quarta-feira, 15 de maio de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Rico diz uma ou outra inverdade; pobre, sempre mente.
Constatação II (Coisas que precisam ser inventadas)
Sapato que possa ser regulado em, pelo menos, três tamanhos tanto no comprimento como na largura.
Constatação III (De um pseudo-soneto, em um ineditismo municipal, estadual, federal e mundial, a invenção de estrofes livres, em dobro, por causa da alta da inflação, puxada pelo tomate, na base das estrofes em oito, oito, seis, seis, ao invés do consagrado quatro, quatro, três, três, inclusive no título).

Tragédia infeliz.
Em busca de final feliz.


Ela meu tratou tão mal
Que eu me considerei,
Ou melhor, eu constatei
No meu estado geral
Como se tivesse feito
Numa bariátrica operação
Um vulcão extinto no peito
No meu cataplético coração.

Depois de determinado tempo,
Quando sobreveio o oblívio*
Senti um put, digo, um baita alívio,
Pois eu era um mero passatempo
Para aquela, digamos, patricinha
Que me usava como lhe convinha,
Sem levar em conta meu sentimento
Por um instante, ou por um momento.

Me pus em campo a procura de alguém
Que tivesse apenas e não mais que virtudes
Que fosse carinho e um poço de ternura
Que tratasse bem animais em suas atitudes,
Afagando cachorros, gatos e a mim também
Sem que no sábado me negasse alvará de soltura.

Essa minha insignificante ínfima reivindicação
É para que joguasse um truco com o parceiro amigo,
Acompanhado de uma eventual inocente cervejinha
Porque truco com água mineral não dá combinação.
E quando eu voltasse para casa, ela me desse abrigo
Nos seus braços sem queixas e sem falar abobrinha.
*Oblívio = Substantivo masculino. Esquecimento, olvido (Houaiss).
Constatação IV
Rico tem pequeníssimos laivos de neurastenia; pobre tem frequentíssimos ataques de esquizofrenia.
Constatação V
Rico janta a luz de vela; pobre, também.
Constatação VI
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Ronaldo Fenômeno e a namorada fizeram compras em Londres, na Inglaterra. Nesta terça-feira, 7, o ex-jogador de futebol e a DJ Paula Morais foram a uma famosa loja de calçados na capital inglesa, onde permaneceram por mais de uma hora e meia, segundo a agência "Grosby Group". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando também acha essa notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. VIGE!
Constatação VII
Deu na mídia, também no site da Globo: “Pastor suspeito de estuprar seis fiéis dizia que vítimas estavam 'possuídas'. Ao ser preso, Marcos Pereira afirmou não saber quais eram as acusações. Religioso comanda a Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias no Rio”. Conforme Rumorejando já se pronunciou em blog anterior, “A pedofília é ecumênica”. Agora, Rumorejando está se inteirando que o estupro também é uma das maneiras de uso terapêutico, a fim de exorcizar o demônio quando a pessoa está ‘possuída’. VIGE!
Constatação VIII
Deu na mídia. Também no site da Globo: “Depois de 16 horas em salão, Valesca Popozuda exibe seu novo visual. Na madrugada desta quinta-feira, 9, funkeira usou uma rede social para mostrar o passo a passo de sua transformação”. Não só uma notícia de transcendental importância, como também de interesse para a cultura geral de uma nação carente de eventos desse jaez. VIGE!
Constatação IX
Rico usa jeans; pobre, brim coringa.
Constatação X
E como ponderava o obcecado: “Desde que não tenha mulher envolvida, porque ninguém é de ferro, eu sigo rigorosamente as escrituras, mandamentos e outras santas recomendações religiosas”.
Constatação XI (Para, eventualmente, ser declamada em festa de fim de ano escolar, àquela que a gente só curte quando nossos filhos ou netos participam. Caso contrário, essas comemorações são dose de elefante, rinoceronte e/ou outros mamíferos e quadrúpedes de grande porte).
O rinoceronte,
Aquele brutamonte,
Que metia
O nariz
Onde não lhe competia
Por um triz,
Quase ficou a ver
Navios
Sem o nasal
E dizer,
Com muita propriedade:
“Quase que dispenso
A necessidade
De atavios
E de usar lenço
Rendado
Ou de papel jornal”.
Coitado!
Constatação XII
Libertino é todo o cara que é flagrado...
Constatação XIII
A grande manchete,
Que deu no jornal
Argentino
– Facciosamente,
Diga-se de passagem –,
Foi que o goleiro,
“Um cretino,
Todo fiteiro,
Jogou de meia soquete,
De calcinha
De seda e de tergal,
Com florzinha
E babado,
Embaixo do calção,
Ao invés de sunga”.
Evidentemente,
Passou
A ser chamado,
Em linguagem
De baixo calão,
Pela torcida
Adversária,
Contrária,
Ensandecida,
Diuturnamente
Reprimida,
– Que eternamente
Xinga, apupa, resmunga –,
De gabola,
De cabotino,
Principalmente
Quando pegou,
Agarrou,
Defendeu com firmeza,
E com muita destreza
A bola
Num penal,
Aliás, muito mal
Chutado.
Coitado!*
* Não ficou devidamente esclarecido se o “coitado”, acima referido, destinou-se ao goleiro ou ao atacante que chutou mal o pênalti. Se alguém, que assistiu esse disputado jogo, tiver essa transcendental informação, por favor, repassar para Rumorejando, aos cuidados do blog. Obrigado!
Constatação XIV
Rico tem pantofobia (medo de tudo;  temor mórbido de um mal desconhecido; panfobia, panofobia. [Houaiss]); pobre, não tem mais o que temer.
Constatação XV (De conselhos úteis, mui respeitosos, diga-se de passagem, aos vice-campeões dos campeonatos regionais por este Brasil afora e alhures. De nada!).
Tem certo tipo de pessoa
Que se julga numa redoma
Principalmente
Quando o assunto
É futebol.
Mas a empáfia se escoa
E de toda àquela tororoma*
Fica restando tão somente
Um pessoal super bestunto**
Que só ganha em fazer farol.
* Corrente fluvial forte e ruidosa.
** Cabeça de curto alcance, ou estúpida.
Constatação XVI
E como lucubrava o septuagenário: “A necessidade de ser excitado para atingir determinados nobres objetivos é diretamente proporcional aos de idade avançada (rico é idoso; pobre é velho) e inversamente proporcional aos jovens. Estes se excitam até com o ar que respiram; com o vento, nem falar...”
Constatação XVII
E já que falamos em septuagenário, há a história daquele um, quase octogenário, que contava, pela centésima oitava vez para os circunstantes na Boca Maldita, em Curitiba: “Pois é, quando eu pedi ela em casamento, ela me disse que não e eu interpretei, como a vida me ensinou, como talvez; mais tarde, eu repeti o meu pedido e ela disse talvez e eu, naquela mesma linha de raciocínio, interpretei como sim. Mas, nada ocorreu. Bem mais tarde eu tornei a fazer meu pedido apaixonado e, finalmente, ela disse sim. No entanto, esse “sim” não levou a nada porque fiquei esperando indefinidamente sem que ela se decidisse de vez. Mais sorte teve o personagem do livro O Amor Nos Tempos Do Cólera, de autoria de Gabriel García Marquez, Florentino Ariza, que esperou 51 anos, nove meses e quatro dias para ficar com a mulher que amava, Fermina Daza”. Coitado!*
*Não sabemos se é “coitado” ou “coitados”, ou nenhum dos dois. Como as estações de televisão costumam fazer com os seus – deles – espectadores, aguardamos o pronunciamento dos nossos prezados leitores a respeito. Obrigado!
Constatação XVIII
Rico reside; pobre mora.
Constatação XIX
Rico compra automóveis; pobre, financia, na melhor das hipóteses, uma bicicleta.
Constatação XX
O noivo, excitado,
Teve um tremelique
E ficou
Meio desmaiado.
Aí, viu-se obrigado
A cheirar sais.
Não é que deu nele
Um chilique,
Daquele,
Bem na noite dos esponsais?!
Coitado!
Constatação XXI
E outro nubente
Teve um faniquito.
Não é que ele
Foi picado
Por um mosquito,
Bem naquele
Delicado
Lugar fremente,
Na hora antecedente
Do assim chamado
Bem-bom.
Que papelão!
Coitado!
Constatação XXII
Se o meu Paraná
Não mudar
Já, já
A sua maneira
‘Acanhadona’
De jogar
Parecendo
Como sendo
De brincadeira
Vai continuar
Na segundona.
(Acanhadona?)
Constatação XXIII
Não se pode confundir aparente com ‘a parente’, muito embora, foneticamente, fique soando igual e que algumas pessoas achem que sogra não é a parente como ela costuma reivindicar. Alguns genros e noras chegam até a considerar de modo aparente que ela efetivamente é. Principalmente quando ela é bem abonada... VIGE!
Constatação XXIV (De um pseudo-soneto).
           
          Desejo profundo.

Ela me chamou de velho rabugento
De gagá, de caduco, de caquético,
Só porque eu, nem por um momento,
Quis assistir o jogo do seu Atlético.

Assistir partida de qualquer time fraco
Não faço a mínima ou máxima questão.
Já basta o meu Paraná que é um saco
Que só perde e eu sofro até a exaustão.

“Um jogo contra o Coritiba, você torce para quem?
 – E você sabe que eles são um dos nossos rivais –
Para nós ou para eles, ou talvez para ninguém?”

“Não perco o meu tempo quanto a outros times.
Só quero que o meu caro Paraná não perca jamais.
Aí, volta meu apetite e, para emagrecer, os regimes.
Constatação XXV (De uma quadrinha dedicada às convictas).
Indubitavelmente,
Às vezes eu sinto
Que até chegar aos finalmente
É estar num labirinto.
Constatação XXVI (Deu na mídia).
Além da Mulher Mangaba também estão chegando por aí as seguintes: Mulher Saputá, Mulher Pupunha, Mulher Jambolão e Mulher Pau de Jacú. VIGE!

DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.
Dúvida I
É muito padecimento
Uma negativa quando
Se pede um aumento?
Dúvida II
É muito sofrimento
Uma outra negativa quando
Se tenta um adiantamento?
Dúvida III
E é muito tormento
Ver o meu Paraná,
De vitórias, lazeirento?
Dúvida IV
É muito deslumbramento
Achar que é possível se virar só
Na base de autofinanciamento?
Dúvida V
É ser muito cara de pau
Andar na base do vento a favor
Na temperatura de menos 1 grau?
Dúvida VI
É muito adorno
Flagrar o cônjuge e não
Ficar com dor-de-corno?
Dúvida VII
Ser assexuado
É sinal que o cara
Anda sempre desarmado?
Dúvida VIII
Em Pamplona, na corrida de touros,
Será que os chifrados consideraram
Que receberam, da vitória, os louros?
Dúvida IX
É falta de benevolência
Não dar um amasso nela
Quando ela está com carência?
Dúvida X
Será que o estrume
Tem o cheiro que tem
Por não ingestão de perfume?
Dúvida XI
Ser cordato
Em tudo que acontece
É estar bancando o pato?
Dúvida XII
Toda essa sangria
Nos cofres da nação
Deixa o país com anemia?
Dúvida XIII
A Seleção do Brasil,
Até o presente momento
A ninguém seduziu?
Dúvida XIV
O povão irá descer à terra
Se o Brasil na Copa
Pelo jeito se ferra?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: