quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Aparentemente paradoxal).
E como dizia aquele sujeito não muito afeito a higiene: “No inverno brabo de Curitiba, ou mesmo no verão, eu acho uma sujeira mandar a gente tomar banho, mesmo que seja sábado.

Constatação II (De coisas que precisam ser inventadas)
Cabide para que o passageiro de vôos internacionais fique todo o tempo pendurado no dito. Assim, não haverá necessidade de diminuir ainda mais a distancia entre as poltronas da frente e de trás. Vige!

Constatação III (De uma dúvida crucial)
Standard & Poor's: Será que temos mais um novo deus? E será que eles, como nossos deputados e senadores, também estão acima do bem e do mal? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação IV
O renomado cientista inglês Stephen William Hawking declarou que o maior mistério e enigma do Universo são as mulheres. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando supõe que o consagrado físico teórico e cosmólogo britânico jamais conheceu a poesia do, também consagrado, escritor de prosa e poesia uruguaio Mário Benedetti, também meu guru, Uma mulher desnuda e no escuro que lá pelas tantas diz o seguinte:
“Uma mulher desnuda e no escuro
É uma vocação para as mãos
Para os lábios é quase um destino
E para o coração um desperdício
Uma mulher desnuda é um enigma
E é sempre uma festa decifrá-lo”.

Constatação V
Não se pode confundir conversar com conservar, muito embora haja pessoas que – maldosamente, é claro – chame as classes conservadoras de conversadoras. Efetivamente, gente maldosa, essa!

Constatação VI (Teoria subjetiva da Relatividade para principiantes ou veteranos)
Os anormais acham que os normais são anormais.

Constatação VII (Da expressão da interjeição pelas razões e proporções matemáticas)
O palavrão está para a interjeição, assim como a interjeição está para o espanto. Logo, a interjeição é igual a mais ou menos a raiz quadrada do produto do palavrão multiplicado pelo espanto. Elementar minha gente!

Constatação VIII
Foi a garça que disse para o seu – dela – namorado: “Vamos dar uma espiada no Kama Sutra e mudar de posição porque eu fiquei com as minhas penas esgarçadas o que suscitou muita graça das minhas amigas que me acharam engraçada”?.

Constatação IX (De conselhos úteis).
Se você vai emitir um conceito perante um auditório, seja lá de quantas pessoas forem, só o faça depois de haver elaborado na tua cabeça, sopesando* os prós e contras, fazendo o auto-advogado do diabo. De nada!
*Sopesar = transitivo direto
4 . procurar entender (algo) para levá-lo em conta; considerar, interpretar, avaliar
Ex.: (Houaiss).

Constatação X
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Brasil é segundo país mais desigual do G-20, aponta estudo”. “País está à frente apenas da África do Sul e, embora no caminho certo, ainda precisa fazer progressos, segundo pesquisadores”. Rumorejando, data vênia, como dizem nossos juristas, acha que está na hora de parar com eventuais ufanismos em nosso país. Obrigado pela atenção.

Constatação XI
Também deu no Estadão: “Polícia Federal investiga suspeita de lavagem de dinheiro no TRT do Rio. Delegado comanda inquérito para apurar se servidor que movimentou R$ 282,9 milhões, detectados pelo Coaf a pedido do CNJ, integrava organização criminosa instalada no tribunal”. Vige! Será que tais fatos vão parar algum dia? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XII
Pelo tempo que o produto conhecido mundialmente por viagra leva para fazer efeito, após a sua ingestão – aproximadamente 2 horas – e pelo tempo que leva para passar o efeito – mais ou menos 4 horas –, a “pílula azul”, como é chamada, pode ser expressa por: 2 > tempo de efeito do viagra < 4, que se lê como maior que duas e menor do que quatro, no caso, horas. Menos que 2 e mais do que quatro horas não há efeito, logo, matematicamente, o campo real da função se encontra no intervalo mencionado. Rumorejando augura aos seus leitores para que não necessitem recorrer a expedientes matemáticos, sofisticados ou não.

Constatação XIII
Saiu de padiola,
O craque;
O cartola,
De fraque...

Constatação XIV
E já que falamos em assuntos médicos, digamos, matematicamente científicos, cientistas holandeses publicaram, em revista especializada, trabalho de pesquisa no qual mostram que o álcool ingerido com moderação inibe em mais de 40% a probabilidade do indivíduo ficar com o Mal de Álzheimer, doença que deixa o sujeito com falta total de memória. Taí um bom pretexto pra gente, com a moderação recomendada, ingerir umas e outras...

Constatação XV
A dentista,
Participou
Dum concurso
De beleza,
Na expectativa,
Na tentativa
De se tornar
Uma artista.
Ela levou
Certo azar:
Uma jurada,
Com toda certeza,
Despeitada,
No decurso
Da votação
Se enrolou
Com a numeração
Das candidatas,
Fazendo, estupidamente,
Uma troca
Das lindas gatas.
A nossa odontologista,
Ao perder
O primeiro lugar,
Veio, posteriormente,
A se eleger
Miss broca.
Coitada!

Constatação XVI
Declaro a quem possa e deveria interessar que a reversão à esquerda é egocentricamente desrespeitosa para quem vem atrás. Tenho dito!

Constatação XVII
Ficou no devaneio,
Como se estivesse sozinho,
Na “menage a trois”,
Quem estava no meio
Como o risquinho
Da letra agá.

Constatação XVIII (De uma dúvida crucial).
Será que cada vez que um governante brasileiro ganha o título de doutor honoris causa, duma universidade estrangeira, as pessoas desempregadas e/ou subempregadas melhoram suas condições de vida ? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XIX
Quando chicletes ela masca,
Fazendo aquele barulhão,
Eu armo uma borrasca,
Pois tenho a sensação
Que ela vai tirar uma lasca
Do meu pobre coração.

Constatação XX
E quando o sujeito passou a mão na “poupança” da colega de trabalho ela, furiosa, reagiu: - “O que significa isso, seu cafajeste ? Acaso eu te dei essa liberdade ? Vou te denunciar na Delegacia da Mulher por abuso sexual”. –“Por favor, não faça isso. Eu estava apenas, como o slogan da Rádio Educativa, valorizando o produto nacional”.

Constatação XXI
Não se deve confundir apelativo com blablativo, muito embora os nossos “pais da pátria” sejam reconhecidamente apelativos ao utilizar uma retórica sofismaticamente blablativa. (Perdoem o pleonasmo). A recíproca, indubitavelmente é verdadeira. Aliás, os políticos que utilizam citações em latim deveriam juntamente com as declinações do nominativo, genitivo, dativo, acusativo, vocativo e ablativo acrescentar o apelativo e o blablativo, conforme Rumorejando já sugeriu em alguma coluna anterior. E tanto que isso é verdade que veja, prezado leitor, o que, por exemplo, diz o Aurelião sobre o genitivo: “S. m. 1. Gram. Caso de declinação de certas línguas, que representa, por via de regra, complemento possessivo, limitativo e algumas vezes circunstancial”. (O grifo só em itálico é de Rumorejando).

Constatação XXII
Deu na mídia: “Para o especialista em questões de segurança, Ib Teixeira, os bandidos estrangeiros estão agindo no Brasil “porque nosso país é tolerante”. Ele criticou decisão da polícia no caso do então seqüestro do empresário Abílio Diniz. O dono do Pão de Açúcar foi pego por canadenses, que acabaram sendo extraditados”. Data venia, como diriam nossos juristas, não se trata só de tolerância, mas sim de facilidade do mercado no que se refere também à impunidade...

Constatação XXIII
De vez em quando e não raro o inverno vem passar o verão em Curitiba. E haja preparo físico do pobre verão para não pegar gripe e resfriado...

Constatação XXIV
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “A presidente Dilma Rousseff completou o primeiro ano de mandato com popularidade recorde, a maior desde a volta das eleições diretas ao país, na década de 1980, informou, dia 22 próximo passado, pesquisa do instituto Datafolha. Um levantamento realizado na última semana indicou que 59 por cento dos brasileiros avaliam sua gestão ótima ou boa, dez pontos percentuais a mais em relação à pesquisa de seis meses atrás, enquanto outros 33 por cento a consideram regular e 6 por cento a definem como péssima. Outros 2 por cento não responderam à pesquisa”. Dara vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que se a faxina tivesse sido maior a popularidade da presidente (a) seria também bem maior.

Constatação XXV (De uma dúvida crucial).
Era a funcionária do correio que só se beijava com o namorado na base do selinho?

Constatação XXVI (Poeminha para ser recitada em festa infantil de mineiro. Não o que trabalha em minas, mas o de Minas Gerais).
Lá em Minas, na Gruta de Maquiné,
Para que o querido Papai Noel possa
Trazer, com o seu tradicional carinho,
Com as sua renas cheias de bossa,
Presentes inclusive para o peixinho
Há que se instalar uma larga chaminé.

Constatação XXVII
Rosi, de Umuarama,
Rosi, poetisa
Que sempre apregoa,
Que sempre preconiza
Que há que se versejar
– Como ela tanto ama –
E que para se estar numa boa,
Para melhor se inspirar
A gente precisa
Também amar.

Constatação XXVIII
Rico cumprimenta afetuosamente; pobre, entre dentes.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I
Usando meia soquete,
A velhinha estava
Jogando basquete ?

Dúvida II
E mesmo com ácido úrico,
O velhinho estava
Jogando bolinha de búrico ?

Dúvida III
De cabeça, resolver um sistema
De 8 equações e 8 incógnitas
Para você não é um problema ?

Dúvida IV
Se vai crase ou não vai
A gente tem que recorrer
Dos burros o pai ?

Dúvida V
Teve uma excelente idéia
Casar na Holanda, fora do
Seu país, a argentina plebéia ?

Dúvida VI
O Fórum Econômico Mundial
Era mais importante que o Fórum
De Porto Alegre, o Social ?

Dúvida VII
Países ricos consultam o léxico
E o atlas para entenderem o que são
Certos países como Brasil e México ?

Dúvida VIII
A jovem foi muito profética
Ao dizer que o Fórum Econômico não
É nada até por questão de aritmética ?

Dúvida IX
Foi a pimenta malagueta
Que fez os convivas
Darem até pirueta ?

Dúvida X
O político, durante o comício,
Disse que, com ele eleito, não
Teremos mais que fazer sacrifício ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Passível de mal-entendido).
-“O senhor é casado?”
-“Sim”.
-“Há quanto tempo?”
-“Cinquenta anos”.
-“Sempre com a mesma?”
-“Sim. Só que agora a convivência, a amizade deteriorou”.
-“Como assim?”
-“Ela não quer mais nada comigo. Ela já deu o que tinha que dar”.
-“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”

Constatação II
Em Curitiba, rico mora no bairro Ecoville ou no Champagnat; pobre, no Mossunguê ou no Bigorrilho.

Constatação III
Rico sonega às autoridades fiscais; pobre só nega às autoridades policiais.

Constatação IV
Ele, no assunto, era calouro
Roubou
Um beijo da namorada
Quase arrancou
O seu único dente de ouro.
Ela pensou:
Um excomungadouro*?
Coitada!
*Excomungadouro =  adjetivo
Estatística: pouco usado.
que merece excomunhão; excomungável (Houaiss).

Constatação V (De razões e proporções matemáticas).
Jogador e/ou técnico de futebol está para a frase “temos que levantar a cabeça”, assim como toda novela está para uma cena de um casal sendo pego, em flagrante, se agarrando.

Constatação VI
Quando o obcecado – nada a ver com outros obcecados já mencionados na coluna – que o rabino Menachem Mendel Morgensztern de Kotzk (Polonia), mais conhecido como o Kotzker Rebbe (1787–1859) falou que “o mais belo discurso é aquele que não se pronuncia”, proclamou, de modo nada rabínico, mas do alto da sua sapiência e experiência: “a pior relação amorosa é aquela que não se realiza”...

Constatação VII
Quando a ricaça ouviu na televisão que o time do Palmeiras pretende aposentar a camisa 12 do goleiro Marcos, que encerrou a sua carreira de goleiro, falou para o marido: “Querido, eu também pretendo aposentar meu guarda-roupa. Afinal, eu já desfilei muito com ele e preciso renová-lo com urgência, para poder continuar a fazer sucesso nas tuas reuniões sociais das quais eu, mesmo contrariada, tenho, por tuas instâncias e insistência, que participar”.

Constatação VIII (De uma dúvida crucial).
Será que já aconteceu em nosso sofrido país tanto ministro alvo de faxina? Ou será que foi por que aumentaram o número de ministérios? Sem dúvida é um mistério. Quem puder desvendar, por favor, informar através do blog para que se possa esclarecer aos nossos prezados e estupefatos leitores. Obrigado.

Constatação IX
Rico dá um mergulho; pobre, se atola.

Constatação X
E como dizia, pseudo haicaimente, aquele nosso já conhecido conquistador barato:
Eu só vejo como solução,
Pra tantas pretendentes, fazer
Condomínio do meu pobre coração.

Constatação XI
Deu na mídia: “Já há falta de camisinhas para o carnaval”. No meu tempo faltava cerveja. Sinal dos tempos...

Constatação XII (Ah, esse nosso vernáculo).
O casto
Senhor Gastão,
Usava
Um castão
Que estava
Gasto.

Constatação XIII
E como dizia o perdulário, que vivia tomando dinheiro emprestado e, sempre, “esquecia” de devolver: “Caixão não tem gaveta e mortalha não tem bolso”.

Constatação XIV
Eu não sei, não
E não é intriga,
Ou que alguém minta,
Mas ele ficou merencório*
Já que a única solução
Por causa da barriga,
Ao invés de cinta,
Ele teve que usar
Um baita suspensório
Bem reforçado,
O que deu o que falar.
Coitado!
*Merencório = Melancólico (Houaiss).

Constatação XV
Ela não se emenda
E só fala com a gente
Na base da reprimenda
Nos deixando pu, digo descontente.

Constatação XVI (De conversa entre obcecados).
-“Você tem namorada?”
-“Tenho. Tenho várias.
-“E você dá conta de todas elas?”
-“Por enquanto não. Não é preciso. Elas ainda não sabem que são minhas namoradas.
-“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”

Constatação XVII
Até parece um engatado disco
Ouvir na mídia sobre o Congresso
Que mais parece um aprisco
Eternamente vazio, inoperante, em recesso
Com uma plêiade de réu não confesso.
Afinal, ninguém faz o papel de fisco.
*Aprisco =  substantivo masculino
1 curral destinado ao abrigo de ovelhas; redil
2 Derivação: por metáfora.
o seio da Igreja (comparando-se os fiéis às ovelhas)
3 Derivação: por extensão de sentido (da acp. 1).
habitação rústica; choupana, cabana
4 Derivação: por extensão de sentido.
local inquietador e misterioso; covil, antro (Houaiss).

Constatação XVIII
Quando mostraram para o rapaz
Quem estava nele interessado:
Uma donzela com um aspecto tão bruto
Que tinha um papo tão palavroso, tão loquaz
Que ele ficou com o cabelo hirsuto
Tal foi o susto, deixando ele todo arrepiado.
Coitado!

Constatação XIX
Deu na mídia, mais precisamente no jornal Gazeta do Povo: “Em janeiro de 2011, região serrana foi palco de uma tragédia que deixou 918 mortos e 8,9 mil desabrigados. Até hoje, novas casas e sistema de prevenção contra chuvas prometidos não foram entregues”. Alguém, ingenuamente ou não, tinha alguma dúvida?

Constatação XX
Também deu no jornal Gazeta do Povo: “Protegido pela base aliada da presidente Dilma Rousseff, o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, negou ontem no Congresso que tenha praticado nepotismo, loteado a pasta e privilegiado aliados políticos na distribuição de dinheiro público. Usou números que eram favoráveis a ele para tentar dar um caráter técnico às suas decisões. Afirmou que fez tudo com o aval de Dilma. Disse que as acusações contra ele são orquestradas para macular a imagem de seu partido, o PSB”. Se alguém, porventura, acreditou nas palavras do ministro, Rumorejando, data vênia, como dizem nossos juristas, acha que é direito de cada um. A coluna se abstém de opinar se alguém quiser outorgar um par de asas de anjo ao distinto. Rumorejando se refere ao acreditador.

Constatação XXI
A mulher transpirava sensualidade
O marido era do tipo recatado
Ela na sua – dela – voluptuosidade
Deixava-o completamente abestalhado.
Coitada! Coitado!

Constatação XXII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão:
1. “Conselho Nacional de Justiça fará auto-investigação de duas aquisições feitas por meio de licitação supostamente ilícitas”.
2. “Dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) mostram que 3.426 servidores e magistrados movimentaram, de forma suspeita, em torno de R$ 855,7 milhões de 2000 a 2010”.
3. “O ministro Marco Aurélio Mello põe em xeque a constitucionalidade da atuação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf)”.
4. Ministra Eliana Calmon, corregedora nacional da Justiça: "Eu estou vendo a serpente nascer, não posso me calar."
5. Rumorejando: Data vênia, como dizem nossos juristas: Cáspite! Vige! Socorro!

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I
É ser muito prudente
Ir ao dentista
Antes da dor de dente ?

Dúvida II
Era o convencido
Que dizia: “Viver longe
De gatas é estar perdido” ?

Dúvida III
Diz a sabedoria do povo
Que ao receber a conta do médico
A gente adoece de novo ?

Dúvida IV
Será que a gente conquista,
Algum dia, um presidente
Que seja um estadista ?

Dúvida V
É muita sensatez
Recusar um convite da gata
Para ir jogar, num motel, xadrez ?

Dúvida VI
O Brasil está para a Copa,
Assim como a crise para 2012
Está para alguns países da Europa ?

Dúvida VII
Abandonar, agora, um país falido
Faz o europeu pensar por que bem
Antes já não havia do seu país saído ?

Dúvida VIII
Será que as duas Coréias
Não poderiam virar entre si
Uma solução como duas tetéias ?

Dúvida IX
Somente graças a novela,
Assistida no sofá da sala, que
Ele pode se encostar* nela ?
*O gato** da vizinha na nossa gata.
** O felino, aquele de quatro patas.

Dúvida X
Ainda está pra “nascê”
Quem me ganhe no truco
Inclusive vosmecê ?

Dúvida XI
Após a caderneta de poupança
O governo vai implementar
A caderneta da abastança ?

Dúvida XII
Honra nacional,
Em certos países,
É retórica banal ?

Dúvida XIII
Instrumento de percussão
É o vizinho estudando bateria
Que te faz perder a audição ?

Dúvida XIV
De viver se perde o gosto
Quanto chega a hora
De pagar o imposto ?

Dúvida XV
Faz você se apavorar,
A proximidade das eleições,
Do que terá que escutar ?

Dúvida XVI
O esporte radical
É algo de circo, transformado
Em coisa banal ?

Dúvida XVII
É desmiolado,
Aquele político
Ou retardado ?

FÁBULA CONFABULADA (INDIGNA DO MESTRE MILLÔR).
Numa província chinesa a beira do rio Amarelo, que com a poluição, ficou marrom, vivia uma família, constituída pelo pai, Reh Vah Leh, pela mãe, Teh Mah Leh, e pela filha Mah Sha Leh. O casal trabalhava a terra que, por não ser muito fértil, exigia grandes esforços do casal. A filha, Mah Sha Leh, cursava o primário numa escola pública, já que na China não existe escola particular. A mãe, Teh Mah Leh, se ocupava também dos afazeres de casa, pedindo sempre para que Mah Sha Leh lhe ajudasse, após o término dos deveres escolares. A menina, sempre alegava que faria o serviço mais tarde, o que não acontecia, ocasionando a feitura pela mãe que achava que não se pode explorar muito os filhos. O pai, Reh Vah Leh, que assistia tudo aquilo, filosoficamente, enunciou para a filha a seguinte frase: Você é adepta do deixe para amanhã o que tua mãe pode fazer hoje, ao contrário do lema: “Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”. Efetivamente, Mah Sha Leh não era lá muito devota pelo trabalho e vivia dando um jeito de não se entregar às fainas do lar. A ela cabia lavar a louça da única refeição feita em casa, à noite, após o jantar. Durante o dia, no campo, o casal comia uma refeição frugal, embora a fome, às vezes, pedisse algo mais substancial. Mas, isso, já é outra história. Mah Sha Leh, a fim de não lavar o lixinho que ficava em cima da pia da cozinha, contendo cascas de frutas e legumes que eram posteriormente despejados num latão maior para virar adubo, já que os chineses costumam evitar o desperdício, ao contrário de certo país do Ocidente, bolou de colocar uma sacola de plástico, dessas que dão no supermercado e que depois não tem muita utilidade. Dessa maneira, a lavagem do lixinho se tornou praticamente desnecessária. Praticamente, porque a sacola de plástico, muitas vezes, deixa passar líquidos, por percolação e outros fenômenos físicos que deixamos de enumerar porque, nesse preciso momento, absolutamente não vem para o caso e em conseqüência é outra história.
Moral: Nem sempre as grandes invenções foram por acaso. A preguiça, conhecida como a mãe de todos os vícios, também pode inspirar inventos.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
Rico é hedonista; pobre, é tarado.

Constatação II
Rico fala com franqueza; pobre, com grosseria.

Constatação III
Deu na mídia: “Com 30 pontos na carteira e há 2 anos sem habilitação, ministro Paulo Bernardo fez curso no Detran”. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade... Dúvida não surpreendente nem necessariamente crucial: Quais devem ter sido as infrações que S. Excia. deve ter feito para atingir os mencionados 30 pontos? Quem souber, por favor, não precisa comunicar ao blog. Se quiser, pode guardar a informação para si mesmo. Obrigado.

Constatação IV
Não se pode confundir dádivas com dívidas, muito embora haja dádivas que têm a má intenção de que, com ela, o sujeito fique, para com o dadivoso, endividado para todo o sempre, per saecula saeculorum, ad eternum e outros epítetos usados pelos latinistas, os metidos a tal ou não necessariamente por eles.

Constatação V
Depois de ter dado um beijo cheio de promessa, ele(a)* fez promessa de não cumprir a promessa anterior e, pasmem, a posterior. Devia ser pessoa com vocação para a política. Vige!
*Não ficou claro qual promessa é que foi dada por ele ou ela. Quem souber se foi ele ou ela e qual promessa foi dada, por favor, informar no blog. Obrigado.

Constatação VI (De algumas comparações esdrúxulas ou parcerias incongruentes).
Hermeto Pascoal x Jader Barbalho
Arcebispo D. Helder Camara x Paulo Salim Maluf
Mahatma Gandhi x Richard Nixon
Madre Tereza de Calcuta x Henry Kissinger
ZildaArns x Georges Bush
Martin Luther King x José Sarney

Constatação VII (De uma dúvida crucial).
Se mudar ministros, em alguns casos, é fazer faxina, impedir a cassação de deputados e senadores comprovadamente corruptos e/ou impedir a implantação de determinadas CPI’s é fazer “desfaxina?” Quem souber a resposta, favor apresentá-la ao blog, mediante cópia de comprovação de endereço recente. Obrigado pela atenção e também por não achar que a coluna está ficando burocratizada.

Constatação VIII
Deu na mídia: “Novo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), desembargador Ivan Ricardo Garisio Sartori, defende dois meses de férias por ano a juízes, que ele e toda sua classe desfrutam. ‘Eu não considero um privilégio’, afirma Sartori, que assumiu o comando da mais importante e influente corte do País, cidadela da resistência ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Sartori não vê privilégio e acredita que período previsto em lei preserva a ‘sanidade mental do juiz’. Data vênia, como diriam nossos juristas, provavelmente, inclusive o desembargador Sartori, mas Rumorejando sugere que S. Excelência veja o filme de Charlie Chaplin Tempos Modernos e se dê conta o que acontece com uma profusão de operários que executam tarefas repetitivas. Talvez S. Excelência passe a defender a extensão da medida para todos os trabalhadores. E ganhando bem menos do que um desembargador, juiz, deputado, senador e assim por diante. Vige!

Constatação IX
Rico exige; pobre pede.

Constatação X (De diálogos entre facultativos).
Disse um médico para o seu colega:
-“A minha mulher está sofrendo de Síndrome da Enciclopédia”.
-“Síndrome da Enciclopédia? Eu já ouvi falar numa série de síndromes, como, por exemplo, Síndrome do Intestino Irritável, Síndrome de Crouzon, Síndrome do Pânico, Síndrome Maníaca, mas da Enciclopédia eu nunca ouvi falar. Quais sãos os sintomas?”
-“Ela acha que sabe tudo. Só isso”.
-“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”

Constatação XI (De uma dúvida absolutamente não crucial, aliás, nem dúvida é. Trata-se, portanto, de uma mera interrogação aos nossos leitores adeptos do nudismo).
Em cinema freqüentado só por nudistas, nos filmes de capa e espada, só aparece a espada?

Constatação XII (De uma dúvida dentre tantas que vivem vicejando em Rumorejando. Como o leitor pode constatar {Rumorejando também está eivado de constatações} o blog, ao contrário dos que se arvoram como donos da verdade, está cheio de indecisões lingüísticas também).
Desempenho pífio é só aquele quando o cara dá uma pifada ou, igualmente, ou, outrossim, ou também, ou idem, idem pode ser usado para desempenhos outros, sim?

Constatação XIII (“Poeminha” para ser recitado para uma cidadã que se mostra insensível, apática, displicente, indiferente, impassível aos nossos sinceros e honestos sentimentos).
Serei sucinto,
Sem digressão:
Por ti sinto
Uma paixão
Inextricável
Indissociável
No coração,
No pulmão
E no narigão
Que é provável
Eu ser merecedor
Digno credor
Do teu inexpugnável
Benquerer,
Do teu apreço,
Do teu amor
E de tua compaixão.
Afinal, eu fiz por merecer.
E tu sabes, sem você, eu pereço!

Constatação XIV (De mais uma dúvida crucial).
Se relembrar é sonhar duas vezes, como se propala por aí, esquecer novamente é ter duplo pesadelo?

Constatação XV (Maria Chuteira?)
Deu na mídia: “Sthefany Brito beija muito na festa de fim de ano”. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!

Constatação XVI (De conversações confidenciais entre senhoras da Segunda Idade e meia, quer dizer quase Terceira Idade).
-“E o teu marido, depois que começou a envelhecer, como tem se comportado?”
-“Ele arrefeceu”.
-“Jóia! Então ele não desapareceu de todo”.
-“De todo não. Mas não tem mais comparecido como deveria”.
-“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”

Constatação XVII (De conversações modestas entre obcecados).
[...] “Aí fiz ingentes esforços”.
“Para convencer a gata para ir ao motel?”
“Não. Ao contrário. Para ela me deixar sair do motel. É chato ser gostoso...”
“É mesmo. Eu é que o diga, quer dizer, eu, você não. Me refiro, também, às gatas”.
“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”

Constatação XVIII
Não é por nada, não, mas assistir um jogo de futebol da Copinha é tomar um porre de chatice. Tenho ‘chateadissimamente’ dito.

Constatação XIX
O choramingas
Fez um muxoxo
Depois de tomar
Umas pingas
E passou a andar
Como se fosse coxo,
Como um idoso alquebrado.
Coitado!

Constatação XX
Foi a clave de sol
Que disse, num arrebol,
Para a semicolcheia
Da partitura não falar
Muito menos vibrar
Com a boca cheia?

Constatação XXI
Quando um economista,
Com muito pouca humildade,
Quer dar uma de artista,
Quer fazer milagre,
Com uma tal de paridade,
Gastando os dólares do FMI,
Que, por sua vez,
Manda as republiquetas
Apertarem os cintos,
Na Ásia, África ou aqui
(E o povo que vá para os quintos).
Ocorrem, então, “panelaços”,
Dos que têm altivez,
Dos que não se julgam palhaços,
Reprimidos, lamentavelmente,
Com tiros e baionetas.
E os políticos, lisos como bagre,
Preocupados com a reeleição
Tentam, nesses e noutros fatos,
Como sempre, tirar proveito da situação,
Sub-repticiamente,
Sem alardes, sem espalhafatos,
Com empulhação,
De quem só mente.

Constatação XXII
Não lembro se já transcrevi esta antológica do também meu guru, o saudoso Mário Quintana. Em todo o caso, aí vai, com a ressalva que é melhor errar por excesso do que por falta: “As religiões cresceram entre os humildes porque aqueles que estavam por cima já se julgavam no paraíso”. Ainda nessa linha de escritores famosos, algo semelhante, mesmo com o risco da repetição retro mencionada: “Se os ricos pudessem contratar alguém para morrer em seu lugar, os pobres teriam uma vida melhor”, do escritor Scholem Rabinovitch, mais conhecido pelo pseudônimo Scholem Aleichem (A paz esteja convosco).

Constatação XXIII (De uma dúvida crucial).
Deu na mídia: “Galpões são implodidos no Rio de Janeiro”. Será que o ‘know-how’* foi fornecido por quem implode os caixas eletrônicos? Quem souber, por favor, informar através do blog. Obrigado.
*Perdão leitores pela expressão em inglês, que este assim chamado escriba sempre costuma evitar. Mas para implodir caixas eletrônicos o conhecimento da operação e do idioma português não é suficiente...

Constatação XXIV
Quem nunca ouviu o Concerto para violino em Mi menor, Op.64 de Felix Mendelssohn, ou o Concerto para violino de Peter Ilich Tchaikovsky, ou, ainda o Concerto duplo para violino e oboé de Johann Sebastian Bach, além das obras de Wolfgang Amadeus Mozart, entre outras, não sabe o que está perdendo. E quem também nunca ouviu um Chorinho, dos nossos autores – Pixinguinha, Valdir Azevedo, apenas para citar pelo menos dois – está perdendo em dobro. Tenho dito!

Constatação XXV
E já que falamos no assunto, Rumorejando toma a liberdade de sugerir aos seus leitores
que não deixem de escutar, mormente quando se sentirem na fossa, ou curtindo uma paixão, ou com necessidade de se sentirem enlevados, ou querendo entrar em alfa e coisas desse jaez, outras poucas mais da preferência deste assim chamado escriba:
Manoel de Falla – Dança Ritual do Fogo
Jean Sibelius – Finlândia
Johann Sebastian Bach – Concerto de Brandeburgo no. 3
Georg Friederich Händel – Música Aquática no. 2
Antonio Vivaldi – Quatro Estações
Wolfgang Amadeus Mozart - Serenata no. 13
Joseph Haydn – Sinfonia no. 94 Surpresa
Ludwig van Beethoven – Sinfonia no. 9
Frederic François Chopin – Polonaise Heróica
Petr Ilyich Tchaikovsky – Concerto para piano e orquestra no. 1
Maurice Ravel – Bolero
Aram Khatchaturian – Dança do Sabre
Dmitri Shostakovich – Valsa no. 2 da Suite de Jazz no. 2
Heitor Vill-Lobos – Trenzinho Caipira (Bachianas).
Nikolai Rimsky Korsakof – O vôo do besouro.

Constatação XXVI
Também deu na mídia: “Toda brasileira que usar silicone será cadastrada e rastreada e por médicos”. Ainda que Rumorejando não consiga acreditar que em nosso país, onde o ex-presidente da República, a semelhança do seu Ministro da Saúde, teve o desplante de afirmar que o problema da Saúde no Brasil estava resolvido, tal efetivamente venha a ocorrer, espera que o que os políticos, ministros, governantes dos estados, deputados, senadores, vereadores etc. fazem, também, seja rastreado...

Constatação XXVII
Ao constatar,
Ao se deparar
No jornal,
O que tem de chuncho,
De armação,
De conchavo
– Naquele dia,
O oitavo,
Contou –,
Magoado,
Chateado,
Aporrinhado,
Matutou,
“Que caruncho!
Continua tudo igual
Na nossa pobre nação.
Parece até pandemia”.
Coitado!

Constatação XXVIII
Rico cientifica; pobre, esconde.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I(De uma dúvida crucial).
Será que a tão propalada democracia é o que os representantes dos 3 Poderes da República estão fazendo em nosso país? Quem souber o que é ou o que não é, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação II (De outra dúvida crucial).
Os políticos fdp (pleonasmo?) não se importam com a sua – deles – re...put...ação?

Constatação III (Quadrinha para ser recitada por uma donzela, preferencialmente somente na presença masculina. Donzela?).
No verão baixava nela uma lascívia, uma languidez
E, por outro lado*, subia a libido, não rara, de uma só vez
Bendita libido. Bendita excitação. Bendito calor.
“Só me falta agora quem me apague esse ardor”.
*Qual lado? Quem souber, etc.

Constatação IV
Não só fez um único comentário que o teto estava cheio de teias de aranha como parecia uma boneca inflável. Vige!

Constatação V (Ah, esse nosso vernáculo).
Foi o quarteto de cordas, na quarta, que foi para o quarto ensaiar o quarto movimento das Quatro estações, de Vivaldi, cuja partitura estava escrita no quadro?

Constatação VI (De uma dúvida crucial).
O ministro que proporciona recursos pecuniários para uma ONG fantasma, será que ele está querendo que ela passe de uma escala fantasma para ectoplasma?

Constatação VII
Rico cultua a amizade; pobre, inimigos.

Constatação VIII
E como dizia aquele obcecado, antigo militante no udenismo*: “O preço da licenciosidade é a eterna protuberância (na reentrância)”.
*Udenismo =  substantivo masculino
Rubrica: política. Regionalismo: Brasil.
1 programa de ação política da União Democrática Nacional (U.D.N.), partido extinto em 1965
2 filiação a esse partido ou simpatia por ele demonstrada (Houaiss).

Constatação IX (De um pseudo-soneto, sem título).

Gostaria de viver para sempre, eternamente
Porque jazendo, repousando num ataúde
Eu iria me sentir abandonado, ermo, na solitude
E muito menos palrador, loquaz, grandiloqüente.

Com toda certeza e sem dúvida haverá no meu túmulo
Uma batota, um logro, um embuste, uma mentira
Que eu, em tempo algum, nunca, jamais adquirira.
Que se vivo eu fosse acharia o fim da picada, o cúmulo.

Nos epitáfios, na lousa, comumente, ou uma ou outra vez,
Se enaltece o caráter, a personalidade do infeliz (ou feliz?)
Mesmo que ele só tenha cometido desdouro, desfaçatez.

Esse mau costume, essa hipocrisia, essa falsidade, essa dissimulação,
Com a minha maneira de ser, com meu modo de agir não condiz
Pois é melhor evitar a impudência* e acabar passando por fanfarrão.

*Impudência =  substantivo feminino
1 caráter ou qualidade de impudente
2 falta de pudor; descaramento, impudor
Ex.: no carnaval, pessoas quase nuas desfilam sua i. na avenida
3 falta de moral; cinismo, desfaçatez, impudor (Houaiss).

Constatação X (De uma quadrinha metida à besta).
Curitiba by night
Em época de Natal
Está eivada de light
Como a aurora boreal.

Constatação XI
Se o maestro Antonio Carlos Gomes ressuscitasse e ouvisse que seu O Guarani é tocado para abrir e fechar a Hora do Brasil e escutasse o que é falado, o que foi feito (e, principalmente, o que não foi), é quase certo que ele morreria desgostoso novamente, como na primeira vez...

Constatação XII
Rico é ególatra*; pobre procura se salvar.
*Ególatra =  substantivo de dois gêneros
pessoa que cultua o próprio eu, que pratica a egolatria**
** Egolatria =  substantivo feminino
amor exagerado pelo próprio eu; culto de si mesmo; egotismo (Houaiss).

PREVISÕES PARA O ANO DE 2012.

Em fins de 2001, quando os escritos de Rumorejando saíam no jornal O Estado do Paraná, onde este assim chamado escriba colaborou dominicalmente durante aproximadamente 15 anos, publiquei as previsões para 2002. Depois, até 2008, quando o jornal dispensou, sem maiores ou menores delongas e agradecimentos a sua – minha – gratuita participação, tratei de repetir o que já havia publicado, a fim de chamar a atenção dos leitores como as previsões se repetem. Lamentavelmente, diga-se de passagem, e a bem da afirmação de que a Humanidade é insolúvel, pois quando os matemáticos e cientistas tentaram equacioná-la chegaram à conclusão que b ao quadrado menos 4ac era menor do que zero o que tornava a raiz negativa, portanto sem solução (Elementar, minha gente!). Aí vai, em seguida, a transcrição de 2001. Os prezados leitores tirem as suas conclusões:
Rumorejando, ao contrário de alguns futurólogos, em boa parte picaretas (quem não se lembra de Herman Kahn que, na época da ditadura, previu determinada situação para o Brasil que desagradou os governantes de plantão e o instaram para que alguns de seus índices econômicos apresentados – ruins, é claro – fossem mudados no que, pasmem, foram atendidos), apresenta suas previsões para 2002 *, solicitando ao leitor que no final desse ano confira o nosso percentual de acerto que, desde já, afirmamos, sem falsa modéstia, que será de 100%. Vamos às previsões, pois:
1. A televisão brasileira continuará, inexoravelmente, a baixar o seu padrão cultural, se é que ainda isso é possível;
2. Algum “pai da pátria”, ao ser flagrado em algum deslize grave, alegará que tudo não passa de maquinações de seus adversários políticos e/ou que estão querendo desestabilizar o regime democrático tão penosamente alcançado;
3. Latifundiários, com mais áreas de terras do que vários países juntos continuarão afirmando que o MST é baderneiro;
4. Um jogador e/ou técnico de futebol, ao ser entrevistado, após a derrota do seu time, dirá que “vamos corrigir os erros, levantar a cabeça e procurar melhorar para os próximos jogos”.
5. Os governantes continuarão a utilizar a máxima, ou melhor, a mínima de “aos amigos: tudo; aos indiferentes: a lei; aos inimigos: bulhufas”.
6. Ocorrerão terremotos, secas e inundações em algumas partes do mundo;
7. O Brasil continuará se entregando à tutela do capital estrangeiro não mais sob a denominação pejorativa de entreguismo, mas de globalização;
8. Em certos países, serão implementadas diversas CPI’s, sendo que, algumas, fatalmente terminarão em pizza. Outras serão desmanteladas pelo governo sob a alegação, dentre outras também estapafúrdias, de que o fato acarretará desgaste junto aos credores externos e aos pretensos investidores;
9. Um figura proeminente morrerá alhures; uma figura proeminente nascerá alhures e, lá pelo ano de 2050, ocupará cargos relevantes em seu país ou também alhures.
10. Novos desvios de recursos serão descobertos nos diversos Poderes da República, tanto no âmbito federal, como Estadual e Municipal;
11. Fundamentalistas de várias religiões pregarão que só a deles que é válida e de que há de se acabar com as demais;
12. Nos Estados Unidos da América alguém se porá a atirar em transeuntes, alunos de escolas, trabalhadores, etc.;
13. Ocorrerão queimas de arquivos, tanto sob a ótica de documentos como de pessoas;
14. Na capital do estado de São Paulo o número de crimes no fim de semana continuará aumentando. Nas demais cidades do Brasil, também;
15. No Brasil as leis permanecerão divididas entre as que pegam e as que não;
16. A dívida brasileira, tanto interna como externa, continuará aumentando e sendo total e parcialmente impagável.
17. Bombas explodirão em vários países. O Ira e a Eta serão responsabilizados.
18. Os fazendeiros que mantém pessoas em regime de trabalho escravo, no Brasil, continuarão impunes por falta de provas. Também, pela mesma razão, os mandantes de assassinatos de líderes sindicais.
19. Sinagogas e cemitérios judaicos aparecerão, em vários países, com suásticas.
20. Israelenses e palestinos continuarão no esquema da vingança da vingança, da vingança...
21. India e Paquistão serão a bola da vez para um confrontozinho já que não se pode quebrar a corrente de que exista paz no mundo, nem que seja por um segundo.
22. Objetos não identificados serão vistos no céu e não deixará de haver afirmações oficiais dizendo que se trata de ilusão de ótica coletiva e coisas desse jaez.
23. A privatização continuará, trazendo em seu nojo, digo bojo, piora nos serviços e mais desemprego.
24. Este assim chamado escriba continuará, inutilmente, procurando alguém que lhe ganhe no jogo de truco.
25. O time do Paraná, que é o da preferência deste anteriormente denominado escriba, a fim de não esperar como o Atlético 16 anos, após o Coritiba, para ser o vencedor do Campeonato Nacional, fará ingentes esforços para conseguir o mesmo intento sob a alegação de que se eles podem, nós também podemos e, patrioticamente, devemos.
26. A revista Playboy convidará uma atriz famosa para posar nua na revista.
27. Os novos computadores tornarão os do ano anterior obsoletos.
28. As eleições trarão muitas surpresas, como por exemplo, candidatos prometendo aquilo que todos estão carecas de saber que não irão cumprir.
29. A recessão mundial trará dissensões familiares. Lamentavelmente.
30. Os atores brasileiros continuarão a dar show de interpretação como já vêm fazendo no teatro, cinema e na televisão.
31. Os motéis continuarão faturando alto, já que ninguém é de ferro.
32. Os juros continuarão altos, conseqüentemente os bancos continuarão a ter grandes lucros. Também por não colocarem mais caixas, a fim de aumentar ainda mais os lucros, bem como a fila, composta de pessoas jovens e idosas.
33. Algum político, usando da sua indefectível retórica e empulhação, dirá que já somos um país do 1o Mundo.
34. A lavagem de dinheiro deverá receber inovações de ordem tecnológica.
35. As companhias de aviação terão enormes prejuízos.
36. A Petrobrás pretenderá diminuir os acidentes com vazamentos de óleo. Rumorejando estima em 10% a diminuição em relação ao ano de 2001.
37. O Apagão ensejará aumento da população.
38. O salário mínimo de R$200,00** será considerado pelo governo como um salarião. Os desafios para que os ditos governantes experimentem viver com tal salário serão elegantemente e educadamente recusados.
39. O seqüestro dará a impressão que foi institucionalizado.
40. Ao invés de um bonde, como era comum no tempo desse transporte coletivo, alguém comprará um terreno na lua.
* Apenas algumas por falta de espaço.
** Em 2012 R$622,00 (Grande eme. O grifo é de Rumorejando).
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br