quarta-feira, 31 de agosto de 2011

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Cinco pronunciamentos filosóficos didáticos enunciados em um Congresso, cujo tema foi sobre o “Sublime” por cinco obcecados que se consideram doutores catedráticos no assunto).
Primeiro obcecado: “A minha atual namorada não é pessoa lá muito fina. Eu até diria que ela é um pouco vulgar. Mas quando nós estamos na cama não precisa que a mulher se dirija para mim, usando como tratamento a segunda pessoa do plural, ou Vossa Excelência, Vossa Magnificência, Data vênia ou tratamentos assim...”
Segundo obcecado: “Dependendo de quem se está beijando, o beijo, cognominado selinho, pode ser um beijo frustrante ou mais que suficiente. Por outro lado (qual lado?), o beijo de língua é um beijo indutivo das preliminares sublimes convergentes”.
Terceiro obcecado: “Quando a minha mulher, a legítima, entrou na menopausa, ela não quis mais nada comigo, alegando falta de lubrificação, excesso de dores, falta da libido e coisas desse jaez. Agora eu não sei se sou ou estou viúvo de mulher viva”.
Quarto obcecado: “Quando eu insinuei para a solteirona convicta para irmos a um motel para que ela ficasse sabendo o que é a sublime felicidade, ela contestou, dizendo que a minha proposta era indecorosa. Aí eu contra-argumentei que eu estava sendo sincero, apenas sincero, não mais que sincero nas minhas pretensões. Bem, azar dela! Inclusive por perder a oportunidade ver, pela primeira vez na vida, um homem bonito como eu inteiramente nu”.
Quinto obcecado: “Não se pode confundir ménage à trois com hommage à toi até porque hommage à toi se refere uma homenagem a uma pessoa e ménage à trois se refere a três...”

Constatação II
Rico recrimina; pobre leva pito.

Constatação III (De um pseudo-soneto).

Consolação Relativa

Uma tristeza lacrimejou
Fiquei bastante sentido
Para não dizer aturdido
Quando ela me abandonou.

O porquê ela não explicou
Saiu sem prévio aviso
Achou que não era preciso
Simplesmente se evaporou.

Nunca senti ameaça específica
Ou tempestade nela iminente.
Coração precisando de retífica?

Agora fiquei só. Fazer o quê?
Ainda devo ficar contente
Que ela não me mandou a pqp.

Constatação IV
Não se pode confundir secura que o dicionário Houaiss dá, entre outros significados, “qualidade, estado ou condição de seco” com saracura, já que esta, não sei se por colaborar com o serviço metereológico, avisa quando vai chover, consequentemente o que deixará tudo que estiver ao relento molhado. Também não se pode confundir sinecura, que o mesmo dicionário Houaiss dá como “emprego ou cargo rendoso que exige pouco trabalho” com secura, que o mesmo dicionário também dá como “incapacidade de produzir; aridez, esterilidade”, muito embora o que pode dar a impressão que uma coisa poderá vir a ser decorrência da outra...

Constatação V
Rico redige; pobre, garatuja.

Constatação VI
Rico é ligado à realeza; pobre, à dureza.

Constatação VII
Marido rico, songamonga, é um nadegão. Marido pobre, idem, idem é um bundão.

Constatação VIII
Não se pode confundir barreiro com banqueiro, até porque, dificilmente, um banqueiro se locomove, transita, percorre, caminha em rua, estrada, viela, caminho que não seja asfaltado, pavimentado, alisado, facilitado. Barreiro, ops, nem pensar...

Constatação IX
O relógio, o carrilhão,
Este escravista
Que nos comanda,
Me informa
Que eu, sem alarde,
E sem demora
Siga a norma
E já, já, agora
Faça a pista:
“Vai! Anda!
Desanda!
Que já vai tarde”,
Como na canção
Do Chico Buarque de Holanda.

Constatação X
Aquele sujeito deveria ser radicalmente a favor da privatização e contra o setor público, já que, ao ter que passar um e-mail ou entrar num site governamental, digitava algo mais ou menos assim: ministério ou secretaria (x, y ou z)@engov.com.br

Constatação XI (E viva “nóis”).
A fila serpenteia,
Triste, macambúzia, feia,
Quadras extensas,
Imensas,
Pra poucas vagas.
Acelera corações,
Desesperados,
Cheios de magoas,
Plenos de emoções.
Coitados!
Quando terminará
Quando cessará
Tais globalizantes sagas ?

Constatação XII
Deu na mídia: O Relatório do Desenvolvimento Humano da ONU (Organização das Nações Unidas), mostra que o Brasil, no ranking mundial de qualidade de vida, está mal colocado. “A desigualdade de renda continua alta: os 10% mais ricos consomem 46,7%, enquanto os 10% mais pobres ficam com o equivalente a apenas 1% do total”. Até hoje não deu para entender porque o Relatório não acrescentou viva “nóis”. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XIII
Chegou em casa,
Arrastando asa,
As quatro da matina
E numa voz enrolada
Se pôs a explicar,
Pra “Grande Chefa”
Falando sem cessar
Da sua triste sina.
“Você blefa,
Seu cafageste,
Seu peste,
Seu destemperado”.
Coitada!
Coitado!
Coitado?

Constatação XIV
Líderes do G-8 (Os sete países mais ricos do mundo + a Russia), em comunicado conjunto no final de um encontro afirmaram que vão incentivar "o aumento da cooperação e solidariedade com os países em desenvolvimento, baseados em princípios de responsabilidade mútua, para o combate à pobreza e promoção de desenvolvimento sustentável”. Data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando não sabe se outorga o Prêmio “Perdeu a Oportunidade de não Dizer Besteira” ou “Vamos Subestimar a Inteligência dos Outros”, ou ambos. Afinal, alguém já viu rico ajudar pobre a não ser com palavras de incentivo e olhe lá...

Constatação XV
Também, numa reunião do G-8, o então presidente Bush falou que a globalização representa liberdade. Data vênia, como diriam nossos respeitosos juristas, não ficou devidamente esclarecido a liberdade de quem nem em detrimento de quem. Se o prezado leitor tiver acesso ao ex-presidente da maior potência do Planeta e puder esclarecer melhor o assunto, através de comentários no blog ou pessoalmente receberá a gratidão eterna de Rumorejando.

Constatação XVI
Não intuas
Que uma lipoaspiração
Resolveria
Definitivamente
A eterna sangria
Nas falcatruas
Da nação,
Tào somente.

Constatação XVII
Não apresentam trabalho
Os senhores políticos.
Eles têm o apoio
(Não confundir com aboio *)
Dos pseudo-críticos
Nesse rebotalho **
* Aboio = “Melopéia plangente e monótona com que os vaqueiros guiam as boiadas ou chamam os bois dispersos” (Aurelião)..
** Rebotalho = “Coisa sem valor, ninharia, insignificância” (Aurelião).

Constatação XVIII (Via pseudo-haicai).
De dizer, eu não me canso
Tem gente que te aborda
Emanando ranço.

Constatação XIX
Balbúrdia,
Na missa,
Fazia a noviça
De maneira estapafúrdia,
Interrompendo o sermão
Do tímido cura.
O sacristão,
Compungido,
Ficou sentido
E pediu mais devoção,
Com sua voz de saracura.
O que redundou
Num ataque de riso
Em todos os fiéis,
Inclusive coronéis
E circunspectos bacharéis,
Cheios de anéis
E um sorriso
De gozação
Que o padre não disfarçou
E, a bem da verdade,
Nem tentou.
Quanta iniqüidade*!
*Iniqüidade = “ação ou coisa contrária à moral e à religião” (Houaiss).

Constatação XX
Neurastênica ou neurótica *
É só uma questão,
Ou percepção
De ótica.
* Estamos falando da atribulada vida moderna, caro leitor. Absolutamente não se trata de alguma pessoa física próxima ou distante. Fica, assim, desfeito algum passível e possível mal-entendido, caso tenha – longe disso, por favor – havido.

Constatação XXI
Não se pode confundir cassado com casado, muito embora um casado seja, de alguma forma, cassado. A recíproca não é necessariamente verdadeira.

Constatação XXII
Uma caixa de cerveja
Apostou
Contra o meu Paraná.
Claro, ganhou.
O perdedor alegou
Que foi de guaraná.
“Que seja”,
Contestou.
Mesmo assim
O outro não pagou.
E de nada adiantou
Gastar o seu latim.

Constatação XXIII
Deu na mídia: “Câmara dos Deputados rejeita cassação de Jaqueline Roriz”. Alguma novidade? Alguna dúvida?

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I
É uma questão de hierarquia
Dizer, com devoção:
“Querido chefe! Bom Dia!”

Dúvida II
Era o tranqüilo verdugo
Que dizia pro condenado:
“Vou te livrar desse jugo” ?

Dúvida III
Quem fica em cima do muro
Demonstra que já atingiu
A condição dum cara maduro ?

Dúvida IV
A noiva ficou com a pecha
De, que no seu matrimônio,
Haver cantado uma endecha* ?
*Endecha = Poesia fúnebre, muito triste; canção melancólica.

Dúvida V
É muita solidariedade
O Bacen ajudar banqueiro
A sair da dificuldade ?

Dúvida VI
É falta de pontualidade
Chegar ao encontro
Já passada a mocidade ?

Dúvida VII
Era tão burro, tão burro
Que, quando falava,
Mais parecia um zurro ?

Dúvida VIII
É muita especificidade
Andar com a mesma roupa
Tanto na praia como na cidade ?

Dúvida IX
É só um pormenor
A violência na TV
Ser vista por menor ?

Dúvida X
É muita perspicácia
Saber fazer os bolinhos
Da Tia Anastácia ?

Dúvida XI
É muita pertinácia
Encontrar remédios
Baratos na farmácia ?

Dúvida XII
É muita ignobilidade
Tirar o dinheiro
Da caixa de caridade ?

Dúvida XIII
É muita lentidão,
Após cinco anos de namoro
Ainda não haver passado a mão ?

Dúvida XIV
É um péssimo fisionomista
Quem não distingue
Um pobretão dum capitalista ?

Dúvida XV
É muita insensatez,
Sem ter companheira,
Tomar dois viagras duma vez ?

Dúvida XVI
Ele assistiu o documentário
De trás pra frente, de cabeça pra baixo
Ou foi o contrário ?

Dúvida XVII
É muita frouxidão
Apanhar da mulher
Sem tentar uma reação ?

Dúvida XVIII
Comprar à vista ou à prestação
Ou dar um golpe na praça.
É essa a questão ?

Dúvida XIX
Na plenitude
Da mocidade teve
Uma crise de senectude * ?
Senectude = “Decrepitude, senilidade, velhice”.

Dúvida XX
É muita sanidade
Ingerir alimentos
Com esse grau de toxicidade ?

Dúvida XXI
Se trata de prebenda *
Por silicone
Naquela parte pudenda ?
* Prebenda = Encargo ou tarefa desagradável, ingrata.

Dúvida XXII
É muita responsabilidade
Casar pela oitava vez
Na vetusta 3ª Idade ?

Dúvida XXIII
É ser muito papudo
Dizer que não existe problema
Pra entender de tudo ?

Dúvida XXIV
É muita farra
Até na igreja
Fazer algazarra ?

Dúvida XXV
Parece muito empertigado,
Cheio de si, quem nasceu
Com o nariz arrebitado ?

Dúvida XXVI
O narigudo,
Como as carrancas do São Francisco,
Parecia um carrancudo ?

Dúvida XXVII
É muito estardalhaço
Pra toda gatona que passa
Dizer: “Mas, que pedaço!”

Dúvida XXVIII
É ser muito atrabiliário*
Quem se empu, digo, embrabece
Com o seu mínimo salário ?
* Atrabiliário = Colérico, violento.

Dúvida XXIX
É muita adivinhação
Dizer que o Felipão,
Fará do Palmeiras campeão ?

Dúvida XXX
É ser muito espirituoso
Fazer piada com os amigos
Pra parecer pras gatas o gostoso ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Poeminha para curitibano recitar nesses tempos e nos outros também).
Levantei esta manhã
Disposto a trabalhar
Logo em seguida desisti
O frio tava de rachar
E com tal ônus, tal abacaxi
Logo inferi, logo induzi
Que não sou o bambambã.

Constatação II
Deu na mídia: “O problema do analfabetismo funcional começa na falta de qualidade da educação básica. Entre os analfabetos funcionais há aqueles que nunca foram à escola, mas há também os que já frequentaram a sala de aula e não tiveram aprendizado adequado. Entre quem concluiu o ensino fundamental, apenas 16% podem ser considerados plenamente alfabetizados. Para quem frequentou somente até a 4% série, o valor fica em 6%. A baixa qualidade da educação brasileira pode ser comprovada quando se analisa o desempenho dos estudantes. Dados do Ministério da Educação (MEC) mostram que entre os alunos da 4.ª série somente 34% têm o aprendizado adequado em Português. No ensino médio o valor fica em 29%. Em países desenvolvidos, o percentual dos estudantes que têm um aprendizado adequado na língua natal chega perto de 70%”. Dúvida crucial: Por que vir com essa história da linguagem de cada região que o Ministério da Educação soltou um livro? Será que é o velho esquema de manter o povo sem escolaridade para que as elites, como sempre fizeram, continuem mandando? Esqueceram que nos vestibulares, nas entrevistas, nos pedidos de emprego não se pode usar a linguagem coloquial, mas a culta? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado

Constatação III {Pequenas comparações, na falta de maiores (honestidades)}.
Em certos países, o dinheiro público é que nem álcool em recipiente destapado. Explica-se: ele se evapora. A diferença é que o álcool sobe para a atmosfera; o dinheiro público depois de se evaporar se condensa e volta para determinados bolsos.

Constatação IV
Deu na mídia: “Marta Love exibe celulite nas pernas, mas continua devorando sanduíche”. Taí uma notícia, como tantas outras desse jaez, de transcendental importância para o futuro da Humanidade...

Constatação V (De uma dúvida crucial).
O sujeito prepotente que olha os outros de cima para baixo é um cara que sofre de miopia e/ou não enxerga longe?

Constatação VI (De ditados inspirados em outros e adaptados para os novos tempos).
Quem faz por gosto regala a vista. Quem faz por desgosto deveria ser obrigado a fazer a pista.

Constatação VII
Quando a gente fica velho, o tempo voa; quando a gente morre, a alma voa. Para o céu, ou para o purgatório, ou para o inferno. Depende do currículo do sujeito? Taí uma dúvida crucial que se alguém souber responder, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação VIII
Rico ofega na academia de ginástica; pobre, bufa no trabalho pesado.

Constatação IX
Rico tem estômago; pobre tem bucho.

Constatação X (De diálogos e pensamentos conjugais).
O casal está tomando o café da manhã quando a mulher, que já havia terminado seu desjejum, diz: -“Dá licença, que eu preciso ir depressa ao banheiro”. Responde o marido: - “Se eu der ou não licença, você irá de qualquer jeito”. E a mulher, já quase entrando no recanto que é também de introspecção: -“Você, naturalmente, não levou a sério esse meu pedido de licença, pois não?” E o marido, nessas alturas já sozinho, não querendo falar para as paredes, provavelmente por medo, reflete um tanto quanto de modo machista: “Na verdade, eu nunca levei ela a sério. Aliás, as mulheres nunca deveriam ser levadas muito a sério”...

Constatação XI (Deu na mídia).
“Que país é este que junta milhões numa marcha gay, outros milhões numa marcha evangélica, muitas centenas numa marcha a favor da maconha, mas que não se mobiliza contra a corrupção?” (Juan Arias, correspondente no Brasil do jornal espanhol El Pais em 07-07-2011).

Constatação XII
Será que vão querer expulsar o correspondente, citado na constatação anterior, do nosso país, como aconteceu com o que falou que o então presidente Lula tomava uma e outras?

Constatação XIII
Deu na mídia: “O ator francês Gérard Depardieu, 62 anos, deixou os passageiros de um voo de Paris para Dublin atônitos após urinar no corredor do avião. As informações foram confirmadas pela companhia aérea Air France-KLM. Segundo a versão de um passageiro, o ator tentou ir ao banheiro durante a decolagem. Ao ter a passagem negada por uma aeromoça que havia dito ao francês que esperasse 25 minutos após a decolagem, por razões de segurança, Depardieu abriu o zíper de sua calça e urinou no carpete da aeronave”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que O Direito de Ir e Vir, garantido pela Constituição, pelo jeito não abrangeu, neste extremo caso, a premência, a angustiante, a aflitiva, a urgência da almejada ida ao então inacessível banheiro...

Constatação XIV
Deu na mídia: “Uma imobiliária sueca tem uma propriedade incomum para vender: uma casa de cinco quartos completa, com um sepulcro medieval e um esqueleto no porão”. Se Rumorejando tivesse dinheiro para comprar só o faria se, ao invés do esqueleto, tivesse um fantasma autêntico. Dessa maneira e cobrando ingresso poderia recuperar o capital investido...

Constatação XV (Sugestão a quem de direito).
Hoje, no Brasil, antes das partidas de futebol é tocado o Hino Nacional, de modo geral, apenas a primeira parte. Por que não tocar o nosso Hino nas duas partes e cantado? Seria uma maneira de a gente aprender o hino de cor não precisando somente mexer com a boca, como fazem, principalmente, a maioria dos jogadores. Dos políticos e governantes, nem falar. Também seria possível decorar, de uma vez por todas, a fim de não confundir a letra da primeira parte com a segunda. Fica consignada a sugestão de Rumorejando que, no ginásio, aos sábados, no Colégio Estadual do Paraná, também cantado o hino era hasteada a nossa bandeira.

Constatação XVI
Depois de muitos anos de casado, o dentista começou a achar a mulher maçante, chata e desagradável. Mentalmente, cognominou a pobre de amálgama*, pois ela estava ficando parecida com a mãe, a terrível sogra, acrescida das características da primeira namorada que o fizeram desmanchar, na época, o namoro. Coitado!
*Amálgama = “material usado pelos dentistas para obturar dentes, composto de mercúrio e pó de prata”; “mistura, reunião ou ajuntamento de elementos diferentes ou heterogêneos, que formam um todo”; (Houaiss).

Constatação XVII
Deu na mídia: “Amistoso de basquete entre China e Estados Unidos acaba em briga”. Amistoso?

Constatação XVIII
Rumorejando recebeu a visita dia 20 próximo passado da jornalista umuaramense Rosi Rodrigues. Este assim chamado escriba que não a conhecia pessoalmente teve a oportunidade de fazê-lo, servindo de guia para mostrar aspectos turísticos de Curitiba. O relacionamento iniciado com Rosi aconteceu através da Internet. Quando o seu colega Aurélio Munhoz publicou no site da Revista Carta Capital uma crônica Para entender a liberdade, www.cartacapital.com.br/author/Aurelio%20Munhoz , dentre os 35 comentários manifestados pelos leitores, consta o da jornalista Rosi Rodrigues que, ao agradecer a sua – dela – tradicional gentileza transcrevo a seguir, um tanto quanto constrangido, sem falsa modéstia ou coisa que o valha, por ser exageradamente laudatório e que arrancou algumas lágrimas provável e ingenuamente por julgar crível o que a amiga de Umuarama escreveu e versejou:
“Uma reportagem simplesmente excelente... Além de falar de um homem maravilhoso, culto e com uma história de vida que é uma verdadeira lição – o texto tem fluência, é leve e interessante. Parabéns aos dois: repórter e personagem, por uma sincronia perfeita formada entre conteúdo e reportagem.
Atenciosamente,
Rosi Rodrigues – poeta, jornalista e amiga do Juca Zokner.

Rumorejando
O homem de barba branca
Não é papai Noel
Zeus ou um místico louco do Batel.
Juca, José…
É um judeu brasileiro
Númeno poeta,
Ranzinza, ranhento…
Versejando vida adentro.
Às palavras não confere exatidão
Para a lógica, a Matemática
Ao poema, inspiração.
Sabe quase tudo, quase nada
Aprendeu viver vivendo, percorrendo os caminhos
Reconhecendo as pedras, os desvios,
Escrevendo com as mãos,
História e destino.
Funde a cuca, Juca
Seus versos e rimas, obras primas
Vivem em meu cérebro a rumorejar.
Rosi Rodrigues

Constatação XIX
Deu na mídia: “A ‘faxina’ no governo da presidente Dilma Rousseff, que já derrubou quatro ministros causa extremo desconforto no PT. Dirigentes do partido, senadores, deputados e até ministros temem que, com a escalada de escândalos revelados nos últimos meses o governo de Luiz Inácio Lula da Silva acabe carimbado como corrupto. Todos os abatidos foram ‘herdados’ de Lula”. Outra notícia da mídia fala que mais três Ministros vão ter que explicar irregularidades. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha, igualmente ao que algum filósofo já enunciou de “quem não deve não teme”... Poor favor, o último que sair não esqueça, para evitar desperdícios, que apague a luz...

Constatação XX (Pequenas descrições na falta de melhores).
A montanha russa percorre caminhos qual uma senóide, levando e assustando ainda mais as pessoas que estão, às vezes, acima ou abaixo de uma linha de referência. Em trigonometria a senóide, como o seno e o co-seno varia de -1 a +1. Na montanha russa, quando alguém cai, ela só se refere a -1 (menos um). A vida das pessoas também é uma senóide, dependendo se o sujeito está no tramo superior ou inferior da linha de referência. Elementar, minha gente!

Constatação XXI (E como versejava questionando o ancião, o vetusto obcecado).
Achei que meu barato
Ia para sempre durar
Que eu era sempiterno
E no fim o amado ato
Começou a pifar
Estarei ficando hodierno
Ultramoderno?
*Hodierno = que existe ou ocorre atualmente; atual, moderno, dos dias de hoje (Houaiss)
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
Não é por nada não, mas a “top model” Gisela Bundchen deveria em umas fotos – e em outras também – acrescentar ao seu sobrenome Peitchen, lembrando que ‘chen’, em alemão, quer dizer bonito e que o seu real sobrenome está absolutamente consentâneo com a realidade. Tenho dito !

Constatação II
O nosso grande poeta Vinicius de Moraes, chamado carinhosamente de “Poetinha” quando escutou as letras das canções do compositor Adoniram Barbosa (“nóis fumo e não encontramo ninguém”, etc.) ficou horrorizado e deitou falação, criticando os erros de português. Creio que o autor do antológico “Receita de Mulher” não deve ter captado na hora o estado da alma desse paulista genial que retratou o aspecto social duma época que a toda velocidade evoluía, como sempre foi o caso da cidade de São Paulo. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que deve ter sido ou um “lapsus linguae” do “Poetinha”, parceiro de Baden Powell, Tom Jobim e de tantos outros ou mau-caratismo, mesmo, pois quando adido cultural do Brasil na França, aconselhou ao júri do Festival de Cannes, em 1954, que não concedesse boas notas ao filme O canto do mar, do cineasta Alberto Cavalcanti, por considerá-lo comunista pelas autoridades brasileiras de então...

Constatação III
Quando eu conta me dei,
Ela já havia partido.
Me senti completamente aturdido
De tanto que me “ensaudadei”.

Constatação IV (Meio excessiva no uso do verbo pegar).
Pegou a prancha pra pegar a onda, na esperança de impressionar e pegar alguma mina. Não pegou bulhufas, nem onda, nem mina. Aliás, pegou um baita resfriado. Coitado!

Constatação V (Ah, esse nosso vernáculo).
Eu me acordo que eu acordei, naquele dia, com os acordes de um acordeão.

Constatação VI
Minha terra tem palmeira
Onde canta o sabiá
Administração
E corrupção
Sem eira nem beira
Que parece que nunca vai se “acabá”.

Constatação VII
Encher
De ar
O pulmão
Pode fazer
Bem.
Mal,
Também.

Se
Me
Compreende:
Depende
O que
Você
Respirar.
Enfim,
Do grau
Da poluição.
Fim!

Constatação VIII
Rico não precisa pedir permissão; pobre, tem má educação.

Constatação IX
Quando aquele torcedor do Paraná leu a manchete que a nota da dívida dos Estados Unidos foi rebaixada ponderou: “Se até a maior potência do Planeta foi rebaixada então não é tão grave que o meu time esteja disputando a Segundona”.

Constatação X
Com essa tradição de Comissão Parlamentar de Inquérito - CPI acabar em pizza, Rumorejando sugere que se mude o significado do nome para Comissão Parlamentar Inócua o que permitirá que, pelo menos, a, digamos, sigla “CPI” seja mantida.

Constatação XI
E já que falamos no assunto, em certos países, os escândalos na área de governo, quando a oposição consegue assinaturas suficientes, suscitam uma CPI. No entanto, o que parecia um ato de resgate da moralidade pública passa a ser um aliado na base de “mordida de cobra se cura com veneno de cobra”. Explica-se: Aquela CPI que iria redundar em esclarecimentos de quem colocou a mão no jarro e coisas desse jaez é substituída por outra CPI, para esvaziar e neutralizar a CPI anterior e assim sucessivamente “per saecula saeculorum” e/ou “ad vitae aeternam”...

Constatação XII
Rico é didático; pobre mete a colher torta.

Constatação XIII (De uma dúvida crucial).
Quando o assim chamado Estado de Direito não pune, ou abranda a pena de malfeitores, ele está, em última e primeira análise, condenando também à morte indefesos cidadãos? Por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XIV
Rico tem fadiga; pobre vive cansado.

Constatação XV
Deu na mídia: “O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, acha que, com a crise que o derrubou do Ministério da Defesa, Nelson Jobim se torna ‘um nomão’ para disputar a eleição presidencial em 2014 pelo PMDB. Jefferson também diz não acreditar que seu PTB consiga viabilizar um nome para tentar a Presidência”. E emenda: “Eu gostaria que o Collor disputasse, mas ele não se anima. Quer ficar senador. Já disse a ele: A hora que você quiser, é seu”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o presidente Roberto Jefferson, que esteve envolvido com o mensalão, proferiu palavras muito importantes para o futuro da Humanidade, ou melhor dizendo para o desfuturo, digo, para a salvação do nosso país. As sugestões do presidente do PTB, como Teoria da Relatividade para principiantes, talvez, podem ser comparadas com o gol salvador de falta do Branco contra a Holanda quando o Brasil foi campeão daquela Copa do Mundo ou a contusão salvadora do jogador Emerson, dando lugar ao paranaense Cleberson, cuja entrada deu outra conotacão ao time, também resultando na vitória do Brasil em mais uma Copa, Esses sim se constituíram em fatos bem mais importantes para o país... A propósito será que o senhor Roberto jefferson já prestou contas de 4 milhões de reais que, segundo a mídia divulgou, ele havia recebido numa época de eleições?

Constatação XVI (Ah esse nosso vernáculo).
O baixote disse em voz baixa pra mulher uma baixeza: “Não adianta me baixar. Não vou comprar nenhuma baixela agora. To em baixa com os meus baixos rendimentos”. Que baixaria!

Constatação XVII
Quando se esquenta água para fazer um café ou um chimarrão é aconselhável pelos entendidos que se use a água quando a chaleira começa a chiar e não deixá-la ferver, pois poderá queimar a erva ou a rubiácea. Em Curitiba, minha cidade, se por um caso a gente, por alguma razão como distração ou por esquecimento a gente deixar ferver, não é grave porque rapidamente com o clima curitibano ela logo perde calor. Aliás, as 4 Estações, de autoria do padre Antonio Lucio Vivaldi, deverão ser reduzidas, cá na terra, a apenas uma: O Inverno...

Constatação XVIII
E como elucubrava aquele cabo eleitoral se referindo ao seu candidato, depois de ter trabalhado arduamente para ele, a fim de arregimentar votos e não haver recebido o que havia sido conveniado e, pior, estava difícil receber o saldo remanescente, pois havia sido pago somente uma pequena parcela: “Ele, sem dúvida, é um filho daquilo, mas convenhamos tem gente muito mais filho daquilo do que ele”...

Constatação XIX (Ah, esse nosso vernáculo).
E como classificava aquele amigo que era de Esquerda: “Ele é um cara de Direita, mas é um cara direito”.

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS

Dúvida I
Depois de uma lipoaspiração
Que ela fez também nas nádegas
Ela casou com um bundão*?
*Perdão novamente, caros leitores. Essa aí, deveria - data vênia, é claro - escolher melhor o seu companheiro, "para os bons e maus momentos", "até que a morte os separe", etc.

Dúvida II
Era um perna de pau
O pirata que jogava
No campeonato nacional?

Dúvida III
Depois da quinta dose
Ele achou que o problema
Era uma questão de artrose?

Dúvida IV
É muita insensatez
Sem uma justificativa
Tomar cinco viagra de uma vez?

Dúvida V
A tão decantada rivalidade
Entre o Brasil e a Argentina
É apenas questão de vaidade ?

Dúvida VI
É muita tristeza
Ter que ouvir que futebol
É uma caixinha de surpresa ?

Dúvida VII
Ou, pro próximo jogo, ninguém esqueça
Que, “eu e meus companheiros,
Vamos ter que levantar a cabeça” ?

Dúvida VIII
É muita lamúria
Dizer que no governo
Só existe incúria ?

Dúvida IX
Será que não existe
Alguém pra dizer a certos
Governantes: “Vê se você desiste” ?

Dúvida X
É falta de respeito
Fazer a gata ruborizar *
Deixando-a meio sem jeito ?
Por mais incrível que possa parecer, ainda tem gatas que ficam ruborizadas. Na verdade, são remanescentes, mas que ainda tem lá isso tem...

Dúvida XI
Ganhar no jogo de truco,
Deste assim chamado escriba,
Só se for a base do trabuco * ?
* Perdão, uma vez mais, prezados leitores, a aparente imodéstia, mas duvido e, ainda, faço pouco...

Dúvida XII
Quando o time do Santos
Leva uma tunda como levou do Palmeiras
Os anjos ficam todos em prantos?

Dúvida XIII
-“Daquela bebida com lúpulo
Tomou meia-dúzia, pelo menos”.
-“E a mulher não achou falta de escrúpulo?”

Dúvida XIV
Será que algum dia
Terminarão as fraudes?
Ou jamais. Apenas é boataria?

Dúvida XV
Emagrecer correndo
É pura balela
Já que é um método horrendo?

Dúvida XVI
É melhor perder no amistoso
Do que nos jogos oficiais
Pois é menos vexaminoso?

Dúvida XVII
E já que falamos no assunto,
A seleção brasileira tem um conjunto
Desconjuntado, bestunto?

Dúvida XVIII
Quem se nega a fazer
O teste do bafômetro
É por medo, por amarelecer?

Dúvida XIX
Casar com viúva rica
É muito recomendável desde que
Ela não seja uma jaguatirica?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
http://palavrastodaspalavras.wordpress.com/2011/07/23/a-melhor-campanha-publicitaria-do-ano-jaragua-do-sul-sc/ Rumorejando assina em baixo e, se for preciso, reconhece a firma em todos os cartórios do Brasil, a fim de que o país tome conhecimento. Tenho dito!!!

Constatação II
Criados por Paulo Roxo Barja, músico e professor universitário, doutor em ciências pela UNICAMP, com pós-doutorado pela USP. Ele nos conta no seu blog (http://cordeisjoseenses.blogspot.com/ ): “Apaixonado por cultura popular, coleciono cordéis desde a década de 80. Desde 2000, trabalho com direção musical e criação de trilhas musicais para teatro; em 2002, iniciei o trabalho com fotopoemas e, em 2008, comecei a criar os “Cordéis Joseenses”, folhetos de cordel de minha autoria. O professor Paulo escreveu na revista Carta Capital um comentário em uma crônica escrita pelo jornalista e sociólogo Aurélio Munhoz, intitulada “Pra entender a liberdade” ver o link http://www.cartacapital.com.br/author/Aurelio%20Munhoz O comentário, escrito em septilha, segue e é dedicado a este assim chamado escriba. Obrigado, professor.

Pra entender a liberdade
Paulo Roxo Barja

Pra entender a liberdade
é preciso exercitá-la
em tudo que a gente faz
em tudo que a gente fala
sabendo ouvir quem não pensa
igual a nós, ou tem crença
diferente e não se cala.

Liberdade é mesmo assim
dia a dia cultivada
exercício de convívio
ao longo da nossa estrada
quem condena a liberdade
pode falar à vontade
garanto: não tá com nada!

Respeitar a voz do outro:
garantir e defender
que possa manifestar-se
é bandeira e é dever
de quem pensa a liberdade
como uma necessidade
para melhor se viver.

(para José Zokner, com afeto, pelo exercício cotidiano)

Constatação III
Deu na mídia: Ministro da Fazenda Guido Mantega: “Quando o dólar chega perto de R$1,50, eu fico angustiado”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que S. Excia. não precisa ficar angustiado. Ele que deixe que quem ganha pouco, como por exemplo, os professores, estes sim devem ficar angustiados. Os deputados e senadores também não precisam ficar angustiados. Com este dólar e com que ganham eles podem até importar carros de luxo por preço de banana. E vale lembrar, ou melhor, não esquecer: Viva “nóis!’

Constatação IV
E como versejava o obcecado:
“Uma nádega era maior que outra
Seu monte de vênus era um matagal só
Nunca mais vou pensar noutra
Me apaixonei pelo seu trololó”.

Constatação V (De pequenas comparações por falta de maiores).
Ainda que Sivuca rime com Juca
Eu não sei tocar algum instrumento,
Nem por um instante, nem por um momento
O que para mim é um tormento
Afinal, quem não sabe distinguir um dó de um ré
É como adotar uma religião sem ter a mínima fé
Ou fazer uma careta e ter um arrepio ao tomar uma bitruca.

Constatação VI
Não se pode confundir objeto com abjeta, muito embora que faz do seu cônjuge, ou marido, esposa, ‘namorido’, ‘namorida’, amante, ou seja lá o que for, um objeto, trata-se de uma pessoa abjeta.

Constatação VII
Rico autoriza, dá permissão, concede; pobre, pede.

Constatação VIII
E como dizia aquele obcecado já bastante idoso: “Nem sempre querer é poder”...

Constatação IX
Nós temos uma cachorra que tem um grande apego por minha mulher. Quando ela – minha mulher, não a cachorra – viaja ela – a cachorra, não a minha mulher – não sente falta porque ela – a cachorra – fica com um substituto à altura, cuja modéstia me impede de dizer quem é...

Constatação X
E como se auto-proclamava o obcecado, nada a ver com os outros obcecados anteriormente citados: “Sou um rastreador, um vaqueano* de corações femininos, mas não apenas de corações”. *Vaqueano =  substantivo masculino
Regionalismo: Norte do Brasil, Nordeste do Brasil.
Conhecedor de caminhos ou de uma região; tapejara (Houaiss).

Constatação XI
Rico é eivado de prosápia*; pobre é exibido.
*Prosápia = orgulho, jactância, vaidade, fanfarrice (Houaiss).

Constatação XII
O colunismo social está para a vaidade humana, assim como o político costuma nos dar uma banana.

Constatação XIII
O bucolismo de um galo cantando ao alvorecer suscita reclamações. O equipamento de som com “n” decíbeis, pela madrugada adentro, é, pela maioria, tolerado. Sinal dos tempos. Pena...

Constatação XIV
Deu na mídia: “Cortês casou-se na última semana. Movido pela felicidade do matrimônio, o lateral foi o melhor em campo na contundente vitória do Botafogo sobre o time cruz-maltino por 4 a 0, no Engenhão”. Cortês, ao deixar o campo, foi aplaudido de pé pela torcida do Botafogo. Quando o obcecado leu a notícia, comentou incontinente, como sempre, de maneira didática: “O que uma noite de amor não faz. Aliás, aprendam de uma vez por todas: Não é a fé que move montanhas. São as infinitas noitadas de amor”.

Constatação XV
Aquele conúbio*
Com o argentino “rúbio”,
Com passaporte núbio,
De trejeito dúbio,
Já deu pra ver, a partir do altar,
Que iria fracassar
Até antes de se formar
O que se convencionou chamar
De um feliz lar.
Falta de visão ? Ou azar ?
*Conúbio =  substantivo masculino
1. casamento, matrimônio
2. Derivação: sentido figurado.
relação íntima; ligação, união (Houaiss).

Constatação XVI
Rico diz inverdade; pobre, mente.

Constatação XVII
E que dizer da Bélgica que iluminou todas as suas estradas de rodagem, hein, hein ?

Constatação XVIII (Passível de mal-entendido).
Ele comeu um bucho no piquenique.

Constatação XIX (De diálogos esclarecedores).
-“Um pedido da minha mulher pra mim é uma ordem”.
-“Puxa! Como você é gentil para com ela”.
-“Não é nada disso. É que ela só fala comigo dando ordem”.
-“Ah, bom, quer dizer, ah, ruim, quer dizer...”

Constatação XX
Quem poderia imaginar que, algum dia, pela quantidade de pó que as empresas colocam no pacote de erva-mate, nós, os simples mortais, apreciadores dessa fraternal bebida, teríamos que usar “camisinha” na bomba para não entupi-la. Até dá a impressão que as empresas ervateiras estão na mão de políticos, já que conseguem deturpar até o ilex paraguariensis, nome científico dessa salutar bebida. Cáspite!, (eufemismo de pequepê!).

Constatação XXI (De uma filha da pu...ce, já que falamos no assunto).
Cada vez mais,
Constato,
Lendo, ou não,
Os jornais
O seguinte fato:
A globalização
É equivalente
À imbecilização
Face a distorção
Econômico-social
Que deixa
Milhões de gente
Extremamente mal.
E, claro, com queixa,
Sem condição
De viver.
Até, de sobreviver.

Constatação XXII
Não se pode confundir prato com parto, (nem com trapo, rapto, tropa que utilizam as mesmas letras), do verbo partir, quebrar, muito embora tenha muita gente que, quando está muito nervosa, conta: “Eu parto um prato quando estou com os nervos em pandarecos”.

Constatação XXIII (com rima em “ado”).
As apostas no Prado
Deixaram o pobre pelado
Com cara de esbulhado,
Espoliado,
Estropiado,
Extenuado,
Esvaziado,
Acabrunhado
E mal falado.
Coitado!

Constatação XXIV
Passeavam de mãos dadas
Parecendo só no mundo
Caminharam por mil estradas
Igual a qualquer vagabundo.
Chegaram numa estalagem
E pediram ao dono pousada
-“Parece até sacanagem,
Mas hoje não tenho nada.
Entretanto, se vocês não ligam
Podem dormir no celeiro
Por este caminho sigam
É ali perto do galinheiro”.
E assim foram se acostar
Perto de galos, vacas e cabritos
Que puderam testemunhar
Roncos como apitos.
Essa história que você leu
É sem final feliz ou infeliz
Cada um que faça o seu
De acordo como sempre quis.

Constatação XXV
E quando o professor de Física notou que no fundo da sala quatro estudantes estavam jogando truco no meio da aula, ficou tão irritado que enunciou olhando para os quatro: “O raio incidente sobre um espelho é igual ao raio refletido e o raio que os parta. Podem se retirar da sala”.

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO HAICAIS.

Dúvida I
Era daquelas pessoas
Que, para os poderosos,
Só cantava loas ?

Dúvida II
Ela tava com a vida enrolada
Porquanto foi como mais uma
Testemunha arrolada ?
(Coitada ?)

Dúvida III
É ser muito adulto
Dar no pé por causa
De uma sombra, um vulto ?

Dúvida IV
É muito abominável
Fazer determinado convite
E escutar: “É pouco provável”.

Dúvida V
É muita boa vontade
Sair do meio rural
E vir pra violência da cidade ?

Dúvida VI
É muita serenidade
Não reagir aos males
Que cometem na 3ª Idade ?

Dúvida VII
É muita impertinência
Dizer à vizinha: “Decida-se.
Se não eu perco a paciência” ?

Dúvida VIII
É muita clarividência
Que as CPI’s darão em pizza
Em sua tradicional ineficiência ?

Dúvida IX
Ao acordar, é muita burrice
Chamar a mulher de Maria
Quando ela se chama Alice ?

Dúvida X
É muita coerência
Bocejar ruidosamente
No meio da conferência ?

Dúvida XI
É muita solitude
Falar sozinho, apregoando
Sua própria virtude ?

Dúvida XII
É muita resignação
Dizer que, com esse salário mínimo,
Tá mais do que bom ?

Dúvida XIII
É muita sensualidade
Tirar toda a roupa
E andar assim pela cidade ?

Dúvida XIV
Não existe a possibilidade
De pular, sem parar, 3 dias
De carnaval, na 3ª Idade ?

Dúvida XV (Forçando um pouco a rima).
É muito errôneo
O médico confundir
A tíbia com o perônio ?

Dúvida XVI
A ressaca do mar
Quer dizer que Netuno
Passou a noite a bebericar ?

Dúvida XVII
O bom samaritano
É aquele que dá *
Todo o ano ?
“Dá”, no sentido de fazer caridade, ajudar o próximo. Vamos parar de pensar em besteira, prezado leitor. Obrigado pela compreensão.

Dúvida XVIII
Ainda persiste a idéia
Que uma reunião de lobos
Não é uma alcatéia ?

Dúvida XIX
E uma reunião
De certos políticos
Não é, entre amigos, uma ação ?

Dúvida XX
E uma reunião de dondocas
Não vai, fatalmente,
Descambar em fofocas ?

Dúvida XXI
Foi um japonês,
Lutador de sumô que ganhou
O concurso de robustez ?

Dúvida XXII
Que tristeza. Que inferno!
O sonho de uma noite de verão
Caiu no outono e no inverno?

Dúvida XXIII
Não há mais garantia
Sair por aí tanto de noite
Como a plena luz do dia ?

Dúvida XXIV
É falta de respeito
Falar mal
Do nosso conceito ?

Dúvida XXV
Ela ficou com o olho vermelho
De assistir o drama mexicano
Ao lado do namorado, o pentelho *
Perdão, caros leitores, pela má palavra, mas ela deveria – data venia, como diriam nossos juristas – escolher um namorado menos chato.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Passível de mal-entendido).
-“Por favor, me dá um melhoral infantil. É para a cachorra da minha sogra”.

Constatação II (Da série: Perdeu a Oportunidade de não Dizer Besteira, instituída por Rumorejando.
Em 2001, num sábado, após a derrota do Brasil para a Austrália, na Copa das Confederações, o então técnico Leão, em entrevista coletiva à imprensa, afirmou que “nós massacramos a Austrália”. Tal assertiva faz lembrar a história do médico que informou à família do operado: -“A operação foi um sucesso. Infelizmente o paciente morreu”...

Constatação III
Pelo jeito, pelo o que nos tem sido dado a ver, pôr a mão no jarro, em certos países, é extremamente contagioso...

Constatação IV
E como dizia, didaticamente, o obcecado: -“Se sexo, ao contrário de ser uma coisa prazerosa, deliciosa e até sublime, fosse uma coisa ruim, o reino animal teria se encerrado logo depois de Adão e Eva”.

Constatação V
Deu na mídia: “Um grupo formado por pelo menos cinco homens trocou tiros ontem com funcionários de uma empresa de transporte de valores em um shopping na zona norte do Recife. O grupo tentou roubar um carro-forte que levava dinheiro para uma agência bancária dentro do shopping. Os dirigentes do Sindicato dos Vigilantes de Recife informaram que os seguranças não estavam preparados para evitar a ocorrência. O shopping informou que possui cerca de 70 homens que trabalham desarmados”. “Caspite”, mas até no shopping que se acreditava que os bandidos não ousariam ?!

Constatação VI (De uma dúvida assaz crucial).
Até quando o Brasil será o país do futuro ? “Per saecula saeculorum” ou “ad eternam” ? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação VII
Ele fica sentido
Quando o chamam
De rude, de desabrido
Já que os pais clamam
Que ele é muito querido
E não reclamam
Que ele seja um caso perdido.

Constatação VIII
Rico tem convicções; pobre, é teimoso.

Constatação IX
Deu na mídia: “O salário mínimo perdeu a corrida contra o preço da cesta básica no segundo mandato do presidente Lula. O custo dos alimentos básicos, principalmente, São Paulo e Brasilia subiu mais que os reajustes do salário mínimo”. A mídia, como sempre, esqueceu de acrescentar: Viva “nóis”.

Constatação X
Não se pode confundir privação com privatização, até porque, em certos países, a privatização levou e tem levado muita gente a perder o seu emprego e consequentemente sofrer privação. É evidente que, invariavelmente sempre, quem facilita a privatização, nunca mais vai sentir privação...

Constatação XI
Glória subindo à cabeça, somado com os elogios dos bajuladores é igual ao risco de uma forte perspectiva do sujeito, político ou não, cair do cavalo com dano maior a sua douta e impoluta pessoa.

Constatação XII
No recôndito da sua alma
É que encontrei
Minha paz, minha calma
E de alegria, chorei.

Constatação XIII
Não se pode confundir verruga com verduga, muito embora uma bruxa má (será que existe bruxa boa ? Comentários no blog. Obrigado.), uma verduga, além da vassoura voadora ou, se for moderna, aspirador de pó, fatalmente deverá ter uma verruga. Sem dúvida, na ponta do adunco nariz...

Constatação XIV
Deu na mídia: “No Brasil, somente 30% dos adolescentes entre 15 e 17 anos estão matriculados no ensino médio (contra 50% na Colômbia e 80% na Europa). O Estado Brasileiro está investindo no ensino médio apenas 5% dos que gasta no ensino, tornando-o o primo pobre da sua política educacional”. E, mais uma vez, viva “nóis”.

Constatação XV
À medida que o grau de esquecimento aumenta a auto-estima diminui. Inversamente proporcional, portanto.

Constatação XVI
E como dizia o convencido, sem dúvida, boçal como todo convencido: -“A verdade é que, durante toda a minha vida, elas eram tantas a minha procura que eu tive muito mais trabalho em despistá-las, para desvencilhar-me, evitando criar caso com namorados, companheiros, maridos, etc., do que, caritativamente, atendê-las”...

Constatação XVII (De uma dúvida crucial).
Carros e aviões,
Fazendo “recall”.
Eu, nos serões,
Passando mal
De tanto senões.
Também eu
Preciso de “recall”
Por o que me aconteceu ?

Constatação XVIII (De um pseudo-soneto).

Quanta maldade!

Era uma dona de casa tosca, rude, digamos, até grossa,
Mas achava que a todos os convidados recebia
Com nobreza, fidalguia, elegância, aristocracia
Metia uma panca e mostrava muita empáfia e bossa

Não é que a comida era servida completamente fria,
Deixando os convivas numa tristeza e baita fossa.
Além de suscitar entre eles, já lá fora, muita troça.
Uma malhação um tanto quanto maldosa, uma patifaria.

Na realidade, era o roto falando do esfarrapado, do maltrapilho
Como diz o dito, o refrão, o ditado, a sabedoria popular
Ainda que ao pé do ouvido, tal era explicitado sem trocadilho.

Afinal de contas uma alpinista para a alta sociedade
Muita gente pueril quer atingir, assomar, atingir, galgar
Para poder dar vazão as suas pretensões, a sua não pouca vaidade.

Constatação XIX (De uma quadrinha, ou melhor, uma septilha para ser recitada só em festa feminina).
A minha boneca
Que é muito sapeca
Tirou no porre o boneco
De dentro do boteco
E deu-lhe uma tunda,
Uma baita sovinha
Na, digo, no fim da espinha...

Constatação XX
O último que sair do Dnit, do Ministério dos Transportes, por favor, não se esqueça de apagar a luz.

Constatação XXI (De outra dúvida crucial).
Será que alguém de uma sessão espírita não poderia perguntar ao escritor Machado de Assis se a Capitu traiu ou não traiu o pobre do marido?

Constatação XXII
Deu na mídia: “A V Copa Interestadual de Kung-Fu, segundo maior evento de arte marcial chinesa no Brasil, aconteceu na minha cidade, Curitiba, graças a um patrocinador inusitado: o Cemitério Parque Senhor do Bonfim, também de Curitiba”. Data vênia, como diriam nossos juristas, um patrocinador coerente...

Constatação XXIII
Rico fica ofegante; pobre, bufa.

Constatação XXIV
Deu na mídia: “Lincoln Portella (MG), do PR, cobrou que a presidente Dilma Rousseff use ‘a mesma balança’ para analisar a situação de integrantes do governo envolvidos em denúncias de corrupção”. O imortal Stanislaw Ponte Preta já havia proclamado algo a respeito: “Ou nós nos locupletamos todos ou instale-se a moralidade”.

Constatação XXV
Quando Fernando Henrique Cardoso era presidente da República, ele assinou Medida Provisória extinguindo os órgãos SUDAM e SUDENE e as respectivas modalidades de incentivos fiscais para as regiões Norte e Nordeste. Estimativas indicaram que foram desviados R$ 2 bilhões da Sudam e R$ 2,2 bilhões da Sudene. Dúvida crucial: Quando alguém está com dor de cabeça corta fora a cabeça ou toma algum remédio eficaz ? Afinal, se cada vez que houver casos similares e se extinguir o órgão respectivo, o que é que vai sobrar ? Quem souber as respostas, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XXVI
Quem ainda fala mal do cinema nacional, está totalmente por fora. E não é patriotada da parte deste assim chamado escriba. Nossos encômios para alguns poucos exemplos:
.Ação entre amigos
.Os matadores
.Do outro lado do pano
.O toque do oboé
.As gêmeas
.Eu, tu eles
.Central do Brasil *
.Cronicamente inviável
.O cheiro do ralo
.O bem amado
.Capitães da areia
* Quando eu lembro que Central do Brasil perdeu o Oscar de melhor filme estrangeiro para A vida é bela só, provavelmente, porque apareceu no final o tanque de guerra com a bandeirinha dos Estados Unidos eu penso que já não se outorgam Oscar’s como antigamente...

Constatação XXVII
Este assim chamado escriba agradece ao grande Amigo João Manuel Simões pelo envio do seu livro de poesia Ladainha do Ser que Rumorejando toma a liberdade de considerar, entre mais de meia centena de suas publicações, uma das suas melhores obras, se não, a melhor.

Constatação XXVIII
E como se queixava o obcecado: “Se elas cada vez mais continuarem usando roupa sexy, logo, logo a gente vai apenas se excitar como nossos antepassados que ficavam loucos de apenas antever o tornozelo”...

Constatação XXIX (De um pseudo-soneto que, evidentemente também homenageia Brigitte Bardot, defensora dos animais).

Ode à erva-mate e à Mulher
Ou à Mulher e à erva-mate.


Quando Deus criou o Homem
E viu aquela profusão de saliência
Pareceu-Lhe faltar competência,
A obra tava mais pra lobisomem.

Resolveu tomar uma cuiada
De uma bebida bem amarga
Deu uma sorvida bem larga
Para não mais fazer trapalhada.

A inspiração veio em seguida
E surgiu uma figura querida
O que se fazia mister.

Era alguém com muita harmonia
A quem não faltava sabedoria
E Deus havia criado a Mulher.

Constatação XXX
Como os Estados Unidos não vão, por ora, dar o calote, o filósofo de Rumorejando elucubrou: Rico fica insolvente; pobre é velhaco...

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I
É um baita estratagema,
Sem quebrar o ovo,
Obter a clara e a gema ?

Dúvida II
É ser muito cabotino
Enriquecer, pondo a mão no jarro,
E dizer que foi o destino ?

Dúvida III
A fada malvada
No fundo, no fundo
É uma coitada ?

Dúvida IV
A gente se extasia,
Se no meio do velório,
O parente demonstra alegria ?

Dúvida V
É falta de parcimônia,
Beijar de modo a ficar com a boca
Com gosto de amônia ?

Dúvida VI
Uma auto-análise crítica
É o que está faltando
Nos donos da nossa política ?

Dúvida VII
O local da monumental reunião,
Para os sorrateiros fantasmas,
Foi o castelo da assombração ?

Dúvida VIII
Você, nessa ensimesmada solidão,
Mesmo sabendo que uma só
Andorinha não faz verão ?

Dúvida IX
É ser muito saliente
Andar, sempre, no bolso
Com espelho e pente ?

Dúvida X
É muita filha da pu...ce
Viver tomando parte
No disse-que-disse ?

Dúvida XI
É um ato falho
Querer estender à sogra
Aquele malho ?

Dúvida XII
Redistribuir a riqueza,
Em certos países,
É um ato de torpeza ?

Dúvida XIII
É só no meio argentino
Que se encontra cara
Com fama de cabotino ?

Dúvida XIV
Se o meu Paraná tiver uma recaída,
Será que ele cai pra terceirona
Com passagem só de ida?

Dúvida XV
Se a seleção do aguerrido Paraguai
Escalasse a Riquelme, a Larissa
O time deixaria de vez desse vai-não-vai?

Dúvida XVI
Foi uma simples questão de minúcia
Perder no vôlei para a Rússia
Ou falta de atenção ou de astúcia?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br