quarta-feira, 2 de março de 2011

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Ah, esse nosso vernáculo).
Que pena que eu não guardei a minha caneta com pena, nem se fabrica mais travesseiro com pena. Efetivamente, é uma pena.

Constatação II
E como dizia o Barão de Teffé: “E preciso ter fé”. (Perdão, leitores).

Constatação III
Rico diz imprecação; pobre, palavrão.

Constatação IV
Não se pode confundir acaso com ocaso, até porque não é por acaso que a maioria dos políticos já está no ocaso de suas carreiras. A propósito, alguém é capaz de citar algum projeto de algum político, primordial para os interesses do nosso país ? Quem puder, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação V
E quando perguntaram para o obcecado quais eram as três melhores coisas na vida, ele não hesitou, não titubeou, nem um momento, para responder: “A primeira, sexo; a segunda idem e a terceira, também”.

Constatação VI
E não se pode confundir entojado com enjoado, muito embora ninguém conhece um cara entojado que não seja enjoado. A recíproca, nesses gravíssimos casos, é quase sempre verdadeira.

Constatação VII
E, ainda, não se pode confundir confiar com cofiar, até porque quem começa a cofiar o bigode e/ou a barba é porque não está muito a fim de confiar em alguma eventual proposta, pensando: “sei, não, sei não...”. Mas, vejam bem, nesse importantíssimo caso, é imprescindível, é de suma importância, é condição “sine qua non” que o cidadão use barba e/ou bigode, caso contrário o verbo cofiar ficará impedido de ser usado, consequentemente, assaz prejudicado.

Constatação VIII
Quando a cuia começou a vazar o tomador de chimarrão, tristemente, comentou; “A minha cuia foi pras cucuias”.

Constatação IX
Nessa história do guru Millôr Fernandes ter dito que é muito melhor ser rico e ter saúde do que pobre e doente, eu, num restaurante, por exemplo, prefiro que ninguém fume e nem fale no celular. Agora, entre o ficar escutando alguém falar no celular e alguém fumar, ainda é preferível agüentar o fumante.

Constatação X
E não se pode confundir afetivo com efetivo, até porque coisas e pessoas cujo relacionamento é afetivo e que parecia ser efetivo, de repente, não mais que de repente, pode deixar de ser.

Constatação XI
Quisera,
Eu, pobre mortal,
Agüentar a espera
Da vinda,
Sintética ou analítica,
Bem-vinda,
Duma política,
Que não fosse venal.

Constatação XII
Rico tem oposição binária; pobre, tem posição nem sim nem não, muito antes pelo contrário.

Constatação XIII
E lembre-se, prezada leitora dos Estados Unidos da América, se você calça 48 pode ficar descansada quanto a sua viagem turística ao Brasil, pois, dificilmente algum assaltante vai querer levar o seu tenis, mesmo que seja daqueles das grifes famosas.

Constatação XIV
E como poetava o incurável
E insaciável
Obcecado:
“Quando eu, um cara astuto,
Por acaso escuto
A palavra conectado,
Ou a palavra conjuminado,
Podem me achar estulto,
Ou um cara não culto,
Mas a verdade,
Sem nenhuma veleidade,
É que eu fico logo excitado”.

Constatação XV
Era tão quadrado
Que não se enquadrava
Em lugar algum. Coitado!

Constatação XVI
E não se pode confundir mazela com magrela, até porque, se você quiser dar um amasso numa magrela, você corre o risco de se espetar o que seria uma inequívoca mazela.

Constatação XVII
Os cientistas, que se dedicam aos transgênicos, deveriam criar uma rosa azul. Tenho dito!

Constatação XVIII (Via pseudo-haicai).
Dentro do corpete
Ela escondeu o rímel
E um trompete.

Constatação XIX
E vejam, não se pode confundir trunfo com triunfo, até porque, muitas vezes, a gente pensa que tem um trunfo para conquistar um triunfo e acaba dando com os burros na água.

Constatação XX (De ditado, amplificado pelo obcecado, nada sutil).
Cada povo com seu uso, cada roca com seu fuso e cada porca com seu parafuso.

Constatação XXI
Segundo o IBGE, o número de idosos no Brasil é de mais de 30 milhões. Taí uma notícia que deve deixar os governantes chateadíssimos, mesmo que tenham que pagar apenas a média de dois salários mínimos que é a média brasileira dos aposentados, sem levar em conta os funcionários públicos. E, claro, viva “nóis”.

Constatação XXII
Irrelevante,
Para um pacifista
“Eia! Avante!”

Constatação XXIII (Ah, esse nosso vernáculo).
“Ela me passou uma compostura porque eu não sentei com postura razoável”.

Constatação XXIV (De conselhos úteis).
Nunca conte para os outros tuas desditas. Se você, ao contar, está se sentindo mais aliviado, quem te escutar poderá estar vibrando. De nada!

Constatação XXV (De uma ingênua dúvida crucial).
Será que os supermercados que estão comprando outros supermercados é com a finalidade para poderem ter os preços super marcados para baixo pelo esquema de escala econômica, custo/benefício, etc. ?

Constatação XXVI
Rico é oligofrênico; pobre, é burro.

Constatação XXVII
Tão inócuo quanto ficar argumentando com um adolescente.

Constatação XXVIII (Ah, esse nosso vernáculo).
A menina foi até a venda da esquina para ver se já estava à venda a venda para brincar de cabra-cega.

Constatação XXIX (De conselhos úteis).
Quando você estiver em certos países da América Latina – Brasil, inclusive – nunca peça, em bares, restaurantes ou lanchonetes uma água mineral com gás e sem gelo que vai vir totalmente ao revés. Peça com gás e gelada ou sem gás e sem gelo. De nada!

Constatação XXX
Tem muito político que, se fosse seqüestrado, ninguém, a não ser a própria família – e talvez nem ela – pagaria um reles tostão furado pelo resgate.

Constatação XXXI
Rico é empreendedor; pobre, picareta.

Constatação XXXII (De diálogos esclarecedores).
-“Ele é dependente de álcool ?”
-“Totalmente. Todos os carros da sua frota são movidos a álcool”.
-“Não é isso. Eu quero saber se ele é viciado”.
-“Acho que não. Só toma uns porres homéricos de vez em quando”.
-“Ah, bom, quer dizer, ah, ruim”.

Constatação XXXIII (Das intrincações da alma humana).
Depois de levar
Aquele malho
Ela se pôs a pensar:
-“Logo com esse paspalho!”.

Constatação XXXIV
Rico faz grandes consultorias; pobre, pequenos biscates.

Constatação XXXV
Rico vai de massagista japonês: pobre, vai de emplastro nacional.

Constatação XXXVI
O uso da gíria deixa a gente meio gira.

Constatação XVIII (De ditados adaptados para septuagenários ou não).
O uso da boca deixa o cachimbo torto.

Constatação XXXVIII (De antigamente, quando não havia perigo de ser assaltado).
Marte, Vênus e os demais
Não inspiram como a Lua
Os apaixonados casais
Que namoram na rua.

Constatação XXXIX (Ah, esse nosso vernáculo).
O londrino, de Londres, se apaixonou pela londrinense de Londrina. Lindro, digo, lindo rebento nasceu.

Constatação XL
Deu na mídia: “Rádio Senado vaza obituário para eventual morte do senador José Sarney”. Após ingentes esforços para descobrir como tal fato aconteceu Rumorejando chegou às seguintes conclusões: 1. Freud explica... 2. O pessoal acha ele muito vivo, dentre outros, por receber por longo tempo auxilio moradia sem dar um pio já que ele mora em apartamento próprio. Aí, foi um ato falho de quem trabalha na Rádio Senado que, provavelmente vive apertado financeiramente.

DÚVIDAS CRUCIAIS (VIA PSEUDO-HAICAIS).

Dúvida I
É ser muito “patricinha”,
Descartar o “mauricinho”, dizendo:
“Um pobretão. Que peninha!”

Dúvida II
É ser muito bom falante
Prometer e não cumprir
A todo instante ?

Dúvida III
É o fim da picada
Maltratar a mulher
E viver dizendo: “Coitada!”?

Dúvida IV
É assaz lisonjeiro
Ela se apaixonar por você,
Que dizer, pelo teu dinheiro ?

Dúvida V
É muita simbiose
Contagiar-se
Até por osmose ?

Dúvida VI
É muita desconsideração
Levar da mulher
Um safanão ?

Dúvida VII
Afinal, tem sentido,
Em determinadas ocasiões,
Ser um pervertido ?

Dúvida VIII
É ser muito implicante
Dizer que o meu Paraná
É um time inconstante ?

Dúvida IX
É muita sensibilidade
Dizer que o ar do campo
É menos puro do que o da cidade ?

Dúvida X
É ser muito renitente
Reagir ao labor repetitivo
Lá no batente ?

Dúvida XI
É muita coragem
Viver só as custas
Da malandragem ?

Dúvida XII
É muita perseverança
O brasileiro só viver
De esperança ?

Dúvida XIII
É sentença pesada
Escutar: “Suma-se daqui”
Da boca da amada ?

Dúvida XIV
É uma prática contumaz
Essa história de:
“Ele rouba, mas faz” ?

Dúvida XV
É muito legal
Tomar empréstimo
Pra gastar no carnaval ?

Dúvida XVI
É muita exaltação
Dar cotoveladas na compra
De saldos em liquidação ?

Dúvida XVII
É ser muito fundamentalista
Trabalhar como pistoleiro e dizer:
“A gente tem que ser fatalista” ?

Dúvida XVIII
É falta de consideração
Uns ganharem muito
E outros não terem pro pão ?

Dúvida XIX
É muita iniqüidade
Defender com unhas e dentes
A falsa moralidade ?

Dúvida XX
É muito repetitivo
Dizer sempre que sexo
É um excelente sedativo ?

Dúvida XXI
É um excessivo militante
O cara que muda de partido
A todo instante ?

Dúvida XXII
É altamente recomendável
Que na tua abordagem
Você seja um cara amável ?

Dúvida XXIII
Persiste
A frase: “Sem ela
Você não existe” ?

Dúvida XXIV
Do ego, o sustentáculo,
É a gente se achar
Um espetáculo ?

Dúvida XXV
Foi muita sonolência
Dormir, enquanto ela se despia,
Ou foi uma questão de abstinência ?

Dúvida XXVI
É muita incoerência
Chamar de f. da p.
Sua Excelência ?

Dúvida XXVII
É muita desfaçatez
Dizer que não foi trabalhar por
Destroncar a mão jogando xadrez ?

Dúvida XXVIII
É muita benevolência
O banco não cobrar juros
No período de carência ?

Dúvida XXIX
É muita “safanagem”*
A mulher estar com dor de cabeça
Quando você volta de viagem ?
*Safanagem = safadeza + sacanagem.

Dúvida XXX
É muito prudente,
Sem abrir a boca,
Arrancar um dente ?

Dúvida XXXI
É muito convidativo
A mulher te perguntar:
-“Bem, você ainda tá ativo ?”

Dúvida XXXII
É um belo papel
Dizer que vão reconstruir
A Torre de Babel ?

Dúvida XXXIII
É muita admoestação
Mandar tomar banho
Depois da malhação ?

Dúvida XXXIV
Um cataplasma
Ela fez
Num fantasma ?

Dúvida XXXV
Foi a goleira
Que foi chamada
De lazeira ?

Dúvida XXXVI
É muito chamariz,
No truco, sinalizar
Enfiando o dedo no nariz ?

Dúvida XXXVII
É muita solicitude
Propor a ela ser o guardião
Da sua virtude ?

Dúvida XXXVIII
É muita justificativa
Alegar que se atrasou por causa
Do inesperado auto conviva ?

Dúvida XXXIX (Em homenagem ao mestre Ataúlfo).
É muita candura
Crer que, “na beira da estrada”,
Vai encontrar “laranja madura” ?

Dúvida XL
É muito centralizador
Opinar sobre tudo
Inclusive sobre o amor ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

2 comentários:

Hevaniel e Rosi disse...

Juca... o spa só te fez bem. Voltou mais primoroso ainda.


PARABÉNS


Rosi Rodrigues
Jornalista de Umuarama - PR

Juca disse...

Obrigado. É bom ser lido em Umuarama. Neshikot. Juca.