quarta-feira, 26 de março de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Rumorejando nunca entendeu qual a razão que as manifestações racistas contra os afrodescendentes nunca foram punidas com a Lei Afonso Arinos, prendendo o infrator ou infratores nas torcidas de futebol. E tampouco entendeu a razão que a punição vai para o time ao qual o torcedor faz parte que, não tem culpa alguma se o torcedor é um débil mental, um imbecil, ou um marginal. As punições ao time são também se um torcedor atira algo no campo. Se alguém puder me explicar o porquê que é o time que é punido, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação II (Dívida pra lá de crucial).
E já que falamos no assunto por que será que não se executa o hino nacional cantado, antes do começo das partidas, a fim que se possa aprender a extensa letra do nosso hino? Quem souber explicar, por favor, também comentários no blog. Obrigado.
Constatação III (Receita atual de pizza).
“Denúncia de irregularidades” e “vamos apurar as denúncias” parece ser o que mais é publicado na mídia nos últimos tempos, mas que já era comentado desde a descoberta do Brasil, as sesmarias, as capitanias, o coronelismo e assim por diante. Vige!
Constatação IV (De um pseudo-soneto).

 Tragédias do cotidiano

Ela franziu o cenho
Do seu pífio desempenho
Logo virou uma careta
De assustar até borboleta

Um boleto de poucos reais
Foi mandado para o protesto
Tal não havia acontecido jamais
“Eu sempre fui um cara honesto”.

O fato que o aviso do pagamento
Veio na época do fim do ano
Quando só se pensa em festa naquele momento.

O banco, asquerosamente, não alertou a gente,
Com quem ele, a vida toda, depositou de modo insano.
E, claro, foi encerrada, na mesma hora, incontinente.

Constatação V

 Réquiem prum time que já deu alegria?

Morreu na praia o meu querido Paraná
Que não paga dos jogadores o salário
Não dá pra dizer que melhor time não há
A gente é obrigado a dizer o contrário.

O que não se consegue compreender
Que o patrimônio do então Colorado
Começou de repente a desaparecer.
E, junto, as vitórias ficaram de lado.

Se alguém souber me contestar,
O faça que me sentirei ajudado,
Pois fico pensando onde ele foi parar

A ameaça é o time aos poucos se extinguir
Já que ele se encontra totalmente ameaçado
E se pergunta: E agora? Pra onde ir?

Constatação VI
A presidente Dilma e a Governadora do Maranhão fizeram afirmações estapafúrdias ao afirmarem que barbaridades acontecem com relação ao consumo de drogas e outras causas maléficas, pelas razões de que o país avançou econômica e socialmente. Rumorejando, que já havia criado um prêmio para quem não houvesse participado com “Perdeu a oportunidade de não dizer besteira” e que algumas pessoas sugeriram que a palavra besteira fosse substituída por imbecilidade, deixa a critério dos prezados leitores a alternativa de quem está fazendo por merecer o referido prêmio... Dúvida crucial, dentre tantas: Efetivamente, as barbaridades acontecem por que o país está indo bem? E será que não daria para as barbaridades não acontecerem em qualquer circunstância que o país esteja indo? Com a douta palavra, os defensores das duas senhoras, os seus bajuladores, “asponedores” e demais “ores”.
Constatação VII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Ministro diz que não devolverá dinheiro usado na viagem de sua esposa no carnaval. 'Sou casado há 26 anos e sei como é o ambiente do carnaval', disse Arthur Chioro, titular da Saúde, para se justificar”. Data vênia, como diria um jurista simpatizante da Oposição. Pelo menos, no momento: “O chioro, digo, o choro é livre. Quem não chiora, digo, chora, não mama”. Comentário de Rumorejando: “Acabou de assumir e já está mostrando o quanto é a sua devoção para resolver os intransferíveis problemas da saúde. Vige!”
Constatação VIII
Não se pode confundir enojado com enjoado, muito embora a gente já esteja enjoado de se sentir enojado com os políticos, governantes, juízes, desembargadores e autoridades em geral. A recíproca é verdadeira. É só perguntar para a maioria dos eleitores.
Constatação IX
Ele achou
O fim do mundo
E ficou
Antojado,
Amuado,
Cabisbaixo,
Obumbrado,
Meditabundo
Quando ela falou
Com voz de baixo,
Cantando desafinado,
O perjuro
De que o que ele dizia,
Ou fazia
Era o mais puro
Exercício de poder.
Quando ele não contava,
Por não querer,
Por se considerar
Educado
E não deixava
Ela estar
Ao par
Do que andava
A suceder,
Na andança
Pra cá
E pra lá
Da vizinhança
Depois do anoitecer,
Ao amanhecer
E na madrugada.
Coitada!
Coitado!
Constatação X (Teoria da relatividade para principiantes).
E como argumentava, ponderava, lucubrava o septuagenário, quase octogenário, para o seu velho amigo: “Olhe, mano velho, é evidente que a cada dia todos nós ficamos mais velhos. Só que quem é velho fica mais velho do que quem é menos velho... Elementar, meu velho”.
Constatação XI
Deu certa época na mídia; “Homem que foi obrigado a casar com quatro esposas é internado”. A mídia não informou se foi pelo fato do cidadão ter quatro sogras, por não ter dado conta do recado, pelas duas razões concomitantes, ou por alguma quarta razão não divulgada. Quem souber, por favor, o tradicional comentário no blog. Obrigado.
Constatação XII (Em face da proximidade das eleições, Rumorejando, com o intuito de colaborar com os partidos políticos, sugere a quadrinha a seguir, para ser recitada em festa de lançamento de alguma eventual candidatura. Tendo em vista a rima rica, recomenda-se que não seja recitada de cor e salteada ou, como se costuma dizer, de cabeça – e sim, lida –, a fim de não se correr o risco de cometer um ato falho, o que, segundo se propala por aí, não seria tão falho assim...).
Eis aqui uma figura digna e impoluta
Que sempre pautou por uma boa conduta
Pretende, com amor e abnegação, ir à luta.
E que não é aquilo que a mídia lhe imputa.
Constatação XIII
E já que falamos no assunto, vale lembrar o que, certa vez, deu na mídia: “Inglaterra pode surpreender o Brasil na Copa, diz Franz Beckenbauer presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo da Alemanha”. O grande craque alemão, do passado, não fez nenhuma referência, nenhum vaticínio se algum político brasileiro poderá surpreender os eleitores brasileiros, fazendo um governo decente e honesto.
Constatação XIV

Pequenas diferenças

Derreto-me qual sorvete
Quando tu me piscas.
Dos teus olhos saltam faíscas
Sem que seja um cacoete.

Já quando eu jogo truco
E o parceiro me pisca
Eu acho que ele se arrisca
De eu pegar o trabuco.

Isso, se o sinal for errado,
E ele não ter o que sinalizou
Fazendo a gente ficar surrado.

A diferença entre homem e mulher
Creio que demonstrada assim ficou
Melhor ter parceira que é o que se quer.

Constatação XV
No dia 22, próximo passado, o jornal Gazeta do Povo publicou uma reportagem, assinada pelo jornalista Sandro Moser, por instâncias de Marleth Silva, abordando a figura, de modo benevolente, deste assim chamado escriba. Ela suscitou comentários, dos quais transcrevo a seguir o do meu amicíssimo Irani Trentin e, sensibilizado, agradeço:

Juca vi tua reportagem na Gazeta do Povo.
E atrevido te escrevi, manuscrevendo-te pela saudade. Que entre um sorvo e outro (ou vários deles, se aguentares) possas lê-lo.
Juca, mereces.
Ao trilhares os caminhos sem trilhas,
Intrincados por pássaros madrugadores,
Companheiros teus nos bancos onde
O sentar-se é o acomodar tuas veias poéticas
A serem garimpadas em papéis,
Hoje eletrônicos,
E serem apreciados através de visores dos que
Ainda guardam uma pureza desinteressada:
No bem dos demais, sejam eles de quantas
Patas forem. De preferência quando duas,
Não o serem patas. Mas pés delicados.
Não tanto a ponto de dobrar a dúzia.
Mas delicados pela sensibilidade da natureza.
No teu banco, ao apreciares a natureza,
O Criador, contigo senta, a te cuidar.
Justo quando um dia dá as boas vindas ao outro
Que lhe substitui, avisado que é, pelo cantar
Colorido que o sol entoa ao se despedir.
A natureza toda, Juca, cala-se nesse momento.
Esquecem-se as conveniências.
Quem tem asas, fala mais baixo.
Quem não as tem, mas sente o seu rufar
Também o faz. O reavivamento do coração
Por ser momentâneo, é reavivado para ser eterno.
Pois de momento dura enquanto existir.
Desejo a ti, Juca, nobre filho do povo que preservou os ensinos
Do e sobre o Criador que me sustém, que:
‘O Senhor te abençoe e te guarde;
O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti,
E tenha misericórdia de ti;
O Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.
‘Assim porão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei’.
Números 6:24-27
(Curitiba, 24 de março de 2014)

Constatação XVI (De uma dúvida crucial).
O tal quadrado mágico tem um vértice arredondado/rechonchudo ou é ilusão de ótica? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVII (À maneira de Gabriel García Márquez).
Deu na mídia: “Câmara de São Paulo promete investigar gastos indevidos de vereadores. A medida foi anunciada após o 'Estado' divulgar resultado da avaliação de todas as 7.960 notas fiscais publicadas em 2013 no site oficial da Casa”.
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a ‘pizza de uma investigação anunciada’, pela Câmara, não tem nada a ver com as pizzas das CPI´s do Congresso e afins.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é resoluto; pobre se amarra.
Constatação II
Rico é na base da retribuição com gentileza; pobre, é na base da represália com rudeza.
Constatação III
Rico mantém as aparências; pobre, se evapora.
Constatação IV
Rico se reagrupa, se reúne; pobre, só em torcida organizada.
Constatação V
Rico eventualmente titubeia; pobre, é sempre confuso.
Constatação VI
Rico sempre tá rindo à-toa; pobre, nunca ouve uma loa*.
*Loa = “Fig. Discurso laudatório; elogio, apologia”. (Aurélio).
Constatação VII
Rico repreende; pobre, engrossa.
Constatação VIII
Ator rico faz papel de mocinho, faz o papel principal; ator pobre “vem à cena como elemento de um grupo, aglomerado ou multidão; comparsa, figurante, ponta”. (Aurélio).
Constatação IX
Rico tem convicção, tem certeza; pobre, é impreciso, confuso.
Constatação X
Rico é versado, culto; pobre, é bronco, é tapado.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 19 de março de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES NAFALTA DE MAIORES
Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “PT x PMDB: entenda o impasse.
Se alguém não se der conta que “Principal partido da base aliada do governo federal tenta conseguir mais espaço no Planalto e na disputa eleitoral”, precisa urgentemente fazer um curso de acordar da sua ingenuidade, já que sempre existiu na política brasileira: O execrável ‘dá cá toma lá’. Elementar. Dúvida crucial: Será que o país aguenta por muito tempo esse butim*? 
*Butim = n substantivo masculino
1. Conjunto de bens materiais e de escravos, ou prisioneiros, que se toma ao inimigo no curso de um ataque, de uma batalha, de uma guerra.
2. Produto de roubo ou de pilhagem.
4. Uso: informal.
Proveito, lucro (Houaiss).
Constatação II
Não se pode confundir furto com fruto, muito embora em uma porção de casos, também ou principalmente envolvendo políticos, o fruto de uma ou mais de suas riquezas é devido ao furto de bens públicos, também conhecidos por pôr a mão no jarro, desvio de verbas, falta de licitação e outros epítetos que a mídia costuma utilizar.
Constatação III
"Deu também na mídia, também no Estadão, na coluna do jornalista Marcelo de Moraes: “Não queremos apoiar reeleição de Sarney para o Senado”, diz Joel Banha, presidente do PT no Amapá”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que se a votação para senador abrangesse todo o país e não só o Estado que lança o candidato, a população se manifestaria que está na hora do senador se aposentar. E, claro, já iria tarde! Bem tarde!
Constatação IV
Não se pode confundir ricos com riscos, até por que se continuar a situação que apenas 1% da população mundial continuar detendo 50% do PIB, os ricos vão correr  riscos de não ficar com nada diante de um levante dos outros 50%, onde, inclusive grassa a fome.
A ideia da Taxa Tobin, formulado por James Tobin, na qual as execráveis aplicações financeiras em todo mundo fossem oneradas com um pequenino percentual, até hoje não mereceram maior atenção dos países ricos e suas populações que vivem vidas tranquilas da especulação financeira. Filhos daquilo é que eles são. Tenho, p da vida, dito!
Constatação V (Gato escaldado tem medo de água fria...).
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Dilma e Blatter não farão discursos na cerimônia de abertura da Copa. Medida soa como precaução por causa das ameaças de protestos no Brasil durante o Mundial”. (“ameaças de protestos”, no caso, é eufemismo de vaias). [O grifo é de Rumorejando]. Tal fato me faz lembrar a história do sujeito que mediu a sua febre e como estava alta, irritado, despedaçou e jogou fora o termômetro. Vige!
Constatação VI
Também deu na mídia e também no site do Estadão: “PMDB obtém apoios, se une à oposição e impõe derrota ao governo na Câmara. Integrantes da base aliada combinam ação com partidos de oposição e fustigam Dilma com aprovação de requerimento que cria comissão externa para investigar a Petrobrás”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando não acha que seja ‘derrota ao governo na Câmara’. Afinal, quem não deve, ou não tem culpa em cartório, não teme e não precisa pagar. Não seria esse o caso do governo não impedir a investigação da Petrobrás? Cá entre nós, pobres mortais, por que impedir a investigação? Medo que algo venha à tona? E se o PMDB e outros componentes do assim chamado bloco que apoia o governo forem atendidos em suas, segundo eles, desinteressadas reinvindicações, aí a investigação cessa ou continua? Quem souber aclarar todas essas dúvidas cruciais de Rumorejando, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VII (De um pseudo-soneto).

      Diálogos de como entrar na política.

Fazia declarações como se fossem únicas, infalíveis,
Verdade que não havia mínimas intenções de mentir
Não se dava conta que dizia coisas inexequíveis
Que ia contra a todas as leis, querendo persuadir.

Se a contestação fosse inegável e peremptória,
Começava a tergiversar, enrolando o interlocutor,
Menosprezando sua inteligência com essa história,
Que irritado, ficava com a cabeça com baita dor.

“Você tem vocação, ao menos, para deputado ou senador
E deveria se candidatar a uma dessas funções políticas,
Não interessando se, acaso, o partido já esteja com bolor”.

“Você não seria diferente dos que agora por lá estão,
Já que de modo algum essas eminências são autocríticas
E costumam legislar pra si em detrimento da nação”.

Constatação VIII (De outro pseudo-soneto).

                       Divagações
       (Dedicado aos meus amigos mineiros).

Existe uma determinada maneira
De se referir à palavra besteira
Sem que signifique bobeira
Ou que se está querendo dizer asneira?

Em Minas também quer dizer grampo de cabelo
Que as mulheres se preocupam com muito zelo
Afinal, as vaidosas não podem andar com desmazelo,
Caso contrário arrisca ficarem com dor-de-cotovelo.

Portanto quando você estiver em Minas,
Você pode dizer ocê, uai, oiá, bão, trem
Até pode elogiar a besteira das meninas.

Mas cuide do sentido onde coloca a frase,
A fim de que você não ofenda alguém
O que não fará com que você arrase.

Constatação IX
Está circulando na Internet, mormente no Facebook desafios para a feitura de poesias que devem ser repassadas a outras cinco pessoas e assim por diante dando andamento à uma corrente de poesias. Este assim chamado escriba vem de lançar o livro 150 Sonetos e 1 Sonetão (Pseudos) e esgotou o seu estoque de criação por que ninguém é de ferro. Ao contrário do seu costume, que raramente publica textos alheios, com exceção dos seus gurus Millôr Fernandes, Mario Benedetti e Mário Quintana, Rumorejando, que teme pela volta desse nefasto período, não poderia se furtar de publicar o escrito de Walmir Ayala, publicado na época da repressão e censura e que considera uma obra-prima e que, lamentavelmente, não perdeu a sua atualidade...

             Ode à Censura
                            Walmir Ayala*.

Censuremos a pornografia da fome,
do desemprego,
da indústria da educação,
da propaganda mentirosa.

A pornografia da violência policial,
da tortura,
das máscaras pré-eleitorais,
dos aumentos do leite e do pão.

A pornografia da irrealidade dos salários do Povo
e da irrealidade dos salários dos que decidem o mesquinho
salário do povo.

A pornografia da falta de solidariedade,
da demagogia com pés de lã,
da corrupção oficializada
do pseudomoralismo despistador.

A pornografia dos linchamentos,
da lentidão da justiça,
do olho vesgo da justiça,
do pedestal vazio da própria justiça.

A pornografia da justiça que se quer feita pelas próprias mãos.
A pornografia do medo, da insegurança,
das comissões que justificam o crime,
do variado preço da “cerveja”
com que se amansa o gato da fiscalização.

A pornografia do símbolo do leão
como carrasco dos que se equilibram perigosamente
na rede milionária dos impostos.

A pornografia da fábrica de mortos,
ou das mortes cinicamente adiadas
nos institutos da previdência social.

A pornografia das ricas reservas de ouro,
minério e petróleo,
caracterizando um país rico infestado de miséria.

Censuremos todas estas pornografias que nos aviltam
não a ingênua pornografia que pelos olhos ou pela imaginação
montam suas máquinas monótonas
no espaço supérfluo do nosso sonho.

*Walmir Ayala (Porto Alegre-RS, 4 de janeiro de 1933 - Rio de Janeiro-RJ, 28 de agosto de 1991), foi um poeta, romancista, memorialista, teatrólogo, autor de literatura infanto-juvenil e crítico de arte brasileiro (Google/Wikipédia).
Constatação X
E já que estamos embalados, Rumorejando agradece o que segue abaixo, escrito, de modo laudatório, por uma amiga bondosa que conheci no Banco de Desenvolvimento do Paraná S. A., BADEP, quando fomos colegas de trabalho. Ao contrário do que foi dito na constatação anterior – e não se trata de falsa ou verdadeira modéstia, mas da mais e irrefutável evidência dos fatos – a, digamos, ponderações de Claudia Chermikoski, lamentavelmente, vêm perdendo a atualidade...

 Querido Juca:

Pra falar das rimas
Vou esquecer-me das primas
Ambas adoráveis.

Os seus pensamentos
São marcas muito importantes
Que conheço agora.

Juca cidadão
Há quanto tempo um irmão
Sem "constatação".

Não sabe de mim
Afinidade sem fim
Nos sons e nos tons.

Letras tão letradas
Nos caminhos ou estradas
Nas rimas e primas.

Me deixa feliz
Suas palavras douradas
Em brilho de sol.

Expor pensamentos
Nem todos têm a coragem
Você tem de sobra.

Prazer em sabê-lo
Saber lidar com as palavras
Estou encantada!

Magia de fada?
De onde vem esse dom?
Parabéns Juca!

Abraço,
Claudia Chermikoski

Constatação XI
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo (só poderia ser...):Veridiana Freitas posa de biquíni e diz que fará reconstituição de hímen. Ela quer voltar a ser virgem: 'Estou superansiosa. Vou me guardar cinco meses e, quando encontrar meu príncipe encantado, quero que seja perfeito'”. Taí uma notícia, “superansiosa” esperada, de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
Constatação XII (Quadrinha para ser recitada se o meu Paraná for campeão do campeonato paranaense [Segundo Davis Bem Gurion, “Quem não acredita em milagres não é realista”]).
Cuidem-se times do Campeonato Brasileiro
Que o Paraná, como quem não quer nada,
Está chegando todo valente e altaneiro
Pra mostrar para o Mundo sua esquadra apurada.

RICOS & POBRES.
Constatação I
Rico é afável; pobre dá pontapé até na própria sombra.
Constatação II
Filho de rico quando nasce vem ao mundo: pobre, é apenas expulso do ventre materno.
Constatação III
Rico tem vozeirão; pobre, poluição auditiva.
Constatação IV
Rica confidencia um segredo; pobre, faz fofoca.
Constatação V
Rico oferece colaboração; pobre cumplicidade.
Constatação VI
Rico ao expor é categórico; pobre, carece de fundamento.
Constatação VII
Rico realiza seus sonhos; pobre, tenta não realizar seus pesadelos.
Constatação VIII
Rico vive em eterna lua-de-mel com o mundo que o rodeia; pobre, só resmunga.
Constatação IX
Rico pesquisa; pobre, mete o nariz onde não é chamado.
Constatação X
Rico fica na fila para comprar sorvete no shopping; pobre, fica na fila do SUS.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 12 de março de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Quadrinha para ser recitada preferencialmente em casa de família).
Faço direitinho as lições
Sou um cara bem comportado.
Sei que de todas as profissões
Não quero ser a de deputado.
Constatação II (Quadrinha para ser recitada em qualquer festa e/ou lugar, dependendo do caso).
Para falar comigo a todo instante,
Comprou um celular, a minha amada.
Mas nunca conversamos o bastante
Sempre estou falando com a namorada.
Constatação III (Quadrinha de uma dúvida crucial).
É assaz fundamental
Aquela história do mensalão
Onde, indevidamente, cada qual
Ganha um baita dum quinhão?
Constatação IV (Amém).
Há muitos fatos
Que se deveria acabar:
Um deles é o tão malsinado
Maus-tratos
Dos animais;
O outro é nunca mais,
De algum jeito,
Daqui pra frente,
Precisar
Em presidente,
Governador,
Prefeito,
Deputado,
Vereador
E senador
Tornar
A votar.
Constatação V (Do círculo vicioso e pernicioso do excesso ou, matematicamente falando, exemplo, vicioso e pernicioso, de uma dízima periódica).
Excesso de conservadorismo induz ao reacionarismo. Excesso de reacionarismo induz ao fanatismo. Excesso de fanatismo induz ao conservadorismo...
Constatação VI (Lei de Lavoisier)
No Congresso, de certos países, nada se perde, tudo se cria, todos se transformam. *
*Como Rumorejando é uma coluna assaz democrática deixa a cargo de cada um dos nossos prezados leitores o quê, cujo, quanto, como, onde, porque, etc.
Constatação VII
Em certos países, o descrédito nos políticos anda de maneira tal que corre pela Internet a recomendação ou sugestão para que se vote com sabedoria. No caso, votar em branco ou anular o voto. Lamentável como os políticos vêm agindo para que se chegasse a esse ponto. No entanto, um jovem de dezenove anos, hacker, provou que as urnas eletrônicas podem ser violadas. Vige! Onde vamos parar? Quem souber, em qual lugar, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação VIII
Mulher que é braba e burra,
Que só fala em dar surra,
Ela solta, alguma vez, nitridos,
Broncas, brados, gritos roucos,
Berros insanos, meio loucos,
Orneio, ornejo, não poucos,
Zurros, relinchos e rugidos.
Constatação IX
O plano inclinado,
Suave ou acentuado,
Para quem é pessimista
Somente descende;
Para o otimista,
Só ascende
E para o realista,
Incrédulo ou com fé,
Toda ladeira,
Toda pirambeira
Sobe e desce,
Principalmente,
Pra quem não esmorece,
Seja de frente, ou de ré,
Ou de qualquer outra maneira,
Tão-somente...
Constatação X
Não se pode confundir cofiar com confiar, muito embora quem use barba e bigode o que lhe permite usar o verbo cofiar e é do tempo de antanho quando o fio de barba ou o de bigode valia mais que uma assinatura com testemunhas e respectivas firmas reconhecidas em cartório. Tratava-se de pessoa em quem se poderia confiar. A recíproca não é necessariamente verdadeira, mormente nesses infaustos tempos: Quem que, nos dias de hoje, em sã consciência, vai confiar, por exemplo, nas promessas e/ou na retidão de um presidente, governador, deputado, prefeito, senador ou vereador com barba ou sem a dita cuja?
Constatação XI
E não se pode confundir provar com aprovar, até porque nem sempre o que você venha a provar, você irá, definitivamente, aprovar, como, por exemplo, aprovar, depois de provar, que a tua sogra venha, novamente, passar uns meses na tua casa sob a alegação de que foi muito bem tratada anteriormente pela família. A recíproca, não só do tratamento dela para com você é falsa ou verdadeira, para esses malsinados e arriscados casos. Depende, por exemplo, se a tua mulher vier a aprovar, até por instâncias da mãe dela, que você possa fazer serão com aquela secretária do tipo pedaço de mau caminho.
Constatação XII
O septuagenário, quase octogenário, não ficou chateado quando Pelé afirmou que a seleção de 1970 derrotaria a atual. Ficou chateado por não ter incluído este assim chamado escriba, coincidentemente, septuagenário, quase octogenário, como um dos craques do passado. Imperdoável, rei!
Constatação XIII (De uma dúvida crucial. Vige!).
Auxílio-moradia para juízes e desembargadores? Será que eles precisam? Quem souber a razão da Assembleia Legislativa ter aprovado, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIV
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Rodovias federais têm 155 mortes e 1.823 feridos durante o carnaval”. Violência cada vez mais crescente. O país, sem dúvida, está entregue ao deus-dará. Vige!
Constatação XV
Também deu na mídia, também mais precisamente no Estadão: “Presidente do PT diz que não aceita 'ultimatos' de líder do PMDB”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que os desentendimentos entre essa espécie de gente só nos ajuda. Basta ver o que acontece quando eles se aliam... Vige!
Constatação XVI
Comunico a quem interessar possa que Juquitiba, que a Wikipédia informa ser “um município brasileiro do Estado de São Paulo. Possui a maior área de Mata Atlântica preservada da Região Metropolitana de São Paulo e é rico em recursos hídricos. Sua população é de 28.737 habitantes, distribuída em uma área de 521.598 km². O município apresenta grande potencial para o ecoturismo e turismo de aventura”, não foi fundada por este assim chamado escriba, fazendo alguma auto menção a si mesmo e uma homenagem a Curitiba, como a princípio parece ter acontecido com o Ju de Juca e tiba de Curitiba. Ficam assim desfeitas as dúvidas que por acaso se fizeram presentes pelos menos avisados. Obrigado pela atenção.
Constatação XVII
Os padres fazem votos de castidade, ao contrário dos rabinos e dos pastores protestantes. Deu na mídia, mais precisamente no Estadão, artigo do jornalista Nick Squires, que escreve, “segundo Katherine Gallagher, que forneceu as evidências para a comissão da ONU e esta, por sua vez  está finalmente responsabilizando o Vaticano por permitir e perpetuar a violência sexual na Igreja", após décadas varrendo esse tema para debaixo do tapete, e acrescentando que o mundo observará para conferir se o Vaticano acabará com a impunidade dos agressores”.
“A comissão da ONU reclamou que a hierarquia católica, incluindo os "mais altos níveis da Santa Sé", se recusou a cooperar com autoridades judiciais e comissões nacionais de investigação. O organismo afirmou que a Santa Sé deveria iniciar uma série de reformas para atender às obrigações estabelecidas pela Convenção Internacional sobre os Direitos das Crianças, em vigor desde 1990”.
Ativistas acusaram o Vaticano de ser cúmplice de uma escala "em massa" de abusos. Para Keith Porteous Wood, diretor da ONG britânica Sociedade Secular Nacional, o Vaticano "faz tudo o que pode para proteger da Justiça clérigos abusadores e manter seus abusos em segredo".
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que uma canetada do atual Papa Francisco, que, em seu primeiro ano na função, encantou um mundaréu de católicos e não católicos, permitindo o casamento dos padres católicos acabaria com o problema. Haveria uma grita dos religiosos conservadores. No entanto, o tempo se encarregaria de corrigir tal fato, associado à descoberta dos prazeres do sexo, constituição de família, encantamento de acompanhar o crescimento dos filhos desde a infância – mormente dessa fase – até a idade adulta e assim por diante. Tenho, humildemente, dito! (Rico abalizadamente opina; pobre diz, tenho, humildemente, dito).
Constatação XVIII
Não se pode confundir rugas com rusgas, muito embora se as rusgas entre um casal, por exemplo, se tornarem muito intensas, arrisca o casal ficar com rugas antes do tempo cronológico. A recíproca deve obedecer ao mesmo esquema. Quem duvidar que faça a prova, ora bolas!
Constatação XIX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão, no dia 8 de março próximo passado quando se comemorou o Dia Internacional da Mulher: “Política para mulheres avança pouco com Dilma”. “Principal programa do governo, que cria abrigos para vítimas de violência, não saiu do papel; projetos 'dormem' no Congresso”. “A chegada da primeira mulher ao cargo mais alto da República obrigou a troca do "presidente" por "presidenta" nas placas oficiais, mas os avanços nas políticas de gênero desde então ainda são tímidos”. Data vênia, como dizem os juristas, mas Rumorejando acha que: Rico é tímido; pobre, é bunda mole. Rico faz projetos dormirem no Congresso; pobre, sofre de insônia por não poder realizar seus projetos. Vige!
Constatação XX (Comunicado a quem interessar possa).
O meu grande amigo Manoel de Andrade estará lançando no dia 19 próximo, às 19,30, nas Livrarias Curitiba – Shopping Estação – Loja 1108, o livro Nos rastros da utopia. Se trata de “fantástica peregrinação de um poeta brasileiro ao longo de 16 países da América, na década de 1970”. Imperdível, como diriam os críticos!
Constatação XXI (Quadrinha para ser recitada antes do início da Copa do Mundo).
Se nós, brasileiros, formos os campeões.
A gente vai deixar de falar em mensalões.
Os governantes não mais receberão a pecha de ladrões
E nunca mais vai ter em nosso país quaisquer senões.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico tem intestino grosso e delgado; pobre, tripa.
Constatação II
Rico vai a baile de gala; pobre tem que dançar conforme a música.
Constatação III
Rico faz uma ordenação; pobre, uma mixórdia.
Constatação IV
Rico faz uma miscelânea*; pobre, faz barafunda.
*Miscelânea = n substantivo feminino
1. Reunião de textos literários variados e frequentes de autores diversos numa mesma obra (Houaiss).
Constatação V
Rico é intelectual; pobre, é asnal.
Constatação VI
Rico recorre à psicoterapia; pobre vai para o hospício.
Constatação VII
Rico é saudável; pobre não consegue vaga no SUS.
Constatação VIII
Rico é temperamental; pobre, é inseguro.
Constatação IX
Rico é sociável; pobre, é incivilizado.
Constatação X
Rico é portentoso; pobre, é detestável.
Constatação XI
Rico fica na fila do shopping para tomar sorvete; pobre fica na fila do SUS para tomar. Apenas tomar...
Constatação XII
Rico quando morre recebe homenagens póstumas; pobre, nem chega a ser tirado da lista dos viventes por não ter cidadania.

Site: www.rimasprimas.com.br