quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De uma provável dúvida crucial e de uma certamente razoável dissensão conjugal).
Disse a mulher: “Comprei um livro hoje e já li até a página 78”.
Disse o marido, distraído, sem tirar os olhos do jornal que estava lendo com uma cerveja ao lado: “E quantas assimilou?”
Constatação II
Rico escamoteia a verdade; pobre, é mentiroso.
Constatação III
Rico é apedeuta; pobre é ignorante.
Constatação IV
Rico tem seguidor do seu blog; pobre, tem seguidor dos polícias.
Constatação V
Não se pode confundir concussão, que o dicionário Houaiss dá, dentre outros, como: 
“5 Rubrica: termo jurídico. Percepção de dinheiro indevido ou obtenção de vantagens, serviços ou qualquer outra coisa, por parte de funcionário público, para si ou para terceiros, quer exercendo, quer não, suas funções, mas com abuso de influência do seu posto ou com utilização de ameaças ou violência; desvio” com conclusão, muito embora, em certos países, uma eventual abertura de inquérito para determinar os responsáveis pela concussão, a respectiva conclusão terminará – claro, e não será surpresa – em uma indigesta pizza. Vige!
Constatação VI
E não se pode confundir devassada, que o dicionário Houaiss dá, dentre outros, como:
“3 que sofreu ou foi objeto de devassa*; investigado, processado com defasada, muito embora, em certos países, o término de uma eventual apuração pela devassa fica tão defasada que até chega a prescrever. Isso quando não acaba, como foi citado na constatação anterior, em pizza.
Devassa: substantivo feminino
1.Ato ou efeito de devassar
2.Rubrica: termo jurídico. Apuração minuciosa de ato criminoso mediante pesquisa e inquirição de testemunhas.
3.Rubrica: termo jurídico. Processo que registra as provas desse ato
4.Derivação: por extensão de sentido. Conjunto de atos e cuidados realizados para apurar alguma coisa; sindicância, inquérito”.
Constatação VII
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que os quenianos deveriam ser proibidos de participar da São Silvestre e de outras maratonas cá na nossa terra. Assim, a corrida teria muito mais graça. Tenho humildemente dito!
Constatação VIII
Deu na mídia: “Os salários dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e do procurador-geral da República passam de R$ 26,723,13 mil para R$ 28.059,29.
O aumento foi sancionado sem vetos pela presidente Dilma Rousseff e publicado na edição do último dia de 2012, do ‘Diário Oficial da União’.
Escalonado, o reajuste será, em média, de 5% a cada ano até 2015, quando o valor dos vencimentos chega a R$ 30.935,36. O impacto no Orçamento apenas em relação aos ganhos dos 11 ministros do Supremo é estimado em R$ 160 milhões por ano.
De imediato, os reajustes têm efeito cascata em todos os salários do Judiciário e do Ministério Público não apenas na esfera federal como também nos Estados.
A partir desta terça-feira (1º) o valor do salário mínimo aumenta em 9% e passa de R$ 622 para R$ 678 (Grande eme! O grifo é de Rumorejando). O reajuste foi anunciado pelo governo na semana passada.
Ainda da mídia: “O valor do salário mínimo é calculado com base no percentual de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do ano retrasado mais a reposição da inflação do ano anterior pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Em 2011, a variação do PIB foi de 2,73%, e a inflação de 2012 medida pelo INPC, de 6,1%. O Orçamento de 2013 - ainda não aprovado pelo Congresso - previa alta do mínimo para R$ 674,96. A proposta original do governo era de aumento de R$ 622 para R$ 670,95, mas o cálculo da inflação foi reajustado, e isso elevou o valor”.
Se houvesse uma inversão de salários haveria um caos total: Os pobres não saberiam o que fazer com tanto dinheiro e os ricos com tão pouco. Vige! Assim, é melhor que se implante a Taxa Tobin (veja no Google o que vem a ser), aí a distorção salarial seria lenta e gradual como a redemocratização em nosso país na década de 80, não ocasionando traumas em nenhuma das partes. Vige, novamente!
Constatação IX
E já que falamos no assunto, também, certa vez, deu na mídia: “O desemprego na Grande São Paulo permaneceu estável no mês de maio, atingindo 20,6% da População Economicamente Ativa (PEA), o mesmo índice verificado em abril, de acordo com levantamento da Fundação Seade em parceria com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese). O contingente de desempregados na região metropolitana de São Paulo é de 1,95 milhão de pessoas. Em maio de 2002, o índice de desemprego foi de 19,7%, para um contingente de 1,85 milhão de desempregados”. O que é terrível, para Rumorejando, é que se tem que comemorar que o número não aumentou, mas permaneceu estável. Muito trágica essa nefasta Teoria da Relatividade para Principiantes... Pena!
Constatação X
E ainda insistindo neste assunto, deu, certa vez, na mídia, quando o salário mínimo era menor que o atual (que também era uma eme): “Atraídas por um salário que varia de R$ 600 a R$ 700, quase 17 mil pessoas, o que eqüivale a 3,8% do total da população de Londrina, se inscreveram no concurso do serviço autárquico funerário daquela cidade paranaense, que oferece 19 vagas para cargos como coveiro e preparador de cadáver. O que mais chamou a atenção da Administração dos Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina (Acesf) foi o alto grau de qualificação dos candidatos. Para as três vagas de coveiro, por exemplo, que exige o antigo Primeiro Grau incompleto e oferece salário de R$ 650, dos 1.204 inscritos, 28 cursam o ensino superior e três têm diploma universitário”.
-“Ninguém esperava tanto candidato. Acho que é por causa do desemprego - disse Débora Zanutto, assessora da Superintendência da Acesf”.
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a senhora Débora sem, necessariamente, ter descoberto a pólvora, tem toda a razão. Apenas ela se esqueceu de acrescentar, em sua declaração, viva “nóis”.
Constatação XI
De repente,
Não mais que de repente,
O raso soldado
Se assanhou
Pro lado
Da filha do tenente
Que, incontinente,
O enquadrou.
Coitado!
Constatação XII (Ah, esse nosso vernáculo).
A advogada, dessa vez, não emitiu um fax e sim um e-mail, usando o linux, não falando ao meritíssimo juiz de “lex dura lex, porém contando que a Gisele Bundchen tinha sido contratada pelo sabonete Lux e que havia assistido um filme, na televisão, com o Tom Mix e uma luta de box. E mais, havia ganho um cachorro da raça fox.
Constatação XIII
Publicaram,
Divulgaram
Pelos jornais
Que o figurão,
Respeitável
E honorável
Cidadão,
Se tornou
Caquético
E que ficou
Completamente
Maluco,
Caduco,
Só porque,
De repente,
Sem mais
Nem o quê,
Trocou,
Dando inaceitável
Explicação,
Peripatético,*
O truco
Por Biriba,
E também
O muito bem
Classificado
Coritiba
Pelo Atlético.
Coitado!
* Peripatético = “Fig. Exagerado na expressão, nos gestos”.
Constatação XIV (Continuação da Constatação anterior).
Afinal,
Ele poderia,
Deveria
Trocar,
Optar,
Nessa troca,
Nesse retiro,
A que tanta
Gente bacana,
Tanto profana,
Como santa
Invoca.
Me refiro
A um time
Maioral,
Muito capaz,
Que igual
Não há,
Simples e banal,
Modesto
Que nunca proclama:
“Só eu presto”.
Que nunca faz
Patranha
E nunca ganha
No apito:
O sublime,
Se chama
Paraná!
Tenho dito!
Constatação XV
Quem sofre de complexo de perseguição acha que o mundo só é constituído de algozes e desafetos.
Constatação XVI
Os laboratórios multinacionais vão adquirindo os nacionais. Aí, vão tirando alguns produtos do mercado que retornam com outro nome e, evidentemente – mas, evidentemente, mesmo – com o preço majorado. A mesma coisa acontece com produtos alimentícios. Em ambos os casos deveriam, sem falta, acrescentar nos rótulos, bulas, invólucros, etc. nos lançamentos dos “novos” produtos: Viva “nóis”.
Constatação XVII (De uma dúvida crucial, elucubrativa, embora não seja de transcendental importância para o futuro da Humanidade).
Por que será que as mulheres fazem tanta questão que, se abaixe a tampa do vaso sanitário, depois de usado pelos homens, já que elas não levantam a dita quando saem? Data vênia, como diriam nossos juristas, mas o mais justo e democrático é que cada um levante ou abaixe de acordo com a sua vez de utilizar o vaso. Afinal, se, por exemplo, um dos cônjuges toma carradas de chimarrão e o outro nem tanto, o grau de uso do vaso sanitário do que toma em profusão a saborosa infusão será muito maior e, fatalmente, teria, vez ou outra, um trabalho inócuo o de baixar cada vez a tampa que anteriormente havia levantado. Salomonicamente, elementar, minha gente.
Constatação XVIII
Ele ficou casmurro
Quando ela lhe sussurrou:
“Aqui não, seu burro”
E quase brox, digo, fracassou.
Constatação XIX
Pobre não paga tributos; rico, também não.
Constatação XX
E como elucubrava o obcecado: “Como no sexo e no amor, nesses tempos de violência, é muito melhor exceder nos cuidados da segurança do que deixar em falta dos mesmos”.
DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.
Dúvida I
Sempre acha um jeito,
A sogra, de achar no genro
Ou na nora algum defeito ?
Dúvida II
Ela tirou uma cópia,
Com o novo marido,
Da cornucópia ?
Dúvida III
Receberam os nubentes
Muitos cumprimentos
E nadinha de presentes ?
Dúvida IV
Será que jogar na zaga,
Quando o goleiro é frangueiro
É uma saga ?
Dúvida V
Foi um baita sortilégio*
A afirmação que samba,
Sim, se aprende no colégio ?
*Sortilégio = “Maquinação; trama”.
Dúvida VI
Cada emenda,
Na constituição,
É uma contenda ?
Dúvida VII
É falta de relutância
Não querer ultrapassar
Uma ambulância ?
Dúvida VIII
É muito desdouro
Dizer para o ancião: “Puxa!
O senhor é do tipo duradouro” ?
Dúvida IX
Quando reduzem a previsão
Do PIB quer dizer que só negativa
Vai ser a almejada expansão?
Dúvida X
Não receber a Bola de Ouro
Para um craque como eu
Será que seria algum desdouro?
Dúvida XI
O preconceito racial
Só é originado por fdp
Ou é uma endemia geral?
Dúvida XII
Está próximo o carnaval.
Será que veremos bundas e seios
Como nunca se viu igual?
Dúvida XIII
Vai começar o campeonato Regional.
Será que o meu Paraná que voltou
Irá mais uma vez tropeçar e se dar mal?

Um comentário:

Marina da Silva disse...

Juca,
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Achei tudo ótemo! Quanto a tampa do vaso sanitário...quem precisa desse acessório em banheiro, inda mais que o preço tá pela hora da morte? Para a relação do casal não cair na bosta, ops, merda, F* tampa e mijada livre! Tenho dito, pronto falei!kkkkkkkkkkk
Bjin Marina