quarta-feira, 11 de maio de 2011

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (De um tristonho provecto).
Quando eu era criança
– E ainda tenho na lembrança –,
Para as nuvens eu ficava olhando,
Junto a elas, voando,
Sonhando...
E vendo, nelas, formas de plantas, rostos e animais;
Quando adolescente, via coisas nada transcendentais:
Não olhava para os lados ou para alguém.
Só tinha olhos para mim mesmo;
Quando já beirando trinta e os quarenta também,
Ficava olhando com cara de embevecido, de enternecido
Para minha eventual parceira, para minha namorada
(Que hoje em dia me acha um ilustre desconhecido).
Agora que estou velho, para as nuvens voltei a me fixar
Só querendo antever – tarde, reconheço – a pessoa amada.
Ela nunca ficou sabendo do meu sentimento,
Nem por um segundo, nem por um momento.
Tive medo, não tive coragem de me declarar.
Talvez, por ela, de um vetusto, fizesse troça, zombaria, caçoada.
Bem, mirar as nuvens, nessa altura, como se diz, do campeonato,
No confrangido coração sentindo um hiato,
E o céu tornar novamente a contemplar
É o que se poderia chamar
Olhar no vazio, no vácuo, a esmo...

Constatação II
E como ponderava aquele economista: “O programa Big Brother Brasil, da Globo, resulta no aumento da sua receita concomitantemente com a diminuição do nível cultural do nível do povo. Inversamente proporcional, portanto. Já a profusão de seios e bundas – se é que ainda aumenta a libido, já que está tão banalizada na mídia – resulta no aumento da população e consequentemente na diminuição da renda per capita do país. Também inversamente proporcional”.

Constatação III
Deu na mídia: “Promotores e procuradores que têm por dever fiscalizar o cumprimento das leis estão se valendo de legislação que eles mesmos criaram – e só eles podem mudar – para engordar os próprios salários, através da ‘bolsa-aluguel’ que varia entre 2 mil e 4,8 mil reais. Em alguns casos, com isso, ultrapassam o teto constitucional de R$ 26,7 mil”. A mídia se omitiu, o que é imperdoável, de acrescentar: viva “nóis”.

Constatação IV (Óbvio, claro, elementar...)
Promessa de político é enganosa e deveria ser punida como quaisquer propagandas desse jaez. Isso se houvesse punição para certos grupos de pessoas que, geralmente, por razões várias, estão acima do bem e do mal, em nosso país.

Constatação V
Guantanamo é uma cidade de Cuba. A canção Guantanamera eu sempre entendia “quanta lamera”. É que a gente vivia numa rua que, quando chovia, era uma lameira só.

Constatação VI (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ouvir duma gata um lacônico sim do que um prolongado e explicativo não.

Constatação VII (Via pseudo-haicai).
De tanto, tanto ela dizer “amanhã”
– Já que tocamos acima no assunto –
Eu acabei ficando meio tantã.

Constatação VIII
Rico cai da estratosfera; pobre, do cavalo.

Constatação IX
O vaidoso sempre está alternando entre ser o centro do universo ou ser a pessoa mais importante do mundo. E vice-versa.

Constatação X
Rico, se se formar em medicina, é médico; pobre, se conseguir chegar lá, esculápio.

Constatação XI
Do charuto, a baforada,
Ela tinha que agüentar
Que o marido,
Coitada,
Da sua asma esquecido
Não parava de soltar.
Mas ela não queria
Mudar de lugar.
Ela preferia
No colo dele continuar...

Constatação XII (Ah, esse nosso vernáculo).
De graça?! Com a inflação que grassa ? Tem muita graça, dona Graça!

Constatação XIII
E como poetava o nosso caro conquistador barato:
“Eu não minto:
O preço
Do restaurante
É diretamente
Proporcional
Ao apreço
Que sinto
Pela amante
Ocasional
Tão somente.

Constatação XIV
Rico é pragmático; pobre, vira-casaca.

Constatação XV
Com um “não”, lacônico,
Nada sinfônico,
Nem filarmônico
Um “não”, até, antagônico,
Ao invés de esférico, cônico
Que me deixou afônico,
Meio catatônico,
Diria, mesmo, agônico,
Com efeito colateral de daltônico,
Ela rompeu o nosso amor platônico,
Recíproco, eterno e hegemônico
Que tinha sido sempre tão harmônico
Me obrigando a tomar um tônico,
Aquele da propaganda, o biotônico.
Saí falando javanês macarrônico.
Hoje, de amor, sou um doente crônico
Prestes a ter um peripaque teutônico.

Constatação XVI
Não se pode confundir suma com soma, até porque é de suma importância que a soma de determinadas importâncias não incluam parcelas indevidas como por exemplo a data, pratos e bebidas não consumidas, no caso de restaurantes e assim por diante...

Constatação XVII
“O atual mundo moderno”,
Resmungou o ancião,
“Virou um caos, um inferno
Onde só dá mandrião”.

Constatação XVIII
E como trovava o convicto conquistador:
“É preciso ter pouco tino
Para não continuar
A ser um libertino
E só com uma se amarrar”.

Constatação XIX
E como poetava pseudo triplohaicaimente a gata:
Esse interminável assédio
Dos mauricinhos
Só me deixa com tédio
Para o qual, honestamente,
Acho que não existe remédio.
Se ainda me aparecesse
Alguém com QI de porte médio...

Constatação XX
Apareceu de olho empapuçado.
Havia brigado com a namorada.
Coitado!
Coitada!

Constatação XXI
E como explicava para as amigas a gata, descrevendo o rapaz que tinha conhecido na festa:
“Quanto ao aspecto corpóreo
Longe de um porte atlético,
Ele de tão esquelético,
Parecia mais algo arbóreo.

Constatação XXII
Vai eleição, vem eleição e cada vez fica mais terrível e terrificante ouvir, novamente, dos candidatos a vereador, por exemplo, dentre outras barbaridades, as promessas de que, com eles eleitos, haverá mais empregos, saúde, educação, etc.

Constatação XXIII
O tenista Gustavo Kuerten, quando disputava os torneios com os ‘cobras’ havia trocado várias vezes de modelo de raquete e ganhou o Aberto da França com a mesma utilizada pelo norte-americano Andre Agassi. Eu sempre soube que havia bolinha de gude jogadeira, mas raquete de tênis confesso que nunca havia ouvido falar...

Constatação XXIV
A França possuía o melhor sistema de saúde do mundo, segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde. Entre os países latino-americanos, o melhor situado foi a Colômbia, que está classificado em 22o lugar, seguida por Chile (33º.), Costa Rica (36º.) e Cuba (39º.). Entre os piores classificados da região estão Peru (129º.) e Honduras (131º.). Não sabemos por que a classificação do Brasil ficou “só” em 125º. lugar. Provavelmente, porque a higiene bucal não entrou no critério de avaliação. Aí, com toda certeza, ele estaria classificado atrás do Peru. E viva “nóis”...

Constatação XXV
“Que maratona!
É só calhorda,
Que me aborda”,
Se queixou a gatona.

Constatação XXVI (De diálogos simiescos).
-“Desinfeta daqui”,
Disse o mico,
Nanico,
Para o sagüi.
-“Não desinfeto.
Tá achando,
Tá pensando,
Que sou tateto* ?”
* Tateto = porco-do-mato (Houaiss).

Constatação XXVII
Rico é ingênuo; pobre, é burro.

Constatação XXVIII
Não se pode confundir alergia com alegria, muito embora haja muito fdp que fica numa grande alegria se você demonstrar que está com alguma espécie de alergia, não se dando conta que se tem pelo supra mencionado também uma baita duma alergia...

Constatação XXIX
E não se pode confundir Fipe – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, aquela que divulga, dentre outros, os índices de inflação com Felipe, não o jogador do Vasco da Gama, mas “O Belo”, aquele que foi rei, até porque com a volta da inflação os índices atuais da Fipe não tem nada de belo, muito antes pelo contrário.

Constatação XXX
25 milhões de dólares por uma denúncia é dinheiro para ninguém botar defeito... Com Sadam Hussein, naquele esconderijo dificilmente encontrável, inexpugnável, foi 5 milhões... Sei, não...

DÚVIDAS CRUCIAIS (VIA PSEUDO-HAICAIS).

Dúvida I
Era a cantora cigarra
Que achava a laboriosa
Formiga esquisita e bizarra ?

Dúvida II
É muita calhordice
Viver participando
Do disse-que-disse ?

Dúvida III
O paciente ficou atônito
Quando o médico receitou
Um remédio a base de acônito*?
*Acônito = “1.3 planta (A. ferox) nativa do Norte da Índia, de cujas raízes, muito venenosas, se extrai pseudo-aconitina (Houaiss).

Dúvida IV (Meio surrealista).
No estômago sentiu um vazio.
O jantar não foi servido e, além disso,
Era uma sopa de vento e pastel de assobio ?

Dúvida V
É só em Pindorama
Que o assunto preferido
É mulher e cama ?

Dúvida VI
A pressa, sem bolinação,
É inimiga
Da perfeição ?

Dúvida VII
Ela ficou lívida
Quando o político eleito falou:
“Desde quando promessa é dívida” ?

Dúvida VIII
É magnânimo
Quem recebe a sogra
Com muito ânimo ?

Dúvida IX
É muito ressonante
A bateria do filho do vizinho
Que não pára nem um instante ?

Dúvida X
Tremeluziu como uma vela
A chama do nosso amor.
Agora, o que vou fazer sem ela ?

Dúvida XI
É muita trivialidade
Desperdiçar com cultura
A nossa curta mocidade ?

Dúvida XII
É um pecadaço ou um pecadilho
Impedir que a mais recente namorada
Venha dormir, na tua cama, com o teu filho ?

Dúvida XIII
É muita presunção,
Nesses tempos magros,
Comer só arroz com feijão ?

Dúvida XIV
É muita assimetria
Confundir as gatas
Do paparazzo com a tua tia ?

Dúvida XV
Para o caubói
Matar índios
Não dói ?

Dúvida XVI
Te confundiram com um pinguço
Só porque você, naquela festa,
Teve um ataque de soluço ?

Dúvida XVII
É mundial o consenso
Que, para os maus políticos,
Não adianta só incenso ?

Dúvida XVIII
Afinal, quem somos ?
Apenas o produto de ½ dúzia
De cromossomos ?

Dúvida XIX
Era o hipocondríaco
Que toma remédio até pra
Calo, unha e o osso ilíaco ?

Dúvida XX
Não tem dificuldade,
O idoso, para fazer
Voto de castidade ?

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I
De tanto olhar
Para a nudez dela
De binóculo na janela
Ele fez a maior esbórnia
Na sua córnea
Que acabara de operar?

Dúvida II
Quem poderia imaginar que, do jeito que as coisas evoluíram, a frase “o crime não compensa” entraria tão rapidamente em desuso ?

Dúvida III
Vocês não acham que deveriam inventar novas palavras no vocabulário brasileiro como por exemplo “esforciosa” que seria a soma de esforçada com estudiosa ? Já imaginaram a mãe coruja contando para as amigas, revirando os olhos: “A minha filha é muito esforciosa” ?

Dúvida IV
Fica-se confuso,
Obtuso,
Difuso,
Entra-se até em parafuso,
Com tanto abuso ?

Dúvida V
Com a sua barriga proeminente
Aquele pobre cidadão
Não dava a exata impressão
Que, ali, carregava gente ?

Dúvida VI
Já não sei mais, não:
A Maria Antonieta,
Com seu deboche
E com voz meiga
Mandou a patuléia
Com a falta de manteiga
Comer geléia
Ou com a falta de pão
Comer brioche ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

2 comentários:

Marina da Silva disse...

Juca,
Vim cá e parei na primeira constatação: que linda! E a lua ali na minha janela, bateu Drummond Convite triste:
"Meu amigo , vamos sofrer,...(...)beber, gritar e morrer, ou, quem sabe? beber, apenas."
PARABÉNS! Marina

Juca disse...

Obrigado Marina. O seu artigo no seu blog sobre os professores merece ser lido pelo Ministro da Educação e pela presidente Dilma. Neshikot. Juca.