomar remédio mesmo com a recomendação ou não do médico.

Constatação XIV
Rico, discreto, olha de esguelha; pobre, pro chão.

Juca

Nenhum comentário: