quarta-feira, 2 de maio de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

O meu Botafogo ganhou do Vasco,

Deixando os vascaínos com asco.

Eles ficaram assaz mareados

Coitados!

Constatação II (Quadrinha para ser recitada na rampa do Palácio, em Brasília e nos demais acessos pertinentes).

Pagar o imposto de renda

Até poderia ser uma satisfação

Se nos 3 Poderes não fosse lenda

Que tem havido tanto ladrão.

Constatação III

Rico tem barriga flácida; pobre, de água.

Constatação IV

Alguns torcedores do meu Paraná sonham que o time tenha no ataque Messi e Cristiano Ronaldo. Eles justificam que não é para melhorar o time. É que alguém falou: “Sonhar é preciso”...

Constatação V

A diferença entre sentir falta e sentir saudades é que, esta dói enquanto que aquela é como perder momentaneamente algo e depois, sem recorrer a São Longuinho, eventualmente achar.

Constatação VI

Rico toma champanhe quando faz amor; pobre, toma pinga quando faz e quando não faz...

Constatação VII

Em nome da liberdade de expressão, do uso do nome de Deus, da Democracia se cometem crimes de lesa-pátria. Um dos exemplos mais flagrante foi o daquele deputado que havia “ganho” mais de 10 ou 20 vezes na loteria federal e, ao ser questionado sobre o cálculo de probabilidades, justificou que ele não tinha culpa se Deus havia assim desejado. Muito comum é o governante e/ou político quando é pego com a mão no jarro alegar que tudo se trata de um complô dos seus inimigos políticos ou que querem ir contra a democracia. O bicho Homem que é responsável pelo notável desenvolvimento da Ciência e Tecnologia, mostra que, ele não evoluiu, porquanto não é capaz de influir na mídia para que certos fatos não sejam divulgados, visando preservar vidas humanas. Exemplos: O que custaria à mídia mundial fazer um pacto para que não se divulgasse quando um sujeito invade uma escola e se põe a atirar a esmo, matando e ferindo quem estiver na sua mira. Tal acontece, mormente, nos Estados Unidos onde a venda de armas não é proibida. Talvez sem essa divulgação outros fatos idênticos não teriam acontecido como sucedeu em Realengo no Rio de Janeiro; recentemente foi julgado um rapaz que seqüestrou a namorada e a matou quando a polícia invadiu o local onde o casal e mais uma moça se achavam. A mídia televisiva ficou acompanhando desde o início do seqüestro que culminou com o trágico desfecho. Talvez para o assassino ser levado pela polícia foi um momento de glória de, assim, ter podido aparecer na televisão.
A mídia tem se calado quando a ela convém. Às vezes, por razões de não perder o ‘freguês’ que participa na publicidade do veículo; outras, por ideologia, religião, etc.
Se como dizia um professor na faculdade que Engenharia = Matemática + Bom Senso,
Liberdade de Expressão = Verdade dos fatos + Bom Senso.

Constatação VIII

Cantou a gatona

Uma cinquentona

Que havia feito

Recauchutagem geral.

“Deixe eu relaxar no teu peito,

Minha loba romana

– Ela era italiana –

Vamos repetir Rômulo e Remo

Que foram amamentados,

Por terem sidos abandonados,

Por uma loba, num gesto extremo

E assaz maternal

E daí, nasceu teu país supremo”.

Constatação IX

Deu na mídia: “Ação humana faz desaparecer anualmente cerca de 0,2% das espécies, advertiu o zoólogo americano Edward Wilson, professor da Universidade de Harvard”. O professor esqueceu de acrescentar as suas declarações, o que é lamentável, viva “nóis”.

Constatação X

Quem ainda não assistiu o filme brasileiro “A 3ª Morte de Joaquim Bolivar”, escrito e dirigido por Flávio Cândido, não sabe o que está perdendo. Esse filme, inteligentíssimo, pode ser encontrado nas vídeo locadoras. Aliás, o que tem de filme brasileiro e dos hermanos de primeiríssima ordem por aí não está escrito em algum gibi. Tenho cinefilamente dito!

Constatação XI (Unisex).

Ele(a) deixou de amá-la(lo)

E mudou o seu conceito

Passou a tratá-la(lo)

Com falta de respeito.

Constatação XII

Não se pode confundir manha com manhã, muito embora toda manhã a gente faz manha para levantar, principalmente se for numa segunda-feira. A recíproca não é necessariamente verdadeira.

Constatação XIII

Uma campanha

Capaz

Se faz

Com numerário

Que se arrebanha

Do empresário.

Para ele, investimento

Que ele espera

Recuperar

A qualquer

Momento.

Bem,

Pudera!

Ninguém

É de ferro,

Ninguém

É xucro

Nada de lucro

Zero.

Indubitavelmente,

Há que se ganhar

Para poder comprar

Um anel de brilhante

Para a amante

E, eventualmente,

Também,

Para a mulher.

Constatação XIV (Passível de mal-entendido).

Disse um velhinho para outro:

-“Na minha idade fazer sexo com a minha legítima é um desperdício”.

-“Eu também acho”.

Constatação XV (De conselhos úteis).

Estimular,

Regrar

Boa conduta

De quem labuta,

De quem faz

Acontecer

Deveria

Ser

Uma luta,

Do dia a dia,

Sem esmorecer,

Pertinaz,

Mesmo

Se se levar

Bordoada

A esmo.

De nada!

Constatação XVI

E como dizia, pseudohaicaimente, aquela gatona, plenamente consciente de suas amplas possibilidades, voltadas para velhos milionários caquéticos:

“Eu nunca me encarrego

De, sem estopa,

Pregar um prego”.

Constatação XVII

Aquele cara, com cara de bun, digo com cara de quem estava com vontade de sentar, se achou numa dúvida crucial: Deveria aparecer na revista Caras ou na revista Bundas ou em ambas. Coitado!

Constatação XVIII (De um Poeminha afano-gastronômico).

Ela roubou

De mim

Um beijo

Imerecido,

Pois comeu

Até o fim

O pão

E acabou

Com o meu

Queijo

Parmesão.

E o fundido.

Constatação XIX (Recado).

Parabéns reiterados, amigo Solda, pelos teus livros lançados. De maneira geral, a fim de não dar eventual má impressão de plágio ou algo similar, não costumo preencher meu blog com trabalho alheio. No entanto, peço permissão para publicar uma tua poesia, das muitas que considerei antológicas e que me fez lembrar o saudoso cantor e compositor francês Georges Brassens, quando diz numa de suas canções: “morrer pelas idéias, de acordo. Mas de morte lenta, de morte lenta”. Vamos a ela, pois:

“É preciso que se morra

Mas que se morra aos poucos

Devagar

Dentro do horário

Com cautela

Sem onerar o erário

É preciso morrer

Na disciplina protocolar

Parar de respirar

Sem nenhum comentário

Morrer

É muito particular”.

E já que Rumorejando está transcrevendo, aí vai alguma do guru Millôr Fernandes que me foi enviada pelo amigo José Francisco Kuzma:

“O cara só é sinceramente ateu quando está muito bem de saúde”.

“De todas as taras sexuais, não existe nenhuma mais estranha que a abstinência”.

“Se todos os homens recebessem exatamente o que merecem, ia sobrar muito dinheiro no mundo”.

“Erudito é um sujeito que tem mais cultura do que cabe nele”.

Constatação XX

Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “O vereador Jonathan Wagner Farias, foi preso na tarde desta última segunda-feira, 23, ao ser abordado pela Polícia Rodoviária Federal da Bahia com um veículo roubado na BR-030”. Vige!



UM PINGO DE ALGUNS PSEUDO-SONETOS.



Constatação XXI



               Desapontamento



Descarregava seu poço acumulado de ternura

Nos seus cachorros, tanto que os amava

Havia brigado com a mulher que o chamava

De fingido, de hipócrita, de cara-dura.



Achara que ele não resistira à sedução

Das vizinhas da casa onde moravam,

Jovens que dia e noite só namoravam.

Aí, ela havia desconfiado de alta traição



Ela chegou a contratar um detetive particular,

Rapaz jovem, simpático e bem apessoado,

Para seguir o marido por toda parte e lugar.



No relatório que apresentou não havia nada a desabonar:

Que o marido tivesse prevaricado ou houvesse a cerca pulado.

Ela, então, disse ao detetive: “Bem, esqueça. Venha comigo deitar”.



Constatação XXII (Dedicado por um obcecado a outro).



                                   Ideal


Sinto falta de uma bunda rechonchuda e em pé

Onde eu gostaria, autorizado, de poder passar a mão

E que eu não precisasse pedir desculpas ou perdão

Pois seria considerado carinho como de fato é.



A gata, mina, rapariga, jovem, moçoila ou idosa

Me daria uma olhada e com um sorriso de satisfação

E sem um tema do tipo ‘sexo dos anjos’ numa conversação

Entabularia comigo um papo intelectual, uma culta prosa.



Depois dessa aparente e suposta perda de tempo

A gente poderia trocar alguns beijos e abraços

Que poderia, em comum acordo, ser um passatempo.



O inocente prelúdio poderia se estender a outras partes

Sem ser considerado assédio, sem invasão de espaços

E se incorporar à pintura, a música, enfim, a todas as artes.



Constatação XXIII (Acredite. Se quiser...).



     Nada mais, nada menos...



Pintou no horizonte algo luminoso

Pensaram que era um disco voador

Ele não parecia ser nada anguloso

E descrevia círculos ao seu redor.



Depois ficou provado que não era, não

Como se poderá ler mais adiante

Os que viram disseram que não era ilusão,

Já que emitia raios a todo instante.



Era de tardezinha quando surgiu no céu

Quando as pessoas voltam para as suas casas

O que ocasionou no trânsito um escarcéu...



Alguns falaram: “Não sei o que é. Eu não manjo

O que possa ser, uma vez que tem duas asas”.

E’ que estava a caminho da Terra, pasmem, um anjo.



DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I

Literatura,

Segundo a atual geração,

Deixa a pessoa burra ?

Dúvida II

Ela ficou iracunda

Só porque eu passei a mão

Na sua... bochecha rubicunda ?

Dúvida III

É muito triste

Levar, dela, broncas

De dedo em riste ?

Dúvida IV

A floresta amazônica

Sofre dos madeireiros

Uma invasão crônica ?

Dúvida V

É preciso ter pertinácia

Para ouvir a propaganda política.

Ou ter muita audácia ?

Dúvida VI

O que ? Um pessedista

Tava tomando chimarrão

Numa cuia petista ?

Dúvida VII

A pesquisa de opinião

Deixa o político

Com ou sem ilusão ?

Dúvida VIII

O apoquentador

É mais ou menos como

Uma injeção com dor ?

Dúvida IX

Você só fica meditabundo

Quando ouve o noticiário

Daqui, do Brasil e do mundo ?

Dúvida X

No boudoir *

Qualquer exagero pode

Ocasionar falta de ar ?

*Boudoir = “Pequeno quarto de senhora, decorado com elegância”.

Dúvida XI

Ganhava sem convencer

O pobre do meu Corinthians.

A Ponte Preta o fez fenecer?

Dúvida XII

Será que algum dia

A corrupção no Brasil

Vai entrar em agonia?

Dúvida XIII

“Jornalista Décio Sá

Assassinado no Maranhão”.

Por quem será?

Dúvida XIV

O outono da vida

A deliciosa maturidade

É o começo da despedida?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: