sexta-feira, 4 de junho de 2010

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

A Ciência, graças ao Homem, evolui; o Homem, graças a si mesmo, evolui às avessas. Vá lá um entender a filhadapu...mente intricada e maldosa alma humana...

Constatação II (Ah, esse nosso vernáculo).

Já que, de saída, ela não me deu entrada, por me achar um cara grosso, aí, eu fui saindo de fininho.

Constatação III

Conselho útil, portanto, anote:
Com sede extremamente voraz
Não vá muito afoito ao pote
Para não perder teu parco cartaz.

Constatação IV

No tempo do Plano Cruzado, o PMDB pediu para o então presidente José Sarney para segurar a barra até as eleições, não fazendo as correções que se faziam necessárias, deixando a inflação contida. Graças a isso, o PMDB só perdeu num estado a eleição, ganhando nos demais. Foi, o que se diz em linguagem popular, uma lavada. Passada as eleições, o Plano Cruzado foi pro brejo e a inflação disparou até a estratosfera. Com o Plano Real aconteceu algo similar, o que foi papel primordial para a reeleição do presidente da república FHC. Atualmente, discute-se a tal Ficha Limpa. O resultado já pode ser previsto sem que se recorra a uma bola de cristal. Daí pode-se inferir que, pelo menos em certos países, podem-se enganar, engabelar, levar no papo todos quase todo o tempo... E, claro, viva “nóis”.

Constatação V

Eu já havia lido Brasil: nunca mais, cujo prefácio foi escrito pelo Cardeal D. Paulo Evaristo Arns. Lá encontrei nomes de colegas de trabalho e conhecidos que eu nunca poderia imaginar que tivessem sido ajudantes da repressão. Também Os senhores das Gerais de autoria de Heloisa Maria e Murgel Starling conta o que se passou em Minas naquela época. Consegui, com muita dificuldade, já que está esgotado, Resistência Democrática – A repressão no Paraná, de autoria de Milton Ivan Heller, editado pela Editora Paz e Terra e pela Secretaria de Estado da Cultura do Paraná. O jornalista e Amigo Milton Ivan Heller foi cassado em 1964, quando membro do Conselho Fiscal do Sindicato dos Jornalistas, porque sim e tá acabado, como posteriormente viria a ficar provado e aprovado “por falta de justa causa”. Maus tempos aqueles...

Constatação VI (Por que será que não se treinou todo o tempo com a bola mais leve?)

O saudoso Roberto Ribeiro, no seu repertório de música popular brasileira, gravou “Samba do Sofá” de autoria de Geraldo Babão e Dicro, que diz o seguinte: “Mais uma vez/ Vou ter que perdoar/ Porque eu gosto dela/ Infelizmente eu fui me casar/ Com uma mulher tão bela/ Ontem a encontrei/ Beijando outro em meu sofá/ Veja que raiva qu’eu senti/ Hoje bem cedo peguei o sofá e vendi (...)”. Mal comparando, se perdermos a Copa vão dizer que a bola é muito leve, portanto culpada. Vamos e venhamos, seria querer culpar o sofá...

Constatação VII

Rico tem reminiscências: pobre, quer esquecer o passado.

Constatação VIII

No caso das estatais, foram-se os anéis e os dedos. Aguardem, breve, muito breve, os artelhos... A propósito, que saudades da Telepar, a antiga estatal de telecomunicações no Paraná.

Constatação IX

Rico toma vinho tinto; pobre, tinta.

Constatação X (Teoria da relatividade para principiantes).

É muito melhor ter pedra na vesícula do que m... na cabeça.

Constatação XI

Lembre-se, caro leitor,
Responsabilidade
E probidade
Não é receita de doutor
Nem se adquire
Em farmácia.
Daí, não se admire
Com a nossa falácia.

Constatação XII

Rico ganha dinheiro especulando; pobre, ganha dinheiro quando acerta – e se acerta – uma vez na vida o terno no jogo do bicho.

Constatação XIII

E como matutava Matusalém quando pegou um simples resfriado: “Desse jeito eu não vou durar muito”.

Constatação XIV (Cadê a devolução do dinheiro que foi cobrado a mais nas contas de luz).

De repente,
Não mais que de repente,
Eles querem que a gente
Novamente se arrebente
Com o “empréstimo” não quente
Daquele tão somente
Cuja devolução fica ausente,
Pois o governo volta e meia mente.
Desse jeito não há quem agüente:
Não ficará ninguém pra semente.

Constatação XV (De diálogos inocentemente conclusivos sobre casos de aposentados ciosos, ociosos ou não).

-“E o que você faz o dia inteiro ?”
-“Tomo chimarrão”.
-“E a noite inteira ?”
-“Destomo”.

Constatação XVI

Não se deve confundir marmota, que, no nordeste brasileiro, popularmente, quer dizer fantasma, com marmita, muito embora para a grande maioria da população brasileira a marmita e outros apetrechos assemelhados está se transformando numa marmota a olhos e bolsos vistos...

Constatação XVII (Aparentemente paradoxal).

Em certos países, circulam jornais que têm muito para ler e não têm nada para ler. Se o prezado leitor, mudar o verbo de ler para ver, a presente Constatação vale também para a televisão. Pena!

Constatação XVIII (Ah, esse nosso vernáculo).

E como dizia aquela gata: “Aquele meu gato é burro. Ele se emburrou comigo só porque eu tava falando com aquele pato metido a gavião”.

Constatação XIX

A maldade
Do hipócrita fingido
Tenta mostrar
Bondade,
De aparentar
Que ficou sentido
Com algum fato
Que conta, lamentando,
Mas, com espalhafato,
Para, afinal,
Ficar
Falando
Mal
Dum pobre mortal.

Constatação XX

Pobre, nunca quer reconhecer seus erros; rico, nunca erra.

Constatação XXI (De diálogos elucidativos).

-“Dilaceraram o seu coração”.
-“Quem ? Alguma ingrata ?”
-“Não. Aquela tribo antropófaga”.
-“Ah, bom”.

Constatação XXII

Passou a admirar muito mais a sua filha por ter passado no vestibular. Não pelo fato em si, mas pelas horas que ela dedicou à televisão, assistindo o besteirol de praxe ao invés de estudar um pouco mais...

Constatação XXIII

Tive que fazer
Um requerimento
Para dela merecer
Ao menos um olhar,
Por um momento.
Recebi, apenas, um esgar.
Que tormento !

Constatação XXIV

Ela deveria
Pedir-me perdão.
Já que ela só sabe
Dizer-me: “Não!”
Um sim, também cabe
“Pruma” feliz união,
Desde que não se caia,
Por causa desse rabo de saia,
Numa fria.

Constatação XXV

Depois que o comensal
Comeu, inteiro, o leitão
Preocupou-se o anfitrião:
“Arrisca agora ele virar,
Logo aqui no meu lar,
Um doente terminal”.

Constatação XXVI

Depois que o político,
Em época de eleição,
Me cumprimentou
Pela enésima vez,
Dizendo: “Muito prazer
Em conhecê-lo”,
Muito analítico
E com muita rapidez
Cheguei a conclusão,
Que ele não quer nem saber
Quão importante eu sou,
Fui, ou deixei de sê-lo.
Minha bela fachada
Por um olho dele entrou
E pelo outro saiu.
Antes de mais nada,
Ele que vá pra p. que o p...!
(Perdão, leitores,
Este desabafo,
Pois destes senhores
Eu não me safo).

Constatação XXVII

Deu um tremelique
Na hora da passarela
No rapaz do repique
Que comprometeu
O desempenho da bateria
E por causa dela
A escola, que não perderia,
Se fu, digo, perdeu.

Constatação XXVIII

O site da Globo, na Internet, apresenta os “Melhores Momentos” das partidas de futebol. Em algumas partidas, na sua maioria as que terminam zero a zero, os momentos apresentados se efetivamente fossem os melhores ficaria a grande dúvida de como foram os piores...

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I

No reino animal, algumas fêmeas devoram o macho depois de. É o que se poderia chamar de orgasmo antropofágico ou de antropofagia orgástica ?

Dúvida II

Se você encontrar dois caras conhecidos, ambos, coincidentemente, com o nome de Raul como é que será o seu cumprimento: “Oi Rauls”, “Oi Raules” ou “Ois Raul(es) ? Cartas ao blog. Obrigado.

Dúvida III

Ele é gente pra burro, mas, pra muita gente ele é burro ?

Dúvida IV

Qual foram as grandes obras deste governo reeleito e do anterior para o país ter uma dívida interna tão elevada ?

Dúvida V

E por que é que nós é que temos que pagar a conta daquilo que nós não gastamos, ou melhor, que os políticos, com as maracutaias, gastaram ?

Dúvida VI

E já que falamos no assunto, será que algum governante daria seu aval pessoal, o de pessoa física, para nos garantir a devolução desses “empréstimos”, anteriormente referidos ?

Dúvida VII

Quem é que iria imaginar que há apenas 10 anos atrás o dito, extraído da sabedoria popular, que “não existe mulher virtuosa; existe mulher mal cantada” iria ser usado também pelas mulheres se referindo aos homens ?

Dúvida VIII

A epistemologia é a ciência que estuda a maneira de “fazer a pista” ?

Dúvida IX

Na cantina
Da esquina
Havia uma menina,
Com voz sibilina,
Recitando a Cora Coralina ?

Dúvida X

Já começou novamente o esquema de futebol, o moderno “ópio do povo”, todos os dias da semana ?

Dúvida XI

Joaquin Rodrigo
Ela dançou
E só o umbigo
Ela não mostrou ?

Dúvida XII (Via pseudo-pseudo-haicai).

O pernoite
Foi no motel
Depois do agarra na “boite”* ?
*Favor ler como se escreve, pois se ler, como se deve, boate, esnobando o idioma francês, a rima ficará prejudicada. Obrigado pela compreensão.

Dúvida XIII

No seu querer,
Fremente,
Bota de verniz
Ele quis
Pra ela, nua, calçar
Pra, assim, poder
Tentar
Se excitar
Tão somente ?

Dúvida XIV

A vergonha na cara foi abolida definitivamente dos nossos políticos?

Dúvida XV

Será que lá, no céu,
Assim como na terra,
Também vou receber o labéu*
De “santo rastaqüera”**?
*Labéu = “mancha infamante na reputação de alguém; desdouro, desonra” (Houaiss).
**Rastaqüera = “rude, ignorante” (Houaiss).

Dúvida XVI

Se uma criança começa falar mal de alguém é que ela quer se sentir mais adulta ?

Dúvida XVII

Quando o bloco carnavalesco paulista Vai-Vai desfilou com suásticas é que ele se esqueceu de fazer uma lipoaspiração urgente em suas idéias ?

Dúvida XVIII

Do jeito que as coisas andam, logo, logo, também em Curitiba, teremos todos, policiais e civis, de andar com colete a prova de balas ?

Dúvida XIX

Se não parar
De chover,
Será
Que haverá
Necessidade,
De mudar
De cidade
E das namoradas,
Coitadas,
Esquecer ?

Dúvida XX (Via pseudo-haicai).

Tremido,
Foi o penalti
Batido ?

Dúvida XXI

A top model estava desfilando apenas com um top ?

Dúvida XXII

Mais que um zelo,
Administrar,
Sem deixar
Roubar,
O patrimônio lesar,
É um desvelo?

Dúvida XXIII

Caramba!
Nós, o povo,
Estamos de novo
Na corda bamba?

Dúvida XXIV

Por que será que os vulcões deram de se pôr a vomitar? Será por asco dos ditos humanos?

Dúvida XXV

O sol quando sai em Curitiba não dá nem pra saída?

Dúvida XXVI

Esse abre/fecha do tempo. Será que é de tanto jogar tria e dominó com o vento?






2 comentários:

Marina da Silva disse...

Oi Juca, ótimas constatações e dúvidas, mas adorei mesmo os palavrões! Lá em casa era o tal "mete a mão na boca antes que o pé a alcance"... Não consigo falar palavrão sem ficar com medo do "sabão"!kkkkkParabéns. Abç. Marina

Juca disse...

Obrigado Marina. O palavrão abaixa a pressão. O indigenista médico Noel Nutels explodia num palavrão para liberar a tensão. Ele não pode ser gratuito. Os governantes dão motivos para que ele não seja... [ ]'s Juca.