quarta-feira, 25 de julho de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

Rico é verborrágico; pobre é mentiroso.

Constatação II

Ex-prefeita Erundina: Essa é a “cara”! Tenho dito!

Constatação III

Rádio e-Paraná: Essa é a emissora! Tenho dito!

Constatação IV

Para o Corinthians Emerson foi e ainda está sendo o cara.

Constatação V

Para o Lula o Maluf é o cara; Para o Maluf, o Lula é o cara. Vige!

Constatação VI (De um pseudo-soneto com rima em “osso” e/ou “oço”, com ‘quase’ todos significados de algumas palavras constantes no dicionário Houaiss).


        Família. Esse colosso


Causou na família um imenso alvoroço

Quando durante na entrada do almoço

Serviram para a sogra carne de pescoço

Acompanhada, como salada, de tremoço*


O fato de tudo estar insípido, insosso**

Sem gosto, sem tempero, de ruim um colosso.

Não redundou em um angu-de-caroço***.

Ela, briosa****, apenas pediu um sal grosso.


O pior ainda viria: no prato veio reboço*****

Já que não havia sido bem feito o emboço******

Na casa nova do casal: dela e do ‘bom-moço’.


Ao invés de protestar a sogra deu um troço*******

Daqueles que deixam as pessoas na fossa, no poço

Do que ainda viria, aquilo só foi o começo, um esboço...


*Tremoço = substantivo masculino

Rubrica: angiospermas.

1 design. comum às plantas do gên. Lupinus, da fam. das leguminosas, subfam. papilionoídea, muitas cultivadas como adubo verde, forrageiras ou ornamentais, e cujas sementes encerram alcalóides; lupino, tremoceiro

1.1 planta com cerca de 45 cm (Lupinus albus), nativa da Europa, de folhas digitadas, com folíolos obovados e oblongos, flores brancas em inflorescências eretas, vistosas, e vagens pilosas com sementes achatadas; lupino-branco, tremoço-branco, tremoço-ordinário [Cultivada desde a Antiguidade como forrageira e pelas sementes nutritivas, comestíveis após cozimento que lhes retira a toxicidade, ou tostadas e us. como um sucedâneo do café; é excelente adubo.]

2 m.q. 1abrótea (Asphodelus albus)

****Brioso = adjetivo

que tem brio(s)

1 que tem dignidade, amor-próprio; altivo, pundonoroso

Ex.: mostrou-se extremamente b. durante o divórcio

2 que se envaidece; orgulhoso, vaidoso

Ex.: b. de sua glória

3 dotado de coragem; bravo, corajoso

Ex.: soldado b.

4 cumpridor de suas obrigações; cuidadoso, responsável, zeloso

Ex.: profissional b.

5 que se caracteriza por muita vivacidade; forte, vivaz

Ex.: execução b. de uma peça para piano

6 generoso, magnânimo, liberal

7 elegante, garboso (diz-se ger. de cavalo)

Ex.: cavalgava um b. alazão

8 que tem muita energia; fogoso, impetuoso (diz-se ger. de cavalo)

***Angu-de caroço = substantivo masculino

Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

1 m.q. 1angu ('falta de ordem', 'briga', 'intriga')

2 o que tem resultado contrário ao previsto

*****Reboço = substantivo masculino

Regionalismo: Brasil.

emboço aplicado novamente

******Emboço = substantivo masculino

Rubrica: construção.

1 a camada inicial de argamassa, ou de cal, na parede, e que serve de base ao reboco

*******Troço = substantivo masculino

Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

1 pedaço de madeira, lenha ou ramo; trocho

2 Derivação: por extensão de sentido.

pedaço de qualquer coisa

3 cada uma das partes do canhão composta por aduelas ligadas entre si

4 Diacronismo: antigo.

corpo de tropa

5 ajuntamento de pessoas; multidão

6 Regionalismo: Portugal.

trecho de caminho, de estrada etc.

7 Regionalismo: Brasil. Uso: tabuísmo.

massa ou porção de excremento de consistência sólida; troçulho

8 golpe desferido com a mão; bofetada, pancada

9 Regionalismo: Algarve.

erva ou palha trançada ou cortada

10 Regionalismo: Minho.

couve de pé alto (Todos: Houaiss).


Constatação VII (Como as eleições para prefeito e vereador em todo o país estão próximas, Rumorejando toma a liberdade de sugerir o vade-mécum ou os mandamentos para a adoção dos candidatos para o seu – deles – sucesso. Na eventualidade de ser eleito não tratar de recuperar de qualquer modo e preço o capital investido na campanha o investimento, independente dos altos proventos do cargo, levando em conta é apenas no nosso país é que vereador tem salário ou salário incompatível com as horas trabalhadas. Trabalhadas?).

-Se compor com os inimigos;

-Se compor com os presumíveis amigos;

-Engolir sapos sem pestanejar e sem reclamar;

-Apertar, com um sorriso nos lábios e olhando nos olhos, a mão de conhecidos e desconhecidos;

-Levantar e segurar criancinhas, mas sem beijá-las para não conspurcá-las com vírus, bactérias e, se for o caso, tampouco com mau-caratismo;

-Discursar, citando D’us, Liberdade, Democracia, Ética e Moral;

-Fazer promessas indistintamente, mesmo sabendo que fogem ou não a alçada dos cargos que pretende auferir;

-Ser oposição a uma série de fatos e coisas, como por exemplo, a corrupção e favorável a tudo aquilo que o seu presumido eleitor gostaria de ouvir (para, mais uma vez, ser enganado) como a resolução de, outro exemplo, a Educação, Ensino, Segurança;

Constatação VIII

Quando o obcecado ouviu pela primeira vez a canção de Dorival Caymmi, que diz “é doce morrer no mar”, comentou do alto da sua atilada sabedoria e elevada experiência: “se ‘é doce morrer no mar’ imaginem morrer nos braços de uma gatona, evidentemente depois de...”

Constatação IX

E como dizia aquele ‘anfitrião’ sovina se referindo aos convivas a quem a sua mulher havia oferecido um jantar: “Eles mandaram uma brasa na comida de maneira tal que até deu desgosto de ver. Vige!”

Constatação X

Tão mortiço

Seu olhar.

Até parecia feitiço

De quem quer casar.

Constatação XI

Ele foi contundente

Na sua peroração

Quando ela chegou,

Novamente,

Tarde no lar:

“Já sei. Dor de dente”,

Disse com um esgar.

“Nova obturação.

Desta vez.,

Você exagerou.

Em menos de um mês

As restaurações,

As obturações

Foram quarenta e três.

Depois,

Você olvidou

Que, em matéria de dente,

Só temos trinta e dois

Tão somente.

Constatação XII

Conta o falecido jornalista N. B. Linder que o escritor Schólem Aleikhem, pseudônimo de Schólem Rabinóvich, não agüentava ver o costume dos americanos do norte de mastigar “chewing gum” (goma de mascar; chiclete). Certa vez, um médico famoso, numa reunião na casa de Schólem Aleikhem observou que os norte americanos eram conhecidos no mundo científico como um povo de dispépticos crônicos, explicando que a origem do mal era devida a pressa, pois eles sempre estavam envolvidos em “business” (negócios), o que os impedia de mastigar devidamente a comida. –“Que povo esquisito”, comentou Schólem Aleikhem, “mastigam continuamente, menos quando comem”.

Constatação XIII

Em certos países, certos políticos têm a eloqüência dos homens sem palavra. Tenho dito!

Constatação XIV

Deu na mídia: “A onda ecológica que varreu o Brasil em junho de 1992, com a megaconferência Rio 92, espalhou a idéia de que a Amazônia, maior patrimônio ambiental brasileiro, estava diante da última chance de salvação. Dez anos depois, o olhar arguto dos satélites joga por terra este sonho de preservação. Desde o encerramento da conferência, a floresta amazônica (dona de 20% da água doce do planeta e de milhões de espécies) não deixou de estar um só dia sob ataque dos motosserras. Em uma década, foram 150 mil quilômetros quadrados de mata derrubada. E por quase nada. A terra, de baixa produtividade, pouco ajudou a reduzir o ciclo de miséria e abandono da região”. 20 anos depois, idem, idem. A mídia esqueceu, mais uma vez, de acrescentar: Viva “nóis”.

Constatação XV (De uma baita dúvida crucial).

Este assim chamado escriba, ao longo da sua sofrida – por ter que optar pelo bem menos ruim dos postulantes a um cargo executivo e/ou legislativo – condição de eleitor, nunca entendeu a razão dos candidatos afirmarem o que se deve ou pretenderiam fazer, sem a mínima preocupação de explicar a este pobre mortal e aos demais eleitores, como fazer. Lamentável...

Constatação XVI

E já que falamos no assunto, deputado tem cheque especial; simples mortais têm seproc especial.

Constatação XVII (Ainda sobre tais assuntos políticos).

E como se justificava aquele deputado, alhures: “Nós, os deputados, senadores e vereadores estamos certos em legislar em causa própria. Afinal, nós não estamos vivendo a época do salve-se quem puder ?”

Constatação XVIII

Para os bancos e, principalmente, aos banqueiros “o cliente, que nunca tem razão”, deve ficar na fila porque se colocar mais caixas o lucro não atingirá a casa do bilhão e meio de reais no trimestre. (Atenção revisão: é bilhão, mesmo).

Constatação XIX

Deu na mídia: “O Estado de São Paulo já teve, neste ano, entre janeiro e setembro, 763.970 casos de furtos e roubos. Os bandidos atacaram em ruas, carros, casas, estabelecimentos comerciais, bancos e lojas. O maior número de crimes ocorreu no interior do Estado: foram 346.611 casos. A capital ficou em segundo lugar na estatística da Secretaria da Segurança Pública de SP, com 287 mil crimes”.

Rumorejando, a fim de colaborar com as pessoas que gostam de estatística, apresenta o seguinte cálculo, tomando como referência apenas a capital paulista:

Média do número de casos por mês: 287.000:9 meses (De janeiro a setembro) = 31.889.

Média do número de casos por dia: 31.889:30 = 1.063.

Média do número de casos por hora: 1.063:24 = 44.

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I

Matrimônio,

Nos dias de hoje, é

Pura falta de neurônio ?

Dúvida II

É ser muito faccioso,

Só em época de eleição,

Ser dadivoso ?

Dúvida III

É uma baita prebenda

Estar isento

Do imposto de renda ?

Dúvida IV

Ela, toda tremebunda,

Afirmou que não é

O FMI que nos afunda ?

Dúvida V

Não se deveria esquecer,

Em toda festa, o nosso

Regime para emagrecer ?

Dúvida VI

É muita previsão,

Imaginar que alguém

Não vai vir na contramão ?

Dúvida VII

É muito estimulante

Ou desestimulante ter que

Tomar viagra cada instante ?

Dúvida VIII

É muita indecência

Ir pro motel e ficar

Jogando paciência ?

Dúvida IX

É ser muito letrado

Ler o jornal de cabeça

Pra baixo, virado?

Dúvida X

Será que o Mano Menezes vai reivindicar,

Como o Zagallo, que futebol tenha

Treze jogadores por causa do azar ?

Dúvida XI

A soma total

Do freguês e do comerciante

Nem sempre é igual ?

Dúvida XII

O preço, na promoção,

Estava maior do que

Na usual condição ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

Site: www.rimasprimas.com.br

terça-feira, 17 de julho de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

Rico tem barrigão; pobre, barriga-d’água.

Constatação II (De um pseudo-soneto de autoria de um novo obcecado que, por sinal, com esse mulherio atacando, está cada vez mais vicejando).

          Receita de felicidade

Seja solteira, viúva, ou divorciada

Eu as atendo com atenção e presteza

A gente pra elas não pode dar moleza

Há que ser eficiente nessa empreitada.


Não é preciso que eu corra atrás

Elas chegam, carentes, até a mim

E eu como sou um sujeito capaz

Sempre estou às ordens, estou a fim.


Existem três forças na natureza

E isso é uma indiscutível verdade,

Que ninguém nega, com certeza:


Fogo morro acima, emitindo calor

Água morro abaixo pela gravidade

E mulher quando está para o amor.


Constatação III (Opção sugerida por outro obcecado, metido a poeta, ao ler, em primeira mão, a última estrofe acima)

Fogo morro acima por oxigênio no ar

Água morro abaixo pela lei da gravidade

E mulher quando está doidinha para amar.

Constatação IV

O jogador Balotelli, que se declarou ser judeu porque a família que o adotou em Bréscia na Itália era de origem judaica e este assim escriba que é um brasileiro de origem também judaica e que sentiu durante grande parte da sua vida o preconceito por essa razão, classifica o jogador – que é da raça negra, originário de Gana, autor dos dois gols contra Alemanha nessa recente Eurocopa – como “dois em um”. Explica-se: Ele declarou que sempre tem sofrido hostilidade por esses dois motivos, inclusive, como já foi publicado, a extrema direita disse que “ele deveria jogar por Israel”.

Constatação V

Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Não tenho vocação para ser corna, diz ex-BBB Cacau”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a expressão “presidenta” ta encorajando neologismos.

Constatação VI (De mais um pseudo-soneto).

               Coitado?

Chamava a gorda sogra de elefante

Os amigos o chamavam de cornaca*

“Ela é nariguda, feiosa e petulante**”,

Ele dizia, e que era “trompa numa vaca”.


Como ele não era de pegar no pesado

A sogra acudia nas despesas da casa

Porque ele não era escrupuloso, atilado***

E que vivia, nas vizinhas, espichando a asa.


Um dia a mulher se aborreceu tanto

E mandou ele se arrancar, ir pastar

Ele caiu num choro, num triste pranto


Entrou numa fossa, caiu numa depressão

Ao se dar conta que a mamata ia acabar.

“Eu que tinha por elas tanto amor e afeição”.


*Cornaca =  substantivo masculino

tratador ou condutor de elefantes (Houaiss).

**Petulante =  adjetivo de dois gêneros

1 que ou aquele que se atreve, que ousa; atrevido, insolente

2 que tem ímpeto, vivacidade (Houaiss).

***Atilado = adjetivo

que se atilou

1 cumpridor de suas obrigações; correto, escrupuloso

2 feito com cuidado; esmerado, apurado

Ex.: trabalho atilado.

3 que tem juízo; ponderado, sensato

Ex.: provou ser atilado ao não aceitar a provocação

4 dotado de sagacidade; esperto, vivo


Constatação VII (De um terceiro pseudo-soneto).

       A melhor e última idade.


Esse negócio de “A melhor idade”

É a mais pura balela, é empulhação

Não tem nela a mínima veracidade

É somente para dar uma motivação.


É uma maneira de se jogar algum confete

Nos ‘véinhos’ para a longevidade suportar.

O número de deslizes e gafes que se comete

É incomensurável, não dá nem para contar.


Trocar nomes de fatos e pessoas é uma delas

Outra é a falta de memória, o esquecimento

Chamando as ‘véinhas’ de queridas donzelas.


Querer abrir a casa com as chaves do carro

E vice-versa é mais um inextricável* tormento.

Isso não é comentado pra ninguém tirar sarro...


*Inextricável =  adjetivo de dois gêneros.

1 que não se pode dissociar ou desembaraçar; indestrinçável

Ex.: nó inextricável.

2 constituído de elementos entrelaçados, entrecruzados a ponto de não se poder reconhecê-los, dissociá-los, elucidá-los

Ex.:

3 que não se pode resolver

Ex.: um problema inextricável. (Houaiss).


Constatação VIII

Rico é temperamental; pobre, é grosseiro.

Constatação IX (De mais um pseudo-soneto, também de autoria do obcecado).


    De um conselho útil

Preste atenção, prezado amigo

Leia e tente raciocinar comigo

Quando você se alterca com elas

Sempre ficam restando seqüelas.


No começo, o coração fica partido

Você até chega se sentir perdido,

Porém logo, logo você se acostuma

E novos amores e paixões você arruma.


Junto deverá chegar renovada esperança,

Pois, após o furacão, dizem, virá a bonança,

Mas pode acontecer que venha outro furacão.


Convém lembrar que a felicidade não é eterna,

Isso já era sabido desde a época da caverna,

E ela não é perene. Ela é como bolha de sabão.


Constatação X

Não se pode confundir lisura* com usura**, até porque os bancos comerciais, financeiras e outros agiotas, além dos juros extorsivos quando praticam a usura, inventam outras taxas, numa cabal demonstração de falta de lisura para com os seus achacados clientes, apresentando a cada trimestre do ano lucros pornográficos. Vige!

*Lisura =  substantivo feminino

1 qualidade do que é liso, do que apresenta uma superfície plana, acetinada, polida

2 Derivação: sentido figurado.

integridade de caráter; honestidade nas ações; retidão

Ex.: é fundamental a lisura na administração de verbas públicas (Houaiss).

**Usura

 substantivo feminino

1 juro, renda ou rendimento de capital

2 Rubrica: economia, termo jurídico.

contrato de empréstimo com cláusula de pagamento de juros por parte do devedor

3 Rubrica: termo jurídico.

empréstimo de dinheiro a juros superiores à taxa legal; agiotagem

4 Derivação: por extensão de sentido.

juro exagerado, extorsivo; onzena, agiotagem

5 Derivação: por extensão de sentido.

lucro excessivo

6 Derivação: por extensão de sentido. Uso: informal.

qualidade ou característica de quem é avarento, mesquinho, tem apego excessivo ao dinheiro, aos bens materiais; avareza, mesquinharia, sovinice

7 Derivação: por extensão de sentido. Regionalismo: Nordeste do Brasil.

desejo exacerbado de poder ou riquezas, honras ou glórias; ambição, cobiça (Houaiss).

Constatação XI

Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Nas colinas da Galileia, norte de Israel, um aparato de forte segurança composto por guardas, câmeras de circuito interno e muros protege mudas do que seriam plantas de maconha ‘politicamente correta’, sem propriedades entorpecentes, desenvolvidas apenas para fins medicinais”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que, agora, ta na hora desenvolver políticos e governantes ‘politicamente e honestamente corretos’ em todos os países do Planeta Terra, mormente, por estas bandas... Vige!

Constatação XII (De razões e proporções matemáticas elucubrativas).

A poção mágica do druida Panoramix está para o Asterix, assim como o chimarrão está para este assim chamado escriba. Data vênia, como dizem os nossos juristas, mas Rumorejando acha que pelo teor de estimulante que a erva-mate apresenta, o druida deve ter usado na sua – dele – poção mágica algum produto contendo cafeína ou algo assim.

Constatação XIII

Rico apalpa; pobre, bolina.

Constatação XIV

Em certo ano,

US$ 1,16 bilhão

Foi o lucro

Da coca cola.

Eu que sou meio xucro,

Meio insano,

Necessito explicação:

Com tal desempenho,

Será

Que dá

Pra comprar

Pros piás, uma bola,

Um machado pro lenho,

Uma choupana campestre,

E pra mulher,

O que ela mais quer,

Um pano

Sem se endividar?

Constatação XV

Rico se despe; pobre tira a roupa.

Constatação XVI

Deu na mídia: “Homem aprendeu a falar primeiro, dizem britânicos”.
“O primeiro ser humano a falar teria sido um homem. É o que afirma um livro publicado pela Academia Britânica que tenta explicar o aparecimento da espécie humana, intitulado 'The Speciation of man'. O livro reúne textos de cientistas de áreas como arqueologia, paleontologia, lingüística e genética”. E quem poderia imaginar que, assim mesmo, as mulheres teriam, sempre, a última palavra...

Constatação XVII

Rico tem filho rebelde, contestador; pobre, tem filho malcriado, mal-educado.

Constatação XVIII

Basta de platitudes*

De demagogia,

De inocuidade.

E mais:

De autolatria,

E de vaidade.

Quero ver,

Dos governantes –

Isso se conseguir,

Sobreviver,

Sem me iludir –

Soluções socialmente

Interessantes

E honestas atitudes,

Tão somente.

*Platitude =  substantivo feminino

1 qualidade do que é uniforme, regular, monótono

2 qualidade do que é banal, trivial

3 caráter do que possui qualidade medíocre, sem expressão (Houaiss).

Constatação XIX

Rico tem garganta; classe média tem gorgomilo; pobre tem goela.

Constatação XX

Ele ficou

Perplexo,

Abismado,

Quando ganhou,

Com espalhafato,

Do candidato,

Um baita amplexo.

E aquele ato

Ele achou

Meio sem nexo.

Coitado!

Constatação XXI (E já que falamos no assunto).

Rico chora de barriga cheia; pobre, chora com a barriga no espinhaço (muito magro).

Constatação XXII

Pena, meu irmão,

Que o Procon

Não pode autuar,

Meter a pua

Na farmácia,

Cheia de audácia,

Num flagra

Já que o preço

Do viagra –

E não se entende

Tanto aumento –

Não depende

Da elevação

Da moeda forte

Quando flutua.

Também do ouro,

Ou mesmo do latão...

Que desdouro!

Que tormento!

Até parece

Que a turma não merece

Ou eu não mereço

Atenção

Melhor sorte

Alguma vez,

Durante

Algum

Instante,

Ou os 30 dias

Do mês

Desfrutar

Dessas “patologias”

De um

Bem-bom...

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I

Quanto mais pro leão eu devo,

Além de assaz infeliz, me acho,

A cada dia, mais e mais motevo.*

* Motevo = “Indivíduo atoleimado, amalucado, abobalhado”.

Dúvida II

Vão dar um piparote

No alto risco

Do calote ?

Dúvida III

Até Pero Vaz de Caminha,

Na sua carta, já falava no spa

Da fabulosa Lapinha?

Dúvida IV

É o banqueiro

Que faz lipoaspiração

Do nosso dinheiro?

Dúvida V

Ainda vai dar o troco,

O meu Paraná,

Para sair do sufoco?

Dúvida VI

Ele disse para o sogro

Que, com o casamento,

Havia caído no logro?

Dúvida VII

O vigarista, o trastalhão

Queria dar o golpe do baú

Ao pedir, da ricaça, a mão ?

*Trastalhão = Refinado velhaco.

Dúvida VIII

É na reserva de mercado

Que dá pra gente

Comprar fiado ?

Dúvida IX

No campo e nas cidades

Repercutiu que os políticos

Só disseram amenidades ?

Dúvida X

Ela tinha tanto fã

Que a todos só dizia:

“Hoje, não. Amanhã” ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

http://www.rimasprimas.com.br/

quarta-feira, 11 de julho de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

O ladrão que rouba ladrão, diz o ditado

Tem cem anos de perdão.

O dito já está a longo tempo superado.

O que roubou é convidado

Pelo roubado

Para uma sociedade, para uma união.

Sob a alegação

Que juntos terão

Lucro dobrado.

Constatação II

Rico é empreendedor; pobre, é picareta.

Constatação III

E nunca esqueça, prezado leitor e prezada leitora, que a vanguarda de hoje é o antigo de amanhã. E a vanguarda de ontem é o antigo de hoje. E a vanguarda de amanhã poderá voltar a ser o antigo ou vanguarda de hoje. Elementar!

Constatação IV (De um pseudo-soneto).



              Frustração



Qualquer que fosse a hora, o dia

Não precisava ser hora e dias certos

Ela, como anfitriã, sempre me recebia

De coração, pernas e braços abertos.



A doce paisagem que me era dado a ver

Era deslumbrante como um raio de sol.

Diante do qual eu me punha a tremer

Que até me afetava o meu colesterol.



Um dia ela mudou de proceder para comigo:

“Você só está às voltas com teu próprio umbigo.

Vá ver – e não volte – se eu estou lá na esquina,



Pois há que se separar, de uma vez, do trigo o joio”.

Essa mudança de atitude me pegou no pé de apoio

E eu, com autopiedade, pensei: “Que triste sina!”



Constatação V (Subsídio para quem quer ser corneado).

Não se deve confundir errático, que o dicionário Houaiss dá como “que erra ou vagueia; errante” com erótico, que todo mundo sabe o seu significado, inclusive tem condição de sugerir outros significados aos já existentes nos dicionários, até porque veja o que tem circulado na Internet e que Rumorejando toma a liberdade transcrever, pedindo escusas ao autor por não nominá-lo por não saber quem é:

“Uma noite, depois de quase 30 anos de casados, o casal está na cama, quando a mulher sente que seu marido começa a acariciá-la como não fazia há muito tempo. Ele começa no pescoço, desce pelo dorso até as nádegas; volta ao pescoço, ombros, seios e pára na barriga; coloca a mão na parte interna do braço esquerdo, passa no seio, nas nádegas. Vai da perna esquerda até o pé, sobe pela parte interna da coxa e pára bem em cima da perna. Faz a mesma coisa na perna direita e, de repente, vira as costas e não fala uma palavra. A esposa, já "acesa", lhe diz carinhosamente: - “Querido, você estava maravilhoso, por que parou?” E ele, entre dentes:- “Já encontrei o controle remoto”.

Constatação VI (Passível de mal-entendido).

Quando o obeso filhinho de 42 anos levou, pela primeira vez, a nova namorada para apresentar para a sua supermãe, esta, lá pelas tantas, perguntou ao filhinho: -“Você já comeu?”

Constatação VII

De repente, não mais que de repente, a gente descobre que existem palavras hermafroditas, digo, “bissexuais”, digo de dois gêneros. Veja o caso da palavra moral que o dicionário apresenta, dentre outros significados, como:

substantivo masculino

5 estado de espírito

Ex.: as endomorfinas podem contribuir para elevar o moral dos pacientes

5.1 disposição de espírito que uma pessoa apresenta para agir com maior ou menor vigor diante de circunstâncias difíceis; espírito de luta

5.2 sentimento de confiança; coragem

Ex.: homem de grande moral

substantivo feminino

6 conjunto de valores como a honestidade, a bondade, a virtude etc., considerados universalmente como norteadores das relações sociais e da conduta dos homens

Ex.: defendia a moral e os bons costumes

6.1 conjunto das regras, preceitos etc. característicos de determinado grupo social que os estabelece e defende

Ex.:

6.2 conjunto dos princípios, ger. virtuosos, adotados por um indivíduo, e que, em última análise, norteia o seu modo de agir e pensar

Ex.: <é um homem de pouca ou nenhuma moral>

7 Rubrica: filosofia.

cada um dos sistemas variáveis de leis e valores estudados pela ética (disciplina autônoma da filosofia), caracterizados por organizarem a vida das múltiplas comunidades humanas, diferenciando e definindo comportamentos proscritos, desaconselhados, permitidos ou ideais

8 Rubrica: filosofia.

parte da filosofia que estuda o comportamento humano à luz dos valores e prescrições que regulam a vida das sociedades; ética

9 Derivação: por metonímia.

obra ou tratado sobre a moral

10 qualquer teoria, doutrina (não necessariamente defensora de um padrão de comportamento) que se fundamenta em certos princípios

11 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

capacidade de se impor, de influenciar ou ter ascendência, hegemonia sobre outrem

Ex.: foi lá e conseguiu a vaga na moral

Constatação VIII

Deu na mídia: “Em dois dias Elke Batista despenca da 14º. posição para a 27º. no ranking dos bilionários”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade em geral e para os pobres em particular.

Constatação IX

Deu na mídia: “Quatro brasileiros na lista internacional da corrupção: Paulo Maluf e o banqueiro Daniel Dantas. O fundador e ex-presidente do Banco Santos Edemar Cid Ferreira. O caso do propinoduto, que envolveu o ex-subsecretário de Administração Tributária do Rio Rodrigo Silveirinha Correa”. Vige!



Constatação X (De um pseudo-soneto. [Também para a minha neta Giovanna]).



Receita de comportamento



Ela sempre se destacava

No meio da sua patota

Recebia dos meninos pelota

E ela, tímida, ruborizava.



Na cadeira de português, boa nota

Sem problema para o diploma.

Falava um ou outro idioma

A turma a achava poliglota



Perguntaram o que fazia para ser brilhante

E a resposta veio no mesmo instante:

“Gosto de fazer exercícios de matemática”.



“Também de ler bons autores”;

“Cultivar excelentes valores”;

“E em tempo algum ficar estática”.



Constatação XI (De uma dúvida crucial).

Quem nasce em Primeiro de Maio, no meu estado, o Paraná, é Primeirense de Maio, ou Primeiro de Maiense, ou Primeirense de Maiense, ou nenhum desses? Quem souber a resposta, paticularmente o meu ex-colega do Badep, Marcos Aurélio, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XII

Rico sempre ta com a barra-limpa; pobre sempre ta barrento.

Constatação XIII

Rio+20, empulhação total. Havia alguma dúvida?

Constatação XIV

Não sei se o prezado leitor tem se dado conta de como as mulheres, nos três Poderes, têm desempenhado suas respectivas funções com muito mais propriedade e probidade que os homens. Tenho dito!

Constatação XV

Deu na mídia: Juntos, Maluf e Lula selam apoio do PP a Haddad. VIGE! SOCORRO!

Constatação XVI

E já que falamos no assunto, cabe a pergunta: Qual foi mesmo o currículo, o desempenho laudatório de Haddad no Ministério da Educação? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog, mormente para os nossos leitores e eleitores da cidade de São Paulo. Obrigado, desde já, em nome deles.

Constatação XVII (Ah, esse nosso vernáculo).

A união da professora de matemática com o professor de português não foi nem do presente nem do futuro, foi, portanto, pretérito, isto é do passado e fora uma relação de um produto, biunivocamente, ‘mais-que-perfeito’.

Constatação XVIII

Rico é retórico; pobre fala pelos cotovelos.

Constatação XIX

Para o rico há a opção de comprar com o cartão de crédito; Para o pobre: “Fiado, só amanhã”.

Constatação XX (De ditos de jogadores, técnicos, locutores, etc.).

A bola não quis entrar; Deus me ajudou; Vamos levantar a cabeça; futebol é uma caixinha de surpresa; O ataque superou a defesa; a defesa superou o ataque; o juiz não apitou dois pênaltis a nosso favor; o juiz marcou um pênalti contra nós que não existiu.

Constatação XXI

Político é aquele sujeito que acha que o mundo deve girar em torno de sua órbita, descrevendo círculos elípticos do qual o seu umbigo é um dos focos (Do livro Rimas Primas & Outras Constatações).

Constatação XXII

Rico faz declaração de amor em noite de plenilúnio*; pobre, vira lobisomem.

*Plenilúnio = Lua cheia.

Constatação XXIII

Deu na mídia: “Alessandro Amalfi, de 29 anos, cometeu um pequeno delito e foi condenado por um juiz de Messina, Itália, à prisão domiciliar. Mas ele pediu para ir para a cadeia, pois não agüenta morar com a sogra”. O Sr. Amalfi, pelo o que tudo leva a crer, sabe das coisas...

Constatação XXIV

Ela, muito apressada,

Vivia sempre atrasada,

Mas, vejam, não fazia nada

Durante toda a jornada.

Constatação XXV

Deu na mídia: “Trabalhar muito provoca enfarte”. Eis, finalmente, a explicação científica que eu, como tantos, estava buscando...

Constatação XXVI

Deu na mídia: “A crise econômica na Europa está cada vez mais evidente. As estimativas começam a se materializar com a revisão das perspectivas de crescimento, que, agora, mostram a região entrando em recessão”. E, alguma dúvida – crucial ou não – de um viva “nóis”, já que refletirá, segundo os entendidos, em outras regiões do Planeta Terra.

Constatação XXVII (De mais um pseudo-soneto).



                   Boas maneiras



Na azáfama de preparar uma razoável comida

Que iria servir aos pais do namorado da filha

Ela ficou tão preocupada, de nervos, uma pilha

Se sentindo pressionada, aflita, deveras perdida.



Os convivas chegaram com uma hora de atraso

Não pediram desculpas, tampouco se explicaram

E durante o jantar piadas grosseiras eles contaram

E ela sem demonstrar considerou, deles, pouco-caso.



Os anfitriões se entreolharam bastante assustados

Como dizendo: “Onde nossa filha está se metendo”.

O que não havia ocorrido com anteriores namorados.



Altas horas, os convidados não faziam menção de sair

E ela, irritada, intranqüila, irada não mais se contendo:

“Já está na hora de eu tomar a minha pílula de dormir”.



DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS

Dúvida I

“Continuidade

E não continuísmo”.

Será mais uma “boutade”* ?

*Boutade = “Dito espirituoso”.

Dúvida II

O carreto de trafegar

No seu empedernido coração

Tá difícil de pagar ?

Dúvida III

Ela, com seu fusquinha,

Queria enfuscar*

O carro Volvo da vizinha ?

*Enfuscar = “Ofuscar”.

Dúvida IV

Com tanta fofoca, o vaga-lume

Estava pondo mais lenha na

Fogueira, acendendo o lume ?

Dúvida V

Onde ninguém suspeita,

Ali, pertinho, no infinito,

Que o oito se deita ?

Dúvida VI

No auge, no delírio,

Lhe veio à mente

Um jardim, um lírio ?

Dúvida VII

Virou um caso pessoal

A sogra se apossar, antes

Dele, do imaculado jornal ?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 4 de julho de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

Hitler deve ter se virado lá no seu túmulo, segundo consta onde morreu – lá na Argentina, que deu guarida aos nazistas quando a Segunda Guerra Mundial findou – ao se inteirar que a Alemanha foi desclassificada na Eurocopa pela Itália, pelo placar de 2x1, com dois gols do jogador Balotelli, negro e que se considera judeu.

Constatação II

Rico tende a ser conservador e sempre defende o ‘status quo’*. Quando envelhece tende a virar reacionário; pobre tende a ser revolucionário para mudar o ‘status quo’. Se eventualmente ficar rico tende a desprezar os pobres. Vige!

*Status quo = “expressão latina que designa o estado atual das coisas, seja em que momento for” (Google -Wikipédia).

Constatação III (Expressão matemática dos políticos).

Nas razões e proporções da matemática podemos inferir que o álcool está para a irresponsabilidade, assim como os políticos estão para a fraude. Logo, tirando o valor dos políticos obtém-se que é igual à fraude multiplicada pelo álcool e dividido pela irresponsabilidade. Vige!

Constatação IV (De uma quadrinha para ser recitada para os meus credores e para a minha gerente do banco).

Pediram que eu abrisse uma conta corrente com cem

Pois sabem que eu não sou nem nunca fui velhaco.

Como sempre vivo sem um pu, digo, algum vintém

Como vou conseguir sair desse desagradável buraco?

Constatação V

Não se pode confundir célere, que o dicionário Houaiss dá como “com velocidade acelerada; ligeiro, veloz” com célebre, que o mesmo dicionário dá, dentre outros, como “distinto pelo saber, mérito e demais qualidades louváveis; notável, ilustre”, muito embora exista uma profusão de político que tão logo ascende fica célere em pôr a mão no jarro, ficando célebre, diferentemente o que apregoa o citado dicionário, como um ladrão da coisa púbica.

Constatação VI (Não assim pequena, a guisa de informação e, claro, de um desabafo também).

Diz o ditado: “O que nos torna sábios não é a experiência, mas a reflexão sobre ela”. Parodiando este ditado: O porquê de Rumorejando: Uso do humor para o entretenimento e para a reflexão. E esta nasce de questionamentos. Daí, por exemplo, as Dúvidas Cruciais, Coisas que precisam ser inventadas e, claro as Constatações. E, assim, Rumorejando se propõe a questionar porque com o advento da assim chamada Democracia, mormente, nos três Poderes da República, há tanta fraude, tanta falcatrua, tanto mau-caratismo. Por que tanta distorção salarial? Por que essa disparidade entre os salários dos governantes e de um simples operário? Por que só pobre vai para a cadeia? Por que não se resolve a situação da Saúde, da Educação e da Segurança, dentre outros, de uma vez por todas? Por que há verbas para pagar o alto salário de deputados, senadores, desembargadores e não há para investimentos também em infra-estrutura? E, voltando-se para o comportamento dos países ricos e das pessoas ricas causa espécie a insensibilidade para com os, digamos, menos afortunados. As reuniões dos G20, G7 + Rússia, a Rio+20 e demais é uma empulhação, uma enganação, uma pantomima que não serve para mudar o status-quo, já que as promessas são demagógicas e são eternamente proteladas. As “ajudas aos países em crise financeira, após discussões com os países como a França e a Alemanha e, mais os FMI’s da vida socorrem na base de empréstimos. Os ricos não abrem mão de seus privilégios. Eles estão às tintas para os demais. E vejam, prezados leitores, é só uma questão de querer, de mudar a estrutura mental dos ricos sem maiores traumas a eles. A adoção da Taxa Tobin (TT). Vejamos o que diz a Wikipédia no Google sobre a TT: “A Taxa Tobin é um tributo proposto pelo economista americano James Tobin, da Universidade de Yale, laureado com o Prêmio Nobel de Economia em 1981. Esse tributo incidiria sobre as movimentações financeiras internacionais de caráter especulativo.

A proposta da Taxa Tobin inspirou a criação da ATTAC, em 1997, por Ignacio Ramonet, diretor do jornal francês Le Monde Diplomatique.

Tecnicamente, nos termos da legislação tributária do Brasil, a "Taxa Tobin" seria na verdade um imposto e não uma taxa, cuja alíquota, incidente sobre o valor das transações financeiras de curto prazo, deveria variar entre 0.1% e 0.25%. Embora a alíquota proposta fosse baixa, Tobin acreditava que pudesse limitar a especulação financeira internacional”. Ainda a Wikipédia, no Google notícia: “A secretaria-geral da Central Sindical Internacional (CSI), Sharan Burrow, reúne-se nesta quarta-feira com a presidenta Dilma Rousseff e vai defender a criação de um imposto mundial sobre transações financeiras, como fizeram na véspera o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel. Fonte: 17/8/2011 9:56, Por Redação, com Carta Maior de Brasília). E continua a notícia na Wikipédia, no Goolgle:

- Esse mercado financeiro sem controle levou a uma crise que é financeira, mas prejudica o trabalho decente e a proteção social dos trabalhadores, disse à Carta Maior a sindicalista brasileira Nair Goulart, que é dirigente da CSI e vai participar da audiência no Palácio do Planalto” (Pelo o que se tem visto com relação ao auxilio financeiro dado a Grécia e o que se cogita para com outros países ameaçados de quebrarem, não tem sido aceito a adoção da Taxa Tobin. Os esquemas continuam os mesmos. A distorção entre ricos e pobres deverá seguir o seu caminho de estrangulamento a países como a África, Asia, América Central e do Sul e também a alguns países da Europa e os Estados Unidos. Economia sustentável, nem pensar. Seria de bom alvitre a Presidenta Dilma convencer os demais países, ditos emergentes, de se incorporarem na defesa da implantação da Taxa Tobin e deixar de participarem nos FMI’s da vida, enquanto a Saúde e a Educação estão cada vez mais caóticas, apenas para citar essas duas. Afinal, porque deixar que a execrável especulação financeira não seja ao menos taxada?

Em tempo: Europa fará experiência ousada com a Taxa Tobin (Analise de autoria de Humberto Saccomandi, publicada no dia 28 de junho de 2012, no Jornal Valor Econômico pagina A15).


PSEUDO-SONETOS UM TANTO QUANTO LEVEMENTE ERÓTICOS, ALGUNS; OUTROS, BEM MENOS OU NULOS EM EROTISMOS.


Constatação VIII (De um pseudo-soneto com rima em ‘ência’).


Ta na hora de perder a paciência


Perdura uma grave pendência

E isso não é uma maledicência.

Queremos saber se há solvência

Na Saúde, sempre sem assistência


Também na Educação sem subsistência

E na Segurança que está uma indecência.

Talvez se a corrupção não fosse ciência

Aplicar-se-ia verbas com proficiência.


Isso apregoado, já perdida a paciência

Não se deve permitir a permanência

Daqueles que já mostraram incoerência.


Ocorrendo a existência de decência

E para tal basta do eleitor consciência

E aí sim o Brasil chegará a ser potência.


Constatação IX (E como “pseudo-soneteava” o obcecado com rima em “’avel”).


Mas eu sou um cara desfrutável

Sou um sujeito inefável

Ou o que é mais provável

Contrário a tanto detestável

Sou com elas muito amável.


Eu torno as fantasias delas realizável

E a minha companhia é agradável

Elas me consideram apaixonável

E meu desempenho inatacável.


E a uma coisa que não é contestável

Sou um sujeito assaz domesticável

E agir diferente seria inexplicável.


Permaneço ao lado delas comportável

Para que não possa ser injustificável

Ainda que me achem inclassificável.


Constatação X (De outro pseudo-soneto, do obcecado, em continuação do pseudo-soneto anterior. Também com rima em “ável”)


          Investimento rentável


Tenho uma certeza, até uma fé inquebrantável

Que eu também sou um cara desfrutável

Com comportamento irreprochável.

Mau-caratismo, comigo, é impensável.


Minha atitude com elas é sempre louvável

Eu as trato com muito carinho inexpugnável

A maledicência de tantos não me é perturbável

Que eu considero algo odioso, algo abominável.


Acontece que eu sou adepto do reciclável

O que me induz constantemente ao renovável

O que para o meu ego considero assaz saudável.


Aí, eu as levo a um motel para um evento memorável

E, claro, para um amor digno numa cama confortável

Evidentemente desde que o meu desempenho seja viável.


Constatação XI


“Pseudo-sonetou” ele para ela:


Antes de irmos para a cama

Diga se você ainda me ama.

Em caso positivo, fique nua

Pois com roupa a gente sua*.


Fique só de sutiã e calcinha

Eu tiro e faço uma trouxinha

E enquanto eu for, trêmulo, tirando

Você e eu iremos nos excitando.


Me fale dos teus pontos erógenos quais são

Que eu te oriento onde os meus estão

E assim ambos ativaremos nossa libido.


Com isso eu melhoro meu fraco desempenho,

Pois nunca me faltou capricho ou empenho.

Você ficará feliz e eu humildemente agradecido.


*Rico transpira; pobre, sua.


Constatação XII


“Pseudo-sonetou” ela para ele


Veja lá se você me poupa

De que eu tire toda a roupa

Neste rigoroso frio curitibano

Que já vem desde o começo do ano.


Não é preciso eu ficar nua

Pra ser inteiramente tua

Basta eu só tirar a calcinha

E deixe que eu sei tirar sozinha.


Quanto à parte de cima

Por causa desse clima

Eu não pretendo tirar.


Como você tem uma baita imaginação

Faz de conta que eu tirei meu blusão.

E, juntos, iremos nos esfalfar*...


*Esfalfar =  verbo

transitivo direto e pronominal

cansar(-se), fatigar(-se), extenuar(-se) devido a trabalho, esforço excessivo ou doença (Houaiss).


Constatação XIII


Massagens e seus efeitos e terapias.


Uma massagem ela pediu para ele lhe fazer

Queixou-se que o computador lhe dava LER*.

Aí ele sugeriu que ela toda a roupa tirasse

Para que ela pudesse relaxar e em alfa entrasse.


Ele, então, iniciou a almejada massageada

Ao invés de relaxar ela ficou um tanto excitada

Ele logo notou que a respiração dela acelerou

E que ele também se despisse, ela aconselhou.


Ele não se fez, em nenhum momento, de rogado

E com toda pressa ficou desnudo, despido, pelado.

E as massagens se transformaram em beijinhos.


A preconizada massagem descambou a um ponto tal

Que ela quando chegou ao seu término, ao seu final

Sobrevieram louvores e não foram pouquinhos.


*LER ou L.E.R. = Lesão por Esforço Repetitivo (Google).


E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

www.rimasprimas.com.br