quarta-feira, 2 de novembro de 2011

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
A título de esclarecimento, Rumorejando esclarece aos seus parcos e distintos leitores que as transcrições dos dicionários Houaiss e Aurelião não são com a finalidade de ocupar espaço para chegar a cerca dos habituais 10.000 caracteres, mas, sim, para facilitar a vida de quem eventualmente necessitar. E convém lembrar que Rumorejando também é cultura, principalmente para o seu autor. Obrigado pela compreensão.

Constatação II
Não se pode confundir elegia* com nostalgia, muito embora quando este assim chamado escriba sente uma nostalgia de alguma doce lembrança, que, aliás, jamais se repetirá, fica com vontade de chorar como se tivesse escutado uma determinada elegia.
*Elegia =  substantivo feminino
1 Rubrica: literatura.
poema composto de versos hexâmetros e pentâmetros alternados
2 Rubrica: literatura.
poema lírico de tom ger. terno e triste
3 Rubrica: música.
canção de lamento; nênia (Houaiss).

Constatação III
E como poetava o obcecado:

O beijo
Ficar só no beijinho
Inda mais no selinho
É falta de carinho
É um descaminho.

É um imenso
Contra-senso,
Deixando o cara tenso,
Agastado, infenso

É, também, a mais pura
Falta de lisura
Malévola urdidura
Sem falar numa tortura.

Constatação IV
Rico se equivoca; pobre só faz besteira.

Constatação V
Era o fabricante de bolacha que por osmose, mimetismo, genética, ou seja, lá o que for tinha uma cara de bolacha?

Constatação VI
E não se pode confundir apanágio* com pedágio, muito embora o que custa para o contribuinte as duas excrescências não está em algum compêndio. Está, isso sim, na sem-vergonhice de políticos, governantes e também de outros presumíveis inocentes e honestos aproveitadores.
*Apanágio substantivo masculino
1 Rubrica: termo jurídico. Diacronismo: antigo.
pensão concedida aos filhos e às viúvas de nobres pela família do falecido
1.1 Rubrica: termo jurídico. Diacronismo: antigo.
bem que gerava esta pensão
2 Rubrica: termo jurídico.
pensão alimentícia a que tem direito o cônjuge vivo, sem meios de subsistência, oriunda dos rendimentos dos bens do falecido
3 Derivação: por extensão de sentido.
vantagem particular; privilégio, regalia
4 Derivação: sentido figurado.
propriedade característica e inerente; atributo
Ex.: a arte não pode ser apanágio. de uma elite (Houaiss).

Constatação VII
País rico tem razões pragmáticas; país pobre mete os pés pelas mãos.

Constatação VIII
Deu na mídia: “Os irmãos Zezé di Camargo e Luciano, que formam uma dupla sertaneja, depois de um entrevero entre eles, anunciaram que iriam se separar. Taí uma notícia e um fato de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Mais transcendental ainda é que “Britney Spears exibe barriga flácida em show e procura nutricionista”.

Constatação IX
Com relação à notícia acima, declaro a quem interessar possa, que sou fã da música sertaneja. Taí outra notícia de transcendental importância para o futuro da sofrida Humanidade e dos meus parcos leitores...

Constatação X
Rico arrenda; pobre, nem tem renda.

Constatação XI (Desculpem, prezados leitores, mas é necessário esclarecer certos termos que podem ocasionar confusão, basta ver como têm acontecido confusões do tipo misturar o dinheiro público com o seu próprio...)
E, finalmente, não se pode confundir panegírico* com empírico**, até porque, quem escutou discursos de vereadores, deputados em um panegírico a algum colega, senador, ministro, governador ou presidente deveria se dar conta que era um discurso empírico.
*Panegírico  substantivo masculino
1 Rubrica: literatura.
discurso público em louvor a alguém ou a um ser abstrato
2 (1899) Derivação: por extensão de sentido.
elogio solene
 adjetivo (1679)
3 que louva, que contém louvor; elogioso, laudatório
**Empírico =  adjetivo
1 relativo ao empirismo
2 baseado na experiência e na observação, metódicas ou não
Obs.: p.opos. a conceptual
 substantivo masculino
3 Derivação: por extensão de sentido. Uso: pejorativo.
profissional que alardeia qualidades ou conhecimentos de que carece; charlatão (Houaiss).

Constatação XII
Quando o obcecado deu uma pifada, filosoficamente ponderou: “Estou um tanto quanto aflito com a falha do meu poder de fogo o que nunca me aconteceu. Nada a ver com a fonte de aflição e estresse nos mercados com a falta de poder de fogo do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (EFSF, na sigla em inglês) para atender os países que também andam pifando no cumprimento dos seus pagamentos”. (Veja – se quiser, é claro – a Constatação XXVII mais adiante).

Constatação XIII
Foi a ‘mosquita’ que disse para o mosquito: Não te escutei ontem você entrar em casa. Você deve ter chegado muito tarde. Ou vou ter que consultar um otorrinolaringologista porque não escutei o teu zumbido.

Constatação XIV
Tá certo, ta certo que a gente foi contra a ditadura, mas isso não quer dizer que a gente seja favorável a essa assim chamada democracia com tanta fraude, corrupção e mau-caratismo nos três Poderes da República.

Constatação XV
Rico jamais esmorece; pobre logo entrega os pontos.

Constatação XVI
Deu na mídia na época do evento: “Dilma perde o sexto ministro e negocia com o PC do B o substituto de Orlando”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que com todas essas mudanças a presidente (a) perdeu muito? Quem souber a resposta para essa dúvida, indubitavelmente, crucial, favor se manifestar com a sua proverbial sapiência no blog. Obrigado pela atenção.

Constatação XVII (De uma dúvida crucial).
Será que a Patrícia Poeta,
Que entende de meteorologia,
Um jeito não daria
De fazer
Chover
Na minha horta,
Melhorando minha coleta,
Já que S. Pedro, o patrão,
Não se importa,
Com tal intervenção ?

Constatação XVIII (Ah, esse nosso vernáculo).
O matemático, de cabeça em ordem, determinante, resoluto, quis resolver o determinante, de terceira ordem, de cabeça.

Constatação XIX
Foi um torvelinho
Quando ela beijou o namorado
E ele virou um sapinho.
Coitado !

Constatação XX (De aritmética elementar)
Se de uma dúzia e meia você tirar meia dúzia e meia você ficará com meia dúzia e meia. Elementar, minha gente!

Constatação XXI
Fez como se fosse acidental
Para encontrar a vizinha
No ônibus, ou no terminal,
A que usava uma saínha
Daquelas bem curtinha
E quando sentava
Ao seu lado
Muita esperança mostrava
Até onde a vista alcançava,
Num olhar hipnotizado,
Perturbado,
Ansiado
Por um finalmente.
Mas era só provocação,
Empulhação,
De cortar o coração
Tão somente.
Coitado !

Constatação XXII (Através do uso, um tanto quanto exagerado do etc., que, muitas vezes, nos é assaz providencial).
Não se pode confundir sinopses que significa “narração breve; resumo, sumário, síntese” com sinapses que “são ligações entre as células neuronais, favorecidas por transmissores químicos, que permitem a passagem de impulsos elétricos”, até porque um conferencista, professor, político, expositor, etc., que não consegue resumir, sumariar, sintetizar, encurtar, etc. sua explanação, dissertação, aula, etc., corre o risco de, não só adormecer os seus ouvintes, sua platéia, seus alunos, etc., como também prejudicar o bom andamento de seus neurônios, seus impulsos elétricos, seus transmissores químicos, etc.

Constatação XXIII
Não se vislumbra
Nenhuma solução
Com tanta penumbra
No seu insensível coração.

Constatação XXIV
Em 24/10/2001, a mídia noticiou que São José da Tapera, Alagoas, que havia sido considerada pela ONU (Organização das Nações Unidas), em 1991, a cidade mais pobre do país, no final de 1999, após a eleição para a prefeitura, em 1996, de Edneusa Pereira Ricardo, conseguiu reduzir a taxa de mortalidade de 147 para 60 em cada 1.000 crianças nascidas vivas. A porcentagem de analfabetos, que em 1991 era de 70,5% da população caiu para 30%. A prefeita, que batalhou para minimizar os efeitos da seca em seu município, ganhou um prêmio, outorgado ao trabalho de mulheres que desenvolvem projetos de impacto social. Também a prefeita de Florianópolis reduziu sensivelmente a taxa de mortalidade infantil. Ambos os desempenhos merecem ser copiados, independente de partido, grei, sexo, religião, cor, etc. Tenho dito!

Constatação XXV
“Olhe, minha senhora”,
Disse o garoto de programa,
“Esse seu problema de cama
Só se resolve com uma pletora”.*
* Pletora = “Fig. Superabundância, exuberância”.

Constatação XXVI
Ela assinou a carta, endereçada ao político, em quem havia confiado e votado, com o seguinte fecho: “Com protestos de nenhuma estima e elevada desconsideração”.

Constatação XXVII
“Vamos embora,
Isso acontece”,
Disse a gatona.
“Não ligue, não.
É só uma questão
De testosterona.
Agora,
Isso sim,
Vê se não me esquece”,
Porque não é o fim
Tal desempenho
Chinfrim,
Onde não faltou
E até sobrou
O Meu
E o teu,
Nosso, enfim,
Empenho”.

Constatação XXVIII
Nos trechos
Sensuais
Que sua mão,
Agora,
Com sofreguidão,
Percorria,
Foi encontrando
Apetrechos
Artificiais
Que outrora
Não havia.

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I
Com gosto de chá de corrimão
Ela acordou no dia seguinte
Depois de uma noite no bem-bom ?

Dúvida II
Não é à-toa
Que dizem a administração
Do governo não ser nada boa ?

Dúvida III
Como seqüestrador não perdoa,
Rico já não ri
Mais à-toa ?

Dúvida IV
Na torta “sonho de valsa”
Ela, ao invés de chocolate,
Colocou batata salsa ?

Dúvida V
Era muito necessário
Ela esconder o amante
Dentro do armário ?

Dúvida VI
Ele que teve a má idéia
De chamar ela de minha
Querida “véia” ?

Dúvida VII
Só quando o marido morreu
É que, para a sua (dela)
Alegria, ela renasceu ?

Dúvida VIII
Por que será
Que quer voltar pra segundona
O meu querido Paraná ?

Dúvida IX
Ele levou uma carraspana
Por tratar de assunto sério,
Fazendo uma baita filigrana ?

Dúvida X
Não gostou de Os sete samurais
Por que não havia, no filme,
Nem um pouco de efeitos especiais ?

Dúvida XI
É falta de cortesia
E/ou de educação
Não dizer “Bom Dia” ?

Dúvida XII
É muita impropriedade
Andar de smoking na praia
E de short na cidade ?

Dúvida XIII
Mesmo que esteja na Constituição,
É fato irrefutável, inconteste, inegável,
Que rico não vai para a prisão ?

Dúvida XIV
É questão de prosopopéia
Dizer que o chá das cinqüentonas
Era reunião duma alcatéia ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: