quarta-feira, 12 de junho de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Rico usa de franqueza; pobre é metido.
Constatação II (De uma dúvida crucial).
Será que o lugar-comum é comum em todo lugar?
Constatação III (Odontológica).
Rico faz tratamento de canal; pobre, mata o nervo.
Constatação IV
Rico se comporta como bem entende; pobre, é inconveniente.
Constatação V
Deu na mídia, mais precisamente no http://br.msn.com/?ocid=iehp ``Psicólogo alerta e diz que amante pode tornar casamento mais forte``. VIGE!
Constatação VI
Deu na mídia: Mais da metade dos prontos-socorros de SP tem pacientes nos corredores, diz Cremesp. Presidente do conselho, que fiscalizou 71 hospitais públicos do Estado, responsabiliza as secretarias e o ministério 'pela falta de financiamento adequado'.
Constatação VII
E como destilava o seu fel aquele colunista social: “Ela circulava pelo salão de festas disseminando sua contumaz antipatia para todos os lados e em todas as direções”.
Constatação VIII
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas este assim chamado escriba julga que todo psicanalista deveria fazer curso de “Políticas e estratégias organizacionais”, “Organização e Métodos”, “Estratégias gerenciais para implantação de mudança organizacional” e assuntos desse jaez, a fim de poder melhor nos ajudar a administrar nossos azucrináveis fantasmas...
Constatação IX
Sugestão respeitosa aos diretores do Teatro Guaíra: Peça de teatro no Guairão somente se der para instalar, com premência e urgência, microfones, sem fio, nos atores para que amplifique o som. Esse assim chamado escriba, como muitos, já desistiu de assistir peças teatrais no Guairão, em face da péssima acústica, porque se nega a comprar entradas de cambistas para poder sentar nos bons lugares e, assim, ouvir o que os atores e atrizes estão dizendo.
Constatação X (De diálogos esclarecedores).
Perguntou o recém-aposentado para o aposentado veterano:
“E como é que você ocupa o teu dia? O que você faz o dia inteiro?”
“De manhã eu tomo uns dois litros de água no meu chimarrão”.
“E à tarde?”
“À tarde, eu destomo”.
Constatação XI
Indubitavelmente,
Era um governante
Que administrava
Com convicções.
Mas, lamentavelmente,
Um ser não pensante,
Que não providenciava,
Aos problemas quaisquer
Gama de soluções
Que se faziam mister.
Constatação XII
Não se pode confundir tradição com tradução, mesmo levando em conta que já virou uma tradição a tradução de “par hasard”, do francês, por “por azar” quando o correto é “por acaso”. Essa demonstração de conhecimentos do idioma francês, de Rumorejando, não foi feita “par hasard”. Foi feita – modestamente, é bom que se ressalte – para mostrar pequeníssima erudição, obtida no Colégio Estadual do Paraná, nas décadas de quarenta e cinquenta, de tanto que os professores bateram nessa tecla. Como os meus prezados leitores puderam constatar, bater na tecla, desde que não seja pelas promessas dos políticos, pode até dar bons resultados... Agora, só falta a este assim chamado escriba aprender as demais palavras e expressões do idioma francês. Afinal, os eventos relatados aconteceram a mais de meio século atrás...
Constatação XIII (Nem dá para estar, mesmo!).
E como dizem não poucos milhões de brasileiros, eternamente frustrados e decepcionados, ou decepcionado e frustrados: “As eleições tão aí e eu não estou nem aí”. Coitados!
Constatação XIV (De diálogos esclarecedores).
“Você trabalha aonde?”
“Trabalho no Tribunal de Contas”.
“Ah! Por acaso, você conhece o meu sobrinho. O João Demóstenes da Silva Santos Almeida?”
“Conheço, sim. Eu trabalho ao lado da sala dele”.
 “E o que é que ele faz lá?”
“Ele, ele... Bem... Ele, quer dizer, ele não trabalha, não faz nada ao lado da minha”.
“Ah, bom, quer dizer, ah, ruim. Quer dizer”...
Constatação XV (De cães e, na outra constatação de nefastas globalizações).
Este assim chamado escriba convive, dentre outros membros da família, também com três cachorros. Todos vira-latas assumidos. Quando chego da rua, ou adentro o quarto ou sala onde eles estão – é bom que se diga – comodamente instalados, sou recebido com eloquentes abanos de rabo (cachorro de rico tem cauda; de pobre, rabo). Indubitavelmente, uma das recíprocas alegrias da nossa vida... Indeed!
Constatação XVI
Peço desculpas aos meus prezados leitores de usar a expressão “de fato”, “realmente”, na constatação anterior, em inglês, coisa que nesse tempo da coluna Rumorejando, tanto nos jornais O Estado do Paraná e na Tribuna do Paraná bem como no blog e como brasileiro que cultua o nosso riquíssimo vernáculo, nunca fiz, nunca pretendi e nunca pretendo fazer. Acontece que, com essa catastrófica entrega da Amazônia para os americanos do norte e o que estão fazendo com a Petrobrás, é de bom alvitre a gente ir se acostumando... E, não devemos, por isso, por esse procedimento impatriótico de esquecer de cantar o “epinício” desses abomináveis e execráveis eventos. Em tempo: viva “nóis”!
Constatação XVII
E já que falamos no assunto e com essa falta de oferta de empregos, a gente acha que, em certos países, deveria ser aberto um curso de especialização e/ou pós-graduação em entreguismo. As aulas deveriam ser ministradas por certos políticos de governos anteriores, ainda vivos, e atuais. As apostilas sobre tão novel assunto ainda são válidas as que vigoraram todos esses tempos desde o ano de 1.500...
Constatação XVIII
Ele
Foi saindo
De modo
Dissimulado
E foi apanhado
No delito.
“Te incomodo?”,
Perguntou,
Questionou,
Interpelou,
Fingindo
Calma,
Antes do pito,
A mulher.
Na opinião,
Dele
Sem alma
E sem coração.
“Não”,
Ele contestou,
Com um esgar.
“Só ia comprar
Cigarro
Ali na esquina”.
Ele se olvidou,
Não mais lembrava,
Tão nervoso ficou,
Que não fumava
Ela tirou
Um sarro:
“Você é um desmiolado
E eu não sou
Sovina.
Vá jogar
O seu truquinho
Lá no bar.
Mas não demore
Se você não quer
Que eu chore
Sem o teu carinho.                         
O aparentemente,
Coitado,
Na verdade,
Foi buscar
Uma menina
Para juntos
Tratar
De vários assuntos
Eternamente
De atualidade.
Tão somente.
Constatação XIX
Deu na devida época na mídia: “Kerry tem mais sangue azul que Bush, diz estudioso”. Taí uma notícia que foi na época e que dura até hoje de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação XX (Ah, esse nosso vernáculo).
A mando do seu sensível coração, ela está amando o Armando àquele que vivia armando arapuca para conquistar a sua – dela – atenção.
Constatação XXI
Deu na mídia: “Justiça mandou a União tapar buracos numa determinada rodovia.
Caso o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, não cumpra a sentença, a Justiça Federal pode até determinar a prisão dos diretores do órgão”. Daí surgiu uma dúvida crucial de um gaiato: “Será que alguém da Justiça Federal andou passando pelo trecho e teve problemas com o seu carro por causa da buraqueira?” Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog para que seja dada a informação para o tal de “Gaiato” que, desde já, por nosso intermédio, agradece pela atenção.
Constatação XXII
Rico é introspectivo; pobre é apagado.
Constatação XXIII
E como se queixava o septuagenário, quase octogenário: “O remédio para baixar a pressão, baixa tudo menos a pressão. Baixa, essencialmente, o tudo”.
Constatação XXIV (Passível de mal-entendido).
Deu na mídia: “Um corneado na festa de San Fermin, em Pamplona, Espanha”.
Constatação XXV
Ele ficou
Relutante
Diante
Da cantada
Vibrante
Da namorada.
Afinal,
Esse fato,
Com tal
Espalhafato,
Nunca, anteriormente,
Lhe havia sucedido.
“Não é normal”,
Ele pensou,
Meio perdido,
Meio sem ar,
Atabalhoado,
Sem atinar
Que virou
Uma coisa banal,
Simplesmente.
Tão despreparado!
Tão atrasado!
Tão desinformado!
Tão alienado!
Coitado!
Constatação XXVI
Calma pessoal!
O que é que há?
O meu Paraná
Algum dia vai ganhar.
Quando voltar
A jogar
De modo normal.
Elementar!
Banal!
Constatação XXVII
Deu certa vez na mídia: “A russa Olga Kuzenkova estabeleceu o recorde olímpico do arremesso do martelo”. O prezado leitor já imaginou alguém levando uma porrada dela?
Constatação XXVIII
Rico pedala; pobre, patina.
Constatação XXIX (De uma dúvida crucial, via pseudo-haicai).
Destoa
Quando é o pobre
Que ri à-toa?
Constatação XXX
Rico, indefectivelmente, impõe; pobre, ingenuamente, supõe.
Constatação XXXI (De diálogos quase repetitivos).
-“A tua sogra se incomoda com você, quando ela aparece na casa de vocês ?”
-“Não. Ela só incomoda”.
Constatação XXXII
O papudo
Contou,
Na roda
Em que estava,
Que pescou
A unha
Um cascudo
Que mergulhava,
Antes se balançando
Depois se atirando
Dum pé de pupunha.
Aí, alguém
Exclamou:
“Eu também.
E até já virou moda”.
Constatação XXXIII
Ficou com a pulga atrás da orelha ao ver uma pulga atrás da orelha de seu namorado. Coitado!
Constatação XXXIV (Elementar, minha gente).
Um grande mistério
Havia
No meu Paraná
Porque num jogador
O seu ptério*,
Ao invés dum agá,
Tinha a forma de flor,
O que fazia
Ele errar cabeçada
Que mais parecia
Uma marrada.
*Ptério = “Anat. Região da abóboda craniana, geralmente com a forma de H, e na qual os ossos frontal, parietal e temporal se articulam com a asa correspondente do esfenoide” (Aurelião).
Constatação XXXV
Todo beijinho,
Dado com carinho
Ou mesmo
De cinema,
Ou, ainda,
Voluptuoso,
Mas com docilidade
É assaz gostoso.
Evidentemente
Desde que o dito
Não seja a esmo,
Não cause eczema,
Nem brotoeja
Nem que dure,
Que perdure
Até o infinito,
Ou uma eternidade
Infinitamente
Infinda.
Constatação XXXVI (abusando, só um pouquinho, do “e/ou”).
Neste mundo moderno e/ou ultramoderno em que vivemos e/ou sobrevivemos, os divórcios e/ou separações não são mais por incompatibilidade e/ou divergência de gênios. Eles evoluíram e/ou evoluíram para incompatibilidade de neurose e/ou neurastenia.
Constatação XXXVII
Ele foi destituído
Daquela condição
Que julgava
Impossível
Ser insubstituível:
A de “maridão”.
Mas estava
Totalmente
Enganado
Tão somente.
A mulher,
Querendo reduzir
A despesa,
Achou mister
Que ele fosse
Seguir
Outro rumo:
Plantar
Batata-inglesa,
Batata-doce,
Ou outro insumo,
Para industrializar,
Vender no varejão,
Ou no atacado,
Lá, no cerrado,
No Afeganistão,
Ou em qualquer
Outro lugar.
Coitado!

Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: