quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Com recato
Ela me disse,
Sem espalhafato,
Você é só burrice.
Constatação II
Não se pode confundir pedra com perda, muito embora, quando for o caso de uma pedra preciosa que for perdida, furtada, colocada no prego também chamado penhor sem que se possa recuperá-la, será uma perda irreparável para o seu legítimo dono (a). Coitado (a)!
Constatação III
Com um ar taciturno,
Até mesmo soturno,
Com uma voz cavernosa,
Ameaçadora, tenebrosa,
Olhar tão terrificante,
Assustador, horripilante,
Que dava receio, medo,
Como dá o caso de bruxedo
O que falar de temor e pavor
De tanto que era um horror
E que até parecia uma ogra.
Era só a anunciada vinda da sogra.
Constatação IV
Deu na mídia, mais precisamente na Gazeta do Povo: “O projeto que cria o auxílio-moradia para juízes e desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa (Alep). Dos dez membros da CCJ que participaram da discussão, seis votaram a favor e três não aceitaram a proposta. Houve uma abstenção”.
“Na reunião da semana passada, o deputado Tadeu Veneri (PT) pediu vistas ao processo para questionar a ausência de informações. Na retomada da discussão, votaram contra o projeto os deputados Péricles de Melo (PT), Pastor Edson Praczic (PRB) e Veneri, para quem o texto da proposta não específica, na prática, quem tem direito ao auxílio. Isso, segundo Veneri, poderia tornar o projeto vago, além de ir contra a Constituição Federal”.
Data vênia como diriam, nossos juristas, evidentemente aí inclusos os juízes e desembargadores que seriam os beneficiários, mas será que, com o elevado salario que eles auferem, não é mais do que suficiente para ter uma vida digna para si e para os seus familiares? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
Não se pode confundir espiar com expiar, embora foneticamente exatamente com o mesmo som, a diferença existe de significado, dependendo de que ou quem um voyeur* espiar, ele corre o risco de expiar.
*Voyeur = Substantivo de dois gêneros.
Rubrica: psicopatologia.
Indivíduo que experimenta prazer sexual ao ver estímulos sexuais, objetos associados à sexualidade ou o próprio ato sexual praticado por outros (Houaiss).
Constatação VI
O septuagenário, quase octogenário, tristemente lucubra (rico filosofa; pobre, lucubra): “Com a falência total de um órgão a gente se sente como se estivesse tendo a falência múltipla e total dos órgãos”...
Constatação VII
Não se pode confundir, ainda que foneticamente soem iguais, escapadela com escapa dela, até porque se o marido dá uma escapadela, dizendo que só vai até “ali e já volta” e retorna de madrugada, dificilmente vai conseguir deixar de se explicar porque, nesses casos, muito graves, diga-se de passagem, dificilmente escapa dela, da sua ira, da sua brabeza, do seu estado de iracunda, agastadiço, abespinhadiço, irado, p. da cara, etc. etc. A recíproca é como é, o que é muito elucidativo para nossos caros leitores.
Constatação VIII (Ah, esse nosso vernáculo).
A adorada Dora, de tez dourada, disse que adora, como sempre adorou, o adorado Comodoro*.
*Comodoro = Substantivo masculino
1. Regionalismo: Portugal.
Oficial de Marinha, inferior ao contra-almirante, na hierarquia da marinha, e superior ao capitão-de-mar-e-guerra.
2. Regionalismo: Portugal.
Oficial de marinha ou capitão encarregado de comandar um dos navios de um comboio, subordinado ao comandante da escolta.
3. Aquele que dirige departamento náutico de clube recreativo.
4. Em algumas companhias de navegação, título de honra concedido ao mais velho capitão ativo.
5. Título honorífico em certas associações navais (Houaiss).
Constatação IX (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ver o meu time, o Paraná, fugindo, com sucesso, dos últimos lugares da “primeirona” do que disputando o primeiro lugar da ”segundona”. E, o óbvio: é muito melhor ver o Paraná disputando o primeiro lugar da “primeirona” do que os últimos da “segundona”.
Constatação X (Quadrinha para ser recitada em festa escolar ou mesmo em faculdade).
Respondi tudo na prova
Nada ficou em branco
Quase levei uma sova,
Mas passei sem solavanco.
Constatação XI (Quadrinha para ser recitada por quem joga truco ou por quem assim o desejar).
Descarto o gato no baralho,
Mas fiquei com a espadilha.
Perdi. Será que foi um ato falho?
Achei que estava assim na cartilha.
Constatação XII (Para ser recitado ao invés de assistir o horário gratuito dos candidatos).
Acreditar em promessa de político
É não ter algum espírito autocrítico.
Somos dotados de raciocínio analítico
E não precisamos de auxilio psicanalítico.
Constatação XIII (Ainda de que com dúvida crucial).
Não se pode confundir prescrever, no sentido de receitar com proscrever, que quer dizer desterrar, muito embora não seja preciso ser médico para prescrever uma receita benéfica para o nosso país: proscrever todos os políticos para um local, onde tenham que escrever o dia inteiro os 10 Mandamentos até o fim de seus dias e noites. Assim, sem toda certeza, é bom que se diga, não sobrará tempo para maus comportamentos.
Constatação XIV (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor escutar uma longa bronca da mulher, mesmo chegando cedo a casa, do que uma breve peroração, empulhação, enrolação, enganação de um candidato, no horário político gratuito ou fora dele, enfim, em qualquer circunstância.
Constatação XV
Não se deve confundir instinto com distinto, até por que, quem dá vazão “porque sim e tá acabado” ao seu instinto, sem levar em conta se está sendo ou não distinto, poderá vir a cometer desatinos, despautérios, burradas, despropósitos e ser reprovado em algum eventual exame ao querer entrar para uma carreira diplomática ou outras carreiras onde se exige mais refinamento que os colunistas sociais, de certa época, que diriam de “gente bem”. A recíproca para esses casos, até pode ser verdadeira como, por exemplo, o sujeito ser considerado distinto só porque teve o instinto de querer beijar a sogra. Vige!
Constatação XVI (De uma dúvida crucial).
A raiz dos fatos é que causa mais a raiz dos problemas? Ou é o revés? Quem souber informar, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVII (De outra dúvida não necessariamente crucial).
Na constatação anterior é possível colocar a expressão “a raiz dos” em evidência? Caso seja possível, a frase ficaria assim: (a raiz dos) (fatos é o que causa mais problemas?). Quem achar que sim, ou que não, por favor, comentários no blog com a devida justificativa. Obrigado.
Constatação XVIII (Sem alguma dúvida, por mais mínima que eventualmente pudesse vir a ser).
Rumorejando
Também
Quer
Dar
Seu depoimento
Ao colocar
Uma interrogação:
Alguém
Por qualquer
Momento,
Estando
Em perfeita
E aceita
Condição
Mental,
Conhece
Algo mais sensacional
Dessa cheirosa,
Olorosa,
Formosa,
Mimosa
Menção
Honrosa,
Raramente
Nebulosa
Flor
Que é a Mulher?
Caro leitor,
Sinceramente,
O que lhe parece?
Constatação XIX
Não se pode confundir ternura com torneira, tendo em vista que nem sempre quando o governo abre a torneira das aplicações em publicidade isso queira dizer que está agindo com ternura, exceto para quem não são os donos das empresas de publicidade. A recíproca não é necessariamente verdadeira, principalmente nos casos de partidos políticos que depois das eleições esquecem (esquecem?) de pagar os seus débitos às retro mencionadas empresas. Aí, seria, com perdão aos leitores pelo que parecia um neologismo, inspirado no inolvidável, imemorável, inesquecível “imexível”, uma “desternura”.
Constatação XX
E não se pode, também, confundir envinagrado* com embriagado, ainda que nos dois casos, concomitantemente ou não, podem ser por amor. Este correspondido ou não. A recíproca não é verdadeira. Dificilmente o cara embriagado vai conseguir atingir seus almejados sublimes e imprescindíveis objetivos. Envinagrado ou não...
*Envinagrado = adjetivo
3. Derivação: sentido figurado.
Irritado, zangado, azedo (Houaiss).
Constatação XXI
No Rumorejando, anterior a este, fiz referência aos livros do meu amigo, jornalista e escritor Edilson Pereira (“Quem tem problemas com diabetes não deve ter cachorros. Eles são muito doces”), um pé vermelho por adoção, hoje morando em Curitiba e trabalhando na Tribuna do Paraná, onde este assim chamado escriba teve ocasião de colaborar no pé da página de Triboladas. Os livros do amigo Edilson Pereira foram obtidos, através de escambo. O último de Ernani Buchmann, também. No último domingo, Rumorejando esteve presente no Solar do Rosário para a exposição e livro Trajetórias do Amigo José Antonio de Lima, que conheci na Feira Orgânica do Passeio Público, para adquirir seu livro o que foi feito também na base de escambo. Como o prezado leitor pode constatar a crise está ensejando a volta do escambo. Evidentemente apenas para uma determinada faixa da população que, inclusive, tope tal esquema...
Constatação XXII (Publicidade).
E já que falamos em Solar do Rosário, lá também poderão ser encontrados os livros deste assim chamado escriba Rimas Primas & Outras Constatações e 150 Sonetos e 1 Sonetão (Pseudos).
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é maçante; classe média é chato; pobre, é pentelho.
Constatação II
Rico brinda à saúde da mulher, ou da família, com champanhe veuve cliquot, trazida, pessoalmente, da França; pobre brinda à saúde da mulher, ou da família, com uma cidra, há muito tempo guardada, ganha de presente.
Constatação III
Rico quer emagrecer; pobre não tem outra opção.
Constatação IV
Rico deglute mel; pobre, empurra goela abaixo o fel.
Constatação V
Rico impinge; pobre, aceita.
Constatação VI
Rico é impulsivo; pobre, é desordeiro.
Constatação VII
Rico é a alavanca do progresso; pobre, é o ponto de apoio.
Constatação VIII
Rico tem eventuais lapsos de memória; pobre, é cabeça-de-vento.
Constatação IX
Rico toma Chivas Regal envelhecido 12 anos. Pobre, toma.
Constatação X
Rico come em restaurante que faz parte do Guia Michelin e, no Brasil, no Fasano em São Paulo; pobre treina para faquir.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: