domingo, 28 de fevereiro de 2010

RUMOREJANDO

Pobre &Ricos

Rico é bem informado, pobre é bisbilhoteiro.

Constatações

De diálogos passíveis de múltiplas interpretações

- Com é, meu bem?

-Não vem,

Que não tem.


Coisas que precisam ser inventadas

Camisinha que se veste (veste?),

Instantânea e automaticamente.


Enlatado americano em que não tenha

Gente atravessando, na marra, porta ou

Janela de vidro que se estilhaça.


Constatações

Comeu a mulher e ficou sem ela.

Claro, era antropófago...


Tá certo que um homem grande não quer

Dizer um grande homem, mas também não significa uma mulher boa


Rimas Primas

Quando conferiu a eleição

Sentiu no coração

Dor atroz

Só deu vencedor:

“Venha a nós...”


Dúvidas Cruciais

E como declamou seu texto aquele ator:

Por que me interrompes e utilizas em

Demasia a expressão ”eu quero” se não és

Filha única e muito menos filha do Rei?


Depois dos sessenta, ter uma saúde anormal é perfeitamente normal.


Não se deve confundir agorafobia com depoisfobia, até porque depoisfobia não existe. No entanto, fica consignada a sugestão para o neologismo, significando medo de deixar as tarefas para mais tarde. Quanto ao agorafobia, mestre Aurélio nos ensina que é “medo mórbido e angustiante de lugares públicos e grandes espaços descobertos”. E mais, o antônimo é claustrofobia. Elementar, minha gente...


Constatação

E como dizia aquele obcecado:

- Cintura de mulher é a parte do corpo que liga os seios às partes pudendas

Juca

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Fábula Confabulada

Numa província chinesa, viviam dois jovens vizinhos: Ele, Far Blon Djen; ela, Loh Myr Zing Hen. Desde a mais tenra idade, o relacionamento dos pais muito contribuiu para a aproximação entre ambos. Das brincadeiras de infância compartilhadas, ei-los no namoro da adolescência. Havia uma leve pressão dos pais para que os dois viessem a se casar, o que parecia totalmente desnecessário, já que existia uma atração mútua entre eles.

Num determinado domingo de verão, que naquele ano estava excepcionalmente quente, de mãos dadas, estava o par passeando pelo bosque. Mesmo à sombra, o calor induzia a ir tirando a roupa. Tira uma peça aqui, tira outra ali, eis que, agora, lá estão os dois bem à vontade, até, segundo os moralistas, “à vontade até demais”.

Por razões que agora não vêm ao caso, o volume do ventre de Loh Myr Zing Hen começou a aumentar e, condicionalmente, após aquele caloroso domingo. E, provavelmente, de outros talvez não tão calorosos. O que também não vem ao caso.

Hoje eles estão casados e, pelo que consta, felizes na companhia de um rebento.


Moral I

Nem sempre nas condições de leve pressão e de elevada temperatura, volumes específicos permanecem constantes.

Moral II

É melhor o calor provocar rebentos nas gentes do que as gentes rebentarem de calor.

Juca