quarta-feira, 3 de outubro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia: “Vai decolar mais um vôo nudista”. É o que se poderia chamar de um avião com vento a favor?
Constatação II
Rico é visionário; pobre é sonhador.
Constatação III
E como lucubrava o obcecado, nada a ver com os demais obcecados já mencionados nesta coluna em considerações anteriores: “Não se pode confundir acariciar com acarinhar, muito embora as duas possuam a finalidade precípua de conduzir ao desiderato sublime de conhecimento da Humanidade”.
Constatação IV
E não se pode confundir batente com patente, muito embora haja uma relação biunívoca quase perfeita entre ambos, tendo em vista que se alguém estiver, há muito tempo, numa única patente e houver um pobre mortal apurado em ocupar esse lugar introspectivo tão privado ele fatalmente se transformará num batente desesperado na porta. A recíproca não é necessariamente verdadeira, depende do grau de apuro do assim chamado pobre mortal...
Constatação V
Não se pode confundir bacana com sacana, até porque, na maioria das vezes, o cara que se mostra ser bacana e vem te pedir um dinheirinho emprestado, por ser sacana, se evapora para todo o sempre, parecendo àqueles balões de gás que, quando escapam da mão da criança, se somem até se perder de vista. A recíproca não é verdadeira porque tem sacana que seu grau de sacanagem é tão acentuado que ta longe de aparentar ser um sujeito bacana.
Constatação VI
E como repetia o obcecado a frase mais corrente dos jogadores de futebol no final de uma partida em que foram derrotados: “Temos que levantar a cabeça e continuar trabalhando”...
Constatação VII (De um pseudo-soneto).

       Vá lá alguém entender a intrincada alma humana.

Ela, depois de muita insistência, abduziu meu reclamado amor
Mas no decorrer do tempo fez dele um brinquedo, uma peteca
Relegou-o a um plano ínfimo, bem abaixo da linha do equador
O que me transformou num bagulho, num traste, numa meleca.

Claro que o meu coração, com todo o entourage, foi para o espaço
Passei a sofrer de arritmia, de má digestão, de artrite e de artrose
E eu desconsolado, tristonho, macambúzio fiquei que só bagaço
Porque aquele seu proceder foi para mim excessivo, foi dose.

Como o tempo é a cura para todos os males, arrumei nova paixão
Daquelas tipo “não posso viver sem você”, ou “eu só vou se você for”
E que tampouco durou muito. Foi para o barro por sofrer um empurrão.

A sacudida foi dada pela mãe que, por não sermos casados, nem sogra era
Porém agia como tal, ao me dizer grosserias, despautérios*; um horror.
Um dia ela me recebeu despida: “Quero ser tua”. Quem diria, a megera...

*Despautério = substantivo masculino, dito ou ação absurda, grande tolice; despropósito, disparate, desconchavo (Houaiss).

Constatação VIII
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “A americana Jacqueline Stallone que  mora em Santa Monica, no estado da Califórnia promete analisar as pessoas através do estudo de suas nádegas. A partir de fotografias de bumbuns, a vidente diz que consegue "descobrir" segredos e características individuais e fazer previsões para o futuro. Jacqueline destaca que a técnica, que é conhecida por rumpologia, consiste em ler as linhas, fendas, cavidades e dobras das nádegas do cliente com o objetivo de compreender seu passado e fazer previsões para o futuro”. Vige!!!

Constatação IX

“Qualquer que tenha sido o tempo do seu mandato, um ex-senador e seus dependentes terão direito, até o fim da vida, a atendimento médico”. O ex também terá direito a R$10 mil por ano para tratamento dentário. Dúvida crucial: Será que esse pessoal todo não fica com nem um pingo de vergonha de gozar dessas benesses à custa do dinheiro público. Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação X

Pedimos desculpas aos nossos prezados leitores de, na constatação anterior, havermos nos esquecido de acrescentar viva “nóis”.

Constatação XI

Há uma comunhão
De certas idéias,
Até mesmo
Uma profusão
Não ditas
A esmo
– Que desditas! –
Que se o pobre
Comesse um
Pão
Com algum
Tipo nobre
De quaisquer geléias
Ele, fatalmente,
Escaparia
Da sua mão
E cairia
Com o doce voltado,
Posicionado
Pro chão,
Tão-somente.

Constatação XII

Não se pode confundir seriedade com serenidade, até porque, nos dias atuais, quem age com seriedade é considerado totalmente sem serenidade, sem tirocínio, sem perspicácia, burro, enfim. A recíproca para esses descasos, digo, para esses casos, não é necessariamente verdadeira.

Constatação XIII

Sem nenhuma delonga
Ele se punha a cantar
Em ritmo de milonga,
Qualquer que fosse a canção
E, por incrível que pareça
Embalava o coração
Da sua amada
Que se punha a dançar
Até perder a calç, digo a cabeça.
Coitada!

Constatação XIV

Deu, há tempos, na mídia: Roger Lumbala, líder do grupo Movimento Congolês pela Democracia-Nacional (conhecido pelas iniciais RCD-N), garantiu, em Kampala, capital de Uganda, que "as pessoas subordinadas a ela e seu exército não comem pessoas". Rumorejando acredita que o líder estava se referindo por via oral.

Constatação XV

O pomo de discórdia
Entre o casal,
Naquele
Momento,
Que provocou
Nele
Um acesso,
Foi que a comida,
Preparada
Por sua querida,
Com excesso
De condimento,
Assaz salgado,
Apimentado,
Avinagrado,
Tava uma mixórdia
Sem igual.
Coitada!
Coitado!

Constatação XVI

Se você tomar
Uma resolução
De não mais
Agüentar
O teu patrão,
Nada de revolta!
Seja breve,
Como jamais.
E seja prudente.
Você deve
Mandar
Ele,
Assim, na lata,
Tomar
Naquele
Lugar
Que não
Se volta
Descontente.
Me refiro
A um retiro
Para plantar
Batata.

Constatação XVII (De uma dúvida crucial).

Será que existe alguma pergunta mais idiota do que aquela que se faz a uma criança. Me refiro àquela “de quem você gosta mais: do papai ou da mamãe ?” Quem conhecer uma mais idiota do que essa, por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação XVIII

Há tempos, o jornal O Estado do Paraná deu em manchete principal: “Estradas para fugir do pedágio”. Data vênia, como diriam nossos juristas, só se fossemos tão ricos como os países ricos para termos tal opção. Há que se chegar a um valor razoável, para todas as partes, no preço do pedágio e que a fiscalização do governo faça com que a estrada seja mantida em condições de trafego com conforto e segurança. Tenho ‘rodoviarmente’ dito!
Constatação XIX
Filho de rico brinca de pega-pega que o dicionário Houaiss dá os sinônimos de “pique, angapanga, cerca-lourenço, pega, pegador, picula, toca”; filho de pobre dificilmente brinca. O pega-pega para ele tem o significado que também é transcrito do dicionário Houaiss, como: “Brigalhada, arruaça, bochincho, barafunda, briga, bulha, conflito, confusão, desordem, enfrentamento, pancadaria, pega, qüiproquó, tumulto”. Vige!

Constatação XX (De mais um pseudo-soneto).

       Sabedoria também é riqueza

Ele foi fazer uma serenata debaixo da janela
Para ver se conseguia comover até a mãe dela.
Levou consigo um amigo que tocava marimba,
Além de teclado, violão e violino com tarimba.

O fato sensibilizou todos componentes da família
Que até então sentiam pelo cidadão certa quizília*:
Ele era de origem humilde, modesta, enfim, pobre.
E os pais dela queriam que ele tivesse algum cobre.

Como é comum nas novelas da Globo, na televisão,
Convidaram o jovem para um jantar de gala, à francesa,
Para testar o seu comportamento em tal tipo de reunião.

O rapaz teve um desempenho como um simples mortal
Não demonstrou absolutamente fazer parte da realeza,
Mas respondeu a certas perguntas, mostrando cultura geral.

*Quizília = substantivo feminino, 1 aversão espontânea, irracional, gratuita por (alguém ou algo); antipatia, inimizade (Houaiss).

Constatação XXI (De diálogos entre homem obcecado sincero e mulher romântica sincera).
--“Posso ir agora à tua casa?”
-“Eu não quero que você venha porque você só pensa em me agarrar. Eu apenas quero ser tua amiga”.
-“Eu não acredito em amizade entre homem e mulher. Na realidade, eu quero te agarrar. Aliás, eu só agarro quem faz por merecer.
-“Eu sei que mereço. Já me disseram isso antes”.
-“Quem foi o fdp?”
-“Você”.

 

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS

Dúvida I

É uma atitude descabida
Andar de costas numa subida
Achando que ta indo na descida?

Dúvida II

Há que se ter cacife
Pra dançar um frevo
Como lá, em Recife?
Dúvida III
A gente já não fica perplexo
Quando escuta político falar
Um assunto desconexo?

Dúvida IV

É muita falta de certeza,
Se se come com garfo ou colher,
Aí, recusar a sobremesa?

Dúvida V

É muita poluição,
Tanto visual como auditiva,
O que passa na televisão?

Dúvida VI

É muito destemor
Enfrentar o leão da Receita
Na base do “Não senhor!”?

Dúvida VII

É muita intolerância
Reagir se a tua sogra estiver
Entrando na terceira infância?

Dúvida VIII

É muita audácia
Que o Paraná campeão
É uma falácia ?
Dúvida IX
É muita lengalenga
Que num clássico
Não haverá uma pendenga* ?

*Pendenga = substantivo feminino
1. conflito de interesses; pendência
2. discussão agressiva; bate-boca
3. desacordo entre pontos de vista; desinteligência (Houaiss).

Dúvida X

É muito cafona
Chamar a presidente (a)
De “minha amigona” ?

Dúvida XI

É muita representatividade
Participar de um chá,
Daqueles, de caridade ?

Dúvida XII

Sem um futuro promissor
A gente se vê obrigado
A virar um prestidigitador ?
Dúvida XIII
Agora, já, se algum deputado,
Fizer alguma maracutaia
Será que ele será cassado ?

Dúvida XIV

É muita solicitude
A venda à prestação
De jazigo e ataúde ?
Dúvida XV
Só quem é masoquista
Assista a baboseira da propaganda
Do candidato feito pelo argumentista?
Dúvida XVI
O debate dos candidatos que elevam
O tom nos ataques recíprocos também
Não te molestam, não te enervam?
Dúvida XVII
Por que os candidatos a prefeito,
Se eleitos, nunca apresentam na propaganda
O que e como tudo será feito?
Dúvida XVIII
Por que os candidatos a vereador
Se eleitos, sempre se apresentam
Em tarefas em que enganam o eleitor?
Dúvida XIX
Não se anda na calçada
Em Curitiba, mas no meio na rua
Com medo dum tombo numa tropeçada?
Dúvida XX
E já que falamos no assunto
Elevar o tom no debate
É coisa de bestunto*?

*Bestunto = substantivo masculino
Uso: informal, pejorativo. Capacidade mental limitada, inteligência curta (Houaiss).

2 comentários:

Anônimo disse...

Grande Juca!

Realizando a leitura do blog e ouvindo o jogo do verdao!

Abracao Joao Paulo

Juca disse...

Por que você não lê o blog e assiste o jogo do Paraná? Tem alguma coisa contra?