quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Com recato
Ela me disse,
Sem espalhafato,
Você é só burrice.
Constatação II
Não se pode confundir pedra com perda, muito embora, quando for o caso de uma pedra preciosa que for perdida, furtada, colocada no prego também chamado penhor sem que se possa recuperá-la, será uma perda irreparável para o seu legítimo dono (a). Coitado (a)!
Constatação III
Com um ar taciturno,
Até mesmo soturno,
Com uma voz cavernosa,
Ameaçadora, tenebrosa,
Olhar tão terrificante,
Assustador, horripilante,
Que dava receio, medo,
Como dá o caso de bruxedo
O que falar de temor e pavor
De tanto que era um horror
E que até parecia uma ogra.
Era só a anunciada vinda da sogra.
Constatação IV
Deu na mídia, mais precisamente na Gazeta do Povo: “O projeto que cria o auxílio-moradia para juízes e desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa (Alep). Dos dez membros da CCJ que participaram da discussão, seis votaram a favor e três não aceitaram a proposta. Houve uma abstenção”.
“Na reunião da semana passada, o deputado Tadeu Veneri (PT) pediu vistas ao processo para questionar a ausência de informações. Na retomada da discussão, votaram contra o projeto os deputados Péricles de Melo (PT), Pastor Edson Praczic (PRB) e Veneri, para quem o texto da proposta não específica, na prática, quem tem direito ao auxílio. Isso, segundo Veneri, poderia tornar o projeto vago, além de ir contra a Constituição Federal”.
Data vênia como diriam, nossos juristas, evidentemente aí inclusos os juízes e desembargadores que seriam os beneficiários, mas será que, com o elevado salario que eles auferem, não é mais do que suficiente para ter uma vida digna para si e para os seus familiares? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
Não se pode confundir espiar com expiar, embora foneticamente exatamente com o mesmo som, a diferença existe de significado, dependendo de que ou quem um voyeur* espiar, ele corre o risco de expiar.
*Voyeur = Substantivo de dois gêneros.
Rubrica: psicopatologia.
Indivíduo que experimenta prazer sexual ao ver estímulos sexuais, objetos associados à sexualidade ou o próprio ato sexual praticado por outros (Houaiss).
Constatação VI
O septuagenário, quase octogenário, tristemente lucubra (rico filosofa; pobre, lucubra): “Com a falência total de um órgão a gente se sente como se estivesse tendo a falência múltipla e total dos órgãos”...
Constatação VII
Não se pode confundir, ainda que foneticamente soem iguais, escapadela com escapa dela, até porque se o marido dá uma escapadela, dizendo que só vai até “ali e já volta” e retorna de madrugada, dificilmente vai conseguir deixar de se explicar porque, nesses casos, muito graves, diga-se de passagem, dificilmente escapa dela, da sua ira, da sua brabeza, do seu estado de iracunda, agastadiço, abespinhadiço, irado, p. da cara, etc. etc. A recíproca é como é, o que é muito elucidativo para nossos caros leitores.
Constatação VIII (Ah, esse nosso vernáculo).
A adorada Dora, de tez dourada, disse que adora, como sempre adorou, o adorado Comodoro*.
*Comodoro = Substantivo masculino
1. Regionalismo: Portugal.
Oficial de Marinha, inferior ao contra-almirante, na hierarquia da marinha, e superior ao capitão-de-mar-e-guerra.
2. Regionalismo: Portugal.
Oficial de marinha ou capitão encarregado de comandar um dos navios de um comboio, subordinado ao comandante da escolta.
3. Aquele que dirige departamento náutico de clube recreativo.
4. Em algumas companhias de navegação, título de honra concedido ao mais velho capitão ativo.
5. Título honorífico em certas associações navais (Houaiss).
Constatação IX (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ver o meu time, o Paraná, fugindo, com sucesso, dos últimos lugares da “primeirona” do que disputando o primeiro lugar da ”segundona”. E, o óbvio: é muito melhor ver o Paraná disputando o primeiro lugar da “primeirona” do que os últimos da “segundona”.
Constatação X (Quadrinha para ser recitada em festa escolar ou mesmo em faculdade).
Respondi tudo na prova
Nada ficou em branco
Quase levei uma sova,
Mas passei sem solavanco.
Constatação XI (Quadrinha para ser recitada por quem joga truco ou por quem assim o desejar).
Descarto o gato no baralho,
Mas fiquei com a espadilha.
Perdi. Será que foi um ato falho?
Achei que estava assim na cartilha.
Constatação XII (Para ser recitado ao invés de assistir o horário gratuito dos candidatos).
Acreditar em promessa de político
É não ter algum espírito autocrítico.
Somos dotados de raciocínio analítico
E não precisamos de auxilio psicanalítico.
Constatação XIII (Ainda de que com dúvida crucial).
Não se pode confundir prescrever, no sentido de receitar com proscrever, que quer dizer desterrar, muito embora não seja preciso ser médico para prescrever uma receita benéfica para o nosso país: proscrever todos os políticos para um local, onde tenham que escrever o dia inteiro os 10 Mandamentos até o fim de seus dias e noites. Assim, sem toda certeza, é bom que se diga, não sobrará tempo para maus comportamentos.
Constatação XIV (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor escutar uma longa bronca da mulher, mesmo chegando cedo a casa, do que uma breve peroração, empulhação, enrolação, enganação de um candidato, no horário político gratuito ou fora dele, enfim, em qualquer circunstância.
Constatação XV
Não se deve confundir instinto com distinto, até por que, quem dá vazão “porque sim e tá acabado” ao seu instinto, sem levar em conta se está sendo ou não distinto, poderá vir a cometer desatinos, despautérios, burradas, despropósitos e ser reprovado em algum eventual exame ao querer entrar para uma carreira diplomática ou outras carreiras onde se exige mais refinamento que os colunistas sociais, de certa época, que diriam de “gente bem”. A recíproca para esses casos, até pode ser verdadeira como, por exemplo, o sujeito ser considerado distinto só porque teve o instinto de querer beijar a sogra. Vige!
Constatação XVI (De uma dúvida crucial).
A raiz dos fatos é que causa mais a raiz dos problemas? Ou é o revés? Quem souber informar, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVII (De outra dúvida não necessariamente crucial).
Na constatação anterior é possível colocar a expressão “a raiz dos” em evidência? Caso seja possível, a frase ficaria assim: (a raiz dos) (fatos é o que causa mais problemas?). Quem achar que sim, ou que não, por favor, comentários no blog com a devida justificativa. Obrigado.
Constatação XVIII (Sem alguma dúvida, por mais mínima que eventualmente pudesse vir a ser).
Rumorejando
Também
Quer
Dar
Seu depoimento
Ao colocar
Uma interrogação:
Alguém
Por qualquer
Momento,
Estando
Em perfeita
E aceita
Condição
Mental,
Conhece
Algo mais sensacional
Dessa cheirosa,
Olorosa,
Formosa,
Mimosa
Menção
Honrosa,
Raramente
Nebulosa
Flor
Que é a Mulher?
Caro leitor,
Sinceramente,
O que lhe parece?
Constatação XIX
Não se pode confundir ternura com torneira, tendo em vista que nem sempre quando o governo abre a torneira das aplicações em publicidade isso queira dizer que está agindo com ternura, exceto para quem não são os donos das empresas de publicidade. A recíproca não é necessariamente verdadeira, principalmente nos casos de partidos políticos que depois das eleições esquecem (esquecem?) de pagar os seus débitos às retro mencionadas empresas. Aí, seria, com perdão aos leitores pelo que parecia um neologismo, inspirado no inolvidável, imemorável, inesquecível “imexível”, uma “desternura”.
Constatação XX
E não se pode, também, confundir envinagrado* com embriagado, ainda que nos dois casos, concomitantemente ou não, podem ser por amor. Este correspondido ou não. A recíproca não é verdadeira. Dificilmente o cara embriagado vai conseguir atingir seus almejados sublimes e imprescindíveis objetivos. Envinagrado ou não...
*Envinagrado = adjetivo
3. Derivação: sentido figurado.
Irritado, zangado, azedo (Houaiss).
Constatação XXI
No Rumorejando, anterior a este, fiz referência aos livros do meu amigo, jornalista e escritor Edilson Pereira (“Quem tem problemas com diabetes não deve ter cachorros. Eles são muito doces”), um pé vermelho por adoção, hoje morando em Curitiba e trabalhando na Tribuna do Paraná, onde este assim chamado escriba teve ocasião de colaborar no pé da página de Triboladas. Os livros do amigo Edilson Pereira foram obtidos, através de escambo. O último de Ernani Buchmann, também. No último domingo, Rumorejando esteve presente no Solar do Rosário para a exposição e livro Trajetórias do Amigo José Antonio de Lima, que conheci na Feira Orgânica do Passeio Público, para adquirir seu livro o que foi feito também na base de escambo. Como o prezado leitor pode constatar a crise está ensejando a volta do escambo. Evidentemente apenas para uma determinada faixa da população que, inclusive, tope tal esquema...
Constatação XXII (Publicidade).
E já que falamos em Solar do Rosário, lá também poderão ser encontrados os livros deste assim chamado escriba Rimas Primas & Outras Constatações e 150 Sonetos e 1 Sonetão (Pseudos).
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é maçante; classe média é chato; pobre, é pentelho.
Constatação II
Rico brinda à saúde da mulher, ou da família, com champanhe veuve cliquot, trazida, pessoalmente, da França; pobre brinda à saúde da mulher, ou da família, com uma cidra, há muito tempo guardada, ganha de presente.
Constatação III
Rico quer emagrecer; pobre não tem outra opção.
Constatação IV
Rico deglute mel; pobre, empurra goela abaixo o fel.
Constatação V
Rico impinge; pobre, aceita.
Constatação VI
Rico é impulsivo; pobre, é desordeiro.
Constatação VII
Rico é a alavanca do progresso; pobre, é o ponto de apoio.
Constatação VIII
Rico tem eventuais lapsos de memória; pobre, é cabeça-de-vento.
Constatação IX
Rico toma Chivas Regal envelhecido 12 anos. Pobre, toma.
Constatação X
Rico come em restaurante que faz parte do Guia Michelin e, no Brasil, no Fasano em São Paulo; pobre treina para faquir.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Entre Tutty Vasques e o Macaco Simão, fico com o primeiro. Macaco Simão apela desbragadamente. Tutty Vasques faz um humor inteligente.
Constatação II
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “A renúncia do deputado João Paulo Cunha (PT-SP) foi lida na abertura da sessão da Câmara da tarde desta segunda-feira, 10 (de fevereiro de 2014), por Gonzaga Patriota”. O Ministério da Educação e também o da Cultura deveriam inserir no currículo escolar porque o texto, indubitável e inegavelmente deve ter sido de transcendental importância para o futuro da Humanidade...
Constatação III
Era um tipo tão azedo, tão azedo, mas tão azedo que não sorria nem mesmo quando estava sendo filmado (a).
Constatação IV (Encômios).
Comunico, a quem interessar possa que meus livros Rimas Primas & Outras Constatações e 150 Sonetos & 1 Sonetão (Pseudos), além da Livraria Cultura, também podem ser encontrados na Livraria da Vila que fica no Shopping Pátio Batel. Para minha agradabilíssima surpresa este Shopping admite cachorros.
Constatação V
E já que falamos em cachorro, no facebook, está registrado pelo meu grande Amigo Edilson Pereira, atualmente colunista e repórter na Tribuna do Paraná, que conheci na redação do jornal O Estado do Paraná, o seguinte: “Quem tem problemas com diabetes não deve ter cachorros. Eles são muito doces”.
Constatação VI
E já que falamos em Edilson Pereira, atualmente Rumorejando está se inteirando e desfrutando do livro O Homem do Hotel Cervantes, de sua – dele – autoria que me foi ofertado, na base de escambo, juntamente com A loira do taxi noturno, Uma profissão tão antiga como a tua e a Garota da cidade também da autoria do mano Edilson.
Constatação VII
Não se pode confundir indicado com indiciado, muito embora que muito indicado nos diversos cargos do governo executivo, legislativo e judiciário esteja indiciado por desvio de dinheiro público e coisas desse jaez não se encontra nem no gibi. Vige!
Constatação VIII
O que certos peruanos fizerem com o jogador Tinga é execrável. Cambada de filhos daquilo!
Constatação IX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Tráfico domina rua a quatro quadras da Paulista e faz feira livre das drogas”. “Estado flagrou ação de traficantes que abordam adolescentes na Rua Peixoto Gomide para vender maconha, cocaína, LSD e ecstasy; vendedores circulam entre carros e dominam área durante as madrugadas. Polícia diz que já fez operações de repressão na região”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas será que a turma está confundindo o nosso país com o Uruguai, já que aquele país, por iniciativa do seu presidente José “Pepe” Mujica, foi liberada a maconha? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação X (De um pseudo-soneto). 

 Explicações didáticas

Tentou provar para a consorte
Por estatística e mecânica racional
Que ela havia tido muita sorte
De ela não precisar ir ao seu funeral.

Para isso argumentou usando vetores,
Alegando probabilidades e rara ocorrência
E que por ela tinha grandes paixões e amores
E que chegara tarde por perigosa continência.

Ela, formada com distinção em geologia,
Com especialidade em cristalografia,
Recebeu-o com duas pedras na mão.

Era um granito com quartzo, mica, feldspato,
Como é sempre constituído tal tipo de artefato,
Que foi parar no seu lombo por imigração.

Constatação XI (Quadrinha para ser recitada em jogos entre os maiores rivais).
Sou um cara comportado
Não vou cometer deslizes
O jogo deve ser jogado
Para não criar infelizes.
Constatação XII
Este assim chamado escriba tem grandes amigos, também, entre os hermanos argentinos. Claro que rivalidades futebolísticas à parte. O que dá uma grande satisfação é ver o cinema do Brasil e Argentina estarem se superando sem rivalidades e superando Europa e Estados Unidos que ficam a dever bons espetáculos. Tenho “mercosul-hermanamente” dito.
Constatação XIII (Pra ser recitado, como exemplo de falta de sorte, quando for mister, em festa de começo, meio ou fim de ano).
Achei uma nota de cinquenta
Que estava numa velha calça
Aí, comi uma comida suculenta.
O garçom, na hora que eu quis pagar,
Falou que não daria pra nota aceitar,
Pois ela era grosseiramente falsa.
Mas que pu, digo, baita azar!
Constatação XIV (Pra ser recitado ou discursado, quando algum candidato, de qualquer partido, pedir o teu voto ou por quem quiser cabalá-lo e você não quiser dizer, de cara, um peremptório não).
Ó expedito:
A tua opção
Que se antevê,
Aos eleitores,
Pra próxima eleição,
Não é pra eu e/ou você
Morrer de amores.
Tenho dito!
Constatação XV
Deu na mídia: “Pesquisadores de uma universidade da Escócia estão buscando a resposta a uma questão: ‘ será que meu bumbum parece grande nesta roupa? ’, que milhões de mulheres se fazem diariamente”. Data vênia, como diriam nossos juristas, no entanto, Rumorejando acha que, com a obtenção da resposta dos pesquisadores – se houver, é claro –, todos os problemas deste nosso conturbado e sofrido Planeta estarão resolvidos, já que se trata de um assunto de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação XVI
Não se pode confundir respeito com despeito, até porque com essa falta de respeito que os políticos têm para com nós todos, é impossível que alguém não fique com despeito. A recíproca pode não ser verdadeira, como no caso de um sujeito com despeito, por ter sido injuriado por um figurão, submissamente, continuar sem faltar o respeito com o injuriador. Ainda que ache o dito cujo um grandíssimo... Deixa pra lá...
Constatação XVII
E como dizia aquele sujeito extremamente pessimista*: “Do jeito que os fatos estão se desenrolando, logo, logo alguém passará a fazer um réquiem para os sobreviventes”.
*Pessimista ou realista?
Constatação XVIII (De razões e proporções matemáticas).
Pedra está para o sapato assim como cisco está para o olho, assim como buraco está para mola quebrada, assim como se esquecer de pôr gasolina para a baita distância do posto.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico constrói; pobre, desmantela.
Constatação II
Rico acha que tem sangue azul; pobre, tem certeza que não tem*.
*Não ficou bem claro se o pobre acha que é o rico que não tem sangue azul ou que ele, pobre, é que não tem. Quem entender de hemoglobina, hemocianina** e outras “hemos”, concernentes a tão transcendental assunto, por favor, comentários no blog. Obrigado.
**Hemocianina = “Pigmento respiratório azul encontrado no sangue de alguns moluscos e artrópodes” (Houaiss).
Constatação III
Rico, cada vez mais, enriquece; pobre, idem, idem, empobrece.
Constatação IV
Rico vai ao cabelereiro; pobre, ao barbeiro.
Constatação V
Rico se revigora; pobre, definha.
Constatação VI
Rico induz; pobre, desestimula.
Constatação VII
Rico é audaz; pobre, sem-vergonha.
Constatação VIII
Rico faz esbórnia; pobre, bagunça.
Constatação IX
Jornalista rico (?) tem um lapso; jornalista pobre comete erro.
Constatação X
Rico é envolvente; pobre, espanta.

FÁBULA CONFABULADA, INDIGNA DO GURU MILLÔR.
Numa província chinesa, a leste do Grande Canal, vivia uma família, constituída pelo pai Zen Deh Ken, pela mãe Moy Chel Zain e pelo filho Gan Tze Zayt.
Gan Tze Zayt era um sujeito alto, bem apessoado e, segundo os amigos e conhecidos, bonito, já que na China um homem que acha outro homem bonito não corre o risco de ter posta em dúvida suas convicções viris, ao contrário do que acontece nos países latinos, Brasil, inclusive, no decadente Ocidente. Mas isto é outra historia que, no momento, não interessa e, portanto, não vem ao caso. Do assédio das mulheres chinesas, ou estrangeiras, nem falar. Era um assédio pros lados de Gan Tze Zait, sem exagero, 25 horas por dia, 8 dias por semana, 32 dias por mês e 369 dias por ano, não bissexto. Ainda que a mãe pressionasse para que ele parasse com esse tipo de vida e casasse, naturalmente com moça de boa família, ele ia protelando indefinidamente um relacionamento mais sério. “Para quê? O mulherio taí mesmo dando sopa. Sopa? Mais um novo nome a tantos já existentes?”, ele dizia para si mesmo, nas introspecções que os chineses costumam fazer.
Assim, os anos foram passando e Gan Tze Zait começou a se dar conta que os chamados anos dourados estavam se acabando: o desempenho havia diminuído, amainado, arrefecido. O médico consultado, um amigo de infância, recomendou, entre outras terapias auxiliares, o consumo de alimentação condizente e compatível com as suas preocupações, como ostras, ovos de codorna e chás de Damiana, suco de limão, muirapuamina, alfavaca dos campos, além de catuaba, este o mais difundido. Gan Tze Zait achou um exagero, pois não achava que era para tanto. Afinal, como se encontrava dava para o gasto. Gasto?
Um dia, uma colega de trabalho que, pelos seus dotes, digamos, físicos e que no decadente Ocidente costuma-se definir como uma “boa”, “um mulherão”, “um pedaço de mau caminho” e que Gan Tze Zait, há muito, vinha convidando, finalmente, aquiesceu em sair para jantar. Foram para um restaurante, chamado “Aza Yua Oyf Zey”, especializado em pratos afrodisíacos, ainda que não confessos, muito menos apregoados. Ao entrar no carro e no beijo que ela deu na bochecha, mas roçando os seus lábios Gan Tze Zait constatou, com a adrenalina a mil, que a deusa, o mulheraço estava a fim. No restaurante, como aperitivo “Gema ao Madeira e ao Maraschino; de entrada veio uma salada ‘Aipo a Popoff’, constituída de aipo, manteiga, sal, pimenta, noz-moscada, laranja e parmesão ralado; como prato principal testículos de touro; a sobremesa a fruta lechia”. Evidentemente não faltou vinho e champanhe. Ao puxar o isqueiro do bolso para acender o cigarro dela, como nos filmes dos imperialistas americanos, deixou cair uma caixinha de um medicamento, conhecido como a “pílula azul”. Ela já havia se dado conta, pelo cardápio, acrescido da tal caixinha das suas intenções, porém recusou o convite para ir ao seu apartamento, alegando a indefectível dor de cabeça.
Moral: Mesmo que seja para errar por excesso, não se devem cometer erros que podem ser interpretados como por falta.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De pelo menos uma dúvida crucial).
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “BRASÍLIA - O Banco Central está à caça de R$ 39,8 bilhões de multas que estão sendo cobradas de bancos e empresas, e que não entraram para os cofres do governo. O ‘Estado’ teve acesso à lista inédita dos principais alvos dessa operação judicial de recuperação de créditos, que inclui grandes empresas, bancos liquidados ou em funcionamento e times de futebol como Santos, Corinthians, Internacional, Fluminense e Atlético Mineiro” A maior dívida, pasmem, é do meu Paraná que está sendo cobrado em cerca de 31 milhões de reais, em multa de ilícito cambial, que Rumorejando confessa que não sabe o que é, nem como, do quê e por quê. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação II
Até hoje Rumorejando não entende porque no início das partidas futebol não se coloca a gravação do Hino Nacional Brasileiro cantado, o que daria ensejo que o povo, autoridades inclusive, ou principalmente, aprendesse cantá-lo seja para não trocar estrofes ou para aprendê-lo de uma vez por todas. Assim, as pessoas cantariam com todo o fervor, deixando de fingir que estariam cantando ao somente mexer com a boca e talvez deixassem de espoliar o nosso país, mormente as autoridades que, muitos cínicos chegam a colocar a mão no peito durante a execução do hino... Vige!
Constatação III
Não se pode confundir notoriedade com autoridade, muito embora, quase sempre, a autoridade busca apresentar e se achar notoriedade de si mesmo.
Constatação IV(De um pseudo-soneto, contado pela gatona para as amigas, metida a fazer sonetos, como este assim chamado escriba).

              Novos tempos

Ele nunca chegava retardado
Sempre vinha no horário combinado
Na lapela um cravo avermelhado
Que o deixava chique e perfumado.

Me levava a um restaurante fino
Cujo prato principal era superdivino
Depois, se revelou excelente dançarino.
E nunca, jamais se mostrou cabotino.

Beijava a minha mão ao chegar
Abria a porta do carro pra eu entrar
E merecia, por tudo isso, um laurel.

Somente mostrou um grave defeito.
Eu é que tive que falar meio sem jeito.
Aí, ele aquiesceu em me levar prum motel.

Constatação V
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Insatisfeita com a proposta feita na segunda-feira pela presidente Dilma Rousseff para reacomodar o PMDB na reforma ministerial, a bancada do partido na Câmara ameaça se rebelar contra o governo e entregar os dois cargos que controla na Esplanada dos Ministérios”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando, acostumado pela prática, já não estranha mais tais reinvindicações, apoios, conchavos e outras medidas de tirar proveito em tudo e de todos que existem em nosso país. O que é lamentável que esses apoios todos, quando foram acertados com chefes de governo são feitos hipocritamente e sem que ninguém fique ruborizado com tal tipo de assertivas que não se pede nada em troca e que o que prevalece para o partido é o “interesse da nação”. VIGE!
Constatação VI
E já que falamos no assunto, outra afirmação dos governantes, políticos e demais donos da verdade e que, tampouco, não resiste à realidade dos fatos: “No Brasil não haverá apagão”. Segundo o site da Globo “Brasil registra 181 apagões desde 2011, mostra levantamento. Só em 2013, foram 45 interrupções com carga acima de 100 megawatts.
Na terça (4 de fevereiro de 2014), falha em linha de energia causou apagão em vários estados”. Vige!
Constatação VII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “A Assembleia Legislativa de São Paulo comprou, na semana passada, em concorrência mais ampla, 94 carros para uso dos deputados estaduais pelo valor total de R$ 5,8 milhões. A aquisição ocorre pouco mais de um ano após a suspeita de direcionamento do primeiro edital aberto para a renovação da frota oficial da Casa.
O Legislativo paulista, porém, não conseguiu vender 94 dos 150 veículos oficiais que fazem parte da frota atual, que no ano passado foi avaliada em R$ 2,9 milhões. A intenção era utilizar o valor arrecadado na compra dos novos automóveis.
Segundo a Assembleia, esses carros serão leiloados após chegar a frota nova. Os deputados estaduais agora se deslocarão em um modelo Cruze, sedan da General Motors”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando não entende porque os deputados não utilizam seus próprios carros. Também Rumorejando se dá conta que os políticos estão às tintas com o movimento das ruas, com os privilégios a eles mesmos, com o desvio de recursos para seu – deles – beneficio, em detrimento de Educação, Saúde e Segurança para o povo e assim por diante. Quem souber a resposta para todas essas dúvidas – obviamente cruciais – por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VIII
E já que falamos no assunto (Fonte: Facebook): No borrado em preto a palavra é ‘censurado’.

 

Constatação IX (De mais um pseudo soneto).
 
         Tempos modernos
 
O casal estava num idílio amoroso
Reciprocamente se idolatraram
O relacionamento deles ficou famoso
E, por isso, muitos casais se formaram.

O fato em si não era um caso isolado
Em todas as épocas já havia sucedido
Chamou a atenção de um cara divorciado,
Que estranhou peremptoriamente o acontecido.

Ser feliz nesses tempos e/ou num dia atual
Com a insistência que se aumente o “ter”
Não é para qualquer pobre e simples mortal.
 
É preciso ser regiamente bem assalariado
Que não se preocupe com o importante “ser”
E queira viver sempre com dívidas atolado.

Constatação X
Três argentinos, dentre muitos, de quem eu sou grande admirador: O atual Papa, o jogador Messi e o Quino pai da Mafalda. Três argentinos, dentre muitos, de quem eu não sou e não fui admirador: A(O) presidente Kirchner, Maradona* e Peron.
*Assim como o Pelé, admirador só como jogador de futebol.
Constatação XI
Não se pode confundir renda com ronda, muito embora o que existe gente, mormente políticos, fazendo ronda para obter indevidamente o dinheiro público, a fim de melhorar a sua – deles – renda, não está escrito em nenhum gibi, dicionário, vade-mécum, compêndio, livro didático e por aí afora...
Constatação XII (De uma dúvida crucial).
Por que será que não se faz auditorias nos gastos do governo, nos empréstimos do BNDES para a construção e/ou ampliação de campos de futebol e por aí afora? Quem souber, por favor comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIII (De mais um pseudo-soneto).

Correção do salário do legislativo.
Naturalmente com efeito cascata.

A Copa do Mundo já está chegando
Para aplacar algum put, digo, iracundo
Que ficou sozinho a falar, gesticulando,
Por, receber no hospital, um não rotundo.

Falta de vagas e principalmente de vergonha.
Por que ninguém resolve essa eterna situação?
Será que não há governante que se disponha
Providenciar melhoria em tal e na Educação?

Essa dúvida que já passou, a tempo, de crucial,
Parece não preocupar a Situação e a Oposição
Que deve considerar apenas um problema banal.

A Oposição quando teve o mando, o poder nas mãos,
Tampouco tratou da premente, aflitiva, urgente questão.
Ah! Vem aí novo salário de autoprivilegiados cidadãos...

Constatação XIV
E como dizia o obcecado convencido pra obcecada modesta: “Não é por nada, não, mas eu sou grife de luxo”.
E como contestava a obcecada modesta: “Não é por nada, não, mas eu te vejo como uma grife de lixo”.
Constatação XV (Quadrinha para ser recitada agora no começo das aulas).
Tomara que a professora não dê alguma aula chata
E o assunto não seja nem um poucochinho maçante.
Para chamar nossa atenção ela seja bem diplomata
E não nos ponha de castigo em nenhum instante.
Constatação XVI (Quadrinha para ser recitada antes do carnaval que se avizinha).
Este ano eu vou sair fantasiado
De político ou governante honesto.
Nos quatro dias poderá ser divisado.
A minha maneira de fazer protesto.
Constatação XVII (Quadrinha para ser recitada no execrável horário político que está prestes a começar).
Se você, candidato, não quer ser taxado de filho daquilo,
Largue mão de fazer promessa que seja a mais pura balela.
Abandone o teu guru de quem você se considera pupilo,
Porque, até hoje, não existiu político que não seja meia-tigela.
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada na Organização das Nações Unidas – ONU, que deveria promover a paz no mundo sem vetos de algum país no Conselho de Segurança).
Vamos parar com as empulhações e frases patrióticas,
Que corroboram para que haja guerras e conflitos.
Pensar seriamente em eliminar as situações caóticas:
Eliminar distorções e a miséria como principais requisitos.
Constatação XIX
A atriz
Sempre quis
Um chamariz:
Usou uma flor-de-lis
Um vestido tamis
E um sapato gris
Tomou chá com anis
Para ficar magra na apresentação.
Mas não teve consagração:
Pouco capricho na atuação
E excesso de batom.
Repertório nada bom.
Ficou desapontada,
Abalada,
Triste e amuada.
Coitada!
Constatação XX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Felipão quebra a cabeça atrás de centroavante para a seleção”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas será que o nosso técnico da seleção não poderia aproveitar o embalo e procurar, também político decente em nosso país? Quem souber se ele pode ou não, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XXI
Também deu na mídia e também no Estadão: “Ministério cria força-tarefa e cidade que não pagar auxílio sairá do Mais Médicos. Após Estado revelar falta de pagamento de auxílios municipais, ministro diz que cidades terão 15 dias para acertos”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o último município que sair que apague a luz. Vige!
Constatação XXII
Também deu no Estadão: “Lula enfrentará rivais para poupar Dilma até a Copa.
Segundo estratégia petista, ex-presidente usará discursos em eventos estaduais e vídeos em um canal da internet para tratar dos assuntos mais espinhosos e responder a opositores; ideia é que Dilma se concentre mais na administração". Data vênia, como diriam nossos juristas, mas quem será que nos poupará de Lula e de seus rivais?

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br


quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De um pseudo-soneto).

 Fofoquinhas e ‘Fofoquonas’.

Sentiu um incomodo comicho
Na ponta do seu baita nariz.
Era a vizinha na base do cochicho
Com a comadre que com ele nada quis.

Também um desconforto na orelha
Parecia que ela estava pegando fogo
De cor ela havia ficado vermelha:
“Acho que ele vai dar às de vila-diogo*”.

“A mulher sempre foi de um capricho”.
“E ele sempre metido na boca-do-lixo
Com rufiões,** viciados e alcaguetas”.

“Ela o sustenta desde que se casaram,
Mas eu não sei por que nunca se separaram”.
“Tampouco o que dá nos jovens, nas suas venetas”.

*Dar às de vila-diogo = fugir (Google).
**Rufião = n substantivo masculino
1. Aquele que se mete em brigas por causa de mulheres de baixa reputação;
2. Indivíduo que se envolve em brigas com frequência; brigão;
3. Indivíduo que vive à custa de mulher pública, a quem simula proteger; gigolô, proxeneta;
4. Intermediário entre amantes; alcoviteiro;
5. Regionalismo: Sul do Brasil.
Indivíduo que está sempre a fazer conquistas amorosas; conquistador, namorador;
6. Regionalismo: Sul do Brasil. (Houaiss).
Constatação II
Não se pode confundir escuna, que o dicionário Houaiss dá como: “n substantivo feminino. Rubrica: termo de marinha. Embarcação de dois mastros, em que as velas principais são latinas, e que geralmente dispõe de vergas apenas no mastro de vante (a parte da frente do navio, entre a caverna-mestra e a roda de proa, também. Houaiss)”, com escuma (espuma), muito embora quando uma escuna, ou barco, ou navio singra o mar, rio, lago, etc., vai deixando um rastro de escuma. Às vezes a escuma é originada pelos detritos que os ditos animais racionais vão jogando nas águas, anteriormente referidas. Vige!
Constatação III (De mais um pseudo-soneto).

           Dramas funéreos conjugais

A viúva alegre fingindo estar compungida
Enxuga uma invisível lágrima fingida
“Hosana! Finalmente me livrei deste traste!”
E as amantes dele chorando! Que contraste!

De manhã ele dizia para ela: “Bom Dia!
E mentalmente agregava: Miss Antipatia!
E ela de pronto respondia: “Muito boa tarde!”
E pensava: Só de te olhar minha vista arde.

Pela noite, sem combinar, pensavam iguais,
Sem saber o pensamento do outro jamais:
“Para você, meu cordialíssimo boa noite!”

Evidentemente as saudações não eram sinceras
Diferente das anteriormente em pristinas* eras.
“Gostaria de te dar uma baita surra de açoite”.

*Pristino = adjetivo
Uso: formal.
Relativo a um estado, a uma condição ou a uma época anterior; antigo, prisco (Houaiss).

Constatação IV
O carioca fala carioquês; o paulista, paulistês; o nordestino, nordestinês; o nortista, nortinês; o mineiro, mineirês; o catarinense, catarinês; o gaúcho, gauchês. E o curitibano? Fala o leite-quentês, também podendo ser chamado de curitibanês. Vejam só: O lei-te-quen-te me deu dor de den-te e não há quem aguen-te. Que calor, minha gen-te. Não falei?
Constatação V
Não se deve confundir sensualidade com serenidade, até por que a primeira, revelada por uma gatona, pode tirar a segunda de muito marmanjo, seja jovem, de meia-idade ou de idade provecta. Vige!
Constatação VI
Quando o obcecado leu na mídia, mais precisamente no Estadão que: “Os britânicos começam a fazer sexo mais cedo e mantêm vida sexual mais longa. A média de parceiras sexuais na vida aumentou para os homens de 8,6 (em 1990-1991) para 11,7 em (2010-2012). No mesmo período, as mulheres saltaram de 3,7 para 7,7 parceiros. Elas (e não eles) foram as que sofreram mudanças mais importantes em seu comportamento sexual”, ponderou, com a sua – dele – sapiência: “Acho que eu deveria imigrar para a Inglaterra. Um cara como eu, com o meu impecável desempenho, fatalmente, estaria inserido, ou aumentaria o percentual nessa elevação dos parceiros das mulheres que lá vivem”.
Constatação VII
Não se pode confundir astuto com estatuto, muito embora exista muito astuto que modifica ou não cumpre um determinado estatuto para poder se locupletar. Grande filho daquilo que ele é!
Constatação VIII (Mais um pseudo-soneto).

            Que família!

 Ela teve uma alegria esfuziante
Pelo grito raivoso e estridente
Que a sogra deu no filho tenente
Por ele andar sob o sol escaldante

Ela já o havia bem antes advertido
Quando, ele, em posição de sentido,
Com a mão direita perto do ouvido
Fazia continência com cara de sofrido.

Acontece que a mãe dele era major
O que na hierarquia, de tenente, é maior.
E isso, qualquer militar sabe de cor.

O pai dele que tinha o posto de general,
No mesmo quartel dessa gente tão legal,
Repreendeu o tenente de modo paternal.

Constatação IX
Na Feira Orgânica do Passeio Público, que acontece todos os sábados pela manhã, uma porção de feirantes costuma tomar chimarrão e muitos fregueses costumam aceitar uma sorvida que é oferecida com toda a prestimosidade*
Dentre os feirantes, se encontra a família Marfil adepta do chimarrão. Este assim chamado escriba se encontra entre os tomadores. Mas para enticar** com o Marfil sempre crítica o chimarrão, alegando as observações mais comuns do tipo: a erva já está lavada, a água está fria, mesmo que esteja supimpa. A última vez, quando me foi ofertada uma cuiada, aleguei que o chimarrão, por estar lavado, o amigo Marfil havia posto Omo para fazer espuma. Um cidadão que estava mateando na roda que havia se formado, incontinente, exclamou: “É verdade, mas o Omo que ele pôs é orgânico”...

*Prestimosidade =  substantivo feminino
1. Qualidade do que é prestimoso; obsequiosidade.
2. Ação prestimosa; favor, obséquio, ajuda (Houaiss).
**Enticar = verbo
Transitivo indireto
2. Regionalismo: Brasil, Portugal, Açores.
Tomar implicância com (alguém ou algo); aborrecer (Houaiss).
Constatação X (De novo pseudo-soneto).

              Bazófias

Ele contou uma baboseira
Pra lá de mirabolante
Ela: “Deixe de falar besteira,
Pelo menos por um instante”

Foi uma incrível história
Como herói ele aparecia
Inclusive eivada de glória
Onde teve muita pancadaria.

“Tive sozinho que enfrentar,
Sem ninguém pra me ajudar,
Seis sujeitos mal-encarados”.

“Bati neles sem dó, nem piedade,
Que de mim eles não vão ter saudade
Tampouco dos seus rostos amassados”.

Constatação XI (Perdão leitores pelo uso do idioma da maior potência da terra. Afinal, o fato tem acontecido lá na terra deles e não na nossa que, aliás, não é bem nossa...)
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “A cada três dias um turista brasileiro é furtado em Miami ou Orlando”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que provavelmente por conterrâneos dos brasileiros, pelo “know how” e pela facilidade do idioma. Vige!
Constatação XII
Também deu na mídia, no dia 31 próximo passado e igualmente no Estadão: “São Paulo - Em apenas um dia a campanha de doações para pagar a multa imposta ao ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares contabilizou mais de R$ 600 mil. Com a arrecadação registrada nesta quinta-feira, 30, o total de doações, que até então somava pouco mais de R$ 400 mil, chegou a R$ 1,013 milhão em oito dias”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que as doações foram dadas somente por anônimos e provavelmente através do caixa dois. Se fosse para instituições que tratam de idosos e crianças e mesmo para a Sociedade Protetora de Animais não seriam tão vultosas e tampouco anônimas. Como é de conhecimento geral ou parcial, contribuições a instituições de caridade são dedutíveis do Imposto de Renda. José Genoíno e Delúbio Soares devem ter feito algo benéfico para merecer tanta bondade e atenção. Vige!
Constatação XIII
E já que falamos no assunto, deu na mídia, também no Estadão:BRASÍLIA - Preso em novembro após ter sido condenado no processo do mensalão, o empresário Marcos Valério tem uma dívida com a União que supera a negociação do atacante Neymar com o Barcelona, tida, após a divulgação recente de informações, como a maior da história do futebol. Dados da Lista de Devedores da Dívida Ativa da União consultados pelo Estado revelam que Valério possui, pessoalmente ou em conjunto com pessoas próximas dele ou empresas usadas no esquema, débitos no valor de R$ 293 milhões. A transação de Neymar custou R$ 283 milhões ao time catalão. A dívida do operador do mensalão pode crescer em breve, pois ele não pagou os R$ 4,4 milhões da multa imposta pelo Supremo Tribunal Federal. O prazo para o pagamento terminou no dia 20. Se não quitá-la, Valério também terá essa multa inscrita na Dívida Ativa da União”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que, se houver doações, não poderá ser através de qualquer simples mortal. Terá de entrar no esquema pesos pesados do tipo dos que entram no ranking dos ricos do país ou fora deles (dos que tem aplicações nos paraísos fiscais), constantes de listas da revista Forbes e por aí afora. Vige!
Constatação XIV
E ainda deu na mídia, no jornal dos Mesquita: “SÃO PAULO - O engenheiro argentino Gonzalo Firvida, de 44 anos, foi morto após uma tentativa de assalto em uma Rua do Morumbi, bairro nobre da zona sul da cidade, na segunda-feira, 27, por volta das 21h, quando estava acompanhado da esposa, María, das duas filhas, Josefina e Mora, e de uma amiga da filha”. Com o prezado leitor pode constatar a pena de morte, em nosso país, continua vigendo, continua a pleno vapor, como já tem acontecido há muito tempo...

RICOS & POBRES.
Constatação I
Rico, fantasia; pobre, inventa.
Constatação II
Rico é obstinado; pobre, é teimoso.
Constatação III
Rico faz caminhada; pobre, segue cortejo.
Constatação IV
Rico é benfeitor; pobre, malfeitor.
Constatação V
Rico é confiável; pobre, é tratante.
Constatação VI
Time de rico sempre tem quase sempre vitória; time de pobre é sempre derrotado.
Constatação VII
Rico emana cheiros; pobre, sua.
Constatação VIII
Rico foge para país que não tem tratado de intercâmbio de prisioneiros com o Brasil; pobre, é achado na casa de parentes.
Constatação IX
Rico anda com carro do ano; pobre, recolhe material reciclável no carrinho puxado por ele.
Constatação X
Rico tem total liberdade; pobre, só restrições.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br