quarta-feira, 6 de agosto de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Não se pode confundir aventar (não achar que é avental, mal expressado por quem troca o “(é)ele” por “erre(é)” com inventar, até por que se você aventar em fazer algo que jamais alguém fez ou deixou de inventar, você poderá estar sujeito a críticas acerbas pelos conservadores, incrédulos, invejosos, complexados e por aí afora. Vige!.
Constatação II (De dúvidas não necessariamente cruciais).
A coriza é uma espécie de queda de água do nariz? De catarata? (nada a ver com a que dá nos olhos). E dependendo do volume, ela é uma espécie de chafariz?
Constatação III (Coisa de gaúcho).
E como fez troça o torcedor do Internacional, o maior rival do Grêmio, ambos de Porto Alegre: “A ida do Felipão para o Grêmio é a maior prova da decadência do malfadado ex-técnico da seleção brasileira”.
Constatação IV (Teoria da Relatividade para principiantes).
Se alguém te fizer um sinal com o polegar, como se costuma, de positivo e você estiver plantando uma bananeira arrisca você interpretar que o sinal de positivo é negativo.
Constatação V
Não se pode confundir levado com velado, até por que, num caso em que um cara não foi devidamente velado e esteja sendo levado para ser enterrado ou cremado arrisca que ele se levante do caixão por se tratar uma simples e reles catalepsia.
Constatação VI (Não há mal que sempre dure nem bem que nunca se acabe)
Ela tomou
O comprimido
Do dia
Seguinte
E rememorou
Já com saudade
E nostalgia
A noite anterior.
Um requinte!
Havia se sentido
Uma fada
E que não tinha sido
Um sonho
Daquele bisonho,
E caiu na realidade
Do ir para o labor.
Que dissabor!
Coitada!
Constatação VII
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Justin Bieber passa a noite com  coelhinha do Playboy em iate”. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
Constatação VIII
Não se pode e nem se deve confundir ralo com rabo, tendo em vista que poderá ocasionar reações que podem beirar a desavenças terríveis. Vocês já imaginaram o que pode suceder se uma pessoa disser: Ponha isso no ralo e for mal-entendido. Rumorejando nem ousa pensar tal trágico e nefasto fato. Vige!
Constatação IX (De uma dúvida crucial).
Se você tem que tomar um xarope ou outro remédio, cuja dose deverá ser medida por uma colher ou em copinho que vem acoplado na tampa e, depois da primeira dose você passa a tomar dando uma bicada na garrafa, isso, quer dizer que você passou a tomar a recomendada dose a olho, a língua, ou a o quê? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação X (De mais várias dúvidas cruciais).
Entre votar na Situação ou na Oposição é igual a tanto faz dar na bola como na bola dar? Trocar seis por meia-dúzia? E, agora, que começaram as recíprocas acusações quer dizer que o roto está falando do esfarrapado? Seja qual seja a resposta dos nossos prezados leitores, cá no blog ou para si mesmos, uma coisa parece ser unânime: Estamos todos novamente fod, digo, ferrados...
Constatação XI (Elucubrando sobre “queridices”).
Se houvesse um aparelho, graduado de -100 até +100 para medir o quanto uma pessoa é querida (queridão, queridona), digamos, um “queridômetro”, indubitavelmente alguns, ou algumas, mortais ficariam no tramo negativo e outras chegariam ao máximo do número positivo. Lamentavelmente, o número de pessoas “desqueridas” seria infinitamente maior das pessoas queridas. Estas atingiriam infinitésimos até de segunda ordem ou mais menos. Pena!
Constatação XII
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Vídeo revela que houve fraude na CPI da Petrobrás e no Minha Casa falhas em todas as obras vistoriadas”. Alguma dúvida, prezado leitor ou leitora?
Constatação XIII
O grau de sucesso de um político para a sua autopromoção é diretamente proporcional à ingenuidade do povo que acredita nas suas perorações, empulhações, enrolações, enganações e inversamente proporcional ao exíguo espaço que ele consegue ocupar na mídia. Elementar, minha gente votante.
Constatação XIV
Ele sofreu
Uma reprimenda
Da mulher:
-“Você não se emenda.
Ademais,
Você esqueceu,
Muito depressa,
Que me tinha
Feito a promessa
De nunca mais
Sair pra jogar
Um truco
E voltar
Uma hora qualquer
E ser mal falado
Pela vizinha
Aí do lado.
Você tá ficando caduco?”.
Ele respondeu,
Cheio de escrúpulo,
Porém transcendendo
Aquele estupendo
Cheiro da bebida
Que contém lúpulo:
“Não. Amor meu!
Não, amor da minha vida!
Não me desanime.
Você sabe e é crível
Que, neste jogo,
Eu sou imbatível
Igual ao meu time,
O Paraná, ou o Botafogo.
Mas, dessa vez,
Não fui jogar,
Não fui descartar,
Não houve porfia.
Fui trabalhar
Para pôr em dia
O papelório,
Que está no escritório,
Para o imposto do leão”.
Diante do alegado,
Com tanta desenvoltura,
Ela creu,
Sem mais relutância,
Na argumentação
Do caradura
Para não aparentar
Implicância,
Para não demonstrar
Intolerância.
Na realidade,
A bem da verdade,
Ele teve
Com a tal vizinha implicante
Uma luta acirrada,
Que, suspirante,
O manteve
Na cama desarrumada,
Amarfanhada,
Amassada,
Corrugada,
Deixando-o esgotado,
Debilitado,
Depauperado
E ficando, ela, esfalfada,
Extenuada,
Cansada,
Coitada!*
Coitado!
Coitado?
*Mais uma vez, para Rumorejando, não ficou claro a quem se referiu o termo usado acima de “coitada”. Se à legítima, ou a tal vizinha implicante. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XV
Este assim chamado escriba constatou que sofre implacável coerção dos seus cachorros – um macho e duas fêmeas –, muito embora, como membros da família (todos têm o meu sobrenome) não deveriam, pelos exemplos, se comportar dessa maneira. Apenas três amostras, das muitas reivindicadas: A Juju Zokner quer ir para cama muito cedo, por volta das sete horas e quer companhia, digamos, dos bípedes, para tal; a Gigi Zokner quer, pede e chega a exigir, a toda hora, que se brinque com ela. O Pedro Salomão Zokner quer ser coçado todo o tempo. Mas, indubitavelmente, todos dão lição de moral, ética, lealdade, amizade que quase sempre, como já é sobejamente sabido, não se depara com os assim chamados humanos...
Constatação XVI (Teoria da relatividade para principiantes).
É muito melhor ir para o espaço, como a viagem, há tempos, do tenente-coronel Marcos Pontes, do que quando a gatona nos manda passear sem retorno. A recíproca só é verdadeira se o tal passear seja por instâncias da gatona, preferencialmente de mão dada.
Constatação XVII
Não se pode confundir mão-boba, que o Aurelião dá como “gesto de quem procura disfarçadamente, com um ar vago, distraído, tocar com a mão no corpo de outra pessoa com intenção libidinosa ou de furto”, com mão-de-padre, que o mesmo dicionário define como “individuo preguiçoso, malandro”, muito embora quem seja o segundo pode se valer do primeiro. Rumorejando infelizmente, não obteve ainda informações sobre a recíproca, a fim de poder transmitir aos seus prezados leitores.
Constatação XVIII
Quando o convencido leu na mídia que os indianos estavam reagindo ao tamanho “manga larga” das camisinhas na Índia, inflou o peito e proclamou do alto da sua empáfia: “Mande a partida das camisinhas pra mim que eu não terei problema algum para o seu sublime uso”.
Constatação XIX
Depois de 50 anos de casado e naturalmente os dois com o grau de tolerância bastante prejudicado a referência de um deles em relação ao outro é mais ou menos a seguinte: “Quando eu o (a) conheci, ele (a) era de uma gentileza extrema. Como é que uma pessoa pode mudar tanto?”
Constatação XX (O corpo humano).
Em certos países, o corpo humano se divide, apenas, em tronco e membros; em outros, em quatro partes: cabeça, tronco, membros e cara-desavergonhada. Em outros, ainda, uma determinada combinação entre os dois citados, com a participação, digamos, imprescindível da cara-desavergonhada. Imprescindível?
Constatação XXI
Pelo o que nos é dado a ver, alguém ainda fica surpreendido com a atitude dos senhores deputados, senadores, juízes e desembargadores votando em benefício próprio? Se alguém fica é merecedor de uma medalha ou troféu.
Constatação XXII (De uma dúvida crucial. Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado).
É de somenos importância
Que muitos nada tenham,
E que poucos detenham
Desmedida abundância?
Constatação XXIII (De uma dúvida crucial, entreouvida alhures).
-“Quando você me disse, antes, para eu passar depois, esse depois é antes ou depois?”
Constatação XXIV
Se Deus fosse realmente brasileiro, mesmo com os nossos pecadilhos, pecados, pecadoraços, Ele não permitiria que houvesse, entre outras barbaridades, a propaganda do horário eleitoral, gratuito ou não...
Constatação XXV
Ousadia
É o que acontece
Não somente
Quando anoitece,
Mas também de dia.
Vejam, se não:
Na discussão
Sobre o nepotismo
Houve, invariavelmente,
A alegação,
Com o maior cinismo,
Que ela só é legal
Com parente,
Competente,
“Dotado
De notório saber”.
Dúvida crucial:
Quem vai poder
Julgar tal?
Comentários,
Tão necessários.
Obrigado.
Constatação XXVI
O mérito da Alemanha não foi ganhar a Copa do Mundo. Ou Espanha, Itália terem sido logo desclassificados. Afinal, futebol, como dizem os entendidos, é uma caixinha de surpresas. O mérito foi surrar o Brasil de 7 x 1, ou o demérito do Brasil perder por este escore. Tenho, modestamente, dito.
Constatação XXVII (De uma quadrinha para ser recitada no Congresso, se houver quórum, é claro).
Pedir demissão virou passatempo
Pra não ser cassado. E, de novo,
Poder se candidatar. Há muito tempo
Está se engabelando o Zé-povo.
Constatação XXVIII (Passível de mal-entendidos).
Ela está sempre aberta para novas experiências.
Constatação XXIX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão “Roubo faz paulistano mudar hábitos nas ruas”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o roubo faz também mudar os hábitos em casa, como, por exemplo, movimentar contas correntes através do uso do computador e, consequentemente, evitar sair com medo de ser assaltado, machucado, assassinado e outros “ados” deste jaez. A notícia do Estadão se referindo aos paulistanos serve para todo o resto do país. Vige!

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: