quarta-feira, 5 de junho de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia: “Um padre e uma freira católicos foram condenados por um tribunal do Maláui, África, por fazer sexo em público”. A mídia não informou se, no final, eles foram ovacionados ou vaiados pelo desempenho dos assistentes. Quem, por ventura, tiver essa informação, que é de transcendental importância para o futuro da Humanidade, por favor, entre em contato com o blog para que possamos informar aos nossos inúmeros curiosos leitores. Obrigado.
Constatação II
Eu queria agradecer a gente da Noruega que consulta o meu blog sistematicamente, cujo número, às vezes, chega a superar os meus leitores do Brasil, a quem também agradeço.
Constatação III (De um pseudo-soneto).
Outra dúvida crucial
Ele não disse uma pachouchada, um palavrão,
Quando deu uma forte martelada no dedo
Ela achou o fato tão esquisito, tal reação,
Que estupefata até sentiu um pouco de medo.
Será que ele não está se sentindo cem por cento?
Ou será que ele está com doença irremediável?
Em casos semelhantes ele sempre foi um portento
Sem alguma dúvida, sem eu querer ser contestável.
Deve ser por ter começado a ser conformista
Uma vez que não reagiu com outro inegável fato
Ele, antes, nunca se mostrou cordato, ou altruísta.
Talvez seja por se sentir como velho estrambótico.
Talvez por ser obrigado a agir como algum beato
Que fez voto de castidade, nada, nada patriótico.
Constatação IV
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Interior do Maracanã ainda exibe problemas técnicos. Que ainda há muita coisa por fazer no entorno do Maracanã não é novidade. Mas do lado de dentro do estádio nem tudo está concluído. Na tarde deste sábado, durante o treino de reconhecimento do gramado feito pela seleção brasileira para o jogo de domingo contra a Inglaterra, foi possível perceber que ainda falta o acabamento de muita coisa”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando não fica surpreendido com essas notícias, como tampouco com o fato de que o valor estipulado inicialmente foi corrigido no decorrer do tempo, chegando, em certos casos, as raias de atingir o dobro e assim por diante. É comum que tais fraudes aconteçam em nosso sofrido país... Não quer dizer que a gente aprove esses fatos esdrúxulos. VIGE!
Constatação V
Quando tomaram
Conhecimento
Que o rico tio
Dos Estados Unidos,
Eternamente
Pálido e doentio,
Sempre passando mal,
Porém longevo
Havia deixado,
No seu testamento
Uma boa herança
– Eterna esperança –
Compungidos,
Aparentemente,
Com enlevo,
Tão distanciados,
E com ares sofridos,
Não só teceram loas
Ao parente
Como mandaram,
Incontinente,
Duas meias coroas
Ao funeral.
No entanto,
Que desencanto!
Foi um baita trote
Do titio baixote
Que se fez fotografar
Num funéreo caixote
Cor do preto âmbar.
Coitados! (?)

Constatação VI
O drama da constatação anterior teve um final feliz. O tio resolveu repartir a herança em vida e todos, juntos, cantaram o epinício* do dever cumprido dando-se as mãos. “Que lindo!”, disse uma senhora de idade provecta ao assistir a cena, embora não sabendo a razão da alegre cantoria. Quem quiser esclarecer os fatos para a gentil velhinha poderá explicar via o nosso blog que fará chegar, com toda boa vontade, ao conhecimento da vetusta senhora.
*Epinício = “Cântico ou poema em que é celebrada uma vitória; Hino triunfal” (Aurelião).
Constatação VII
Não se pode confundir catecúmeno, que o Aurelião define com “Aquele que se prepara e instrui para receber o batismo”, com energúmeno, que o dicionário retro mencionado define como “endemoninhado; fanático; possesso”, muito embora haja catecúmenos que, mesmo com o batismo continuam energúmenos, principalmente por causa de mulher, futebol, política, herança, riqueza, etc. A recíproca para esses diabólicos/sacramentais casos não é necessariamente verdadeira. Depende do móvel da questão em foco. Elementar, minha gente!
Constatação VIII (De uma dúvida crucial).
Será que o escopo, o desiderato, o objetivo do meu Paraná é disputar eternamente a Segundona, onde, inclusive, ele já foi uma vez campeão? O dirigente, do time, ou outro simples mortal, como este pobre torcedor, que souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
Não se pode confundir “marquetista”, que é a sugestão de Rumorejando para os filólogos como um marqueteiro artista (aquele que consegue eleger até rinoceronte, como já aconteceu em São Paulo, ainda que, na época, não havia sido criada essa figura do assim chamado marketing político) com maquetista, quem faz maquetes, muito embora tenha muito político que se elege e depois, pela sua inoperância, inatividade, omissão, paralisação, parece uma maquete digna de figurar num museu de pessoas vivas. Coitado! Do povão, é claro, quer dizer de nós todos.
Constatação X
Deu certa vez na mídia: “O prefeito de Hiroshima, Tadatoshi Akiba, marcou o aniversário do primeiro ataque com bomba atômica do mundo criticando a administração do presidente americano George W. Bush por sua visão ‘egocêntrica’ do mundo. Tadatoshi Akiba disse que Washington deu as costas para as outras nações”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o presidente da maior potência do Planeta, à época, não deu as costas para as outras nações. Ele, como os demais presidentes americanos, sempre puseram as outras nações de costas...
Constatação XI
E como dizia aquele filólogo do alto do seu preclaro saber e de sua vasta experiência: “Vou sugerir para a Academia a adoção da palavra ‘dezistência’, cujo significado seria uma desistência, após dez tentativas”.
Constatação XII (De uma dúvida crucial do filólogo anteriormente citado).
“Depravado é o jornal russo Pravda (Verdade), colocando na primeira página, ou em outras, fotos obscenas?”
Constatação XIII (Lei inercial de certos políticos).
As manifestações de certos políticos sobre determinado assunto são diretamente proporcionais aos seus – deles – interesses momentâneos e inversamente proporcionais aos seus interesses futuro e/ou o presente do sofrido povo.
Constatação XIV
E já que falamos em político, depois que o mensalão teve o veredito final dos desembargadores e que os que foram condenados querem que a sentença seja passível de apelação e, claro, revisão, seria, se tal indecência e incongruência forem acatadas que todos os nomes dos envolvidos, de ora em diante, não sejam explicitados e se utilize para todos os envolvidos o cognome de Incógnito da Silva... VIGE!
Constatação XV
Data vênia, como diriam nossos juristas, porém Rumorejando acha que não é o Fantástico, da Rede Globo, que engloba (perdão, leitores) o quadro, que traz alegria para milhões de telespectadores, com certos atores e atrizes. São certos atores e atrizes que o fazem, tantas vezes, o tedioso Fantástico, como, numa certa época, era o caso da atriz Denise Fraga.
Constatação XVI
A mulher e o marido, depois de muitos anos de casados, com o advento da menopausa e da andropausa – respectivamente, é bom que fique bem claro – ficaram estranhos um ao outro. O grau de estranheza era tal que, nos raríssimos bem-bons, ambos se sentiam como se estivessem prevaricando. Não de modo prazeroso, como consta nesses meio atléticos* casos.
*Atlético, porque, em tais eventos se estaria como transpondo cercas...
Constatação XVII
De coisas que este assim chamado escriba julga que não se deve fazer:
-Contar aos amigos e conhecidos as gracinhas dos filho e netos.
-Convidar conhecidos e amigos para verem os slides, fotos, filmes, etc. da viagem que você fez com a santa da tua mulher para comemorar as bodas de prata, ouro e de qualquer outro metal raro;
-Contar filmes, livros, peça de teatro;
-Contar tuas doenças, operações, internamento hospitalar, etc.
-Contar tuas aventuras amorosas para os amigos, mormente com mulheres casadas com o risco de que, pelo princípio da isonomia, eles queiram se meter com a tua;
-Olhar a vizinha trocando de roupa, com binóculo ou não, em frente da janela de algum apartamento defronte ou não, com a mulher estando em casa;
-Discutir com o vizinho da mesa ao lado, no restaurante que fica falando em altos brados no celular, porque com imbecil não adianta argumentar.
-Dormir na reunião com a alta chefia;
-Não despregar os olhos da televisão, mesmo que seja uma possibilidade do gol de empate do teu time, enquanto a tua mulher quiser te mostrar o novo chapéu que comprou na liquidação do shopping.
-Não olhar para decote alheio quando tua mulher estiver perto, principalmente se ela também estiver com decote para, apenas, não mais que apenas, te provocar;
-Não assoar, jamais, ruidosamente ou não o nariz, com o guardanapo, durante o jantar com os pais do(a) pretendente;
-Não levar a sério os slogans dos supermercados em Curitiba que apregoam sua nacionalidade paranaense e/ou brasileira e tocam o dia inteiro música estrangeira, mormente música americana. Dos supermercados estrangeiros, nem falar.
-Chegar em casa transcendendo a perfume fino ou vagabundo, enfim, de qualquer espécie.
-Beijar a noiva, no dia do casamento na sua – dela – boca, mormente se tiver o noivo por perto;
-Blefar, convidando a sogra para passar uns dias em nossa casa que ela, se for entendida em jogo de truco, é capaz de levantar para seis, isto é, lamentavelmente, aceitar;
-Acreditar nas promessas dos políticos;
-Deixar de conferir extrato de conta corrente bancário, do cartão de crédito, da conta de luz, telefone e água, do Plano de Saúde, da escola dos filhos, do clube, da conta do restaurante, mesmo que te achem mesquinho (mais vale ser considerado mesquinho, sovina, avaro, pão-duro, mão-de-vaca do que ser passado para trás), escandalizando a gata que está na tua agradabilíssima companhia, pegue mal, etc.
-Tratar mal pessoas, animais, plantas, a natureza, enfim.
-Não torcer para o Paraná, Corinthians, Botafogo, Internacional de Porto Alegre e Atlético Mineiro, Combate, da várzea;
-Mascar chicletes, em público, ou mesmo fechado no banheiro em frente ao espelho fazendo bola para estourar.
-Palitar os dentes, mesmo para mostrar que comeu em restaurante caro;
-Subir escada atrás de uma mulher.

Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: