quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, POR FALTA DE MAIORES.

Constatação I (De uma dúvida crucial).
Um chato quando
Se põe a refletir
Ele está se chateando
Sem sentir ?

Constatação II
Não se pode confundir saudar com saldar, muito embora, foneticamente as duas palavras soem quase da mesma maneira. Agora, quando a gente consegue saldar os nossos débitos – principalmente os referentes aos elevadíssimos do governo – tem que saudar a si mesmo, pelo obstáculo da vida ultrapassado, na maioria das vezes, com tropeços e percalços...

Constatação III
A nuvem preta,
Assaz
Careta,
Que o vento
Leva e traz,
Sempre fez
E faz
O curitibano
E a curitibana,
A todo o momento,
Todo ano,
Todo mês,
Toda semana,
Todo dia
Respirar
Com dificuldade
Até arfar,
Esperando,
Ansiando
Por uma chuva
Que caberia,
Como uma luva.

Constatação IV
Pobre, desconhece a lei; rico, faz a sua própria.

Constatação V
O cara sortudo
Ficou
Com tudo:
Casou
Com o mulherão
E a sogra deixou
Morando no Afeganistão.

Constatação VI
Do jeito que as coisas andam, logo, logo será criada a ADPV - Associação de Defesa dos Políticos Vaiados. Ainda bem. Não a criação da Associação, mas o fato de ficarem sabendo que não estão agradando, muito embora com o salarião que ganham estão solenemente às tintas às manifestações de desagravo. E viva “nóis”!

Constatação VII
A Semana da Arte Moderna,
Na época, foi considerada
Muito avançada,
Bem mais
Que hodierna
Como jamais.

Constatação VIII
A televisão mostrou esses tempos, um cidadão que vive com dois corações. Indubitavelmente, por razões óbvias, não era um banqueiro...

Constatação IX
Rico chora copiosamente; pobre, abre os tarros.

Constatação X (De um axioma*).
O político que tem a mente suja obviamente não terá a Ficha Limpa. O que, por ora, não vem ao caso. Basta ver quantos vêm se candidatando e, pior, se elegendo. Vige! Parece que o Pelé, que foi muito criticado quando proferiu que “brasileiro não sabe votar”, tinha e ainda tem razão...
*Axioma =  substantivo masculino
1 Rubrica: filosofia.
premissa considerada necessariamente evidente e verdadeira, fundamento de uma demonstração, porém ela mesma indemonstrável, originada, segundo a tradição racionalista, de princípios inatos da consciência ou, segundo os empiristas, de generalizações da observação empírica [O princípio aristotélico da contradição ("nada pode ser e não ser simultaneamente") foi considerado desde a Antiguidade um axioma fundamental da filosofia.]
2 Derivação: por extensão de sentido.
máxima, provérbio, sentença
3 Rubrica: gramática generativa.
símbolo de partida das regras sintagmáticas
Obs.: cf. frase
4 Rubrica: gramática generativa.
num sistema ou teoria lingüística, fórmula que se presume correta, embora não suscetível de demonstração (Houaiss).

Constatação XI
Deu no Estadão: “Mary Kantorowski, uma aposentada de 98 anos que mora em Fairfield, no Estado americano de Connecticut, enfrenta um processo de despejo aberto pelo próprio filho. Peter Kantorowski, de 71 anos, exige que a mãe deixe a casa para vender o imóvel”. Vige!

Constatação XII
Depois que ela repetiu até a exaustão
Que ele, o juiz, não a amava mais
Aí, ele perguntou: “Além dessa sua peroração
O que você tem feito de bom?”
Daí, ela se pôs a derramar lágrimas em profusão
Que ele considerou até demais,
Também, de inconstitucional e exagerada.
Coitada!

Constatação XIII (Via pseudo-haicai).
Vivia tão silente
Que até parecia estar
Sempre ausente.

Constatação XIV
Se sentiu
Perdido
Quando o argentário,
O banqueiro
Milionário,
Evidentemente,
Desalmado
Muito matreiro,
Proferiu
A sentença:
“Não é desavença,
Mas, para mim,
A solução
Para sua queixa,
Para o seu pedido,
De novo prorrogado
Que, efetivamente,
Me deixa
Compungido,
É nem sim
Nem não,
Antes pelo contrário”.
Coitado!

Constatação XV
Rico é bom de copo; pobre é pau d’água.

Constatação XVI (Ah, esse nosso vernáculo).
Ela revela que, com desvelo, ela vela para que a vela ilumine a sovela.

Constatação XVII
Não se pode confundir xumbergar que quer dizer ingerir bebidas alcoólicas, embriagar-se, embebedar-se com xumbregar que quer dizer, entre outro, bolinar, até porque quem se põe a xumbergar corre o risco de querer xumbregar a namorada do amigo, a mulher do patrão, a vizinha solteira, o padre que usa batina e assim por diante. A recíproca, absolutamente, não é verdadeira, salvo nos casos em que o sujeito fica embriagado de amor...

Constatação XVIII
À noite, já de madrugada,
A coruja fez um muxoxo
Com a reles cantada
Do seu namorado,
O atencioso mocho.
Coitada!
Coitado!

Constatação XIX
Se você, como país, for rico, bonito e forte você poderá taxar a entrada de qualquer produto importado, tornando a exportação, dos outros, inviável. Se você, como país, for pobre, feio e fraco e quiser taxar a entrada de qualquer produto importado, o país rico, bonito e forte te denunciará junto a OMC – Organização Mundial do Comércio. Então veja lá, hein, como você importa, exporta e se comporta...

Constatação XX
Não fomos nós que vimos,
Os números primos,
Qual uma máfia,
Andando por aí,
A esmo
Com dignidade,
Até mesmo
Com afetação,
Com empáfia,
Só porque são
Divisíveis por si
E pela unidade.

Constatação XXI
Faz dez anos que morreu o escritor gaúcho Barbosa Lessa. Pena! Dos seus 61 livros escritos, peças de teatro, ensaios, músicas e textos jornalísticos, extraio – como velho tomador de chimarrão que sempre reclamou da quantidade de pó que colocam nos pacotes – o texto que figura em seu livro História do chimarrão, citando o poeta Eugênio Severo:
“Quanto aos furos de uma bomba –
calibre não muito estreito;
do contrário, se o sujeito
se prende louco a chupar,
quando menos se dá conta,
de tanto que chupa e chupa,
o pobre diabo, num upa,
pode do avesso virar!”

Constatação XXII
Não sei se sou convincente,
Porém, absolutamente,
Não é em Sepetiba,
Terra de mulher sorridente,
Ou em Mangaratiba,
Cidade muito atraente,
Ou, ainda, em Juquitiba,
De gente muito persistente,
Mas, sim, é, em Curitiba”,
Apenas e tão somente,
Que se pronuncia “lei-te quen-te”.

Constatação XXIII
Uma das muitas gentilezas que este assim chamado escriba recebeu em sua vida deixou-o chateado. Explica-se: Foi quando duas meninas de uma escola primária se prontificaram a dar o seu – delas – lugar no ônibus...

Constatação XXIV (De diálogos conjugais).
A gorducha, toda esbaforida, deu a notícia drástica
Pro marido, deputado, que vivia numa pose eclesiástica:
“Querido, tomei uma resolução bombástica.
Veja, resolvi começar a fazer ginástica
Para ficar bem mais ágil, mais elástica
E vou fazer, no bumbum, uma plástica”.
O infeliz que estava com dívidas até o pescoço atolado
Sentiu uma ziguizira, um mal-estar e ficou assaz assustado.
“Vai ter que ser pelo SUS porque eu estou quebrado.
Toda a noite, eu sonho que tenho um credor ao meu lado
Que está me ameaçando que eu tenha título protestado
E fique com o meu crédito, na praça, abalado,
Além de eu vir a ser mais um de tantos seprocado”.
Ela ao escutar todas essas dissertações alarmantes
Ficou com as pernas bamboleantes
“Não se preocupe vou vender meus anéis de brilhantes
Porque não dá mais sair na rua com tantos habitantes
Entre toda essa gentarada, há trilhões de assaltantes
Que além de assaltar, flagelam, matam, são aterrorizantes
E pior, sem que ninguém tome atitudes erradicantes”.
“Pois é!
É preciso ter fé
Vamos comer um filé
E tomar um café
E vamos num arrasta-pé
Depois te faço um cafuné”.
“Pára com isso! A propósito, para onde vai todo o teu alto salário?”
“Vai para um fim comunitário. Você sabe que para os pobres eu sou perdulário”.
“É, sei. E você já terminou de pagar o apartamento pra tua amante?
“E eu sou lá de sustentar quem quer que seja. Aliás, não sou rico o bastante.
“De fato!
Nesse ponto você, um grande fdp, sempre viveu como num celibato!”

Constatação XXV
Ela achou
O colega
De trabalho
Uma bodega,*
Quando ele pifou
Depois do malho.
E a linda ilusão
Tão bem elaborada,
Por ambos ansiada,
Se esfumou.
Se esboroou
Com a má atuação
Do azarado.
Coitada!
Coitado!
* Bodega = “Bras. Gír. Coisa insignificante, reles ou imprestável”.

Constatação XXVI
A partir do seu centenário
Ele passou a viver
Como um perdulário
Só pensando em comer*.
*Via oral, é claro.

Constatação XXVII
Dos quatro cachorros que este assim chamado escriba tem em sua casa, uma cachorra quando me vê chegar em casa se põe a chorar. Até hoje não consegui descobrir se de alegria ou tristeza.

Constatação XXVIII
O repertório
De realizações
Do político
Estava eivado
De senões:
Apresentado
De modo sintático
E também analítico
Era totalmente
Contraditório,
Além de completamente
Estático,
Tão somente.
Até aí, nada de novo.
Coitado!...
...Do povo.

Constatação XXIX
Pelo menos, mais u’a* mão
Ele queria ter
Na hora do bem-bom
Para ela não arrefecer.
*Era um desejo tão antigo que até se escrevia da maneira apresentada.

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS

Dúvida I (Meio eufemística).
A soma do quadrado
Dos catetos que é igual
Ao quadrado do cateto alongado ?

Dúvida II (Meio confusa).
Ou é o quadrado da hipotenusa
Que é igual à soma do quadrado
Da semicolcheia com a semifusa ?

Dúvida III
Quem não tem padrinho forte
Morre pagão, ficando lívido
Ou roxo com a morte ?

Dúvida IV
O português, falado em Portugal,
Não te dá a impressão
Que eles engolem a vogal ?

Dúvida V
Dos bancos, o lucro obsceno
Não te dá, também, vontade
De tomar Sal de Fruta Eno ?

Dúvida VI
Foi o solitário
Que até da própria sombra
Ficou temerário ?

Dúvida VII
Foi o beija-flor
Que declarou à companheira
Todo o seu amor* ?
*Desculpe, prezado leitor, mas a rima não foi exatamente de flor com amor.

Dúvida VIII
O que ? Aristotélico
Ela confundiu
Com mefistofélico ?

Dúvida IX
Só por causa de uma mixaria
De alguns milhões do mensalão
É preciso fazer tanta gritaria ?

Dúvida X
Entre o PFL e o PSDB,
O divórcio foi somente
Para enganar você ?

Dúvida XI
Desperta uma baita cobiça
No coração dos homens em ver
Tanta mulher desnuda que atiça ?

Dúvida XII
O reinado do soberano,
Déspota dito esclarecido,
Era só desengano ?

Dúvida XIII
Venha tomar banho. Você ta todo sujo,
Foi o que disse a caramuja
Pro seu marido, o senhor caramujo?

Dúvida XIV
Quando alguém de um governo brada
Que sofreu do seu superior assédio sexual
Esse alguém acha que foi uma cafajestada?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “TJ-SP decide manter pagamentos milionários para desembargadores”. Data vênia, como também os desembargadores costumam dizer, mas alguém tinha alguma dúvida? Vige!

Constatação II
Rico é solene; pobre, é baderneiro.

Constatação III (Ah, esse nosso vernáculo).
Foi a faniqueira* Fani que teve um faniquito?
*Faniqueira =  adjetivo
que vive em busca de fanicos*** ou pequenos ganhos (Houaiss).
**Faniquito =  substantivo masculino
Uso: informal.
pequeno fanico; chilique, fricote (Houaiss).
***Fanicos =  substantivo masculino
1 pequena porção, migalha
2 pequeno ganho ou lucro
3 destino incerto, vida que se leva ao acaso (Houaiss).

Constatação IV
A mulher quando lia um texto e não entendia; o marido lia um texto e também não entendia. Pelo menos neste contexto eles se entendiam. Nos demais também não. Coitados!

Constatação V
Deu um branco na hora de falar da afro-descendente Valdirene?

Constatação VI
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Oito meses depois de ser preso, o desembargador Hélcio Valentim de Andrade Filho, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por vender habeas corpus para traficantes”. Vige! Socorro!

Constatação VII
Depois das festas de Natal e Ano Novo, aí dizem que o Brasil só começa a funcionar depois do carnaval. Data vênia, como diriam os nossos juristas, mas Rumorejando acha, pelo que mostraram os novos governos estaduais e o federal, em 2011, quando tomaram posse, seja antes ou depois do carnaval daquele ano, até agora ainda não disseram para que vieram. Tenho dito. Vige!

Constatação VIII (Desespero).
Sempre a tratei com blandície,
Meu amor era profundo, nada de superfície
Extenso como um campo plano, como uma planície.
No entanto, fui correspondido com estultície
De um modo que descambou para a imundície.
Arranquei meus cabelos. Fiquei com uma baita calvície.

Constatação IX (De diálogos recorrentes).
-“Você sempre está com as mesmas roupas. Você nunca renova teu guarda-roupa?
-”Tendo em vista que a moda vai e volta e como eu ando sempre dessa mesma maneira, que você parece estar criticando, tenho a chance de algumas vezes estar na moda”.
-“Ah bom, quer dizer ah ruim, quer dizer...”

Constatação X
E como ponderava, em tom solene, o convencido obcecado idoso: “Ereção é uma missão altruísta, cívica, patriótica não só pelo desiderato alcançado, seja naturalmente e/ou com o auxílio do uso dos produtos químicos, mesmo correndo os riscos dos efeitos colaterais, com risco da própria morte (o que não impede que ela, a morte, seja gloriosa...), como também pelos benefícios proporcionados e em alguns casos até caritativos e benfeitores.

Constatação XI
A impunidade está tão arraigada em certos países que quem tira a vida de outrem ou por método direto através do assassinato (de quem reage a um assalto, nem falar) ou por método, digamos, indireto através do desvio de recursos públicos que quem as pratica, provavelmente, está se considerando um deus que tudo pode. Vige!

Constatação XII (E já que falamos em impunidade...)
O deputado e o prefeito prepararam uma chicana*
E se encheram de dinheiro público desonestamente
Os dois viviam em excelentes hotéis e restaurantes,
Além de cassinos onde deixavam grande parte da grana.
Aos eleitores que haviam votado neles uma baita banana
Coisa que não foram os primeiros nem os últimos tão somente
Afinal, já havia outras pessoas gradas que fizeram tudo isso antes.
*Chicana = “Derivação: por extensão de sentido.
Manobra capciosa; trapaça, tramóia (Houaiss).

Constatação XIII
Ele sentiu
No coração
Um vazio
Quando teve a explanação
De que a ex-namorada
Tinha feito com um trio
Uma ménage a trois num catre.
Aí sobreveio uma depressão,
Profunda, intensa, danada
E, transfigurado,
Ele corrigiu:
“Então foi uma ménage a quatre”.
Coitado!

Constatação XIV (De conselhos úteis).
Se você pretende ter um dinheirinho em casa, uma importância reles de, por exemplo,
R$1.340 milhões, ou em torno disso, procure fazê-lo em notas de R$100,00, já que o volume será bem menor, consequentemente, mais fácil de contar, guardar, carregar, não impressionar, não chamar tanto a atenção, etc. De nada!

Constatação XV
Deu no Estadão: “Um estudo da Universidade Rovira i Virgili de Tarragona (URV) e publicado pela revista "Nature Chemical Biology" encontrou uma molécula-chave para detectar e tratar a dor crônica, como informou o centro acadêmico do nordeste da Espanha”. A notícia não fala nada com relação à dor de cotovelo, tampouco sobre as músicas de autoria de Lupicínio Rodrigues. Pena...

Constatação XVI
Não se pode confundir aprazada com atrasada, até porque se você marca uma determinada hora com uma gata, ela não vai jamais te perdoar se você não chegar na hora aprazada, mormente se ela for do tipo que nunca chega atrasada para os seus – dela – encontros, acrescido do fato se ela for neurótica com relação à hora.

Constatação XVII
Dante Mendonça, segundo o site do jornal O Estado do Paraná é “cronista e cartunista, membro da Academia Paranaense de Letras, na selva da cidade é um caçador de histórias. Diariamente relata e comenta a notícia e o que não é notícia, o que faz e o que diz com espírito a nossa gente”. Toda a semana, Dante publica uma entrevista cujo título é: Porque hoje é sábado. Solicitado por este trentino (De Nova Trento – Santa Catarina), naturalizado curitibano de muitos anos, Rumorejando respondeu a entrevista com perguntas já consagradas. Segue abaixo a entrevista que também foi publicada no jornal Tribuna do Paraná no dia 11 de fevereiro próximo passado:

Porque hoje é sábado
Outra profissão, o que seria: Jamais banqueiro.
Dando a semana por finda, um fim de semana como deve ser: Tentar redigir a coluna Rumorejando.
Serra abaixo ou serra acima: Serra abaixo pela Estrada da Graciosa com parada na Vista Lacerda.
A mais bonita paisagem do Paraná: Um pôr de sol em Guarapuava.
A mais bonita paisagem de Curitiba: A cidade iluminada na época de Natal.
Uma rua da cidade: Qualquer uma onde as copas das árvores da calçada se juntam.
Um sábado de chuva: Fazer companhia aos meus cachorros.
Um domingo de sol: Também.
O que não dispensa no inverno: Um chimarrão, lençol elétrico e um bom agasalho.
O que não dispensa em qualquer estação do ano: Idem, idem.
Um lugar para iniciar o fim de semana: A Feira de produtos orgânicos, sábado de manhã no Passeio Público.
O que estraga o fim de semana: Constatar que durante a semana o noticiário só comentou crime e corrupção.
O acepipe de boteco: Não se faz necessário. Nunca me falta apetite.
O jantar no sábado: O que sobrou do almoço.
O almoço de domingo: Um empadão com verduras e legumes feito em casa.
O restaurante de estimação: Vários, desde que sejam vegetarianos ou de massas.
A receita de estimação: Pizza com apenas mozarela e orégano.
Nenhum, pouco ou bastante alho: Nenhum, dependendo da companhia.
Uma sobremesa: Torta de requeijão.
Um copo para o espírito: Vinho no inverno, também por questões terapêuticas.
Metade cheio, metade vazio: Se for a alma, sempre cheio.
O que é muito bom fazer sozinho: Origami.
Uma música para ouvir hoje: "Concerto para Violino em Mi menor", de Felix Mendelssohn.
Um livro na estante: "O coronel e o lobisomem", de José Cândido de Carvalho.
Um livro na cabeceira: "Poesía com os jovens", do uruguaio Mario Benedetti.
Um filme de ontem: "O piano", da neozelandesa Jane Champion.
Um filme de hoje: (e de sempre) "E La Nave va", de Federico Fellini.
Um personagem curitibano de ontem: Roberto Muggiati.
Um personagem de hoje: O co-roteirista do Sylvio Back, Oscar Milton Volpini.
Um retrato na parede: Os das minhas filhas e netos (Como toda a classe média, naturalmente alguns vivendo no exterior).
Saudades de um sábado qualquer: O bom astral que sentia quando entrava na redação do jornal "O Estado do Paraná" para constatar se a minha colaboração e a da minha mulher iriam sair no dia seguinte, domingo.
Uma viagem: Voltar a percorrer as belezas do Paraná.
Noite de domingo, o que lhe parece: Traumática desde a infância, porque eu não gostava de enfrentar um professor de idish.
Há a perspectiva de segunda-feira, o que lhe assusta embaixo da cama: perder o chinelo.
Um passarinho (sonho) na mão: Ver a vil especulação financeira ser taxada e o produto dessa taxação sendo aplicado para acabar com a fome no mundo.
Outro voando: As reuniões dos G7, G20 da vida não levando a nada. Apenas, um desfile de empulhações.

DÚVIDAS CRUCIAIS.

Dúvida I
Ele teve um “insight”,
Quando foi chamado de
Picolé de chuchu “light” ?

Dúvida II
Não pagar um blefe,
No jogo de truco,
Dói como um tabefe ?

Dúvida III
Já se tornou banal,
O nosso empobrecimento
Não tão lento, nem tão gradual ?

Dúvida IV
O imposto disfarçado, CPMF,
Que querem retornar.
Você ainda o acha mequetrefe ?

Dúvida V
O político, o falcatrueiro
A gente deveria reconhecer
Até pelo cheiro ?

Dúvida VI
O obcecado só enxergava
As partes pudendas do nu
Artístico que o lençol tapava ?

Dúvida VII
Será que existe
Um réquiem
Que não seja triste ?

Dúvida VIII
A quem se ama,
É mais fácil tirar da,
Ou levar para a cama ?

Dúvida IX (Perdão, leitores).
Não importa
Se é em dólar ou euro
A herança da tia morta ?

Dúvida X
A Alca será prejudicada
Com essa taxação do aço
Que equivale a uma bofetada ?

Dúvida XI
Segundo o agrimensor,
Está em desalinho
A linha do Equador ?

Dúvida XII
Foi a falta de testosterona,
Dele, que deixou ela
Totalmente chorona ?

Dúvida XIII
Ao invés de um cafuné,
Foi no fim da espinha que ele
Levou, dela, um pontapé ?

Dúvida XIV
Tão grande foi o rebuliço
Que o (a) candidato (a)
Tomou chá de sumiço ?

Dúvida XV
Afinal, dar, na sogra, um malho*
É um ato normal
Ou um ato falho ?
*Não foi possível averiguar se o malho foi para o bem ou para o mal, pois quando se trata de sogra não se tem certeza o que é bem ou mal. Se algum prezado leitor souber a resposta, para tal trincada questão, por favor, etc. Obrigado.

Dúvida XVI (Cruz credo!)
A subchefia,
À semelhança dos deputados suplentes,
Se pergunta por que o avião dos titulares nunca caía?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
Cantou, bem afinado,
O amarelo canário,
Pra canária, acompanhado
Dum raro
E caro
Estradivário ?

Constatação II
E como argumentava para os amigos o obcecado idoso:
-“Se correr o bicho pega; se ficar o bicho não come”.
-“Como assim?”
-“Eu tenho que tomar remédio porque tenho pressão alta (rico tem hipertensão arterial; pobre, pressão alta). Se eu não tomar viagra o bicho não come; se eu tomar, a pressão baixa e o bicho pega, porque também não come. Como dizia o meu falecido pai: Onde está jazendo o doente, sempre ele estará numa pior”.
-“Puxa vida!
-“Puxa vida de abstinência! Coitado de mim!

Constatação III
Rico é carrancudo; pobre faz careta.

Constatação IV (Os caras estão exagerando na apelação. Vige!).
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Nicole Bahls é diagnosticada com infecção nas partes íntimas”. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade...

Constatação V
Não se pode confundir “quem que tem” com “que que tem?”, muito embora nos 3 Poderes da República “quem que tem” é quem anda botando a mão no jarro e o “que que tem?” é o que esse alguém, que anda botando a mão no jarro, está se perguntando a si e aos seus na maior cara de pau, achando que está no seu direito, portanto na sua suposta e incontestável inocência. Vige!

Constatação VI
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Ao assumir o ministério, Aguinaldo Ribeiro solicitou verbas do ministério de Cidades para o município de Pilar (PB)”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o S. Excia. começou bem, imitando os demais, já que o município de Pilar é comandado pela senhora sua – dele – mãe. Vige!

Constatação VII
Se o que está acontecendo nos 3 Poderes da República faz parte da assim chamada democracia? Qual, então, é a lição democrática que eles, no caso os “poderosos” estão deixando para a posterioridade? E, vejam, a corrupção está em nível tal que não falta gente suspirando saudoso da execrável ditadura militar e/ou, os mais velhos, da ditadura de Getulio Vargas. Vige!

Constatação VIII
Rico é inventivo; pobre, chuta.

Constatação IX
O fanatismo no futebol chegou a tal ponto entre os times rivais que, se, por exemplo, jogar um time gaúcho, como Internacional ou Grêmio contra um time argentino – lembrando que os argentinos são nossos maiores rivais – os torcedores rivais torcerão para o time argentino. Vige!

Constatação X
E já que falamos em futebol, o preconceito racial está voltando para os campos não só por parte dos torcedores, como entre os jogadores. Vige!

Constatação XI
Não se pode confundir micareta* com picareta**, até porque o ou a micareta, como explica o dicionário, não é ativada todo o tempo. Já o picareta...
*Micareta =  substantivo feminino
Regionalismo: Bahia.
festa popular carnavalesca fora do período de carnaval (Houaiss).
**Picareta =  adjetivo e substantivo de dois gêneros
Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
3. diz-se de ou pessoa aproveitadora***, que utiliza meios condenáveis para obter o que deseja (Houaiss).
***Jamais necessariamente um político.

Constatação XII
-“Estou me sentindo um sinoda de tão balofo que eu estou”.
-“Sinoda? O que vem a ser isso?”
-“É Adônis ao contrário”.
-“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”

Constatação XIII (De um pseudo-soneto).

Uma 'hermana' no Brasil
Tomou um chimarrão com uma erva-mate
Que qualquer mortal daria zero como nota
Depois proferiu um terrível disparate
Que esta excelente. Pura balela, pura lorota.

Toda essa diligência em insistir que tava bom
Mostrou que não foi à-toa tal empenho,
Pois teve gente que disse em alto e bom som
Muito interessante. E foi dito sem franzir o cenho.

"O que eu penso é que com um pouco de açúcar
Ficaria bem mais suave, bem melhor de gosto.
Se vocês quiserem eu vou lá dentro buscar.

A turma explodiu numa ruidosa gargalhada
Que a deixou afogueada em todo o rosto.
Aí, ela perdeu o jeito e alguém se condoeu: “Coitada!”

Constatação XIV
-“Aí a gata perguntou para a sua amiga:
Que tal esse seu novo namorado?”
-“Insípido, inodoro, insosso e com uma barriga.
Além tudo isso, um viver inquieto, aloprado.
Fala tanta abobrinha que até me deixou com fadiga.
Fui me meter com um cara desmiolado.
No motel resmungou que eu tava sem cinta-liga.
Daí quis se arrancar o que fez mal-humorado.
Não adiantou eu insistir mesmo dizendo: vá, siga”.
-“Mas que desperdício do bobalhão. Coitado!
-“Coitada de mim que só deveria partir para a briga*”.
*Não ficou claro que espécie de briga ela se referiu. Rumorejando – data vênia, é claro – pensa que foi de travesseiro. Quem souber, por favor, etc.

Constatação XV
O sujeito tinha hábito sutil, fino,
Mas era um refinado poltrão, um patife
Delicado com todos agia com muito tino
Porém em casa fazia o papel de xerife.

Constatação XVI
Vejam só essa desventura, essa desdita:
Sentou em cima da caderneta de poupança
E sentiu uma aguilhoada na dita
É que a caderneta e ela tinham pouca abastança.

Constatação XVII (CNJ x Supremo Tribunal de Justiça).
As desembargadoras mostraram votos normais,
No entanto, no total, ainda ficaram certos privilégios
Ainda há os que se acham acima dos simples mortais
Parodiando Noel Rosa: (in)decência não se aprende nos colégios...

Constatação XVIII
Na minha casa tem pessedebista.
É uma família de saracura
Que deve ser de circo, artista
Pois a turma anda em cima do muro
Como se fosse, no arame, o equilibrista
Que anda e corre e no ar se pendura.

Constatação XIX
Ela não parava de reclamar
Ele a chamou de língua de trapo
Ela, então, passou a gritar
E ainda tacou-lhe um sopapo.

Constatação XX (De frases antigas adaptadas para os nossos novos tempos).
Todo corrupto espera que cada corruptível cumpra com o seu dever.

Constatação XXI (DE diálogos em certos países).
-“Qual é a Lei aqui nessa sua cidade que parece estar um caos?”
-“Transgredi-la e também a Ordem”.
-“Então está explicado. Obrigado pela informação”.

Constatação XXII
Mocorongo
É o cara que não sabe
O que é um ditongo
Sem que o mundo acabe?

Constatação XXIII
Por que será que a pitonisa
Que adivinha o nosso futuro,
Esquecendo do nosso labor duro
Não nos avisa
O que vai dar na sena
Ou na megassena?
Será que ela, por nós,
Inclusive netos, filhos e avós
Não se sensibiliza?

Constatação XXIV
E como dizia aquele professor de canto orfeônico para os seus atentos alunos: “E não esqueçam que desafinar é desmunhecar com a voz”.

Constatação XXV
E como comentava com os amigos o obcecado, poetando:
“Lancei o meu olhar 8.367, o lascivo
Ela me retribuiu
Da mesma maneira
Fiquei mais morto que vivo
O marido viu
E me deu uma bordoeira*
*Bordoeira =  substantivo feminino
Regionalismo: Brasil.
série de bordoadas; surra (Houaiss).

Constatação XXVI (De diálogos azedos, embora rimados).
-“Você ainda vive às expensas da sogra ?”
-“Você quer dizer daquela ogra ?”
-“E ela está te agüentando de maneira heróica ?”
-“Ela, não. Sou eu que a agüento de maneira estóica”.
-“Mas você continua vivendo à custa dela, à esmo”
-“É. De fato”. O que é muito bom. Muito bom, mesmo.
-“Ah, bom, quer dizer, ah, ruim, quer dizer...”
-“Ah, nada. Na minha vida ninguém deve se meter”.

Constatação XXVII
A mulher espadaúda,
Antes tão cobiçada
Perdeu o viço.
Pudera, também!
Trabalho no lar
E no serviço
Sem contar
Com a ajuda
De ninguém.
Coitada!

Constatação XXVIII
A renda per capita corresponde a toda a riqueza de um país (PIB), dividida pela sua população. No Brasil, onde 1% da população detém quase 50% de toda a riqueza do país é, mais ou menos, você estar com 41º C de febre e seus pés e mãos estarem frios, numa temperatura de 31o C o que daria uma média aritmética de 36o C. 36o C seriam considerados pelos médicos como uma temperatura normal, assim como, alguns economistas do governo que enchem a boca quando se referem ao aumento da renda per capita, omitindo a distorção de renda em nosso país. E viva “nóis”.

Constatação XXIX
Linear ou esférico,
O seu pensamento:
“Se não me falha
O periférico;
Se ele trabalha
Como sempre eu quis
Ao menos, um momento,
Serei feliz”.

Constatação XXX (Ah, esse nosso vernáculo).
A fada, enfadada com o fado, estava fadada a trocar a falda e a fralda da fadinha.

Constatação XXXI (De uma dúvida crucial).
Será que existe cartilha
Que oriente
A gente
A não prender
As partes pudendas
E outras adendas
No zíper da braguilha
Que é de muito doer ?

Constatação XXXII
Não sei porque, mas cada vez que eu escuto um político falando ou discursando me vem à memória o escritor Sholem Rabinovitch, mais conhecido pelo pseudônimo der Sholem Aleikhem (A paz esteja convosco), onde, no conto As três viúvas, ele cita Bismarck: “As palavras nos foram dadas para ocultar nossos pensamentos”.

Constatação XXXIII
Ainda do mesmo escritor, Sholem Aleikhem, citado na constatação anterior: “Convém ser rico ainda que empenhando a miséria”.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I
Será que a turma do deixa disso
Nesse “imbroglio” PT X PMDB
Tomou um chá de sumiço ?

Dúvida II
É ser muito abrangente
Estar, simultaneamente,
Com dor de barriga e dente ?

Dúvida III
Quem comover um banqueiro
Merece ganhar um prêmio
Em cheque ou dinheiro ?

Dúvida IV
Nos nus artísticos, sem legendas,
O obcecado só tinha olhos nos lençóis
Que tapavam as partes pudendas ?

Dúvida V
Quando,certa vez, o presidente Duhalde
Aumentou, de cara, seu próprio salário
Já mostra que tudo que fizesse seria debalde ?

Dúvida VI
Neste quase capicua *
Do presente ano de 2012
Será campeão da 2ª. o meu Paraná ?
*Capicua = “Grupo de algarismos que, lidos da esquerda para a direita, ou vice-versa, dão o mesmo número”.

Dúvida VII
Um milhão e meio de reais
Guardar no cofre, em casa,
Não é correr risco demais ?

Dúvida VIII
Ao PT, a benesse
De ser governo,
Já não mais apetece ?

Dúvida IX
Se quebrarem o teu sigilo bancário
Vão quebrar a cara
Já que você não é salafrário ?

Dúvida X
Quando um governante não se mexe
Para realizar uma boa administração
É por que, depois de eleito, ele esmorece?

Dúvida XI
Governante que é irrepreensível
Será que se pode encontrar
Ou é impossível?

Dúvida XII
“Respeitável público”. Esta expressão
Só existe no circo. Os governantes não a usam
Porque, por nós, eles só têm desconsideração ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I
Foi o barba-azul*
Com o seu desempenho lá no sul
Que ficou mordido pela mosca azul ?
*Barba-azul =  substantivo masculino
1 homem que ficou viúvo várias vezes
2 homem dado a conquistas, ou que possui muitas mulheres (Houaiss).

Constatação II
Não se pode confundir ‘trampar’ (que na gíria dos publicitários quer dizer trabalhar), com trep, digo, tropear*. Muito embora haja pessoas que mesmo ao ‘trampar’, trepam muito, digo, tropeiam muito. Vejam o exemplo 3. do Dicionário Houaiss.
* Tropear =  verbo
intransitivo
1 fazer (especialmente o cavalo) ruído com os pés ao andar; estropear
intransitivo
2 cavalgar fazendo muito ruído
intransitivo
3 andar ruidosamente (a pessoa)
Ex.: os moradores do andar de cima tropeavam à noite e era difícil dormir

Constatação III
Rica tira fotos sensuais; pobre, pornográficas.

Constatação IV (Até tu Brutus!?)
Deu no Estadão: “O Vaticano foi sacudido por um escândalo de corrupção na quinta-feira, dia 6 de janeiro de 2012 (O grifo é de Rumorejando), depois que a investigação de uma televisão italiana informou que uma autoridade do alto escalão foi transferida após reclamar sobre irregularidade na concessão de contratos. Que pecado! Homessa! Nossa! Vige! Cruz Credo! Socorro!...

Constatação V(Ah, esse nosso vernáculo)
Apalpou a mulher e ficou em palpos de aranha*.
*Não ficou claro o porquê de ele ter ficado como ficou. Quem souber, por favor comentários no blog. Obrigado..

Constatação VI
E como proclamava didaticamente o obcecado: “O pudor feminino é afrodisíaco”.

Constatação VII
Deu no Estadão: “Credores privados oferecem perda de quase 70% na dívida grega”. Dúvida crucial: Será que não daria para transferir a nossa para a Grécia? (Esclarecimento: Este “nossa” é plural majestático).

Constatação VIII
A ricaça, quando a empregada teve nenê e tinha direito de ficar quatro meses em casa, se viu obrigada a ir ao supermercado. Como nunca tinha ido antes, ou melhor, em toda a sua vida, “em tais incômodos e maçantes lugares” se sentiu assustada por não saber onde estavam as mercadorias mais prementes que ela tinha necessidade imperiosa de comprar, andou, passando pelos mesmos corredores várias vezes. Segundo ela até parecia que se encontrava no Labirinto do Minotauro que sua – dela – mãe havia lido para ela quando pequenina. E ela que, às vezes, se dava ao luxo de ler um determinado blog, onde sempre saía publicada a diferença entre ricos e pobres, pensou: “Ainda que eu me considere rica, eu pensei no Labirinto do Minotauro, mas acho que eu parecia mais uma barata tonta”... Coitada!

Constatação IX
Seu João ficou sentido,
Muito magoado,
Pois segundo a sua mulher,
A Dona Maria,
Para o preguiçoso
Do seu – dela – marido,
Todo o dia
É bochornoso *
Já que nada com nada,
Ele não quer.
Coitado!
Coitada !
* Bochornoso = “1. Quente, calorento. 2. Abafadiço, sufocante”.

Constatação X
E, ainda, não se pode confundir adido com ardido, até porque tem muito discurso de político, adido a determinado partido, ao qual, naturalmente, fazia discursos laudatórios e que, quando “arribou para outro ninho”, ou seja, mudou de partido, mudou também de discurso, passando a fazê-lo ardido em relação do seu anterior partido. O que absolutamente não queira dizer que, algum dia, não ficaria adido ao seu partido inicial, voltando a um discurso ardido com seu partido e assim sucessivamente enquanto achar que em tal e tal partido se elegerá mais facilmente. Vai ter ideologia partidária assim no... na...Deixa pra lá!

Constatação XI
O cara sortudo
Ficou
Com tudo:
Casou
Com o mulherão
E a sogra deixou
Morando no Afeganistão.

Constatação XII
Do jeito que as coisas andam, logo, logo será criada a ADPV - Associação de Defesa dos Políticos Vaiados. Ainda bem. Não a criação da Associação, mas o fato de ficarem sabendo que não estão agradando, muito embora com o salarião que ganham estão solenemente às tintas às manifestações de desagravo. E viva “nóis”!

Constatação XIII
A Semana da Arte Moderna,
Na época, foi considerada
Muito avançada,
Demasiadamente hodierna*.
*Hodierno = “ adjetivo
que existe ou ocorre atualmente; atual, moderno, dos dias de hoje (Houaiss).

Constatação XIV (E como poetava o gaúcho).
Restam muitas vagas
No meu pobre coração
Que há muito não afagas
E eu não entendo a razão.

Constatação XV
Deu na mídia, mais precisamente no New York Times: “A exportação mundial de lixo tecnológico, pelos EUA, incluindo monitores de computador e placas de memória, está gerando problemas ambientais e de saúde nos países em desenvolvimento, dentre outros, China, Índia e Paquistão(...)”. Viva todos “nóis”, ou “nóis” todos, como queiram...

Constatação XVI(Do livro Rimas Primas & Outras Constatações)
Um prefeito de uma cidade qualquer,
Que não estava nem aí, totalmente ausente,
Mais preocupado consigo mesmo e os seus
Após a última, catastrófica e terrível enchente
Quando a água invadiu os fundos e a frente
De uma das casas. Daí, aquela sofrida mulher
Viu-se obrigada a trabalhar com denodo,
Utilizando infinitas baldeadas, vassoura e rodo,
Para limpar o acúmulo da sujeira, do lodo.
Enquanto ela estoicamente mourejava
Para salvar algum escasso pertence,
Filosoficamente matutava,
Ponderava, refletia, pensava, conformada
E, pasmem, algo serena:
“Ainda bem que estamos vivos, graças a Deus.
Mas, o prefeito, que não agia na base do ‘non sense’,
Que antes da eleição parecia um cara tão batuta,
Agora, está fugindo, como já haviam previsto, da luta
E está mostrando uma má, ou pior, uma péssima conduta
Além, dum grande filho da, digo, de estar participando de truta.
Que pena!”
Coitada!

Constatação XVII (Meio confusa)
O sol,
Mecha
De fogo
Tão citado,
Tão decantado
Em rol
De poesia,
Aparecendo
E se escondendo
Na curitibana
Manhã fria
Parecia
O abre e fecha
Do não bacana,
E pouco sutil
Jogo
Estulto
Infantil
(E adulto)
De tria.

Constatação XVIII (De uma definição, rimada).
A careta,
Sob a ótica
Da semiótica
É uma graceta *
Histriônica
Afônica.
*Graceta = “Dito ou ato espirituoso ou engraçado”.

Constatação XIX
Não se pode confundir arfar com fartar, muito embora tenha gente que de comer exageradamente, até se fartar, principalmente em boca livre, depois começa a se sentir mal, chegando até a arfar. Evidentemente com aquele comentário de quem está arrependido: “Pô, acho que exagerei”.

Constatação XX (Antes!?)
Vai bem, obrigado
O meu Paraná,
Que, melhor, não há.
Antes, porém, só perdia
Qualquer porfia
O pobre coitado.

Constatação XXI
“Para que meu seqüestro”,
Disse o ricaço para o assaltante,
“Se a boquirrota da minha mulher
Vive dizendo a todo instante
Que eu não presto,
Que não valho um vintém
E que eu sou um qualquer
Que não se pode querer bem”.

Constatação XXII
Ele fez uma boquinha
Enquanto ela, sozinha,
Deitada nua na cama
Desolada, matutava:
“Isso não me apraz.
Ele já não me ama
Como me amava
Há 80 anos atrás”.

Constatação XXIII
Rico suspira; pobre, mal respira.

Constatação XXIV (De diálogos meio confusos ou pouco esclarecedores).
-“Não dava para dizer que ela era uma mulher feia”.
-“Quer dizer que ela era uma mulher bonita”.
-“Também não dava para dizer”.
-“Então o que dava para dizer?”
-“Nada”.

Constatação XXV
O doido curtia adoidado ser doidivanas?

Constatação XXVI
E como ponderava, elucubrando o obcecado: “Deveria existir uma deusa como o deus grego dos sonhos, Morfeu. Afinal, não pega bem para nós, homens, dizermos que nós vamos tratar de cair nos braços de Morfeu”.

Constatação XXVII
Não se pode confundir palor* com palrador**, muito embora a gente fique até com palor escutando certas pessoas dizendo tanta incongruência, tanta mentira, tanta estupidez que você preferia que o palrador fosse execrado da terra.
*Palor =  substantivo masculino
Uso: formal.
m.q. palidez (Houaiss)
**Palrador = adjetivo e substantivo masculino
que ou o que palra; falador, tagarela (Houaiss).

Constatação XXVIII
O conquistador sempre mandava uma corbelha*,
Porque nunca, jamais desistia o tal de obcecado,
Quer fosse mulher nova, de meia-idade ou velha
Sem obter nenhum ou ao menos o mínimo resultado.
Coitado!
*Corbelha =  substantivo feminino
1 pequena cesta de vime, madeira, ferro etc., guarnecida de flores, ou frutas e doces, que se oferece a alguém em ocasiões especiais, ou que se usa para adornar um ambiente.
2 o conjunto dos presentes de núpcias, expostos (Houaiss).

Constatação XXIX
E como orava aquele antigo piloto já aposentado e de idade provecta: “Glória aos pilotos como Santos Dumont, lá nas alturas e paz na terra aos homens, tomadores de viagra de boa vontade.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I
A sardinha
Tinha sardas
Até na bochechinha ?

Dúvida II
É muita torpeza
Uma “asponeria” sem
Labor, só na moleza ?

Dúvida III
Fica com a “poupança” grotesca
Quem senta num banco
Onde está escrito: ‘Tinta fresca’ ?

Dúvida IV
Será que dar no pé,
Fugindo dum assalto,
É dar marcha a ré ?

Dúvida V
Foi um ato de desdouro
O presidente do Senado
Ter ganhado as algemas de ouro ?

Dúvida VI
Ela ficou sentida
Porque ele não a chamou
De única, de minha querida ?

Dúvida VII
Te dá dor de cabeça
Se ela te diz:
“Por favor, me esqueça” ?

Dúvida VIII
É ali, logo ali, na esquina
Que o assaltante te aguarda
Para uma conversa nada fina ?

Dúvida IX
O dengue avança.
Será que nas autoridades
Ele nunca alcança ?

Dúvida X
A gente sente um calafrio
Com um revolver encostado
Só por causa do metal frio ?

Dúvida XI
O portal da felicidade
Sempre se encontra
Em outra localidade ?

Dúvida XII
Afinal, democracia
É quando apenas alguns
Têm cidadania ?

Dúvida XIII
Dá pra ter um pingo de afeto
Em político que não tem
Um comportamento correto ?

Dúvida XIV
Pra melhorar a imagem
Ela teve que pôr silicone
Em toda a equipagem ?

Dúvida XV
Escalar ou não
O imperador Adriano
Essa é a questão ?

Dúvida XVI
Cadê a seriedade
Que, nos idos, dava
Confiabilidade ?

Dúvida XVII
É uma tormenta,
Pro piá, não assistir a série
Da Emília e Da. Benta ?

Dúvida XVIII
Ser pulquérrimo,*
Nos dias atuais, não
Resolve, sendo paupérrimo ?
* Pulquérrimo = superlativo de pulcro, que quer dizer gentil, belo, formoso.

Dúvida XIX
O papo, na festa,
Tava como a comida:
Totalmente indigesta ?

Dúvida XX
As notícias publicadas na imprensa
Não deveriam revelar, ao invés de impunidade,
Que o crime não compensa?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (De conselhos úteis, via pseudo-haicai. De nada!).
Nunca, com exagero, se coce
Pois é capaz de redundar
Num acesso de tosse.

Constatação II
“Testamento?,
Pê que pê!
Nem em pensamento,
Já que
Eu sou imortal.
Amém”,
Disse o acadêmico,
Com diabete,
Comendo um merengue
Adocicado,
E também
Antes do dengue
Endêmico
Fatal.
Coitado!

Constatação III (De uma dúvida crucial).
Será que os Bancos Mundiais, os Fundos Monetários, os governantes de países ricos e pobres não se dão conta que auxilio a longo prazo é morte a curto prazo ? Aliás, Lord Keynes exprimiu algo semelhante dizendo que no futuro estaremos todos mortos. Quem tiver ligações com os mencionados Fundos e Bancos, países ricos e conseguir uma explicação, obtendo uma resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação IV
Certa vez, deu na mídia que o então secretário do Tesouro dos EUA, Paul O’Neill, no, eterno famigerado, Fórum Econômico Mundial, falou da corrupção no Estado brasileiro. O então pré-candidato à Presidência da República, José Serra reagiu que O’Neill não sabia nada do Brasil. Data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando toma a liberdade de achar que quem não sabia nada do Brasil era o ex-ministro da Saúde e mais tarde, o ex-candidato a presidência do Brasil.

Constatação V
Rico é elegíaco*; pobre, é chorão.
*Elegíaco =  adjetivo
2. que expressa tristeza; lamentoso
3. que chora muito (Houaiss).

Constatação VI
Consciente ou inconscientemente todo político é mau-caráter? E já que falamos no assunto, além de existirem tantos desonestos eles, orgulhosos, vaidosos, ainda se ufanam disso. Homessa! Vige!

Constatação VII
Ninguém entendeu
E um absurdo, pareceu –
Não o de Ionesco –
Não chover
Nem um instante,
Durante
O tríduo momesco
Curitibano,
Como soe acontecer
Todo ano.

Constatação VIII
De vez em quando e não raro o inverno vem passar o verão em Curitiba. E haja preparo físico do pobre verão para não pegar gripe e resfriado...

Constatação IX
E como poetava o obcecado:
“É assaz importante,
Essencial,
Determinante,
Primordial,
Necessário,
Fundamental
Que eu não seja obrigado
A sufocar no armário,
Onde você me escondeu
Quando teu namorado
Apareceu”.

Constatação X (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ir para o paredão do famigerado BBB Brasil do que para o também famigerado paredão em Cuba.

Constatação XI
Do rabino David Leikes: “É preciso apreciar a vida a despeito da vida”.

Constatação XII
De fato,
No final
Da semana,
Sem
Alguém
Amical,
Bacana,
O interno
Se sentiu,
No internato
Totalmente
Vazio,
Abandonado,
Chinfrim,
Isolado,
Desprotegido,
Completamente
Perdido,
No inferno,
Enfim.
Coitado!

Constatação XIII
Para ela, ele fez um exórdio *
Já que havia chegado tarde.
E ela, no seu silêncio absoluto,
Sem briga e sem alarde,
No seu mutismo condenatório
Deu a impressão que o seu monólogo
Era, além de vazio, monocórdio,
E que ele precisava de um psicólogo,
Desses que trabalham em sanatório
Pra contar o quanto fora “impoluto”.
* Exórdio = “O começo de um discurso; preâmbulo”.

Constatação XIV
Não se pode confundir fresta com festa, muito embora, dependendo do que se espia por uma fresta, ter-se-á (perdão, leitores esse “ter-se-á” é ainda influência do “fi-lo porque qui-lo”) uma baita duma festa. A recíproca para esses indiscretos casos de voyeurismo* não são necessariamente verdadeiros.
*Voyeurismo = 2. Derivação: por extensão de sentido.
forma de curiosidade mórbida com relação ao que é privativo, privado ou íntimo (Houaiss).

Constatação XV
E não se pode confundir culto com oculto, muito embora muito cara que nunca abre a boca, mantendo seu pensamento oculto, passa por um cara culto. Por razões ocultas, não foi possível detectar se a recíproca é verdadeira ou não. Quem puder e quiser esclarecer, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XVI (De uma dúvida crucial).
Por favor,
Moça simpática,
Me esclareça
Essa terrível
Dor de cabeça:
Se o amor
É teoricamente
Possível.
Ou é mera questão
De prática,
Tão somente,
Como a resolução
De um problema,
Ou a demonstração
De um teorema,
De matemática ?

Constatação XVII (De uma quadrinha para ser recitada para os amigos que têm família, mormente filhos, morando no exterior, em busca de melhores e mais seguras condições de vida).
Rever a “familiagem”,
Mais tarde ou agora
Compensa a longa viagem
Do índice bunda/cadeira/hora.

Constatação XVIII (De conselhos úteis. De nada!).
Se a tua mulher ou tua sogra estiver varrendo a casa, o pátio, ou seja lá o que seja, jamais faça determinadas perguntas para ela, como por exemplo, você vai em algum lugar hoje?

Constatação XIX (De uma dúvida crucial).
Se a gente não tivesse umbigo onde será que seria considerado o ponto central do corpo humano? Se alguém souber, por favor, etc. etc.

Constatação XX
O obcecado
Nunca se sente
Cansado,
Esgotado,
Depauperado,
Esfalfado,
Nada estressado
Por se sentir feliz
Quando mete o nariz
Onde sempre quis.

Constatação XXI
E já que falamos no assunto, obcecado rico desfruta da interatividade*; obcecado pobre, quebra o galho.
*Interatividade =  substantivo feminino
1. qualidade de interativo
2. capacidade de um sistema de comunicação ou equipamento de possibilitar interação (Houaiss).

Constatação XXII
Deu no jornal Gazeta do Povo: “Falhas em sistema nacional possibilitam o registro irregular de médicos com superjornada de trabalho e o desvio de verba destinada ao Programa Saúde da Família”. Vige!!!!

Constatação XXIII (Aparentemente inverossímil, paradoxal).
Parecia um amor indissolúvel
Entre aqueles dois pombinhos
Mas um dia se tornou volúvel
Por exageros dos pseudos carinhos.

Constatação XXIV
Não se pode confundir suspeitar com respeitar, muito embora os que se acham acima do bem e do mal, nos 3 Poderes da República, considerem uma falta de respeito que se suspeite dos seus – deles – atos. Vige!

Constatação XXV
E, vejam, se pode confundir atribulações com tribulações porque significam a mesma coisa. Tão aí os dicionários que não deixam Rumorejando mentir. (Rico escamoteia a verdade; pobre, mente).

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I (Meio repetitiva).
Só porque o marido ronca
A esposa bronca
Deu-lhe uma bronca ?

Dúvida II
Nesse último carnaval,
Nunca se viu tanto silicone,
Colocados nos etc. e tal ?

Dúvida III
Na Marques de Sapucaí,
Quem desfila,
Não tá nem aí ?

Dúvida IV
Será que o binômio
Futebol e carnaval
Consta no Deuterenômio ?

Dúvida V
Tomar uma ou outra pinga,
Antes do desfile carnavalesco,
Ajuda a melhorar a ginga ?

Dúvida VI
O curitibano, meio desajeitado,
Não pula carnaval porque
Tem o freio de mão puxado ?

Dúvida VII
Ao vir pra cá, a mãe de certo presidente
Da maior potência industrial do Planeta
Mostrou, como o seu filho, ser valente ?

Dúvida VIII
Se no inferno tem carnaval
De que será que o diabo se fantasia
Naquele calor infernal ?

Dúvida IX
O trio elétrico,
Qual meu time, o Paraná,
Deixa o povo frenético ?

Dúvida X
O carnaval, no tempo do corso,
Era ver o desfile dos ricos, que estão
Sempre bem * sem muito esforço ?
* Aviso importante: Quem quiser colocar uma vírgula entre “bem” e “sem” poderá fazê-lo, mas terá que levar em conta que o sentido da frase poderá dar a entender que os pobres, que estavam assistindo ao desfile, não ficaram com dor de pescoço, por exemplo. Obrigado pela atenção.

Dúvida XI
Aquele belisco
Foi apenas
Um petisco?

Dúvida XII
É em Curitiba
Que se joga truco
Como se fosse biriba?

Dúvida XIII
De tanto espremer a laranja
E se ela fosse uma galinha
Ela teria virado uma canja?

Dúvida XIV
Foi a centopéia,
Que ia dançar O lago dos Cisnes,
Que ficou nervosa na estréia?

Dúvida XV
Um pacto mutuo de amor a gente sela
Quando se pode dar na gata um apalpo
Um amasso, uma lustradela?

Dúvida XVI
Foi um ato romântico, poético ou lírico
O que fez o lobisomem com a namorada
Ou foi um ato extremamente vampírico?

Dúvida XVII
Ele levou um baita reproche
Porque o presente foi um livro
E ela queria um broche?

FÁBULA CONFABULADA (INDIGNA DO GURU MILLÔR).
Com suposto dissimulo ela – claro, uma chinesa, já que o fato se passou numa província chinesa, banhada pelo rio Amarelo –, manobrou o carro quando adentraram ao motel. Ele – claro, um chinês – se apressou em fechar a porta da garagem para que ninguém os visse. Ficou a placa aparecendo porque a porta não tapava tudo. Aí ele colocou um papelão e escondeu a placa. Olhou para fora porque escutou um ronco conhecido. Era do carro de sua mulher. Claro, também uma chinesa. Espiou sem ser visto. Ela vinha com o marido da companheira. Evidentemente chinês. “Filhos da p, digo, da mãe!”, disse, respeitosamente, para a companheira. “Minha mulher e teu marido estão chegando. Nunca imaginei que ela me pusesse cornos”. “Não faz mal. Não tem importância. Tanto ele quanto você sempre foram adeptos do swing que leram numa revista do decadente Ocidente. Não do Brasil porque este país, juntamente conosco, com a Índia e a Rússia faz parte do BRIC, conforme a gente escuta por aí. Mas isso, agora, não vem para o caso. Nós duas é que nunca topamos. Pelo menos, foi o que sempre a tua mulher me falou”. Agora, pelo jeito, nós duas mudamos de idéia, ainda que não abrindo o jogo para vocês, os assim chamados respectivos. Tomara que eles reciprocamente se desfrutem, neste conúbio*, como eu espero que nós vamos nos desfrutar no nosso assim chamado conluio**”.
Moral I: Às vezes, há que se dançar conforme a música seja swing, foxtrote, rumba, salsa ou qualquer outro ritmo.
Moral II: A troca de casais, não necessariamente consentida, às vezes, pode parecer imoral ou que dê a pecha a todos os participantes de corníferos***.
*Conúbio =  substantivo masculino
1. casamento, matrimônio
2. Derivação: sentido figurado.
relação íntima; ligação, união (Houaiss).
**Conluio =  substantivo masculino
1. cumplicidade para prejudicar terceiro(s); colusão, trama
Ex.: a derrota da oposição deveu-se a um conluio das forças de direita
2. Derivação: sentido figurado.
combinação, ajuste maléfico
Ex.: o conluio da treva com a tempestade oceânica
3. acordo, aliança, coligação.
***Cornífero =que têm cornos, ou que apresenta excrescências em forma de corno; cornígero, cornudo (Houaiss).
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br