quarta-feira, 26 de junho de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Durante uma rixa.
Disse a lagartixa
Pro lagartixo:
“Você nunca capricha,
O que você faz é lixo,
Você é um desajeitado
Um desmiolado”,
Um afobado
E um relaxado.
Quero te ver dissipado!
Suma-se do meu lado!”
Coitado!
Constatação II
Rico é maroto; pobre sem-vergonha.
Constatação III
“Não se prenda,
Loucamente,
A tua renda.
Grana
Tem que circular”,
Falou
O cunhado,
Metido a bacana,
Que solicitou
Emprestado,
Uma nota
Comprida,
Contando lorota,
O preclaro,
De maneira desabrida.
Para, evidentemente,
Nunca pagar,
Tão-somente.
Coitado!
De quem emprestou...
É claro!
Constatação IV
Rico quando é simpatizante do socialismo (existe?) é idealista; pobre, em condições semelhantes, é subversivo.
Constatação V (Passível de mal-entendido).
Ela já deu tudo o que tinha que dar.
Constatação VI
Rico é, subtilmente, adepto do erotismo; pobre, profundamente, da pornografia.
Constatação VII
E como disse aquele cidadão que colaborava com a Sociedade Protetora dos Animais, ao se inteirar que o publicitário Duda Mendonça havia sido preso, pela Polícia Federal que chegou e o flagrou com mais centenas de outras pessoas numa rinha de galo clandestina, em Jacarepaguá: “Agora me dou conta que o a única coisa boa que Jânio Quadros fez, quando foi presidente da República, nos sete meses que governou, foi proibir a briga de galo em todo o país. A humanidade é insolúvel. Efetiva e indubitavelmente não tem mais solução e, com toda a certeza, nunca terá. Pena...”
Constatação VIII
A propósito, o Sr. Duda Mendonça disse que briga de galo era o hobby dele. Data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando gostaria de entender como é que uma pessoa pode se divertir vendo o sofrimento de um animal, planta, pessoa ou seja lá o que for. Quem souber explicar, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
Não se pode confundir denotar com detonar, até porque as armas que, cotidianamente, virou uma praxe detonar, com a maior sem cerimônia, sem freios, à vontade, pelos assaltantes, tem muito governante que se nega a denotar... A recíproca, para essa escalada infindável da violência, não parece ser verdadeira, o que, é imprescindível que se diga, não consola quem quer que seja.
Constatação X
Ele perdeu a cor,
Pois reprovou
No vestibular
Do Amor:
Não conjugou
O verbo amar,
Gostar,
Adorar,
Idolatrar
No pretérito passado,
Nem no presente
Do indicativo
E do subjuntivo,
O que deu motivo,
Resultou,
Redundou
Em ser chutado,
Abandonado,
Vilipendiado
Pela namorada
Altamente versada
Nesses assuntos
Que se realizam juntos
E em outros mais,
Como a gramática,
A matemática
E não ficar
Absolutamente
Estática,
Ou apática,
Como ele nunca vira,
Não conferira,
Nem sentira
Jamais.
Coitado!
Constatação XI (De uma dúvida crucial. Quem souber a resposta, comentários no blog. Obrigado).
O resumo
Do resumo
Do resumo
É que estamos
Perdendo o rumo.
Até aí, nada de novo.
Mas nós, o tal de povo,
Como é que ficamos?
Constatação XII (De um “poeminha” rápido, quase a jato).
Ela fica tiririca
Quando o pessoal
Faz futrica
E, com todos, fica
Bem...de mal.
Constatação XIII
“Não me apoquente”,
Ela disse
Para o namorado.
“Tenha presente
Que você só diz
O que sempre quis
E eu escuto,
A cada minuto,
Só tolice,
Só besteira
Só burrice.
Parece até brincadeira.
A que se fazer
Dosagem
No seu palavreado.
E coragem
Pra quem escuta
Tua história
Com tanta bobagem,
Tão imbecilizada.
Que inglória
Luta!”
Coitada!
Coitado!
Constatação XIV
Não se pode confundir instigantes com intrigantes, muito embora exista fatos, pessoas e coisas que nos deixam intrigados por conseguirem ser, em alguns círculos, instigantes. A recíproca só é verdadeira, dependendo de quem as julga. Elementar, minha gente...
Constatação XV
Meteu
A colher
Torta,
Onde
Não
Devia,
A “blonde”,
A abelhuda.
Recebeu,
Do mosca-morta,
O que se fazia
Mister:
Um safanão,
Um empurrão
E uma admoestação:
“Calada,
Cabeçuda”.
Coitada!
Constatação XVI
Segundo uma reportagem publicada no jornal britânico Financial Times, “altos impostos e altas taxas de juros, burocracia excessiva, um Judiciário lento são os empecilhos para investimentos estrangeiros no Brasil”. Data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando acha que o jornal inglês trocou os adjetivos já que nossos impostos e as taxas de juros são lentos (para baixar), o Judiciário é alto (supremas instâncias superiores) e a burocracia é comedida (ao pedir, cada vez, um novo documento).
Constatação XVII
Rico tem questiúnculas; pobre, broncas.
Constatação XVIII
Quando a velhinha, que conhecia a Humanidade – muito mais do que técnico e comentarista se julgam entendidos em futebol – se inteirou na mídia, “Lula instala Conselho de Combate à Corrupção”, proferiu, sabiamente, do alto da sua longeva e provecta vetustez: “Esse Conselho aí tem que ser incorruptível e ter comportamento ilibado, caso contrário continuaremos todos, como sempre, fo, digo, ferrados”.
Constatação XIX
Sentiu-se acabrunhado,
Espeloteado,
Estouvado,
Chegou a perder
O rebolado,
Quando seu time,
O tal com “jogo sublime”,
Sempre cognominado
De imbatível,
Só acostumado
A vencer,
Caiu para a Terceirona,
Achando passível
Que se houvesse
Uma quarteirona,
Ou quintona,
Ele lá acabaria,
Pensou, tristemente,
Com uma carranca,
Com uma careta,
Tão feia como o capeta,
Até com um esgar,
Que repuxava seu maxilar,
Ainda que altivo
E metendo panca:
“Tal tipo de baixaria
Acontece...
Só para quem tá vivo,
Tão-somente”.
Coitado!
Constatação XX
Deu na mídia: “Entre 2002 e 2003, o número de brasileiros que viviam na miséria havia aumentado em 2,4 milhões. Passou de 45 milhões para 47,4 milhões no espaço de um ano. O estudo mostrou que a miséria cresceu nas regiões metropolitanas e caiu na zona rural”. A mídia, naquela época, também esqueceu mais uma vez, o que é imperdoável, de acrescentar: “Viva nóis”.
Constatação XXI
Este assim chamado escriba solicita, encarecidamente, para que alguém lhe explique qual a razão que, há tempos, existem vários guias telefônicos – todos incompletos, é bom que se ressalte –, destinados a informar Comércio, Indústria e Serviços e nenhuma lista de assinantes para Curitiba e Região Metropolitana. Quem se dispor a explicar, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XXII
Rico é badalado; pobre, baldeado.*
*Baldeado = “Passado de um lugar para outro”.
Constatação XXIII (De uma dúvida não necessariamente crucial).
É muito provável
Que algum notável,
De miolo estreito
Recém-eleito,
No último pleito,
Seja mais-que-perfeito,
Ou imperfeito
E de inimputável,*
Deplorável
Ou de ininvestigável
Conceito?
*Inimputável = “Não imputável; irresponsável”.
Constatação XXIV
Deu na mídia: “Homem é atacado ao tentar levar mensagem divina aos leões”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o cidadão deveria antes fazer uma pesquisa junto aos reis dos animais para saber se a religião que eles professam não se choca com a sua.
Constatação XXV
Não se pode confundir pascentar, que quer dizer apascentar, ou seja, “levar ao pasto ou pastagem” com sentar em paz, até porque quem se põe a pascentar, quase sempre se põe a tocar uma flauta, está numa boa, se sente em paz, está em consonância com o universo. Pelo menos nas histórias infantis. Já sentar em paz, nos dias atribulados de hoje, com tanta violência, más notícias, guerras, fome e outras desgraças pelo mundo afora já fica um poucochinho mais difícil. A recíproca para esses casos de rebanhos, comodidades e paz de espírito é um tanto quanto confuso aquilatar. Quem se dispor a nos dar uma mão, Rumorejando desde já agradece.
Constatação XXVI (De diálogos medicinais).
Quando o obcecado que almejava maneirar a sua – dele – obsessão que ele considerava muito exacerbada dirigiu-se a um médico psiquiatra e psicanalista seu colega e amigo desde a infância. Aí, deu-se o seguinte diálogo que transcrevemos a seguir:
Médico: “Você se considera um cara feliz?”
Obcecado: “Nem um pouco”.
Médico: “Mas eu sempre te vejo acompanhado de mulherões e mulheraças. Penso que pelo assédio delas, você deve se considerar um cara bem apessoado, pois não?
Obcecado: “Bonito, você quer dizer?”
Médico: “Digamos que sim. Na América Latina em geral e no Brasil, em particular se um homem disser que outro homem é bonito ele poderá estar comprometendo a sua virilidade”.
Obcecado: “É verdade, mas eu tenho conheço há muito tempo e não me preocupo com essas coisas. Cada um deve fazer o que bem entende, naturalmente desde que não prejudique quem quer que seja. Voltando a vaca fria, essa profusão de mulheres que efetivamente me assediam, o que me dispensa que eu as assedie, não me traz uma felicidade completa”.
Médico: “Por quê?”
Obcecado: “Porque as mulheres que se interessam por mim são de uma burrice tal digna de figurar no Livro Guiness de Recordes. E quando não, são mulheres que têm o platinado colado e, quando muito, as duas coisas”.
Médico: “Platinado colado? O que quer dizer isso?”
Obcecado: “São pessoas que já estiveram em casas de saúde mental. Como você deve saber, rico vai para casa de tratamento dos nervos; pobre, para o hospício. Pois é, tudo isso me faz pensar que só burras e loucas estão a fim da minha pessoa”.
Médico: “Ah, entendi. Bem, inicialmente, vamos tratar de te devolver a tua autoestima, teu amor próprio. Para começar, vamos programar umas dez sessões”.
Obcecado: “E quanto vai me sair este tratamento?”
Médico: “Eu costumo cobrar dos meus pacientes mil e quinhentos reais”.
Obcecado: “Das dez sessões?”
Médico: Não de cada uma. Mas não se apoquente. Para você que é meu velho amigo, eu faço a mil reais”.
Obcecado: “Vige!”
Rumorejando lamenta informar que não ficou sabendo se o obcecado concordou em fazer o tratamento. Tão logo tenhamos essa informação daremos a conhecer aos nossos prezados leitores, bem como a sequência do desfecho da sua – dele – pretensão. Obrigado pela compreensão.
Constatação XXVII (Gente fina é outra coisa).
Existe um slogan que diz: “Brasil mostra a tua cara”. Durante o movimento que tomou conta de todo o Brasil contra os desmandos dos políticos e governantes os prezados leitores notaram que todos eles, sem exceção, se escafederam, tratando de não se mostrar?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Sitewww.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 19 de junho de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Maquinou
Uma urdidura,
Um fustigo
Em dólar ou real
E descolou
Uma mordedura
Dum aval
No amigo
De infância
Que, desarmado,
Pouco precavido,
Descuidado,
Convencido
Da oratória,
Da história,
Aparentemente,
Sem importância,
Que escutou,
Embarcou,
Marchou
Ingenuamente.
Coitado!
Constatação II (De ironias do destino).
Trocou a mulher de 50 por duas de 25 de tanto escutar as pessoas, mesmo fazendo blague, recomendar. Como elas não eram irmãs teve que aguentar duas sogras. “Bem feito!”, exclamou, com muita propriedade, a de 50 que era órfã desde antes de conhecê-lo e que teve de suportar, todo o tempo, a progenitora dele.
Constatação III
Quando a mulher disse para o marido que ia votar num determinado candidato porque ele tinha dentes muito bonitos, o assim chamado cônjuge proferiu a seguinte frase, passível de mal-entendidos, como de fato veio a ocorrer: “Cavalos também têm dentes bonitos”.
Constatação IV
Depois que a mulher – nada a ver com a da constatação anterior – passou a dormir de calcinha, o maridão protestou, alegando que ela estava desrespeitando o Estatuto dos Direitos do Homem de ir e vir...
Constatação V
Deu na mídia: “O presidente da Câmara dos deputados cortará ponto de deputados faltantes”. Quem acreditar, ou não, por favor, comentários no blog, a fim de possibilitar a Rumorejando poder elaborar uma estatística a respeito. Obrigado pela espontânea colaboração que permitirá aquilatar o comportamento dos pais da pátria.
Constatação VI         
A dona da loja
Ao tirar a poeira
Dos móveis,
Da geladeira,
Na sobreloja,
E, também,
Dos automóveis
Tinha implicâncias
Com as reentrâncias
E impaciência
Com qualquer saliência
Com medo,
Com temor
Que dando, alguém,
Uma ‘chegadela’
Notasse
E classificasse
Seu local de venda,
Sua tenda
Considerada,
Por ela,
Um primor,
De ter olor
De azedo,
De ser imunda
E ela ser taxada
De vagabunda,
De desleixada.
Coitada!
Constatação VII (De conselhos úteis. De nada!)
Nunca diga
Nem deixe de enaltecer
Muito menos desdiga
Quanto à beleza
Da tua gata.
Caso contrário,
Ela não mais
Te liga.
Aí, a tristeza
Desata,
Porque arrisca
Ela te dizer
Que você não é
Boa bisca,
E você perder
O pé
E o itinerário
Como jamais.
Constatação VIII
Rico afaga; pobre, bolina.
Constatação IX
Rico tem ansiedade; pobre, angústia.
Constatação X (Ah, esse nosso vernáculo).
A patota, de bata batida, bastante batuta, comeu batota* com batata na batota.**
* Batota = “Certo peixe marítimo”.
** Batota = “Casa de jogo”.
Constatação XI (De uma dúvida não necessariamente crucial).
Foi a matriarca,
Com todo aquele ar
De megera,
De fera,
De trovão
Em tempestade,
De quem somente
Vocifera
Que caiu,
Mesmo inexperiente,
Na fuzarca,
Na gandaia
Em tudo que salão
E se expandiu
Como jamais,
Até tirando a saia
E não teve vontade
De parar
Nunca mais ?
Constatação XII
Deu certa vez na mídia: “Ao ver o enteado com traumatismo craniano ser rejeitado por falta de vagas no Hospital do Corpo de Bombeiros, na zona norte do Rio, Rosimere dos Santos Franches, de 40 anos, não pensou duas vezes. Pegou o celular, ligou para o hospital, se fazendo passar pela governadora Rosinha Matheus (PMDB), e conseguiu a internação”. Como a senhora Rosimere teve problemas com a polícia por tal razão, Rumorejando presta sua homenagem a ela, primeira pessoa que usou a Lei de Gerson, àquela de tirar proveito, para uma causa nobre, talvez, até para salvar uma vida.
Constatação XIII
Naquele dia,
Que antecedeu
A primavera,
E de um calor
De verão,
A profusão
De beijos,
Abraços
E de carinhoso,
Amoroso
Afago,
Trocados
Com a doce Maria,
À beira do lago,
Deixou os dois
Abrasados,
Cheios de desejos,
De ardor
De muita ânsia,
E muita espera,
Pois não sucedeu,
Não ocorreu,
Não aconteceu
A culminância
Depois.
Coitados!
Constatação XIV (De uma dúvida crucial).
Quando um candidato derrotado afirma: “Perdi porque me faltou apoio”, ele está se referindo ao seu – dele – partido; apoio financeiro de alguma fonte escusa, ou não; apoio da família, principalmente da mulher e dos parentes e dos aparentes amigos; ou, ainda ele está se referindo ao apoio dos eleitores? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XV
O meu estigma
Foi quando a convidei
Para irmos a um motel
Aí, solenemente,
Marchei,
Pois ela falou,
Ou melhor, gritou
De modo cruel,
Palavras que
Soaram como um enigma
“Vá te catar
Vá a pê que pê!”
E assim,
Incontinente,
Eu fiquei
Aturdido,
Sentido,
Amuado,
Desacorçoado,
Sem entender,
Sem falar,
Sem saber
O que dizer,
Tão-somente.
Coitado...
De mim!
Constatação XVI
O deputado,
Tão ocupado,
Quanto o vereador
Que preconiza
Para nós,
Simples mortais,
Ou qualquer eleitor
Uma brisa.
E mais:
A gente deve ficar
Na berlinda
A respirar
Poeira,
Sujeira
De lama,
De pós.
E ainda
Acha demais
Quando alguém
Não diz amém
E, ainda,
Reclama.
Constatação XVII
E como se lamentava aquele septuagenário, nada a ver com outros septuagenários que já figuraram em Rumorejando: “Dei uma pifada esses dias que, se houvesse Guiness Book de Mau Desempenho, eu não tenho alguma dúvida que eu mereceria lá figurar com destaque”. Coitado! Coitada!
Constatação XVIII
A saliente
Maria
Ficou
Desfigurada
Quando olhou
A fotografia
Que captou
Suas olheiras
De segundas-feiras
De noites dominicais
Mal dormidas
E outros que tais
Proveniente
Das saídas
Escondidas
Do João,
O maridão,
Eternamente
Guampeado
Tão-somente.
Coitado!
Coitada!
Constatação XIX
E como filosofava aquele septuagenário que também não tem nada a ver com outros septuagenários anteriormente citados na coluna: “Quem toma catuaba, chá de guindaste, come ovo de codorna, etc. antes de chegar em casa, sem que a mulher fique sabendo, está parodiando o escritor que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, Gabriel Gárcia Marquez, ao pretender escrever uma nova página imemorável de sua vida com sua mulher, intitulada ‘Crônica de um bom evento não anunciado’. Não é o meu caso, hein gente boa”.
Constatação XX
Ele ficou muito sentido:
O cabelereiro fez um corte
Que parecia um terreno carpido
De este a oeste e de sul a norte.
Constatação XXI
Depressa,
Caro leitor,
Saia dessa
Por favor:
Você ficaria
Muito indeciso
Se deveria
Ir para o inferno,
Semi-interno,
Com boa companhia
Aliás, companhia duma boa
Daquelas de perder o juízo,
Ou para o paraíso
Onde há uma baita apatia
E se fica à-toa?
Constatação XXII
Rico é aerófago; pobre, arrotador.
Constatação XXIII (De uma dúvida crucial).
Será que quando os irmãos Lumière inventaram o cinema eles sabiam que também eles estavam inventando o se agarra no escurinho do dito cujo?
Constatação XXIV
E como se queixava para a sua sogra – que fazia ouvidos moucos – a cidadã, falando do seu maridão: “O seu filhinho, como a senhora o chama, voltou a fase infantil do ’não’. Não quer nada com o trabalho; não procura emprego; não quer ajudar nas tarefas da casa. Ele, inclusive, não é adepto da Lei do Menor Esforço. Ele é adepto da Lei do Nenhum Esforço”.
Constatação XXV
Deu na mídia, mais precisamente no jornal Gazeta do Povo do dia 15 de junho próximo passado: “A Polícia Federal investiga o envolvimento de desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná, juízes de primeira instância e servidores do Judiciário com uma máfia que manipula a administração de processos de falências em todo o Estado”. VIGE!
Constatação XXVI (De um pseudo-soneto).

 Infindáveis agruras.

 Ele se pôs a cantar
Uma canção de ninar
Depois de se esfalfar
Pra ela de novo acordar.

 É que antes da ida ao motel
Ela já fez um feio papel
Ao adormecer no coquetel
Por exagerar no moscatel.

 A anfitriã olhou-a com desdém
E sobrou pra mim também
Por me achar um joão-ninguém.

 Onde já se viu tal comportamento
E não acordar nem por um momento
Na ação sublime com não-alinhamento*?

 *Não-alinhamento = substantivo masculino
1. Neutralidade ante determinada orientação política de um país ou bloco de países; não-engajamento;
2. Derivação: por analogia.
Prática, seguida por pessoa, grupo, partido, instituição etc., de não se atrelar a orientações políticas dominantes (Houaiss).
Constatação XXVII
Rica saracoteia; pobre, rebola.
Constatação XXVIII
Rico labuta; pobre, vagabundeia.
Constatação XXIX
Rico é conciso; pobre, é prolixo.
DÚVIDAS CRUCIAIS VIA PSEUDO-HAICAIS.
Dúvida I
É pífia premonição
Afirmar que o meu Paraná
Não será o campeão*?
*Rumorejando, mais uma vez, se vê obrigado a deixar seus inúmeros leitores curiosos e em suspense para saber campeão do quê, como e quando, motivo pelo qual pede sinceras escusas.
Dúvida II
De tanto meter o nariz
Ela ficou sabendo
Aquilo que nunca quis?
Dúvida III
A água-que-passarinho-não-bebe
Deve ser cobrada adiantada se não
O dono do boteco não recebe?
Dúvida IV (Passível de mal-entendido).
Com a sua varinha
Ele quis fazer rabdoscopia*
No cocuruto** da vizinha ?
*Rabdoscopia = “Rabdomancia = Adivinhação por meio de varinha mágica” (Aurelião).
**Cocuruto = “Bras., RS. Os altos de uma coxilha” (Aurelião).
Dúvida V
Será que eu convenço
Quem funga o nariz
De usar um lenço?
Dúvida VI
Seu quase invisível traje
Para os(as) moralistas
Era um ultraje?
Dúvida VII
Para país, é algum desdouro
Que só esporte de rico
É que ganha medalha de ouro?
Dúvida VIII
É meter muita bossa
Perdoar dívidas africanas
Pra ver se perdoam a nossa?
Dúvida IX
O voto, por ser obrigatório,
Não te dá a impressão que
Você tá indo prum velório?
Dúvida X
Tá certo, tá certo, o voto
É um ato democrático.
Mas, e depois? Vira ignoto?
Dúvida XI
Será que existe algum escândalo
De governo que não cheire mal
E até tenha cheiro de sândalo?
Dúvida XII
Indubitavelmente
Meu Paraná não tem
Ido para frente?
Dúvida XIII
A indecência
Está virando
Jurisprudência?
Dúvida XIV
A execrável vilania,
Para certos políticos,
É prova de cidadania ?
Dúvida XV
A morgota
É a soma da laranja
Com a bergamota?
Dúvida XVI
A repressão policial
Atua de modo geral
Contra o bem e o mal?
Dúvida XVII
Se a inflação continuar nesse diapasão
Por culparem principalmente os tomates
Será melhor a gente comer banana com pão?
Dúvida XVIII
Se na Copa das Confederações
A nossa seleção ficar pelo caminho
Haverá um peripaque em nossos corações?
Dúvida XIX
E mesmo que a seleção suba ao pódio,
Ficando em segundo ou terceiro lugar
Ela suscitará meia tonelada de ódio?
Dúvida XX
Foi a recente Lei Seca
Que deixou o sujeito
Com uma baita enxaqueca?

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 12 de junho de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Rico usa de franqueza; pobre é metido.
Constatação II (De uma dúvida crucial).
Será que o lugar-comum é comum em todo lugar?
Constatação III (Odontológica).
Rico faz tratamento de canal; pobre, mata o nervo.
Constatação IV
Rico se comporta como bem entende; pobre, é inconveniente.
Constatação V
Deu na mídia, mais precisamente no http://br.msn.com/?ocid=iehp ``Psicólogo alerta e diz que amante pode tornar casamento mais forte``. VIGE!
Constatação VI
Deu na mídia: Mais da metade dos prontos-socorros de SP tem pacientes nos corredores, diz Cremesp. Presidente do conselho, que fiscalizou 71 hospitais públicos do Estado, responsabiliza as secretarias e o ministério 'pela falta de financiamento adequado'.
Constatação VII
E como destilava o seu fel aquele colunista social: “Ela circulava pelo salão de festas disseminando sua contumaz antipatia para todos os lados e em todas as direções”.
Constatação VIII
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas este assim chamado escriba julga que todo psicanalista deveria fazer curso de “Políticas e estratégias organizacionais”, “Organização e Métodos”, “Estratégias gerenciais para implantação de mudança organizacional” e assuntos desse jaez, a fim de poder melhor nos ajudar a administrar nossos azucrináveis fantasmas...
Constatação IX
Sugestão respeitosa aos diretores do Teatro Guaíra: Peça de teatro no Guairão somente se der para instalar, com premência e urgência, microfones, sem fio, nos atores para que amplifique o som. Esse assim chamado escriba, como muitos, já desistiu de assistir peças teatrais no Guairão, em face da péssima acústica, porque se nega a comprar entradas de cambistas para poder sentar nos bons lugares e, assim, ouvir o que os atores e atrizes estão dizendo.
Constatação X (De diálogos esclarecedores).
Perguntou o recém-aposentado para o aposentado veterano:
“E como é que você ocupa o teu dia? O que você faz o dia inteiro?”
“De manhã eu tomo uns dois litros de água no meu chimarrão”.
“E à tarde?”
“À tarde, eu destomo”.
Constatação XI
Indubitavelmente,
Era um governante
Que administrava
Com convicções.
Mas, lamentavelmente,
Um ser não pensante,
Que não providenciava,
Aos problemas quaisquer
Gama de soluções
Que se faziam mister.
Constatação XII
Não se pode confundir tradição com tradução, mesmo levando em conta que já virou uma tradição a tradução de “par hasard”, do francês, por “por azar” quando o correto é “por acaso”. Essa demonstração de conhecimentos do idioma francês, de Rumorejando, não foi feita “par hasard”. Foi feita – modestamente, é bom que se ressalte – para mostrar pequeníssima erudição, obtida no Colégio Estadual do Paraná, nas décadas de quarenta e cinquenta, de tanto que os professores bateram nessa tecla. Como os meus prezados leitores puderam constatar, bater na tecla, desde que não seja pelas promessas dos políticos, pode até dar bons resultados... Agora, só falta a este assim chamado escriba aprender as demais palavras e expressões do idioma francês. Afinal, os eventos relatados aconteceram a mais de meio século atrás...
Constatação XIII (Nem dá para estar, mesmo!).
E como dizem não poucos milhões de brasileiros, eternamente frustrados e decepcionados, ou decepcionado e frustrados: “As eleições tão aí e eu não estou nem aí”. Coitados!
Constatação XIV (De diálogos esclarecedores).
“Você trabalha aonde?”
“Trabalho no Tribunal de Contas”.
“Ah! Por acaso, você conhece o meu sobrinho. O João Demóstenes da Silva Santos Almeida?”
“Conheço, sim. Eu trabalho ao lado da sala dele”.
 “E o que é que ele faz lá?”
“Ele, ele... Bem... Ele, quer dizer, ele não trabalha, não faz nada ao lado da minha”.
“Ah, bom, quer dizer, ah, ruim. Quer dizer”...
Constatação XV (De cães e, na outra constatação de nefastas globalizações).
Este assim chamado escriba convive, dentre outros membros da família, também com três cachorros. Todos vira-latas assumidos. Quando chego da rua, ou adentro o quarto ou sala onde eles estão – é bom que se diga – comodamente instalados, sou recebido com eloquentes abanos de rabo (cachorro de rico tem cauda; de pobre, rabo). Indubitavelmente, uma das recíprocas alegrias da nossa vida... Indeed!
Constatação XVI
Peço desculpas aos meus prezados leitores de usar a expressão “de fato”, “realmente”, na constatação anterior, em inglês, coisa que nesse tempo da coluna Rumorejando, tanto nos jornais O Estado do Paraná e na Tribuna do Paraná bem como no blog e como brasileiro que cultua o nosso riquíssimo vernáculo, nunca fiz, nunca pretendi e nunca pretendo fazer. Acontece que, com essa catastrófica entrega da Amazônia para os americanos do norte e o que estão fazendo com a Petrobrás, é de bom alvitre a gente ir se acostumando... E, não devemos, por isso, por esse procedimento impatriótico de esquecer de cantar o “epinício” desses abomináveis e execráveis eventos. Em tempo: viva “nóis”!
Constatação XVII
E já que falamos no assunto e com essa falta de oferta de empregos, a gente acha que, em certos países, deveria ser aberto um curso de especialização e/ou pós-graduação em entreguismo. As aulas deveriam ser ministradas por certos políticos de governos anteriores, ainda vivos, e atuais. As apostilas sobre tão novel assunto ainda são válidas as que vigoraram todos esses tempos desde o ano de 1.500...
Constatação XVIII
Ele
Foi saindo
De modo
Dissimulado
E foi apanhado
No delito.
“Te incomodo?”,
Perguntou,
Questionou,
Interpelou,
Fingindo
Calma,
Antes do pito,
A mulher.
Na opinião,
Dele
Sem alma
E sem coração.
“Não”,
Ele contestou,
Com um esgar.
“Só ia comprar
Cigarro
Ali na esquina”.
Ele se olvidou,
Não mais lembrava,
Tão nervoso ficou,
Que não fumava
Ela tirou
Um sarro:
“Você é um desmiolado
E eu não sou
Sovina.
Vá jogar
O seu truquinho
Lá no bar.
Mas não demore
Se você não quer
Que eu chore
Sem o teu carinho.                         
O aparentemente,
Coitado,
Na verdade,
Foi buscar
Uma menina
Para juntos
Tratar
De vários assuntos
Eternamente
De atualidade.
Tão somente.
Constatação XIX
Deu na devida época na mídia: “Kerry tem mais sangue azul que Bush, diz estudioso”. Taí uma notícia que foi na época e que dura até hoje de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação XX (Ah, esse nosso vernáculo).
A mando do seu sensível coração, ela está amando o Armando àquele que vivia armando arapuca para conquistar a sua – dela – atenção.
Constatação XXI
Deu na mídia: “Justiça mandou a União tapar buracos numa determinada rodovia.
Caso o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, não cumpra a sentença, a Justiça Federal pode até determinar a prisão dos diretores do órgão”. Daí surgiu uma dúvida crucial de um gaiato: “Será que alguém da Justiça Federal andou passando pelo trecho e teve problemas com o seu carro por causa da buraqueira?” Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog para que seja dada a informação para o tal de “Gaiato” que, desde já, por nosso intermédio, agradece pela atenção.
Constatação XXII
Rico é introspectivo; pobre é apagado.
Constatação XXIII
E como se queixava o septuagenário, quase octogenário: “O remédio para baixar a pressão, baixa tudo menos a pressão. Baixa, essencialmente, o tudo”.
Constatação XXIV (Passível de mal-entendido).
Deu na mídia: “Um corneado na festa de San Fermin, em Pamplona, Espanha”.
Constatação XXV
Ele ficou
Relutante
Diante
Da cantada
Vibrante
Da namorada.
Afinal,
Esse fato,
Com tal
Espalhafato,
Nunca, anteriormente,
Lhe havia sucedido.
“Não é normal”,
Ele pensou,
Meio perdido,
Meio sem ar,
Atabalhoado,
Sem atinar
Que virou
Uma coisa banal,
Simplesmente.
Tão despreparado!
Tão atrasado!
Tão desinformado!
Tão alienado!
Coitado!
Constatação XXVI
Calma pessoal!
O que é que há?
O meu Paraná
Algum dia vai ganhar.
Quando voltar
A jogar
De modo normal.
Elementar!
Banal!
Constatação XXVII
Deu certa vez na mídia: “A russa Olga Kuzenkova estabeleceu o recorde olímpico do arremesso do martelo”. O prezado leitor já imaginou alguém levando uma porrada dela?
Constatação XXVIII
Rico pedala; pobre, patina.
Constatação XXIX (De uma dúvida crucial, via pseudo-haicai).
Destoa
Quando é o pobre
Que ri à-toa?
Constatação XXX
Rico, indefectivelmente, impõe; pobre, ingenuamente, supõe.
Constatação XXXI (De diálogos quase repetitivos).
-“A tua sogra se incomoda com você, quando ela aparece na casa de vocês ?”
-“Não. Ela só incomoda”.
Constatação XXXII
O papudo
Contou,
Na roda
Em que estava,
Que pescou
A unha
Um cascudo
Que mergulhava,
Antes se balançando
Depois se atirando
Dum pé de pupunha.
Aí, alguém
Exclamou:
“Eu também.
E até já virou moda”.
Constatação XXXIII
Ficou com a pulga atrás da orelha ao ver uma pulga atrás da orelha de seu namorado. Coitado!
Constatação XXXIV (Elementar, minha gente).
Um grande mistério
Havia
No meu Paraná
Porque num jogador
O seu ptério*,
Ao invés dum agá,
Tinha a forma de flor,
O que fazia
Ele errar cabeçada
Que mais parecia
Uma marrada.
*Ptério = “Anat. Região da abóboda craniana, geralmente com a forma de H, e na qual os ossos frontal, parietal e temporal se articulam com a asa correspondente do esfenoide” (Aurelião).
Constatação XXXV
Todo beijinho,
Dado com carinho
Ou mesmo
De cinema,
Ou, ainda,
Voluptuoso,
Mas com docilidade
É assaz gostoso.
Evidentemente
Desde que o dito
Não seja a esmo,
Não cause eczema,
Nem brotoeja
Nem que dure,
Que perdure
Até o infinito,
Ou uma eternidade
Infinitamente
Infinda.
Constatação XXXVI (abusando, só um pouquinho, do “e/ou”).
Neste mundo moderno e/ou ultramoderno em que vivemos e/ou sobrevivemos, os divórcios e/ou separações não são mais por incompatibilidade e/ou divergência de gênios. Eles evoluíram e/ou evoluíram para incompatibilidade de neurose e/ou neurastenia.
Constatação XXXVII
Ele foi destituído
Daquela condição
Que julgava
Impossível
Ser insubstituível:
A de “maridão”.
Mas estava
Totalmente
Enganado
Tão somente.
A mulher,
Querendo reduzir
A despesa,
Achou mister
Que ele fosse
Seguir
Outro rumo:
Plantar
Batata-inglesa,
Batata-doce,
Ou outro insumo,
Para industrializar,
Vender no varejão,
Ou no atacado,
Lá, no cerrado,
No Afeganistão,
Ou em qualquer
Outro lugar.
Coitado!

Site: www.rimasprimas.com.br