quarta-feira, 8 de agosto de 2012

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.


Constatação I

Egocêntrica

A reversão

À esquerda.

Uma posição

Meio contramão,

Meio excêntrica,

Assaz

Lerda

Pra quem

Vem

Atrás.

Constatação II

Não se pode confundir orgasmo múltiplos dos órgãos com falência múltipla dos órgãos, muito embora os entendidos no assunto digam que na primeira condição chega-se a ter a sensação da segunda. A recíproca para esses casos erótico-fúnebres não é, em nenhuma hipótese, verdadeira.

Constatação III

E não se pode confundir tradição com tradução, muito embora já seja uma tradição a tradução de “par hasard”, do francês, por “por azar”, quando o correto é “por acaso”. Tenho, um tanto quanto metido a sabichão, dito.

Constatação IV

E como palpitava o obcecado do alto da sua pretensiosa suposta sapiência: “A volta da moda do corpete, além de dar mais trabalho para quem vai tirá-lo, poderá desestimular o parceiro, face da queda do que ele estava sustentando. Tenho, novamente, um tanto quanto dando uma de conhecedor, e com carradas de razão, dito!”

Constatação V

E, ainda, não se pode confundir solerte, que “diz-se de pessoa sagaz, manhosa ou velhaca” com soletre, muito embora, há muito tempo o governo, de maneira solerte, afirma que para eliminar a pobreza é necessário acabar com o analfabetismo que, também se caracteriza por apenas o indivíduo soletrar o que lê, escreve, não entendendo o que está lendo e por aí afora. Tenho dito, lamentavelmente, obrigado a fazê-lo mais uma vez, como o fez o obcecado aí acima.

Constatação VI

E, também, não se pode confundir anágua com na água, no sentido de porre, bebum, bebido, ébrio, bêbado, embriagado, bêbedo, etc., muito embora o sujeito nestas condições arrisca ver anágua em quem está vestido com calça e paletó e cometer algum deslize, gafe, impropriedade, etc., principalmente, etc....

Constatação VII

Ruim a película;

Sala cheia.

E eu não ganhei

A entrada

Gratuitamente

E nem paguei

Meia,

Tão somente.

Que canícula!

Que maçada,

Moçada!

Constatação VIII (Só a nomenclatura não resolve).

Deu na mídia: “Líderes querem a palavra ‘social’ no Fórum Econômico Mundial”. Este assim chamado escriba – data venia, como diriam nossos juristas – acha também que seria oportuno acrescentar a palavra “social” no referido Fórum, desde que, efetivamente, se passe a enfatizar, com atos, tal premente questão. Porém, tem cá suas dúvidas se a condição, necessária, será também suficiente, pois se lembra daquela história do presidente da Bolívia de plantão, apresentando o seu ministério para o então presidente da República de plantão do Brasil, ambos militares: “Este é o Ministro da Marinha”. Aí, o presidente brasileiro retrucou, apertando a mão do dito cujo: “Mas como Ministro da Marinha se vocês não têm saída para o mar”. Ao que o presidente da Bolívia contestou: “Nada a ver. E vocês, lá no Brasil, não têm Ministro da Justiça ?”

Constatação IX

Ele não é respeitado

Nos seus sentimentos,

Pois ela, qual uma esfinge,

Disfarça, despista, finge,

Em todos os momentos,

Que não capta, não entende

Seu incomensurável amor,

Dito, exposto, explicitado

Com muita ênfase, com ardor.

Coitado!

Constatação X

Não se pode confundir mombaca, que é um “fruto acre e vermelho que se usa como condimento” com a cidade de Mombaça, que teve um presidente da República, por pouquíssimo tempo, é bom que se diga, mas que, em sua rápida passagem, levou uma baita comitiva para sua cidade natal, ocasionando um custo também acre para os cofres do nosso tão deficitário e sofrido país.

Constatação XI

Certos países manifestam confiança na democracia paraguaia; outros, nem tanto. Dúvida crucial: Como será que o sofrido povo paraguaio pensa? Comentários dos meus leitores paraguaios no blog. Obrigado.

Constatação XII

Aos milhões,

Digo, à meia dezena

Dos meus leitores,

Que me lêem,

Semanalmente,

O discorrer

Da minha pena;

Também,

Aos que não

O são

Auguro

Nada de senões

Em seus amores,

Um bom viver,

Trabalho, não duro,

Placidez,

Tão somente.

Constatação XIII (Farinha do mesmo saco, cujo esquema de há muito já encheu o retro mencionado...)

Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Dilma repete Lula e libera verbas ‘restritas’ em ano eleitoral”. Vige!

Constatação XIV

Deu na mídia, mais precisamente na Gazeta do Povo: “Deslizes de autoridades precisam ser estímulo para população criticar o fato e não justificativa para cometer o mesmo erro, afirmam especialistas”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando imagina tal acontecendo só daqui um século. Quem viver, verá.

Constatação XV

Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) proibiu a participação de médicos em partos domiciliares e nas equipes de sobreaviso, que ficam de plantão para o caso de alguma complicação. A entidade também veda a presença de doulas (acompanhantes de parto, função reconhecida pelo Ministério da Saúde) em ambiente hospitalar. Os médicos que descumprirem as determinações serão submetidos ao Conselho de Ética”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro, está pretendendo proteger a vida da parturiente e da criança na eventualidade de uma complicação na hora do parto. E já que a intenção é laudatória o Cremej e os demais, em todo o nosso país, poderiam demandar, com urgência, junto a quem de direito a solução do precaríssimo atendimento nos postos de saúde.

Constatação XVI (De um quase pseudo-soneto, enviado por mais um novo obcecado. O que tem circulado obcecado por aqui não está escrito em lugar algum. Vige!).

       Publicidade ou marketing

Restam algumas pouquíssimas vagas

No meu amado benevolente coração

Para acabar de vez com as chagas

De quem ta precisando do bem-bom.


Basta acessar o meu celular ou meu telefone

Cujos números são de publico conhecimento

Para chegar até a mim sozinha, sem cicerone

Eu sempre estou ao dispor em todo momento.


O acesso até a minha residência

É muito fácil, nada complexo

Eu me proponho como uma ciência

A proporcionar aulas especiais de sexo.


As aulas são grátis, não são cobradas

Só peço para as que forem amadas

Divulguem num esquema boca a boca.


Afinal, a propaganda é a alma do negócio,

Tanto no solstício*, como no equinócio**

E certa parte das gatas não deve ficar oca...

*Solstício =  substantivo masculino

Rubrica: astronomia.

cada uma das duas datas do ano em que o Sol atinge o maior grau de afastamento angular do equador, no seu aparente movimento no céu, e que são 21 ou 23 de junho (solstício de inverno no hemisfério sul e de verão, no hemisfério norte) e 21 ou 23 de dezembro (solstício de verão no hemisfério sul e de inverno, no hemisfério norte) (Houaiss).

**Equinócio =  substantivo masculino

1 Rubrica: astronomia.

cada uma das duas interseções do círculo da eclíptica com o do equador celeste

Ex.:

2 Rubrica: astronomia.

momento em que o Sol, em seu movimento anual aparente, corta o equador celeste, fazendo com que o dia e a noite tenham igual duração

3 Rubrica: astronomia.

cada uma das duas épocas em que ocorre o equinócio (acp. 2)

4 Derivação: por extensão de sentido.

série de temporais que ocorrem em determinadas regiões quando se aproximam as épocas dos equinócios da primavera e do outono (Houaiss).

Constatação XVII

Rico é ilimitado; pobre, inexpressivo.

Constatação XVIII

Rico é primoroso; pobre, deslustroso.

Constatação XIX (De mais um pseudo-soneto).

        Filme nos dias atuais de caubói*

O velho que mais parecia daquele tempo jurássico

Foi assistir um faroeste, considerado um clássico

Daqueles que no final há um aguardado duelo

Onde o mocinho bota o vilão, com tiros, no chinelo.


Claro que durante o filme o mocinho levou muito soco

Desde o início, no meio e até quase a última cena,

Deixando o espectador ansioso que o vilão leve o troco

Ali no meio da rua principal deserta que serve de arena.


Efetivamente o mocinho é mais rápido no gatilho

E fere o vilão que vai segurando a perna dolorida

Enquanto o mocinho se dirige ao seu cavalo tordilho.


O velho sai do cinema resmungando não satisfeito o suficiente

Achando que o vilão “deveria receber mais um tiro e perder a vida”

E que “já não se fazem mais faroestes como antigamente...”

*Pedimos encarecidamente escusas aos nossos leitores pelos pseudo-sonetos não se ocuparem de temas eróticos, como vinha ocorrendo. Isso se deve para atender um pedido da Liga de Moralização de Costumes.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I

É muito constrangedor

Sair na rua sem calça,

Mostrando o sentador ?

Dúvida II

É uma falsa premissa,

Dizer que, melhor que caviar,

É pão com lingüiça ?

Dúvida III

É muito ou pouco hilário

Ouvir “nem sim nem não

Muito antes pelo contrário” ?

Dúvida IV

Por que será que ela,

Diante do meu convite,

Me chamou de matusquela* ?

*Matusquela = “Pessoa maluca, amalucada, adoidada”.

Dúvida V

Ela ficou assaz silente

E não compartiu quando

Você estava tão contente ?

Dúvida VI

Na última mutreta

Só deu para imaginar,

Do cara, a silhueta ?

Dúvida VII

Não é por acaso,

Que estaremos todos mortos,

A longo, ou a curto prazo ?

Dúvida VIII

Veio sem prévio aviso

Aquela terrível dor

No dente do siso ?

Dúvida IX

Disse o malévolo parente

Que o seu auto-retrato

Tava muito benevolente ?

Dúvida X

Está dando mal-e-mal

Para comprar comida

Sem aumento salarial ?

Dúvida XI

De tanto malhar,

Na academia, não deu,

Uma semana, para sentar ?

Dúvida XII

Ou a celulite

Transmigrou

Para uma tendinite ?

Dúvida XIII

Não é um baita disparate

Querer colocar adoçante,

Açúcar, ou mel no mate ?

Dúvida XIV

E quem não toma chimarrão,

Não joga truco e, deixa pra lá,

Não tem imaginação ?

Dúvida XV

O seu índice de massa corporal

Reflete que o que você come

Não é nem um pouco o trivial ?

Dúvida XVI

Ela ficou atenta

Quando ele disse:

Vê se não me tenta?

Dúvida XVII

O resultado da raiz quadrada

Deu um número redondo

Que deixou ela extasiada?

Dúvida XVIII

Quando acabou da caneta a tinta

Ela proferiu um baita de um palavrão,

Mostrando não ser nada distinta?

Dúvida XIX

Ele tinha duas vezes e meia trinta

E ainda era considerado

Um boa-pinta?

Dúvida XX

A viúva achou um despautério

Quando na hora do enterro

Começaram as cantadas lá no cemitério?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

Site: www.rimasprimas.com.br

2 comentários:

Marina da Silva disse...

JUCA,
TÔ RACHANDO OS BICOS COM A QUESTÃO OBCECADA DA "SUSTENTABILIDADE"!KKKKKKKKK
ABÇ. Marina

Marina da Silva disse...

Juca,
Olha eu aqui de novo para dizer que algo que escreveu nessa publicação me inspirou um artigo que publico esse final de semana e com ele rendo minhas homenagens a ti, que me encanta pelo primor das rimas e a grandeza do seu português refinadíssimo e...TENHO DITO! Bj. Marina