quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS E POUCAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
                                     PREVISÕES PARA O ANO DE 2014.
Rumorejando, ao contrário de alguns futurólogos, em boa parte picaretas (quem não se lembra de Herman Kahn que, na época da ditadura, previu determinada situação para o Brasil que desagradou os governantes de plantão e o instaram para que alguns de seus índices econômicos apresentados – ruins, é claro – fossem mudados no que, pasmem, foram atendidos), apresenta suas previsões, praticamente iguais as de 2002, repetidas sucessivamente todos os anos, solicitando ao leitor que no final desse ano confira o nosso percentual de acerto que, desde já, afirmamos que será de 100%:
1.         A televisão brasileira continuará a baixar o seu padrão cultural, se é que ainda isso é possível;
2.         Algum “pai da pátria”, ao ser flagrado em algum deslize grave, além de negar, peremptoriamente, alegará que tudo não passa de maquinações de seus adversários políticos e/ou que estão querendo desestabilizar o regime democrático tão penosamente alcançado;
3.         Latifundiários, com mais áreas de terras do que vários países juntos continuarão afirmando que o MST é baderneiro;
4.         Um jogador e/ou técnico de futebol, ao ser entrevistado, após a derrota do seu time, dirá que “vamos corrigir os erros e levantar a cabeça”;
5.         Os governantes continuarão a utilizar a máxima, ou melhor, a mínima de “aos amigos: tudo; aos indiferentes: a lei; aos inimigos: bulhufas”;
6.         Ocorrerão terremotos, secas e inundações em algumas partes do mundo, Brasil inclusive, que já debutou nessas catástrofes;
7.         O Brasil continuará se entregando à tutela do capital estrangeiro não mais sob a denominação pejorativa de entreguismo, mas a modernosa de globalização;
8.         Em certos países, serão implementadas diversas CPI’s, sendo que, todas, fatalmente terminarão em pizza. Algumas, inclusive, serão desmanteladas pelo governo sob a alegação de que o fato acarretará desgaste junto aos credores externos e aos pretensos investidores;
9.         Uma figura proeminente morrerá alhures; uma figura proeminente nascerá alhures e, lá pelo ano de 2050, ocupará cargos relevantes em seu país ou também alhures;
10.       Novos desvios de recursos serão descobertos nos diversos Poderes da República, tanto no âmbito federal, como Estadual e Municipal; também, no Eclesiástico. Vige!
11.       Fundamentalistas de várias religiões pregarão que só a deles que é válida e de que há de se acabar com as demais;
12.       Nos Estados Unidos da América alguém se porá a atirar em transeuntes, alunos de escolas, trabalhadores, etc.;
13.       Ocorrerão queimas de arquivos, tanto sob a ótica de documentos como de pessoas;
14.       Na capital do estado de São Paulo o número de crimes no fim de semana continuará aumentando. Nas demais cidades do Brasil, também;
15.       No Brasil as leis permanecerão divididas entre as que pegam e as que não. No entanto, as que pegarem sob a ótica da Lei, só serão aplicadas aos pobres. Aos políticos, nem falar que jamais serão;
16.       A dívida brasileira continuará aumentando e sendo total e, claro, parcialmente impagável;
17.       Bombas explodirão em vários países. O Ira e o Eta também, como de costume, serão responsabilizados;
18.       Os fazendeiros que mantém pessoas em regime de trabalho escravo, no Brasil, continuarão impunes por “falta de provas”. Também, pela mesma razão, os mandantes de assassinatos de líderes sindicais;
19.       Sinagogas e cemitérios judaicos aparecerão, em vários países, com suásticas.
20.       Israelenses e palestinos continuarão no esquema da vingança da vingança, da, vingança+1 da vingança+2... da vingança+n...
21.       As Coréias serão a bola da vez para um confrontozinho já que não se pode quebrar a corrente de que exista paz no mundo, nem que seja por um segundo. No Iraque, continuarão a explodir bombas humanas em mesquitas, matando muitas pessoas;
22.       Objetos não identificados serão vistos no céu e não deixará de haver afirmações oficiais dizendo que se trata de ilusão de ótica coletiva e coisas desse jaez.
23.       A privatização continuará, trazendo em seu nojo, digo bojo, piora nos serviços e mais desemprego (Saudades da Telepar, a companhia de telefone estatal do Paraná);
24.       Este assim chamado escriba continuará, inutilmente, procurando alguém que lhe ganhe no jogo de truco e chegará – para alguns tantos – a conclusão que ainda está para nascer alguém com tais abstratas características;
25.       O time do Paraná, que é o da preferência deste anteriormente denominado escriba, a fim de não esperar como o Atlético 16 anos, após o Coritiba, para ser o vencedor do Campeonato Nacional, fará ingentes esforços para conseguir o mesmo intento sob a alegação de que se eles podem, nós também podemos e, patrioticamente, devemos. No entanto, se fará mister que ele não acabe antes e, antes também, ascenda para o Brasileirão, o que não se vislumbra a curto, médio ou longo prazo... Caso isso venha a acontecer ou a sua ascensão não faltará um dirigente ou comentarista esportivo que declare que o Paraná da Primeirona nunca deveria ter saído. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando não concorda com tal assertiva, pois acha que o Paraná na Segundona nunca deveria entrado. Afinal, o número de anos em que ele se encontra dá a impressão que ele se afeiçoou na Segundona e não pretende dela sair. Vige!
26.       A revista Playboy convidará uma atriz famosa para posar nua na revista.
27.       Os novos computadores, Ipad´s e assemelhados tornarão os do ano anterior, obsoletos (E viva o consumismo!).
28.       As eleições trarão muitas surpresas, como por exemplo, candidatos prometendo aquilo que todos estão carecas de saber que jamais irão cumprir.
29.       A recessão mundial trará dissensões familiares. Lamentavelmente.
30.       Os atores brasileiros continuarão a dar show de interpretação como já vêm fazendo no teatro, cinema e na televisão.
31.       Os motéis continuarão faturando alto, já que ninguém é de ferro.
32.       Os juros continuarão altos, consequentemente os bancos continuarão a ter pornográficos lucros. Também por não colocarem mais caixas, a fim de aumentar ainda mais os lucros, bem como a fila, composta de pessoas jovens e idosas.
33.       Algum político, usando da sua indefectível retórica e empulhação, dirá que já somos um país do 1º. Mundo.
34.       A lavagem de dinheiro deverá receber inovações de ordem tecnológica.
35.       As companhias de aviação terão enormes prejuízos.
36.       A Petrobrás pretenderá diminuir os acidentes com vazamentos de óleo. Rumorejando estima em 10% a diminuição em relação ao ano de 2013.
37.       Os Apagões ensejarão o aumento da população.
38.       O salário mínimo atual de R$678,00 será considerado pelo governo como um salarião. O novo já anunciado pela Presidente (a) também. Os desafios para que algum governante experimente viver com tal salário será com elegância e educadamente recusado.
39.       O sequestro dará a impressão e a certeza que foi institucionalizado.
40.       Ao invés de um bonde, como era comum no tempo desse transporte coletivo, alguém comprará um terreno na lua.
41.      A Segurança, a Educação e a Saúde continuarão no estágio inercial que sempre se encontraram, o que quer dizer que nada será feito para mudar a eterna situação em que se encontram, para gaudio de uma parcela da população;
42.     O carnaval estará recheado de bundas e seios. Rumorejando usou a expressão recheado por causa das operações de recauchutagem com silicone e outras mágicas milagrosas;
43.    Alguma ex-BBB, ou alguma outra assim chamada famosa fará declarações de suas preferências com relação a posições, lugares, desempenho, dimensões diversas para a sua – dela – satisfação sexual;
44.    Intermediários de jogadores de futebol serão cada vez em maior número o que não faltará quem os classifique como gigolôs de jogador de futebol;
45.    Com a crise, desfilar, namorar, casar, se juntar com jogador de futebol famoso com salários elevados o número de Maria´s chuteiras deverá aumentar substancialmente; Às que engravidarão deles, também;
46.    Deputados e Senadores da República brasileira continuarão a eleger para a presidência das respectivas Casas do Congresso em pessoas que, jamais, poderiam apresentar Atestados de Bons Antecedentes.
47.    O custo dos estádios de futebol que estão sendo construídos e as obras de infraestrutura necessárias para atender a exigência da Fifa, ao invés de dobrarem o preço inicialmente calculado, passarão a triplicar. Vige!
48.    O futebol feminino continuará despertando cada vez mais o interesse dos torcedores. O masculino há que se assistir 100 partidas ruins para eventualmente assistir uma boa. Vige!
49.    No site da revista Quem, segundo os que costumam ler tal tipo de revista, os que são instados a fazer comentários, o farão em um português tão cheio de erros que fica a pergunta por que ao invés dar a sua – deles – “abalizada e modesta” opinião, eles não vão estudar o nosso rico idioma ao invés de assassiná-lo? Vige!
50.   A natureza será cada vez mais cruel, e ocasionará muitas mortes. Ela estará apenas se vingando dos maus-tratos a que é submetida pelos assim chamados racionais que, como tal, eles não têm absolutamente nada.
Constatação II (Ano Novo)
Ao desejar aos seus leitores e respectivos familiares um Feliz Ano de 2014, extensivo aos demais dias, semanas, meses, anos, séculos e assim sucessivamente ad infinitum, como diriam nossos latinistas, Rumorejando agradece o prestígio alcançado em nosso país e também recebido no exterior como pode ser constatado no blog, onde se destaca, até o dia de 22 de dezembro do corrente ano cerca de 27.000 visitas, desde abril de 2008, quando o blog, então, foi criado. Dentre os países que mais visitaram, segue:
Brasil 15.766
Estados Unidos 2.951
Rússia 1.376
Noruega 783
Alemanha 717
França 461
Ucrânia 394
Portugal 319
Holanda 206
Espanha 131
Houve algumas surpresas, agradáveis, como a presença da Malásia, Indochina, Butão (que me fez, humildemente, consultar o Atlas por desconhecer a existência de um país com este nome...), China, Filipinas, Indonésia, Israel. Obrigado a todos!   
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Ficção?)
Ela achou
Ridículo
E falou:
-“Mas isso
É um cubículo,
Um cortiço,
Uma insalubridade.
Vou ter um chilique”,
Quando ele anunciou
Que havia comprado
Uma apalacetado
De mil
Metros quadrados,
No bairro mais chique
Da cidade.
-“Não somos flagelados.
Só havia
Tão pequenos?
Só para economizar
Um centilião?”
Eu queria,
Pelo menos,
Algum de milhão”.
-“Mas somos só
Nós dois.
E, depois,
Quem vai limpar
Todo o pó?”,
Ele tentou
Argumentar.
-“Isso é de somenos
Importância.
É problema meu
E não teu.
Sobra,
Em abundância,
Mão-de-obra
Muito barata
No Brasil
Sem falar
Em negociata.
Você não é deputado?”
Coitado!
Coitado???!!!
Constatação II (De uma dúvida crucial).
Afinal, a Câmara e o Senado, além de ser um ótimo investimento para quem lá chega, são órgãos de prestação de serviços, de comércio ou, pelos elevados valores dos salários e não salariais, de indústria? Talvez do setor primário com a máxima de que se adubando bem, preferencialmente com matéria orgânica natural, dá para fazer uma boa coleta? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação III
Não se pode confundir erótico com exótico, muito embora com esses novos tempos que quase todo mundo virou erótico, com essa generalização toda, quem não o é, leva a pecha de exótico, quando não de caótico e até mesmo de neurótico, ou de ter, na cabeça, um problema virótico. Inclusive, em alguns locais, em condição normal de pressão e temperatura, de despótico. A recíproca não é necessariamente verdadeira. Tem muito cara exótico que jamais sentiu um pingo de erotismo. Coitado!
Constatação IV (De uma quadrinha com uma dúvida não necessariamente crucial).
Será que aquele certo senador,
Em quem votei em toda eleição,
Não vem tendo a má impressão
De que enganou este pobre eleitor?
Constatação V (De uma dúvida crucial).
Com o resultado
Votivo
Do eleitorado,
Resulta
Improdutivo
Se ele exulta
Quando determinado
Candidato,
Com ou sem
Espalhafato,
É sufragado,
Ou ninguém
Votou no coitado?
Constatação VI
O cara de pau,
Pintoso,
Se chegou
Todo meloso,
Todo pomposo,
Todo empertigado
Pra gata
E perguntou:
“Ó anjo
Não mau
Tá a fim
De mim?”
“Eu não esbanjo
Meu latim,
Falando
Com chinfrim”,
Ela contestou,
Ameaçando
Chamar
O namorado
Que de tão alto
E forte
Até parecia
Quadrado.
“Sendo assim,
Eu vou me mandar
Hoje, estou
Sem sorte
No meu desempenho”.
E, num salto,
Se escafedeu,
Desapareceu,
Como num desenho
Animado.
Coitado!
Constatação VII (Deve também curtir tourada, farra do boi, etc.)
Deu na mídia numa determinada época, antes de estarem rastreando contas do ilustre cidadão em paraísos fiscais: “O contrato do publicitário Duda Mendonça com a Presidência da República não será renovado”. Data vênia, como diriam nossos juristas, já deveria ser interrompido quando o publicitário foi preso numa rinha de briga de galos. Gente fina! Vige!
Constatação VIII
Em face de ajuda de sair de uma eventual fossa, através de suas músicas, este assim chamado escriba presta sua homenagem, ainda que tardia (até parece o dístico da bandeira dos Inconfidentes “Libertas Quæ Sera Tamen”), a Johannes Chrysostomus Wolfgangus Theophilus Mozart, que depois mudaria seu quarto nome para Amadeus, pelo seu ducentésimo quinquagésimo sétimo aniversário de nascimento, transcorrido no dia 27 de fevereiro deste ano de 2013, da nossa era. Obrigado Mestre!
Constatação IX (De outra dúvida crucial).
Será que quando o mar está revolto é porque os habitantes marinhos estão saracoteando? Os especialistas em oceanografia e afins que puderem nos dar uma resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação X (Teoria da relatividade de mensalãosistas).
Mais vale receber parcelas mensais de, pelo menos, R$ 30 mil, milhares ou milhões e ser apontado na rua, ou alhures, por tal motivo, do que auferir somente o considerado, por eles mesmos, mísero salário de deputado e, de igual maneira, continuar a ser apontado na rua, ou alhures.
Constatação XI (De razões e proporções matemáticas).
A dispensa de um técnico de futebol está para o nível das seguidas derrotas do time que ele comanda, assim como a CPI’s estão para as pizzas. Aí, para tirar o valor de algum dos, digamos, fatores, basta multiplicar cruzado e deixar àquele que se quer no primeiro membro. Tomando como exemplo a CPI ela será igual ao técnico de futebol multiplicado pelas pizzas e dividido pelas derrotas. Elementar meu povo.
Constatação XII (Com mais uma pequenina dúvida crucial, lá, no final).
A mulher descobriu que o marido tinha uma amante. Coisa detetivesca: Não é que ela encontrou no lixo que não é lixo algo escrito, mas que estava rasgado em mil pedacinhos. Ela, pacientemente, montou as partes, obtendo a carta na sua íntegra. E, com declarações ardentes de amor vivido, pela, segundo ela, da “sirigaita”, com o, anteriormente, assim chamado maridão. E, pior, reiterando agradecimento do presente de um anel de brilhantes. Ele, inadvertidamente – segundo suas próprias declarações aos amigos –, havia esquecido que o passatempo da legitima era montar “puzzle”. A coluna não obteve informações sobre o desfecho, mas que o pau comeu solto foi o que todos os vizinhos, assaz assustados, comentaram no dia seguinte. Coitado! (Coitado?). Coitadas! (Coitadas ou Coitada?).
Constatação XIII (De uma quadrinha para ser declamada se assim o eventual declamador desejar e, evidentemente, desde que tenha ouvintes).
Quando o galo se punha a cantar,
Na madrugada, me fazendo acordar,
E por achar que ele nunca ia parar,
Tive que me pôr carneiros a contar.
Constatação XIV (De uma pergunta inocente).
Escutar o horário político
Não te dá uma baita vontade
De jogar algo granítico*
Ao ouvir tanta iniquidade?
*Não ficou claro se na televisão ou em quem estava falando. Quem souber, por favor, comentários no blog. Rumorejando agradece penhoradamente.
Constatação XV
Este assim chamado escriba realizou dia 9, próximo passado, o lançamento do seu segundo livro, intitulado 150 Sonetos & 1 Sonetão (Pseudos), na Livraria Cultura, cá em Curitiba. Cabe assinalar a presença, dentre muitos que lá compareceram, a vinda, de Belo Horizonte, de um casal, Marina da Silva e o seu – dela – maridão Gil, específica e especialmente para o evento. Também a presença virtual da filha do assim cognominado autor, graças às instâncias de Soraya Sugayama com seu aparato eletrônico. O assim apodado Juca, sensibilizado, agradece a presença de todos e aproveita o ensejo para augurar aos presentes e ausentes ao mencionado evento um Feliz Natal.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é ousado; pobre, assanhado.
Constatação II
Rico tem desejos; pobre, tara.
Constatação III
Rico vai ao futebol nas cadeiras numeradas; pobre, fica com dor nas cadeiras de sentar no cimento duro da geral.
Constatação IV
Rica toma(va) Regulador Xavier; pobre não regula bem.
Constatação V
Rico lidera; pobre é maria-vai-com-as-outras.
Constatação VI
Rico passa as férias em Orlando; pobre, arrumando o barraco.
Constatação VII
Rico conclama; pobre faz baderna.
Constatação VIII
Rico pede licença; pobre, é na base do empurra-empurra.
Constatação IX
Rico é cercado de bem-querer; pobre só leva bordoada.
Constatação X
Rico usa palavras com o diminuitivo “inho”, como carinho e outros; pobre só se exprime com palavrões.
FÁBULA CONFABULADA, INDIGNA DO GURU MILLÔR.
Numa pequenina província chinesa, bem pra lá do fim do mundo, como diz certa canção de certo país, este do outro lado do mundo, vivia uma família, constituída pelo pai Zan Vah Leh, pela mãe Sheyn Dah Leh, pela filha Mah Sha Leh e pela sogra de Zan Vah Leh, Fah Loy Rhe Neh Shef. Evidentemente que a sogra, como sói acontecer, azucrinava, atazanava, aperreava, apoquentava, arreliava, atormentava e outras “avas” a vida do genro. Afinal sogra é sogra seja na China, em Balsa Nova ou na Cochinchina. Por outro lado (qual lado?), ela tratava bem todas as pessoas que viviam ao seu redor. Preparava sopinhas especiais para as vizinhas se, porventura, estas não se encontravam bem de saúde; emprestava dinheiro para os que necessitavam sem cobrar nem um li, a moeda chinesa, de juros, por tempo extenso que os economistas chamam de longo prazo; promovia chás beneficentes que efetivamente beneficiavam os beneficiados, permitindo, com o capital inicial, começar algum negócio tipo fundo de quintal, já que a abertura chinesa permitia algumas iniciativas, semelhantes aos países capitalistas, ainda que o esquema sempre fosse atacado pelos mais ortodoxos, o que nesse momento não vem para o caso, pois já é outra história.
As importunações, as perturbações, as moléstias de Fah Loy Rhe Neh Shef faziam muito mal a Zan Vah Leh que engolia calado tudo. Ele sabia que a sogra gozava de bom conceito em todas as partes e também não queria envolver os demais membros da família com quem vivia muito bem.
Quis o destino, ou seja, lá o que for, que Fah Loy Rhe Neh Shef teve uma síncope e veio a falecer. A província inteira compareceu as exéquias (Rico tem exéquias; pobre, enterro. Mas isso já é outra história que nesse momento também não vem para o caso). O prefeito falou em um memorial numa das praças em homenagem à inesquecível falecida (rico falece; pobre, estica as canelas) pelo infausto acontecimento e os vereadores se prontificaram aprovar um voto de pesar – que Zan Vah Leh achava que deveria ser de repúdio, mas isso agora não vem para o caso –, para que ficasse registrada nos anais daquela casa a inesquecível figura da assim chamada, por muitos, notável senhora como efetivamente veio a acontecer.
Por sua vez, Zan Vah Leh havia ficado tão destrambelhado por tudo que a sogra lhe havia aprontado que tinha terríveis pesadelos, acordava gritando e alagado em suores frios, quentes e tépidos. Aí, se viu obrigado a fazer psicanálise. Felizmente, na China, o seguro social cobria tais gastos, pois se fossem em certos países do decadente Ocidente ele precisaria um caminhão com toneladas de dinheiro. Mas isso já é outra história.
Moral: Nem sempre, quando uma pessoa é considerada inesquecível quer dizer que se refere somente pelo bem que ela eventualmente realizou.

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimsprimas.com.br

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Maioria dos partidos diz não haver espaço para candidatura de Barbosa. Enquete do 'Estado' com 32 legendas registradas no Brasil mostra que presidente do Supremo teria dificuldades caso decidisse enfrentar as urnas por uma sigla bem estruturada”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a “falta de espaço” é por falta ao Presidente do Supremo de um Atestado de Maus Antecedentes. Vige!
Constatação II
Também deu na mídia: “Novo fator previdenciário pode diminuir aposentadoria em R$ 200. Cálculo é de especialista em Direito Previdenciário; a partir desta segunda-feira, já vale a nova tabela com base na nova expectativa de vida divulgada pelo IBGE”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o próximo passo será contratar pistoleiros, pagando R$50,00 para eliminar cada um dos aposentados e ficar com mais dinheiro para as fraudes que lá vem, há tempos, ocorrendo. Novamente: Vige! 
Constatação III (De um agradecimento).
Em 09/06/2011, o Amigo Aurélio Munhoz publicou no site da revista Carta Capital um texto intitulado “Para viver a liberdade”, citando este assim chamado escriba. O texto suscitou várias manifestações, algumas laudatórias, outras, nem tanto, aliás, muito antes pelo contrário. Dentre as, digamos, simpáticas havia uma poesia do professor Paulo Barja, que já havia sido publicada também em Rumorejando e transcrita a seguir:

 Pra entender a liberdade
é preciso exercitá-la
em tudo que a gente faz
em tudo que a gente fala
sabendo ouvir quem não pensa
igual a nós, ou tem crença
diferente e não se cala.

 Liberdade é mesmo assim
dia a dia cultivada
exercício de convívio
ao longo da nossa estrada
quem condena a liberdade
pode falar à vontade
garanto: não tá com nada!

Respeitar a voz do outro:
garantir e defender
que possa manifestar-se
é bandeira e é dever
de quem pensa a liberdade
como uma necessidade
para melhor se viver.

Agora, com o lançamento do meu segundo livro, 150 Sonetos & 1 Sonetão, na orelha da capa e da contracapa publiquei nos ‘Fragmentos Críticos’, dentre outros, o texto acima do Professor Paulo Barja e lhe enviei um exemplar. Daí, recebi o soneto que segue e que eu, mais uma vez, agradeço, a atenção a mim, calorosamente, dispensada.

SONETO PRO JOSÉ ZOKNER

                                   (Paulo Barja)

Chegando do trabalho, assim cansado,
Querendo só chuveiro e o jantar,
Achei que nada fosse me animar,
Mas eis que percebi, bem embrulhado,

Pacote prometendo uma surpresa.
De Curitiba vinha, vejam só!
A curiosidade dava nó,
Seria um livro novo, sobre a mesa?

Abri. Que coisa linda! Achei e digo.
Já comecei a ler ali, de pé
-aí vi que eu estava lá na orelha:

Mandando abraço em versos pro amigo
Que ainda eu encontrarei, eu tenho fé.
No breu da vida, siga assim: Centelha!

Constatação IV
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Por Diogo Martins | Valor RIO - Os 10% mais pobres da população brasileira detinham apenas 1,1% da renda total do país, ao passo que os 10% mais ricos possuíam 41,9% do rendimento nacional em 2012. É o que aponta a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística […]”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o Sr. Diogo Martins se esqueceu de acrescentar: Viva ‘nóis’.
Constatação V (Dúvida bem mais que crucial).
Por que deputado ou senador tendo sido caçados não perde o direito à aposentadoria como outros funcionários públicos exonerados? A lei não é igual para todos? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VI (Ah, esse nosso vernáculo!).
No Maranhão, a aranha fez um emaranhado, um emaranhamento e ficou amarfanhada e arranhada. Coitada!
Constatação VII
Deu, certa vez, na mídia: “Câmara afirma que 97 parlamentares devolveram ou doaram salário extra”. O número de deputados é acima de 500. Logo, mais de 400 embolsaram e, claro, ficou por isso. Depois querem que não se fale mal dos deputados e senadores. Vige!
Constatação VIII
E já que falamos no assunto, Rumorejando, no intuito de dar a sua parcela de contribuição ao ensino do país, toma a liberdade de sugerir – data vênia, é claro, pois somos democratas – que seja dado nas escolas primárias, como exemplo de substantivo abstrato, as famigeradas promessas dos políticos. A fim de tabular dados estatísticos, quem estiver ou não de acordo e pretende opinar com relação à retro mencionada sugestão, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX (Quadrinha para ser recitada ou mandado como bilhete, se for o caso, evidentemente, a quem de direito, com o fito de sensibilizar a destinatária).
Eu tento reter um uivo,
Quando você nem me olha,
Ó moça do cabelo ruivo
Cheia de chove-não-molha*.
*Cheia de chove-não-molha = Aborrecida, farta (Aurélio).
Constatação X
Foi pelo ralo
Mais uma promessa
De ela comparecer
Ao encontro com o namorado,
Que, sem esmorecer,
Fora, mais uma vez,
Com cupidez,
No embalo
Do “vamos nessa!*”
Coitado!
*Expressão utilizada no livro 150 Sonetos & 1 Sonetão (Pseudos), na página 17, no pseudo-soneto Pensamentos de um incentivo patriótico, cujo lançamento foi efetuado no dia 9 próximo passado, na Livraria Cultura, que se encontra no Shopping Curitiba, cá na terra.
Constatação XI
Deu, certa vez, na mídia: “Alckmin diz que não quer ser candidato por W.O.” Coincidência: O meu time, o Paraná, também não quer obter vitórias dos adversários por W.O. Tampouco, com a ajuda de algum pênalti indevido e/ou coisas desse jaez. (Mas como diz um colega paranista sofredor, como este assim chamado escriba: “Bem que ele tá precisando...”).
Constatação XII
Pouca repercussão
É de se imaginar
Pra próxima eleição,
Pois é muito difícil
Escolher
Quem eleger,
Em quem votar,
Com esses antibrasileiros
Que são mais ligeiros
Do que um míssil.
Constatação XIII
E já que falamos no assunto, será que a maioria dos congressistas não poderia se louvar na História do Brasil e dizer: “Se é para o bem de todos e para a felicidade geral da nação diga ao povo que eu não me candidato novamente, nem nunca mais na minha vida”?
Constatação XIV (De uma dúvida crucial).
Diz a sabedoria popular que a gentileza é a filha da hipocrisia e que a preguiça é a mãe de todos os vícios. Será que a hipocrisia e a preguiça são consogras? Tudo leva a crer que sim. Afinal, não é improvável que as, digamos, gentilezas que nos estão sendo dadas a ver, envolvendo principalmente deputados, está, de há muito, se caracterizando como vício... Mas, por via das dúvidas, quem souber, principalmente entendidos em filosofia, comportamento humano, antropólogos, financistas e economistas, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XV
Não se pode confundir comedida com cometida, muito embora a barbaridade que vêm sendo cometida, nos últimos tempos, ser considerada comedida por quem esteve ou está no Poder, naquela velha história de que, para eles, os fins justificam os meios, não importando quais meios, desde que eles se achem que permanecerão inteiros... A recíproca para esses casos em quem paga é, como sempre, o povo, pode até ser verdadeira, como uma arremetida comedida, cometida para conquistar um(a) parceiro(a), sem que se caracterize como assédio sexual, por exemplo.
Constatação XVI
Quando o inglês leu na imprensa que “moradores de 67 cidades francesas estão sendo obrigados a limitar o uso de água”, também noticiado pela mídia televisiva, comentou, reacendendo a velha rivalidade franco-inglesa: “Mas esses caras nunca gastam quase nada de água, pois nunca tomam banho”.
Constatação XVII (De uma ou mais dúvidas cruciais).
Ponderações de um leitor de Rumorejando, que pediu para que seu nome não fosse divulgado: “Os bandidos, hoje em dia, criaram mecanismos tecnológicos para fazer frente às medidas de proteção das pessoas para defenderem suas casas, seu patrimônio, enfim, de roubos, através de sistemas de alarmes, grades, cercas com fios elétricos, porteiros eletrônicos, circuitos fechados de televisão e coisas do gênero. De que adianta uma reforma política, se os políticos continuarão no esquema tão consagrado dos mensalões da vida, que os argentinos chamavam, de modo eufemístico, de “sobresueldos”? Ou, por acaso, evitará o caixa 2 e outras licitações facciosas também da vida e por aí afora? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog que repassará a quem de direito. Obrigado.
Constatação XVIII (De uma dúvida crucial).
O repudio de Rumorejando do que aconteceu entre as torcidas do Vasco e do Atlético. Alguém viu algum policiamento naquela hora?

RICOS & POBRES.
Constatação I
Rico está acima do bem e do mal; pobre está sempre por baixo.
Constatação II
Rico é lealmente competitivo; pobre é deslealmente concorrente.
Constatação III
Rico é libidinoso; pobre, pervertido.
Constatação IV
Rico toca saxofone, pistão, trompete com os cobras do jazz em New Orleans; pobre toca corneta no quartel.
Constatação V
Rico é, alegremente, colonizador; pobre tenta, inutilmente, se descolonizar.
Constatação VI
Rico tem “insuficiente corpo para comprazer a sua alma”*; pobre é broxa.
*Expressão mencionada pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez, Prêmio Nobel de Literatura, no livro O General em seu labirinto. A propósito do escritor Gabriel García Márquez, este assim chamado escriba de Rumorejando o homenageou, dedicando-lhe o pseudo-soneto, intitulado A espera e a esperança, que havia constado no blog, no dia 15 de agosto de 2012, e que também consta no livro 150 Sonetos & 1 Sonetão (Pseudos), (página 211).
Constatação VII
Frase de rico repercute; de pobre, não há quem escute.
Constatação VIII
Frase de rico repercute; de pobre, não há quem escute.
Constatação IX
Rico se manifesta nos bastidores, a boca pequena; pobre, leva gás lacrimogênio nas suas manifestações de rua.
Constatação X
Rico rima com aperta-chico*; pobre com desnobre**
*Aperta-chico = substantivo masculino
Regionalismo: Ceará. Uso: informal.
conflito envolvendo muitas pessoas; alvoroço, confusão (Houaiss).
** Desnobre = adjetivo
Estatística: pouco usado.
1          que não é nobre; plebeu
2          sem nobreza; ignóbil, vil, reles, baixo (Houaiss)

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Em certos países, a impunidade é de maneira tal que ser honesto é sinônimo de burrice, ignorância e panaquice...
Constatação II
Perguntou o septuagenário para a gatona, que estava nadando na raia ao lado, na escola de natação: “Quanto você nada em uma hora?” “Três mil e trezentos metros”, respondeu a gata sem titubear. “E o senhor?” “Eu sofríveis, sofridos, sôfregos quinhentos metros”.
Constatação III
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Só 2,5% dos paulistanos vivem em áreas totalmente urbanizadas. Índice feito com base no Censo aponta que Consolação é o bairro com mais domicílios completamente servidos de iluminação, pavimentação, arborização urbana e saneamento”. Se a capital do estado mais rico do país está nessa situação, dá para imaginar como se encontram os demais municípios do país. Enquanto isso, nos três Poderes da República, mesmo com salários elevadíssimos, estouram uma profusão de fraudes diariamente. Vige!
Constatação IV
O dublê é um sósia virtual? Ou um clone virtual?
Constatação V
Assim como os locutores esportivos costumam dizer que a partida se aproxima dos 45 minutos finais e ela ficará por conta do arbitro que determinará quantos minutos de prorrogação, este assim chamado escriba, na sua idade provecta, já está por conta dos seus médicos, do risco de um eventual excesso de qualquer espécie e dos fármacos dos remédios por ele aviados, digo, para não suscitar mal-entendidos, prescritos.
Constatação VI (Quadrinha para ser recitada numa escola curitibana ou fora dela).
Esse nosso curitibano triste inverno
Na atual primavera, já quase verão,
Está sendo absolutamente sempiterno*
Sem aparecer o sol de tanta aspiração.
*Sempiterno = Adjetivo.
1.Que não teve princípio nem há de ter fim; eterno.
2.Que dura sempre; perpétuo, contínuo.
3.Antiqüíssimo.
4.Filos. Diz-se de acontecimento que se integra à eternidade, concebida esta como a totalidade dos eventos passados, presentes e futuros (Aurélio).
Constatação VII
Chegou, com o agravante,
De ser na madrugada.
Cambaleante.
Tropeçando,
Se arrastando.
Havia
Bebido
Não água tônica,
Ou guaraná.
A mulher,
Ainda acordada,
Triste, fria,
Amuada,
Enfadada,
Irritada,
Amofinada,
Como não se quer.
Semelhante
Ao time do Paraná,
No passado,
Pois parecia
Nunca ter vencido
Alguma porfia.
Coitada!
Coitado!
Constatação VIII (De uma simples dúvida).
Era o cidadão que vinha “costurando”, em alta velocidade, no trânsito, que tinha uma decalcomania escrita no para-brisa traseiro “Deus me guia”?
Constatação IX
Será que o ator Mario Moreno, o Cantinflas, iria imaginar que a sua característica de usar as calças, digamos, bem abaixo da cintura iria, algum dia, virar moda feminina no Brasil?
Constatação X
A pessoa grossa sempre vai achar que é suficientemente fina; a pessoa fina sempre vai achar que não é suficientemente fina.
Constatação XI
E como lucubrava aquele filatelista meio filósofo: “Nesses tempos de tirar proveito em tudo, uma pessoa decente será tão decente até o dia de deixar de sê-lo. Uma pessoa indecente dificilmente deixará de sê-lo”.
Constatação XII (Com palavras e fatos repetitivos).
Levantai
Os assentos
Dos assentos
Ó gente
Acomodada,
Vai-não-vai,
Sossegada.
Não ficai
Qual
Um omisso.
Com isso,
Eu juro,
Eu assumo,
Sem esconjuro,
O compromisso
De novo rumo
Sem igual:
Que o juro
Dará uma baixada
E vós vereis,
Até o fim de 2026,
Que o lucro,
Nada xucro,
Do banqueiro,
Jamais meeiro,
Cumulativo de renda,
Assaz pornográfico,
Tampouco
Seráfico,
Dará uma tremenda
Baixada,
No geral,
Ou um pouco
Menor,
Ainda que maior
Do que um reles real...
Constatação XIII (De uma dúvida crucial).
Paquerar
Uma mulher
Que é só curvas
É como pescar
Em quaisquer
Águas meio turvas?
Constatação XIV
Deu na mídia: “Um dia, o então ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, disse: "não me sinto fritado porque não sou peixe". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que os chefes de cozinha não concordam com a assertiva de S. Excia. Afinal de contas, não só peixe pode ser fritado, como também pode ser cozido, comido cru, tranquilamente, (sashimi, sushi), assado, ensopado e de outras maneiras que nesse instante não ocorreram aos mencionados chefes de cozinha que a coluna houve por bem consultar.
Constatação XV
Eu, um andarilho,
Maltrapilho,
Mas com muito brilho,
Num afogadilho,
Ofertei a ela um junquilho
Com intenção dum namorilho
E, sem empecilho,
Cometi um pecadilho:
Deitei-a no chão de ladrilho.
Tirei, dela, o espartilho.
E, de rendas, o peitilho.
Ela achou que eu ia ensarilhar o gatilho,
Porém sobrou tanto lombilho
Que eu saí correndo qual um tordilho.
Ainda escutei: “Por que tanta pressa, meu filho?”
Que sarro! Ou, sem trocadilho,
Que sarilho!
Constatação XVI
Segundo alguns expertos no assunto, cada povo tem determinadas características. Por exemplo, o italiano é considerado anárquico; o alemão, disciplinado; o americano, infantil; o francês, amante das artes; o inglês, com senso de humor. E assim por diante. Nós, brasileiros, estamos com a pecha do famigerado “tirar proveito em tudo”. No restaurante, a conta não vem correta e, quando reclamada, o argumento é que foi engano; no supermercado, o preço na caixa nem sempre corresponde ao da prateleira. Culpa do computador que “esqueceu” de fazer a devida correção; o cartão de crédito debita por “engano”; o banco comercial também; a conta de luz, água e telefone vêm com incorreções. Dificilmente a favor do usuário. No posto de gasolina, às vezes, há pressa, sem prévio aviso, em girar o marcador sob a desculpa de atender outro carro. Será que sempre foi assim? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVII
Deu, certa vez, na mídia: “O subcomandante Marcos, líder do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN), se dirigindo a um grupo de 200 pessoas na comunidade de Chiapa de Corzo, no Estado de Chiapas (sudeste do México) pediu hoje a seus seguidores que não votem nas eleições presidenciais de 2 de julho, deste ano, pois, segundo ele, as eleições não vão mudar nada". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando não conseguiu apurar se o subcomandante se baseou, ou obteve “know-how”* para tal assertiva, nos exemplos do seu próprio país e/ou das eleições dos demais países da América Latina...
*Perdão, prezados leitores, pela expressão em inglês. É que o México está muito próximo dos Estados Unidos, com o qual, aliás, faz fronteira e que, numa guerra, foi espoliado de terras com petróleo...
Constatação XVIII
Deu na mídia: “Três meses depois de entrar em vigor, a lei, que pretende acabar com as filas nas agências bancárias, parece ter ficado, apenas, no papel. Os clientes que precisam de algum serviço nos caixas têm de esperar 18, 20 e até 25 minutos na fila em dias úteis. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou que está estudando, junto com os bancos, várias medidas para melhorar o atendimento. Para o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, através da palavra do seu presidente, só existe uma solução: "Tem de contratar mais funcionários".  Data vênia, como diriam nossos juristas, mas o presidente da Febraban deve ser banqueiro. Afinal, o lucro tem que continuar de maneira tal que os bancos praticamente dobrem o seu capital a cada ano... Até quando vai perdurar esse o lucro pornográfico dos bancos? Quem souber, por favor comentários no blog. Obrigado. E – em tempo, claro – viva “nóis”...
Constatação XIX
E já que falamos no assunto, o então presidente do HSBC, segundo a mídia, não hesitou em exibir suas meias, onde está escrito ‘Confie em mim, eu sou um banqueiro’. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que confiar em banqueiro é semelhante em confiar nos nossos assim chamados representantes no Congresso. Valha-nos a todos nós, pobres e simples mortais, dos bancos e políticos.
Constatação XX
Veja,
Invariavelmente,
Ele, claro que não,
Foi bem compreendido,
Pois tomou
Uma única cerveja,
Durante o batente,
E a sessão
De pessoal,
De modo irracional,
Até se olvidou
Que era um empregado
Desprendido
E o botou,
Incontinente,
Na mesma hora,
O desafortunado
Pra fora,
Mandado
Embora,
Despedido,
Tão-somente.
Coitado!
Constatação XXI
Não se pode confundir traste com desastre, muito embora, se você chegar a casa, em horas avançadas da noite, também chamada de alta madrugada, com batom na camisa, perfume que não o da tua legítima, com o teor etílico bastante elevado, trazido pelos assim chamados amigos e abandonado na soleira da porta da tua casa para ser recolhido por quem assim o desejar, você corre o risco de ter de enfrentar um terrível desastre, quando a santa da tua mulher ainda dizer no final da bronca: “Ponha-se daqui para fora seu traste e nunca mais me apareça pela frente”. E, pior, sem admitir qualquer tentativa de justificativa. A recíproca, para esses malfadados casos conjugais, ou, talvez, extraconjugais, não é necessariamente verdadeira. Vai depender de determinadas condições metafísicas, de pressão e temperatura e, como diriam los hermanos argentinos, de “otras cositas más”.
Constatação XXII (De uma dúvida muito crucial).
Deu, certa vez, no site Congresso em Foco: "O presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), saiu em defesa do projeto de lei do deputado Nicias Ribeiro (PSDB-PA) que aumenta de 513 para 521 o número de deputados. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas ao invés de diminuir o número ainda querem aumentar? Afinal, para quê? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico fiscaliza; pobre, cuida.
Constatação II
Rico é intransigente nos seus pontos de vista; pobre é flexível.
Constatação III
Rico é folclórico; pobre é grotesco.
Constatação IV
Rico tem abdômen; pobre, bandulho.
Constatação V
Rico é corporativo; pobre, é mafioso.
Constatação VI
Rico é dadivoso; pobre, é gastador.
Constatação VII
Rico é prodigioso; pobre, é vulgar.
Constatação VIII
Rico é progressista; pobre, é atrasado.
Constatação IX
Rico é profundo; pobre, é retardado.
Constatação X
Rico é ponderado; pobre, é porra-louca.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br