quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

RUMOREJANDO


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Juro
Que é
Prematuro
Imaginar
A fé
Nos humanos
Alcançar
Valores
Elevados
Sem tropeçar
Em dissabores
Acumulados
Ao longo dos anos
E, lamentavelmente,
Eternizados,
Tão somente.
Constatação II
O cúmulo do complexo de inferioridade é quando o cara está com uma gata e pensa: “Ela só está comigo porque não arranjou coisa melhor”.
Constatação III (Viva “nóis”).
Existem dois hipermercados que têm os seguintes dísticos ou slogan: “Orgulho de ser brasileiro” e “Orgulho de ser paranaense”. Tanto um quanto o outro, à semelhança dos demais que, pelo menos, não possuem slogans tão “patrióticos”, praticamente só tocam música estrangeira nos seus circuitos internos. Dúvida crucial: Será que ambos também têm orgulho de tocar tal tipo de música? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IV
Para este assim chamado escriba, atrás de um grande homem, além de uma grande mulher, há sempre um cachorro ou um gato, quando não, os dois. Passarinho em gaiola, jamais. Tenho dito e, se for preciso, assino e reconheço a firma em cartório.
Constatação V
E já que falamos no assunto, uma conhecida minha, que luta para que os animais recebam um programa gratuito e permanente de castração ao invés de serem sacrificados pela Prefeitura Municipal, afirmou que se cachorro votasse, os candidatos andariam distribuindo ração por aí...
Constatação VI
Não se pode confundir saldo com caldo, até porque, se você não tiver um saldo compatível, o teu gerente vai entornar o teu caldo. Se for negativo, então, nem falar. A recíproca para esses casos gastrônomicos-financeiros não é necessariamente verdadeira. Depende do laudo do teu gerente, do teu prestígio, da tua lábia, de que foi feito o caldo, do teu respaldo, enfim.
Constatação VII
Rico pode tudo querer; pobre tudo quer poder.
Constatação VIII

E como versejava o conquistador convencido, nosso velho conhecido:
“Compartilho
O meu coração
Com uma multidão
De gatas,
Às escondidas
Sempre queridas
Com brilho,
Com desafogo
E emoção
Que se alastra
Como seguidas,
Lentamente,
Num jogo
De canastra”.
Constatação IX
Rico é persistente; pobre, é invocado.
Constatação X
Este assim chamado escriba, velho nadador velho, descobriu um novo estilo que a professora costuma repassar, mas, absolutamente, contra a sua própria vontade. É o nado “Borbulheta” que é soma do nado borboleta + as borbulhas que vai fazendo com a água que engole.
Constatação XI

Deu, certa vez, na mídia: “Madeireiros e fiscais do Ibama presos, em Ariquemes, a 200km de Porto Velho, por extrair madeira”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas pelo jeito faltaram fiscais para fiscalizar os fiscais...
Constatação XII

Ficou macilento,
Esquálido,
Fraco,
Pálido
Descorado,
Opaco
O ministro fritado
Em fogo lento.
Coitado!
Constatação XIII

Não se deve confundir caso sui generis com caso mui sujo, muito embora exista caso mui sujo que, pela sua criatividade e bolação da sujeira, se torna um caso sui generis. A recíproca, no caso, é, sem descaso algum, casuisticamente verdadeira.
Constatação XIV (Sobre assuntos conjugais I)

Olho no olho,
Ela proferiu,
Desvairada:
“Onde já se viu
Seu trambolho,
Seu vadio.
Isso são horas ?”
E ele, engrolando,
A língua
De tão embriagado:
“Senhores e senhoras,
Está começando
A vida
Destemperada,
Sofrida,
Ardida,
Tão à míngua
Deste infeliz,
Desafortunado,
Sem bem de raiz,
Mas, bem-dotado
E bem-educado”.
Coitada!
Coitado!
Constatação XV

Não se pode confundir talento com ta lento, muito embora, foneticamente, sejam iguais. No entanto, deve-se levar em conta que, numa música clássica, o lento ma non troppo pode ser interpretado de modo a suscitar o seguinte comentário dos expertos: “Ta lento demais. Não se nota talento no(a) executante”. A recíproca, nesses casos de virtuosidade, pode ser verdadeira. E normalmente é. A propósito, a palavra executante é comum-de-dois, já que tem só uma forma para os dois gêneros, como artista, pianista, selvagem, e outras mais. Presidente, como é sobejamente sabido e por razões também sabidas, não se enquadra mais como forma única para os dois gêneros.
Constatação XVI

Tanta mutreta
Que vem a lume
Já virou costume
E só ocasiona
Na rezingona
Muxoxo e careta.
Constatação XVII

Rico tropeça numa inverdade; pobre, se esborracha numa mentira.
Constatação XVIII
Deu na mídia, há 10 anos atrás: “O número de suicídios subiu no Japão no ano de 2003, num total de 32.143 pessoas que se mataram em 2002 em todo o território japonês, 1.101 a mais que no ano anterior. Muitos dos casos estavam relacionados a desemprego, falências e dívidas”. O Japão é um país com uma tradição bem arraigada. Até nos casos de suicídios. São as desvantagens do capitalismo quando descamba para o selvagem. Pena.
Constatação XIX

Deu na mídia: “Um grupo cristão do Tenesse, nos Estados Unidos, alerta que baixar músicas ilegalmente é pecado mortal e que os infratores podem ser punidos pelas leis divinas”. Rumorejando, respeitosamente, acha que, se confirmado o alerta, vai sobrar muito pouco internauta...
Constatação XX (Sobre assuntos conjugais II).

Com cara
De sofrido,
Ele chegou
No doce lar,
Tropeçando
Em tudo
Que ia ficando
Na sua frente.
Aí, com esgar,
A barra
Pesou:
“Seu bandido,
Seu chifrudo,
Seu demente.
Amarrando,
Novamente,
Um porre.
Por que
Não morre
Duma vez!?”
Ele, sem mais
Nem o quê,
Para seu espanto,
Contestou
Com altivez:
“Perdão
Que este teu escravo
Te conteste,
Que proteste.
A tua assertiva,
A tua afirmação,
Minha princesa,
Meu encanto,
Minha doçura,
Minha diva,
Mas esta alma pura.
É, incontestavelmente,
Inocente.
E como na revolução
Dos Cravos,
A portuguesa,
E tantas mais:
Os bravos,
Não morrem jamais”.
Constatação XXI (Quadrinha para ser recitada em festa de chá de panela).
Siga nossas instruções como se comportar com o marido.
Rédea curta, distância das amigas e das colegas de serviço.
Nada de sair no fim de semana para um truco concorrido
Ou um futebol e, lembre, faça com que ele sempre seja submisso.
Constatação XXII (Quadrinha para ser recitada diante dos economistas, dos empresários e dos governantes de plantão).

A inflação cada vez mais vem se chegando
Quietinha como quem não quer nada.
A turma preocupada questiona: Até quando
Que vai ser factível ela ser tolerada?
Constatação XXIII (De um pseudo-soneto).


                  Coitado! De mim...

Ela aquiesceu em me acompanhar ao motel
Sem antes negacear com os olhos abaixados
Pareciam tristonhos aqueles olhos cor de mel
E a mim pareceu, um momento, estarem molhados.

Em lá chegando, ela começou a se despir
Mas, de repente, se negou a tirar a calcinha
“Acho que eu devo ir para casa e desistir”
Amo meu noivo que me chama de rainha”.

E mais, alegando pudor e vergonha.
Se cobriu com o lençol e uma fronha
E peremptória: “Me leve para casa”.

E eu que sou compreensivo não discuti,
“Sim. Vamos imediatamente embora daqui”.
Saímos de lá. Ela feliz; eu com o rosto em brasa.

Constatação XXIV (Quadrinha dedicada à maioria das sogras. As demais são exceções à regra).
A sogra não parava de resmungar, de rezingar*
Falando mal da diarista, do genro e da nora.
“A senhora ta sem programa, não mais vai parar”.
Os filhos perguntaram, antes de irem embora.
*Rezingar = verbo transitivo direto e intransitivo
1. Falar baixo e com mau humor; resmungar
Transitivo indireto
2. Fazer crítica, reprimenda a; repreender
Intransitivo
3. Uso: informal.
Discutir polemicamente; contender, altercar
Constatação XXV (Ah, esse nosso vernáculo).
-“Em pé, ele traduziu, ao pé da letra, mas nas coxas, o texto que ficou sem pé nem cabeça”. -“Pé...raí! Foi só um pé...daço” (pé...rdão, leitores).
Constatação XXVI
Rico joga com várias combinações na Megassena; pobre, na Quina apenas nos cinco números.

DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS.
Dúvida I
Tava tão ruim o rango
Que a barriga se pôs
A ensaiar um tango?
Dúvida II
Ele ficou assaz comovido
Quando a sogra o chamou
De “meu querido”?
Dúvida III
Ser chamado de meu querido,
Dependendo de quem chama
Indica que foi corrompido?
Dúvida IV
É levar um baita dum castigo
Ter que pagar uma dívida só
Por ter dado aval ao “amigo”?
Dúvida V
Quando o dia foi aziago
Você se obriga a tomar
Água e/ou um trago?
Dúvida VI
Tudo não passou duma farsa
A acusação que ele havia roubado
Conforme afirmou o seu comparsa?
Dúvida VII
Lá no confim
Do mundo é que é
O começo do fim?
Dúvida VIII
Qualquer resposta que for dada,
À pergunta anterior,
Será o fim... da picada?
Dúvida IX
O beijo voluptuoso,
Afinal, é, ou não,
Respeitoso?
Dúvida X
E o com estalido,
Que acorda até o
Vizinho, é atrevido?
Dúvida XI
Ta com tudo
Quem hoje
Não é sisudo?
Dúvida XII
Ou ta com tudo
Quem hoje
Tem estudo?
Dúvida XIII
Ou, talvez, tava com tudo,
Quem, durante a ditadura,
Se mantinha mudo?
Dúvida XIV
“Se melhorar estraga”,
Foi o que disse o velhinho,
“E eu que nem uso viagra”?
Dúvida XV
Quando, no garimpo,
Achou uma pepita*
Ele se sentiu no Olimpo?
*Não ficou claro se uma pepita de ouro ou alguém que se chamava Pepita.
Dúvida XVI
Será que o Real Madri
É melhor que o meu
Time, o Paraná, daqui?
Dúvida XVII
O clima de bom astral
Só dá para sentir nas
Proximidades do Natal?
Dúvida XVIII
Portanto, é só na época natalina,
Que a solidariedade entre
As pessoas mais se afina?
Dúvida XIX
Assistir o teu time
Jogar de salto alto
Também te deprime?
Dúvida XX
É muita sensatez
Ir ao motel
Para jogar xadrez?
Dúvida XXI
Foi alvo de chacota
O candidato que
Só contava lorota?
Dúvida XXII
É ser muito capaz
Quem faz o papel
De leva-e-traz?
Dúvida XXIII
Só o xingado juiz
Não viu o pênalti
Em frente ao seu nariz?
Dúvida XXIV
A testada do terreno
É que estava com chifre,
Ainda que meio pequeno?
Dúvida XXV
São bronquites
As gripes
Passadas dos limites?
Dúvida XXVI
Era o velho marujo
Que ouvia e falava
Com o caramujo?
Dúvida XXVII
Foi o mágico Mandrake
Que, abandonado pelo Lothar,
Teve um baita de um peripaque?
Dúvida XXVIII
“Continuarei a punir a corrupção”,
Disse o premiê da Espanha. Será que
Ele não fez mais que a sua obrigação?
Dúvida XXIX
Será que existe outro Paulo Salim Maluf
Que está sendo condenado em Jersey,
E que ta provocando no coitado: puf*
*Puf = interjeição
2. Onomatopéia que expressa ruído de queda ou choque (Houaiss).
Dúvida XXX
O clima na tua cidade
É como o de Curitiba
Terrível para a 3ª. Idade?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: