quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (De um pseudo-soneto).

Sofrimento e/ou Coitado de mim

Senti um amor incomensurável,
Lá no banco, pela minha gerente.
Ela tomou ciência disso e amável:
“Vá pentear macaco! Use seu pente”.

Foi um embargo infringente
Nas minhas boas intenções.
Ela me deixou descontente
Com minhas perdidas ilusões.

Resolvi mudar de agência
Para curar a minha amargura
Dessa espécie de insolvência.

Não é que ela foi transferida
Exatamente para a mesma lonjura.
Aí tudo ficou na tristeza já sofrida.

Constatação II (Mero desprezo ou imbecilidade? Dúvidas cruciais).
Quando a governadora do Maranhão diz que o que aconteceu em Pedrinhas se deve que o Maranhão está ficando rico, ela está debochando da nossa inteligência ou, como todo político ela subestima seus leitores e ouvintes, ou ainda ela está às tintas o que vão achar e pensar a respeito dela? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação III (De uma dúvida não necessariamente crucial. Perdão, caros leitores, por antecipação).
Foi o siri que, por estar brigando com a mulher, que não parava de tocar gaita, aí a chamou de sirigaita?
Constatação IV (De outra dúvida. Também como a anterior, não necessariamente crucial).
E foi o porco-espinho que gritou para a sua – dele – mulher: “Você é um espinho, uma espetadela na minha sofrida existência”?
Constatação V (De uma quadrinha para ser recitada onde houver ouvintes dispostos a escutá-la, ainda que com um ou outro ponto nebuloso, isto é, não devidamente esclarecido).
Se você enveredar por uma rua
E notar que um mulherão está te seguindo
Nesse auspicioso caso você não recua
E pergunta: “É pra lá que você está indo?”
Constatação VI (De uma dúvida crucial. Para uns, um sonho; para outros, um pu, digo, um baita pesadelo).
Ele sonhou que era deputado
E, no sonho, àquela tentação:
“Devo ficar sempre comportado,
Ou reivindicar o tal do mensalão”.
Constatação VII (De uma quadrinha para ser recitada por quem tem imposto de renda descontado na fonte).
Desenvolvi um tema
Facílimo de explicitar:
Diante do leão não trema
A Receita vai te reembolsar.
Constatação VIII
Este assim chamado escriba não acredita em reencarnação e não gostaria de polemizar a respeito. Sem querer ofender os que acreditam, o assim chamado escriba questiona se quem foi uma pessoa boa, que fez o bem, não cometeu pecados irá reencarnar nos países nórdicos? Quem cometeu pecados e demais irá reencarnar na África, ou em certos países da Ásia ou na América Latina, Brasil incluso?
Constatação IX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Rombo da Previdência cresce e governo quer apertar regras para benefícios. Déficit cresceu de R$ 42,3 bi em 2012 para R$ 49,9 bi no ano passado; um dos planos é endurecer as regras para a concessão de auxílios-doença e aposentadorias por invalidez”.
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando teme que depois desses planos de endurecer as regras, a Previdência tome, também, a providência de contratar pistoleiros, médicos ou não – o que em nosso país não é difícil encontrar – para ir paulatinamente liquidando os aposentados. Vige!
Constatação X
Não se pode confundir rapacidade com capacidade, muito embora para certos políticos e governantes, acrescidos de alguns simples mortais, quem não utilizar a rapacidade demonstra ser uma pessoa com falta de capacidade. A recíproca não é necessariamente verdadeira.
Constatação XI (Digressões em torno de assuntos de transcendental importância para o futuro da Humanidade).
Toda gata bombada e/ou siliconada não se importa em vestir um biquíni fio dental ou mostrar ou quase mostrar os seios. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando pensa que é por não estar mostrando exatamente o original, já que passou para uma condição, de certo modo emprestada, não totalmente a anterior dela. Vige!
Constatação XII

 Diálogos meio acerbos com final surpreendente.

Quando ela me chamou de fajuto
Depois de ter obtido de mim desfruto,
Como se eu fosse apenas um reles produto,
Aquilo me deixou infinitamente diminuto.
Fiquei tão arrepiado que senti até meu cabelo hirsuto.
Logo eu que sempre me considerei impoluto,
Possuidor de impecável atributo,
De comportamento ilibado; de maldade, devoluto.
Com essa corrupção grassando, seria taxado de matuto,
Por nunca, nunca, jamais, ter sido dissoluto.
Aí resolvi tomar uma providência, resoluto,
Já que certos assuntos eu não discuto.
Ela, no embalo que estava ainda me chamou de cornuto.
E eu: “Não adianta. Eu não te escuto.
Aqui eu não fico nem mais um minuto.
E nem quero o teu salvo-conduto.
Chega de sustentar teu luxo, tanto que eu labuto.
Não vai ser difícil você arrumar um substituto
Que se disponha a te prestar tributo.
Pegue, no meu lugar um songamonga. Não um astuto
E que também não seja um cara arguto.
Que comungue pelo teu execrável estatuto.
E ela: -“Tomara que você pegue escorbuto
E que nem te adiante a injeção, dolorida, de bismuto.
E assim a dor e a doença atinja o ápice, o cocuruto.
Àquela que, após, algumas pessoas ficam de luto.
E no inferno te queimem as partes com charuto”.
-“Essa tua grosseria eu nem computo.
Palavras ásperas com você eu não permuto
Você sabe que eu não sou um sujeito bruto
Ao contrário. Eu sou um cara limpo, enxuto.
Mas, você, ta precisando se medicar pelo instituto!
Daí, talvez, tua neurose melhore e sofra um reduto.
Eu vou ter com a gata que me abordou no aqueduto
No bonde no Rio de Janeiro que circula naquele duto.
Afinal, a bola vindo à minha direção, eu chuto”.
“Vá! Por mim você pode ir até pra... Maputo.
Mas antes de ir venha me dizer adeus, que importante eu reputo.
Eu não falei em me beijar. Com a tal gata eu não disputo.
Puxa! Você está me tirando a roupa. Ah, meu bem, daí, eu não reluto...

Constatação XIII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão:Porto Alegre - O secretário geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, disse no Fórum Social Temático Crise Capitalista, Democracia, Justiça Social e Ambiental, em Porto Alegre, durante a conferência "Contra o Capital, Democracia Real", que algumas esferas do governo consideraram 'ingratidão' a realização das manifestações populares de junho, quando milhares de pessoas foram às ruas por melhorias nos serviços públicos. O secretário geral da presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, admitiu que governo e movimentos sociais aliados ficaram "perplexos" com os protestos de junho do ano passado, quando milhares de pessoas foram às ruas pedir qualidade no serviço público e expressar contrariedade com a Copa do Mundo no Brasil. Ao mesmo tempo afirmou que a direita ‘inicialmente fez festa’ por entender que as manifestações se configuravam como contrárias à administração federal”.
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando gostaria de saber por que, até agora, o governo não procurou resolver a excrescência dos serviços, dentre outros, de Educação, Saúde e Segurança no país. Estes os mais prementes e urgentes. Quem puder perguntar a S. Excia. e aos demais partícipes do atual governo – a senhora presidente da República inclusa – e conseguir obter uma resposta de preferência plausível, por favor, comunique através do blog para que se possa informar aos nossos prezados leitores. Obrigado pela atenção.
Constatação XIV
Como é do conhecimento dos prezados leitores do blog deste assim chamado escriba, no dia 9 de dezembro próximo passado lancei, na Livraria Cultura do Shopping Curitiba, o meu segundo livro, intitulado 150 Sonetos & 1 Sonetão (Pseudos). Até a presente data, recebi várias manifestações de alguns leitores que lá compareceram para me prestigiar, pelo menos para mim, o feliz evento. Transcrevo a seguir alguns fatos inerentes ao livro:
Um leitor, de idade entre 60 e 70 anos, casado, em segundas núpcias com uma cidadã de cerca de 40 anos ou menos, ao ser informado, por mim, que dos 150 sonetos, 40% eram eróticos, externou o seguinte reparo: “Então eu não vou mostrar o livro para a minha mulher para ela não se assanhar”.
Um segundo leitor, muito amigo da família, me ligou e disse: “Juca, eu estou lendo devagar o teu livro e tenho um reparo a fazer”. Respondi: “Por favor, faça. Eu sempre estou disposto a receber críticas sejam favoráveis ou não. Sou todos ouvidos”. E ele: “O teu livro deveria ser proibido para menores de 18 anos”.
A uma leitora, viúva, a quem eu pedi seu endereço eletrônico, a fim de enviar fotos que foram efetuadas no lançamento do livro, contei a história do “proibido para menores de 18 anos”. E ela: “Não só para menores de 18 anos, mas para viúvas também”...
Constatação XV
O Fórum Econômico Mundial encerrou sua reunião anual em Davos. O FMI elevou sua previsão de crescimento mundial em 2014, de 3,6% a 3,7%. Larry Fink, presidente do BlackRock, o maior fundo de investimento do planeta com mais de 4 trilhões de dólares em carteira, pediu prudência.
Por várias vezes, Rumorejando fez referência no blog à Taxa Tobin que, segundo a Wikipédia “é um tributo proposto pelo economista americano James Tobin, da Universidade de Yale, laureado com o Prêmio Nobel de Economia em 1981. Esse tributo incidiria sobre as movimentações financeiras internacionais de caráter especulativo, que deveria variar entre 0.1% e 0.25%”. Se o prezado leitor levar em conta que os 4 trilhões de dólares sejam de caráter especulativo e sobre a sua movimentação incidisse a taxa de 0,1 %, teríamos 4 bilhões de dólares; Se a taxa fosse de 0,01% teríamos 400 milhões de dólares. Este valor já daria para fazer investimentos para ajudar a eliminar a fome do mundo. Como isso jamais vai ocorrer e as distâncias entre pobres e ricos continuará na base de 1% da população do mundo detendo a metade do PIB mundial, Rumorejando propõe, respeitosamente, que essas reuniões todas devem mudar de nome, por exemplo, para Fórum Mundial da Empulhação. Reunião dos G8 ou G20 para Reunião de Nada ou de para G Zero e que todos os participantes vão à pqp. Tenho dito e, se for preciso, assino em baixo e reconheço a firma em cartório (Cartório? Outro achaque nos pobres mortais).
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Deu na mídia, mais precisamente no Estadão, na coluna do jornalista Jamil Chade, no dia 20 de janeiro, próximo passado):
“Direitos Humanos”.

“1% da humanidade controla 50% do PIB mundial”.
“GENEBRA – Metade da riqueza do mundo está nas mãos de apenas 1% da população mundial. Dados divulgados hoje pela ong Oxfam revelam o tamanho da disparidade social no planeta e num processo que ganhou força desde 2008, quando a crise mundial afetou em especial as classes médias”.
“A desigualdade social é considerada como tão profunda hoje que começa a assustar até os organizadores do Fórum Econômico Mundial de Davos, considerados como os arautos do capitalismo. Um informe preparado pela entidade que nesta quarta-feira começa seu encontro na estação de esqui na Suíça revela que as disparidades sociais são riscos reais para a estabilidade internacional. Entre os riscos para o mundo, Davos aponta que a disparidade é o maior deles”.
“Mas é o estudo da Oxfam que traz os dados mais reveladores. 85 fortunas mundiais acumulam a mesma riqueza que 3,5 bilhões de pessoas. Ou seja, metade da humanidade. Na prática, 1% das pessoas controlam 50% do PIB do planeta. O documento será apresentado aos magnatas do mundo em Davos, muitos dos quais são até hoje apontados como os responsáveis por ter incentivado um cenário de irresponsabilidade financeira”.
“Desta vez, serão confrontados com números claros. Nos EUA, 95% do crescimento gerado após a crise de 2008 ficou nas mãos de 1% da população”.
“Na Europa, as dez pessoas mais ricas do Velho Continente mantém fortunas equivalentes a todos os pacotes de resgate dados aos países da região entre 2008 e 2010, cerca de 200 bilhões de euros”.
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas este assim chamado escriba, nos seus quase 77 anos, não acredita que quaisquer reuniões venham a modificar essa situação, assim como outras nos diversos níveis regionais, Brasil, inclusive. Tenho, lamentavelmente indignado, dito.
Constatação II
E como dizia aquele marido, casado mais de trinta anos com a mesma mulher que o sustentava: “Conviver e aguentar a Fulana foi um périplo. Tive que, muitas vezes, dar uma de malabarista ou, se não, acrobata. Vige!”
Constatação III
Deu na mídia: “Gato recebe por sete meses benefício do Bolsa Família”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o tal gato, inspirado nos assim chamados humanos, deu uma de gato. Se fosse na pátria dos ‘hermanos’ o gato seria considerado “raton”.
Constatação IV
Quando o obcecado leu no site do Estadão que “Órgão público dos EUA critica gasto milionário com bombas penianas”, proferiu do alto da sua – dele – sapiência: Como é que pode criticar um investimento de tão importante e transcendental utilidade para tantos e para o futuro da Humanidade?  Vige!”
Constatação V (De uma dúvida crucial).
A revista Forbes divulgou, dentre outros, cinco pastores brasileiros mais ricos do nosso país. E já que tocamos no assunto, quando um pastor afirma que Jesus não gosta que se dê pouco dinheiro será que ele recebeu procuração de Cristo para falar em Seu nome? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VI (De outra dúvida crucial).
Ainda falando no mesmo assunto: Será que a Receita Federal questiona a origem do dinheiro que transformou um pastor em uma pessoa riquíssima?
Constatação VII (De uma terceira dúvida crucial).
Será que aquele deputado que “acertou” várias vezes na loteria federal, alegando que não tinha culpa se D´us o havia ajudado que tal acontecesse, recebeu diretamente, ou através de um anjo, instruções para comprar determinado número do bilhete premiado?
Constatação VIII (Quadrinha resultante do calor abafado deste verão curitibano).
Ficava numa posição decúbito dorsal
Para receber aragem nas partes pudendas,
Dizendo que Netuno com aquele vento estival
Estava, por seu mérito, fazendo a ela oferendas.
Constatação IX (Quadrinha para ser recitada para si mesmo como consolo).
Falou a sua lindíssima e querida gerente do banco:
“Diz o ditado: Quem ama o feio, bonito lhe parece!
Acho você feia com esse seu humor, seu atravanco”.
“Pra não perder o cliente, não digo: Vê se me esquece”.
Constatação X (Quadrinha criada por um apaixonado que me pediu anonimato e para ser publicada em Rumorejando).
Ela tinha palavras pequeninas
Sem incógnitas de xis ou ípsilones
Tinha ternurinhas bem femininas
Que me deixavam as noites insones.
Constatação XI (Ponderações do mesmo cara apaixonado, citado na constatação anterior).
Tem mulheres lindíssimas que gente não se cansa de olhar e que tem finura;
Tem mulheres que não são lindíssimas que a gente não se cansa de olhar pela sua finura;
Tem mulheres que não são lindíssimas e não tem finura e que cansa a gente só de olhar.
E mutatis mutandis, no meu caso particular, a modéstia me impede de eu me definir.
Constatação XII
Ao contrário dos vícios do cigarro, bebida, jogo e droga, mulher, chimarrão e cachorro são vícios que fazem bem a saúde. Tenho modesta e abalizadamente dito.
Constatação XIII (De diálogos entre profissionais).
Quando o obcecado, que queria maneirar a sua obsessão que era muito exacerbada, respondendo a uma pergunta do seu psicólogo se ele se considerava um cara feliz, respondeu negativamente.
-“Mas eu sempre lhe vejo acompanhado de belas mulheres. Afinal, o senhor, pelo assédio delas, deve se considerar um sujeito bem apessoado”.
-“Bonito, o senhor quer dizer”.
-“Digamos que sim. Na América Latina em geral e no Brasil em particular, um homem dizer que outro homem é bonito pode comprometer a sua virilidade”.
-“É verdade. Mas isso, não me traz uma felicidade completa”.
-“Por quê?”
-“Porque as mulheres que se interessam por mim são de uma burrice tal dignas de figurarem no Livro Guiness de Recordes. E se não for essas, são outras mulheres que têm o platinado colado”.
-“Platinado colado? O que vem a ser isso?”
-“São pessoas que já estiveram em casas de saúde de doentes dos nervos. Como o senhor deve saber, rico vai para casa de tratamento dos nervos; pobre, para o hospício...
Tudo isso me faz pensar que só burras e loucas estão a fim da minha douta e modesta pessoa”.
-“Ah, entendi. Vou tratar de lhe devolver sua autoestima em umas 10 sessões”.
-“E quanto vai me custar esse tratamento?”
-“Lhe faço um precinho especial: Mil reais cada sessão”.
-“Vige!”
Rumorejando não ficou sabendo se o obcecado concordou em fazer o tratamento. Tão logo obtenhamos essa informação, daremos a conhecer aos nossos estimados leitores. Obrigado pela compreensão. No entanto, de todo este diálogo uma coisa pode-se inferir: A ficção imita a realidade e a realidade imita a ficção. Temos humildemente dito.
Constatação XIV
Deu na mídia, mais precisamente na Gazeta do Povo: “O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que enquanto ele continuar desempenhando seu cargo, Washington não voltará a espionar à chanceler alemã, Angela Merkel”. Quanto ao Brasil, o presidente da maior Potência do Planeta Terra, nada falou. Vige!
Constatação XV
E já que falamos no assunto, quando a presidente da República suspendeu a viagem que ia fazer para os Estados Unidos por causa da espionagem dos Estados Unidos, a nação aplaudiu a atitude de S. Excia. Aliás, data vênia, como diriam nossos juristas, para Rumorejando foi o grande feito do seu governo. Embora os “irmãos do norte” estejam às tintas para os demais países do nosso velho mundo... Quanto a Saúde, a Educação e a Segurança quem souber se a senhora presidente fez algo para melhorar, por favor comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVI (Teoria da Relatividade para principiantes).
Também deu na mídia. Também no jornal Gazeta do Povo: “Um turista britânico de 62 anos foi morto a bordo de um barco próximo da ilha de Santa Lúcia, no Caribe, segundo a polícia. A morte ocorre em meio a um aumento da criminalidade na ilha, fato que as autoridades atribuem ao tráfico de drogas. O ministro do Turismo ressaltou que, apesar dos incidentes, a ilha continua sendo um lugar “relativamente seguro” para se visitar.
Constatação XVII
Data vênia, como diriam nossos juristas e, no caso, talvez também aos nossos cinéfilos, o filme Maria Cheia de Graça é imperdível. A nossa América Latina, particularmente a Colômbia, onde também se passa o filme, assim como outras regiões do nosso degradado Planeta, é abordada em alguns dos seus trágicos aspectos de falta de perspectiva, de trabalho, de futuro, enfim. Respeitosamente, tenho dado a sugestão.
Constatação XVIII (Meio surrealista? Meio infantil? Meio juvenil? Ou um pouco de cada? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado).
Um gargalhar
Sardônico,
Entrecortado
Por um pigarro
De quem
Tem
Asma,
Ou abusou
Do cigarro
Se escutou
No castelo
Mal assombrado.
Todo arrepiado,
Catatônico,
O fantasma,
Que lá habitava,
Ali morava
Assustado,
Afônico,
Sem poder balbuciar
Nem um som
Foi averiguar,
Cauteloso,
O que se passava.
Era uma hiena,
Pequena
Que há uma quinzena
Fazia uma reunião
Com suas camaradas
Para falar
Mal do rei leão,
Assaz preguiçoso,
E contar piadas
Não necessariamente
De salão,
Tão-somente.
Constatação XIX (De diálogos coloquiais entre mãe e filha nos tempos atuais).
-“Tá certo, mãe, o que você diz que o meu namorado tem um QI baixo, mas ele tem um IQC elevado”.
-“IQC? O que quer dizer isso?
-“Índice de quantidade de comparecimento”.
-“Ah bom! Quer dizer, Ah ruim, quer dizer... Deixa pra lá... Esquece...”
Constatação XX (De dúvidas não necessariamente cruciais. Mas, apenas, por mera curiosidade).
Qual será o Quociente de Inteligência (QI) daquelas pessoas que picham os prédios e casas em geral e também as estátuas? Essas, como no caso particular do casal pichador, no Rio, da estátua de Carlos Drumond de Andrade? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.

RICOS & POBRES

Constatação I
Rica faz ensaio sexy; classe média, ensaio sensual; pobre, ensaio pornográfico.
Constatação II
Rico cria uma estória fina; pobre, cria uma mentira grossa.
Constatação III
Rica tem bunda altiva, rebolativa e senhora de si; pobre, tem bunda melancólica, cabisbaixa, meditabunda.
Constatação IV
Rico se desveste; pobre, anda pelado.
Constatação V
Rico, eventualmente, é recriminado (por alguém mais rico, é claro, ou, talvez pela mulher); classe média, reprimenda; pobre, leva pito.
Constatação VI
E já que falamos no assunto, rico, quando morre, a sua – dele – alma vira ectoplasma; pobre, quando bate com as dez ou estica as canelas ou vai para a sociedade dos pés juntos, a sua – dele – alma vira fantasma.
Constatação VII
Rico esquia na Galícia; pobre se esquiva da polícia.
Constatação VIII
Rico vive a velejar; pobre, a remar*.
*Enfrentar obstáculo ou realizar tarefa com ardor; trabalhar, lidar, lutar (Houaiss).
Constatação IX
Rico se dedica ao lazer; pobre, a sobreviver.
Constatação X
Rico calcula a raiz quadrada de cabeça; pobre, sem raiz, tem a cabeça quadrada.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Não se pode confundir nutridos com nitridos*, muito embora grande parte dos deputados, senadores e governantes, sempre bem nutridos, considera que o povo, inclusive os que os elegeram, ser constituído por pessoas que soltam nitridos. A recíproca não é verdadeira. Os que soltam nitridos merecem respeito; os bens nutridos, anteriormente referidos, jamais.
*Nitrido = Substantivo masculino.
Ato ou efeito de nitrir, de relinchar (o cavalo); rincho (Houaiss).
Constatação II
Tendo em vista a época moderna que estamos vivenciando, Rumorejando, no afã de colaborar com os nossos filólogos e cultores do vernáculo faz a seguinte sugestão de neologismo: namorante = namorado + amante, em lugar do já consagrado namorido = namorado + marido. O feminino seria namoranta = namorada + amanta (baseado na tal de presidenta, sugerido pela presidente (a) Dilma Rousseff).
Constatação III
Comentou a filha para a sua – dela – mãe: -“O meu marido é muito competente”.
Comentou a mãe para a filha: -“De fato ele é. Os seus três anteriores maridos também eram”...
Nota de esclarecimento: Não foi possível detectar qual o grau de competência referido, tampouco em quê. Quem souber, por favor, comentários no blog para Rumorejando poder informar aos seus inúmeros leitores. Obrigado.
Constatação IV
Quem é aposentado pelo INSS é, de tempos em tempos, instado a provar que continua vivo. Seria como um atestado de que continua existindo e, se for rico, não virou um abantesma*; se pobre, um fantasma. Vige!
Abantesma = Substantivo de dois gêneros
1. Alma do outro mundo, fantasma, espectro; aparição terrificante (Houaiss).
Constatação V (De um pseudo-soneto, com permissão dos meus amigos paraguaios, particularmente o Dr. Javier Salvador Gamarra).

Quebra-galho

Ela veio chegando
Toda vaporosa
Toda mimosa,
Já reclamando:

“Que calorão!
Tô doidona
De pegar carona
Nesse teu chimarrão”.

“Melhor seria,
Mas me dá azia.
Um picolé”.

E eu com desvelo
Fui buscar gelo
Improvisando um tereré.

Constatação VI
Adiós Nonino (em português Adeus Nonino) é uma peça musical de tango composta pelo músico e compositor argentino Ástor Piazzolla, considerada por muitos como uma das melhores e mais representativas obras do autor. O tango foi composto por Piazzolla em outubro de 1959 na cidade de Nova Iorque (onde então residia), dias depois da morte de seu pai, Vicente Piazzolla, a quem seu filho costumava chamar de Nonino (avozinho em italiano). A obra ficou famosa quando ela foi executada no casamento real do rei Willem-Alexander com a rainha Máxima Zorreguieta, da Holanda. Numa entrevista de 1990, Piazzolla declarou que este era seu tango "número um". Se o leitor se der ao ‘trabalho’ de escutá-la verá que, como muitas, é de uma tristeza profunda, e, data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando acha que não seria o caso de ser tocada em um casamento.

 
Clique e assista a apresentação
 
 
 

Isto me fez lembrar, quando publiquei meu primeiro livro Rimas Primas & Outras Constatações, em 2004, na página 72, há um texto onde faço referência através de uma quadrinha, ilustrada (Figura ao lado) pelo saudoso Cláudio Seto, que transcrevo a seguir:

 

      O casamento tava assim enfadonho
      E com ar infeliz e mesmo lúgubre
      Que imaginei o noivo, tão tristonho,
      Dançando com a noiva a marcha fúnebre.

 

 

 

Constatação VII (Sem querer atenuar, justificar ou inocentar quem quer que seja).
Quando se leu o que a mídia havia noticiado que o, então, presidente do Conselho de Ética da Câmara decidiu afastar preventivamente a deputada Ângela Guadagnin (PT-SP), por quebra de decoro parlamentar, que saracoteou, no plenário, uma dança que ficou consagrada como a Dança da Pizza, para comemorar a absolvição do deputado João Magno (PT-MG) do processo de cassação surge incontinente a dúvida crucial: Só por isso? E outros condenáveis comportamentos, muito piores dos pais da Pátria, como é que ficaram? E as inócuas convocações extraordinárias com faturamento mensal aproximado de R$100mil mensais? E as demissões que zeram o comportamento, como uma espécie de absolvição e poder se candidatar novamente? Quem souber as respectivas respostas de, apenas, os retro mencionados questionamentos, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VIII (De uma dúvida crucial).
Quando o mercado financeiro, com a troca do ministro da Fazenda, não se ressente isso vem ratificar a máxima que “de insubstuíveis o inferno tá cheio”? Quem souber a resposta, por favor, etc.
Constatação IX (Sugestão aos nossos filólogos).
Demeritocracia = predomínio numa sociedade, organização, grupo, ocupação etc. daqueles que têm menos méritos (os menos trabalhadores, menos dedicados, menos dotados intelectualmente etc.).
Demeritocrata = Adepto da demeritocracia. Exemplo: O eleitor.
Constatação X
O deputado,
Igual o senador,
Bem votado
Tão ocupado
Com sua patranha
Ultraja o eleitor
Não só com o que ganha
Também
Por quem
Demonstra seu desamor,
Sua desafeição,
Sua total desatenção.
Constatação XI (Colaboração antiga do saudoso Amigo Renato Emilio Coimbra).
Esta foi contada por Malba Tahan (Prof. Julio César de Mello e Souza), em um ciclo de palestras em Curitiba, no ano de l949 (Eu estava presente e assisti).
Naquela época as novelas eram transmitidas apenas pelo rádio.
As emissoras tinham seus autores selecionados e recusavam os novatos. Estes então escreviam as novelas e vendiam aos “autores” famosos. (Talvez ainda hoje seja assim...).
Na gíria dos autores eram chamados de NEGO.
Um autor tinha tanta confiança em seu NEGO, que recebia os capítulos e os enviava à emissora, mesmo sem ler. Um belo dia abre o jornal e estarrecido lê a notícia do falecimento do seu NEGO. Não havia lido nem ouvido nenhum capítulo, e não sabia como ia dar continuidade ao tema e logo encerrar a novela. Estava nesse drama, quando bateram à sua porta. Abriu, era um desconhecido.
-Bom dia. Eu vim aqui porque soube que o NEGO de sua novela morreu.
- Que Nego, nem sei o que é isso.
- Não se preocupe, eu sou o Nego do seu NEGO...
Constatação XII
De tão histérica
Que ela ficou,
Com a vitória homérica
Do meu Paraná,
Que até mordiscou
O rabo do gato angorá.
Constatação XIII
E já que falamos no assunto o programa Certa Vez, que é apresentado todos os domingos, pela Rádio Educativa, ás seis horas da manhã, e que apresenta, também, música sertaneja, está cada vez melhor. Quem prefere ficar dormindo por achar muito cedo, não sabe o que está perdendo. Tenho certa e sertanejamente dito!
Constatação XIV (Ainda sobre a “Dança da Pizza”).
A deputada,
Com a sua dança,
Sacudindo a pança,
Na sua patuscada,
Nos seus feitos
Acrescentou,
Aduziu,
Adicionou,
Adiu,
Agregou,
Aos tradicionais
Preconceitos,
Tão falta de respeitos
De raça, cor
E religião,
A acepção
Da obesidade,
Já que reclamou
Que se não fosse obesa
Seria uma beleza
Pois não teria sido atacada,
Condenada,
Pela oposição,
Com tamanha ferocidade,
Com tanto rancor.
Coitada!
Constatação XV (Quadrinha, de dez estrofes (dezecinha, então?) para ser recitada com gestual condizente, em “ança”).
Diante de tanta duvidança,
Da presumida inverosimilhança
Que o meu Paraná teria a liderança
Eu, quase perdi a esperança,
Que pudesse haver uma ganhança
E com essa bem-aventurança
Readquiri no time a confiança,
Pois não tinha mais a lembrança
Quando houve tal bonança
Que comemorei com uma festança
Na qual não faltou uma bela dança.
Constatação XVI (De uma dúvida tão crucial que chega a ser de transcendental importância para o futuro da Humanidade).
Será que a deputada Ângela Guadagnin, depois de que, em nosso país, um ministro foi apodado de “Gordinho sinistro” pretende defender, com sua tese que sofre o preconceito de ser obesa, fazer um regime de emagrecimento, mesmo correndo o risco de ser apelidada de “Magra sinistra” ou algo assim? Quem souber as intenções da retro mencionada, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVII (Ah, esse nosso vernáculo, rimado, que poderá ser recitado, por quem assim o quiser, em lugares onde tal seja passível e possível).
Dizem que eu não presto
Porque eu sou testo*
E não me presto
A fazer protesto,
Ou um simples contesto
Nem manifesto
Contra quem é honesto.
*Testo = “1. Enérgico, firme, resoluto. Que não admite brincadeiras; sério”.
Constatação XVIII
Deu na mídia: “Uma equipe internacional de pesquisadores afirma ter encontrado uma nova maneira de prever ataques de asma a partir da utilização de um modelo matemático”. “Data vênia”, como me disse um grande amigo que tem horror à matemática, “mas até que enfim, tirando as quatro operações e a regra de três, vejo uma utilização dessa matéria que reprova tanta gente por não se haver descoberto um método de aprendizado fácil. O método Kumon, tão bem falado, eu não conheço”.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico vai ao psicanalista; pobre, ao confessionário.
Constatação II
Rico escuta em DVD drama lírico; pobre, escuta na rádio AM, dupla sertaneja (como este assim chamado escriba).
Constatação III
Rico é sofisticado; pobre é prosaico.
Constatação IV, V, VI (Colaboração do Amigo Renato Emilio Coimbra).
-Rico, que cai de bêbado, sofreu um ataque; pobre, que tem ataque caiu de bêbado.
-Rico, amigado, é casado por contrato; pobre, casado, por contrato, é amigado.
-Rico, ladrão, é cleptomaníaco; pobre, cleptomaníaco, é ladrão.
Constatação VII
Rico é proficiente; pobre é chutador.
Constatação VIII
Rico é persistente; pobre é chato.

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De uma quadrinha para ser recitada para um velho amor. Como já é sabido, desde que o velho amor esteja disposto a ouvir).
Vasculho nos meus alfarrábios,
Buscando tua carta de amor
Lá estão registrados teus lábios
Que estão em forma de flor*
*Perdão, caros leitores, de rimar, mais uma vez, amor com flor, mas ninguém é de ferro, nem de platina.
Constatação II
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão do dia 30/12/2013: “BRASÍLIA - Na mensagem de fim de ano em cadeia de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff criticou “alguns setores” que fazem “guerra psicológica” e podem “inibir investimentos”. Aproveitou para listar medidas de seu governo após as manifestações de junho e fez um apelo aos jovens para que comparem o Brasil de hoje com o do passado.
"Se alguns setores, seja por que motivo for, instilarem desconfiança, especialmente desconfiança injustificada, isso é muito ruim. A guerra psicológica pode inibir investimentos e retardar iniciativas", disse a presidente, na fala de 10 minutos.
Rumorejando, nas suas previsões de 2014, publicadas no blog do dia 25 de dezembro próximo passado, escreveu na previsão número 8. “Em certos países, serão implementadas diversas CPI’s, sendo que, todas, fatalmente terminarão em pizza. Algumas, inclusive, serão desmanteladas pelo governo sob a alegação de que o fato acarretará desgaste junto aos credores externos e aos pretensos investidores. A previsão de Rumorejando praticamente deu na tampa!!!
Constatação III
E já que falamos no assunto, será que a corrupção, a violência, a omissão de atendimento às necessidades de atendimento na Saúde e na Educação, que não se ouve falar que a Presidente fez algo para melhorar tais setores, não inibem investimentos? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IV (Você, prezado leitor e eleitor, por um acaso, ou mais acasos, pediu a opinião de quem quer que seja?)
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, "não tem traquejo" para ocupar a Presidência da República na hipótese de o ministro decidir se candidatar ao Planalto. Para FHC, Barbosa não possui as características necessárias para liderar o País e sugeriu que seria "mais positivo" se ele eventualmente se candidatasse ao Senado ou à Vice-Presidência”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas comprar deputados para que FHC pudesse se candidatar para um segundo mandato é excesso de traquejo? Ou talvez outro eufemismo que se costuma dizer “jogo de cintura”? Ou afirmar “esqueçam tudo que eu falei”. Aliás, quais foram as grandes obras de FHC quando, por dois períodos, governou o nosso país? Melhorou a Educação e a Saúde? Ou foi por excesso de traquejo? Ou talvez por falta? A verdade que é preciso ter cara de pau para fazer certos pronunciamentos. E, agora, essa notícia circulando na Internet, no Portal em Pauta:Deu no Pravda: O que têm a ver a CIA, FHC, a guerra fria e a espionagem? Postado por Daniela Novais 11:26:00 06/01/2014”, que é de arrepiar, mostrando a ligação de FHC com a CIA. No Brasil os corruptos e os que “não têm traquejo” para governar são sempre os outros. Vige!
Constatação V(De um pseudo-soneto).

             Desamor e bom senso

Perambulava a palavra parecendo enxerida
No meio do texto da poesia de pé quebrado
Sem achar um espaço onde ficasse inserida,
Deixando o seu autor infeliz e desconsolado.

A palavra era nada mais nada menos que “amor”
Depois que a companheira de anos o abandonara
Na época teve um choque, um abalo, um estupor,
Trocou-o por um sem ética nem moral, um jaguara.

Procurou, afoito, terminar seus inacabados poemas
Que haviam se transformado em impasses, em dilemas,
Se fechando num silencio, num mutismo preocupante.

Os amigos ponderaram que mulheres há em profusão,
Inclusive muitas interessadas, com ele, uma comunhão.
Depois de se convencer, as rimas fluíram num instante.

Constatação VI
Todo esse derrame
De dinheirame
Que fez duma cueca vasilhame
Com o gravame
De ganho infame.
Que vexame!
Constatação VII
Não se pode confundir coçando e casando, muito embora, nesses tempos difíceis, de crise econômico-financeira, quem estiver casando, estará procurando sarna para ficar se coçando, independentemente da sogra que venha a auferir (auferir?). Quanto à recíproca, a dita está sendo analisada por especialistas no assunto. Tão logo tenhamos a resposta, daremos a conhecer aos nossos prezados leitores. Obrigado pela compreensão.
Constatação VIII
E não se pode confundir caçando com cassando, até porque se algum obcecado que esteja caçando conquistas amorosas e se meter com mulher comprometida poderá correr o risco de ter os seus direitos de viver na mesma condição de alguns políticos que só se dedicam, em tempo integral a não legislar – a não ser em causa própria – e se preocupam em ficar cassando os direitos políticos dos seus adversários com ou sem razão e desde que não prevaleça o famigerado corporativismo deles para tais casos. Afinal, quem tem o direito de atirar a primeira pedra, se a maioria tem culpa em cartório? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
O governo,
Nunca sempiterno*,
Faz
E se compraz,
Por tal razão,
Lipoaspiração
Total
No orçamento
Da Nação,
A todo o momento,
Em todo local,
Cobrando,
Com gosto,
Perdão,
Escorchando
Imposto
Do cidadão,
Sem a devida
Aplicação,
Sem a contrapartida,
Tão pretendida,
No social.
*Sempiterno = Adjetivo.
1. Que dura ou vive sempre; contínuo, eterno, perene, infinito;
2. Que é muito velho, muito antigo (Houaiss).
Constatação X (De dúvidas cruciais).
Falando no assunto social, por que será que as filas do SUS continuam cada vez pior? Por que um atendimento é marcado para as calendas? E o dinheiro do então CPMF pra onde que foi? Não foi criado para melhorar a Saúde? Quem souber as respostas, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XI (De uma “poesia” para ser recitada em qualquer lugar que se queira e, claro, desde que se tenham ouvintes dispostos a ouvir).
Garrei uma estrada
Pra ver minha amada
E não é que dei uma topada
Com ela de cara amarrada,
Totalmente emburrada
E a “sogra” mal-humorada,
A “cunhada”
Desassossegada.
Que viagem desastrada!
Vige! Que cambada!
Constatação XII (De uma dúvida crucial. Também do saudoso Amigo Renato Emilio Coimbra):
-“Muito prazer, Antonio”.
- “Muito prazer, Cornélio”.
- “É nome ou apelido?”.
(Constatação XIII (Para o médico Dr. Javier Salvador Gamarra), meu grande Amigo e, eventualmente, também leitor).
Ao chegar
Bem tarde em casa,
Já ao amanhecer,
Levou uma surra
De gurugumba*
Da mulher casmurra.
“Seu torpe,
Degenerado,
Depravado”,
Ela esbravejou.
Ele, com o lombo
Em brasa,
Ficou
E até com um trombo*.
Chamou
A consorte
De antidemocrata,
De americana-do-norte,
De psicopata.
Teve que tomar
Arnica, cinco gotinhas,
Ou cinco bolinhas
De hora em hora,
Pra não sofrer,
Pra obter
Alguma melhora,
Que o homeopata,
O Dr. Salvador,
Havia receitado
Em caso de dor.
Coitado!
*Gurugumba = Substantivo feminino
Regionalismo: Brasil.
Cacete, bordão, porrete (Houaiss)
**Trombo = “Coágulo sanguíneo” (Aurelião).
Constatação XIV
Deu na mídia: “Pesquisa diz que 10% dos ingleses usam roupa de baixo por 3 dias”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação XV
“Adeus, suma-se, tchau.
Cresça
E não me apareça,
Seu filho
De bens semoventes”*,
Disse a viúva ricaça,
Nobre, condessa,
Pra um dos seus pretendentes,
“Antes que eu te dê
Uma camaçada de pau
Na tua carcaça
E te pespegue
Um pontapé no fundilho
E faça o maior fuzuê,
Seu pé rapado,
Seu desmiolado,
Seu cara de jegue
Vá, no seu velho fusca,
Em busca
Do lumpemproletariado**,
Como você.”
Coitado!
*Bens semoventes = “Os constituídos por animais selvagens, domesticados ou domésticos”
** Lumpemproletariado = substantivo masculino
Rubrica: política, sociologia.
No vocabulário marxista, termo designativo da camada flutuante do proletariado, destituída de recursos econômicos, e especialmente caracterizada pela ausência da consciência de classe (Houaiss).
Constatação XVI
“Que despautério*,
Que falta de critério,
Que lengalenga”.
Ela armou
A maior pendenga
Quando ele havia falado
Que ia jogar
A final
De um torneio de truco,
Sensacional.
Até ameaçou
Transformar
Ele num eunuco
Dessexuado.
Também,
Era o sétimo dia
Decorrido,
Porém,
Seguido
Que ele queria
Se arrancar.
No fim, ela acabou
Cedendo
E, quando ele se retirou,
Ela telefonou
Pro seu namorado
Com o coração batendo:
“Ele já foi jogar.
Pode chegar”.
Coitado!*
*Não ficou claro, explícito, patente, desambiguizado, evidente se o “Coitado!” tem a ver com o marido ou com o namorado. Talvez até com os dois. Bem, aí, não seria “Coitado!”, mas sim, “Coitados!”. Se alguém tiver alguma informação a respeito, por favor, comentários no blog. Obrigado.
*Despautério = Substantivo masculino.
Dito ou ação absurda, grande tolice; despropósito, disparate, desconchavo (Houaiss).
Constatação XVII (E a ética como é que fica?).
A Rádio Educativa vem, novamente, cortando a sua programação de música clássica e música popular brasileira. Agora, para poder fazer propaganda do atual governo estadual. Falta de respeito para com os ouvintes. Vale lembrar que a Rádio Educativa é estatal, portanto pertencente aos cidadãos paranaenses. Despotismo nada esclarecido, sem dúvida. Esse filme já foi visto em outros governos. Não se trata da história que se repete. E, sim de mau-caratismo, mesmo. Pena!...
Constatação XVIII
E por falar em governo, foi publicado no facebook que os animais do zoológico de Curitiba não estão sendo alimentados. Rumorejando espera que seja uma inverdade, plantada por oposicionistas. VIGE!

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é colunável social; pobre, é colunável policial.
Constatação II
Rico é intempestivo; pobre, porra-louca.
Constatação III
Rico é incauto; pobre, é trouxa.
Constatação IV
Rico é como é; pobre, como acham que ele é...
Constatação V
Rico bebe somente socialmente; pobre, é bêbado inveterado.
Constatação VI
Rico tem ganhos de capital; pobre, só ganha perdas.

Site: www.rimasprimas.com.br