quarta-feira, 18 de abril de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (“Poeminha” triste)
Ele se reformou
Na patente
De subtenente
E foi trabalhar,
Com desvelo,
Como “Aspone”,
Dum deputado
Que foi cassado.
Ela se transformou,
Com silicone,
Tanto na dianteira
Como na traseira
E foi labutar
Como modelo,
Ganhando
Reles mesada,
Penando
Tripla jornada.
Coitado!
Coitada!

Constatação II
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Grampos da Polícia Federal indicam que o apartamento funcional em que mora o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) em Brasília serviu de ponto de encontro da cúpula da máfia dos caça-níqueis em Goiás e no Distrito Federal”. Vige!

Constatação III (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ter a disposição uma coelhinha da Playboy do que receber o coelhinho da Páscoa. Já, baseado no meu guru Millôr Fernandes, que “É muito melhor ser rico e ter saúde do que pobre e doente”, “o ideal”, segundo o sábio obcecado, “seria ter os dois a disposição da nossa humilde pessoa” (O “nossa”, provavelmente é plural majestático...).

Constatação IV
Disse o perdulário para o sovina: “Você que é um cara de sorte. Casou com uma mulher bonita, trabalhadeira, amorosa. Parabéns”. -“Obrigado. Mas eu não casei com ela por isso. Eu casei por que ela come pouco”.

Constatação V
Este assim chamado escriba chegou à simples conclusão que para o meu Paraná ascender ele precisa ter jogadores que driblem, façam assistência perfeita e saibam chutar ao gol. Além de uma excelente fechada defesa no qual, evidentemente se inclui o goleiro que nunca tenha ouvido falar em algo com respeito a frango e/ou outros galináceos. Algo mais ou menos, aproximadamente, assim como o Barcelona, do Messi & companhia, costuma fazer. Elementar...

Constatação VI (Don Camilo, do escritor Giovanni Guareschi, tem uma história semelhante).
Deu na mídia: “Um ladrão arrependido surpreendeu os policiais da cidade de Toledo (543 quilômetros de Curitiba) ao devolver uma Honda Biz placas AKE-6538, de Toledo; que havia sido furtada na semana passada. O caso foi acompanhado pelos policiais do 19º Batalhão que atenderam a ligação do rapaz, ainda não identificado. Em entrevista à RPC, o soldado Davi Miranda disse que nunca havia visto algo similar. "Eu pensei que fosse um trote", disse. Caso seja detido, o ladrão arrependido pode ter uma redução de até 2/3 da pena pela devolução. Para o dono da moto, João Mário Vianna, a proximidade da Páscoa pode ter sensibilizado o ladrão. "Até pelo fato de ser Quaresma o ladrão foi tocado", disse. Quanto à esposa de João, Da. Claudete, ela preferiu perdoar o assaltante que devolveu a moto. ‘Dizem que ele pediu desculpas, então está perdoado, para não fazer de novo’, concluiu”. Quando vários deputados, senadores, ministros e vereadores leram tal notícia comentaram indignados: “Que vergonha. Que fraqueza. Já não se fazem mais ladrões como antigamente”.

Constatação VII
A vizinha da frente surra o piano
O adolescente do lado surra a bateria
Isso acontece durante todo o ano,
Toda semana e várias vezes do dia.

Constatação VIII
Não se pode confundir nexo com anexo, até porque o anexo que muitas vezes vem nos e-mail’s, não poucas vezes, é completa e inequivocamente sem nexo. A recíproca em tais casos não é necessariamente verdadeira. Depende, também muitas vezes, do grau de domínio que a gente tem com essa máquina, analogamente à televisão, de fazer doido. Vige!

Constatação IX
E como explicava poética e didaticamente para os seus amigos e colegas o obcecado:
“Quando a mina
Com aquele ar de menina
Vem se queixar
Que alguém se pôs a falar
Com ela de modo pouco delicado,
Eu, que sou um eterno apaixonado,
Digo para ela: Querida! Eu te consolo!
Venha aqui e sente no meu colo”.

Constatação X
Foi o golfinho que disse para sua mulher, a golfinha que esta grávida do seu – deles – primeiro rebento: “Tanto faz que venha um golfinhozinho ou uma golfinhozinha. Seja lá quem for será sempre por nós bem-vindo ou bem-vinda”.

Constatação XI
E como contava para os seus amigos e colegas o obcecado, que nada tem a ver com o mencionado acima: “Quando ela me disse que viria ao meu apartamento apenas para um rápido ‘oi’, inclusive de calça comprida, a fim de que eu não me alvorotasse para os lados dela, eu matutei para mim mesmo: Felizmente nada que não deixe de ser removível, que possa ser movida ou abaixada. E isso me fez lembrar a última frase dita por Galileu Galileo, após negar a sua teoria heliocentrista de que era a Terra que girava em torno do sol e, assim escapar da condenação de morrer na fogueira pela execrável Inquisição. Sua última frase foi: ‘Eppur si Muove’ que significa ‘ainda se move’. Vige”

Constatação XII
-“Você com as tuas indefectíveis e intermináveis cantadas pretende me vencer pelo cansaço?”
-“Absolutamente. Não pretendo te vencer pelo cansaço. Apenas pretendo te convencer para que você venha de livre e espontânea vontade”.
-“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”

Constatação XIII (De um pseudo-soneto).

Biografia de mim

Não sou um sujeito idólatra
Não creio em feiticeiros ou bruxos,
Mas numa erva-mate sou chimarrólatra,
Que considero um dos meus poucos luxos.

Os outros são os meus cachorros
Gente muito fina e educada.
Eles não cometem desaforos
De me acordar na madrugada.

No mais sou um cara pacato,
De boa índole, assaz cordato,
Caseiro e bem comportado.

Alguém que age diferente
Acha que eu vivo descontente
E, ao me ver, deve pensar: “Coitado!”

Constatação XIV (De outro pseudo-soneto).

Pobre de nós

Aquela formosa mulher
Parecia ter um freio
Hidráulico ou outro qualquer
Entre as pernas, bem no meio.

Ela meus ardentes beijos retribuía
Também aceitava minhas carícias,
Porém, na seqüência se defendia
Como acionando uma dúzia de polícias.

O fato me deixava aborrecido
Com essa sua, digamos, sacaneada
E com o coração ainda mais sofrido


Ela parecia ter um cinto de castidade
Cuja chave era muito bem guardada
Evitando a dela e a minha felicidade.

Constatação XV (De um terceiro pseudo-soneto. Vige!)

Sabedoria indígena!

Recomendou o cacique Apache
Para seu filho seu sucessor:
“Meu filho, nunca se agache
Sequer para apanhar uma flor”.

“Você nunca pode saber
Quem é que está atrás
Alguém pode mal te fazer
Atenção nisso meu rapaz”.

O filho sempre obediente
Que sempre fora previdente
Seguiu a recomendação do pai

Ficou sempre, bem ereto,
Encostado na parede, discreto
E sem precisar emitir ai ai ai!

Constatação XVI (Idade Feliz, Terceira Idade, Idade vetusta, Idade provecta, M. de idade...)
Chegou
Aos 75
Todo
Embagaçado.
Lutou
Com denodo,
Com fervor
E afinco,
Embriagado
De amor,
Proporcionando,
Em cooperação,
A elas
Uma profusão
De prazeres,
Pois vive
Cuidando,
Inclusive,
Dos seus deveres
Absolutamente
Sem mazelas
Tão somente!

Constatação XVII
Altamiro Carrilho
É o filho
Que eu nunca tive
E nunca terei.
Por isso, eu penarei,
Chorarei
Diga doutor, se eu errei
Pensando assim?
Todo esse mundaréu
De gente vive.
E eu junto, no céu,
Sobreviverei.
Dos outros ritmos,
Não é falar mal.
Tampouco de algoritmos,
Mas, para mim,
O chorinho
Tem gosto de carinho
Como não há outro igual.

Constatação XVIII (De uma dúvida crucial. Para o Millôr [in memoriam]).
O pacto
Da mediocridade
Entre políticos,
Nada míticos,
Mesmo sendo adversários,
Para aumento
Dos próprios salários,
Sem nenhum acanhamento,
Continua intacto,
Para a tua
Perplexidade
Com tamanha
“Falcatrua”,
Com tal barganha,
Seja na Espanha,
Na Alemanha,
Na Grã Bretanha,
Aqui,
Ali,
Lá,
Acolá,
E em nossa sociedade ?

Constatação XIX
Desincentivado,
Desestimulado,
Nada expedito,
A gente
Se sente
Para votar
Numa eleição
Onde já

Para vislumbrar
Muita apelação.
Tenho dito!

Constatação XX (De conselhos úteis).
Se você pretende ter um dinheirinho em casa, uma importância reles de R$1,340 milhões, por exemplo, ou em torno disso, procure fazê-lo em notas de R$100,00, já que o volume será bem menor, consequentemente, mais fácil de contar, guardar, carregar, não impressionar, não chamar tanto a atenção, etc. De nada!

Constatação XXI
Contar um milhão,
Ou muito mais,
Precisamente
E trezentos e quarenta
De dólares ou reais,
Em notas de cinqüenta,
Pouca gente,
Irresoluta ou decidida,
Teve em sua vida
A mínima condição
E nem nunca terá.
Provavelmente,
Por jamais
Ter se defrontado
Com tanto numerário,
Solto ou empacotado,
Seja debaixo dum colchão,
Num cofre ou armário
E por não saber,
Quer dizer,
Por desconhecer
Como se deve fazer
Para juntar,
Para somar,
Para, enfim, chegar
Até lá...
Quem for conhecedor
De tal proceder,
Por favor,
Advogue
Comentários no blog.
Obrigado!

Constatação XXII (Ainda vale para os dias de hoje. Lamentavelmente).
Certa vez, o governo brasileiro deitou falação iracunda contra o Sr. Jean Ziegler, então funcionário da ONU, que cometeu o desatino de declarar que a desigualdade no Brasil é uma das maiores do mundo. Pelo jeito, cá na terra, há alimentação adequada para todos, pleno emprego, todos são alfabetizados, Educação e Saúde em profusão, Saneamento Básico, enfim todas as necessidades básicas estão plenamente atendidas. Data venia, como diria nossos juristas, o governo brasileiro somente esqueceu de dizer: viva “nóis”.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAI.

Dúvida I
Foi o zumbaieiro *
Que tentou arrancar,
Do banqueiro, algum dinheiro ?
*Zumbaieiro = “Indivíduo que é dado a fazer zumbaias**
** Zumbaiar = “lisonjear, bajular, adular, cortesar”.

Dúvida II
Foi a falta de testosterona,
Dele, que deixou ela
Totalmente chorona ?

Dúvida III
Ao invés de um cafuné,
Foi no fim da espinha que ele
Levou, dela, um pontapé ?

Dúvida IV
Tão grande foi o rebuliço
Que o (a) candidato (a)
Tomou um chá de sumiço ?

Dúvida V
A injúria
Também te deixa
Uma fúria ?

Dúvida VI
É um erro contumaz
Dar a um atleta
Muito cartaz ?

Dúvida VII
É muito mais provável
Que a torcida considerou
O chute assaz defensável ?

Dúvida VIII
Ficou abanando o leque
Para refrescar a sua chefia.
Excesso de salamaleque ?

Dúvida IX
O torpedo
Ele desviou
Só com um dedo ?

Dúvida X
O latifúndio improdutivo,
Sob a ótica do seu dono,
Nunca é ou será vexativo ?

Dúvida XI
Com tal futrica
Que perderemos a Copa
Não é para ficar tiririca* ?
*Nada a ver com o deputado federal.

Dúvida XII
Não precisa ser profético
Para imaginar, no país,
Algum político não ético ?

Dúvida XIII
Pimenta, à tarde,
Nos olhos dos outros,
Também arde ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

Um comentário:

SÍLVIO disse...

Juca teu email está com algum problema? Todos os emails que te enviei nos últimos dois dias têm voltad.
Abraço,
Sílvio