terça-feira, 28 de agosto de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Para a Miriam).
Nostalgia
Saudade dolorida.
Amarga. Sentida!
Pior que um açoite...
Dói de dia
E inda mais
À noite
Como jamais.
Constatação II
Primeira reação:
Ele não é respeitado
Nos seus sentimentos,
Pois ela, qual uma esfinge,
Disfarça, despista, finge,
Em todos os momentos,
Que não capta, não entende
Seu incomensurável amor,
Dito, exposto, explicitado
Com muita ênfase, com ardor.
Coitado!
Segunda reação do mesmo fato:
Ela vivia falando,
Ou melhor, resmungando
Que não tolerava
Certos alimentos
Que lhe davam mal-estar
E por isso não aceitava
Os convites para jantar
Parecia até praguejamentos.
Mais tarde, ele se deu conta
Algo que ainda o desaponta:
Ela não queria mais o aturar
O que o deixou incomodado
Coitado!
Constatação III (De uma baita dúvida crucial).
Este assim chamado escriba, ao longo da sua sofrida – dentre outros, por ter que optar pelo menos ruim dos postulantes a um cargo executivo e/ou legislativo – condição de eleitor, nunca entendeu a razão dos candidatos afirmarem o que se deve ou pretenderiam fazer, sem a mínima preocupação de explicar a este pobre mortal e aos demais eleitores, como fazer. Aliás, Rumorejando, após ingentes esforços, estudos, pesquisas descobriu a fórmula que os políticos costumam utilizar: Primeiro, eles partem para a promessa; em seguida, partem para a premissa de que promessa é dívida; a dívida, eles deixam ficar velha; aí, recorrem à máxima, ou mínima, de que dívida velha não se paga. Elementar, minha gente. Lamentável, também...
Constatação IV
Não se pode confundir utilidade com futilidade, muito embora o(a) consumista, por natureza, vive comprando futilidade, achando que lhe será de utilidade. A recíproca para esses importantes casos de supérfluos pode ser verdadeira ou não. Sejamos honestos: Muito esclarecedor, sem dúvida, essa de "verdadeira ou não".
Constatação V
E não se pode confundir carapaça com carapuça, até porque tem gente que não veste a carapuça, fingindo que não é com ela, principalmente quem é cara de pau, se disfarçando com uma carapuça de boas pedras. Grandessíssimos filhos da p, digo, da mãe deles que eles são. Vige!
Constatação VI
Não se pode confundir jacta com jaca, muito embora quem se jacta de comer uma jaca, àquelas de 10 quilos, sozinho, numa vez só, está correndo o risco de não poder se jactar nunca mais na sua vida. Idem, idem se a dita cuja cair na sua cabeça. Quanto à recíproca, deixa pra lá.
Constatação VII
Quem deixou de assistir o projeto “O samba e sua nobreza”, em que se apresentaram os grandes nomes de Velha Guarda da Portela, da Mangueira e de outros tantos nomes lembrados e cantados como Noel Rosa, Carlos Cachaça, Nelson Sargento, Ataulfo Alves, apenas para citar alguns poucos, não sabe nada de nada. Tenho dito.
Constatação VIII (De conselhos úteis. De nada!).
Na época de férias e havendo necessidade de um canil para deixar hospedado o melhor amigo do homem, o proprietário do animal deve estar atento a alguns pontos, como higiene, transporte, espaço de lazer, local de dormir e profissionais responsáveis pelo estabelecimento. Enfim, nada diferente a escolha, com preço compatível, de um hotel para ele mesmo e sua família.
Constatação IX
Rico é persistente; pobre, é teimoso.
Constatação X
Deu na mídia: "O Canadá ameaça retirar investimentos da Polônia se a empresa aérea do país, a Lot, continuar com a estratégia de comprar aeronaves do Brasil. O conselho executivo da Lot, porém, já havia tomado a decisão interna de comprar os aviões da Embraer. Mas a pressão dos canadenses, que lutam para garantir as vendas da Bombardier, fez com que a empresa polonesa voltasse a debater a compra". Este assim chamado escriba está começando a desconfiar – ingenuamente, meio tarde, é bom que se reconheça – que não existem "amigos", "países amigos", "parentes amigos", "conhecidos amigos" "etc. amigos" e, sim, interesses. Não mais que interesses. Tenho, mercê de experiência própria, dito!
Constatação XI
O Prêmio Nobel colombiano Gabriel García Márquez, em seu último livro Vivir para contarla eliminou o advérbio de modo terminado em mente em seus escritos, ao se referir ao “enxugamento” do texto. O recusado pela Academia Brasileira de Letras, o falecido gaúcho Mário Quintana, um dos gurus de Rumorejando, escreve no seu Elogio do quê o seguinte: “E desses que evitam cuidadosamente os ‘quês’ (parece que o toque de caça foi dado pelo velho Castilho) o que estão, afinal, é desossando este nosso rude e doloroso idioma... Um idioma durão”.
Constatação XII
Com seu ar pachorrento
Ele informou à Receita
Que, de imposto, tava isento
E que não era nenhuma desfeita.
É que apenas até aquele momento
A venda tinha sido imperfeita
Com um faturamento muito lento,
Mas que no porvir tudo ajeita.
E esse clima totalmente cinzento
De braços cruzados não se aceita
E que o futuro será um portento.
Que ele em berço esplêndido não se deita,
Bastando somente ficar atento
Para as oscilações do mercado que se respeita,
Já que a lei de oferta e procura não tem reinvento.
Constatação XIII
Deu na mídia: “Dez maiores bancos do Brasil já concentram 42% dos ativos”. “A agência norte-americana classificadora de risco de crédito Standard & Poor´s divulgou em relatório sobre os grandes bancos brasileiros, destacando a grande concentração dos ativos do setor”. “A agência lembra que o Itaú, um dos maiores bancos privado, anunciou recentemente as aquisições do banco BBA Creditanstalt e do banco Fiat, enquanto Bradesco, também um dos maiores bancos privado, comprou o BEA e o Mercantil de São Paulo. O Unibanco, antes de se unir o Itaú, ampliou a presença no mercado varejista com parcerias com grupos como o Magazine Luiza e o Ponto Frio. Como o prezado leitor pode constatar a concentração de renda, qual a marchinha de carnaval que fala do cordão dos puxa-sacos, “cada vez aumenta mais”.
Constatação XIV (Com a introdução de pessoas de outros status financeiros, além dos ricos e pobres).
Rico, troca idéias; classe média alta, alterca*; classe média baixa, discute; pobre, bate-boca.
*Altercar =  verbo
 transitivo indireto e intransitivo
1 discutir com calor; polemizar, disputar, contender
Ex.:
 transitivo direto
2 fazer a defesa de (idéia, argumento etc.) em polêmica
Ex.: o advogado alterca a explicação do acusado. (Houaiss).
Constatação XV
Mais três autores que Rumorejando toma a liberdade de sugerir aos seus prezados leitores: Tutty Vasques, no Estadão, com seu sutil humor (www.estadao.com.br) ; as fotografias da fotógrafa Lina Faria (http://naftalina55.blogspot.com.br) e o Professor Paulo Roxo Barja, com sua Literatura de Cordel (http://cordeis joseenses@blogspot.com.br). Tenho respeitosamente dito e aconselhado!
Constatação XVI (De um pseudo-soneto).

           
                 Bem feito!

Ela trabalhou com denodo e afinco
Deixando a casa limpa, um brinco.
Ele chegou com os amigos, de repente
Conspurcando* o recinto, o ambiente.

Ela não estava com TPM ou mal-humorada
Triste, macambúzia, sorumbática ou chateada
Apenas quando viu o batalhão na casa adentrar
Veio-lhe à mente a expressão, agora, já antiga: Lar doce lar.

E eis que lhe ficaram os olhos sombrios, anuviados, capiongos
E segurando um guarda-chuva fechado de modo ameaçador
Bradou: “Ponham-se daqui para fora sua súcia de mocorongos”.

A turma, assustada, tratou de salvar a pele, temendo uma coça
Vendo que ela não estava para brincadeira com todo aquele furor
Tratou de se escafeder dali se atropelando uns aos outros sem muita boça.
*Conspurcar =  verbo
transitivo direto
1 colocar ou deixar cair sujeira sobre; sujar, manchar
Ex.: conspurcou o traje de gala
transitivo direto
2 Derivação: sentido figurado.
fazer recair dúvidas sobre a integridade de; macular, infamar, desonrar
Ex.:
transitivo direto e pronominal
3 Derivação: sentido figurado.
tornar(-se) vil, abjeto; corromper(-se), perverter(-se)
Ex.: conspurcar (-se) o idealismo dos jovens
intransitivo
4Diacronismo: antigo.
criar pus; infeccionar (ferida, lesão etc.) (Houaiss).


DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I
É muito lamento
Dizer que o juiz deu o pênalti
No último momento ?
Dúvida II
É muita indolência
Ir pro motel e ficar
Jogando paciência ?
Dúvida III
É pouco paradisíaco
Uma bolada ali perto
Do osso ilíaco ?
Dúvida IV
Parecia mais um perjúrio,
Durante o comício, quando o
Político falou em bom augúrio ?
Dúvida V
Ele ficou compungido
Por estar perdendo
A libido ?
Dúvida VI
Ou isso de libido
É só para quem
É destemido ?
Dúvida VII
É de mau alvitre,
Na hora do bem-bom,
Sentir a artrose e/ou a artrite ?
Dúvida VIII
A soma total
Do freguês e do comerciante
Nem sempre é igual ?
Dúvida IX
O preço, na promoção,
Estava maior do que
Na usual condição ?
Dúvida X
Está dando mal-e-mal
Para comprar comida
Sem aumento salarial ?
Dúvida XI
De tanto malhar,
Na academia, não deu,
Uma semana, para sentar ?
Dúvida XII
Ou a celulite
Transmigrou
Pruma tendinite ?
Dúvida XIII
Não é um baita disparate
Querer colocar adoçante,
Açúcar, ou mel no mate ?
Dúvida XIV
E quem não toma chimarrão,
Não joga truco e, deixa pra lá,
Não tem imaginação ?
Dúvida XV
Perder as partidas finais
Para os russos e mexicanos
Teve a mesma sensação de funerais?
Dúvida XVI
Quando se morre na praia
É como levar na cara
Um rabo-de-arraia?
Dúvida XVII
E já que falamos no assunto
Quem luta capoeira sem conhecimento
Arrisca ser considerado um bestunto*?
*Bestunto =  substantivo masculino
Uso: informal, pejorativo.
capacidade mental limitada, inteligência curta (Houaiss).
Dúvida XVIII
Se for verdade a terrível notícia
Que a Tim andou prejudicando os usuários
Não seria um caso de polícia?
Dúvida XIX
O julgamento dos réus do mensalão
Revelou que nas várias plêiades*
Deles só tem cara bom?
*Pleiade =  substantivo feminino
1 reunião de sete pessoas ilustres
2 Derivação: por extensão de sentido.
grupo de homens ou de literatos famosos (Houaiss).
Dúvida XX
A Olimpíada na Inglaterra
Mostrou, mais uma vez
Que a gente quase sempre, se ferra?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
 www.rimasprimas.com.br 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I
Rico flerta; pobre, lança olhos de jacaré.
Constatação II
Deu na mídia: “MADRI - O rei da Espanha, Juan Carlos I, levou um tombo na manhã desta quinta-feira, 2, próximo passado, em visita ao Ministério da Defesa do país. O rei, de 74 anos, não foi avisado que havia um degrau e tropeçou. O incidente não impediu que o monarca continuasse normalmente a visita às instalações. Ele se levantou sozinho e participou de uma videoconferência com militares”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que foi castigo para o imbecil de S. Majestade que foi matar elefante na África. Tomara que se fod, digo, tenha se estrepado...
Constatação III
Nunca ficou provado se o problema dela era uma espécie de genética de sogra. Explica-se: Quando o filho casou, ela passou a tratar a nora como a sogra sempre a havia tratado e que ela tanto abominava. Vige!
Constatação IV (De razões e proporções matemáticas em um mundo que todos deveriam ser iguais e ter os mesmos direitos).
O veto de certos países está para o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas assim como o veto da concordância em fazer o teste do bafômetro está para o motorista ou, ainda, para certas pessoas – políticos, por exemplo – estão para o Fórum Especial. Eta mundinho de privilégios, desonesto e hipócrita! Vige!
Constatação V
Deu na mídia: “Deputados de SP ganharam auxílio-moradia. Até houve pagamento retroativo e ex-parlamentares podem ir à Justiça pelo benefício”. Em Minas Gerais, aumento de seus próprios salários. No Piauí, um deputado custa ao governo local R$ 45 mil reais por mês. Também sucedeu algo semelhante na Câmara Federal, Senado, etc. que, no caso, quer dizer que o efeito cascata irá até os vereadores. Dúvida crucial: Até quando se vai legislar em causa própria ? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VI
Ela não cabia
De contente,
No dia
Da sua posse.
Mas, infelizmente,
No decurso
Do seu discurso,
Assaz enfadonho,
Eivado de bobagem,
Como tantos
E repleto de alguns
Não poucos desencantos.
Portanto, durante
A sua mensagem –
Com voz dissonante,
Em tom monocórdio,
Lento,
Sonolento,
Sem muito argumento
Que a todo momento
Parecia um nó górdio,
Ininteligível –
Encardida,
De lugares comuns,
Desenxabida –
Diga-se de passagem –
Incrível !
Teve um medonho
Acesso de tosse
Rouquenho, tristonho
Que parecia
Estar entupida,
Encalacrada,
Empedernida,
Resfriada.
Coitada!
Constatação VII
Deu na mídia: “A agência de classificação de risco Standard & Poor´s anunciou que retirou todos as classificações de crédito da "Província de Buenos Aires (República Federativa do Brasil)", a pedido da Província”. E a gente que estava, ingenuamente, supondo que os gringos, de uma vez por todas, já tinham aprendido qual é a capital do Brasil. Vige!
Constatação VIII
Rico é erotômano; pobre é tarado.
Constatação IX
E como lucubrava, enrolando a língua, aquele sujeito já totalmente n’água, depois de ter tomado, muitas, umas e outras: “É engraçado. Tomei três garrafas de cerveja gelada e o meu xixi sai quente. Sinal que eu não sou totalmente um pé frio”.
Constatação X
Deu na mídia: “Mulheres na Suécia acusam Prêmio Nobel de sexista, lembrando que apenas 3% de mulheres ganharam o prêmio”. Data venia, como diriam nossos juristas, e com todo o respeito, Rumorejando acha que para ganhar o Nobel, como, por exemplo, em Literatura, Selma Lagerlöf, Pearl S. Buck, Gabriela Mistral, Nadime Gordimer, Wislawa Szymborska tem que fazer jus. Tenho dito!
Constatação XI
Deu na mídia: “Brasil tem grandes áreas naturais preservadas, mas atividades predatórias ainda são intensas”. Como os meus prezados leitores podem constatar a mídia anda sofrendo de falta de memória porque tem se esquecido de acrescentar viva “nóis”.
Constatação XII
Quando o Brasil foi campeão do Mundo, com o Felipão, pouco antes o jornal uruguaio “El País” publicou que uma vidente argentina previu que o Uruguai venceria a Copa do Mundo que foi disputada na Coréia e no Japão. Entre outras previsões, a vidente se orgulha de ter antecipado a ascensão e queda de Fernando de la Rúa na presidência argentina e da prisão do ex-presidente Carlos Menem. Com todo o respeito, Rumorejando acha que a vidente argentina devia se dedicar apenas à política. Afinal, futebol, como já diziam os entendidos, sempre foi, é e será uma “caixinha de surpresas”.
Constatação XIII (Futebolística vernacular).
Assim como passou a fazer parte do dicionário a palavra “imexível”, proponho aos nossos filólogos a adoção da palavra “imarcável”, que teria significado de que ou quem não se pode marcar, como, por exemplo, acontecia com Garrincha e tantos outros e que agora parece estar acontecendo, em algumas partidas, com o jogador Neymar. Noutro extremo, acontecia com Djalma e Newton Santos o revés. Eram “impassáveis”, no sentido de intransponíveis. Dificilmente algum atacante passava pela marcação deles. Fica, portanto, consignada a sugestão, ou, se quiserem aproveitar o embalo, as doutas sugestões.
Constatação XIV
Deu na mídia: “A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda divulgou recentemente um parecer recomendando ao Conselho de Acompanhamento de Defesa Econômica (Cade) punição a cinco empresas farmacêuticas por prática de cartel internacional no mercado de vitaminas”. Rumorejando acha que o Cade deveria dar uma espiadela em outros ramos também. O que está acontecendo por aí é de arrepiar até os cabelos de careca...
Constatação XV
Rico é errabundo*; pobre é vagabundo.
*Errabundo = Errante (Houaiss).
Constatação XVI
Deu na mídia: “Para o IBGE, todo o ano é o ‘o ano dos bancos’. As crises enfrentadas pelos países como Grécia, Espanha e outros nos tempos atuais e a conseqüente alta dos juros melhoraram o resultado das instituições financeiras e inibem o consumo das famílias”. Rumorejando não tem dúvida – crucial ou não – sobre o assunto. Basta ver os lucros dos bancos, apresentados em seus balanços semestrais. Outra dúvida: Por que os banqueiros não colocam mais caixas, enquanto nós, os simples mortais, envelhecemos na fila? E por que as tarifas bancárias tiveram aumentos de até 100% este ano, segundo o balanço anual divulgado pela Fundação Procon? Alguém se lembra de algum ano que não foi dos bancos ? Quem souber as respostas, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVII
Rico acaricia; pobre, bolina.
Constatação XVIII
A minha cidade de Curitiba está com um clima bastante frio. Cada vez mais frio. Já no outono o frio se assemelha com o frio de inverno. No entanto, em alguma época, havia o que se convencionou chamar de veranico de verão – o que vem acontecendo agora – quando a temperatura voltava a se apresentar como no escasso verão curitibano. Esse veranico acontecia em março. Depois passou a Abril. Em seguida em maio e mesmo em junho e julho. Ultimamente, ele desapareceu de vez e, quando aparece não dura mais do que dois dias. Comentário de um conterrâneo cá da terra, tiritando de frio: “Vá alguém querer compreender as idiossincrasias climáticas de um santo. To falando de São Pedro”.
Constatação XIX (De um pseudo-soneto, dedicado aos que, sinceramente, se oferecem a determinados prazerosos afazeres).

Da arte de engambelar como os políticos.

O galinho novo muito astuto e matreiro
Tentou desbancar o velho no galinheiro:
Com ele, elas botariam ovos de ouro
E assim ficariam com um baita tesouro.

As galinhas não foram naquela conversa
E disseram pra ele: “Não enrola, não tergiversa.
Nós estamos acostumadas com aquele acolá
E ele, para nós, é o nosso sultão, nosso paxá”.

Vendo que suas palavras não surtiram efeito
O galinho novo pensou: Vou dar outro jeito”
E propôs ao papagaio que tinha bom papo:

“Você convence as galinhas com tua famosa retórica
Que eu sou assaz bom na aula prática e na teórica
E que meu pobre e sofrido coração não é um trapo”..

Constatação XX (Meio confusamente repetitiva).
Quando o pai do dragão instou o filho a arrumar uma namorada ele se vestiu com uma roupa a prova de fogo que lhe saía pelas ventas. A tal roupa tinha uma dragona* que nada tinha com a vizinha, a jovem dragona, que ele sempre a tinha olhado assaz interessado.
* Dragona =  substantivo feminino
1. Rubrica: vestuário.
pala, ornada ou não com franjas, ou peça de metal amarelo que os militares usam em cada ombro como adorno de uniforme de gala e indicativo de sua patente (Houaiss).

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO HAICAIS.

Dúvida I
Foi debaixo da cascata,
Que o namorado* fez pra sua
Amada uma serenata ?
*Não ficou esclarecido se peixe ou um humano.
Dúvida II
No fim de ano,
Durante as festas, quem ta
Fazendo regime muda de plano ?
Dúvida III
Torcer para o Atlético Mineiro, Paraná,
Internacional, Corinthians e Botafogo,
Como este assim escriba, é um deus-dará ?
Dúvida IV
Um ano, após dar o calote,
A Grécia sobreviveu sem
Levar do FMI um piparote ?
Dúvida V
Precisam de legenda,
Os filmes nacionais,
Para que se entenda ?
Dúvida VI
Ele durante a aula particular
De anatomia e biologia pediu
Pra professora se desnudar ?
Dúvida VII
Vejam só que coisa chinfrim:
Messi o melhor do mundo.
E eu? Esqueceram de mim ?
Dúvida VIII
É ser muito rabugento
Dizer que o gol do adversário
Não foi um portento ?
Dúvida IX
Há que se agüentar a mão
Ou o pé, para evitar em cair
Pra Segunda Divisão ?
Dúvida X
Existiu um mal-estar,
Geral ou parcial, no recente
Debate, dos candidatos, canicular* ?
*Canicular =  adjetivo de dois gêneros
1 relativo a ou próprio da canícula
2 Derivação: sentido figurado.
cheio de paixão ou exaltação; ardente
Dúvida XI
Quatro estações
Do ano, num só dia,
Não maltrata os pulmões ?
Dúvida XII
Nos seus olhos, o brilho, a luz
Mostrava que havia ingerido
Cachaça com mentruz ?
Dúvida XIII
O reajuste dos parlamentares
Também te deixou
Sem ares ?
Dúvida XIV
A solidariedade
Passou a ser
Sinônimo de iniquidade?
Dúvida XV
É muita ou pouca perplexidade
Ver a namorada comer sozinha
Um frango em Santa Felicidade ?
Dúvida XVI
Ele(a) tergiversou
Quando ela(e) perguntou
Por onde ele(a) andou ?
Dúvida XVII
Afinal, o que se faz, no Brasil,
Para erradicar, de vez, do país
O trabalho escravo e infantil ?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I
Deu na mídia: “Segundo levantamento recente do IBGE, o Brasil ainda tem um milhão de crianças sem escola”. A mídia pela enésima vez esqueceu-se de acrescentar: viva “nóis”.

Constatação II (De um pseudo-soneto).

              Diálogos conjugais

Ela me desejou os piores e terríveis augúrios

E que eu fazia parte de agrupamentos espúrios

Só porque eu ia jogar truco com os meus amigos.

“Você volta tarde e eu fico só com meus inimigos”.


“Inimigos?” Questionei admirado. “Desde quando?

Ela me respondeu, toda chorosa, se lamentando:

“É que eu sempre converso com os meus botões

E eles somente me apresentam desditas, senões”.


“Vamos arrumar um cachorro pra você ter um companheiro

Enquanto eu me fatigo, me esforço, sofrendo com o parceiro

Para não perdermos uma difícil, científica e laboriosa jogada.


Você não desconhece que meus troféus que ganhei no truco

Me custaram sangue, suor e lágrimas, me deixando maluco

Agora não posso deixar de honrar essa custosa empreitada”.


Constatação III (De conselhos úteis).

Não confunda crise com crase, até porque se houver na escrita crise de conhecimento do emprego da crase ou omissão dela, por esquecimento, por exemplo, a frase poderá transformar a falta da crase em artigo definido. Aí, a frase poderá entrar em crise e ficar indefinida, mal interpretada, capenga e outros epítetos desse jaez. De nada!

Constatação IV (Tenho dito!).

Seja cristão, muçulmano, budista,

Hindu, sikhs, bahal, jainista,

Judeu, zoroastrita ou confucionista

E outros que façam parte de alguma lista

Que se comportem de maneira altruísta

E não façam catequese, proselitismo,

Doutrinação, ensinamento e apostolado

Que seria desagradável, um caradurismo.

E, cada pessoa, opte como quer ser liderado.

Constatação V (De razões e proporções matemáticas para determinar diversas expressões algébricas de fatos, coisas e pessoas).

O celibato, civil ou religioso, está para a pedofília, assim como o casamento, civil ou religioso, está para uma fria. Quem quiser a expressão algébrica de uma das definições é só multiplicar cruzado e tirar o seu valor para um dos membros da igualdade. Elementar meu povo...

Constatação VI (De um trágico pseudo-soneto).

           De dramas conjugais

Com passos trôpegos ele subiu a escada
Se agarrando com as mãos no corrimão
A mulher o aguardava triste e amuada
Com um assustador rolo de macarrão.


Ela ironizando, fazendo troça, tirou um sarro,
Antes de baixar a sua arma, o temível porrete:
“Você não ia voltar logo, após comprar cigarro?”
E tacou-lhe no ‘lombo’ o assim chamado cacete.


Ele, enquanto tentava se defender com as mãos, ponderou:
“Querida, você tem que levar em conta que a carne é fraca
Por isso tem que me perdoar porque, veja, vivo cá estou”.


“Quando casamos você se comportava de modo assaz querido
Passados tantos anos você mudou como seu eu fosse uma bruaca*
“E quer saber, há muito tempo, você deveria ter se mandado, se ido**”.

*Bruaca = “ substantivo feminino

Regionalismo: Brasil.

1 cada um dos sacos ou das malas rústicas de couro cru us. para transportar objetos, víveres e mercadorias sobre bestas, e que se prendem, a cada lado, nas suas cangalhas, ou vão atravessadas na traseira da sela (mais us. no pl.)

2 bolsa de couro cru que se usa a tiracolo

3 Uso: informal, pejorativo.

mulher idosa e feia

4 Uso: informal, pejorativo.

mulher maldosa, faladeira, geralmente idosa

5 Uso: informal, pejorativo.

prostituta mais velha, decadente, feia

6 Uso: informal.

roupa velha

6.1 Derivação: freqüentemente. Uso: informal.

paletó surrado (Houaiss).

**Quem achar que ela foi muito condescendente, muito benevolente ao dizer para o assim chamado maridão: “E quer saber, há muito tempo, você deveria ter se mandado, se ido”, poderá substituir, desde que esteja p. da vida com o seu – dele – proceder por algo mais drástico” e, claro, sem prejudicar a rima como, por exemplo: “E quer saber, há muito tempo, você já deveria ter morrido”.

Constatação VII (De outro pseudo-soneto também trágico, dedicado a este latino-americano, prêmio Nobel de Literatura, apodado Gabo).

              A espera e a esperança.

À época, ele declarou à, então, gata que por ela sentiu

Um comboio de amor infinito, de muito afeto e de paixão.

Como ‘empréstimo’, levou o seu economizado dinheiro e sumiu

Deixando, como não poderia deixar de ser, a coitada na mão.


Ela, parecendo de Gabriel Garcia Márquez o personagem

Do livro Amor nos tempos de cólera, o Florentino,

Que esperou mais de 53 anos pela Firmina, com coragem

Numa inimaginável fidelidade ao trampa*, àquele vivaldino**.


Analogamente ao Firmino foi um tempo muito largo

Onde ambos ficaram sofrendo em uma terrível solidão

E, evidentemente que deixa qualquer mortal amargo.


Eis que depois de tanto tempo, de tanta espera ele quis voltar

Ela achou que ele viria por sua causa e para, claro, pedir perdão.

Qual o quê! Ele havia voltado para mais ‘empréstimo’ solicitar...


*Trampa = “ substantivo feminino

Diacronismo: antigo.

1 engano doloso; trapaça, velhacaria

Ex.: custou a perceber as trampas de seu sócio

2 Regionalismo: Rio Grande do Sul.

armadilha usado na caça” (Houaiss).

**Vivaldino = “ substantivo masculino

Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

pessoa muito esperta; pessoa que age com astúcia ou malandragem; espertalhão” (Houaiss).

Constatação VIII

Em alguns países, ao invés de haver disputas para ver quem é mais rápido nos jogos olímpicos, por exemplo, a disputa é para ver quem é mais “rápido no gatilho”. Vige!

Constatação IX (De um quase pseudo-soneto).

            Loba

Ela já cinquentona

Com jeito de matrona

Era o tipo da folgazona

Se achando a mocetona.


Passeava pela praia

Usando uma minissaia

De transparente cambraia

E caía, às vezes, na gandaia.


O marido, coitado

Ficava irritado

Com aquele gingado

Que o deixava obumbrado*


Em um dia de forte calor, de canícula

Ele com problema de dor na vesícula

Achando ela insensata, cafona, ridícula

Agiu como havia visto numa película**.


*Obumbrado = “ adjetivo

que se obumbrou; obscurecido, sombreado, anuviado (Aurélio).

**Lamentavelmente Rumorejando não conseguiu averiguar qual película, em qual cinema, muito menos em qual cena para informar aos seus prezados leitores como foi que ele agiu. Se alguém tiver essa informação, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação X

Em Curitiba, não adianta fazer sinal com a seta para mudar de faixa porque os carros não te cedem o passo; também é difícil entender porque muitos carros e motos trafegam à noite com o farol alto, ofuscando a vista de quem vem em sentido contrário. Também não se considera o pedestre prioritário como em Florianópolis e Brasília. Se alguém souber explicar, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XI

Este assim chamado escriba, que não é muito entendido em futebol, pergunta para quem se dispor a responder: O jogador que tira uma lateral pode pôr os pés no risco e até quase dentro do campo? No meu tempo, quando isso acontecia o juiz dava reversão. Comentários no blog. Obrigado.

Constatação XII (De mais um pseudo-soneto).

           Uma espécie de olimpíada

Com todo o meu carinho, meu amor, minha paixão

Tiver que fazer uma angioplastia no meu coração

Pelo desdém, pelo desapreço, pelo alto desprezo

Dela me trocar por um rico da Cortina D’Ampezzo.


Eu um joão-ninguém, um pé de chinelo, um pé rapado

Não poderia concorrer com um ricaço, um bem abonado.

Que possuía um iate de ene pés e um avião a jato particular,

Além de uma mansão na Costa Azzurra e em Viña Del Mar.


Evidentemente que fiquei triste, chateado, desenxabido

Com esse abandono, esse bandeamento, essa deserção,

Mas tomei a resolução de ir brigar, de lutar de modo renhido.


Arrumei, então, outra gatona com pinta de uma aristocrata

Para fazer ciúme, inveja, despeito àquele ingrato mulherão.

A nova namorada se deu conta e me mandou plantar batata.


Constatação XIII

Deu na mídia, mais precisamente em reportagem de Camilla Haddad, de O Estado de S.Paulo: “Universitários de classe média são presos por sequestros relâmpagos no Brooklin. Entre os detidos também está a mãe de um dos acusados, que, segundo a polícia, recebeu do filho um Honda Fit com placas clonadas. De dia, eram vistos como universitários estudiosos, faziam estágio em escritórios de grandes empresas e mantinham uma vida acima de qualquer suspeita. À noite, praticavam sequestros relâmpagos no Brooklin, na zona sul da capital paulista. Esse é o perfil de uma quadrilha que a polícia prendeu, acusada de praticar mais de 40 sequestros naquela região neste ano”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que existe em nosso país uma pandemia de mau-caratismo, baseada nos exemplos ‘dignificantes’ dos nossos ‘bravos’ políticos que estão fazendo escola. Vige!

Constatação XIV (De uma quadrinha nesses tempos de eleições para prefeito e vereador. No entanto, vale também para outras eleições...).

Eu faço promessas que sei que não cumprirei

Mas o grande negócio é ganhar as eleições.

Depois, se for instado, irei confessar que errei

Sem dizer que quem me elegeu foram bundões.

Constatação XV (Quadrinha para ser recitada pelo governo que não está nem aí para a reivindicação dos professores).

Pouco importa se a turma não tem aula, não estuda

Quanto mais ignorante, fica mais fácil de manipular.

Essas greves dos professores viram um deus-nos-acuda

E, se necessário, a gente pede à polícia o cacete baixar.

Constatação XVI (Quadrinha dedicada àqueles que utilizam propaganda enganosa).

A liquidação daquela loja

Era somente pra inglês ver

Aumentaram o preço da soja

E depois baixaram para vender.

Constatação XVII (De uma quadrinha essencialmente explicativa).

O site da Globo há tempos vem apelando

Com muita pornografia em exibicionismo

Não é o caso deste blog de Rumorejando

Que tem algum pseudo-soneto com erotismo.

Constatação XVIII (De uma quadrinha que trata de melhorar a cultura da gente).

Estar em Londres para assistir os jogos na Olimpíada

Deve ter sido assaz e bem agradável como entretenimento

Mas para melhorar a cultura é bom ler também a Ilíada

Que Homero (?) deve ter tido inspiração naquele momento.

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

Egocêntrica

A reversão

À esquerda.

Uma posição

Meio contramão,

Meio excêntrica,

Assaz

Lerda

Pra quem

Vem

Atrás.

Constatação II

Não se pode confundir orgasmo múltiplos dos órgãos com falência múltipla dos órgãos, muito embora os entendidos no assunto digam que na primeira condição chega-se a ter a sensação da segunda. A recíproca para esses casos erótico-fúnebres não é, em nenhuma hipótese, verdadeira.

Constatação III

E não se pode confundir tradição com tradução, muito embora já seja uma tradição a tradução de “par hasard”, do francês, por “por azar”, quando o correto é “por acaso”. Tenho, um tanto quanto metido a sabichão, dito.

Constatação IV

E como palpitava o obcecado do alto da sua pretensiosa suposta sapiência: “A volta da moda do corpete, além de dar mais trabalho para quem vai tirá-lo, poderá desestimular o parceiro, face da queda do que ele estava sustentando. Tenho, novamente, um tanto quanto dando uma de conhecedor, e com carradas de razão, dito!”

Constatação V

E, ainda, não se pode confundir solerte, que “diz-se de pessoa sagaz, manhosa ou velhaca” com soletre, muito embora, há muito tempo o governo, de maneira solerte, afirma que para eliminar a pobreza é necessário acabar com o analfabetismo que, também se caracteriza por apenas o indivíduo soletrar o que lê, escreve, não entendendo o que está lendo e por aí afora. Tenho dito, lamentavelmente, obrigado a fazê-lo mais uma vez, como o fez o obcecado aí acima.

Constatação VI

E, também, não se pode confundir anágua com na água, no sentido de porre, bebum, bebido, ébrio, bêbado, embriagado, bêbedo, etc., muito embora o sujeito nestas condições arrisca ver anágua em quem está vestido com calça e paletó e cometer algum deslize, gafe, impropriedade, etc., principalmente, etc....

Constatação VII

Ruim a película;

Sala cheia.

E eu não ganhei

A entrada

Gratuitamente

E nem paguei

Meia,

Tão somente.

Que canícula!

Que maçada,

Moçada!

Constatação VIII (Só a nomenclatura não resolve).

Deu na mídia: “Líderes querem a palavra ‘social’ no Fórum Econômico Mundial”. Este assim chamado escriba – data venia, como diriam nossos juristas – acha também que seria oportuno acrescentar a palavra “social” no referido Fórum, desde que, efetivamente, se passe a enfatizar, com atos, tal premente questão. Porém, tem cá suas dúvidas se a condição, necessária, será também suficiente, pois se lembra daquela história do presidente da Bolívia de plantão, apresentando o seu ministério para o então presidente da República de plantão do Brasil, ambos militares: “Este é o Ministro da Marinha”. Aí, o presidente brasileiro retrucou, apertando a mão do dito cujo: “Mas como Ministro da Marinha se vocês não têm saída para o mar”. Ao que o presidente da Bolívia contestou: “Nada a ver. E vocês, lá no Brasil, não têm Ministro da Justiça ?”

Constatação IX

Ele não é respeitado

Nos seus sentimentos,

Pois ela, qual uma esfinge,

Disfarça, despista, finge,

Em todos os momentos,

Que não capta, não entende

Seu incomensurável amor,

Dito, exposto, explicitado

Com muita ênfase, com ardor.

Coitado!

Constatação X

Não se pode confundir mombaca, que é um “fruto acre e vermelho que se usa como condimento” com a cidade de Mombaça, que teve um presidente da República, por pouquíssimo tempo, é bom que se diga, mas que, em sua rápida passagem, levou uma baita comitiva para sua cidade natal, ocasionando um custo também acre para os cofres do nosso tão deficitário e sofrido país.

Constatação XI

Certos países manifestam confiança na democracia paraguaia; outros, nem tanto. Dúvida crucial: Como será que o sofrido povo paraguaio pensa? Comentários dos meus leitores paraguaios no blog. Obrigado.

Constatação XII

Aos milhões,

Digo, à meia dezena

Dos meus leitores,

Que me lêem,

Semanalmente,

O discorrer

Da minha pena;

Também,

Aos que não

O são

Auguro

Nada de senões

Em seus amores,

Um bom viver,

Trabalho, não duro,

Placidez,

Tão somente.

Constatação XIII (Farinha do mesmo saco, cujo esquema de há muito já encheu o retro mencionado...)

Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Dilma repete Lula e libera verbas ‘restritas’ em ano eleitoral”. Vige!

Constatação XIV

Deu na mídia, mais precisamente na Gazeta do Povo: “Deslizes de autoridades precisam ser estímulo para população criticar o fato e não justificativa para cometer o mesmo erro, afirmam especialistas”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando imagina tal acontecendo só daqui um século. Quem viver, verá.

Constatação XV

Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) proibiu a participação de médicos em partos domiciliares e nas equipes de sobreaviso, que ficam de plantão para o caso de alguma complicação. A entidade também veda a presença de doulas (acompanhantes de parto, função reconhecida pelo Ministério da Saúde) em ambiente hospitalar. Os médicos que descumprirem as determinações serão submetidos ao Conselho de Ética”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro, está pretendendo proteger a vida da parturiente e da criança na eventualidade de uma complicação na hora do parto. E já que a intenção é laudatória o Cremej e os demais, em todo o nosso país, poderiam demandar, com urgência, junto a quem de direito a solução do precaríssimo atendimento nos postos de saúde.

Constatação XVI (De um quase pseudo-soneto, enviado por mais um novo obcecado. O que tem circulado obcecado por aqui não está escrito em lugar algum. Vige!).

       Publicidade ou marketing

Restam algumas pouquíssimas vagas

No meu amado benevolente coração

Para acabar de vez com as chagas

De quem ta precisando do bem-bom.


Basta acessar o meu celular ou meu telefone

Cujos números são de publico conhecimento

Para chegar até a mim sozinha, sem cicerone

Eu sempre estou ao dispor em todo momento.


O acesso até a minha residência

É muito fácil, nada complexo

Eu me proponho como uma ciência

A proporcionar aulas especiais de sexo.


As aulas são grátis, não são cobradas

Só peço para as que forem amadas

Divulguem num esquema boca a boca.


Afinal, a propaganda é a alma do negócio,

Tanto no solstício*, como no equinócio**

E certa parte das gatas não deve ficar oca...

*Solstício =  substantivo masculino

Rubrica: astronomia.

cada uma das duas datas do ano em que o Sol atinge o maior grau de afastamento angular do equador, no seu aparente movimento no céu, e que são 21 ou 23 de junho (solstício de inverno no hemisfério sul e de verão, no hemisfério norte) e 21 ou 23 de dezembro (solstício de verão no hemisfério sul e de inverno, no hemisfério norte) (Houaiss).

**Equinócio =  substantivo masculino

1 Rubrica: astronomia.

cada uma das duas interseções do círculo da eclíptica com o do equador celeste

Ex.:

2 Rubrica: astronomia.

momento em que o Sol, em seu movimento anual aparente, corta o equador celeste, fazendo com que o dia e a noite tenham igual duração

3 Rubrica: astronomia.

cada uma das duas épocas em que ocorre o equinócio (acp. 2)

4 Derivação: por extensão de sentido.

série de temporais que ocorrem em determinadas regiões quando se aproximam as épocas dos equinócios da primavera e do outono (Houaiss).

Constatação XVII

Rico é ilimitado; pobre, inexpressivo.

Constatação XVIII

Rico é primoroso; pobre, deslustroso.

Constatação XIX (De mais um pseudo-soneto).

        Filme nos dias atuais de caubói*

O velho que mais parecia daquele tempo jurássico

Foi assistir um faroeste, considerado um clássico

Daqueles que no final há um aguardado duelo

Onde o mocinho bota o vilão, com tiros, no chinelo.


Claro que durante o filme o mocinho levou muito soco

Desde o início, no meio e até quase a última cena,

Deixando o espectador ansioso que o vilão leve o troco

Ali no meio da rua principal deserta que serve de arena.


Efetivamente o mocinho é mais rápido no gatilho

E fere o vilão que vai segurando a perna dolorida

Enquanto o mocinho se dirige ao seu cavalo tordilho.


O velho sai do cinema resmungando não satisfeito o suficiente

Achando que o vilão “deveria receber mais um tiro e perder a vida”

E que “já não se fazem mais faroestes como antigamente...”

*Pedimos encarecidamente escusas aos nossos leitores pelos pseudo-sonetos não se ocuparem de temas eróticos, como vinha ocorrendo. Isso se deve para atender um pedido da Liga de Moralização de Costumes.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I

É muito constrangedor

Sair na rua sem calça,

Mostrando o sentador ?

Dúvida II

É uma falsa premissa,

Dizer que, melhor que caviar,

É pão com lingüiça ?

Dúvida III

É muito ou pouco hilário

Ouvir “nem sim nem não

Muito antes pelo contrário” ?

Dúvida IV

Por que será que ela,

Diante do meu convite,

Me chamou de matusquela* ?

*Matusquela = “Pessoa maluca, amalucada, adoidada”.

Dúvida V

Ela ficou assaz silente

E não compartiu quando

Você estava tão contente ?

Dúvida VI

Na última mutreta

Só deu para imaginar,

Do cara, a silhueta ?

Dúvida VII

Não é por acaso,

Que estaremos todos mortos,

A longo, ou a curto prazo ?

Dúvida VIII

Veio sem prévio aviso

Aquela terrível dor

No dente do siso ?

Dúvida IX

Disse o malévolo parente

Que o seu auto-retrato

Tava muito benevolente ?

Dúvida X

Está dando mal-e-mal

Para comprar comida

Sem aumento salarial ?

Dúvida XI

De tanto malhar,

Na academia, não deu,

Uma semana, para sentar ?

Dúvida XII

Ou a celulite

Transmigrou

Para uma tendinite ?

Dúvida XIII

Não é um baita disparate

Querer colocar adoçante,

Açúcar, ou mel no mate ?

Dúvida XIV

E quem não toma chimarrão,

Não joga truco e, deixa pra lá,

Não tem imaginação ?

Dúvida XV

O seu índice de massa corporal

Reflete que o que você come

Não é nem um pouco o trivial ?

Dúvida XVI

Ela ficou atenta

Quando ele disse:

Vê se não me tenta?

Dúvida XVII

O resultado da raiz quadrada

Deu um número redondo

Que deixou ela extasiada?

Dúvida XVIII

Quando acabou da caneta a tinta

Ela proferiu um baita de um palavrão,

Mostrando não ser nada distinta?

Dúvida XIX

Ele tinha duas vezes e meia trinta

E ainda era considerado

Um boa-pinta?

Dúvida XX

A viúva achou um despautério

Quando na hora do enterro

Começaram as cantadas lá no cemitério?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

Não se pode confundir hígido, que quer dizer “Respeitante à saúde; sadio, são” com rígido, até porque quem está rígido, em condições normais de pressão e temperatura, não se encontra com muito boa saúde. A recíproca, nesse caso, não vem muito ao caso.

Constatação II

Deu na mídia: “Cerca de 4 milhões de casais do Reino Unido cometeram adultério ao longo da vida conjugal”. Embora Rumorejando tenha contribuído com quem gosta de estatística em outra “constatação”, para esse caso de guampas alheias, respeitosamente, não pretende fazer cálculos outros, por achar que cada um é dono do seu nariz. Nariz ?

Constatação III (De quase um pseudo-soneto).


                De nostalgias e saudades


Pela janela do meu dormitório vejo o dia amanhecer

E com o dia, na minha cidade, alguma vez o sol aparecer

Ao meu lado imagino estar estirada a tão almejada gata.

Bem comparado uma espécie de mistura de ouro e prata.



Talvez melhor dizendo uma reunião de ouro com ouro

Porque ela compartilharia a cama no meu doce abrigo,

Revelando seu amor, sua paixão, seu sublime tesouro

Se acedesse gentilmente o meu pedido de ficar comigo.



Tal conjunção e combinação de gata e sol, esse deleite

É como mitigar a fome com o tão nosso arroz e feijão

Ou a soma de um pão, manteiga com café com leite

Que faz tanto bem para o corpo, a alma e ao coração.



Digressões nostálgicas de quem está no ocaso da vida

Que sofreu, se alegrou, se apaixonou, chorou ou sorriu,

Entendendo que parte disso se constituiu numa lida

E, hoje, agora, constata que tudo que era bom sumiu...



Constatação IV (De outro quase pseudo-soneto).



        Grandes pequeninas suposições



Algo estava delineado naquele corpo presente

Ainda que sua blusa não fosse transparente

Tampouco que o seu decote fosse generoso

Condizente com aquele mulherão formoso.



As coxas bem a mostra pelo curto shortinho

Pareciam como tudo o mais solicitar carinho

Das minhas mãos inquietas, porém contidas

Que por tal razão se sentiam ansiadas, sofridas.



Trocamos olhares e ela me mirou interessada

Eu tentei sustentar aquela mimosa olhada

E o meu angustiado pobre ser se alvorotou.



Aí, ela se levantou e veio até a minha mesa.

“Tio”, ela disse, “você não é o pai da Tereza?”

“Sim, sou”, respondi e o coração quase pifou.



“Como vão os seus netos”, ela incontinente, quis saber

“Que eu ainda não tive a oportunidade de conhecer”.

Com todos esses ‘contratempos’, o entusiasmo broxou...


Constatação V

Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Shortinho de Carla Perez revela ação do tempo nas pernas da ex-dançarina”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que, com essa notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade, a Globo desandou de vez. Ela, a notícia, está condizente com o BBB-Brasil e outras barbaridades desse jaez. Vige!

Constatação VI

No inverno, os vidros das janelas dos ricos ficam embaciados; dos pobres, suados.

Constatação VII (Pseudo-soneto aparentemente um tanto quanto surrealista).


                      Coitado!


Na praia naturista em um país determinado

Onde todo mundo anda, despido, nu, pelado

Foi que ele apareceu extremamente agasalhado

Deixando a vergonha, o embaraço e o pudor de lado.



O fato foi considerado depravação, deboche e devassidão.

Andar vestido naquele sagrado, augusto, salubre ambiente.

E na querela, passou-se a discutir se Albert Einstein tinha razão

Ao enunciar a complexa Teoria da Relatividade, tão somente.



O sujeito, antigo freqüentador daquele transcendental lugar,

E chegou a ser instado, sem maiores delongas, a se retirar.

Já que passou a ser considerado um insubordinado, um suspeito



Mais tarde a Diretoria do local naturista mandou um memorando

“O senhor sempre teve comportamento ilibado, agora descambando

Fique ciente que o nosso trato de relacionamento está desfeito.


Constatação VIII

Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Entre 24 de dezembro de 1997 e 2 de fevereiro de 1998, o Município pagou à Mendes Junior R$ 57,2 milhões. Em janeiro e fevereiro de 1998, a construtora teria depositado R$ 13,5 milhões em contas de Flávio e Paulo Maluf”. Vige!

Constatação IX

Ele maldice

A hora que casou:

“Com a Alice,

No começo,

Era só “candice”,

Quixotice,

“Queridice”,

Garridice,

Matutice,

Crendice.

Após, o tropeço:

A relação

Do bem-bom,

Uma doidice,

Caiu na mesmice

Virou

“Pamonhice”,

Burrice,

Tolice.

Em seguida,

Uma vida

De “caretice”,

Cretinice.

Descambou

Para gaiatice,

Disse-que-disse,

Sandice,

Caturrice,

Rabugice”.

Ela, por sua vez,

Lamentou

Que o casamento

Caiu na aridez,

E gorou.

Num certo momento:

“Tudo era beatice,

Doidice,

Parvoíce.

Muita arteirice,

Criancice,

Meninice,

Rapazice

Traquinice,

Macaquice,

Peraltice.

Mais tarde,

Com muito alarde,

Se transformou

Em eu não disse!,

Garrulice,

Eu disse ?

Ciganice,

Você não disse,

Você se desdisse,

Depois,

Em vadiíce,

Pagodice,

Gatunice,

Estroinice

Filha da pu...ce.

Agora,

Cada um foi embora.

E entre os dois

Não há mais nada.

Tudo acabado.

Coitada!

Coitado!

Constatação X (Ah, esse nosso vernáculo).

Ela apontou na esquina e despontou no ponto do ônibus e se dirigiu para seu emprego, onde fazia pesponto e ponto cruz. Tinha que bater o ponto, ponto, digo, pondo um ponto final se devia ou não assinar o tal ponto.

Constatação XI

Ditame,

Sugestão,

Útil conselho

De Rumorejando:

Ame

Com fé,

Irmão.

Ao levantar,

Deitado,

Em pé,

Até

De joelho.

Nada como amar!

Constatação XII

Não se pode confundir comparsa, no sentido de cúmplice, com Barsa, a enciclopédia, até porque, dificilmente um comparsa é dado a tal tipo de leitura. Aliás, a Barsa está mais para enfeite de prateleiras do que para outras coisas.

Constatação XIII (Dito por um palmeirense, ou botafoguense, ou da Portuguesa, muito embora este assim chamado escriba não concorde com nenhum deles, porque, em Brasilia, o seu time preferido é o Gama).

“Ir pra segundona não é grave. O grave é ser comparado ao Gama”.

Constatação XIV

Rico está repleto de dinheiro; pobre, está cheio de dívidas.

Constatação XV (De uma dúvida crucial).

Em condições normais

De pressão

E temperatura

A lisura

Dos atos governamentais

Pouco ou nada perdura

Ou é simples questão

De nomenclatura

Ou de caradura ?

Constatação XVI

De contente,

Ela(e) não cabia

No dia

Da sua posse.

Mas, infelizmente,

No decurso

Do seu discurso,

Eivado de bobagem

E assaz enfadonho,

Diga-se de passagem,

Teve um medonho

Acesso de tosse.

Constatação XVII

Rico é desembaraçado; pobre, é complicado.

Constatação XVIII (Pensando, morre... um burro).

Pensei que ia te encontrar

Pensei que ia te ver

Do encontro errei o lugar

Pensei que ia morrer.

Constatação XIX

Ser pretensioso é mais ou menos que nem certos currículos. A gente coloca no currículo o que é que fez, o que faz e, normalmente, o que é e o que gostaria, ou melhor, precisava ter feito...

Constatação XX (De um pseudo-soneto).

Dramas e/ou alegrias do relacionamento.


O casal estava super apaixonado

Era só pra cá meu adorado

Era só pra lá minha catita.

Casaram. Logo depois, a desdita.


Ela queria, porque queria, freqüentar a igreja,

Ele tomar com os amigos uma ou outra cerveja.

Tudo isso no fim de semana. Até aí, nada de novo.

Acontece com muitos casais ricos ou do zé-povo.


As desavenças começaram, incontinente, a acontecer

E a grande paixão, as juras de amor eterno, a fenecer.

Concluíram, então, que o casamento havia pifado.


É bom que se diga: para que a relação não desse certo

As duas sogras se empenharam de alma e coração aberto

E o casal: “Já foi bom. E, agora ótimo, porque ta acabado”.

Constatação XXI

Rumorejando informa para aqueles que não se deram conta: O gerúndio, o infinitivo, as palavras terminadas em ‘ão’ e o particípio passado sempre ajudam a salvar o metido a fazer rimas, como é o caso deste locutor que vos fala, digo, digita.

Constatação XXII (De outro pseudo-soneto).

            Paladar refinado

Ela considerou uma escorchante falácia

Que os bolinhos da personagem Tia Nastácia,

Que Monteiro Lobato tanto elogia,

Eram melhores dos que ela fazia.


Quem afirmava era a sogra maldosa,

Porém quando a visitava toda prosa

Comia todos os bolinhos com sofreguidão,

Deixando o pessoal a ver navios, na mão.


Ela estranhava aquela peremptória assertiva,

Pois não era de seu saber, de seu conhecimento

Que existisse receita da Tia. Era pura inventiva.


Um dia, ela já aborrecida, manteve o padrão

E falou que havia usado bem mais fermento

Igual a Tia. Aí a sogra disse: “Agora ta bom”.


DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I

É algo sem nexo

O que vai de comida fora

Por causa do nosso complexo ?

Dúvida II

Um sorriso, ao invés de ficar fulo,

Após dar uma martelada no dedo,

É um baita de um dissimulo ?

Dúvida III

Já tem um caminhão de gente

Que promete que vai votar no Fulano,

No Beltrano e no Cicrano, concomitantemente ?

Dúvida IV

Ele quer ver se safa

Que o médico

O afaste da garrafa ?

Dúvida V

Inflação

Ou recessão.

Essa é a questão ?

Dúvida VI

A ALCA

Somente

Nos calca ?

Dúvida VII

O vigarista transtagano*

Dava golpe no cigano,

O otário cistagano** ?

*Transtagano = Situado além do rio Tejo.

** Cistagano = Situado aquém do rio Tejo.

Dúvida VIII

É ser muito rabugento

Dizer que o gol do adversário

Não foi um portento ?

Dúvida IX

Há que se agüentar a mão

Ou o pé, para evitar de cair

Pra Segunda Divisão ?

Dúvida X

Existe um mal geral,

Total ou parcial

Nessa primavera invernal ?

Dúvida XI

Quatro estações

Do ano, num só dia,

Não maltrata os pulmões ?

Dúvida XII

Nos seus olhos, o brilho, a luz

Mostrava que havia ingerido

Cachaça com mentruz ?

Dúvida XIII

A linda cachopa*

Tava usando um biquíni

De estopa?

*Cachopa = “ substantivo feminino

Regionalismo: Portugal.

menina, rapariga, moça da província (do Norte de Portugal). [Houaiss].

Dúvida XIV

Um pacote inteiro de talharim

Ela comeu e disse que ainda

Havia lugar para comer um surubim?

Dúvida XV

As eleições para prefeito

Estão empolgando tanto que parece

Que o povo não anda satisfeito?

Dúvida XVI

Só a anfitriã

Foi quem gostou

Da sua torta de maçã?

Dúvida XVII

Em tempos recessivos

Ter milhões em Jersey e em outros paraísos

São justificáveis motivos?

Dúvida XVIII

Quando Rosane Collor reclama

Que a pensão de dezoito mil reais é pouco

Quer dizer que o ex-maridão não mais a ama?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

www.rimasprimas.com.br