quarta-feira, 27 de agosto de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Quadrinha para ser recitada não só nessa época como em todas as outras também).
As eleições estão chegando
E junto às enganações
Promessas vão-se escutando
Acompanhadas de empulhações.
Constatação II (Sextilha. Nada a ver com as do mestre Paulo Roxo Barja que também escreve literatura de cordel).
Ele foi acusado de apostasia
Só por que o chefe religioso
Caviloso, ardiloso, capcioso,
Estava mal-humorado
E com uma baita de uma azia.
Coitado!
Constatação III
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “A atriz Bruna Marquezine decidiu quebrar o silêncio e falou sobre o término do relacionamento com Neymar. Em entrevista ao 'Fantástico', a global revelou que, apesar do namoro ter chegado ao fim, a amizade entre ela e o jogador continua”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
Constatação IV
Ele tinha duas amantes. Eram uns mulherões. No entanto, a soma dos QI´s delas devia ser menor do que 40. Por razões de ética, ele ficava escutando o monólogo, depois de... A vontade era de sair correndo, de picar a mula, como se diz por aí. A conversa para boi dormir era de intensidade tal que ele não aguentou e, alegando desculpas mentirosas, mas verossímeis, abandonou tanto uma como outra. Daí voltou para os braços da provecta esposa e viveram felizes pelo tempo que ainda lhes restavam. Felizmente foi um tempo largo. Descoitados...
Constatação V
Volta e meia se lê nos jornais ou se escuta no noticiário do jornal que um cidadão apresentou queixa de que o galo do vizinho começa a cantar muito cedo não o deixando dormir com o seu canto. Nestes tempos modernos que é proibido ter cabras, vacas, cavalos e outros animais por causa, respectivamente, dos balidos, mugidos, relinchos e outras vozes de outros animais, quadrupedes ou bípedes. Entretanto, os decibéis do som de carros e casas parece que não há grandes preocupações. E pior de tudo: Já foi dada a partida para a corrida dos cargos eleitorais. ‘Tamo’ todos fod, digo, ferrados. Vige!
Constatação VI
Rumorejando tem, entre seus vários amigos, um grande, chamado Leão Rubin. Ele é torcedor do Coritiba e me diz que se a coisa continuar como está, o seu time virá fazer companhia ao meu Paraná, na Segundona. Contestei ao amigo Rubin que isso poderá não acontecer, tendo em vista que o Paraná está correndo o risco de cair para a terceirona. Coitado! Tanto ele, como também eu...
Constatação VII
Puxa! Depois de tanto chute que a nossa presidente tem dado nas entrevistas, será que se ela não fosse nossa presidente, ela não seria convocada para a seleção do Dunga?
Constatação VIII (Por que futebol é uma caixinha de surpresa?)
A matemática nos ensina que se A = B e B = C, logo A = C. No futebol se o time A ganha do time B e se o time B ganha do time C, pela lógica matemática o time A deveria ganhar do time C. Mas isso não necessariamente se verifica. Pode perder ou empatar, como, às vezes, efetivamente acontece o que, em certos setores, será uma caixinha de surpresa. Elementar, minha boa gente...
Constatação IX
O prezado leitor pode não acreditar, mas quando o meu Paraná ganhou do Bragantino, evidentemente de 1 X 0 e também de gol de zagueiro, foi a rara segunda vitória subsequente a anterior. Vige!
Constatação X
Slogan:* Rumorejando, uma coluna não parcialmente imparcial.
* Serve também para os três Poderes de certos governos de certos países...
Constatação XI (De uma dúvida assaz crucial).
Rolou muito afeto
Muito carinho também.
Mulher ou homem objeto,
Ninguém fez de ninguém.

Jura também rolou
Naquela cama rangente.
Amor, claro, não sobrou,
Daquele, incandescente.

Restou, aí, a nostalgia,
Daquela doce lembrança.
Será que no dia-a-dia
Há tal bem-aventurança?

Constatação XII
Quando o obcecado,
Se achando inspirado,
Falou,
Numa linguagem rebuscada,
Pra a assim chamada
Irredutível,
Que a invencibilidade,
A inflexibilidade,
A intransigência,
Que sua resistência,
Sua impassibilidade
Era um desperdício.
Ela contestou:
“É possível,
Meu caro conquistador,
Comedor
De araque,
Mas ninguém
Até hoje achou
Que a tua necedade*
Infere, também,
De você hospedado,
Com destaque,
Pra ser esfriado,
Asilado
Num hospício?”
Coitado!
*Necedade = “1. ignorância crassa**, estupidez, inépcia. 2. Disparate, dislate, tolice”. (Aurelião).
**Crasso = “1. Espesso, denso, grosso. 2. Grosseiro. (Aurelião).
Constatação XIII
“Sonho fresquinho”, que o carro apregoa com muitos decibéis acima do permitido pela Lei do Silêncio, é aquele que te fez acordar, enquanto você estava efetivamente sonhando que estava numa ótima com a gatona?
Constatação XIV
Big Brother Brasil: “Fulano (a) e Beltrano (a) estão no paredão”. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação XV
Tinha tanta raiva do marido
Que, durante o velório,
Quando ele finou,
Com todo mundo compungido,
Naquela geral consternação,
Naquele inundável chorar
E ele esticado,
(Evidentemente, sem estar
Fazendo alongamento),
No caixão
Ela achou,
Ao dar uma olhadela,
Naquele momento,
Que ele havia morrido
Como um ato conspiratório
Só para desaforar
Contra ela.
Coitado!
Constatação XVI (De razões e proporções matemáticas lamentáveis).
Espártaco estava para Roma antiga, antes da Era Cristã, ao comandar a reação contra os chamados espetáculos de gladiadores escravos, assim como Zumbi, que liderou Palmares, estava contra a também execrável escravatura no Brasil. E, pasmem caros leitores, até hoje existem fatos similares, da Roma antiga, como as lutas de box, vale-tudo, etc. em que morrem ou ficam aleijados contendores e o trabalho escravo que tem sido detectado por este Brasil afora. Até quando, cambada de fdp?
Constatação XVII
Deu na mídia: “Segundo o relatório "Educação para Todos – Professores e Educação de Qualidade", lançado em abril de 2006 pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, mostrou que o Brasil é, na América Latina, um dos países com menor grau de formação de seus professores. A Argentina, por exemplo, tem 67% dos seus professores do primário com ensino superior. No Chile, são 92%. O Brasil vai precisar de mais 396 mil professores até 2015”. Com o salário que é pago aos professores eles se veem obrigados a trabalhar em vários períodos para melhorar a renda familiar, o que não sobra tempo para fazer cursos. De acordo com fontes fidedignas, não constou no relatório: Viva “nóis”...
Constatação XVIII
A vizinha,
Assaz conspícua, *
Que mora sozinha,
Não por um momento,
Da janela,
Perspícua, **
Do seu – dela –
Apartamento
Desfila despida
E, por ser intangível,
Inflexível,
Encurta a minha vida.
* Conspícua = “Notável; eminente, ilustre”.
** Perspícua = “Que se pode ver nitidamente”.
Constatação XIX (Mercosulense, ainda que o Mercosul, mesmo com novas adesões, ande claudicante e ameaçado).
Não se pode confundir aislado, que em linguagem castelhana, em geral, e na dos nossos “hermanos” argentinos, em particular, quer dizer ilhado, com asilado, muito embora se alguém ficar sozinho aislado, durante muito tempo, sem ver mulher ou não tomar, de vez em quando, uma cerveja, só ou com os amigos, corre o risco de, quando resgatado, ter de ficar asilado, dependendo do significado, quer dizer, ir para um asilo com esquema de atendimento com psicólogo, psicanalista e outros que tais. A recíproca não é necessariamente verdadeira. Pode-se, se for o caso, pedir asilo – outro significado –, sem que se seja atendido, num país, como ocorre e sempre ocorreu por esse mundo afora.
Constatação XX
E já que se falou no assunto, o que tem de brasileiro, digamos, asilado, no Exterior, em busca de emprego não tá escrito em nenhum órgão estatístico do governo, ministério, ou assemelhado.
Constatação XXI
Para manter
O músculo do riso,
Chamado
Risolio de Santorini,
Sem esmorecer,
Sem fenecer
Não é preciso
Ingerir
Algum martini,
Ou qualquer
Fermentado;
Ver a vizinha,
Aquela gatinha,
Senhora mulher,
De monoquíni,
Nua ou de biquíni,
Cavado,
Aliás, todo esgarçado,
Pelo namorado
Aquele infeliz
Que vive a fungar
Por estar
Eternamente
Resfriado
Atrapalhado
Com o seu nariz;
Também,
Ver alguém,
Numa andança,
Escorregando
Numa bananinha
E, eventualmente,
Se estatelando
No chão
E fechando
A carranca,
Fingindo
Que tá tudo bem,
Mas esfregando a mão
Na poupança
E olhando
Pra todo lado
Se foi notado;
Após conferir
Que o jerico
Não ficou machucado,
Basta rir à-toa,
Como rico,
Como uma pessoa
Numa boa.
Sorrir
Espontaneamente,
Sem ser obrigado,
Tão-somente.
E temos conversado!
Constatação XXII
Não se pode confundir versão com aversão, muito embora a versão dada por um deputado ou senador de que o aumento do salário dos deputados evitaria que eles viessem a ser corruptos cria uma aversão em simples pobres mortais que não se encontram, como muitos deputados creem, acima do bem e do mal... A recíproca não é verdadeira, pois existem pessoas que apresentam a versão, defendendo seus próprios interesses, que se tem que ter aversão por mulher, sob a alegação, por exemplo, que mulher dá câncer. Vige!
Constatação XXIII (Elucubrações não necessariamente de um obcecado).
Não se pode confundir atributos, no sentido que o Aurelião dá como “Aquilo que é próprio de um ser” com tributos, no sentido de “imposto, contribuição”, muito embora uma gata com atributos, digamos, fisicamente felinos (não confundir com fesceninos [obsceno, licencioso]), acrescidos de ser meiga, gentil, bondosa, etc., principalmente etc., não deveria, enquanto assim o fosse, pagar tributos a quem quer que seja, tanto federal, estadual e municipal. A recíproca não é verdadeira, ainda que haja isenção de tributos para quem deveria pagá-los e não paga, tanto respaldado em leis auto beneficentes, àquelas de moto-próprio, legislação em causa própria, como por falta de costume, hábito, inércia, etc.
Constatação XXIV (Teoria da Relatividade para principiantes neófitos, no jardim de infância, pré-primário, etc.).
A vitória do nosso time é sempre merecida; dos outros, descabida.
Constatação XXV
Ela relampejou
Quando adentrou
No salão
Com linda fantasia.
Alguém invejou.
Disse um palavrão
E que ela merecia
Um bofetão.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Um terço dos paulistas espera mais de seis meses por atendimento no SUS, diz pesquisa”. E viva “nóis” que esperamos também nos demais municípios do país. Por favor, senhores governantes, parem de dizer que o problema da Saúde está resolvido. Obrigado pela atenção e por uma eventual providência para tal fato não mais acontecer. E, claro, atenção para a Saúde, Educação e Segurança prioritariamente.
Constatação II
Também deu no Estadão: “Dom de criar piadas parece mais fácil para quem vive próximo à psicose e ao humor, diz psiquiatra”. Espero que as tentativas de fazer humor de Rumorejando não sejam consideradas de cunho psicótico. Vige!
Constatação III
Este assim chamado escriba, chimarrólatra desde os tempos imemoriais, acha que em quaisquer condições de clima, pressão e temperatura é assaz recomendável tomar um chimarrão, mate amargo, amargo, caá, caaetê, chá-dos-jesuítas, congonha, congonha-mansa, congonha-verdadeira, congonheira, erva, mate-do-paraguai, pau-de-erva e outros epítetos para essa bebida que apareceu primeiro no Paraná, trazida pelos índios guaranis e depois foram apossadas pelos meus irmãos gaúchos. Basta a gente dizer que é adepto do chimarrão para que as pessoas incontinente, por hábito, perguntem: “Você é gaúcho?”
Constatação IV
Tá certo que a democracia brasileira está apoiada nos três Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Será que se eliminasse o Poder Legislativo substituindo-o por elementos da Sociedade que trabalhariam de graça, i. e. por amor à pátria, não haveria uma dinheirama sobrando pela economia que se faria não só pelos altos salários, mas a fraude ficaria reduzida a valores ínfimos? Não é de se pensar, gente boa, embora pareça utópico? Comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
Quem se candidata a miss bumbum tem um ideal? Aí, quer dizer que raciocinou, usando a cabeça ou o próprio?
Constatação VI
Quando duas pessoas, coincidentemente, me convidam, no facebook, para jogar o mesmo jogo, eu trato de apresentar uma para a outra. Assim, penso que eles me deixarão em paz. O único jogo que eu gosto de jogar – nada a ver com o facebook – com os amigos é truco, que, aliás, até hoje continuo imbatível, mesmo que tenha que carregar o parceiro nas costas. Tenho, modestamente, dito!
Constatação VII (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ser um gorducho do que um bucho. E também é melhor ser uma gorducha do que ter cara de bruxa.
Constatação VIII (De diálogos elucidativos, na assim chamada Terceira Idade).
Disse um velhinho internauta pro outro velhinho, também internauta:
-“Você sabia que tem gente praticando sexo virtual?”
-“Não é o meu caso”.
-“Quer dizer que você ainda pratica o real?”
-“Também não. Há muito que não”.
-Ah bom, quer dizer, ah ruim...
Constatação IX
Deu na mídia: Fulana* desfilou mostrando celulite no seu – dela – “derrière”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
*Como Rumorejando procura, dentro de possível e do impossível, ser ético, ao contrário de certa imprensa, omitimos o nome da pessoa, certo da compreensão e da aprovação do nosso leitor que também, segundo consta, procura também ser ético
Constatação X
Não se pode confundir silente, que quer dizer silencioso com saliente, que, dentre outros, quer dizer que é espevitado, assanhado, intrometido, até por que quem gosta de aparecer, em condições de pressão e temperatura, ou fora dela, vai querer chamar a atenção de alguma maneira, normalmente falando em voz alta, se metendo em conversa que não lhe diz respeito, “que toma ou permite certas liberdades eróticas; namorador, fogoso” e coisas desse jaez. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho didática e gentilmente dito...
Constatação XI (De uma dúvida crucial via pseudo-haicai).
O cavalo baio,
Quando a gata foi montá-lo,
Olhava pra ela de soslaio?
Constatação XII
E não se pode confundir delegado com alegado, muito embora, uma vez ou outra, ou melhor dizendo quase sempre o delegado, na hora do questionamento não acredita no que está sendo alegado pelo questionado. Coitado!
Constatação XIII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Partidos não pretendem pedir adiamento de propaganda”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que se houvesse um plebiscito para um adiamento para, digamos, 10 dias antes da eleição e no horário da alta madrugada, o apoio para tal deveria ser quase que unânime. Tenho, ao declarar o meu suposto voto, convictamente dito.
Constatação XIV (Colaboração do Amigo Edson Ferreira dos Santos, de Maringá).
Não se pode confundir "doação" com "adoção", muito embora alguns políticos tenham "doado" seus gordos salários da convocação "extraordinária" às entidades filantrópicas, um outro tanto em numero maior, tenham "adotado" para suas contas bancária mais esses honorários, dinheiro dos nossos sufocantes impostos. 
Constatação XV (Dúvida crucial específica).
Amigo Edson Ferreira dos Santos: Nesse caso e/ou dos mensalões da vida são honorários ou “deshonorários”?
Constatação XVI (De dramas do cotidiano, via pseudo-soneto).

       Desfortúnio

Bajulando e a todo custo,
Ele quis subir na vida
Quebrou galho e arbusto
De maneira desmedida.

Comeu pão amassado pelo diabo
E outras coisas que nunca apreciou
Chuchu, jiló, raiz amarga e quiabo
Que até o “terminal” lhe atacou.

Mas a presumida aristocracia
Não teve condescendência
Com o alpinista social.

Sem usar de fidalguia
Passou a falar indecência
Da mãe dele e da sua moral.

Constatação XVII
Ela não se emenda
Só porque o pobre do marido
Quis ir jogar um simples truco
Levou uma pu, digo, baita reprimenda
Que o deixou muito sentido,
Magoado,
Ofendido.
“Escute, seu aprendiz
Seu maluco
Me diz ,
Seu viciado
Nesse carteado,
Abobado,
Por que não fica em casa
E me dá mais atenção?
Apaga meu fogo, minha brasa
Que tá cada vez mais danada.
Aliás, há muito tempo,
Você não comparece
Pra esse feliz,
Digamos, passatempo,
Esse bem-querer.
Até parece
Que esquece
A sua conjugal obrigação,
O seu patriótico dever”.
Coitado!
Coitada!
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada em qualquer lugar. Evidentemente, desde que tenha ouvintes dispostos a prestar atenção).
Quando um pobre ri à-toa
Não quer dizer que ele ficou rico
Significa que a pobre da patroa
Está a fim de um namorico.
(Namorico?)
Constatação XIX
Quando a sogra chamou o genro às falas, porque a filha havia se queixado do seu – dele – comportamento, ele, metido a fazer quadrinhas, respondeu:
“A sua filha,
Assim como a senhora,
A meu respeito coscuvilha*
A toda e qualquer hora”.
*Coscuvilhar = “Fazer intrigas, enredos, mexericos; bisbilhotar, mexericar” (Aurelião).
Constatação XX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: Jogadores do Barueri não recebem há dois meses e se negam a jogar na Série D. Se esta greve for contagiosa os dois times, deste assim chamado escriba, o Paraná e o Botafogo, são capazes de seguir o mesmo caminho do Barueri. Isso somente para citar dois times, dentre outros, que se encontram em idêntica situação. Vige!
Constatação XXI (E já que falamos no assunto...)
Se existisse, no Brasil, uma casa de apostas, como existe em Londres, quem jogasse que o meu Paraná teria, nas suas parcas vitórias, outra na partida subsequente, sem dúvida perderia a aposta. E se porventura apostasse que o meu Paraná não cai para a terceirona haveria uma grande probabilidade de também perder.
Constatação XXII De diálogos elucidativos. (Pelo menos em intenção).
-Por que você está com os olhos meio vesgos (Rico é estrábico; pobre, é vesgo)?
-É de tanto evitar olhar para o decote generoso da secretaria do patrão.
-E por que você não olhava acintosa e declaradamente? Ele, o decote, está lá para isso.
-Me parece que ela te olha com olhos prometedores
-Por uma questão de ética.
-Ética? Como assim?
-É. Não se deve misturar as coisas. Na hora de trabalhar, trabalhar. Na hora do entretenimento, entretenimento. Aí, já é também uma questão de moral que, na maioria das vezes, acompanha a ética.
-Ah, bom... Quer dizer, ah, ruim... Quer dizer... Ah ruim, mesmo...
Constatação XXIII (De uma dúvida cruelíssima do livro 150 Sonetos & 1 Sonetão).

                Democracia?

Nos lugares onde grassa a endêmica fome,
Onde não se come ou se come sopa de vento
Ou pastel de assobio, sem que alguém tome
Uma providência para estancar esse tormento.

Políticos se locupletam com dinheiro alheio
Sem ligar para o que se passa ao seu redor
Pra se eleger, jogam pessoas pra escanteio
Sem se preocupar se causam alguma dor.

Dizer que ao morrerem receberão castigo divino
Já que a dos homens funciona precariamente
Soa como uma aleivosia, como algo cretino.

No capitalismo, a Lei da Selva continua a imperar.
O socialismo, a utopia, não decolou tão-somente.
Será que a Humanidade não vai algo melhor criar?

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico, quando fica em segundo lugar, é cognominado, definido, apontado, relacionado de “subsequente”; pobre, como no futebol, numa Copa do Mundo, é um reles vice, ou se houver apenas dois competidores, “ficou em último lugar”.
Constatação II
Rico faz parte de uma lista, de um catálogo, de uma relação importante; pobre se encontra em lugar incerto e não sabido.
Constatação III
Rico vive em mansão; pobre, em barraco.
Constatação IV
Rico pede autofalência; pobre sobrevive dessa maneira.
Constatação V
Rico, chama às falas; pobre, pergunta.
Constatação VI
Rico pratica pesca submarina em alto mar; pobre, conta causos de pescaria na qual nem participou.
Constatação VII
Deputados ricos se valeram do valerioduto e do mensalão; deputados pobres, nunca se ouviu falar que existem.
Constatação VIII
No frio curitibano rico anda de casacão [Casaco longo, geralmente feito de tecido grosso e encorpado, e usado como agasalho contra o frio e a chuva; casaco, capote, manto, sobretudo, sobreveste, balandrau (Aurélio); pobre, anda em manga de camisa].
Constatação IX
Rico é valente; pobre, é fanfarrão.
Constatação X
Rico vive em palacete; pobre, em choupana.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
O obcecado
Achou
Que chegou
No pináculo da glória.
A vizinha,
De cor doiradinha,
Do apartamento
Ao lado,
Que, em nenhum momento,
Nunca ligou
Pra sua oratória,
Considerada irredutível,
De convicção
Irremovível,
Dando-lhe um largo sorriso
Que até mostrou
O incômodo siso.
Ele interpretou
Tão-somente
Como uma promessa,
À curto prazo,
Factível
Bem depressa.
Portanto, exequível
Aí, ele deu azo*
A sua fértil imaginação,
Mas tudo ficou só nisso
Fora, apenas, uma boa ação,
Um cumprimento educado.
E ele, agora,
Sem compromisso,
Como sempre ansiado,
Agoniado,
Mas esperançado,
Como toda hora,
Todo o dia,
Teve que se conformar
E baixar
Em outra freguesia.
Coitado!
*Azo = Substantivo masculino.
Motivo, causa; oportunidade. Sinonímia = Ver ensejo (Houaiss).
Constatação II (Não se trata de querer dar uma de crítico. É apenas uma sugestão de quem gostou das películas).
La mirada invisible, e Um amor de Borges, filmes dos hermanos. Vale a pena assisti-los. Também vale a pena os uruguaios Mal dia para pescar, El baño del Papa, El viaje hace el mar. É possível baixá-los na internet. De nada!
Constatação III
Não se pode confundir riso com risco, até porque, se um dos familiares estiver pregando um prego e der uma martelada no dedo, suscitando um riso de algum parente, este, estará correndo alto risco. A recíproca não é verdadeira, já que não é possível correr risco com um riso, sorriso, gargalhada ou coisas desse jaez, exceto se for o riso, sorriso, etc. de um fantasma. Fantasma? Vige!
Constatação IV (De diálogos com charminho).
-“Eu gosto muito de você
E, até hoje, eu não sei por que”.
-“Eu também não sei.
Não seria por decreto-lei?”
Constatação V (Quadrinha de seis, portanto “sextinha”. Não confundir com as sextilhas do mestre Paulo Roxo Barja).
Era tão preguiçoso,
Tão ocioso,
Tão mandrião
Que até um permitido assédio
Era feito por intermédio
De uma procuração.
Constatação VI (De uma rima só de duas, digamos, estrofes).
No mundo, os bons são tão poucos em relação aos maus,
Que eles nem figuram na curva de Gauss.
Constatação VII
Quando o nosso emocionante hino
É cantado, de cor, do começo ao fim,
Você não acha um fato tão genuíno
Como o gênio da lâmpada do Aladim?
Constatação VIII
Todo candidato, potencialmente, será um esquecido de suas promessas. Se eleito, deixa de ser potencialmente...
Constatação IX
O tecido social
Tá um farrapo,
Tá um trapo
Institucional.
Constatação X
O insaciável
Obcecado,
Inveterado,
É provável
Que sossegasse
Se encontrasse
Uma obcecada,
Determinada
E desprendida
Sem ter uma recaída*.
*Não ficou claro qual dos dois, ou ambos, poderiam ter uma recaída. Se alguém tiver essa informação, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XI (Passível de mal-entendido).
Essa noite tive um presságio
Que faria um almejado estágio
Nos teus braços e nos demais
Que seriam guardados nos teus anais.
Constatação XII
O arauto da democracia,
Obnubilado pela ganância
Não dá a menor importância
Ao cometer qualquer aleivosia.
Constatação XIII (De pequenas comparações por falta de maiores e melhores. Qualquer semelhança com o meu time, o Paraná, é mera coincidência).
Luta renhida,
De qualquer jeito,
Pra não cair
Pra terceirona
É como a gata sair,
De modo suspeito,
Malvestida
Estilo maria-mijona*.
*Maria-mijona = “Mulher, moça ou criança cujo vestido ou saia tem aspecto deselegante, desajeitado por ser mais longo que o normal” (Aurélio).
Constatação XIV
Certa vez, quando das inscrições para a Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas, a diretora acadêmica da Olimpíada de Matemática, professora Suely Druck, disse que o grande objetivo da competição é "detectar a criatividade, a perseverança de um aluno em lutar para resolver um problema, a vontade que ele tem de aprender". Dúvida crucial: Será que determinados deputados desenvolveram sua – deles – criatividade, resolvendo problemas de matemática? Ou tudo leva a crer que já cedo eles adotaram o esquema, também execrável da cola? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XV (E já que falamos no assunto...)
A classe política
Depois de se eleger
Vira gente vívida*,
Perde a autocrítica
E costuma esquecer
Que promessa é dívida.
*Vívida = “Que tem vivacidade”.
Constatação XVI (Alguns exemplos do meu livro 150 Sonetos & 1 Sonetão).

 Ode à erva-mate e à Mulher
 Ou à Mulher e à erva-mate*

Quando Deus criou o Homem
E viu aquela profusão de saliência,
Pareceu-Lhe faltar competência,
A obra estava mais pra lobisomem.

Resolveu tomar uma cuiada
De uma bebida bem amarga;
Deu uma sorvida bem larga
Pra não mais fazer trapalhada.

A inspiração veio em seguida
E surgiu uma figura querida,
O que se fazia mister.

Era alguém com muita harmonia,
A quem não faltava sabedoria.
E Deus havia criado a Mulher.

 *(Dedicado a Brigite Bardot, defensora dos animais, e que participou do filme, de Roger Vadin, “E Deus criou a mulher”).

A dançarina surrealista

Ela dançou um bolero,
Mas não eram dois pra cá
Tampouco dois pra lá
E sem um ensaio severo.

Foi um bem mais complicado.
Era o Bolero de Maurice Ravel
Como naquele filme tão cruel,
Cujo nome não estou lembrado*.

Ela improvisava os passos
Sem repetir quaisquer pedaços
Sempre com graça e talento.

De repente, pareceu levitar.
De fato, no forro ela foi parar.
E não foi só por um momento.

*Na feitura do soneto, não lembrei o nome. Trata-se de Retratos da Vida, no original Les uns et les autres, um filme do francês Claude Lelouch.

  Pensamentos de um incentivo patriótico*
Teu ar de menina que está sozinha no mundo
Enterneceu até a raiz de meus brancos cabelos.
Do coração nem falar, um vazio profundo.
Talvez por não estreitar ainda mais nossos anelos.

Querer te apertar também nos meus braços.
Beijar teu pescoço, teus olhos, teus lábios.
Encurtar nossas distâncias sem deixar espaços
Sem arrependimentos, culpas ou ressábios.

Acariciar tuas coxas com lubricidade,
Sentindo teu arfar vibrante se acelerando
E eu esquecendo a minha provecta idade.

Devagar te desnudando até a última peça
E você no meu ouvido balbuciando:
“Eia! Avante! Coragem! Vamos nessa!”

*(Do mesmo livro antes citado e um exemplo de soneto erótico. Na realidade, o livro contém cerca de 40% de sonetos eróticos que Rumorejando explica e/ou justifica que, na provecta idade que este assim chamado escriba se encontra (77 anos) a gente apenas recorda...)

       Investimento rentável*

Tenho uma certeza, até uma fé inquebrantável
Que eu também sou um cara desfrutável
Com comportamento irreprochável;
Mau-caratismo, comigo, é impensável.

Minha atitude com elas é sempre louvável
Eu as trato com muito carinho inexpugnável.
A maledicência de tantos não me é perturbável
Que eu considero algo odioso, algo abominável.

Acontece que sou adepto do reciclável
O que me induz constantemente ao renovável
E para o meu ego considero assaz saudável.

Aí, as levo a um motel para um evento memorável
E, claro, para um amor digno numa cama confortável
Evidentemente, desde que o meu desempenho seja viável.

*Tentando mostrar a riqueza do nosso vocabulário, contando um fato com a rima em “avel”.

 Receita de comportamento*

Ela sempre se destacava
No meio da sua patota.
Recebia dos meninos pelota
E ela, tímida, ruborizava.

Na cadeira de português, boa nota
Sem problema para o diploma.
Falava um ou outro idioma;
A turma a achava poliglota.

Perguntaram o que fazia para ser brilhante
E a resposta veio no mesmo instante:
“Gosto de fazer exercícios de matemática”;

“Também de ler bons autores”;
“Cultivar excelentes valores”;
“E em tempo algum ficar estática”.

*(Para meus netos. E para as demais pessoas que queiram seguir o contido no soneto, porém sem querer fazer proselitismo, pois Rumorejando acha que todo prosélito é um chato).

Tá na hora de perder a paciência*

Perdura uma grave pendência
E isso não é maledicência.
Queremos saber se há solvência
Na Saúde, sempre sem assistência.

Também na Educação, sem subsistência,
E na Segurança, que está uma indecência.
Talvez se a corrupção não fosse ciência
Aplicar-se-ia verbas com proficiência.

Isso apregoado, já perdida a paciência,
Não se deve permitir a permanência
Daqueles que já mostraram incoerência.

*Utilização da rima em “ência” e tendo em vista a proximidade das eleições com o execrável horário político, quando se verificam acusações, baixarias, empulhações, enrolações e, posteriormente, com aqueles que se elegeram, com as fraudes que fatalmente advirão, dará para entender porque o candidato investiu tanto para conseguir se eleger. Vige!

  Biografia de mim

Não sou um sujeito idólatra,
Não creio em feiticeiros ou bruxos,
Mas numa erva-mate, sou chimarrólatra,
Que considero um dos meus poucos luxos.

Os outros são os meus cachorros
Gente muito fina e educada.
Eles não cometem desaforos
De me acordar na madrugada.

No mais, sou um cara pacato,
De boa índole, assaz cordato,
Caseiro e bem comportado.

Alguém que age diferente
Acha que eu vivo descontente
Ao me ver, deve pensar: “Coitado!”

     O beijo

Ficar só no beijinho
Inda mais no selinho
É falta de carinho
É um descaminho.

É um imenso
Contrassenso,
Que deixa o cara tenso,
Agastado, infenso.

É, também, a mais pura
Falta de lisura,
Malévola urdidura.

Por isso é recomendável,
Pra ter mente saudável,
Beijo de língua amável.*

*Beijo de língua amável? Vige! Beijo de língua só pode ser libidinoso, mas daí, não daria certo a rima. Perdão, leitores.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico recebe convites para comparecer a festas, “a fim de abrilhantá-las”; pobre recebe convite para comparecer ao Seproc – Serviço de Proteção ao Crédito, “a fim de tratar de assunto de seu interesse”.
Constatação II
Rico sente fadiga; pobre é indolente.
Constatação III
Rico tem cabelereiro; pobre, barbeiro.
Constatação IV
Rico é arrojado; pobre, é caradura.
Constatação V
Rico caminha para se exercitar; pobre, por falta de opção, pratica o pedestrianismo.
Constatação VI
Secretário do Tesouro de país rico nunca tem trocado; de país pobre nem trocado tem.
Constatação VII
Rico fica inebriado; pobre, no porre.
Constatação VIII
Rico tem o coração mole; pobre, é frouxo.
Constatação IX
Jogador rico dá assistência; pobre, dá passe errado.
Constatação X
Empresa rica faz publicidade; empresa pobre, reclame.

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br