quarta-feira, 9 de outubro de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De diálogos curtos e grossos, rimados).
-“Você poderia fazer algum empréstimo para mim?”
-“Não. Não posso. Estou acabando de voltar da Holanda e só tenho cá comigo dinheiro em florim”.
Constatação II (De um pseudo-haicai).
A velhice é inclemente.
Pra mim,
Ela nunca mente.
Constatação III
Não se pode confundir torvelinho, que o dicionário Houaiss dá como “substantivo masculino. Movimento de rotação em espiral; redemoinho, remoinho” com tô velhinho, muito embora as ideias, os pensamentos e a falta de memória se sucedem em grande velocidade num torvelinho, numa espiral. Em descenso...
Constatação IV (Colaboração do leitor e grande Amigo Irani Trentin, o Peninha, com os devidos agradecimentos).
O Governo Lula se distinguia
Por hipóteses casuais.
E a Pátria Brasil se extinguia
Por políticas(os) causais.
Constatação V
Deu na mídia: “Segundo pesquisa recente do IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, a distribuição de renda no Brasil é a segunda pior do mundo, perdendo apenas para Serra Leoa: 1% dos brasileiros mais ricos detêm uma renda equivalente aos ganhos dos 50% dos mais pobres”. Como o Brasil nunca apreciou muito a condição de vice, é de se imaginar que, logo, logo, passaremos a condição de campeões. E, já íamos esquecendo, pedindo perdão aos leitores por esse lapso, viva “nóis”.
Constatação VI
Não se pode confundir babaca com boboca, ainda que o Aurelião dê o mesmo significado de tolo para ambas as palavras. Afinal, depende também do sentido, da entonação, da dicção da... Deixa pra lá...
Constatação VII (De uma dúvida crucial).
Se, a cada falcatrua, fraude, maracatuia, lesão, que vem ocorrendo em certos países, correspondesse entrada de, por exemplo, divisas de igual valor, será que daria para quitar eventuais dívidas externas? Depende do país? Da intensidade das falcatruas? Do grau de endividamento? De outros fatores, aqui não arrolados? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VIII
Certa vez, antes do início de uma Copa das Confederações o jogador Ronaldinho Gaúcho, de quem este assim chamado escriba é um admirador de seu futebol, declarou: "é preciso treinar mais para escapar da marcação, porque a Argentina marcou bem e isto saiu caro. Também precisamos treinar para não dar espaço ao adversário". Como um dos 180 milhões de técnicos deste país, tomo a liberdade de sugerir, mui respeitosamente, diga-se de passagem, para que se pratique mais a troca de passes perfeitos e os chutes à distância. Quanto à empáfia dos hermanos, o racismo de alguns deles, bem como a violência que eles praticam no futebol, não há necessidade de imitar ou copiar.
Constatação IX
Em certa época, no Brasil, discutiu-se se cunhado é parente, quando o engenheiro Leonel Brizola, que era casado com a irmã do ex-presidente João Goulart, afirmava que não, já que estava sendo impedido de se candidatar a determinado cargo público. Dentro dessa linha de raciocínio, Rumorejando levantou a questão com relação ao genro e a nora. Quando se discute o nepotismo, o deputado Jair Bolsonaro questionou: “E as amantes?” Data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando acha que as amantes sempre foram, são e serão intocáveis. Estamos nos referindo sob o ponto de vista de envolvê-las nessa questão de nepotismo. Nos demais casos, se forem intocáveis – o que, segundo alguns, seria um desperdício – não seriam amantes. Seria uma frustração geral...
Constatação X (De dramas conjugais com fim feliz para certas pessoas e infeliz para outras).
Após haver
Tomado
Umas pingas
Ali no bar
Da esquina
Ele chegou
Naquela
Tradicional rotina
No lar doce lar
Com o olhar
Anuviado,
Esgazeado,
Vendo tudo dobrado.
Para lhe bater,
A mulher
Já o esperava
Com o rolo
De macarrão
Na mão.
“Era só o que faltava!
Duas mulheres,
Lamentavelmente,
Não nuas
Com duas
Bracatingas”,
Ele falou.
“Me bata, se quiseres,
Minha querida
Amor da minha vida;
Consolo meu,
Do meu sofrido,
Empedernido
Coração.
Quem te adora,
Apaixonadamente,
Só sou eu
E eu posso
Te explicar
Esse troço
De só agora,
Em tão avançada
Hora
Eu chegar”,
Ele exclamou,
Todo choramingas,
Num linguajar
Enrolado,
Numa voz de falsete.
E ela,
De há muito vacinada,
Que sabia
Que aquela
Não seria
A última vez
Baixou
O assim chamado
Rolo-porrete,
Com avidez,
No seu costado.
Coitado!
Coitada!
Constatação XI (Ah, esse nosso vernáculo).
Passada a pirraça, em Passaúna, perto de Passa Quatro, ela comeu, semana passada, ali, na praça, uma passa que já estava passada.
Constatação XII (Rememorando).
A prisão do zagueiro argentino Leandro Desábato, do Quilmes da Argentina por injúria  com agravante de racismo contra o jogador brasileiro Grafite do São Paulo vai servir de exemplo para o mundo inteiro onde, cada vez mais, vem se verificando tais tipos de manifestações. E não faz muito tempo, nem Coritiba, nem Atlético permitiam o ingresso de jogadores negros nos seus planteis. Não sei se esses fatos têm sido narrados nos livros sobre esses dois clubes. Quanto a esse aspecto, o meu Ferroviário era bem diferente. Inclusive, nos congraçamentos de fim de ano, ou nas comemorações de campeonatos ganhos, se realizavam jogos de brancos contra pretos. A festa era de todos. Bons tempos do meu Ferroviário. Está aí o desembargador Adolfo Krüger, o Afinho, para testemunhar.
Constatação XIII
Não se pode confundir cúpula com crápula, muito embora tenha muita cúpula de partidos, em certos países, que é constituída de, pelo menos, um crápula. A recíproca não é necessariamente verdadeira já que há crápula que não milita em partido algum. Ele crapuleia em outras atividades.
Constatação XIV
A “fera”,
Chegou
Meio de afogadilho
Ou melhor,
Adentrou,
Tropeçou,
Quase se espatifou
Em seu lar
Numa pior:
Com os olhos
Que pareciam,
Postiços
Olhos de ressuscitado,
De manso boi
De tão mortiços.
Até careciam
De brilho
E não foi
A vez primeira.
Também pudera
A bebedeira
(Ah, eternamente,
A saideira!)
E a comilança
De encher qualquer
Comedida pança
Tinha
Sido
Homérica,
Pantagruélica.
“Não fui o culpado”,
Explicou
Todo engrolado:
“Fui voto vencido.
Fui, praticamente,
Obrigado
A acompanhar
Pra tomar
Somente
Umazinha.
Mas sabe como é
Né?
Minha amada
Gatinha”
“Mas que desculpa!”,
Bradou
A mulher
Com o estomago revolto,
Enojada,
Angustiada,
Desesperançada:
“Vou embora,
Já,
Imediatamente,
Agora
E não volto,
Para cá,
Nunca mais.
Vou arrumar
Um namorado,
Um novo lar.
Você, como seus amigos,
Como seus ancestrais,
São todos uns animais
Irracionais,
Boçais.
Merecem, todos, jazigos”.
Coitada!
Coitado!
Constatação XV
Como Rumorejando já publicou anteriormente: “Em certos países, os maus-caracteres são sempre os outros”.
Constatação XVI (De uma dúvida crucial).
Patriota, em certos países, é aquele que não compactua de maracutaias?
Constatação XVII
E já que falamos no assunto, o “maracuteiro” *, de qualquer dos três Poderes da República, quando flagrado, alega que querem acabar com a Democracia, menciona o nome de D´us, da Liberdade, perseguição política, “que a Justiça prevalecerá” e assim por diante.
*Rumorejando está sugerindo aos filólogos o neologismo “maracuteiro” com o significado de quem pratica maracutaia.
Constatação XVII (De uma dúvida crucial. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado).
Perdura,
Com tristura
E sem candura,
A semeadura
Da agrura
De arranhadura,
De amargura,
Nessa “democratura”
Onde tanto caradura,
Usando sua investidura,
Comete mordedura,
Com desenvoltura,
Sem levar descompostura,
Da pouca fartura,
A “rapadura”
Quando mistura,
A do país com a da sua figura,
Sem censura,
E sem ir à chefatura.
Puxa! Que falta de lisura!
De lhanura.
Será que, porventura,
Haverá a ruptura,
Algum dia, sem lonjura,
Já, agora, sem era futura,
Dessa execrável sangradura?
Dessa terrível retalhadura?
Dessa lamentável postura?
Constatação XVIII
E como lucubrava o obcecado: “Tá certo que há um mandamento que não se pode cobiçar a mulher do próximo. Mormente se o próximo estiver próximo... Bem, deixando de lado essa brincadeira, eu não cobiço porque não tenho necessidade tantas são as que me abordam. No entanto, as mulheres que cobiçam os homens das outras, elas podem? Afinal o tal mandamento não fala nada sobre isso. Será que, quando D´us passou os 10 mandamentos para o tal de Moises, lá no Monte Sinai, não deixou de esclarecer essa, digamos, pendência? Quem souber explicar melhor, por favor, deixar um comentário no blog do Juca. Obrigado”.
Constatação XIX
E já que falamos no assunto, o mandamento “Não roubarás” não vale para os políticos, governantes e outros bípedes? Algum leitor de Rumorejando tem visto ou ouvido na mídia algum dia que não houve algum caso de desobediência do referido mandamento?
Quem conseguir mencionar que não houve, receberá um prêmio, representado pelo troféu intitulado Ingenuidade.
Constatação XX
A raposa, a sabichona, quando, na fábula de Esopo, elogiou o corvo, que estava com um queijo no bico, com relação a sua – dela – beleza, fazendo o dito cair, quer dizer que tanto um como o outro era vegetariano? Quem souber se ambos eram vegetarianos, favor informar esse assim chamado escriba que considerará, além de amigo desses animais, também colega deles. Obrigado pela atenção.
RICOS & POBRES.
Constatação I
Rico se elege gastando uma fortuna; pobre, vota nele.
Constatação II
Rico se equivoca; pobre, erra.
Constatação III
Rico vive na magnificência; pobre, na carência.
Constatação IV
Rico é cortês; pobre, não se comporta.
Constatação V (Colaboração antiga do leitor – e grande Amigo – Edson Ferreira dos Santos, da cidade de Maringá – Paraná).
1: Rico quando morre é sepultado; pobre quando morre é enterrado.
2: Rico, bêbado, é divertido; pobre, bêbado, é pervertido.
3:  Rico, usuário de droga, é dependente; pobre, usuário de droga, é viciado.
4: Rico é sepultado no mausoléu; pobre, certas vezes, fica jogado ao léu.
Constatação VI
Rico é calvo; pobre, é careca.
Constatação VII
Rico excita; pobre, bolina.
Constatação VIII
Rico ordena; pobre, pede.
Constatação IX
Rico diz “coisa alguma”; pobre, “porra nenhuma”.
Constatação X
Rico é glorificado; pobre, depreciado.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: