quarta-feira, 14 de novembro de 2012

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
E como dizia o obcecado, opinando sobre o sistema financeiro, no país: “Os juros deveriam ser como as calcinhas. Sempre tendendo para baixo”.
Constatação II (De uma dúvida não necessariamente crucial).
Um japonês deu um lance de cerca de 1,5 milhão,
Pela virgindade de uma jovem de Santa Catarina.
E para atingir seu objetivo precisará de vitamina?
Será que ele vai pagar à vista ou à prestação?
Ou talvez ele efetue o pagamento no cartão?
Será que esse valor vai pesar no seu orçamento?
Ou é provável que ele, após, peça ela em casamento?
Constatação III
Brigaram. Ele disse para ela: “Você me parece paranóica”.
Ela disse para ele: "E você me parece da Era Mezozóica".
Constatação IV (Meio surrealista).
Num sistema
Cartesiano
Ortogonal,
Ele apresentou
Um tema
Profano,
Considerado
Insano,
Mas, indubitavelmente,
Original,
Que provocou
Protesto
Veemente
E gestos
Imorais,
Como jamais,
Por parte
Da comunidade
Universitária
Que, caustica,
Se posicionou
Totalmente
Contrária
A sua demonstração
Anatomo-científica,
Específica
E também
Uma reação
Da eclesiástica
E, mais
Além,
Da entidade
Policial.
Esta, felizmente,
Sem arbitrariedade,
Sem xilindró.
Vejam só:
Bem intencionado,
Ele relacionou
Esponsais
De viúvas,
Em dias
De chuvas,
Com ocupação
De motéis
E hotéis,
Em noites frias,
Obtendo
Um gráfico
Tendendo
Ao pornográfico.
Foi, destarte,
Detestado,
Abominado,
Amaldiçoado
Excomungado,
Esconjurado,
Execrado.
Ficou
Abespinhado
Agastado,
Amofinado,
Obumbrado,
Amuado.
Coitado!
Constatação V
Quem nunca ouviu o autor e cantor José Afonso, mais conhecido por Zeca Afonso, ou se deteve para escutar Rao Kiao, ou o violonista Carlos Paredes, ou, ainda, a brasileira Nicole Borger cantando, em quase sua totalidade sonetos que musicou da portuguesa Florbela Espanca está por fora das maravilhas da terrinha e das de cá da terra. Idem, idem com relação Cesária Évora, considerada a cantora de maior reconhecimento internacional de toda história da música popular cabo-verdiana. Tenho luso-cabo-verdiamente e brasileiramente, dito!
Constatação VI (De uma dúvida crucial).
Será que não está na hora de fazer com que vários municípios capengas, criados por razões eminentemente políticas, sem a mínima condição de se manterem, retornarem a sua condição anterior, de distritos (não confundir com detritos), que deveriam poder opinar através de um plebiscito? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado!
Constatação VII (Passível de mal-entendido).
Ela é do gênero trepadeira.
Constatação VIII
E como dizia o obcecado gastrônomo, nada a ver com o outro obcecado, referido anteriormente: “Comer, em qualquer modo ou circunstância, deve ser algo prazeroso. Jamais, uma obrigação”. E plagiando, desavergonhadamente, Rumorejando, aduziu: “Tenho dito!”
Constatação IX
Não se pode confundir despida com despista, muito embora, nos dias de hoje quem anda despida ou, digamos, semi-despida com decotes generosos e fio dental nem tanto, já sem pudicícia, nem despista. É o que se poderia chamar da despida quase ou meio explícita. Vige!
Constatação X (Quadrinha para ser usada por correio postal e/ou eletrônico).
Faz tempo que não te vejo
E tampouco você me vê.
Por isso, eu morro de pejo.
Acontece também com você?
Constatação XI (Quadrinha para ser recitada preferencialmente olhos nos olhos).
Quisera ser batom
Para estar nos teus lábios
E ter meu sofrido coração
Junto aos teus alfarrábios.
Constatação XII (Quadrinha para ser recitada por meninas em festa infantil).
Falei para a minha boneca
Pra ela se comportar direito
E ela respondeu muito sapeca:
“Vou ver se eu dou um jeito”.
Constatação XIII (Décima para ser recitada em festa de adolescentes).
Dei uma rosa
Para ela,
Colhida do meu jardim,
Cheio de promessas.
“Lá vem você me pregar peças”.
Na negativa, da sua contestação,
Ela ficou tão nervosa
Com a minha peroração
Que fiquei com pena dela
E também com pena de mim.
Constatação XIV
Pobre é “bunda mole”; rico é “nádega flácida”.
Constatação XV
Alguém já disse algo mais ou menos assim: Quanto mais se conhece a humanidade, mais se admira os cachorros. Data vênia, como diriam os nossos juristas, mas Rumorejando, por sua vez, não está totalmente de acordo com o que foi dito. Quanto mais Rumorejando conhece os cachorros, menos admira a humanidade.
Constatação XVI
E já que falamos no assunto, não se pode confundir plácidas com flácidas, até porque existem nádegas flácidas que não são plácidas. Basta ver o que o mulherio rebola, sambando no carnaval e em outras ocasiões também alegres e prazerosas...

Constatação XVII (De um pseudo-soneto).

     De tropicadas num país tropical

Ele era um atleta disciplinado, um atleta perfeito
Participava de maratonas e de algum outro esporte
Porém não era totalmente apoiado, não era bem aceito
Porque a mulher dizia: “Vá participar, mas se comporte”.

O suposto “mal” era congênito
Já que havia herdado do seu pai
E já era visível no seu primogênito:
“Não degenera quem aos seus sai”.

Corria olhando para as gatas participantes
Comparava, embevecido, as coxas de todas elas
Olhar lúbrico* como sempre, como dantes.

Um dia quando estava enlevado olhando
Tropeçou na pessoa gostosona de uma delas,
Caindo nos seus braços. Ali, quis ficar morando.

*Lúbrico = Derivação: sentido figurado.
propenso ao vício da luxúria; que desperta luxúria; lascivo, sensual (Houaiss).

Constatação XVIII (De outro pseudo-soneto).

           Paris, capital do mundo e do amor

Estudou música em vários famosos conservatórios
E se tornou virtuose da viola, violoncelo e violinos
Tocava para doentes em hospitais e ambulatórios
O que acelerava a cura desses, digamos, inquilinos.

Um dia ganhou uma bolsa de estudos e foi à almejada Paris
Como a bolsa era pouca, tocava na rua para obter um trocado
As pessoas paravam para escutá-lo e, por isso, ele se sentia feliz
E meneava a cabeça, sem parar de tocar, como dizendo obrigado.

Certa vez, uma boazudona* se aproximou e convidou-o para uma festa
Seria para ele tocar, no jardim lá por meia noite, para seus convidados
E o repertório deveria constar essencialmente música de seresta.

A proposta era tentadora e ele imediatamente aceitou e assim sucedeu
Todos que o ouviram tocar, com paixão, se encantaram, emocionados
Ele acabou ficando com a boazudona e foi mais uma boa coisa que lhe aconteceu.

*Boazudona = sugestão muito respeitosa de Rumorejando aos nossos filólogos para se referir a uma dona boazuda.
Constatação XIX
Deu na mídia: “Um levantamento produzido pela Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e F (Fecap), para a publicação de Melhores e Maiores, na Revista Exame, indicou que os 50 maiores bancos que atuam no Brasil tiveram lucros tais quatro vezes superior aos lucros registrados pelas 50 maiores empresas brasileiras do segmento de indústria, comércio e serviços. Ainda da mídia: “SÃO PAULO - O lucro contábil de R$ 8,48 bilhões de janeiro a setembro de 2012 do Bradesco é o quarto maior da história entre os bancos de capital aberto brasileiros, segundo levantamento da consultoria Economatica. O maior lucro do setor para o mesmo período (janeiro a setembro) é do Itaú Unibanco no ano de 2011, com R$ 10,94 bilhões.
O segundo maior lucro de janeiro a setembro também é do Itaú, de R$ 9,433 bilhões em 2010, seguido pelo Banco do Brasil, de R$ 9,208 bilhões nos primeiros nove meses de 2011.A Fecap e a mídia cometeram um erro crasso. Eles se esqueceram de acrescentar viva “nóis”.
Constatação XX Com relação à constatação anterior, Rumorejando nunca entendeu porque se perseguiu e persegue tanto, somente, os banqueiros do bicho. Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.
Dúvida I
O amoroso arrulho,
Do casal, a vizinhança
Considerava barulho?
Dúvida II
Ela ganhou um caderno,
De mil folhas, só com
Poemas dele? Terno?
Dúvida III
É falta de critério
Só falar na base
Do vitupério?
Dúvida IV
O que? Um conciliábulo
Entre o touro e a vaca
Ali, atrás do estábulo?
Dúvida V
Afinal de contas, é despesa
Ou investimento, comprar, na
Promoção, um título de nobreza?
Dúvida VI
É muita sutileza
A mulher, no bem-bom, dizer
Que o teto está sem limpeza?
Dúvida VII
Estás cada vez
Mais solitário por
Causa da tua altivez?
Dúvida VIII
A tal da franqueza,
Aplicada em demasia,
Afugentou a freguesa?
Dúvida IX
Um manifesto,
Para um político
É sempre indigesto?
Dúvida X
Uma pessoa imodesta
É fatalmente
Indigesta?
Dúvida XI
Na permuta
Entre os peixeiros
Houve muita truta?
Dúvida XII
É ser muito matuto
Achar que é bom negócio
A compra de um viaduto?
Dúvida XIII
No carnaval, no entrudo
Também se corre o risco
De virar cornudo?
Dúvida XIV
É preciso muito empenho
Para, na idade provecta
Ter um bom desempenho?
Dúvida XV
Foi o cantor lírico
Que se referiu ao colega
De modo assaz satírico?
Dúvida XVI
“Modo assaz satírico
É aquele que é
Assaz panegírico*?
*Panegírico
·         substantivo masculino
1. Rubrica: literatura.
       discurso público em louvor a alguém ou a um ser abstrato
2. (1899) Derivação: por extensão de sentido.
   elogio solene
·         adjetivo (1679)
3.  que louva, que contém louvor; elogioso, laudatório (Houaiss).
Dúvida XVII
Foi a lontra
Que disse para o namorado
Não seja do contra?
Dúvida XVIII
E foi a Da. Onça
Que disse para o seu filhinho
Não brinque com essa geringonça?
Dúvida XIX
E foi o senhor camelo
Que disse para a camela: “Não gostaria
Que você fosse trabalhar como modelo”?
Dúvida XX
E foi o rinoceronte
Que disse para a sua namorada
Teu nariz também aponta para o horizonte?
Dúvida XXI
E foi o hipopótamo que disse para a namorada:
“Eu participei de saiote no filme Fantasia.
Você não achou ridícula aquela patuscada*?”
*Patuscada
·         feminino substantivo
1.      reunião festiva para comer e beber
2.      folia animada, divertida e barulhenta; pândega, farra (Aurélio).
Dúvida XXII
E foi o Dr. Elefante
Que, auscultando, perguntou à elefanta: A dor
Na tromba é só quando cheira ou todo instante?
Dúvida XXIII
E foi a atenta e pacificadora lombriga
Que disse para o lombrigo: “Pare com isso.
Com vírus do computador não se briga”.
Dúvida XXIV
E disse brava para o Senhor Galo a Dona Galinha
“Ela acha que seus ovos são de ouro, Só porque seus
Antecedentes são de Angola. Pare de paquerar a vizinha”.

Nenhum comentário: