quarta-feira, 25 de setembro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Colaboração antiga, que Rumorejando já agradeceu anteriormente, do Amigo Sergio Antunes de Freitas, de Brasília [Apareçam por Curitiba, meninos!]).
“Conversa de marido e mulher na terceira idade:
Amor, eu sinto que estou perdendo a memória!
Ah! Amor, esquece isso”.
Constatação II
A americana-do-norte,
A consorte
Do deputado,
Acreditou
O que ele disse,
O que ele contou:
Que não era
Descarado,
Coisa de rastaquera
Muito menos,
Coisa de somenos
Importância.
Ou um dislate*,
Uma mesmice,
Uma asneira,
Um disparate,
Uma besteira
Uma bobagem,
Uma insignificância
Uma calinada**
Sempre fui e sou
Bem-intencionado.
E não ficou
Ruborizado,
Cor de carmim,
Quando negou
Que eles só querem
Só auferem
Vantagem.
E não é verdade
Que eles só almejam,
Só desejam
Tirar proveito
Em causa pessoal.
“É tudo despeito,
Iniquidade,
Tudo uma questão
Educacional.
Você já não
Acredita em mim,
Na minha moral,
Indubitavelmente,
Ilibada;
Na minha conduta
Integral,
Sem ser venal,
Altamente
Profissional
Tão-somente?
Enfim,
Na minha integridade
Impoluta,
Minha luzerna****
Minha eterna,
Namorada?
E por que ficou,
Assim,
Tão
Espantada?
Assombrada?
Assaz abobalhada?”
*Dislate = Substantivo masculino.
Dito ou afirmação tola; asneira, bobagem, despautério (Houaiss).
**Calinada = Substantivo feminino.
Dito, ação ou comportamento de calino***; ingenuidade, bobagem, patetice (Houaiss).
***Calino = Adjetivo e substantivo masculino.
Diz-se de ou indivíduo muito ingênuo, que diz ou faz tolices por falta de esperteza ou de bom senso; tolo, parvo (Houaiss).
****Luzerna = Substantivo feminino.
Luz muito intensa; clarão (Houaiss).
Constatação III (De uma dúvida crucial).
Pedir um habeas-corpus preventivamente, em alguns casos, não é uma confissão de culpa? A advogada Cláudia Bório já, algum dia, comunicou, peremptoriamente, a este assim chamado escriba de Rumorejando que absolutamente não é. Quem tiver alguma outra resposta, ou respostas, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IV
No meio
De tanto
Cambalacho,
Tanto jabaculê,
Tanto rateio,
Ele achou
Um despropósito:
“Isso me dasaponta,
Por que não fizeram
Um depósito
Na minha conta,
Não puseram
Nem um reles centavo.
Será que
Eu não sou
Também digno?
Aqui consigno,
Atesto,
Portanto,
O meu veemente
Protesto,
Meu desagravo.
Estou
Assaz decepcionado,
Triste, magoado,
Descontente.
Tão-somente”.
Constatação V
O problema de caixa dois para campanha dos políticos é que, às vezes, o fato vem à tona e todo mundo fica sabendo. Daí, os “competentes” passam a ser os que não foram pegos. Os incompetentes são os que votaram neles... Segundo o que tem rolado na Internet, os incompetentes são os eleitores que votaram em quem quer que seja...
Constatação VI (De uma dúvida crucial).
Pífio é todo discurso de político que quer explicar o inexplicável, ou, efetivamente, é intriga e má vontade da oposição? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VII
Deu, certa vez, na mídia: “Idade salva Maluf do risco da cadeia”. E este assim chamado escriba que achava que a gente vetusta só tinha, com a idade provecta, a vantagem na prioridade no atendimento nas filas de banco, supermercados, etc. Analogamente, como se sabe, também mesmas vantagens das mulheres grávidas...
Constatação VIII (De outra dúvida crucial).
Segundo os entendidos, o “petróleo é formado principalmente pela decomposição da matéria orgânica”. Será que não seria proveniente das pessoas, supostamente racionais, pertencentes ao reino animal e dos animais, supostamente irracionais, que morreram no dilúvio, quando Noé e os demais subiram na arca? Quem tiver na memória alembrança da resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
“Sacripanta!”,
Bradou,
Gritou,
Furiosa,
A sacrossanta
Mulher
Pro maridão.
“Já não me espanta
Sua exibição
Vergonhosa.
Você ser flagrado,
Todo prosa,
Com uma qualquer.
Com aquela
Horrorosa
Balofa elefanta,
Gorda adiposa,
Metida a melindrosa,
Que arrebenta
Qualquer balança
Uma giganta
Transviada,
Por todos rejeitada,
Aquela
Renegada,
Que só você aguenta
Seu anão
Descarado
Que nem alcança
A garganta
Dela
E que ninguém mais,
Dentre os mortais,
Canta
Ela”.
Coitada!*
Coitado!
*Não foi possível detectar quem é a “coitada”, acima referida. Se a legítima ou a outra. Talvez, até, as duas. Caso alguém tiver tal informação, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação X
E como, na alcova, ponderava, em tom discursivo e grandiloquente, de dedo em riste, aquele marido para a mulher reclamante de que ele andava se importando em demasia com o futebol, em detrimento de maiores atenções a ela: “Assistir ao futebol não tem nada de mais. O que é grave é se limitar a só assistir o futebol, o que, como te foi dado a constatar, há pouco e, agora, vai ser de novo, absolutamente, não foi, não é e não será jamais o caso. Tenho dito”. Dedo?
Constatação XI
Não se pode confundir auferir, que quer dizer, dentre outros, “obter” com aferir, que quer dizer “conferir (pesos, medidas, etc.) com os respectivos padrões”, muito embora a mídia esteja noticiando, todos os dias, políticos que sempre estão a auferir ganhos ilícitos sem, necessariamente, aferir o valor, na base do que cair na rede é peixe. A recíproca nem sempre será verdadeira. Afinal, segundo se propala por aí, depende da ambição, preço, etc. de cada um...
Constatação XII (De uma dúvida crucial em forma de “poesia”).
É preciso ter
Uma dinheirama
Para nadar,
Em mar de lama
Acompanhado,
Ou sozinho,
Qual um dourado,
Bagre, salmão
Ou golfinho
E não precisar
Responder
Numa CPI,
Nessas daqui?
Por favor,
Caro leitor,
Quem quiser,
Quem souber.
A esmo
A resposta
Cartas, ou mesmo
Mala-posta,
Ao cuidado
Do blog. Obrigado!
Constatação XIII
Não trema,
Caro eleitor,
Perante essa história:
O esquema
Ficou devidamente
Definido.
A jura de amor,
Mesmo que provisória,
Entre um e outro partido
Depende do cargo e do valor
A ser auferido,
Tão-somente.
Constatação XIV (“Poeminha” gastronômico-desinteressado-corporal).
O craque come a bola
A malaguenha não me dá bola.
Ele, igualmente à espanhola,
Rebola...
Ambos, como fazendo graçola,
Numa dançarola.
Constatação XV
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas parece que nossos governantes, pais da pátria e demais autoridades, pelo nível que têm demonstrado, seria impossível a eles ater-se às palavras de André Malraux: “A sabedoria é o conhecimento temperado pelo juízo”. Pelo que tem sido dado a ver, há uma preocupação “social” de eles próprios virarem assaz pecuniosos. E, pior, viram “polímatas”* de uma só ciência: a de tirar o máximo proveito pessoal do cargo. Fazer algo pelo povo? O que é que é isso? Brincadeira!
*Polímata = “Aquele que estudou ou sabe muitas ciências” (Aurélio).
Constatação XVI
Certa vez, Rumorejando publicou a seguinte constatação: “Rico joga tênis no clube; pobre joga pedra na vidraça” que está repetida na Constatação VIII dos Ricos & Pobres, logo abaixo. O Amigo José Francisco Kuzma não ficou totalmente de acordo e enviou correspondência para a coluna, lembrando que “Rico joga tênis no clube; pobre joga no fio de luz. Isso quando o tênis fica bem velho".
Constatação XVII
O levedo-de-cerveja é rico em proteínas. Logo, é uma espécie de proteinoterápico. E como é sobejamente sabido, a proteína constitui o principal componente dos organismos vivos. No entanto, além do Ministério da Saúde advertir que deve ser ingerido com moderação, no caso de, por exemplo, cervejas com álcool, Rumorejando, no seu afã de apresentar conselhos úteis aos seus inúmeros leitores, como sempre procurou fazer, lembra que o excesso de consumo pode fazer crescer a barriga a níveis estratosféricos, comprometendo a estética do tomador. O ocasionaria, entre outros malefícios, perda da visão de determinados componentes do seu próprio corpo. Salvo, se for utilizado um espelho. De nada!
Constatação XVIII
Os jogadores de futebol estão tão cansados, mercê do calendário de jogos tão corridos, que até tem alguns forçando o terceiro cartão amarelo para poder descansar. Vige!
Constatação XIX
Não se pode confundir ledo que o dicionário Houaiss dá como “adjetivo. Que revela ou sente alegria, júbilo, felicidade; contente, risonho, prazenteiro” com lendo, até porque, hoje em dia, se encontra, no Brasil, muito poucas pessoas fazendo tal, seja livro, revista, jornal, inclusive se a leitura revelar um texto ledo. No entanto, há casos de exceção, como por exemplo – atentem para a puxada da sardinha para a brasa, digo, puxar a brasa para a minha sardinha (ao invés de sardinha, leia-se um prato vegetariano) deste assim chamado escriba – a leitura de humor dos livros Rimas Primas & Outras Constatações e 150 Sonetos & 1 Sonetão (Pseudos). Caso leitor se ponha a chorar com a leitura ou não esboce pelo menos um sorriso é porque a tentativa de fazer humor fracassou totalmente.
Constatação XX (Quadrinha meio sem nexo que não deve jamais ser recitada sem maiores motivos).
Toca a corneta no quartel
Desperto como toda manhã.
Vou comer meu pão com mel
E após uma banana com maçã.
RICOS & POBRES.
Constatação I
Rico simula; pobre, finge.
Constatação II
Rico cientifica; pobre, ameaça.
Constatação III
Rico caminha pra maturidade; pobre, não tem juízo.
Constatação IV
Rico faz sutil alusão; pobre, mete os pés pelas mãos.
Constatação V
Rico compra a revista Playboy para ver as famosas; pobre, fila, na banca, o jornal para ver o ensaio da ex-vizinha do bairro que cresceu e se mudou.
Constatação VI
Mulher de rico é boa*; mulher de pobre é coroa.
*Não foi possível averiguar se é boa de bondade ou o que quer que seja.
Constatação VII
Rico, para emagrecer, faz cirurgia bariátrica; pobre, não precisa...
Constatação VIII
Rico joga tênis no clube; pobre joga pedra na vidraça.
Constatação IX
Rico sua, malhando na academia; pobre tem suores frios.
Constatação X
Rico nina; pobre, ronqueja.
Constatação XI
Rico sempre, dos fatos, está por dentro; pobre, também por ser o centro.
Constatação XII
Rico fica fora do sério; pobre, p. da vida.
Constatação XIII
Rico ouve protesto solene; pobre, bronca.
Constatação XIV
Rico participa de cruzeiro no Caribe; pobre – participa de coisas que a polícia proíbe.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Sigmund Freud, o pai da psicanálise, afirmou que a gente só esquece aquilo que não quer lembrar; quando a gente está na idade provecta, como é o caso deste assim chamado escriba, a gente só esquece aquilo que quer lembrar. Vige!
Constatação II (Ah, esse nosso vernáculo).
Ela(e) está ralando por estar ralando um queijo parmesão muito duro. Coitada(o)!
Constatação III
Deu na mídia, mais precisamente na revista francesa L’Express: “Violências psíquicas, mas também físicas: os homens maltratados são menos raros que se supõe. Porque o assunto é tabu e as vitimas preferem não se identificar”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas do jeito que as coisas estão ocorrendo, Rumorejando acha que tá na hora de criar, à semelhança da Delegacia da Mulher, a Delegacia de Proteção do Homem ou algo desse jaez...
Constatação IV
“Logo comigo
Isso foi acontecer”,
Ele pensou,
Já que seu desempenho
Com o mulherão
Começou
A alentecer
Numa frequência
Assaz preocupante
E ele não atinou
A razão.
Ao seu médico e amigo
Se dirigiu
E urgente assistência,
De algo tão maçante,
A ele pediu.
Quando o doutor
Se inteirou,
Com estupor,
Que os eventos nos serões
Haviam passado,
Diariamente,
De seis para cinco,
Tão-somente
Os olhos arregalou
E com os seus botões,
Tristemente,
Com um franzido cenho,
Acabrunhado,
Pensou:
“Que afinco!
E o meu desempenho
Tão chinfrim!
Coitado...
...De mim!”.
Constatação V
Deu na mídia, também no L’Express: “Pra você o carro, pra mim o cachorro”. “Os casais que se separam acertam, no tribunal, quem ficará com a guarda do animal doméstico”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que é perfeitamente compreensível. Afinal, alguém já afirmou com muita propriedade: “quanto mais eu conheço a humanidade, mais eu gosto dos animais”.
Constatação VI (De conselhos úteis).
Não faça alarde,
Nem brigas
Se a tua mulher
Chegar
Num dia qualquer
Muito tarde.
Ela, provavelmente,
Deve ter ficado
Num bar
Com as amigas,
Tão-somente,
Falando de inflação,
De assombração
E outros conjuros
E da recomendação
Da senhora presidente
De como operar
Para levantar
A traseira
Da cadeira
Para baixar os juros.
Constatação VII
Deu na mídia: “O Museu da Dívida Externa argentina, uma iniciativa do curso de ciências econômicas da Universidade de Buenos Aires, quis mostrar a evolução da dívida externa argentina, dos US$ 8,2 bilhões em 1976, até os US$125 bilhões após a renegociação em 2005”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o Brasil deveria imitar ‘los hermanos’ e já poderia aproveitar e acrescentar na mostra do museu a evolução do lucro pornográfico dos bancos e a perda de poder aquisitivo do salário mínimo. Do salário, direto e indireto, dos deputados, nem falar.
Constatação VIII
Não se pode confundir meter os pés pelas mãos com meter as mãos e dar no pé, muito embora, em certos países, isso vem ocorrendo cada vez com maior frequência e em maior quantidade. A recíproca para essa metição toda, salvo raríssimas exceções, é mais do que verdadeira...
Constatação IX (Obumbrada, macambúzia, decepcionada).
No livro Don Camilo e seu rebanho, Giovanni Guareschi, o autor, conta o episódio, intitulado “Empório Pitacio”. Trata-se de um cidadão a quem deram o apelido de Pitacio e a seu filho Empório Pitacio, porque o pai havia colocado numa tabuleta de sua loja “Josué Bigatti & Filho” e, embaixo da palavra filho, Empório e, mais abaixo, Artigos Domésticos. O filho se chamava Anteo e quando pequeno chegou em casa chorando, por causa do apelido, seu pai disse para não ligar e que, quando crescesse mostraria a todos o seu valor. A afirmação do pai, nunca mais saiu de sua cabeça e, aos dezessete anos, o pai, atendendo o seu pedido, pois ele não aguentava as chacotas com o apelido, mandou-o para a cidade a fim de estudar. Morreram os pais e um dia ficou-se sabendo que Anteo havia feito sucesso na Argentina como tenor. Quando chegou a notícia que Anteo havia chegado à Itália para dar concertos (ele morava nos Estados Unidos), todos acharam que ele deveria dar um concerto em sua terra natal. E lá foram Peppone, o prefeito, e Don Camilo, o pároco, para convidá-lo. Após recusas, alegando contratos, impedimentos legais e outras mais estapafúrdias, ele, meio coagido por Don Camilo, acabou concordando. No dia da apresentação, com todas as dificuldades de acomodações, necessidade de alimentação condizente e outros que tais, frescuras e exigências, com a casa repleta, ele anunciou que ia cantar Celeste Aida. E eis que, num certo trecho, dá uma terrível desafinada. Ouviu-se um grito da platéia: “Pitacio vai cantar na Argentina”. “Pitacio vai dormir”.Os espectadores, que haviam retido a respiração em sinal de devoção e respeito, explodem num Pitacio!... Pitacio!... Pitacio!... O final é que na madrugada Anteo retorna e se põe a cantar várias árias, na praça principal, e por último repete Celeste Aida que o faz com perfeição. O episódio é contado por Guareschi com muita emoção e ternura, como a maioria dos seus relatos.
Bem, qualquer relação assemelhada com fatos, pessoas e governantes que ficam apregoando e exigindo moral e ética, por parte dos outros, é mera coincidência. Afinal, assim como a mulher de César não só deve ser honesta, como também dar essa impressão, também um governante deve ser honesto e não apenas meter panca e deitar falação. Tenho, com o sonho desfeito, dito!
Constatação X
Também deu na mídia, também no Estadão: “Câmara aprova fim do voto secreto”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha um fato tão auspicioso, depois de sete anos o projeto ficar engavetado, que a notícia representa um marco em nossas vidas que até mereceria uma manchete mais explícita, por exemplo, do seguinte teor: Câmara aprova fim do voto secreto a.D*.
*Após Donaton.
Constatação XI (Criação da mineira Marina da Silva, torcedora, como eu, em Minas, do Atlético-MG. Coitada, uai!).
"O homem tem um destino:
Ser escravo da mulher,
Mas, às vezes, é um pepino
Fazer tudo o que ela quer."
Constatação XII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Infelizmente ainda somos um país com serviços públicos de ‘baixa qualidade', reconheceu a presidente Dilma Roussef”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando gostaria de saber qual a razão que a senhora Presidente da República não fez algo para corrigir tal situação. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIII
Não se pode confundir azular, que o dicionário Houaiss dá como “Verbo intransitivo: Pôr-se em fuga, retirar-se em debandada; fugir, escapar” com açular, que o mesmo dicionário, dentre outros, dá como “Verbo transitivo direto e bitransitivo: “provocar ou intensificar (sentimento, emoção etc.) [em alguém]”, muito embora quem se dispõe a açular os eleitores a votar em quem tem ficha suja, jamais irão azular se o eleito der vazão a sua condição de mau-caráter, corrupto e outros epítetos desse jaez. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho dito!
Constatação XIV
Eu sempre rusgo
Quando ela só quer
Ficar deitada no musgo,
Ponderando: “Fazer amor?
Não! Nesse calor,
Não se faz mister”.
Constatação XV
No lusco-fusco*,
Na meia-luz
O sol falou pra lua,
Que estava na minguante:
“Fique comigo só um instante,
Afinal, você um dia me disse:
Não diga asnice.
Claro que eu serei tua”.
“É verdade”. Você como selenogista,
Por favor, não insista.
Vê se esse assunto você encerra.
Estou comprometidíssima,
Que me deixa aborrecidíssima
Com aquele planeta chato, chamado Terra”.
*Lusco-fusco = Substantivo masculino
1. Momento de transição entre o dia e a noite; crepúsculo vespertino; o anoitecer.
2. Derivação: por extensão de sentido.
Crepúsculo matutino; o alvorecer (Houaiss).
Constatação XVI
Ela com o seu decote,
E com um curto culote
Mostrava seus atributos
E também seus subprodutos*.
*Não ficaram muito claro quais subprodutos são esses. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVII
Disse pro maridão, o Sr. Burro,
Sua esposa, Dª. Burra:
“Trate de ler e vê se não zurra,
O que você nunca quis,
Do Machado de Assis,
Dom Casmurro”.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico vive, apenas, seguindo a cronologia; pobre, inexoravelmente, envelhece.
Constatação II
Rico diversifica suas aplicações financeiras; pobre, as suas dívidas.
Constatação III
Rico é intolerante; pobre, desobediente.
Constatação IV
Rico pratica o polo; pobre, o pulo.
Constatação V
Rico dá ordens peremptórias; pobre faz modestos pedidos.
Constatação VI
Rico é enfastiado; pobre, enjoado.
Constatação VII
Rico é emblemático; pobre é problemático.
Constatação VIII
Rico tem abonado progenitor; pobre, tem pai mourejador.
Constatação IX
Rico é polêmico; pobre é censurável.
Constatação X
Rico tem talento; pobre é exibido.
Constatação XI
Rico faz pesquisa; pobre é bisbilhoteiro.
Constatação XII
Rico tem escassez de capilares no crânio; pobre é careca.
Constatação XIII
Rico faz parte da elite dirigente; pobre, da massa excludente.
Constatação XIV
Rico se equivoca; pobre dá bola fora.
Constatação XV
Rico fala em euros; pobre, em centavos.
Constatação XVI
Rico tem compadre; pobre, comparsa.
Constatação XVII
Político rico é idealista; político pobre é ingênuo (Político pobre?).
Constatação XVIII
Rico bebe socialmente; pobre, enquanto espera pelo social.
Constatação XIX
Rico recebe mensalão; pobre, eventual mensalinho.
Constatação XX
Rico é inadimplente; pobre, é velhaco.
Constatação XXI
Rico é assanhado; pobre, é tarado.
Constatação XXII
Rico é portador de alopecia hipocrática; pobre, é careca (colaboração do Amigo, professor Leszek Celinski).
Constatação XXIII
Rico é imaginativo; pobre, é mentiroso.
Constatação XXIV
Rico diz eventualmente um paradoxo; pobre é sempre enrolado.
Constatação XXV
Rico é impetuoso; pobre é porra-louca.
Constatação XXVI
Rico come bolo; pobre vive no rebolo.
Constatação XVII
Rico faz protesto; pobre, distúrbio.
Constatação XXVIII
Rico é importante; pobre é metido a sebo.
Constatação XXIX
Rico dorme em finos lençóis; pobre é chamado de Zé dos Anzóis.
Constatação XXX
Rico leva pra sua amada um broche; pobre, leva reproche.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu certa vez na mídia: “A Argentina precisa entender que o Brasil é um país amigo”. A afirmação foi feita pelo então vice-presidente da República, José Alencar, hoje, já falecido. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que S. Excia. teve toda a razão, mas até a hora em que a seleções de futebol dos dois países se defrontam.
Constatação II
Este assim chamado escriba tem tido muitas preocupações com as falhas da sua memória que vai, por exemplo, desde a preocupação de não repetir a mesma “constatação” na coluna Rumorejando até ir a uma festa, acompanhado da mulher e sair esquecendo-se dela lá e, quando se dá conta do grave fato, retorna para buscá-la e quando lá chega não recorda mais para que retornou (Ainda bem que não é por quem... Vige!). Tendo lido na Internet que pesquisadores britânicos descobriram que o chá verde e o chá preto ajudam a memória e podem afastar o Mal de Alzheimer e tendo em vista ser um velho consumidor de mate chimarrão, resolveu acrescentar um pouco de chá verde na cuia, assim como muitos costumam acrescentar as mais diferentes ervas como espinheira santa, boldo, guaco e outras tantas, em função das suas necessidades terapêuticas, preferências, gustativas, etc. Lamentavelmente, no entanto, tem havido esquecimento de colocar o chá na hora de preparar essa maravilhosa bebida.
Constatação III
Deu na mídia: Um ex-secretário do PT, certa vez, afirmou "ter cometido um erro ao aceitar um carro de presente". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando também acha. Afinal, que se saiba, é mais comum ganhar um carro de presente, quando se é filho de rico, mormente se passou no vestibular...
Constatação IV
Ver depoimento
Duma CPI
Nem que seja
Só por um momento,
Por um relampo,
Indubitavelmente,
Arrisca sair dali,
Com brotoeja
E com sarampo,
Tão-somente.
Constatação V
O Amigo e ex-guru, para assuntos do computador deste assim chamado escriba, José Francisco Kuzma, que foi atropelado e que se encontra mais de um ano acamado por andar com dificuldade, externou uma dúvida crucial: “Será que esse pessoal que recebeu o mensalão contribuiu para a Campanha Criança Esperança, telefonando para a emissora a fim de doar pelo menos R$40,00?” Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog que Rumorejando tem certeza que o duvidante, como leitor assíduo do blog, terá dirimida a sua – dele – dúvida. Obrigado.
Constatação VI
Não se pode confundir imunidade que, segundo o Aurelião, é “Jur. Direitos e privilégios ou vantagens pessoais de que alguém desfruta por causa do cargo ou função que exerce” com humanidade, até porque, se propala que, em certos países, os ricos têm o primeiro e os pobres não recebem um pingo do segundo. A recíproca para esses casos advocatícios-distributivos de maior ou menor renda, que não mensalões e outros quejandos não é necessariamente verdadeira. Depende dos G8 da vida, da almejada descolonização econômica ou territorial e por aí afora.
Constatação VII (Ah, esse nosso vernáculo).
O pândego pegou uma almôndega e criou uma pendenga.
Constatação VIII
Deu, certa vez, na mídia: “Em entrevista dada no exterior, quando a então ministra Dilma Roussef disse esperar que o Congresso abandone o impasse que já durava meses para retomar sua agenda parlamentar”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando tem uma dúvida crucial: Existia antes, ou algum dia, alguma agenda parlamentar de trabalho? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
Deu na mídia: “Os escândalos no Brasil causam um terremoto em duas das principais empresas de Portugal e os jornais do país passam a classificar Lisboa como a capital do mensalão". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o ventilador brasileiro é de alta potência: Consegue espalhar o que está espalhando até ao outro lado do Atlântico...
Constatação X (De uma quadrinha que pode ser recitada em festa de pessoas, digamos, já não tão jovens).
Tomar viagra,
Ou mesmo placebo,
O cara se consagra
Qual um jovem mancebo.
Constatação XI
Quando o ex-presidente Lula fala mal do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e vice-versa, pode-se inferir, ao analisar os dois governantes, que o roto está falando do esfarrapado. O do PSDB (Esqueçam o que eu escrevi) declarou, certa vez, à imprensa que "o governo parece peru bêbado". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando, sem querer tomar as dores de quaisquer dos governantes, toma as dores do peru porque, afinal de contas, ele está bêbado não por sua livre vontade, mas sim porque foi, pelos homens, colocado nessa condição. A propósito, a entrega das estatais, ainda mais, com financiamento do BNDES (aí, a entrada de capital de fora, tão preconizada como justificativa na assim chamada venda, como é que ficou? E o enriquecimento do Lulinha como é que o papai (Esse garoto vai longe!) explica? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado! Vale assinalar que há certas atitudes que até não parecem coisas de pessoas sóbrias. Vige!
Constatação XII
Assim como, antigamente, se dava ao táxi o nome de carro de praça e, na Primeira Guerra Mundial, ao tanque se denominava carro de assalto, ao camburão se dava o nome de carro-forte. O que ensejou, naquela época [expressão que indica estarmos ficando velho (rico vai para a Terceira Idade; pobre, fica velho)], o seguinte: rico tem caixa-forte; pobre vai de carro-forte.
Constatação XIII
Rico só anda com mulheraço; pobre só leva trompaço.
Constatação XIV
Rico vê, em Cannes, o pôr-do-sol; pobre, vê o sol quadrado.
Constatação XV
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Governo apressa projeto de satélite antiespionagem”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando, depois da espionagem da maior potência do Planeta, acha que estão botando tranca depois de ter a casa assaltada. Vige!
Constatação XVI
Tomara que na feitura do satélite, mencionada acima, não haja superfaturamento como ficou praxe em nosso país. Tomara! Afinal, uma vez ou outra a gente deve acreditar em Papai Noel. Vige!
Constatação XVII
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “O massagista da Aparecidense, Romildo Fonseca, o “Esquerdinha”, no último sábado (7-9-2013), evitou o terceiro gol do Tupi-MG em partida válida pelas oitavas de final da Série D. A vitória classificaria o time mineiro e eliminaria a equipe goiana, que acabou beneficiada pelo resultado de 2 a 2, com colaboração decisiva do massagista”. Não é verdade, conforme está sendo apregoado por pessoas de mau-caráter, que o Paraná esteja interessado na contratação do referido massagista. Está interessado, isso sim, na contratação do argentino Messi.
Constatação XVIII
Com relação a constatação anterior, tanto o massagista como o presidente do Aparecidense, afirmaram que, embora não fosse justo, defendem a permanência do resultado. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a afirmação de ambos, onde demonstram total falta de ética e moral, está condizente com nossos políticos com a máxima ou a mínima: Se eles podem por que nós não podemos. Vige!
Constatação XIX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Ao sancionar projeto que destina dinheiro à Saúde e Educação, Dilma destaca 'sensibilidade' dos políticos”. “Sensibilidade dos políticos?” Quem souber que tipo de sensibilidade e exatamente para quê e qual os políticos têm, por favor, comentários no blog. Mais uma vez, obrigado!
Constatação XX
Comunico, a quem interessar possa, que no próximo início do mês de outubro pretendo lançar o meu segundo livro, intitulado 150 Sonetos & 1 Sonetão (Pseudos).  O lançamento deverá ser levado a efeito na Livraria Cultura, cá na capital do meu estado, o Paraná, que está localizado no Shopping Curitiba, cujo endereço é Brigadeiro Franco, 2300, Telefone (41) 3941-0292. Na ocasião, será servido um coquetel, como costuma ser de praxe em tais eventos. Obrigado, desde já, pela atenção e pelo prestígio do comparecimento.
DÚVIDAS CRUCIAIS, VIA PSEUDO-HAICAIS (Por instâncias do Amigo Sergio Gugisch Moreira).
Dúvida I
Não adianta que você, esfalfado, corra
Pra comprar, segurar ou vender dólar,
Quando o mercado tá uma gangorra?
Dúvida II
Arrisca o meu Paraná subir
Para a Primeira Divisão
Se para a Terceira ele não cair?
Dúvida III
Há tanta oferta de cerveja no mercado
Que mesmo Matusalém querendo prová-las
Não conseguiria manter o estoque esgotado?
Duvida IV
É só em época próxima à eleição
Que a rádio e-Paraná, antiga Educativa,
Muda a sua clássica programação?
Dúvida V
Por que será que os vereadores
Demoram pela opção do voto declarado?
Será que é por causa de seus temores?
Dúvida VI
Depois do fim do movimento do povo nas ruas
Tudo vai voltar como sempre foi, principalmente,
As fraudes, os superfaturamentos e as falcatruas?
Dúvida VII
O decote, quase aparecendo o mamilo,
Enseja que a grande parcela dos homens
Somente fique pensando naquilo?
Dúvida VIII
Há interesse estratégico e econômico,
Nessa espionagem dos Estados Unidos.
E se trata dum assunto sério, nada cômico?
Duvida IX
Quando há uma desenfreada corrida,
Para a compra ou venda de certas ações,
Quem especula está atrás duma boa-vida?
Dúvida X
Quando o roubo de carros fica intensificado
Mais no interior do Paraná do que na capital
Trata-se tão só das oscilações do mercado?
Dúvida XI
Afinal, algumas dessas Ong´s, além de desviar
Recursos, que o governo destina para elas,
O que de benefício elas tem para demonstrar?
Dúvida XII
Ganhar da Austrália de seis a zero
Quer dizer que a nossa preocupante seleção,
Indubitavelmente, não quer saber de lero-lero?
Dúvida XIII
Os deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro
Aprovando a proibição de mascaras em manifestações
Estarão impedindo que se ponha mais fogo no palheiro?
Dúvida XIV
“Recolha-se a tua insignificância”,
Ela falou para o obcecante namorado, quando
Ele quis passar a mão na sua abundância?
Dúvida XV
Lamentar pelo leite derramado
É quando a gata manda o parceiro embora
Sem ter outro providenciado?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Rico ouve a sirena; pobre participa dela.
Constatação II
E como lucubrava a gatona: “Existem mais de 1.700 tipos de sapos conhecidos no mundo. Assim, fica muito difícil descobrir qual deles é o que deve ser beijado para virar príncipe”.
Constatação III (Trovinha para ser declamada em determinados lugares, principalmente naqueles que não são considerados de má fama).
Quem preserva
A castidade
Em certo momento
Arrisca ficar na reserva,
Com tal estoicidade,
E tirar zero em comportamento.
Constatação IV
Deu certa vez na mídia: “Quase 400 mil pessoas já haviam se inscrito para disputar as 1.200 vagas de gari no Rio um mês antes do encerramento do prazo estipulado o que representou cerca de 321 candidatos por vaga”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando gostaria de saber se a presidente da República e os seus ministros tomam conhecimento de fatos desse jaez. Quem souber se eles tomam conhecimento, ou não, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
Deu na mídia: “2005 marcou o começo da exibição de programas de televisão em telefones móveis, como os celulares. Em 2010, segundo os institutos de pesquisas, cerca de 120 milhões de pessoas estariam assistindo TV em aparelhos do gênero”. Coitados!
Constatação VI
Deu na mídia: "A sociedade não pode ser tão castigada como está sendo em benefício só dos banqueiros. Os banqueiros têm de dar um paradeiro em seus altos lucros, oriundos das taxas de juros escorchantes”, disse, certa vez, o então presidente da Câmara Severino Cavalcanti”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas, ainda que dando razão a S. Excia., Rumorejando acha que o salário dos senhores deputados e senadores também já poderia aproveitar o embalo e ser reduzido, concomitantemente, ao salário mínimo que, eternamente minimizado, poderia deixar de ser reprimido.
Constatação VII
E como lucubrava o obcecado: “Já tenho, no meu vastíssimo currículo, mulheres conquistadas em quatro continentes. Só me falta a Oceania. Mas, um dia, eu chego lá. Ah, se não chego...”
Constatação VIII (De dúvidas cruciais).
Este assim chamado escriba, que não entende de política, tem grandes dúvidas, consequentemente, cruciais: Quando o Poder Executivo manda para o Poder Legislativo um projeto de alto interesse da Nação, tipo as reformas, por exemplo, a Oposição rejeita, não querendo aprovar para não colocar azeitona na empada do Governo, mesmo que seja de alto interesse para o país? Aí, não há governabilidade? Não se denuncia tal fato à Nação? Ou o Governo terá que negociar com a Oposição ou, eventualmente, com seus aliados que porventura não seguem os acordos? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
E já que falamos no assunto, essa história de mensalão para ter governabilidade, não sei porque, mas me lembra a declaração do assassino: “Eu matei, seu juiz, porque eu a amava”.
Constatação X (E já que falamos no assunto na “Constatação VI”)
Levantar
O bumbum
Da cadeira
Para baixar
Os juros
Seria
Uma nova maneira,
Incomum,
De faturar
Algum
Sem entrar
Numa fria
E sem deixar
Os pobres banqueiros
Casmurros,
Cabreiros
Chateados,
Amuados,
Desacorçoados.
Coitados!
Constatação XI (De uma trovinha para ser declamada preferencialmente com a presença de altas autoridades, ligadas aos governos municipais, estaduais e federais).
Foi um mal-entendido
A gente imaginar
Que a coisa ia melhorar
E que o povo não ia ficar
Completamente fo, digo, falido.
Constatação XII
Deu na mídia: “Governo inglês decidiu: Camilla será princesa”. Taí mais uma notícia que também foi de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação XIII
Não se pode confundir alergia com alegria, até porque quem tem problemas de alergia, evidentemente, não vive com alegria. Principalmente a alergia provocada pela presença da sogra, às vezes do sogro, do cobrador, do som do vizinho tocado a ene decibéis, do namorado da filha, da visita inoportuna, do mordedor de empréstimos e avais, do comportamento dos governantes, do salário dos deputados e assim por diante.
Constatação XIV (para ser declamado, se for o caso).
Tive um baita pesadelo,
No sábado retrasado,
Que havia perdido o meu cabelo
E a sogra estava ao meu lado.
Constatação XV
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Lady Gaga usa look provocante e exibe espinhas no bumbum”. Ao contrário de outras notícias, divulgadas por Rumorejando, taí uma notícia importante para o futuro da Humanidade. Vige!
Constatação XVI
Não se pode confundir bedelho com pentelho, ainda que quem vive metendo o bedelho onde não é chamado é um pentelho de primeiríssima categoria. A recíproca não é necessariamente verdadeira. Afinal, há “n” maneiras de pentelhar, afora metendo o bedelho onde não é chamado.
Constatação XVII
Face a profusão de notícias que tem aparecido na imprensa, nos últimos tempos, chega-se a conclusão que a corrupção está virando também um fenômeno físico, uma vez que ela é como água que se espalha nos vasos comunicantes... Segundo a voz geral, com essas atuais denúncias todas, elas são coincidentes com o que vai a outros vasos: os sanitários... (Perdão, leitores).
Constatação XVIII
Quem professa uma religião não deveria afirmar que só a sua é a verdadeira, a escorreita, a correta e respeitar, não atacar, vilipendiar a dos outros. Tenho dito!
Constatação XIX
Com esse desempenho do meu Paraná que arrisca estar entre os G4 e até de ser o seu campeãoser e quiçá, depois, se subir para o Brasileirão, do dito e cujo. Daí, da Libertadores e do Mundo. Mas por outro lado (qual lado?) se for rebaixado para a terceirona divisão do Campeonato Brasileiro ficará mais uma vez evidenciado, nas hipóteses acima o que todo mundo está cansado de saber: que o futebol é efetivamente uma caixinha de surpresas...
Constatação XX
E como dizia o obcecado: “Na hora do bem-bom eu já encontrei tanta mulher explosiva, tão explosiva, mas tão explosiva que eu achava que estava próximo de um vulcão gritante”. (Próximo?).
Constatação XXI
E já que falamos no assunto, depois da gente ver o meu Paraná estar entre os quatro primeiros na tabela do Brasileirão B nos vem novamente à cabeça a frase de David Bem Gurion: “Quem não acredita em milagres não é realista”...
Constatação XXII
Político rico é idealista; político pobre é ingênuo (Político pobre?).
Constatação XXIII
Atualmente o décimo sétimo cardeal arcebispo de São Paulo é Dom Odilo Pedro Scherer. Quando era Dom Cláudio Hummes a mídia certa vez noticiou : “O cardeal-arcebispo de São Paulo, dom Cláudio Hummes, admitiu que a Igreja está perplexa com as denúncias que provocaram, a época, uma crise no governo Lula. Ela tinha muita esperança neste governo". Esta notícia me ensejou a contar a história que segue, que me foi narrada por um amigo.
Uma argentina, sua conhecida, que tinha paixão pelo Brasil, particularmente pelo Rio de Janeiro e mais especificamente por Copacabana onde costumava se hospedar em casa de amigos. Sempre quando podia e as condições financeiras permitiam, ela vinha passar suas férias no Brasil. Um dia seus anfitriões, por instâncias dela, a levaram para Salvador, onde ficaram todos hospedados numa casa na qual a anfitriã era excelente cozinheira da comida local. Para o jantar, a dona da casa perguntou se ela queria comer um bife com fritas ou a típica comida baiana que ela prepararia. A argentina respondeu: “Em Roma como los romanos; em Bahia, como los baianos”. Aí, lhe foi explicado que a comida baiana leva um tempero forte, mais especificamente a pimenta do reino. “No importa. Quiero como los baianos”. Na hora do jantar todos notaram que a argentina, a cada garfada, tomava um pouco de água, demonstrando sua dificuldade em engolir a comida fortemente condimentada. A dona da casa, quando viu que lágrimas escorriam pelos olhos da argentina, falou: “Não precisa comer mais a nossa comida. Vou pra cozinha e preparo um bife com uma saladinha sem tempero”. A argentina agradeceu, dizendo que ela terminaria de comer o seu prato. No dia seguinte, a anfitriã perguntou: “Quer almoçar outro prato baiano?” E a argentina como se tivesse dizendo o título de um tango: “No, gracias. La pimienta nada más que una ilusion”...
Constatação XXIV
Deu na mídia: “BRASÍLIA – “A votação secreta nas sessões de cassação de colegas malfeitores faz aflorar, entre os parlamentares, o sentimento de compadrio, de corporativismo, de amizade e, também, de dó”, disse o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ao tentar justificar o resultado da votação que livrou Natan Donadon (sem partido) da perda de mandato na última quarta-feira. Ele cumpre pena de mais de 13 anos de reclusão em um presídio de Brasília por desviar dinheiro da Assembleia Legislativa de Rondônia, seu Estado. No dia em que foi "absolvido" pelos colegas deputados, ele fez um discurso na tribuna no qual reclamou das condições e da comida da cadeia. Donadon acabou afastado do cargo e deu lugar ao suplente depois de uma manobra regimental comandada por Alves”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas a votação foi secreta. Claro os covardes deputados não quiseram mostrar a cara. Os deputados continuam demostrando que estão as tintas com o que pensam deles e menos ainda com o movimento das ruas.
Constatação XXV
A turma estava jogando conversa fora na Boca Maldita, cá em Curitiba, quando um dos componentes, um gorducho, contou que estava consumindo a semente de chia, pois havia descoberto as suas propriedades e explicou: “Li no google que entre os principais componentes estão as fibras, cálcio, magnésio, potássio, proteína e ômega-3 e que ajuda a emagrecer”. Aí alguém questionou se ele já estava emagrecendo e ele respondeu afirmativamente e, respondendo a outra pergunta disse que já havia emagrecido uma grama. Ninguém quis magoá-lo e todos contiveram o riso. Aí, o considerado filósofo pelos demais, proferiu do alto da sua sapiência: “Assim como diz o ditado popular de que de grão em grão a galinha enche o papo, no teu caso de grama em grama você esvazia a pança”. Coitado!
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br