quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Juro
Que é
Prematuro
Imaginar
A fé
Nos humanos
Alcançar
Valores
Elevados
Sem tropeçar
Em dissabores
Acumulados
Ao longo dos anos
E, lamentavelmente,
Eternizados,
Tão somente.
Constatação II
O cúmulo do complexo de inferioridade é quando o cara está com uma gata e pensa: “Ela só está comigo porque não arranjou coisa melhor”.
Constatação III (Viva “nóis”).
Existem dois hipermercados que têm os seguintes dísticos ou slogan: “Orgulho de ser brasileiro” e “Orgulho de ser paranaense”. Tanto um quanto o outro, à semelhança dos demais que, pelo menos, não possuem slogans tão “patrióticos”, praticamente só tocam música estrangeira nos seus circuitos internos. Dúvida crucial: Será que ambos também têm orgulho de tocar tal tipo de música? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IV
Para este assim chamado escriba, atrás de um grande homem, além de uma grande mulher, há sempre um cachorro ou um gato, quando não, os dois. Passarinho em gaiola, jamais. Tenho dito e, se for preciso, assino e reconheço a firma em cartório.
Constatação V
E já que falamos no assunto, uma conhecida minha, que luta para que os animais recebam um programa gratuito e permanente de castração ao invés de serem sacrificados pela Prefeitura Municipal, afirmou que se cachorro votasse, os candidatos andariam distribuindo ração por aí...
Constatação VI
Não se pode confundir saldo com caldo, até porque, se você não tiver um saldo compatível, o teu gerente vai entornar o teu caldo. Se for negativo, então, nem falar. A recíproca para esses casos gastrônomicos-financeiros não é necessariamente verdadeira. Depende do laudo do teu gerente, do teu prestígio, da tua lábia, de que foi feito o caldo, do teu respaldo, enfim.
Constatação VII
Rico pode tudo querer; pobre tudo quer poder.
Constatação VIII

E como versejava o conquistador convencido, nosso velho conhecido:
“Compartilho
O meu coração
Com uma multidão
De gatas,
Às escondidas
Sempre queridas
Com brilho,
Com desafogo
E emoção
Que se alastra
Como seguidas,
Lentamente,
Num jogo
De canastra”.
Constatação IX
Rico é persistente; pobre, é invocado.
Constatação X
Este assim chamado escriba, velho nadador velho, descobriu um novo estilo que a professora costuma repassar, mas, absolutamente, contra a sua própria vontade. É o nado “Borbulheta” que é soma do nado borboleta + as borbulhas que vai fazendo com a água que engole.
Constatação XI

Deu, certa vez, na mídia: “Madeireiros e fiscais do Ibama presos, em Ariquemes, a 200km de Porto Velho, por extrair madeira”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas pelo jeito faltaram fiscais para fiscalizar os fiscais...
Constatação XII

Ficou macilento,
Esquálido,
Fraco,
Pálido
Descorado,
Opaco
O ministro fritado
Em fogo lento.
Coitado!
Constatação XIII

Não se deve confundir caso sui generis com caso mui sujo, muito embora exista caso mui sujo que, pela sua criatividade e bolação da sujeira, se torna um caso sui generis. A recíproca, no caso, é, sem descaso algum, casuisticamente verdadeira.
Constatação XIV (Sobre assuntos conjugais I)

Olho no olho,
Ela proferiu,
Desvairada:
“Onde já se viu
Seu trambolho,
Seu vadio.
Isso são horas ?”
E ele, engrolando,
A língua
De tão embriagado:
“Senhores e senhoras,
Está começando
A vida
Destemperada,
Sofrida,
Ardida,
Tão à míngua
Deste infeliz,
Desafortunado,
Sem bem de raiz,
Mas, bem-dotado
E bem-educado”.
Coitada!
Coitado!
Constatação XV

Não se pode confundir talento com ta lento, muito embora, foneticamente, sejam iguais. No entanto, deve-se levar em conta que, numa música clássica, o lento ma non troppo pode ser interpretado de modo a suscitar o seguinte comentário dos expertos: “Ta lento demais. Não se nota talento no(a) executante”. A recíproca, nesses casos de virtuosidade, pode ser verdadeira. E normalmente é. A propósito, a palavra executante é comum-de-dois, já que tem só uma forma para os dois gêneros, como artista, pianista, selvagem, e outras mais. Presidente, como é sobejamente sabido e por razões também sabidas, não se enquadra mais como forma única para os dois gêneros.
Constatação XVI

Tanta mutreta
Que vem a lume
Já virou costume
E só ocasiona
Na rezingona
Muxoxo e careta.
Constatação XVII

Rico tropeça numa inverdade; pobre, se esborracha numa mentira.
Constatação XVIII
Deu na mídia, há 10 anos atrás: “O número de suicídios subiu no Japão no ano de 2003, num total de 32.143 pessoas que se mataram em 2002 em todo o território japonês, 1.101 a mais que no ano anterior. Muitos dos casos estavam relacionados a desemprego, falências e dívidas”. O Japão é um país com uma tradição bem arraigada. Até nos casos de suicídios. São as desvantagens do capitalismo quando descamba para o selvagem. Pena.
Constatação XIX

Deu na mídia: “Um grupo cristão do Tenesse, nos Estados Unidos, alerta que baixar músicas ilegalmente é pecado mortal e que os infratores podem ser punidos pelas leis divinas”. Rumorejando, respeitosamente, acha que, se confirmado o alerta, vai sobrar muito pouco internauta...
Constatação XX (Sobre assuntos conjugais II).

Com cara
De sofrido,
Ele chegou
No doce lar,
Tropeçando
Em tudo
Que ia ficando
Na sua frente.
Aí, com esgar,
A barra
Pesou:
“Seu bandido,
Seu chifrudo,
Seu demente.
Amarrando,
Novamente,
Um porre.
Por que
Não morre
Duma vez!?”
Ele, sem mais
Nem o quê,
Para seu espanto,
Contestou
Com altivez:
“Perdão
Que este teu escravo
Te conteste,
Que proteste.
A tua assertiva,
A tua afirmação,
Minha princesa,
Meu encanto,
Minha doçura,
Minha diva,
Mas esta alma pura.
É, incontestavelmente,
Inocente.
E como na revolução
Dos Cravos,
A portuguesa,
E tantas mais:
Os bravos,
Não morrem jamais”.
Constatação XXI (Quadrinha para ser recitada em festa de chá de panela).
Siga nossas instruções como se comportar com o marido.
Rédea curta, distância das amigas e das colegas de serviço.
Nada de sair no fim de semana para um truco concorrido
Ou um futebol e, lembre, faça com que ele sempre seja submisso.
Constatação XXII (Quadrinha para ser recitada diante dos economistas, dos empresários e dos governantes de plantão).

A inflação cada vez mais vem se chegando
Quietinha como quem não quer nada.
A turma preocupada questiona: Até quando
Que vai ser factível ela ser tolerada?
Constatação XXIII (De um pseudo-soneto).


                  Coitado! De mim...

Ela aquiesceu em me acompanhar ao motel
Sem antes negacear com os olhos abaixados
Pareciam tristonhos aqueles olhos cor de mel
E a mim pareceu, um momento, estarem molhados.

Em lá chegando, ela começou a se despir
Mas, de repente, se negou a tirar a calcinha
“Acho que eu devo ir para casa e desistir”
Amo meu noivo que me chama de rainha”.

E mais, alegando pudor e vergonha.
Se cobriu com o lençol e uma fronha
E peremptória: “Me leve para casa”.

E eu que sou compreensivo não discuti,
“Sim. Vamos imediatamente embora daqui”.
Saímos de lá. Ela feliz; eu com o rosto em brasa.

Constatação XXIV (Quadrinha dedicada à maioria das sogras. As demais são exceções à regra).
A sogra não parava de resmungar, de rezingar*
Falando mal da diarista, do genro e da nora.
“A senhora ta sem programa, não mais vai parar”.
Os filhos perguntaram, antes de irem embora.
*Rezingar = verbo transitivo direto e intransitivo
1. Falar baixo e com mau humor; resmungar
Transitivo indireto
2. Fazer crítica, reprimenda a; repreender
Intransitivo
3. Uso: informal.
Discutir polemicamente; contender, altercar
Constatação XXV (Ah, esse nosso vernáculo).
-“Em pé, ele traduziu, ao pé da letra, mas nas coxas, o texto que ficou sem pé nem cabeça”. -“Pé...raí! Foi só um pé...daço” (pé...rdão, leitores).
Constatação XXVI
Rico joga com várias combinações na Megassena; pobre, na Quina apenas nos cinco números.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.
Dúvida I
Tava tão ruim o rango
Que a barriga se pôs
A ensaiar um tango?
Dúvida II
Ele ficou assaz comovido
Quando a sogra o chamou
De “meu querido”?
Dúvida III
Ser chamado de meu querido,
Dependendo de quem chama
Indica que foi corrompido?
Dúvida IV
É levar um baita dum castigo
Ter que pagar uma dívida só
Por ter dado aval ao “amigo”?
Dúvida V
Quando o dia foi aziago
Você se obriga a tomar
Água e/ou um trago?
Dúvida VI
Tudo não passou duma farsa
A acusação que ele havia roubado
Conforme afirmou o seu comparsa?
Dúvida VII
Lá no confim
Do mundo é que é
O começo do fim?
Dúvida VIII
Qualquer resposta que for dada,
À pergunta anterior,
Será o fim... da picada?
Dúvida IX
O beijo voluptuoso,
Afinal, é, ou não,
Respeitoso?
Dúvida X
E o com estalido,
Que acorda até o
Vizinho, é atrevido?
Dúvida XI
Ta com tudo
Quem hoje
Não é sisudo?
Dúvida XII
Ou ta com tudo
Quem hoje
Tem estudo?
Dúvida XIII
Ou, talvez, tava com tudo,
Quem, durante a ditadura,
Se mantinha mudo?
Dúvida XIV
“Se melhorar estraga”,
Foi o que disse o velhinho,
“E eu que nem uso viagra”?
Dúvida XV
Quando, no garimpo,
Achou uma pepita*
Ele se sentiu no Olimpo?
*Não ficou claro se uma pepita de ouro ou alguém que se chamava Pepita.
Dúvida XVI
Será que o Real Madri
É melhor que o meu
Time, o Paraná, daqui?
Dúvida XVII
O clima de bom astral
Só dá para sentir nas
Proximidades do Natal?
Dúvida XVIII
Portanto, é só na época natalina,
Que a solidariedade entre
As pessoas mais se afina?
Dúvida XIX
Assistir o teu time
Jogar de salto alto
Também te deprime?
Dúvida XX
É muita sensatez
Ir ao motel
Para jogar xadrez?
Dúvida XXI
Foi alvo de chacota
O candidato que
Só contava lorota?
Dúvida XXII
É ser muito capaz
Quem faz o papel
De leva-e-traz?
Dúvida XXIII
Só o xingado juiz
Não viu o pênalti
Em frente ao seu nariz?
Dúvida XXIV
A testada do terreno
É que estava com chifre,
Ainda que meio pequeno?
Dúvida XXV
São bronquites
As gripes
Passadas dos limites?
Dúvida XXVI
Era o velho marujo
Que ouvia e falava
Com o caramujo?
Dúvida XXVII
Foi o mágico Mandrake
Que, abandonado pelo Lothar,
Teve um baita de um peripaque?
Dúvida XXVIII
“Continuarei a punir a corrupção”,
Disse o premiê da Espanha. Será que
Ele não fez mais que a sua obrigação?
Dúvida XXIX
Será que existe outro Paulo Salim Maluf
Que está sendo condenado em Jersey,
E que ta provocando no coitado: puf*
*Puf = interjeição
2. Onomatopéia que expressa ruído de queda ou choque (Houaiss).
Dúvida XXX
O clima na tua cidade
É como o de Curitiba
Terrível para a 3ª. Idade?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
A pedido da Mãe Natureza, não se pode confundir biodegradável com desagradável, até porque a Mãe Natureza acha que todo lixo que é jogado nela e que não seja biodegradável será desagradável para ela e para quem vive nela e, se ainda for possível sobreviver, viverá nela.
Constatação II
Não se pode confundir arrolando, no sentido de cantar, acalentando com arrolando, no sentido de inventariando até porque um é o que é e o outro, por sua vez, é o que é. Simples, elementar e assaz esclarecedor, minha gente!
Constatação III
A mulher entra em casa toda molhada: -“Oi, querido. Peguei uma chuva que nem te conto”.
O marido sem tirar os olhos do jornal: -“E o que você fez com ela ?”
Constatação IV (De uma dúvida crucial).
Quando um político diz para você que ele será todo ouvido para a apresentação das tuas reivindicações ele estará, concomitantemente, fazendo ouvidos moucos ou tua demanda fatalmente entrará por um ouvido dele e sairá por outro? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
Em casa, ele
Chegou
De madrugada,
Com a roupa
Amarfanhada.
Aí, desabou
Em cima dele
Uma borrasca
Que até
Voou
Lasca:
“Seu casca
Grossa”,
Ela esbravejou.
“Minha nossa!
Vê se me poupa
Dessas cenas,
Dessa bronca infinda”,
Ele, ainda,
Com bossa,
Com ar sentido,
Contestou.
“Eu tava, apenas
Fazendo serão,
A pedido
Do patrão”.
“E este batom
Na camisa ?”
Ela questionou.
“Batom uma ova!
Deixe de bobagem.
Não é nada
Disso.
Era um compromisso
De uma pesquisa
Que prometi
Realizar
Sobre uma nova
Maquilagem
Pra ser usada
Na próxima temporada.
No duro!
Pode me acreditar
Por que me acusas?
Eu juro
Por minha fé,
Por minha felicidade
Que não te menti”.
E, santa ingenuidade,
Não é,
Que ela acreditou!
Ainda pedindo escusas,
Pela má interpretação
Da tal da história,
Mal contada,
Inglória,
Do famigerado
Batom.
Coitada!
Coitado!
Coitado ?
Constatação VI
Rico tem previsível talento: pobre, esporádica propensão.
Constatação VII
Choravam
As carpideiras,
Só por chorar,
Por prantear.
Sem dor,
Magoa
Ou rancor.
Como de costume,
Com alvedrio*.
Até chegavam
A se lamuriar.
Pareciam água
Jorrando
De torneiras,
Aumentando,
Incontinente,
O volume
Do rio
Do lugar
Tão-somente.
*Alvedrio = substantivo masculino
livre vontade; arbítrio, moto-próprio (Houaiss).
Constatação VIII
Não se pode confundir rapto com repto, muito embora, um rapto, um seqüestro – tão em voga nos dias de hoje, em determinados países – em condições normais de pressão e temperatura vem logo acompanhado de um repto para que se faça uma distribuição de renda – forçada, é bom que se diga – que, naqueles certos países, anteriormente referidos, já há bastante tempo, ou melhor, desde os tempos imemoriais, não está tão em voga. A recíproca, para esses coercitivos casos, não é necessariamente verdadeira. Vejam o caso do CPMF, do imposto de renda e outros menos votados, mas que nem por isso deixam de ser coercitivos.
Constatação IX
A boazuda,
Para impressionar
O namorado
Se pôs
A recitar,
Sem respirar,
Sem tropeço,
Tintim por tintim,
O Canto Geral,
De Pablo Neruda,
Em espanhol.
E se propôs
A ler,
A se fazer
Entender
Desde o começo
Até o fim.
“Se você me ama,
Se eu sou
O seu sol,
Como você proclama,
Venha deitar,
Venha declamar
Na cama”,
Ele falou.
“Mais respeito
E menos despeito!
O trato
Está desfeito.
Você só pensa
No ato,
Me deixando tensa.
Somente me deito,
Depois que terminar.
Você nunca escutou
Nada igual
Assim
Especial”,
Ela contestou.
Coitado!
Constatação X
>Rumorejando apresenta, aos seus inúmeros leitores, mormente o feminino, nova criação de pseudo-sonetos, atendendo ao pedido de milhares de leitoras. Vamos a quatro exemplos, pois:

   1. Uma Dúvida Crucial.

Sem ser do MST (eme, esse, tê),
Ela invadiu meu coração
Eu não compreendo o porquê,
O motivo da ocupação.

A causa seria emoção,
Da pertinaz investida?
Só sei que minha sensação
Foi de nova recaída.

Talvez ela perdeu o rumo,
Por me achar o supra-sumo
Ou, apenas, querer afago.

A verdade é que o fato
Fez de mim gato e sapato
E na cuca grande estrago.

   2. Remédio Para Assédio.

“O Senhor está no céu”,
Pra gata digo meloso
Porém vai pro beleléu
O meu linguajar charmoso.

Convicto, eu não desisto
De lançar mão do meu charme
Mas, quanto mais eu insisto
Não é que vem novo desarme?

As gatas, hoje em dia,
Confesso que não sabia,
Sabem bem o que querer.

Agora que estou sabendo,
Captei o que disse: “Colendo!*
Quer parar de me encher!”
*Colendo = adjetivo
digno de acatamento e veneração; respeitável, venerando (Houaiss).

   3. Pseudo-soneto do Conquistador.

Troco um beijo voluptuoso,
Primavera de lindas primícias,
Não se pode ser moroso
No meio de múltiplas carícias

Quero render minha homenagem
A uma pletora de mulheres
Para manter minha imagem
De resistência de mil ampères.

Depois, passo a etapa seguinte,
Afinal, sou excelente ouvinte
E não posso magoá-las, jamais.

No entanto, tropeço na afobação
De abrir fecho éclair, fivela e botão.
Que pena! Foi atrapalho demais...

Este pseudo-soneto, a seguir, o sufixo, digamos, é em “aram”. Para o escritor uruguaio Mário Benedetti, in memoriam, autor, dentre outros tantos, dos antológicos “Los formales y el frio” e “Una mujer desnuda y en lo oscuro”).

   4. Pseudo-soneto de Amor

Quando eles caminharam,
Nem os ombros roçaram.
Eis que as mãos se tocaram
E os dedos se entrelaçaram.

Logo, nos olhos, se olharam
E se abraçaram;
Beijos ardentes trocaram
E se acariciaram.

E loucamente se amaram;
Novos mundos alcançaram
E por galáxias viajaram.

Tantos êxtases alcançaram,
Tantos as almas mesclaram
Que mil perfumes emanaram.
Constatação XI
Não se pode confundir haver com ver, até porque se você der um aval para um amigo, como é de conhecimento geral, além de perder o dinheiro, você perderá o amigo, já que você terá que honrar o aval e não poderá mais ver o dinheiro e ficará eternamente a haver o dito cujo. A recíproca, para esses casos de inimizades econômico-financeiras, pode até ser verdadeira, mas dificilmente factível.
Constatação XII
E como dizia o convencido: -“Se eu não fosse gostosão, como eu sou, eu gostaria de ser como eu sou”.
Constatação XIII
Rico é genioso; pobre, é intratável.
Constatação XIV
Deu na mídia: “Os Estados Unidos planejam construir um avião hipersônico teleguiado capaz de atingir qualquer alvo sobre a Terra em até duas horas depois da decolagem”. Data vênia, como diriam nossos juristas, será que não daria para inventar algo semelhante para que ninguém passasse fome, mesmo que levasse um pouco mais de duas horas ? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XV
Quando o bancário, representante de um banco famoso adentrou na casa do cliente, que estava ameaçando processar a casa bancária por não tomar conhecimento de pedido pertinente, exclamou, todo simpático: “Mas, que prazer! Eu lhe conheço de algum lugar. Apenas não estou me lembrando de onde. A sua fisionomia não me é estranha”. Ao que, o cliente contestou: “Sorte de nós dois. O senhor por me conhecer. E eu por não conhecê-lo”.
Constatação XVI (Ah, esse nosso vernáculo).
Resolveu dar um malho na mulher, depois de malhar no milharal, aí foi jogar no milhar, tanto no seco como no molhado e, por último, molhou a garganta com aguardente de milho. Melhor para ele e para ela...
Constatação XVII
E como dizia aquele veterano jogador de futebol, sem dúvida, passível de mal-entendido: “Como eram bons aqueles tempos em que dava para mudar de posição”.
Constatação XVIII
E já que falamos em um dos gurus, Mario Benedetti – os outros dois são Millôr Fernandes e Mario Quintana – vale lembrar outra máxima dele na qual este assim chamado escriba se identifica plenamente.
Aí vai ela:
                   Síndrome
                                 Mario Benedetti
Todavia tenho quase todos meus dentes
Quase todos meus cabelos e pouquíssimos grisalhos
Posso fazer e desfazer o amor
Subir uma escada de dois em dois
E correr quarenta metros atrás do ônibus
Ou seja, que não deveria me sentir velho
Porém o grave problema é que antes
Eu não me fixava nestes detalhes.
Constatação XIX (Quadrinha para ser recitada pelos torcedores do meu Paraná).
O time do Paraná não tem ido nem a pau
Todo o ano o desempenho é sempre mau.
Será que não daria para ser o contrário
O time se espelhar no antigo Ferroviário?
Constatação XX (De uma dúvida não necessariamente crucial)
Será que somente ser considerado, pela quarta vez consecutiva, o melhor jogador de futebol do mundo é que se pode permitir em vestir um smoking, terno, ou seja, lá o que for de cor preta com bolinhas brancas? O prezado leitor teria coragem de fazer o mesmo, independentemente de ser o bom, o melhor em alguma coisa? Comentários no blog, se achar que é imprescindível, é claro. Obrigado.
DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.
Dúvida I
Ele ficava fascinado
Em tomar pinga com
Rum creosotado?
Dúvida II
Será que é um triste destino
O Leão sempre te submeter
A uma operação pente fino?
Dúvida III
Não havia lisura
No valor apresentado
Na fatura?
Dúvida IV
Reunião do OMC
É somente para
Enganar vosmecê?
Dúvida V
Brasil x Equador
Foi disputa
Ou jogo de amor?
Dúvida VI
Não é só por perguntar,
Mas existe a possibilidade
Da gente não se classificar?
Dúvida VII
Será que não tá na hora
Do Paraná ir representar
O Brasil lá fora?
Dúvida VIII
Será que o inverno,
Em Curitiba
É eterno?
Dúvida IX
Você também fica enfermo
Quando político
Fala sem meio-termo?
Dúvida X
Foi a lagartixa
Que chamou o “lagartixo”
De bicha?
Dúvida XI
“Se melhorar, estraga”,
Foi o que disse o velhinho
Que não usava viagra?
Dúvida XII
Quando, no garimpo,
Achou uma pepita
Ele se sentiu no Olimpo?
Dúvida XIII
Já, logo, no começo
Do, anual, bem-bom
Ele teve um tropeço?
Dúvida XIV
É, para o freguês, descaso
Os juros que se cobra
Nas vendas a prazo?
Dúvida XV
Foi a sogra, intratável,
Que antecipou a herança
Passando a ser amável?
Dúvida XVI
É muito laudatório
Receber um “não”
Peremptório?
Dúvida XVII
Ela, renitente, fincou o pé:
“Esse teu papo é ver para
Crer, como São Tomé?”
Dúvida XVIII
Foi ela, muito calma.
Que falou: “Sua
Alma, sua palma”?
Dúvida XIX
É muita falcatrua
Querer vender
Terrenos na lua?
Dúvida XX
Estava tão enigmática
A lua-de-mel que até parecia
Um problema de matemática?

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De uma dúvida não necessariamente crucial).
Nem que chova canivete
Você pretende assistir
O desfile de alguma vedete
Sem se ressentir?
Constatação II
Rico recupera o sono; pobre, perde a hora.
Constatação III
Rico fica borocoxô*; pobre, com cara de cachorro que lambeu graxa.
*Borocoxô = adjetivo e substantivo de dois gêneros
Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
2 que ou o que é ou está desanimado; aborrecido (Houaiss).
Constatação IV
Não se pode confundir apótema que o dicionário Houaiss dá o elementar significado de: “substantivo masculino”. “Rubrica: geometria.
1.Em um cone ou tronco de cone, a própria geratriz ('reta', 'curva').
2.Em um tronco de pirâmide, altura de qualquer um dos trapézios isósceles que constituem a sua superfície lateral
3.Em uma pirâmide regular, altura de qualquer triângulo que pertence à sua superfície lateral
4.Em um polígono regular, altura de um triângulo com vértice no centro do polígono e cuja base é um dos lados desse polígono com apotegma que o mesmo dicionário dá como:
substantivo masculino
Rubrica: retórica.
Dito ou palavra memorável, lapidar, proferida por personagem célebre; máxima, aforismo”, muito embora as duas têm algo em comum: Dificilmente, em princípio, poucos  sabem o significado de ambas...
Constatação V
O bucolismo de um galo cantando ao alvorecer suscita reclamações dos vizinhos. O equipamento de som com “n” decibéis, pela madrugada adentro, é, pela maioria, tolerado. Sinal dos tempos. Pena...
Constatação VI
Em certos países, os escândalos na área de governo, quando a oposição consegue assinaturas suficientes, suscitam uma CPI. No entanto, o que parecia um ato de resgate da moralidade pública passa a ser um aliado na base de “mordida de cobra se cura com veneno de cobra”. Explica-se: Aquela CPI que iria redundar em esclarecimentos de quem colocou a mão no jarro e coisas desse jaez é substituída por outra CPI, para esvaziar e neutralizar a CPI anterior e assim sucessivamente. Com a permissão do professor e amigo Roberto Figurelli, “per saecula saeculorum” ou “ad eternam”.
Constatação VII
Está na hora de eliminar, de uma vez por todas e em toda parte, como já estamos cansados de sugerir, a reversão à esquerda na cidade de Curitiba. Também está na hora de voltar à velocidade máxima no perímetro urbano de não mais que 40 km/hora, a fim de que, pelo menos, o pessoal trafegue nos atuais 60 km/hora (tendo em vista que, lamentavelmente, salvo os radares, não existe fiscalização), permitido por lei, já que estão correndo a 80 quando não mais...
Constatação VIII (De outra dúvida crucial).
Já que caranguejo anda para trás, será que os que têm problema de vista terão que usar óculos na nuca ?
Constatação IX (Quadrinha para ser recitada por alguém que compareceu a uma reunião para falar mal dos parentes em geral e da sogra em particular).
Quando minha sogra assoa o nariz
Que tava vertendo como um chafariz
Tem muita gente que fica com dó:
“Até parece as trombetas de Jericó”.

Constatação X

Com muito desvelo
O careca detectou
Um único pelo
E, feliz, raciocinou:
“Vai me nascer cabelo!”.
Constatação XI (Para os meus grandes amigos atleticanos Julio Gomel, Wilson Caron, José Carlos Caron e Paulo Roberto Caron).
Meu prognóstico,
Sendo bem analítico,
Bastante prático,
Um pouco didático
– Jamais pernóstico –
E também sem ser aético,
Já que sou paranista fanático
E um pouco político,
É que o Atlético
Vai deixar de ser estático,
Com novo técnico profilático
E vencer com placar bombástico,
Nesse campeonato elástico.
Exceto o meu time super simpático.

Constatação XII

Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que tem certa pessoas inclusive certos jogadores que se fossem participar de um concurso de simpatia eles não seriam bem classificados, mesmo se a eleição ocorresse apenas entre os torcedores do seu time do coração.

Constatação XIII

Não se pode confundir humanidade com unanimidade, até porque, como já disse, com muita propriedade, o teatrólogo Nelson Rodrigues, “a unanimidade é burra”. Data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando acha que a humanidade também é. Basta ver o seu comportamento ao longo do tempo...

Constatação XIV

Deu, certa vez, na mídia: “Bancos discriminam funcionários negros e mulheres, diz estudo, realizado no ABN Amro, antigo Real e, agora Santander, onde é revelado que o gênero e a cor influenciam na carreira dos funcionários nas instituições bancárias. Entre os 22.393 empregados do banco, só 9,7% são negros”. Este assim chamado escriba, torcedor do Ferroviário, hoje Paraná, lembra que nem Atlético nem Coritiba admitiam negros em seus respectivos planteis. Isso para somente citar o mais popular esporte no Brasil. Sócio em determinados clubes, não necessariamente esportivos, nem falar...
Constatação XV
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “BRASÍLIA - A reforma dos 432 apartamentos funcionais destinados aos deputados federais vai custar pelo menos R$ 280 milhões aos cofres públicos, segundo estimativas da Câmara - o que equivale a R$ 650 mil para cada imóvel. Até agora, a Casa gastou cerca de R$ 108 milhões com os nove prédios que já passaram ou ainda estão sendo reformados”. Todos terão banheira de hidromassagem. Também Rumorejando, como o Zé Povo, pergunta: Até quando? Vige!

Constatação XVI

Depois que descobriram que o nosso DNA é praticamente igual aos dos macacos passei a compreender melhor esse gosto que tantos, como este assim chamado escriba, dedicam à banana...
Constatação XVII
Eu vou ver se esqueço
Que o supermercado
E a farmácia
Sempre aumentam o preço
De modo insano e adoidado.
Ocasionando minha falácia
Econômico-financeira.
Eu acho que não mereço
Viver assim
Nesse tormento,
Sem eira nem beira,
À disposição
Desse alimento
Da inflação.
Coitado!
De mim.
Constatação XVIII (Ah, esse nosso vernáculo).
Na convenção tentou-se convencer os convencionais, conforme havia sido convencionado, para votarem no convencido.

Constatação XIX

Não se pode confundir aparecer com espairecer, muito embora tenha gente que para espairecer tem necessidade de aparecer, para que os outros o vejam, em lugares badalativos, como por exemplo ao lado das autoridades, em festas da alta sociedade, em praias como as de Punta de Leste, Costa Azul francesa, ou italiana, ou espanhola e/outras plagas ou praias menos votadas. A recíproca para esses casos, tão fundamentais para o futuro da humanidade, não é necessariamente verdadeira.

Constatação XX

Rumorejando constatou, surpreso, que há vinhos com preservante. Até então, já chamava a atenção a existência de conservante nos vinhos. Rumorejando se vê obrigado a consultar os Luizes, uns dos poucos entendidos cá da terra, Luiz Groff e Luiz Carlos Zanoni para maiores esclarecimentos. O obcecado ao tomar conhecimento de tal fato, comentou, do alto da sua presumida sabedoria: “Vinho, tomado moderadamente é afrodisíaco e preservante lembra preservativo”.

Constatação XXI

Por causa da serenata,
Ele não pode dormir,
Que fizeram pra sua gata*
Que fez de conta não ouvir.
* Não foi possível determinar se bípede ou quadrúpede.

Constatação XXII

Deu, certa vez, na mídia antes da explosão da crise financeira mundial que persiste até hoje e que afetou tantos bancos, inclusive os citados adiante: “Citibank lucra US$ 4,3 bilhões no trimestre e o Bank of America lucra US$ 2,74 bilhões”. Este assim chamado escriba, mesmo tendo trabalhado no Banco de Desenvolvimento do Paraná S.A. – Badep, acostumado a ouvir grandes cifras, confessa, sem vergonha – não confundir com sem-vergonha –, que não sabe contar até os valores lucrados, desavergonhadamente, dos dois bancos mencionados. Vale lembrar que os nacionais, patrioticamente, não ficaram atrás...

Constatação XXIII

Deu na mídia: “Um estudo feito na Europa revelou que homens que se divorciam ou se separam podem estar fazendo um ótimo negócio do ponto de vista financeiro, melhor do que permanecer casados”. Rumorejando, após ingentes esforços em suas pesquisas particulares, para determinar a razão disso, acha que tal se deve a que os maridos voltam para casa de papai e mamãe, deixando de pagar aluguel, ou vendendo a casa e aplicando na caderneta de poupança que, lá, deve render bem mais do que aqui e deixando de pagar a custódia dos filhos como acontece também por aqui. Isso, é claro, antes das mulheres terem entrado no mercado de trabalho.
DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.

Dúvida I

Ele(a) achou que ela(e) era palpável
E levou uma baita bronca dela(e)
Só por causa do imponderável?
Dúvida II
Foi uma dúzia de tragos
Que ocasionou, no seu fígado,
Grandes estragos?

Dúvida III

É muita bondade,
Com o chapéu alheio,
Fazer caridade?

Dúvida IV

Se o aluguel está atrasado
É você ou o senhorio
Que fica preocupado?

Dúvida V

Na dúvida anterior
Até poderiam ser
Os dois, sim senhor?

Dúvida VI

É o cúmulo da paciência
Ouvir diligentemente atento
Demonstrações de sapiência?

Dúvida VII

E é o cúmulo da sonolência
Adormecer no motel sem, pelo menos,
Duas tentativas antes da desistência?

Dúvida VIII

Ele ficava elegíaco*
Ao recordar seu perdido amor
Que transcendia a amoníaco?
* Elegíaco = “Que chora muito; chorão”.

Dúvida IX

Proclamou a casta:
“Independência
Ou Morte! Basta!” ?

Dúvida X

Ele fez muito barulho
Só porque ela preparou um
Engasga gato dum sarrabulho?

Dúvida XI

Ainda mete panca
O time que joga na
Famigerada retranca?

Dúvida XII

O município foi assolado
Por um vendaval, ciclone,
Tempestade ou um tornado?
Dúvida XIII
É muita frouxidão
Ficar calado diante
Dessa política do apagão?
Dúvida XIV
É ser muito desrespeitoso
Mandar pra pê que pê
O político venal idoso?
Dúvida XV
É uma baita duma mancada
Trocar os cartões dos presentes
Da mulher e da namorada?
Dúvida XVI
Castidade até a lua de mel
Só existe em algum livro
Ou em qualquer outro papel?
Dúvida XVII
É muito ilógico
Que certos políticos não estejam
Num jardim zoológico?
Dúvida XVIII
É ser muito escravizado
Chegar cedo a casa pra levar
A mulher no supermercado?
Dúvida XIX
É ser muito arteiro
Conquistar o mulherio
Como fez D. Pedro I?
Dúvida XX
Quem disputa uma eleição
É porque quer ficar com
A faca e o queijo na mão?