quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Constatação III
E como argumentava o paciente para o nutricionista: “Sexo é um paradoxo. Se por um lado (qual lado?) queima calorias, por outro, abre o apetite”.

Constatação II

Rico é perscrutador; pobre é bisbilhoteiro.
Constatação III
Cão de raça tem cauda; vira-lata, tem rabo.
Constatação IV
Rico desacelera a decrepitude; pobre, acelera a velhice.
Constatação V
Sai Sarney. Entra Calheiros. SOCORRO!
Constatação VI
E já que falamos no assunto o que também causa mais nojo é a votação expressiva que estes cidadãos de, na opinião dos votantes, caráter ilibado obtiveram em cada época tanto da situação como da oposição. Vige!
Constatação VII
E já que tornamos a falar no assunto, não se pode confundir entojados com enojados, muito embora os políticos, (a)normalmente, são entojados o que nos deixa, pobres mortais, enojados. E fica por isso mesmo (Veja o que acontece nos Estados Unidos com os políticos corruptos – Clique aqui e veja o vídeo).
Constatação VIII
Afinal, injeção é o fim da picada só quando ela termina ou é o começo da picada? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “O número de furtos registrados na Delegacia do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, cresceu 49,6% em 2012, em comparação com o ano retrasado. Foram 401 casos, ante 268 de 2011. A quantidade de roubos cresceu 4,5 vezes, em comparação com o ano anterior Os números são da Secretaria de Estado da Segurança Pública”. Rumorejando acha que ainda disputaremos o primeiro lugar. Vige!
Constatação X
Não se pode confundir aclamar com acalmar, muito embora o senador Renan Calheiros, que se demitiu para não ser cassado, anos atrás, foi praticamente aclamado pelos senadores pelo número dos votos recebidos para substituir o ex-presidente José Sarney, na presidência do senado, que, entre outros proventos, recebia auxilio moradia, sem ter direito. E como se consegue acalmar o povo brasileiro que não reage. Quem souber o porquê, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XI (De um pseudo-soneto).

       Que papelão!

Ela obliterou* meu coração
Que estava repleto de ternura
Depois de dar muita paixão
E o transformou numa secura.

Achei que havia se cansado
Da minha festejada companhia
É que ela mudava de namorado
Todo mês, toda semana, todo dia.

Pedi de volta meu caro presente
Antes que ela se fizesse ausente
E efetivamente ela se escafedeu.

Antes, ela riu na minha cara com certo desdém
“Já não possuo teu regalo, tampouco de ninguém
Doei todos a nossa fundação do nosso rico museu”.
*Obliterar = “verbo transitivo direto e pronominal. Fazer desaparecer ou desaparecer pouco a pouco; apagar(-se)” (Houaiss).

Constatação XII
A sogra morava com o casal e quando dormia roncava, consequentemente, não estava pegando no pé dele. Aquele ronco soava para ele como uma música harmoniosa, suave,
tão-somente. Coitado!
Constatação XIII
Não se pode confundir mansidão, que o dicionário Houaiss dá, entre outros, como “2. Brandura de gênio ou de índole; brandura na maneira de expressar-se; doçura, meiguice, suavidade” com mensalão, que já é de conhecimento público e que, provavelmente vai acabar em pizza, mesmo com a condenação de alguns réus, até porque já têm aparecido estratagemas* para quem participou do mensalão seja tratado com mansidão. Vige!
*(Rico usa estratagema; pobre, falcatrua, conforme assinalado no blog do dia 13 de fevereiro próximo passado).
Constatação XIV (De outro pseudo-soneto).

Mate e vida amargos

Amiúde
O talude
Do meu chimarrão
Sofre desfiguração

Tal se deve a quantidade de pó
Tão fino que até atravessa um filó
Que no pacote a empresa adiciona
Pra erva ficar mais pesadona.

A ganância por ganhar dinheiro
Todo tempo, ou o ano inteiro
Resulta numa bomba entupida.

Isso não importa ao empresário
Que quer ficar rápido milionário
E assim poder ser um boa-vida.

Constatação XV (De mais um pseudo-soneto).

   Timidez ou falta de iniciativa?

Seu oloroso lindo cabelo lanígero*
Me deixava mudado, transtornado
Aí eu ficava cada vez mais alígero**
Em dizer que eu estava apaixonado.

Ela não me levava nem um pouco a sério
Não levando em conta meu sincero sentimento
Isso constituía para mim um enigma, um mistério
Além de uma decepção e um desapontamento.

Como eu não sou de altercação ou um cara belígero***
Relevava tudo que ela dizia, inclusive, “famígero”****
Porém até que um dia perdi o rumo, a tramontana*****.

Perguntei, nervoso, se havia outro alguém que ela amasse
Ou que ela gostasse, admirasse ou pelo menos apreciasse.
“Calma! É que você nunca me levou pra cama, seu banana”.

*Lanígero = “3. Provido de pêlos semelhantes à lã ou à lanugem (Houaiss).
**Alígero = “2. Ligeiro, veloz, rápido (Houaiss).
***Belígero = “6. Indivíduo de comportamento combativo ou aguerrido (Houaiss).
****Famígero = “2. Uso: pejorativo. Tristemente afamado (Houaiss).
*****Tramontana = “3. Derivação: por extensão de sentido, sentido figurado. Direção, rumo (Houaiss).
Constatação XVI (De mais um pseudo-soneto. Vige! Quantos pseudo-sonetos!)

“Ou nós nos locupletamos todos ou implante-se a moralidade”, emprestado de Stanislaw Ponte Preta que faz muita falta como tantos outros.

A cueca passou a concorrer com o cúbito*.
Tornando-se comum em certas áreas de políticos.
Com isso nós o povo estamos em posição concúbito**
Enquanto eles se locupletam sem reações dos críticos.

Depois de encherem as próprias burras
Eles tranqüilos se refestelam em decúbito***
E enquanto nós levamos todas essas surras.
Eles, numa boa, impunes, ficam em recúbito****

Com relação ao mensalão já se deu um passo
Para talvez um dia acabar com a impunidade
Embora os legisladores cometessem um erro crasso.

Elegeram para a presidência da Câmara e do Senado
Pessoas sem Ficha Limpa o que foi uma iniqüidade,
O que a ninguém surpreendeu como fosse algo esperado.

*Cúbito = “4. Regionalismo: Brasil. Uso: linguagem de delinqüentes. Cavidade nos saltos dos sapatos para ocultar dinheiro e/ou jóias” (Houaiss).
**Concúbito = “substantivo masculino. União carnal; cópula, coito” (Houaiss).
***Decúbito = “substantivo masculino. 1. Atitude do corpo em repouso em um plano horizontal (Houaiss).
****Recúbito = “substantivo masculino 1. Ação de recostar-se (Houaiss).

Constatação XVII
Deu na mídia: “Durante um discurso que fez na solenidade comemorativa do Dia Internacional do Idoso, o ex-presidente Lula defendeu o respeito da sociedade aos idosos. "Eu acho que a palavra ´velho´ deveria ser abolida, trocada pela palavra ´experiente´", disse o presidente Lula. "Por isso, meus amigos e minhas amigas, quando se aposentarem, não fiquem em casa atrapalhando a família!”, aconselhou. "Tem de procurar alguma coisa para fazer, para tornar seu dia prazeroso". Rumorejando concorda com o ex-presidente Lula e traz a sua observação com relação ao idoso, complementando, ainda mais, o que já foi publicado anteriormente, o que, absolutamente, não quer dizer que seja experiência própria e sim de ouvir dizer. Vamos a elas, pois:
Começa a se interessar em carros com direção hidráulica e câmbio automático.
Começa a se atrapalhar para falar, realizar, etc., faz trapalhadas, enfim vira um trapalhão. Nada a ver com o profissional Renato Aragão.
Fica chateadíssimo quando, no ônibus, lhe oferecem o lugar.
Começa, de alguma forma ou de outra, a se considerar medalhão, exigindo atenção redobrada.
Se interessa pela coalhada búlgara, vitamina E, guaraná, besouro chinês, ômega 3 e tudo aquilo que dizem  prolongar a eterna curta vida.
Passa a freqüentar um pedicuro. Não por vaidade, mas por causa do volume da barriga que dificulta a posição de cortar as unhas dos pés.
Conta a mesma história uma porção de vezes para a mesma pessoa; se irrita quando lhe contam a mesma história já anteriormente contada.
Pega uma gripe ou um resfriado em curto prazo e se cura a longo.
Se vê perguntando, cada vez com maior freqüência, o que é que eu vim fazer aqui, mesmo?
Tenta eliminar, sem sucesso, a indefectível barriguinha, dizendo que essa história que dá charme é uma falácia.
Dorme cada vez menos e acorda no meio da noite cada vez mais.
Já não tem mais reflexos nem vista boa para pegar, como fazia quando jovem, com a mão, no ar, mosquitos que passam zunindo nos seus ouvidos.
É obrigado, por prescrição médica, a “casar” com determinados remédios na base do “até que a morte nos separe”...
Passa a sofrer de cãibras que se manifestam também durante o sono em locais os mais inesperados como, por exemplo, nos olhos, cabelos e unhas...
A posição horizontal passa a ser a preferida, não necessariamente acompanhado.
Se for convencido, como o nosso já conhecido de outros Rumorejando, faz versos, como se fosse seu curriculum vitae, do seguinte jaez:
No lago, as pedras atiradas
Fazem um círculo concêntrico
Assim como as minhas amadas
No meu sistema heliocêntrico.
Constatação XVIII
No começo,
Achava
A sua voz
Melodiosa,
Um gorjeio.
Depois
De uma vida
A dois,
Suspirava:
Só tropeço,
Só tormento,
Só descida,
Eivada
De sofrimento
Atroz.
Passou
Temores,
Estertores,
Horrores,
No permeio
Turbulento
Do separa
Ou não
E chegou
A conclusão
Que a tal voz,
De maviosa,
Passara
A uma taquara
Rachada
No meio.
Coitada!
Constatação XIX (De conselhos úteis).
Se você tiver um impulso de querer convidar a tua sogra para passar alguns dias na tua casa, você precisa, com urgência, começar a sair, à noite, pra jogar um truco com os amigos, tomando uma cervejinha*. Se persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado. De nada!
*Conforme Rumorejando já teve oportunidade de apregoar, em edições anteriores, truco com qualquer outra bebida não orna.

Constatação XX

Certa vez, deu na mídia: “Uma pesquisa publicada pelo jornal "Ultimas Noticias" revelou que mais da metade das chilenas está insatisfeita com sua vida sexual. O estudo, feito entre 21.527 mulheres de 17 a 74 anos, constatou que 58,2% delas "estão descontentes com o que lhes acontece sob os lençóis", indicou o jornal”. Quando o obcecado convencido leu essa matéria declarou do alto da sua – dele – auto-suficiência: “Tá na hora de eu fazer uma pequena viagem para o Chile”.

Nenhum comentário: