quinta-feira, 7 de outubro de 2010

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Via duodécimo pseudo-haicai).

Ela nem me liga
Mas, quando o faz,
Me faz uma baita figa.
Isso, que ela ainda diz
Ser minha grande amiga.
Quando eu reclamo
Ela responde: “Não diga!
Eu já conheço
Essa tua cantiga.
Saia duma vez
E teu caminho siga.
Só não bata com os chifres
Ali naquela viga,
Pois quebrar a dita,
Ou mesmo entortar, periga”.
Tudo isso me deixa
Numa intensa fadiga.
Coitado de mim, vou ter
Que me exilar em Riga
A fim de que ela
Não me maldiga.
Pior, se puser uma praga
Que me persiga.
(Perdão, leitores, que eu
Por cá não prossiga).

Constatação II (Meio repetitiva).

Ela, a rio-grandense-do-sul, riu do rio-platense, em Rio Claro, quando ele caiu no rio e ficou muito sé...rio.

Constatação III (Ah, esse nosso vernáculo).

Numa noite estrelada, comeu um ovo estrelado e ficou apreciando as estrelas. Sentiu-se tão mal que chegou a ver estrelas.

Constatação IV

Tá na hora de se dar um fim, de uma vez por todas, para todo o sempre, para toda a eternidade aos holocaustos todos que ocorrem no mundo. Tá na hora de quem não sofre esses genocídios todos de se manifestar, protestar, gritar, boicotar, esbravejar, para que cessem tais nefastos eventos. Através da Internet tem ocorrido, ainda de modo incipiente, reações contra essas violências todas. O Brasil poderia começar cuidando de seus próprios índios. A mídia poderia se unir para isso, liderando as campanhas. Alguém poderá dizer que estamos sonhando alto. Talvez. Mas há fatos – raros, diga-se de passagem – que fazem a gente, ainda, acreditar na Humanidade.

Constatação V

Uma das coisas que eu nunca consegui entender, num passado ainda recente, era quando um político mudava de partido e passava a atacar seus antigos companheiros e também passava a ser atacado por eles e, concomitantemente, passava a ser elogiado pelos antigos adversários que antes o atacavam. Depois de uma certa época, retornava, como dizem os entendidos, ao ninho antigo. Aí, cessavam os ataques de um lado e recomeçava do outro. Dúvida crucial: Afinal, qual era a fronteira que fazia com que uma pessoa, considerada decente anteriormente, passasse a indecente e novamente decente posteriormente ? Ou indecente, decente e indecente. Quem puder me explicar essa volubilidade, por favor comentários no blog. Obrigado.

Constatação VI (De uma dúvida crucial).

Será
Que o Big Ben
De Londres
Anunciará,
Em seu carrilhão,
Quando
Se dará
A reversão
Quer dizer
A contração
Do Big Bang,
Ainda
Em expansão ?

Constatação VII

Alguém poderia imaginar que um dia, além do nariz arrebitado, também chamado erroneamente de ximbé ou ximbeva, já que ximbé, no Aurelião, está assim dito: “SP. Pop. Diz-se de quem tem o nariz pequeno e achatado”, as mulheres iriam se preocupar em ter o bumbum arrebitado ? Vá lá um desvendar para entender a intrincada alma feminina. E, se alguém conseguir, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação VIII

Não se deve confundir dissabor com “disse amor”, até porque, se você estiver lendo o jornal enquanto tua mulher, depois de um longo monólogo te pergunta o que é que você acha de tudo aquilo e você, sem tirar os olhos do jornal, diz: “O que você disse, amor ?”, a bronca que, fatalmente, advirá, sem dúvida, vai te dar muito dissabor.

Constatação IX (Ah, esse nosso vernáculo).

Eu nunca me calo quando alguém me pisa nos calos, já que não dá pra calar com coisas que te calam fundo na alma.

Constatação X (Ah, esse nosso vernáculo cheio de interjeições).

-“Ei, você, Ei! Eu hei de te incentivar sempre, hein: Eia!

Constatação XI

Rememorando cenas antológicas de filmes: A partida de sinuca, um acertado trambique, entre o personagem vivido pelo Paulo Cesar Pereio e o do Nelson Xavier, no filme Vai trabalhar vagabundo, realização do Hugo Carvana que também participa como ator. Outra: a seqüência final desse inteligente e bem feito filme brasileiro, Lua de Outono, que não pode ser comentada para Rumorejando não ser “empata f.” para quem pretende assisti-lo. Aliás, na
opinião modesta cá deste assim chamado escriba, imperdível. Para quem é gaúcho, então, nem falar.

Constatação XII

Monumental,
“Poupança”
Ela tinha,
Tào
Linda!
E tem,
Ainda.
Porém,
Esquiva
Da minha
Mão,
Sem igual:
Mansa
Delicada,
Fremente
Ativa,
Como jamais.
Apaixonada,
Viva,
Carente,
Lasciva,
E bem mais...

Constatação XIII (De conselhos úteis para quem está habituado a, pelo menos, comer).

Nunca deixe de comer uma comida com produto químico e de respirar uma quantidade de ar poluído. Afinal, se o seu organismo está habituado com essas condições dos nossos tempos modernos, ele poderá se ressentir com a falta dos mesmos. De nada !

Constatação XIV

Não se deve confundir poltrona – feminino de poltrão que é o “indivíduo covarde ou medroso” – com poltrona, “grande cadeira com braços”, muito embora, dependendo do tamanho do “sentador” do freguês ou da freguesa, a poltrona, se tivesse sentimento, se sentiria amedrontada e acovardada; poltrona, enfim.

Constatação XV

Quem ainda não escutou as músicas de Zé Coco do Riacho, nome artístico do saudoso José dos Reis Barbosa dos Santos deve fazê-lo a toda velocidade. É, juntamente com Elomar, Xangai, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Marco Antônio Araújo, Sivuca e tantos outros o compositor autóctone deste Brasil que, cada vez mais, se descaracteriza. E viva “nóis” globalizados, colonizados, alienados e outros “ados”.

Constatação XVI

Embora não pareça,
Por ser leve,
Carregar piolho
Na cabeça –
Que não se deve –
É um trambolho.

Constatação XVII (De diálogos pretensamente instrutivos).

Disse a pedacinho de gente: “Puxa, mãe! Você é uma baita batutona! Que sorte que o papai te escolheu!”
Disse a mãe para a pedacinho de gente: “Não foi ele que me escolheu, amor. Fui eu que escolhi ele. Nunca esqueça, quando você for grande que somos nós, as mulheres, que escolhemos. Mas, veja bem: Nunca se pode dar essa impressão a eles”.

Constatação XVIII

Ricos aparecem em Caras; pobres, vivem quebrando a dita.

Constatação XIX

E como dizia a gata para sua amiga Maria que havia contado que o Fulano estava interessado nela: “Veja, minha cara Maria, quando se fala em múmia, nem sempre quer dizer que ela foi mumificada, como no tempo de Queops, lá no Egito. Logo, já viu né”.

Constatação XX (Teorema de uma das Leis Sociais de Juca).

Dependendo do lugar, o sujeito na carreira funcional quando ascende uma chefia faz muitos mais inimigos do que todos os amigos que ele tinha feito antes de ascender.

Constatação XXI (Corolário do Teorema da constatação anterior).

Quanto mais o sujeito ascende, maior é o número de inimigos e de falsos amigos que ele arregimenta (Diretamente proporcional).

Constatação XXII

Não é só mórbida
A idéia da morte.
Também é sórdida...

Constatação XXIII

Por várias vezes Rumorejando enfatizou a necessidade de se eliminar a reversão à esquerda em Curitiba. Além de se eliminar pontos de conflito, o cidadão que está obrigando esperar a fila de carros que vem atrás, deixará de ser xingado, na melhor das hipóteses, de egoísta. Outros epítetos, nem falar... Ultimamente, com o aumento da circulação de veículos, isso já vem acontecendo, mas não o suficiente.

Constatação XXIV

Mesmo à revelia
Senti por ela
Nostalgia.

Constatação XXV (Subsídios para novelas do horário nobre).

Contou a mulher para as amigas:
“Passei uma reprimenda
No panaca do meu marido
Ele não se emenda
Nem quer me dar ouvido”.
Contou o marido para os amigos:
“Levei um baita pito
Da chata da minha mulher
Me flagrou num agito
Com uma tal de Ester”.
Contou o filho pros amigos:
“Conheci ontem uma Ester
Que me falou dum coroa
Eu acho que ela só quer
O dinheiro dele numa boa”.
Contou a filha para as amigas:
“A mãe com o pai brigou
Por causa duma mulher
Mas do seu amante não falou
Nenhuma palavra sequer”.
Disse a empregada pro namorado:
“Por mais que eu me esforce
Eu não entendo esses ricos
Pra lado diferente cada um torce
E fazem xixi fora dos penicos”.
Disse o namorado para a empregada:
“Docinho, já que estamos sozinhos
Vamos fazer amor no quarto de casal
Tomar um ou dois excelentes vinhos
E comer caviar que, pra eles, é banal.

Constatação XXVI

Não se deve confundir Heavy metal com vil metal, até porque quem possui o segundo, jamais o achará pesado. A recíproca, no presente caso, absolutamente não é verdadeira.

Constatação XXVII

Pode-se falar mal de futebolista, porém tem uma porção deles que mantém creches, escolinhas de futebol par garotos de famílias carentes e coisas afins. Alguém conhece algum político, desembargador só ou com parceiros que faça o mesmo? Cartas ao blog. Obrigado.

DÚVIDAS CRUCIAIS.

Dúvida I

O prezado leitor já se deu conta: quando alguém do Poder é denunciado ou acusado de que pôs a mão no jarro, imediatamente ele, ou alguém ligado ao Poder, em sua defesa, dirá que “querem desestabilizar o regime democrático”, ou, quando menos, trata-se de “exploração política”, “revanchismo” e por aí afora ?

Dúvida II

Só tinha, lá no seu cocuruto,
O simpático careca,
Um tufo de cabelos hirsuto ?

Dúvida III (Via duplo pseudo-haicai, meio forçado).

Afinal,
O funcho,
Digo,
O chuncho
É geral ?

Dúvida IV (Com parte da rima apelativa no gerúndio).

É na casa do Aparício
Que está havendo
Indício
Que está ocorrendo
Um suplício
Tremendo
Com malefício
Horrendo,
Pois o Felício
Tava dizendo
Que o seu patrício
É um corno estupendo ?

Dúvida V (Da caipira, da limonada, ou do quê ? Dúvida dupla, portanto).

Meu irmão,
O teor
De limão
Altera o sabor ?

Dúvida VI (Via pseudo-haicai).

O linguarudo
Necessita sempre
De um escudo ?

Dúvida VII

A carta de Pero Vaz de Caminha enaltecia a exclusiva preferência nacional portuguesa da época ?

Dúvida VIII

Eu muito me explico
Ao querer no meu Paraná
Um jogador como era o Zico ?

Dúvida IX

É muito simplista
A afirmação que
Todo homem é machista ?

Dúvida X

Também é muito simplista
Aproximar dos atacantes
Só o meio campista ?

Dúvida XI

É muito explícito
Que apropriação
De bem público é ilícito ?

Dúvida XII

É muito necessário
Que o gol contra
Seja do adversário ?

Dúvida XIII

O trânsito caótico
Deixa o neurastênico
Neurótico ?

Dúvida XIV

Já não é mais espetacular
Na rua principal
Recorrer ao celular ?

Dúvida XV

É muito angelical
Que a humanidade
Não é mal ?

Dúvida XVI

É muito agradável
Ser atendido
Por gente afável ?

Dúvida XVII

É muita ingenuidade
Acreditar no respeito
À privacidade ?

Dúvida XVIII

É muita inocência:
O homem é que evolui
Não a ciência ?

Dúvida XIX

É muito desagradável
Relacionar com gente
Intratável ?

Dúvida XX

É muita cara-de-pau
Dançar a dança do ventre
Num funeral ?

Dúvida XXI

E é muito pertinente
Num enterro
Estar contente ?

Dúvida XXII

É muito disparate
Dar um xeque-mate,
Tomando um mate ?

Dúvida XXIII

É muito abuso
Confundir heavy metal
Com Enrico Caruso ?

Dúvida XXIV

É muito insosso
Comer abacate
Com caroço ?

Dúvida XXV

É muito bom que se fique
Por aqui, senão o caro leitor
Vai ter um trique-trique ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: