quarta-feira, 3 de abril de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia: “Certa vez, a ex-ministra britânica Clare Short denunciou em entrevista à BBC que o então governo de Tony Blair havia grampeado o gabinete do secretário-geral da ONU, Kofi Annan”. Quem diria que até na pudica Inglaterra acontecem filha da pu...ce, digo, molecagens. Dúvida crucial: Será que o ‘know-how’ foi brasileiro? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação II (Mea culpa).
Este assim chamado escriba já foi adepto do PT, acreditando que seria uma questão de apoiar um partido defensor da ética, a qual, como sempre e agora mais do que nunca, foi colocada de lado. A Oposição que aponta os desmandos do PT apregoa que está na hora de se rever posições que foram tomadas por tantos que votam no partido que se diz ser dos trabalhadores. Efetivamente, a Oposição está eivada de razão. Há que se mudar de partido. Tudo bem, ou melhor, tudo mal. Não existe partido da atual Oposição que seja confiável. Pelo passado quando foi Situação. Portanto, cabe a pergunta: Mudar para qual? Tudo isso faz lembrar a história que meu falecido pai contava: Um dia de muita chuva ia um sujeito, único passageiro, sentado num bonde em um lugar onde havia uma goteira. Aí, o cobrador perguntou: “Por que o senhor não troca de lugar?” E ele retrucou: “Porque não há com quem”...
Constatação III
O Brasil não tem batedor de faltas de fora da área. O único batedor brasileiro é o paranaense da cidade de Pato Branco, Rogério Ceni, que não será convocado para a seleção. Pena.
Constatação IV
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão do dia 25 de março de 2013: “Bairro nobre de São Paulo registra dois arrastões em menos de 24 horas” e “Número de homicídios sobe 14% em São Paulo”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que não só em São Paulo que tem havido bandidagem. A criminalidade está em todas as partes. E agindo no Varejo e no Atacadão. Vige!
Constatação V
Rico aventa; pobre, ameaça.
Constatação VI (De uma dúvida assaz crucial. Não minha, dela).
Por uma questão de inércia
Ela nunca conseguiu aclarar
Se a tal da lima da pérsia
Era um cítrico ou um lugar.
Constatação VII
Ela, um portento,
Um mulherão
Ele, assaz ciumento,
Um paspalhão.
“Aonde você vai?”,
Ele perguntava,
Questionava,
Inquiria,
Incomodado
Desapontado.
Ela ria,
Num riso
De artista
Da televisão
Que até aparecia
O siso
E retrucava,
Contestava,
Respondia:
Vou ao dentista,
À florista
E ao supermercado.
Quando ela saía,
Acabava
A sua alegria.
E ele a seguia,
Desvairado,
Preocupado
Atormentado,
Pra ver se ela
Não mentia,
Na vez aquela.
E ela, que tudo sabia
Que ele também
Viria
Fingia,
Como ninguém
Que não o pressentia.
Um dia
Ela, grávida,
Disse a ele
Que naquele
Lindo dia
Estava
Ávida
Para comer
Melancia
Com jaca
E milho
Que ele,
Pessoalmente,
Deveria
Colher
E lhe trazer.
“Difícil paca!
Aonde vou poder
Me abastecer ?
Há que encontrar
Uma melancieira,
Um milharal
E uma jaqueira.
Não dá
Pra
Comprar
Esse total
Tão somente
Na feira?”
Questionava,
Desconfiado
Se o filho
Seria
Dele
Já pensando,
Matutando,
Lucubrando
Num DNA.
“Não”, ela respondia.
“Por que
Você
Me contraria?”
E, ele, pálido,
Esquálido,
Sem achar válido
Aquele pedido
Saía, sentido,
Ensandecido,
Enlouquecido,
Endoidecido,
Sem deixar
De ficar
Acabrunhado,
Apatetado,
Atoleimado
Pra executar
A esdrúxula tarefa.
Só porque,
Segundo seu parecer,
Sem mais nem o quê,
A sua cara-metade
Que dizia que nunca blefa
Assim o queria
Assim exigia.
Quanta maldade!
Coitado!
Constatação VIII
Não se pode confundir natação com matação, até porque exista professor de natação cuja aula é uma matação, assim como aluno que, ao invés de executar a dita natação tão salutar, fica de papo, de matação da aula, com a pessoa da raia ao lado que não é necessariamente uma gatona o que, aí, nesse imprescindível caso, seria perfeitamente injustificável. A recíproca para esses desportivos-ociósos casos não é exata e necessariamente verdadeira.
Constatação IX
A gatona,
Que se apresentava
Na televisão
Deixava
A “macharada”
Doidona,
Eivada
De ilusão.
Até o idoso,
Que se achava
Glamouroso,
Qual um rapaz,
Ainda que senil,
E eternamente
Em tédio,
Ficava
Necessitado
De tomar
Um remédio
Efetivamente
Eficaz
A base
De cortisona*,
De amilase**
E perindopril***.
Coitado!
**Amilase = Substantivo feminino
Rubrica: bioquímica.
Qualquer uma das várias enzimas capazes de degradar o amido em maltose (Houaiss).
*Cortisona = Substantivo feminino
Rubrica: farmacologia.
Hormônio (C21H28O5) obtido da extração das glândulas suprarrenais de animais domésticos e também produzido sinteticamente [Ativo no metabolismo das proteínas e carboidratos, é usado no tratamento de artrite, febre reumática, alergias etc.] (Houaiss).
***Perinrodopril = Fármaco****: Produto para controlar a pressão arterial.
****Fármaco = Substantivo masculino.
Rubrica: farmacologia.
Qualquer produto ou preparado farmacêutico (Houaiss).
Constatação X
Não se pode confundir aquilino com inquilino, muito embora exista uma profusão de inquilinos com narizes aquilinos, sendo que, alguns deles costumam meter o apêndice nasal em tudo, principalmente para bisbilhotar a vida do senhorio, vizinhos, etc., mormente no etc.
Constatação XI
O sol envergonhado
Quase nunca aparece
Durante o ano.
Até parece,
Desmemoriado
Já que, amiúde,
Esquece
Da saúde
Do curitibano.
Constatação XII
Para o septuagenário,
Além da nostalgia,
A artrite
Não permite
Dobrar
O polegar.
Será que não daria
Pra ele mudar
De itinerário,
De lugar?
Constatação XIII
Era tão cara de pau, tão cara de pau, mas tão cara de pau que, após a barba passava, como loção, um produto contra cupim, um “cupimicida”.
Constatação XIV
Não se pode confundir saída com sadia, muito embora, na maioria das vezes uma saída dum quiproquó seja muito sadia. A recíproca, deixa pra lá...
Constatação XV
Transformou
Em desafeto
O maridão
Após tê-lo usado
Toda a vida,
Desmesuradamente,
Como homem-objeto,
E, nessa atitude
Ardida
Nessa “solicitude”
De tê-lo considerado
De somenos,
O botou
Incontinente,
Pra fora
Do lar
Mandando ele,
Tão inocente,
Outrora fremente,
Embora,
Assaz magoado,
Descontente,
Com a situação.
Pelo menos,
Aparentemente.
E mais,
Que ele não
Voltasse
Jamais
E que fosse
Tomar
Naquele
Lugar.
Decisão,
Aparentemente,
Nada doce,
Tão somente.
Coitado!
Constatação XVI
Deu na mídia: “O ministro Guido Mantega reconhece que está "preocupado" com as taxas de desemprego que poderão advir de menos de 1% do PIB, em 2012. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando supõe que, afora S. Excia., mais de 200 milhões de brasileiros também devem estar...
Constatação XVII
Rico é autêntico; pobre é esquisito.
Constatação XVIII (De uma dúvida crucial).
A alta moda baixa, cada vez mais, os decotes e levanta, cada vez mais, as saias. Será que haverá um dia que os dois irão infinitamente se aproximar, tendendo qual limites e derivadas, da alta matemática, a zero, ficando, consequentemente, reduzido a uma estreita tira de tecido? E, caso isso se verifique, o que será que ficará a mostra?  Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIX (De outra dúvida crucial).
Sem dinheiro, ninguém é ninguém ou ninguém é de ninguém? Ou as duas hipóteses ? Quem souber a resposta, por favor, também comentários no blog. Obrigado.
Constatação XX
Rico tem convicção dos seus pontos de vista; pobre, é turrão.
Constatação XXI
Rico sofre de “desintumescimento”; pobre é broxa.
Constatação XXII
Rico é dinheirudo; pobre, buchudo.

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS
Dúvida I
Reduzir-se a sua insignificância,
Pra muito político, seria um ato,
De extrema finura e elegância?
Dúvida II
Viver bem, hoje em dia,
É somente se o sujeito
Ganhar na loteria?
Dúvida III
E, hoje em dia, ser pessimista
É apenas uma questão
De ser assaz realista?
Dúvida IV
Cobrir qualquer oferta
É sinal de que o cara
Tem mão aberta?
Dúvida V
O resumo do resumo
É que a gente tem que
Aderir ao subconsumo?
Dúvida VI
É muito dissabor
Ver o nosso salário
Perder mais e mais o valor?
Dúvida VII
Afinal, caixa preta,
É só avião que tem
E/ou quem faz mutreta?
Dúvida VIII
Ele se achou bastante inserido
No meio ambiente e concluiu
Que também estava perdido?
Dúvida IX
O meu Paraná teve sorte
Ao terminar em primeiro
O tal Torneio da Morte?
Dúvida X
E o time passará a jogar
Com uma estrela e uma cruz, na
Camisa, que irá providenciar?
Dúvida XI
E ser o merecido campeão
Do Torneio da Morte revela
Também ter tido boa exibição?
Dúvida XII
Ou foram os adversários
Que ajudaram a percorrer
Tais almejados itinerários?
Dúvida XIII
Não ser cupincha
Do chefe do bando é um
Sinal de não ser caguincha*?
*Caguincha = Substantivo de dois gêneros e dois números.
Regionalismo: Portugal. Uso: informal, pejorativo.
Pessoa covarde, que se assusta facilmente; cagarolas, caguincha, caguinha (Houaiss).
Dúvida XIV
Ele já ficou inibido
Quando ela começou
A tirar o vestido?
Dúvida XV
Na receita de certos médicos,
A leitura do garrancho é só para
Farmacêuticos enciclopédicos?
Dúvida XVI
A esperança
De melhores dias é a
Afirmação da perseverança?
Dúvida XVII
O resumo de tudo
É que a gente
Não é sortudo?
Dúvida XVIII
Afinal, bala perdida
É toda aquela
Que só deixa ferida?
Dúvida XIX
Será que na próxima eleição
Também vai haver nhenhenhéns,
Falatórios inócuos e empulhação?
Dúvida XX
O Paraná, caindo ou não
Sempre tem garantido um lugar
Em alguma Divisão?
Dúvida XXI
Mudar de patrocinador
De cerveja ou de outro produto
É ser profissional ou amador?
Dúvida XXII
A cesta básica aumenta,
O dinheiro some, desaparece
E a gente finge que aguenta?
Dúvida XXIII
Gastar 1 bi em viagem
É pra trabalho, turismo
Ou simples malandragem?
Dúvida XXIV
O desmatamento da Amazônia
Não é combatido por uma
Mera questão de parcimônia?
Dúvida XXV
Do planetoide recém-descoberto,
O Sedna, será que vai vender
Área de terreno algum esperto?
Dúvida XXVI
Será que o meu Paraná
Escapará da Terceirona
Ou vai para lá?
Dúvida XXVII
E se conseguir escapar
Vai o desempenho melhorar,
Passando todas a ganhar?
Dúvida XXVIII
Emprego sem inflação
Possibilita ter dignidade
E, no prato, arroz com feijão?
Dúvida XXIX
Ela, toda rebolativa,
Até parecia
Uma sempre-viva?
Dúvida XXX
A tal Pedra de Roseta,
Para Champolion poder decifrá-la,
Ele teve que fazer até pirueta?

Um comentário:

DJALMA FILHO (twitter @djalmafilho68) disse...

A sua série "Ricos e Pobres" está especialmente engraçada nessa publicação. Abraço.