quarta-feira, 19 de outubro de 2011

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
Rico é doidivanas*; pobre vive como dá, como pode ou “como Deus quer”.
*Doidivanas = “pessoa gastadora, perdulária” (Houaiss).

Constatação II
Deu na mídia: “Brasil vê corrupção na Bulgária como entrave a parceria entre os países”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o roto está falando do esfarrapado.

Constatação III
Deu na mídia: “O senador Reditario Cassol (PP-RO) defendeu no dia 6 de outubro deste ano, da tribuna do Senado, o fim do auxílio-reclusão para os condenados que estiverem cumprindo pena e a adoção da pena de chicotadas contra os presos que se recusarem a trabalhar nos presídios”. Com relação aos deputados, senadores e vereadores que ganham fortunas sem trabalhar, independente das falcatruas, S. Excia. nada propôs.

Constatação IV
Rico finge que labora; pobre, é tratado como escravo.

Constatação V
Rico pratica o ócio; pobre, é vagabundo.

Constatação VI
E disse, pro idoso, a Paulina:
“Não ligue, tio. Isso acontece.
Tome aspartato de arginina
E o que viemos fazer
Aqui no motel,
Nesse lindo anoitecer,
Você nunca mais esquece.
E o seu desempenho,
Sem muito esforço,
Sem muito empenho,
Sem cãibra no dorso,
Será digno dum Prêmio Nobel...”

Constatação VII (E já que falamos no assunto...)
Com africanos e judeus ganhando o Nobel deste ano é de nenhum anti-racista ficar triste e/ou botar defeito. Já, os nazistas...

Constatação VIII (De uma dúvida crucial).
Vidro temperado é aquele que é preparado com azeite, vinagre balsâmico, sal e pimenta?

Constatação IX
Não se pode confundir apreço com apresso, muito embora eu me veja muito apresso em demonstrar que tenho apreço por determinadas gatas sem que elas, insensivelmente, nem ao menos, com vagar ou não, se emocionem com isso. Pena!

Constatação X
Deu na mídia, mais precisamente no jornal Gazeta do Povo, cá da terra, no dia 12, Dia da Criança e da homenagem a Nossa Senhora Aparecida: “O presidente da Assembléia Legislativa do Paraná tem direito a receber, desde 1992, uma gratificação pelo exercício do cargo no mesmo valor da remuneração paga aos deputados. Na prática, isso significa que há 19 anos quem ocupa o cargo de presidente do Legislativo paranaense recebe o salário em dobro. Atualmente, a remuneração de um deputado estadual é de R$ 20 mil. O decreto legislativo que garante esse salário dobrado foi assinado pelo ex-presidente da Assembléia Aníbal Khury em 23 dezembro de 1992. O primeiro beneficiário da gratificação foi o então deputado Orlando Pessuti, que comandou a Casa de 1993 a 1994. Na sequência, Aníbal recebeu o benefício durante cinco anos, entre 1995 e 1999; Nelson Justus de 1999 a 2000 e de 2007 a 2010; Hermas Brandão entre 2001 e 2006; e, por fim, Rossoni, que assumiu o cargo em fevereiro. Até hoje, portanto, cinco deputados receberam a gratificação no cargo de presidente”. O jornal Gazeta do Povo, provavelmente, esqueceu – o que foi uma imperdoável omissão – de acrescentar: viva também ‘nóis’ no Paraná...

Constatação XI
Eu não cito
Algum governante
Da nossa nação
Que se arrependa
Por não haver feito
Pouco ou bastante,
Ou por não ter dado um jeito
Na distorção
Da nossa esdrúxula renda.
Tenho dito!

Constatação XII
“Pode vir quente
Que eu já estou fervendo”,
Disse ele pra namorada.
“Não me apoquente
Que você está me enchendo”,
Disse ela pro namorado.
Coitada!
Coitado!
Coitada?

Constatação XIII
Deu na Folha: “Fome atinge ao menos 250 mil na cidade de São Paulo”. Em outro local do mesmo periódico: “Brasil ‘joga fora’ R$ 150 bilhões por ano”, referindo-se ao desperdício de comida. Só cabe um único comentário a toda essa estupidez: Viva “nóis”

Constatação XIV
O cara boçal, lá na roça,
Levou um chega pra lá
Meteu panca com bossa:
“Melhor que a cidade não há”.

Constatação XV (Passível de um comprometedor mal-entendido).
Disse a gata para o pretenso namorado:
-“O nosso instrutor de malhação é muito querido”.
-“Bota querido nisso”.

Constatação XVI (Ah, esse nosso vernáculo).
Disse, ao pé de ouvido, que aquela posição estava dando cãibra na barriga da perna.

Constatação XVII
O saudoso professor e Amigo Sigurd W. Bach lançou, na década de 90, o livro GOETHE – Pensamentos, frases, aforismos. Leitura obrigatória, como diriam os críticos, não só pelos pensamentos de Goethe, traduzidos do original, mas pelas considerações do Amigo Sigurd. Um pequenino exemplo: “Os defeitos das pessoas, os reconhecem apenas os insensíveis. Assim, para reconhecê-los temos que nos tornar insensíveis, mas não mais do que o necessário para isso”. Comentário do professor Sigurd W. Bach: “(...) É possível que, para reconhecer e aceitar com compreensão os defeitos do homem devêssemos dizer como ‘Che’ Guevara que ‘hay que endurecer, pero sin perder la ternura’. Tenho certeza de que Goethe aceitaria esta intervenção de ‘Che’, feita duzentos anos depois(...)”.

Constatação XVIII
Parece que nada lhe apetecia
Sem dúvida, não era minha fã
A todo convite meu respondia:
-“Hoje não. Talvez amanhã”...

Constatação XIX (De uma dúvida crucial).
Quando deputados, senadores, prefeitos, governadores, ministros, vereadores e respectivos laranjas, parentes e autoridades ligadas a Lei põem a mão no jarro, acrescidos dos seus elevados salários e vantagens eles se dão conta que estão proporcionando más condições de vida para a comunidade, com prejuízo até à vida de pessoas? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XX (De uma dúvida crucial).
Quando pessoas dos três Poderes constituídos põem a mão no jarro, por algum pequeno lapso de memória, eles não lembram que “O Brasil espera que cada um cumpra com o seu dever” ? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XXI
Com o “imexivel”
Dito por um então ministro,
Dum presidente sinistro,
Fizeram um baita escarcéu.
Mas, com o “incomovível”
Do mineiro Guimarães Rosa,
No livro Sagarana,
Obra-prima, em prosa,
Todo mundo achou bacana
Todo mundo tirou o chapéu.

Constatação XXII
Rico é pragmático; pobre é maria-vai-com-as-outras.

Constatação XXIII
Perto dela,
Eu nada faço.
Sempre eu ou ela,
Estamos num bagaço.
Que esparrela!
Que descompasso!

Constatação XXIV (Ah, esse nosso vernáculo, via pseudo haicai).
Ela não te mente
Somente
Por ser temente.

Constatação XXV
Pedido ao Mano Menezes:
Será que não daria
Dizer à seleção
Para fazer,
Às vezes,
O gol ligeiro.
Isso faria
Com que pobres mortais,
Como eu e os demais,
Parassem de sofrer
O tempo inteiro?
Obrigado pela atenção.

Constatação XXVI
Apenas uma choça
Na beira do rio
Que a enchente, minha nossa!,
Transformou num navio.

Constatação XXVII (“Poeminha” sujeito a chuvas e trovoadas).
Foi no meio dos juncos
Que se beijavam, penando,
O casal com narizes aduncos.
E quando caiu um toró
Eles, absortos, foram se encharcando
Que até dava dó.

Constatação XXVIII
E como poetava, se explicando para o namorado, a gatona, na base do “elementar meu caro Watson”:
“Nada de ciumeira,
Não cometi nenhuma asneira.
Foi só um beijo cordial
Na boca do Fulano de Tal”.

Constatação XXIX
Não se pode confundir lérias, que quer dizer falas astuciosas, patranhas, falácias, com férias, que quer dizer férias mesmo, muito embora para conseguir as merecidas férias com o patrão – já vencidas, é claro – a gente, na maioria das vezes, tem que contar uma história triste, lérias, um drama, etc., principalmente o etc.

Constatação XXX
Ele chegou
De madrugada
E levou
Uma espinafrada
Da cara-metade,
Super irritada.
Coitada!
Na verdade,
Havia feito
Serão,
Sem jeito
De recusar,
De despistar
O pedido,
Ardido,
Do patrão.
Por mais
Que argumentasse,
Jurasse
Nada fazia efeito
Pra que ela,
Transtornada,
Se acalmasse.
Que mazela!
“Essa foi demais,
Seu poltrão,
Seu bandido,
Seu desavergonhado”.
Coitado!
Você jamais
Voltará a ser
Meu marido.
Vou fazer
A mala
Dormir
Na sala
E ir,
Com a criança,
Para a casa
Dos meus pais”.
Mas, como depois
Da tempestade
Vem a bonança,
Ela ponderou
Que a vida a dois,
Nessa assim chamada
Sociedade,
Mesmo com uma chamuscada
Ë bem razoável
E que seria improvável
Ela achar,
Ela encontrar
Outro panaca,
Outro babaca,
Para o seu lugar...

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I
É muita indiferença
Esnobar a gatona,
Ignorando a sua presença ?

Dúvida II
Uma guerra eminente
Enriqueceria, como sempre,
Um mundaréu de gente ?

Dúvida III
É ser muito sanguessuga
Querer faturar a custa do governo
E depois se pôr em fuga ?

Dúvida IV
É muita atribulação
Esperar melhorar o salário
Só com a boa vontade do patrão ?

Dúvida V
A sociedade dos poetas mortos
Se reúne em algum cemitério
Ou nesses abandonados hortos ?

Dúvida VI
É muita estranheza
Duvidar dum político,
Imaginando só safadeza ?

Dúvida VII
É cultivar a perfeição
Não deixar rastro, no jarro,
Onde puseram a mão ?

Dúvida VIII
Você já desiste,
Quando ela diz “não”
E não persiste ?

Dúvida IX
É ser muito instável
Mudar cada vez de partido
O vencedor mais provável ?

Dúvida X
E eis que, de repente,
Na hora do bem-bom,
Uma baita dor de dente ?

Dúvida XI
É muito recomendável
Baixar na gata, àquela,
A mais provável ?

Dúvida XII
Esse negócio de ganhar ou ganhar
Para classificar o Brasil na Copa
Só tem dado um baita dum azar ?

Dúvida XIII
Pediu demissão
Mais um senador.
Ainda é pouco, pois não ?

Dúvida XIV
É ser muito desprezível
O governante somente querer
Realizar o que não é factível ?

Dúvida XV
É muita cretinice
Viver na base
Do disse-que-disse ?

Dúvida XVI
É muita passividade
Aceitar o convite da sogra
Para formar com ela sociedade ?

Dúvida XVII
Do Brasil, a desclassificação,
Ainda está totalmente
Fora de questão ?

Dúvida XVIII
Permanece a impressão
Que tudo ficará como sempre
Na próxima eleição ?

Dúvida XIX
Não causa mais espanto
A violência na Terra
Onde só dá “santo” ?

Dúvida XX
Você ainda acredita
Que essa violência toda
É só fita ?

Dúvida XXI
O que ? Houve uma resolução
Que ninguém mais vai pôr,
No jarro, a mão ?

Dúvida XXII
Lá, no horizonte
Entre o céu e o mar
É que fizeram uma ponte ?

Dúvida XXIII
Ganhar do time do México
Com um jogador a menos quer dizer
Que havia no time um anoréxico*?
*Anoréxico = “ adjetivo
relativo a anorexia**; anoréctico, anorético.
**Anorexia = “ substantivo feminino
Rubrica: medicina.
falta ou perda de apetite (Houaiss).

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

Um comentário:

Anônimo disse...

Salve Juca!

Computador funcionando, novamente, e claro, lendo semanalmente seu excelente e prazeroso blog.

Deixo aqui um comentario: de acordo com a Constatação XVI, a barriga da perna é a mesma coisa que panturrilha ou quem sabe, gastrocnemio?

Abracao Joao Paulo