quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De uma quadrinha para ser recitada para um velho amor. Como já é sabido, desde que o velho amor esteja disposto a ouvir).
Vasculho nos meus alfarrábios,
Buscando tua carta de amor
Lá estão registrados teus lábios
Que estão em forma de flor*
*Perdão, caros leitores, de rimar, mais uma vez, amor com flor, mas ninguém é de ferro, nem de platina.
Constatação II
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão do dia 30/12/2013: “BRASÍLIA - Na mensagem de fim de ano em cadeia de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff criticou “alguns setores” que fazem “guerra psicológica” e podem “inibir investimentos”. Aproveitou para listar medidas de seu governo após as manifestações de junho e fez um apelo aos jovens para que comparem o Brasil de hoje com o do passado.
"Se alguns setores, seja por que motivo for, instilarem desconfiança, especialmente desconfiança injustificada, isso é muito ruim. A guerra psicológica pode inibir investimentos e retardar iniciativas", disse a presidente, na fala de 10 minutos.
Rumorejando, nas suas previsões de 2014, publicadas no blog do dia 25 de dezembro próximo passado, escreveu na previsão número 8. “Em certos países, serão implementadas diversas CPI’s, sendo que, todas, fatalmente terminarão em pizza. Algumas, inclusive, serão desmanteladas pelo governo sob a alegação de que o fato acarretará desgaste junto aos credores externos e aos pretensos investidores. A previsão de Rumorejando praticamente deu na tampa!!!
Constatação III
E já que falamos no assunto, será que a corrupção, a violência, a omissão de atendimento às necessidades de atendimento na Saúde e na Educação, que não se ouve falar que a Presidente fez algo para melhorar tais setores, não inibem investimentos? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IV (Você, prezado leitor e eleitor, por um acaso, ou mais acasos, pediu a opinião de quem quer que seja?)
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, "não tem traquejo" para ocupar a Presidência da República na hipótese de o ministro decidir se candidatar ao Planalto. Para FHC, Barbosa não possui as características necessárias para liderar o País e sugeriu que seria "mais positivo" se ele eventualmente se candidatasse ao Senado ou à Vice-Presidência”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas comprar deputados para que FHC pudesse se candidatar para um segundo mandato é excesso de traquejo? Ou talvez outro eufemismo que se costuma dizer “jogo de cintura”? Ou afirmar “esqueçam tudo que eu falei”. Aliás, quais foram as grandes obras de FHC quando, por dois períodos, governou o nosso país? Melhorou a Educação e a Saúde? Ou foi por excesso de traquejo? Ou talvez por falta? A verdade que é preciso ter cara de pau para fazer certos pronunciamentos. E, agora, essa notícia circulando na Internet, no Portal em Pauta:Deu no Pravda: O que têm a ver a CIA, FHC, a guerra fria e a espionagem? Postado por Daniela Novais 11:26:00 06/01/2014”, que é de arrepiar, mostrando a ligação de FHC com a CIA. No Brasil os corruptos e os que “não têm traquejo” para governar são sempre os outros. Vige!
Constatação V(De um pseudo-soneto).

             Desamor e bom senso

Perambulava a palavra parecendo enxerida
No meio do texto da poesia de pé quebrado
Sem achar um espaço onde ficasse inserida,
Deixando o seu autor infeliz e desconsolado.

A palavra era nada mais nada menos que “amor”
Depois que a companheira de anos o abandonara
Na época teve um choque, um abalo, um estupor,
Trocou-o por um sem ética nem moral, um jaguara.

Procurou, afoito, terminar seus inacabados poemas
Que haviam se transformado em impasses, em dilemas,
Se fechando num silencio, num mutismo preocupante.

Os amigos ponderaram que mulheres há em profusão,
Inclusive muitas interessadas, com ele, uma comunhão.
Depois de se convencer, as rimas fluíram num instante.

Constatação VI
Todo esse derrame
De dinheirame
Que fez duma cueca vasilhame
Com o gravame
De ganho infame.
Que vexame!
Constatação VII
Não se pode confundir coçando e casando, muito embora, nesses tempos difíceis, de crise econômico-financeira, quem estiver casando, estará procurando sarna para ficar se coçando, independentemente da sogra que venha a auferir (auferir?). Quanto à recíproca, a dita está sendo analisada por especialistas no assunto. Tão logo tenhamos a resposta, daremos a conhecer aos nossos prezados leitores. Obrigado pela compreensão.
Constatação VIII
E não se pode confundir caçando com cassando, até porque se algum obcecado que esteja caçando conquistas amorosas e se meter com mulher comprometida poderá correr o risco de ter os seus direitos de viver na mesma condição de alguns políticos que só se dedicam, em tempo integral a não legislar – a não ser em causa própria – e se preocupam em ficar cassando os direitos políticos dos seus adversários com ou sem razão e desde que não prevaleça o famigerado corporativismo deles para tais casos. Afinal, quem tem o direito de atirar a primeira pedra, se a maioria tem culpa em cartório? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
O governo,
Nunca sempiterno*,
Faz
E se compraz,
Por tal razão,
Lipoaspiração
Total
No orçamento
Da Nação,
A todo o momento,
Em todo local,
Cobrando,
Com gosto,
Perdão,
Escorchando
Imposto
Do cidadão,
Sem a devida
Aplicação,
Sem a contrapartida,
Tão pretendida,
No social.
*Sempiterno = Adjetivo.
1. Que dura ou vive sempre; contínuo, eterno, perene, infinito;
2. Que é muito velho, muito antigo (Houaiss).
Constatação X (De dúvidas cruciais).
Falando no assunto social, por que será que as filas do SUS continuam cada vez pior? Por que um atendimento é marcado para as calendas? E o dinheiro do então CPMF pra onde que foi? Não foi criado para melhorar a Saúde? Quem souber as respostas, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XI (De uma “poesia” para ser recitada em qualquer lugar que se queira e, claro, desde que se tenham ouvintes dispostos a ouvir).
Garrei uma estrada
Pra ver minha amada
E não é que dei uma topada
Com ela de cara amarrada,
Totalmente emburrada
E a “sogra” mal-humorada,
A “cunhada”
Desassossegada.
Que viagem desastrada!
Vige! Que cambada!
Constatação XII (De uma dúvida crucial. Também do saudoso Amigo Renato Emilio Coimbra):
-“Muito prazer, Antonio”.
- “Muito prazer, Cornélio”.
- “É nome ou apelido?”.
(Constatação XIII (Para o médico Dr. Javier Salvador Gamarra), meu grande Amigo e, eventualmente, também leitor).
Ao chegar
Bem tarde em casa,
Já ao amanhecer,
Levou uma surra
De gurugumba*
Da mulher casmurra.
“Seu torpe,
Degenerado,
Depravado”,
Ela esbravejou.
Ele, com o lombo
Em brasa,
Ficou
E até com um trombo*.
Chamou
A consorte
De antidemocrata,
De americana-do-norte,
De psicopata.
Teve que tomar
Arnica, cinco gotinhas,
Ou cinco bolinhas
De hora em hora,
Pra não sofrer,
Pra obter
Alguma melhora,
Que o homeopata,
O Dr. Salvador,
Havia receitado
Em caso de dor.
Coitado!
*Gurugumba = Substantivo feminino
Regionalismo: Brasil.
Cacete, bordão, porrete (Houaiss)
**Trombo = “Coágulo sanguíneo” (Aurelião).
Constatação XIV
Deu na mídia: “Pesquisa diz que 10% dos ingleses usam roupa de baixo por 3 dias”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação XV
“Adeus, suma-se, tchau.
Cresça
E não me apareça,
Seu filho
De bens semoventes”*,
Disse a viúva ricaça,
Nobre, condessa,
Pra um dos seus pretendentes,
“Antes que eu te dê
Uma camaçada de pau
Na tua carcaça
E te pespegue
Um pontapé no fundilho
E faça o maior fuzuê,
Seu pé rapado,
Seu desmiolado,
Seu cara de jegue
Vá, no seu velho fusca,
Em busca
Do lumpemproletariado**,
Como você.”
Coitado!
*Bens semoventes = “Os constituídos por animais selvagens, domesticados ou domésticos”
** Lumpemproletariado = substantivo masculino
Rubrica: política, sociologia.
No vocabulário marxista, termo designativo da camada flutuante do proletariado, destituída de recursos econômicos, e especialmente caracterizada pela ausência da consciência de classe (Houaiss).
Constatação XVI
“Que despautério*,
Que falta de critério,
Que lengalenga”.
Ela armou
A maior pendenga
Quando ele havia falado
Que ia jogar
A final
De um torneio de truco,
Sensacional.
Até ameaçou
Transformar
Ele num eunuco
Dessexuado.
Também,
Era o sétimo dia
Decorrido,
Porém,
Seguido
Que ele queria
Se arrancar.
No fim, ela acabou
Cedendo
E, quando ele se retirou,
Ela telefonou
Pro seu namorado
Com o coração batendo:
“Ele já foi jogar.
Pode chegar”.
Coitado!*
*Não ficou claro, explícito, patente, desambiguizado, evidente se o “Coitado!” tem a ver com o marido ou com o namorado. Talvez até com os dois. Bem, aí, não seria “Coitado!”, mas sim, “Coitados!”. Se alguém tiver alguma informação a respeito, por favor, comentários no blog. Obrigado.
*Despautério = Substantivo masculino.
Dito ou ação absurda, grande tolice; despropósito, disparate, desconchavo (Houaiss).
Constatação XVII (E a ética como é que fica?).
A Rádio Educativa vem, novamente, cortando a sua programação de música clássica e música popular brasileira. Agora, para poder fazer propaganda do atual governo estadual. Falta de respeito para com os ouvintes. Vale lembrar que a Rádio Educativa é estatal, portanto pertencente aos cidadãos paranaenses. Despotismo nada esclarecido, sem dúvida. Esse filme já foi visto em outros governos. Não se trata da história que se repete. E, sim de mau-caratismo, mesmo. Pena!...
Constatação XVIII
E por falar em governo, foi publicado no facebook que os animais do zoológico de Curitiba não estão sendo alimentados. Rumorejando espera que seja uma inverdade, plantada por oposicionistas. VIGE!

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é colunável social; pobre, é colunável policial.
Constatação II
Rico é intempestivo; pobre, porra-louca.
Constatação III
Rico é incauto; pobre, é trouxa.
Constatação IV
Rico é como é; pobre, como acham que ele é...
Constatação V
Rico bebe somente socialmente; pobre, é bêbado inveterado.
Constatação VI
Rico tem ganhos de capital; pobre, só ganha perdas.

Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: