quarta-feira, 24 de setembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Disse ela: “Me emocionei até as lágrimas com a festa que me fizeram os meus cachorros quando entrei em casa.”.
Disse ele: “Lágrimas são salgadas. As tuas devem ser doces. Como você! E como os teus cachorros!”
Constatação II (Homenagem ao mestre Ariano Suassuna que fez retornar aspectos culturais da Paraíba – seu Estado Natal – e de Pernambuco onde viveu).
Data vênia, como dizem nossos juristas, mas quem nunca escutou o Quinteto Armorial, tocado por instrumentos típicos da sua época, não sabe o que está perdendo. Tenho, mais uma vez, dito!
Constatação III (Pequenas definições, na falta de melhores).
O comentarista de futebol é um entendido no assunto, que ele supõe ser e que se torna aprendiz de técnico, incontinente, ao analisar e comentar um lance passado.
Constatação IV (Dúvida crucial via pseudo-haicai).
Negligente
É o político
Com a gente?
Constatação V (De outra dúvida crucial via pseudo-haicai).
De um jogador o maior destaque
É marcar um gol lá da defesa
Quando o time está sem ataque?
Constatação VI (De mais uma dúvida crucial, mas sem ser por via pseudo-haicai).
Cunhado (a) e sogro (a) são parentes da gente por vias tortuosas?
Constatação VII (De nova dúvida crucial. Como o prezado leitor pode constatar nem toda constatação este assim chamado escriba tem certezas e segurança nas afirmações...)
Se o vicariato é a “residência do vigário”, como afirma o dicionário Aurélio, o ‘pastoriato’ é a residência do pastor?
Constatação VIII (De complementaridade de convergências).
Inequivocamente existia sempre uma relação biunívoca perfeita entre aqueles dois: A filhada p...ce de um complementava a do outro...
Constatação IX
O obcecado
Tinha nele,
Sem os descontos,
Mais de mil pontos
Erógenos.
Aí vai que a mulher,
A dolorida,
Cansada,
Extenuada,
Toda ardida
Da. Ester
Pediu ao esculápio,
O Dr. Patrápio,
Para dar a ele
Estrógenos
Pra mantê-lo,
Com muito desvelo,
Sossegado,
Tranquilo
Para manter aquilo
Acalmado.
Coitado!
Constatação X
Quem não conheceu a Filarmônica Orquestra Show de Antonina, ramificação da Banda Musical de Antonina, cujo maestro Denis da Silva e componentes eram e são quase garotos não sabe o que está perdendo. Tenho modestamente dito!
Constatação XI
Poucos caixas nos bancos. Filas enormes. Lucros pornográficos. Será que os pobres dos banqueiros não ficam com consciência pesada e consequentemente com insônia, gastrite, úlcera, depressão e outras doenças psicossomáticas, ou não, por tais corriqueiros fatos? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XII
O cara estróina,*
Metido a bamba,
Vestiu
Uma bóina**
E saiu
Por aí,
Como no samba
Da camisa amarela,
Gastando aqui e ali
O dinheiro dela.
Quando ela,
Ciente,
Informada,
Por um inimigo
Dele, do maridão,
Que já tinha sido bom,
Caiu,
Ou melhor, tombou
Doente
De tão pu, digo,
Enfezada
Que ficou.
Coitada!
*Estróina = “Extravagante, doidivanas, boêmio”.
**Bóina = “Boina”.
Constatação XIII (Quadrinha para ser recitada por quem quiser e por quem quiser escutar, preferencialmente em festa infantil).
Caminhei o dia inteiro
E não cheguei a lugar algum
Era um terreno vagueiro*
Impossível brincar de trinta-e-um.
*Vagueiro = “Terreno escalvado**, em que não houve plantações”.
**Escalvado = “árido, estéril, calvo”.
Constatação XIV (De uma quadrinha para ser recitada no Congresso).
Quais serão os novos escândalos
Que deverão estourar no país?
O que tem por aqui de vândalos
Não está escrito nem nos gibis.
Constatação XV
Esclarecimento: Rumorejando, a fim de que não pairem dúvidas em quem quer que seja, toma a liberdade de esclarecer que Vara da Família não tem nada a ver com a vara de marmelo que muita família adotava para impor ordem e progresso com algum filho que não se comportasse dentro da vontade onisciente dos pais, com ou sem razão.
Constatação XVI (E como poetava o obcecado, nada a ver com o obcecado anterior):
“Sou um poço de sensualidade,
Que quer apenas dar vazão
A minha sublime sexualidade
Sem entrar na contramão”...
Constatação XVII Alguns poucos lugares-comuns ditos por técnicos, jogadores e comentaristas de futebol.
-O juiz nos prejudicou;
-Com um carrinho daqueles de quebrar a perna do adversário, o cara nem cartão amarelo recebeu;
-Minha expulsão foi injusta;
-Fomos vergonhosamente roubados;
-A gente dominou toda a partida, mas não transformou esse domínio em gols;
-Eu vou dar o melhor de mim.
-O bandeirinha demorou muito para levantar a bandeira e o juiz para apitar;
-Ele caiu dentro da área para ludibriar a arbitragem;
-O time deles é o favorito.
-Esse juiz tá na gaveta.
-Tivemos muitas chances, mas não transformamos em gols.
-Faltou mais um pouquinho de sorte.
-Aquele goleiro pegou tudo.
-Ele inventou aquele pênalti.
-Vamos levantar a cabeça;
-E, claro, a clássica: Futebol é uma caixinha de surpresas.
-Vamos trabalhar durante toda esta semana para melhorar ainda mais o time;
-Não ganhamos nada ainda porque temos o segundo jogo na casa do adversário;
-Com este placar elástico, os ataques sobrepujaram as defesas;
-Só o juiz não viu que o zagueiro cortou a trajetória da bola com a mão;
-Com este placar em branco, as defesas sobrepujaram os ataques;
-O mérito não foi meu. Foi de toda a equipe;
-Com a nossa torcida nos apoiando, em nosso campo, a história vai ser diferente;
-Eu e meus companheiros faremos tudo para proporcionar a nossa torcida um belo espetáculo;
-Ainda que perdendo quatro jogos seguidos, o time vem em ascensão;
-No meu entender, não foi pênalti;
-No meu entender, foi pênalti;
-Ele ainda não mostrou porque pagaram tanto pelo seu passe e pelo seu salário.
Constatação XVIII (Nova dúvida crucial. Vige)
E já que falamos no assunto o agarramento na área, quando vai ser batido um escanteio ou uma falta é uma questão de marcação ou Freud explica?
Constatação XIX
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Mulher Melão investe no bumbum: 'Quero ser reconhecida indo e vindo'. Musa do fio-dental tem se dedicado exclusivamente a malhar os glúteos e quer ser valorizada tanto de frente quanto de costas”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que eis aí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
Constatação XX
E já que falamos neste assunto de transcendental importância, vale lembrar que rico tem quadril, classe média tem nádegas e pobre tem bunda mesmo.
Constatação XXI (Quadrinha para ser recitada no dia das eleições).
A gente fica quebrando a cabeça
Para votar em quem for o melhor
E por mais incrível que pareça
Entre todos não há algum no ror.
Constatação XXII (Quadrinha para ser recitada no dia seguinte das eleições).
Fiquei um tempão numa fila quilométrica
Demorou pacas para chegar a minha vez
Se eu me envolvesse uma tabua trigonométrica
Eu não me ficaria com tamanha desfaçatez.
Constatação XXIII (Homenagem póstuma + um pingo de biografia).
No dia 3 de abril de 1964, em pleno início de o movimento militar que redundou na ditadura, comecei a trabalhar na Companhia de Desenvolvimento do Paraná – Codepar que, mais tarde, passaria a se chamar Banco de Desenvolvimento do Paraná S.A. – Badep. Era meu segundo emprego profissional e o ambiente era quase que sagrado, pois a Codepar havia sido criada para granjear recursos para a infraestrutura do Estado que estava por fazer e também para destinar recursos à sua industrialização. O seu corpo técnico abrigava, dentre outros, engenheiros e economistas. No ambiente se respirava idealismo e, efetivamente, era o que mais persistia. A insegurança de minha parte, com relação ao novo emprego, era notória e não deve ter escapado ao engenheiro Renato Emilio Coimbra que iria para Porto Alegre para seguir o curso da Cepal – Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe que “foi criada em 1948 pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas com o objetivo de incentivar a cooperação econômica entre os seus membros. Ela é uma das cinco comissões econômicas da Organização das Nações Unidas (ONU) e possui 44 estados e oito territórios não independentes como membros. Além dos países da América Latina e Caribe, fazem parte da CEPAL o Canadá, França, Japão, Países Baixos, Portugal, Espanha, Reino Unido, Itália e Estados Unidos da América (transcrito da Wikipédia)”. O então novo colega Coimbra me passou, com relativa paciência, as tarefas com as respectivas dicas da função que eu estava herdando. Eu fiquei muito agradecido pelo tratamento recebido do Coimbra e passei a admirá-lo pela sua constante iniciativa no trabalho e fora dele. Acrescente-se a tudo isso os empréstimos de curto prazo que ele sempre atendeu a uma minha eventual solicitação...
Ao prestar, mais uma vez, minha homenagem ao Coimbra, que lamentavelmente já faleceu, transcrevo um texto escrito por ele que vale pela proximidade das eleições e que vale a pena ressaltar o seu aspecto social que também era uma suas características.

ORAÇÃO DE UM MENINO POBRE.
Renato Emilio Coimbra
“Amado Pai que está no Céu, queremos te agradecer toda a felicidade e as bênçãos que recebemos neste Natal. Agradecemos a todas as pessoas bondosas que nos mandaram comida, e brinquedos para as nossas crianças. Nunca duvidamos da bondade que existe nos corações dessas pessoas. Amanhã já vamos começar a rezar para que o próximo Natal chegue logo, para podermos comer novamente, para ver novamente o sorriso nos rostos de nossas crianças sem fome. Este ano vai ser maravilhoso para nós, pois vamos ter eleições, que é quando os homens olham mais para a nossa pobreza, nos dão cestas básicas, promessas de melhora em nossas vidas, empregos, saúde. Esperamos que o Senhor permita que aguentemos esse período até lá, que a fome e o frio não nos vença e possamos no próximo ano estar aqui rezando mais uma vez em agradecimento. Como é lindo o Natal, como as pessoas ficam mais caridosas. O Natal deveria ser comemorado todos os dias e as eleições todos os meses. Assim teríamos comida, alegria, agasalho e saúde o ano inteiro. Obrigado Meu Deus. Abençoe todos os homens e mulheres caridosos deste meu Brasil”. (Natal de 2003).

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
A Polícia Federal está totalmente enganada. Não existe corrupção no Brasil. Os assim chamados corruptos, todos ricos, sofrem de cleptomania e necessitam de cuidados médicos para o tratamento. Cá em nosso país, somente os pobres é que surrupiam... Portanto, como já está por demais comprovado, por julgamento e respectiva sentença, rico é cleptomaníaco; pobre, é ladrão.
Constatação II (Terceira Idade).
Ela comunicou ao marido que estava encerrando o seu ciclo de sexo por causa da idade crítica que tornara o ato dolorido e, não expressado, por ele não fazer mais parte de suas – dela – fantasias . Na opinião dele, “o sublime ato, diga-se de passagem”. Aí, pobre, velho e feio, ele ficou pendurado no pincel. Pincel?
Constatação III
Era um candidato supimpa,
E tinha uma ficha limpa
Isso aconteceu em nosso país?
Não. Foi lá na França, em Paris.
Constatação IV
Disse ele: “Você é muito bonita”.
Disse ela: “São os seus olhos”.
Disse ele: “Não. São os seus. Intensamente verdejantes”.
Constatação V
Em certos países, a delação é premiada; o presidiário ganha mais que um operário; os três Poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – aumentam seus próprios salários a níveis estratosféricos; o item Saúde, ao invés de aumentar, diminui a oferta de leitos e não equipa seus hospitais; a Educação prepara indivíduos que não sabem ler e quando sabem não são capazes de interpretar o que leram; a Segurança não assegura coisa alguma; E a Situação, da vez, seja em época de eleições ou não, se comporta como “Tout va très bien madame la marquise. Vige!
Constatação VI (De dramas da 3ª. Idade).
Na praia
De nudista
O quase octogenário,
À primeira vista
Ficou excitado,
Teve uma meia ereção.
Recebeu uma vaia,
Uma espécie de ovação
Ao contrário.
Coitado!
Constatação VII
A aterrisagem
Foi perfeita.
O avião pousou
Qual uma borboleta
Na bagagem
Só mutreta.
O político saltou
Feliz pela colheita*.
*Não foi possível pra Rumorejando a que se refere a tal colheita do político. Se alguém souber, por favor, comentários no blog, a fim que possamos dar conhecimento aos nossos tradicionais curiosos leitores. Obrigado.
Constatação VIII
O cortejo,
Andando devagar
Em direção à necrópole,
Borrifando
Lágrimas de crocodilo,
Um tanto
Quanto
Tranquilo,
Lá no vilarejo,
Era tão intenso,
Com tanta gente,
Que de vez em quando,
Eu penso,
Eu rumorejo,
Que parecia estar
Numa metrópole.
Até numa megalópole
Tão-somente.
Constatação IX (Eleições. Horário político).
Sorria que você está sendo enganado, manipulado, achincalhado, ridicularizado, aviltado, escarnecido, recebendo diploma de asno. Vige!
Constatação X
Não se pode confundir aparecer com espairecer, muito embora tenha gente que resolve aparecer na tua casa, sem prévio aviso, a fim de espairecer, despejando em cima de você suas – dele – desditas – e não levando em conta o teu tempo, as tuas obrigações, a tua disposição se você está a fim de recebê-lo e assim por diante. Vige!
Constatação XI (De quase um pseudo-soneto).
Quando o obcecado narcisista
No afã de cooptar gatas
Pra mais uma eventual conquista
Ele se põe a contar bravatas.

“Peguei um tubarão na unha;
Pus pra correr dúzia de assaltantes.
De tudo que falei, tenho testemunha,
Mas nada disso é muito importante”.

“Amei dez mulheres simultaneamente,
Deixando todas elas assaz felizes.
Até que fui interrompido, de repente,
Do meu desempenho, sem deslizes”.

“Mais dez estavam batendo na porta,
Querendo também minha atenção.
Mostrei que não sou galinha-morta
Atendi mais essas com muita devoção”.

Constatação XII (De nossos tempos modernos).
Parabélum*
Virou tão banal
Tão institucional
Como se alguém a usasse
Como arma da classe
De bala dundum**.
* Parabélum:
Substantivo feminino.
1.Bras. Certa pistola automática, de procedência alemã (Aurélio).
**Dundum = Substantivo feminino.
1.Bala de cápsula modificada, de maneira que produza ferimentos sempre muito graves.
Constatação XIII (De uma explicação explicativa).
Dizem que se as pessoas querem fugir do carnaval devem vir para Curitiba. Efetivamente nós curitibanos temos o freio de mão puxado para pular nessa maravilhosa festa popular. Mas mesmo que se a gente quisesse participar de um carnaval de rua, por exemplo, isso não seria possível. Todo ano, invariavelmente, como já se tornou praxe, chove... Vale lembrar que: Rico passa o carnaval no Rio, na Bahia, em Recife, em Florianópolis, em Antonina, em Veneza, etc; pobre, em Curitiba...
Constatação XIV
Quando a recente
Viúva, logo depois
Da perda do marido,
Assaz querido
Por sua atuação,
Ficou
Alerta,
Certa
Que, indubitavelmente,
Precisava
De consolação
Chegou,
Pois,
À conclusão,
Por cálculos pequenos,
Que necessitava,
Em substituição,
De, pelo menos,
Outros dois,
Tão-somente.
Constatação XV (Nada a ver com o obcecado da “poesia”).
Quando o obcecado tomou conhecimento que uma aeromoça da companhia aérea australiana Qantas foi demitida por ter feito sexo no banheiro do avião durante um voo entre Darwin e Mumbai com o ator britânico Ralph Fiennes arregalou os olhos, surpreso, e exclamou: “Só por isso?”
Constatação XVI
E quando esse mesmo obcecado se inteirou que os representantes do ator britânico vêm sustentando que foi a aeromoça que seduziu Fiennes, e não o contrário tornou a se pronunciar do alto da sua modéstia que atinge as raias da humildade: “É exatamente como acontece comigo”.
Constatação XVII
Como a aeromoça voltou a fazer sexo novamente com o ator Ralph Fiennes, no Hotel já em Mumbai, onde ele se hospedou, seria de bom alvitre contar aos representantes do ator britânico aquela história que é contada em Curitiba de que a filha entra em casa, esbaforida, e, num atropelo, meio gritando, fala pra a mãe: “Manhe, manhe, tarado me pegou ontem, me pegou hoje e marcou pra amanhã”...
Constatação XVIII
Deu certa vez na mídia: “O Nobel da Paz, economista bengali Muhammad Yunus, o banqueiro dos pobres, ofereceu microcréditos de até US$ 200 para aproximadamente 7 milhões de pessoas; 58% delas vivem, agora, acima da linha de pobreza”. Se, por hipótese, imaginarmos que não houve rotatividade do montante movimentado, conclui-se que o economista dispôs de 200x7.000.000 o que perfaz uma quantia de US$1.400.000.000 (um bilhão e quatrocentos milhões de dólares). Na época, o então presidente Bush pediu ao Congresso Americano que aprovasse a destinação de mais de US$ 600 bilhões para gastos militares. Data vênia, como dizem os nossos juristas, mas Rumorejando acha, como sempre achou, que a atenuação e mesmo a resolução da pobreza depende só de boa vontade, ou melhor, da não fdp da má vontade. A proposta de outro Prêmio Nobel, o de Economia, James Tobin de taxar a movimentação financeira (especulação) foi abordada várias vezes por Rumorejando, lamentando que nenhum país topou seguir a proposta que recebeu o nome de Taxa Tobin. No google é possível encontrar maiores detalhes a respeito. Quem souber onde é possível encontrar quaisquer fórmulas de boa vontade na face do nosso maltratado Planeta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIX
Quando este assim chamado escriba publicou o seu segundo livro 150 Sonetos e 1 Sonetão (Pseudos) fez constar na contracapa uma entrevista que foi dada ao Amigo Dante Mendonça, na qual respondia, dentre outras, a seguinte pergunta: “Outra profissão, o que seria”. E a resposta foi: “Jamais banqueiro”. E não se tratou de que as uvas estivessem verdes, como de fato sempre estiveram, mas não só porque não teria cacife para tal, mas por achar as atitudes dos banqueiros execráveis. Mormente em nosso maltratado país, onde eles, os banqueiros, sempre foram beneficiados em todos os governos e em todos eles ‘colaboraram’, com esperteza – para não dizer filhada pu...mente –, nas eleições com contribuições a todos os candidatos, tanto da Situação como da Oposição. Dependendo da condição de onde estar o candidato ou do partido político, em ambos os casos poder-se-ia dizer, dando o exemplo do dito “acender uma vela ao santo e ao diabo”... Mas isso já é outra história, ainda que intimamente relacionada com o que se intenta demonstrar. A demonstração é que, na Constatação anterior é destacada a figura do banqueiro bengali Muhammad Yunus, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2006, é que existe banqueiro interessado em colaborar com a extinção da pobreza e deve ser um estranho no ninho, já que este assim chamado escriba, nos seus 77 anos, portanto próximo de ser octogenário, nunca ouviu falar de um banqueiro que fosse cognominado o banqueiro dos pobres.
Nessas digressões que Rumorejando está fazendo, data vênia, é claro, vale a pena comparar com a notícia recente de que ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa devolverá 23 milhões de dólares enviados e depositados na Suíça, em conta bancária. A pergunta que ocorre é o que será que o banqueiro suíço pensa, sem maiores delongas, quando recebe grandes montantes seja proveniente de corrupção, tráfico e outros ‘que tais’. Quem souber a resposta, por favor, informe ao blog para que Rumorejando possa transmitir aos seus prezados leitores, dentre os quais deve haver uma pletora, se não uma infinidade de curiosos. Obrigado pela atenção.
Constatação XX
Não se pode confundir apreensão, que o dicionário Aurélio dá entre outros significadosSubstantivo feminino. 3.Filos. Conhecimento imediato de um objeto relativamente simples, em oposição a processos mais elaborados, como, p. ex., a compreensão, o julgamento, o raciocínio” com a pressão, até porque, com a proximidade das eleições, a gente fica com o outro significado da palavra apreensão que o mesmo dicionário dá como “receio, preocupação, cisma”, tendo em vista a gente ser obrigado a votar, o que quer dizer sofrendo a pressão do Superior Tribunal Eleitoral e se for funcionário público e não votar e não justificar o voto não poderá receber o salário. Esse modo de sofrer a pressão para votar não leva em conta que vai contra a democracia e cria suspeita de que a urna eletrônica seja adulterada como um estudante de 19 anos demonstrou da sua possibilidade e factibilidade. Socorro!

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Quem nunca foi de trem até Morretes para, antes, comer um barreado e conhecer a cidade e também Antonina e Paranaguá, depois prosseguir viagem, passando pelas praias, para conhecer a Ilha do Mel não sabe nada de turismo no nosso estado. Tenho, sem comer o barreado, por ser vegetariano, dito!                       
Constatação II (Eleições próximas I).
Não se pode confundir voltar com votar, muito embora quem votar em quaisquer candidatos corre o risco pessoal e para todo o país que algum fdp possa voltar e fatalmente fará o que já vinha fazendo. Basta ver, como exemplo de nossos tempos o que o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa citou, dentre outros, como beneficiários da propina o ministro Edison Lobão, o Presidente do Senado Renan Calheiros, o ex-presidente Collor de Melo, o ex-governador Sergio Cabral, um membro da família Sarney, a atual governadora do Maranhão Roseana Sarney, e alguns deputados da Situação. A relação completa se encontra na mídia, mormente na revista Veja e no Estadão.
Constatação III (Eleições próximas II).
Com relação à constatação acima, não surpreende constar, por exemplo, o senador Renan Calheiros e o ex-presidente Collor de Mello, tendo em vista os seus respectivos currículos. No entanto, quando os senadores elegem para a presidência do Senado, o Sr. Renan Calheiros ou o senador José Sarney dá para concluir, salvo raríssimas exceções, que são todos farinha do mesmo saco e quem vota neles deixa a população cada vez mais fod, digo, ferrada.
Constatação IV (Eleições próximas III).
A gente nunca pode votar no melhor. A gente sempre vota no menos ruim. Pra quem que seja o voto, ele será diretamente proporcional, portanto. E quem for o vencedor, a sua eleição sempre será inversamente proporcional...
Constatação V (Eleições próximas IV).
Não se pode confundir irrisório com ilusório, até por que, quando o governo anuncia o novo salário mínimo e esquece que o Brasil está perdendo importância na economia mundial e um dos resultados disso é o empobrecimento da população. Estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que "Se o Brasil mantiver o atual ritmo de crescimento econômico levará um século para conseguir dobrar a renda per capita. Imaginem quem ganha o irrisório salário mínimo que o governo enche a boca a cada ano quando o dito é corrigido. Para eles, os governantes, não é ilusório. Gostaria de ver eles se manterem com tal salário. Cambada de ...Deixa pra lá...
Constatação VI (Eleições próximas V).
Deu na mídia, mais precisamente na Gazeta do Povo: “Famosos abrem o jogo e revelam em quem votarão. Veja a preferência política de celebridades como Ronaldo, Caio Castro, Caetano Veloso, Rogério Flausino e Gregório Duvivier”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
Constatação VII
Deu na mídia: “Gremista diz que não quis ofender ao chamar goleiro de macaco”. “Patrícia Moreira da Silva prestou depoimento à polícia sob protestos do grupo União de Negros pela Igualdade”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que ela e outros se não quiseram ofender, eles quiseram elogiar? E o goleiro Aranha não quer se encontrar com a tal Patricia, adulta de 22 anos, que o xingou. Ela quer pedir desculpas. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que desculpas a gente pede,  por exemplo, se, sem querer, pisar no pé de alguém. E Rumorejando continua achando que o se o torcedor de um time comete as barbaridades de ofensas e/ou atirar algo no campo contra jogador adversário, juiz, etc. deveria ir para cadeia, pois há lei para isso e não o time ‘pagar o pato’, como, no caso, o Grêmio e tantos outros que foram penalizados por atitudes de torcedores inescrupulosos. A Fifa elogiou o STJD por eliminar o Grêmio da Copa do Brasil. Dúvida crucial, dirigida ao STJD, Fifa e quejandos: Como os times poderiam impedir que aconteçam fatos oriundos de torcedores? Que culpa os times têm?
Constatação VIII
Não se pode confundir confronto com conforto, muito embora se a gente não for para o confronto nestas eleições e nas que advirão corre-se o risco de não haver conforto para o sofrido povo que paga pesados impostos e fica vendo que o dinheiro vai para o ralo, não só através da corrupção, mas também ao ver os três Poderes da República aumentar cada vez mais seus privilégios que acarretam também o aumento de seus respectivos salários. Vige!
Constatação IX (Eleições próximas VI).
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Ministros tiram férias para reforçar campanha de Dilma”. “Gilberto Carvalho, Miguel Rossetto, Ricardo Berzoini e Paulo Bernardo vão trabalhar na reeleição da presidente”. Como trabalhar? Tal, nunca foi o forte, ao longo de todos os tempos, dos ministros da nossa sofrida República. Ficaria melhor, continuar ou aproveitar as eternas férias. Vige!
Constatação X (Eleições próximas VII).
Também deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Lula pede menos adjetivos”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando crê que não só menos adjetivos, mas é importante alguns substantivos como governança, Saúde. Educação, Infraestrutura, Segurança, honestidade, seriedade, democracia, respeito, trabalho, emprego, lazer, aposentados e assim por diante... E tomo a liberdade de transcrever do blog da mineira Marina da Silva no seu artigo “BH Desadministrada” o que aconteceu com os verbos: “Do dicionário político/administrativo e mesmo do Aurelião palavras perderam corpo, força, não existem mais: cuidar, amparar, fazer, proteger, repor, reparar, recuperar, preservar, restaurar, administrar, governar, limpar, coletar, podar, jardinar, capinar, aguar, são alguns exemplos. Uma série enorme de palavras importantes ligadas aos serviços essenciais urbanos para a sociedade, para comunidades inteiras foram substituídas por: terceirizar, sucatear, desprezar, superfaturar, locupletar, enganar, ludibriar, roubar, corromper, consorciar, aliar, conluiar...” A grande Amiga, Marina da Silva, porém, esqueceu de acrescentar: Viva “nóis”!
Constatação XI
Certa vez, deu na mídia: “Não há dúvida de que o Brasil é o país mais poderoso da América do Sul”, afirmou o subsecretário de Estado dos Estados Unidos para Assuntos Políticos, Nicholas Burns. Rumorejando lembra quando na época do presidente Nixon, o subsecretário, ou algo assim, Henry Kissinger, falou “para onde pender o Brasil, penderá a América do Sul”. Estes pronunciamentos, data vênia, como dizem nossos juristas, fazem parte de o esquema dividir para governar, já que os hermanos – e outros nem tanto “irmãos” – ficam mordidos com essas afirmações. Sobre a violência e a impunidade, dentre outros, no nosso país, nada foi dito...
Constatação XII
Deu na mídia no dia 07 de maio de 2006: “Justiça leva 39 anos para decidir por complemento de aposentadoria”. “Juiz – que atribuiu a demora na definição da sentença à falta de efetivo e explicou que apenas a 1ª Vara recebeu 588 novas ações trabalhistas do ano de 2006 e acumula outras 4.000 de anos anteriores – pretende transformar o processo em peça de estudo no acervo do TRT de Campinas”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o meritíssimo queria que o estudo servisse de exemplo de como se deve agir para que demore um pouquinho menos. Apenas cinco dos 146 requerentes, no caso, da antiga Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, ainda estão vivos. Rumorejando não conseguiu apurar a causa da morte, supondo que tenha sido por cansaço de aguardo da decisão, por desgosto ou por mera estatística...
Constatação XIII (De uma dúvida crucial).
Data vênia, como diriam nossos juristas, mas será que a reivindicação, referida acima, fosse de desembargadores, juízes, senadores, deputados e outras pessoas ditas importantíssimas, demoraria tanto? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIV
O Laboratório Frischmann Aisengart tinha um cartaz com o slogan, que estava em painel junto aos seus atendentes, no seu site e em outros, que dizia: “Reservamos 365 dias por ano para cuidar da sua saúde”. Tal não impediu que um chato questionasse: “E quando o ano for bissexto como é que fica?”
Constatação XV (Eleições próximas VIII).
Em certos países, quem se beneficia com as trocas de acusações entre Situação e Oposição são as vidraçarias, porque é impressionante o que tem de telhado de vidro...  Afinal, conforme Rumorejando já noticiou, em certos países, corruptos são sempre os outros...
Constatação XVI (Ah, esse nosso vernáculo).
A gorda cordata, com o cocoricó do galo, acorda com toda a corda, dá corda no relógio e vai pular corda de acordo com o acordado com o seu clínico, a cordura em pessoa.
Constatação XVII (De uma quíntupla quadrinha para ser recitada onde se queira e desde que os ouvintes, políticos de preferência, queiram escutar).

Sensivelmente
Tomei conhecimento
Que político mente
Sem constrangimento.

E tive o dissabor
De me inteirar
Que há empulhador
Que vive só pra tapear.

Eles também aparecem
Em época de eleições.
As promessas esquecem.
“Negócios” são de milhões.

Vai ano, vem ano
E o pobre do povo
Entra pelo cano
Pra variar, de novo.

Será que os candidatos
Ou aqueles pretendentes
Não possuem, esses “gaiatos”,
Atestado de Maus Antecedentes?

Constatação XVIII (Passível de mal-entendido).
Disse ele: Eu te amo!
Disse ela: Há gosto pra tudo. Tanto é que há, que eu também te amo.

RICOS & POBRES
Constatação I
Idoso rico é da 3ª. Idade; Pobre velho, se chegar até lá, é traste.
Constatação II
Rico é obstinado; pobre, é do contra.
Constatação III
Rico recebe muitas atenções; pra pobre, ninguém da bola.
Constatação IV
Rico maquina; pobre, conspira.
Constatação V
Rico é conspícuo*; pobre é invisível.
*Conspícuo = claramente visível; facilmente notado; que salta à vista.
Constatação VI
Rico é cheio de dedos; pobre, é fresco.
Constatação VII
Rico usa interjeições como fascinante, admirável; pobre, usa pqp.
Constatação VIII
Rico é importante; pobre, é insignificante.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Dependendo de quem ganhar as eleições para governador do estado do Paraná, há a possibilidade, segundo se propala por aí, que a Rádio Educativa mudará o seu nome, mais uma vez, para Rádio (nome do eleito governador) e eliminar a apresentação de chorinho que é a preferida deste assim chamado escriba...
Constatação II (Teoria da Relatividade para principiantes e demais).
Quando alguém está ansioso, o tempo desacelera. Inversamente proporcional, portanto.
Constatação III (Dúvida crucial com relação às semelhanças).
Segundo o Aurelião, ambidestro é 1.Que ou aquele que utiliza as duas mãos com a mesma facilidade. [Antôn.: ambiesquerdo; cf. ambilevo.]. O jogador que sabe facilmente chutar com os dois pés é ambipéstro?
Constatação IV
O primeiro chefe, batuta, ou não, é que nem o primeiro amor, a gente nunca esquece. Tampouco, o primeiro beijo e etc. principalmente o etc.
Constatação V
Há vários tipos de chatos. Um exemplo é o que te faz proselitismo. E esse, pode ser o religioso; ou o que quer te convencer em qual candidato votar e/ou qual partido seguir; ou, ainda, qual time torcer. Mas o pior chato é o que despeja em cima de você qual o seu – dele – problema de saúde que teve ou que está tendo; qual médico ou médicos andou consultando e qual remédio está tomando e dando ou não resultado, seja alopático, homeopático, acupuntura, medicina alternativa, além das terapêuticas místicas. Vige!
Constatação VI (De uma dúvida crucial).
Será que o time que não paga os seus jogadores – como acontece com muitos, meu Paraná e Botafogo, inclusive – os presidentes não vão para o Seproc – Serviço de Proteção ao Crédito?
Constatação VII
Jogador que é entrevistado no final de uma partida dá a impressão que lhe está sendo pedida a lição, já que as respostas, ganhando ou perdendo são sempre as mesmas. As perguntas dos repórteres de campo, também. Vige!
Constatação VIII
E não é que o Paraná ganhou três partidas seguidas e já anda falando em acesso pra Primeirona. Sonhar é preciso, já dizia o poeta e “Quem não acredita em milagres não é realista”, como Rumorejando já havia publicado no dito de David Ben Gurion.
Constatação IX
A atriz Regina Duarte, pelos papéis que interpretou como mocinha, em telenovelas, recebeu o apelido carinhoso de Namoradinha do Brasil. Este assim chamado escriba se lembra de um programa, na época, que mostrava a opinião de várias pessoas do povo, dando a sua opinião sobre Regina. Já em seguida, mostrava a atriz tecendo agradecimentos e comentários sobre os pareceres das pessoas. Um cidadão entrevistado não conseguiu expressar seu pensamento, ainda que fazendo várias tentativas repetitivas. Talvez por timidez diante das câmeras que o entrevistavam. Quando apareceu a famosa interprete, para os comentários de praxe, ela, após pensar um pouco, acabou perguntando: “Mas o que foi que ele disse mesmo?” Efetivamente ele não havia conseguido concatenar o seu pensamento. Se a nós brasileiros fosse feita a pergunta, digamos, a partir do presidente José Sarney até hoje, ou desde a ditadura militar até nossos dias: “o que todos os presidentes até agora fizeram”, sem querer plagiar a atriz Regina Duarte, eu confesso que teria de contestar: “Mas o que foi que eles fizeram mesmo? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação X
Ouvir e ver o horário político e constatar que ninguém apresenta um programa de governo coerente, factível e se limita a falar mal do adversário é pagar pecado, inclusive que nunca cometeu, ficando, portanto, a haver em conta corrente. Os que dizem que Israel deve ser varrido do mapa demonstram – não por isso, já que vivemos numa suposta democracia – mas por serem, no geral, uns imbecis é de se chorar três dias e três noites, sem parar, já que no decorrer da fala se vê que a pessoa não está sabendo, não só do assunto, mas que não entende nada de nada. Vige!
Constatação XI
Quando o obcecado leu na mídia que estavam falsificando viagra fez o seguinte comentário: “Tomara que o falsificador precise de viagra e que tome o falsificado e, depois, malhe em ferro frio. Aí, dê com os burros na água”. Ferro frio? Burros na água? Vige!

Constatação XII (De um quase pseudo-soneto).

     Moto perpétuo?

Ninguém pressupunha
Que no governo haveria
Infindável mumunha
A qualquer hora do dia.

Tirar proveito em tudo
Virou uma constante
Quanto mais graúdo
Nunca tem o bastante.

Será que vai chegar a hora
De parar com tudo isso
Pra ver se o Brasil melhora
Ou sempre ficará nisso?

Constatação XIII
Fiz uma prédica,
Metido a enciclopédico,
De modo aristotélico,
Pra convencer
A vizinha,
A gatinha
Médica,
Recém-formada,
Pra sair comigo
Pra me examinar
Num motel,
Metido a hotel
Só na fachada.
Eu, como paciente,
Meio doente,
E como amigo,
Alegando,
Ponderando
Enquanto
O consultório dela
Não estava, todavia,
Ainda, naquele dia,
Em condições
De funcionar.
Ela
Topou.
Lá chegando
Determinou,
Sem inibição,
Pra eu me desnudar
E me olhando
De cima a baixo,
Com um olhar
Meio profissional
Meio de gozação,
Falou
Num português escorreito:
"Vejo alguns senões
Nessa sua panca.
Pelo jeito,
Nesse papai-noel,
Compulsoriamente,
Aposentado,
De barba branca
E cabelo encaracolado
Pelo seu mal estado
Eu nem enfaixo.
Portanto,
Ele vai ser obrigado
A se deslocar
Pra ser enterrado
Num campo-santo.
Tão-somente”.
Coitado!
Papai-noel!?
Constatação XIV
Quando ele falou,
De modo frívolo*,
Que precisava
Dar um pulo
Até o bar
Ali na esquina
Se distrair
Pra assistir
Uma final
De truco
Já que ele havia
Sido eliminado
Ainda no começo
Do torneio,
Ela contestou
Que ele era um voltívolo**
E que estava
Um nulo
Exemplar
Que nem uma bolina
Ele queria repartir.
Afinal, ela não era faquir
Nem doente mental.
“Você tá ficando maluco.
Durante o dia
Alega estar cansado.
Eu não mereço
Viver nesse meio”.
Ele retrucou
Que não era altívolo***
E que andava
Fulo
De tanto esperar
A vinda duma propina
Que não dava pra prescindir
Que ficou de vir
Ainda no Natal
E que até um trabuco
Ele gostaria
De ter comprado
Por esse desapreço
Que, sem esperar, veio.
Coitada
Da mal-amada!
Coitado
Do “despropinado”!?
*Frívolo = Sem importância
**Voltívolo = que dá voltas
***Altívolo = Que voa alto
Constatação XV
Com a proximidade do fim do ano e das respectivas férias é de se esperar que não se abandonem cães e gatos, como muita gente, filhadapu...mente costuma fazer, pelo que é dado a ver pelas ruas. Também o que dá de alarme disparando sem que a algum vizinho tenha sido dado uma chave ou o telefone celular para o devido contato e, então, o devido desligamento. Coitado! Do vizinho.
Constatação XVI (Razões e proporções matemáticas).
A ociosidade está para o capeta, assim como o trabalho escravo está pra um filho da p. de um escravocrata. Fica, dessa maneira, muito fácil determinar a expressão matemática do capeta. Basta multiplicar cruzado e tirar o valor do capeta.  Logo, capeta = ociosidade x filho da p. dividido pelo trabalho escravo. Elementar minha gente.
Nota de esclarecimento: No cálculo, não foi levado em conta o número de filhos da p. existentes no país.
Constatação XVII
Deu na mídia: “Tom Cruise deixa coletiva e vai às compras em Paris”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Efetivamente, rico faz isso; pobre, não faz coletiva, não vai às compras e não vai a Paris. Salvo, se morar nos arredores e provavelmente sendo um imigrante. E, talvez, nem assim...
Constatação XVIII
Estamos muito mal,
Mais do que se imagina,
De reserva moral
Em toda eleição.
Que triste sina
A nossa,
A vossa.
Deles, não...
Constatação XIX
Não se pode confundir estoicismo com escotismo, muito embora todo aquele que pratica o escotismo leva com estoicismo praticar, pelo menos, uma boa ação por dia. Aliás, ao contrário de muitos políticos. A recíproca não é necessariamente verdadeira (vede a assertiva quanto aos políticos. Vede?).
Constatação XX
O Deputado 1, sanguessuga,
Empreendeu uma fuga,
A passo de tartaruga
Depois de encher as burras.
O burro se viu às turras
Por ter gritado hurras
E foi pego pela polícia
Diante de tal estultícia*
Deputado 2: “Que imperícia!”
*Procedimento de estulto**.
**Estulto = tolo, imbecil (Aurélio).
Constatação XXI
Como dizia o obcecado convencido: “Essas mulheres maravilhosas, tão carentes, com esses homens fleumáticos, tão desatenciosos”.
Constatação XXII
E como dizia o vulcanólogo: “Com o que o leão do imposto de renda e outros impostos me tomam eu não fico com um buraco nas minhas finanças, fico com uma cratera vulcânica extinta, com ganas de entrar em erupção, soltando larvas incandescentes e labaredas também pelo nariz qual um dragão”.
Constatação XXIII
Segundo o Dieese, o Salário Mínimo, ainda em 2007, deveria ser de pelo menos, R$ 1.536,96. Tal levava em consideração que o salário deve ser suficiente para garantir as despesas familiares, como alimentação, moradia e saúde. O Dieese esqueceu, o que é assaz lamentável, de acrescentar viva “nóis”.
Constatação XXIV
E como apregoava o obcecado convencido, nada a ver com o outro anteriormente mencionado, fazendo autopromoção da sua, segundo ele, irresistível pessoa: “Estou a sua disposição das 6 da manhã às 5,59 do dia seguinte. Conto com a sua imprescindível incorporação”.
Constatação XXV (De uma dúvida crucial).
A balbúrdia
Era tão estapafúrdia
No apartamento
Em frente ao meu
Que me ocorreu,
Naquele momento,
O pensamento
Dum himeneu*.
Pela gelosia**
Constatei o engano
Talvez freudiano:
Como era possível
Como era factível
Um velório
Nada lacrimatório
Com tanta alegria?
*Himeneu = “Casamento”.
**Gelosia = “Janela”.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico tem linha de raciocínio; pobre tem desalinho de pensamento.
Constatação II
Rico ri à-toa; pobre, chora, mas de alegria, quando o seu salário, no mesmo dia do pagamento, imediatamente, não evapora.
Constatação III
Rico é circunspeto; pobre, sempre fica com cara de cachorro que lambeu graxa.
Constatação IV
Rico é compassado; pobre é devagar quase parando.
Constatação V
Rico reclama de barriga cheia; pobre, reclama de barriga inchada, como o personagem Rango, criação antológica do Amigo, o gaúcho Edgar Vasques.

Site: www.rimasprimas.com.br