quarta-feira, 26 de novembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Quando a mulher advertiu o maridão que, se ele continuasse chegando tarde a casa e, pior, com bafos etílicos (rico tem hálito; pobre tem bafo), ela voltaria para a casa dos pais, mas, antes, daria uma camaçada de pau nele. O infeliz, engrolando a língua, de modo altissonante e com uma mesura respeitosa proferiu: -“Curvo-me diante da força dos teus argumentos e dos teus argumentos de força”.
Constatação II (Quadrinha para ser recitada, preferencialmente, em hospital psiquiátrico).
O dia de ontem, procurei,
Até debaixo da cama,
É claro que não achei
Tava participando num psicodrama.
Constatação III
O banco toma todo o dinheiro da gente e, como reciprocidade, a gente, do banco, só toma...
Constatação IV
A desavergonhada mentira que se repete em todos os tempos: “Nosso partido vai apoiar o governo e não reivindica nada em troca”.
Constatação V (Passível de mal entendido).
E como se queixava aquela descorçoada esposa: Que pena que o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento não se estende ao meu maridinho.
Constatação VI (De uma dúvida crucial meio paradoxal).
Preencher uma lacuna
É numa assembleia
Extraordinária
Ou ordinária
Apregoar: “Não reúna”?
Constatação VII (Colaboração do Amigo maringaense Edson Ferreira dos Santos).
Pequenas Constatações: Não podemos confundir PAN com BAM, muito embora os dois aconteçam no Rio de Janeiro. O primeiro é um confronto esportivo entre várias nações, o segundo é confronto entre várias facções e a polícia. 
Constatação VIII
E já que falamos no assunto, não se pode confundir jaz com paz, muito embora seja comum ler em sepulturas, túmulos, sepulcros, jazigos, tumbas, catacumbas, sarcófagos, locais aonde um mortal jaz, a inscrição “que descanse em paz”, ainda que descansar sem ser em paz como, por exemplo, com os altíssimos decibéis do equipamento de som do vizinho, com a consciência intranquila, com a perspectiva de a sogra vir passar uma temporada em nossa casa, etc. este assim chamado escriba acha assaz difícil...
Constatação IX
E não se pode confundir píncaro com pícaro, muito embora o que se vê, em certos países, pícaro ascendendo ao píncaro – da glória, da fama, da riqueza fácil e rápida –, não está dito, escrito, digitado, ou seja, de qualquer maneira que ser divulgado, em lugar algum. A recíproca, para esses ardiloso-ascendentes casos pode ser, eventualmente, verdadeira. Depende do país, do povo, dos eleitores, ditadores, capacidade de engabelação, fraude, grau de convencimento e assim por diante.
Constatação X
E já que falamos no assunto, certas gatas, gatinhas e gatonas tiram a gente da tranquilidade, da doce paz. (Perdão, leitores).
Constatação XI (“Poesia” rural).
Apaguei
O lampião
Preparei
Um cigarro de palha
Fiquei
Fumando na escuridão,
Parecendo um pirilampo,
Um vaga-lume,
Pitei
Até a última migalha
E pensei
Com azedume:
Quanta politicalha,
Quanto blábláblá
Dessa cambada
Que só amealha
Para si
Aqui,
Ali,
Acolá,
Como no campo
A boiada
Que enche o pasto
De um baita e vasto
Estrume.
Constatação XII (De uma dúvida, ensejando uma resposta óbvia).
Merece uma diatribe*
Um governante,
Que vive a matracar
Que não é capaz,
Tampouco nada faz,
Para aumentar
O tão importante
PIB?
*Diatribe = Substantivo feminino.
1. Crítica acerba; escrito ou discurso violento e injurioso (Aurélio).
Constatação XIII
Segundo um especialista em telecomunicações, “o Brasil contou com 106 milhões de celulares no ano de 2007, chegando a 170 milhões em 2010”. Não foi apresentado, nesse total, quantos foram clonados e surrupiados. Se alguém tiver essa importante informação estatística, por favor, comentários no blog, para que Rumorejando possa informar e saciar a curiosidade de seus milhares de leitores. Obrigado mais uma vez. Agora, também em nome deles.
Constatação XIV (Parecendo despeito, ciúme, dor de corno ou dor de cotovelo meio a maneira das músicas do gaúcho Lupicínio Rodrigues. Grande Lupicínio!).
Nosso amor
Foi de tal quentura
Que até dava calor.
Hoje, não mais perdura.
Ficou frio como se estivesse
No gelo ou num refrigerador.
E, agora, ninguém mais se atura.
E quando eventualmente se cruza
Faz de conta que não se conhece
Me vindo à cabeça a palavra: Medusa*.
*Medusa = 2.P. ext. Mulher feia e/ou rabugenta; Sinônimos: bruaca, bruxa, canhão, carcaça, coruja, cuca, jabiraca, megera, muxiba, seresma, serpe, serpente, urucaca, xaveco (Aurélio).
Constatação XV
Disse ela pro convencido: “Você é cem”.
Perguntou o convencido, inflado de orgulho: “Como assim?”
Ela explicitou: “Você é cem: Cê, de chuta; e, de enche e eme, aquele eme mesmo que todo mundo sabe o que quer dizer”.
Constatação XVI
Não se pode confundir coxinhas com coxilhas, até porque o obcecado poderá dizer: “Coxinhas de todo o mundo separai-vos!” Já com relação as coxilhas, só com um trator...
Constatação XVII
Quando o convencido leu na mídia: “mudanças climáticas melhoram a vida sexual de focas cinzas”, comentou com desdém: “Pois pra mim não tem tempo ruim”.
Constatação XVIII (De uma quadrinha para ser recitada a fim de impressionar uma gatona).
Quisera ser meia-calça
Para estar bem apertado
Mesmo que você estivesse descalça
Pelo menos estaria ao seu lado.
Constatação XIX (Meio confusa da gatona).
E como elucubrava, raciocinando, mas revelando dúvidas cruciais, aquela gata que era fanática por corrida de carros, principalmente da Fórmula I, e que estava tentando entender um pouco de futebol: “Quando eu via meu avô escutando pelo rádio uma partida de futebol, eu escutava as palavras alfo direito, alfo esquerdo e center alfo. Agora, meu namorado me explicou que se usa a expressão volante. Aí, quando o juiz não dá um pênalti ele é o caixa de troca? E se o bandeirinha, aquele sujeito que segura um pau com uma bandeirinha na ponta, marca um impedimento inexistente, que meu avô chamava de offside, ele é o ponto morto?
Constatação XX
E como elucubrava o septuagenário, quase octogenário, evidentemente ex-sexagenário, ex-cinquentenário, etc.: Quando se é jovem, a gente, eventualmente, se ressente com o calor ou o frio. Quando se é velho, a gente se ressente com o calor, com o frio, com a chuva, com a geada, enfim até com etc.
Constatação XXI
A doce Amanda
Fez um doce,
Anda-que-anda*,
Como a receita manda,
De acordo com a propaganda,
Como se fosse
Obrigatório,
Como se fosse
Compulsório.
E não é que o doce,
Tão popular na Holanda,
Vai e desanda?!
* Anda-que-anda = Advérbio.
1. Em passo acelerado; apressadamente.
2. Sem interrupção na andadura (Aurélio).
Constatação XXII
Na coletânea,
Depois do 5º copo,
Ela, muito pouco espontânea,
Falou: “Isso? Isso, eu não topo”*
*Fica a critério do leitor o que ela não topou (Perdão leitores).
Constatação XXIII
Deu na mídia mais precisamente na Gazeta do Povo: “Lewandowski condenou por furto de bermuda e de R$ 13. Mas absolveu Cunha | Caixa Zero”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que se esta notícia fosse convertida em uma “Fábula Confabulada, indigna do guru Millôr Fernandes”, a moral, dentre várias, poderia vir a ser: “um peso, digo, um preso e duas medidas”. Vige!
Constatação XXIV
Rumorejando, no fim de uma conversa com amigos e/ou conhecidos, costuma pedir desculpas o que suscita, do interlocutor, admiração, pois a conversa, como não poderia de ser, se desenvolve em tom amigável e amistoso. Incontinente vem a pergunta: “Desculpas de quê? E por quê?” E a resposta vem de imediato: “Por ter te aguentado até agora”. O paradoxo da resposta induz uma boa risada, quando não uma boa gargalhada. Isso se a pessoa tiver certo grau de inteligência e tirocínio. Já, nos não tão inteligentes, a reação é de que eles fecham a cara, evidentemente sem esboçar algum sorriso, nem que seja, ao menos, um amarelo. Vige!
Constatação XXV (Quadrinha para ser recitada pelos adidos aos ministérios, no Congresso e nos demais órgãos governamentais aqui não nominados).
Ser malvisto
Ou malquisto
Não torna o político
Apocalítico.
Constatação XXVI (Quadrinha solidária por merecer pena do personagem).
Depois de sofrer uma mangação*
Pelo seu pífio e mau desempenho
Ele achou que era uma assombração
Que estava interferindo no seu empenho.
*Mangação = Escárnio: caçoada, chacota, deboche, mofa, troça, zombaria (Dicionário Houaiss – Sinônimos e Antônimos).
Constatação XXVII (Quadrinha, como uma prevenção, para ser recitada para pais que têm filhas casadoiras).
O pobre do ingênuo sogro
Caiu na conversa do genro
Que se mostrava com a filha, tenro.
E o empréstimo foi um baita logro.
Constatação XXVIII
Diz-se que a matemática
É aquilo e tá acabado.
Já a nossa gramática
Depende por quem foi falado...
Constatação XXIX
O resumo da conversação
Foi uma total empulhação.
Era promessa e mais promessa.
Adivinhe quem estava nessa.
Constatação XXX
A operação apodada Lava-Jato
Tem dado bastante o que falar.
Não se considere que houve recato
Por quem conseguiu se locupletar.
Constatação XXXI
Durante o ano inteiro
O mau-caráter trambiqueiro
Sente até pelo cheiro
Onde conseguir algum dinheiro.
Constatação XXXII (Óbvia).
Amiúde
O conteúdo
De um ataúde
Não é de um sortudo.
Constatação XXXIII
Quando a gente vê um infrator, negociando quanto irá devolver, neste mega-ultra assalto à Petrobrás, tem-se a impressão – para não dizer a certeza – de que pôr a mão no jarro passou a ser um negócio como outro qualquer. Vige!

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é volúvel; pobre, é irresolúvel.
Constatação II
Rico se destaca; pobre, desacata.
Constatação III
Rico ultrapassa; pobre ultrapassa dos limites.
Constatação IV
Rico tem lapso; pobre, só erra.
Constatação V
Mulher de rico tem aroma; de pobre, tem cheiro.
Constatação VI
Rico fala pausado; pobre é preguiçoso até no falar.
Constatação VII
Ricos colocam uma mesa, para as visitas inesperadas, de 20 pratos e dizem: “É só o que tem”; pobres, colocam uma mesa, para as visitas inesperadas, de 2 pratos (feijão com arroz) e dizem: “É tudo o que tem”.
Constatação VIII
Rico impõe; pobre, obedece.
Constatação IX
Rico tem aspirador de poeira; pobre, aspira dor de poeira.
Constatação X
Rico tem ar condicionado; pobre, no verão ou no inverno, se veste da mesma maneira.

Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DEMAIORES.
Constatação I (De um pseudo-soneto).

         Solicitude

Ela chegou toda coruscante*
Parecia até raios tempestuosos
Era um mulherão supraexcitante
E tinha olhares pundonorosos.

Não faltaram olhares libidinosos
Não havia, no momento, outro jeito.
Ela não achou os olhares inescrupulosos.
E tampouco, para com ela, falta de respeito.

A vaidade nela, como em tantas, era inegável.
Ela estava se sentindo a rainha da cocada preta
Ou talvez de todas as cocadas, é mais provável.

De repente ela levou um baita escorregão
E ao cair se machucou as coxas e a paleta.
Naquela hora, sobrou massagista de plantão.

*Coruscante =Adjetivo de dois gêneros.
1. Que corusca; fulgurante, reluzente, cintilante (Aurélio).

Constatação II
Deu no facebook, extraído da Globo: “Mulheres tem orgasmos mais intensos quando o parceiro é rico”. Para quem se interessa por matemática, Rumorejando considera que o feliz duplo evento, no caso, é diretamente proporcional...
Constatação III
E como ponderava o obcecado: “A mão boba, de boba não tem nadinha de boba”.
Constatação IV
Na constatação anterior, “e como ponderava o obcecado” se colocarmos boba em evidência, fica boba(a mão+de+não tem nadinha). Elementar, meu povo!
Constatação V
Não se pode confundir refinaria com patifaria, muito embora até a nossa Repar – Refinaria Presidente Getúlio Vargas, aqui de Araucária – Paraná, também foi alvo de patifaria naquele velho esquema de sobrepreços que, em certos países entraram na moda desde as Capitanias Hereditárias e vieram vindo até nossos dias e pelo jeito devem ter batido o recorde mundial de longevidade pela permanência todo este tempo. Vige!
Constatação VI
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Diretoria vai ter de explicar como nunca detectou desvio bilionário”. “O resultado trimestral da Petrobrás deverá ser comandado por Almir Barbassa, diretor financeiro desde 2006. Ele tem a missão de justificar aos investidores como nunca detectou o desvio das cifras bilionárias da companhia”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando questiona, respeitosamente, onde estava o corpo técnico da Petrobrás que não reagiu ao esquema de desvio de recursos?
Constatação VII
Ela era tão dependente do marido, mas tão dependente e tão acostumada de estar na sua companhia, mas tão acostumada que, quando ele finou (Rico fina; classe média falece; pobre, morre), na missa de sétimo dia, ela chegou estranhar que ele ali também não estivesse. Vige!
Constatação VIII
Diante do sucesso da delação premiada, cogita-se, em alguns setores, que seja instituído um curso, sem necessidade de se prestar algum exame para poder participar e que o mesmo passe a constar de certos tipos de currículos escolares e de outros ramos funcionais...
Constatação IX
O suborno é igual à raiz quadrada do produto da propina multiplicado pela maracutaia. Senão vejamos: Nas razões e proporções matemáticas, a propina está para o suborno, assim como o suborno está para a maracutaia. Daí é só multiplicar cruzado e tirar o valor do suborno. Elementar, minha gente!
Constatação X
Tem cidadão,
Político, ou não,
Nobre ou da plebe
Que põe a mão
No jarro
E recebe,
Da população,
A pecha,
A denominação
De ladrão
E não se avexa.
E ainda tira sarro...
Constatação XI (De um fato, narrado por um Amigo, professor, leitor de Rumorejando).
“Eu ia tranquilo, num entardecer, pela rua, naquela hora praticamente deserta, quando, na minha frente, me surge um sujeito, razoavelmente vestido, para me dizer convicto, esta frase que em nosso país se tornou tão corriqueira: ‘Isto é um assalto’. E me informar e esclarecer: ‘Me dê o dinheiro, se não lhe mato’. “Levou os únicos dez reais, que havia no meu bolso. E eu tive muita vontade de aconselhar ao meu assaltante, ‘na próxima vez diga: se não, o mato’, mas me faltou coragem”.
Constatação XII
Em 2007, deu na mídia: “Estudo avalia que Brasil perde R$ 1,5 bi por ano com corrupção”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas se o montante foi passível de aferição, porque não se determinou quem levou toda aquela grana e através da Justiça, a toda velocidade, não se fez com que os corruptos providenciassem a respectiva devolução? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIII
Em 2014, mais precisamente agora, já deu na mídia: Atualmente a corrupção pulou para 69 bilhões que somados a outras parcelas vai a 1 trilhão o estrago. Vige!
Constatação XIV
Deu na mídia, no dia 27 de maio de 2007: “A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) estuda lei sobre transparência em órgãos públicos”. Data vênia, como diriam os nossos juristas, mas, ou a Abraji aderiu ao Realismo Fantástico, ou ao esoterismo, ou, ainda, passou a acreditar, em pleno século XXI, em Papai Noel. Em 2014, a transparência dos atos do governo continua opaca. Nem ao menos translúcida. Vige!
Constatação XV
Corrupção,
De quem governa,
Sempiterna*,
Cheia de razão
Com desmando
Jamais
Em senectude**,
Ou em funerais
Até considerada
Virtude.
Eternamente
Tolerada
Tão-somente.
Até quando?
*Sempiterno = “1. Que não teve principio nem há de ter fim; eterno 2. Que dura sempre; perpétuo, contínuo. 3. Antiquíssimo”.
**Senectude = “Decrepitude, senilidade, velhice” (Aurélio).
Constatação XVI
Os vigaristas, “mensaleiros”, falcatrueiros, “maracatuieiros” têm suas razões e esquemas que até o próprio diabo desconhece e, segundo alguns, tampouco imaginaria que houvesse...
Constatação XVII
Um deputado apresentou um projeto – de transcendental importância para o futuro da Humanidade, diga-se de passagem –, proibindo que se deem nomes próprios em animais domésticos. Não ficou claro se o deputado estava atendendo uma reivindicação dos animais...
Constatação XVIII (Modéstia à parte, é claro).
Não é do conhecimento deste assim chamado escriba se a coluna Rumorejando foi lida pelos autores e atores da novela Cobras & Lagartos. Tudo leva a crer que sim, já que o personagem Foguinho, interpretado pelo ator Lázaro Ramos, lá pelas tantas, enunciou: “Vida de rico não é o que a gente sonha; pobre, não pode sonhar”.
Constatação XIX
E como comentou o obcecado após a eleição de miss bumbum 2014: “Essa eleição foi bem mais interessante e apaixonante do que a de presidente da República. A de governadores, deputados e senadores, nem falar”.
Constatação XX
Há assuntos, como na Constatação XVII, que são tão importantes do que a discussão também de transcendental para o futuro da Humanidade, como àquela que se refere se Messi é melhor do que Cristiano Ronaldo ou vice-versa. Vige!
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico faz alongamento na academia; pobre, quando se espreguiça.
Constatação II
Rico faz planejamento familiar; pobre, não tem grandes opções de lazer...
Constatação III
Rico mente para não se incomodar; pobre, pra contar vantagem.
Constatação IV
Rico sofre de hipoacusia*; pobre, de surdez (e político faz ouvidos moucos...).
*Hipoacusia = hipoacusia = “Patol. Diminuição do sentido da audição”. (Aurelião).
Constatação V
Rico fica enfermo; pobre, doente.
Constatação VI
Rico tem alento; pobre, bafo.
Constatação VII
Rico escreve; pobre, gatafunha*.
*Gatafunhar = “verbo transitivo direto e intransitivo. Fazer garatujas, rabiscos em; garatujar” (Houaiss).
Constatação VIII
Rico é patriota; pobre, é bairrista.
Constatação IX
Rico faz charminho; pobre, c. doce.
Constatação X
Rico é favorável à evangelização; pobre, à refeição.

FÁBULA CONFABULADA (INDIGNA DO GURU MILLÔR).
Em Hong Kong, antiga colônia inglesa, hoje pertencente à República Popular da China, viviam dois casais muito amigos. Eles, She Mah Zel e Hey Zah Leh, sócios de uma empresa altamente rentável e elas, Seh Dah Che e Shtek Nud Nyk, amigas desde a infância que mantiveram a amizade depois de casadas. Os casais sempre estavam juntos, frequentando bons hotéis e restaurantes, não somente por gostarem do bom e do melhor, como também pelo relacionamento com altos executivos de multinacionais, herança dos
tradicionais colonizadores ingleses.
O relacionamento entre os casais pode-se afirmar era muito próximo. Tão próximo que um dia She Mah Zel convidou Seh Dah Che, a mulher de Hey Zah Leh, para irem a um motel. Claro que havia razão para isso, já que ele se sentiu encorajado, mercê dos olhares que ela lhe havia lançado. Claro, longe de outros olhares. Foram no carro dela. Com dissimulo – óculos escuros, peruca, pulôver gola rulê, desenrolado, tapando parte do rosto – ela manobrou o carro quando adentraram no motel. She Mah Zel, também usando óculos escuros, se apressou em fechar a porta da garagem para que ninguém os visse. Ficou a placa aparecendo porque a porta era daquela que não tapava tudo. Aí, ele colocou um papelão sobre a placa para escondê-la. Olhou para fora porque escutou um ronco conhecido. Era do carro de sua mulher, Shtek Nud Nyk. Espiou sem ser visto. Ela vinha com o seu sócio, Hey Zah Leh. “Filhos da mãe!”, disse – educadamente, é bom que se diga – para a parceira. “Minha mulher e teu marido tão chegando. Nunca imaginei que ela me pusesse um par de cornos”.
“Não faz mal. Não tem importância”, ela replicou serena e com elegância. “Tanto Hey Zah Leh, quanto você, sempre foram adeptos do swing, evidentemente, nos outros; das prevaricações, também, desde que nós, as ditas esposas, não participássemos e nos mantivéssemos castas e fiéis. E, efetivamente, nós duas é que nunca topamos os assédios, convites, alusões, cantadas e indiretas, embora todas essas nunca faltassem. Pelo menos, foi o que sempre a tua mulher me falou, o que coincide com o que me sucede. Agora, pelo jeito, nós duas mudamos de ideia. Tomara que eles fiquem numa boa, como eu espero que nós possamos também ficar”.
Moral I: Às vezes, há que se conformar em dançar conforme a música seja swing, foxtrote ou qualquer outro ritmo ainda que não seja do nosso gosto.
Moral II: A troca de casais, não necessariamente consentida, às vezes, pode parecer imoral ou que dê a pecha a todos, ou alguns dos participantes, de cornudos.
Moral III: Segundo boas almas, é muito bom ficar numa boa.


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Déficit educacional no País, dificulta saída da pobreza”. Alguma dúvida – crucial, ou não –, prezado leitor?
Constatação II
O Papa Bento XVI disse, quando da sua visita ao Brasil, que “Evangelização da América foi encontro, não imposição”. Sobre as afirmações dos evangelistas que os índios não tinham alma e não era pecado fazer o que os colonizadores fizeram com eles nada foi dito pelo então líder maior da Igreja.
Constatação III (De tentativas de diálogos esclarecedores entre grandes amigos).
-“Eu estive na festa de Beltrana e vi quando você entrou, acompanhado de tua mulher. Só que eu sempre te vi nessas festas entrando com ela de mãos dadas ou de braços dados e estranhei que nem bem lado a lado vocês estavam. Haviam brigado?”
-“Não! Dessa vez, não. Acontece que, com a entrada dela na idade crítica, ela começou a se comportar, digamos, de maneira estranha, não aceitando meus abraços, beijos; sexo, nem falar. Ela fechou a loja”.
-“Ah, bom... Quer dizer, ah ruim... Quer dizer... Loja?!”
Constatação IV
“País vai recuperar R$ 500 milhões com delações na Lava Jato diz força tarefa”. Dúvida crucial de Rumorejando: E os mais dos outros 500 milhões como é que fica? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
E já que falamos no assunto, por que será que nunca acontece nada para as empreiteiras por que já faz tempo que, como entidade corruptora eles continuam lépidos e graciosos. Será por que eles representam a galinha dos ovos de ouro? Quem souber, etc. Obrigado, novamente.
Constatação VI
E ainda sobre o assunto. O ex-diretor da Petrobrás, no esquema da delação premiada, juntamente com o doleiro, deram a relação completa de quem recebeu propina e o respectivo valor. Evidentemente, a negativa dos apontados foi intensa. Este fato faz lembrar a história, já contada por este assim chamado escriba em algum Rumorejando anterior: A polícia, em altas horas da noite aborda um cidadão andando pela rua, carregando um porco: “Onde você está levando este porco?” pergunta o policial. “Porco? Que porco?” “Este aí que está nas tuas costas e ombro”. “É mesmo. Nem reparei. Xô porco. Sai daí”...
Constatação VII (De uma dúvida crucial).
Por que será que a grande parte dos políticos brasileiros é ou se tornam figuras abjetas?
Nota: Mesmo achando que é pela própria condição do povo brasileiro – que Rumorejando não concorda – favor mencionar alguma outra que o caro leitor achar.
Constatação VIII
Rumorejando toma a liberdade e – por que não dizer – ousadia de sugerir à Globo que mude o horário das novelas para mais tarde e os jogos de futebol começassem mais cedo. Com isso, haveria dupla ou mais vantagens: nos dias de jogo os torcedores iriam para casa mais cedo e deixariam de ver o famigerado Jornal Nacional o que faria as pessoas se sentirem mais felizes, mesmo que o seu deles – time tenha perdido. De nada!
Constatação IX (De uma dúvida, não necessariamente crucial).
Foi o seno
Que havia falado
Que se ele e o co-seno
Fossem elevados
Ao quadrado,
E devidamente
Somados
Algo tão comum,
Atualmente,
Ficariam eternamente
Como um?
Constatação X
Não se pode confundir casca grossa que, segundo o Aurelião, “Diz-se de, ou pessoa grosseira, mal-educada, rude, ordinária” com Cascadura, bairro do Rio de Janeiro,
muito embora nada impeça que haja casca grossa morando em Cascadura ou alhures. 
A recíproca é como é e tá acabado (maneira de encerrar a “constatação” quando o autor não sabe se a recíproca é verdadeira ou não. Perdão, leitores).
Constatação XI (Quadrinha para ser recitada na rampa do Planalto, desde que a guarda o permita, é claro).
Sua Excelência, Senhora Presidente
O prazo para ser atendido pelo SUS
É tão demorado e inconveniente
Que é melhor se tratar com uca* e mentruz.
*Uca = Aguardente de cana; cachaça.
Constatação XII
O amigo Sérgio Antunes de Freitas, de Brasília, colocou, no dia 20-05-2007, em seu site, http://www.reforme.com.br/kitnet/, que lamentavelmente atualmente está hibernando, onde também costumava prestigiar este locutor que vos fala, digo, digita: “Um aluno intitulou Resumo a conclusão de seu trabalho. Nele, ao ler tantas evasivas e indefinições de opiniões (dos tipos "eu, enquanto ser pensante, acho..." ou "até que ponto..."), o professor colocou uma letra P antes do título”. Taí mais um exemplo, dentre vários, que Rumorejando costuma publicar, que não se deve confundir resumo com presumo...
Constatação XIII
O seu nariz
Tinha um matiz
Como ela sempre quis:
Cor de anis,
Quase por um triz,
Tendendo pro gris
E cheio de verniz.
E, da questão, o xis
É que por esses brasis,
E em um ou outro país
Quando espirram em S. Luis,
Com tal nariz e tal força motriz,
Se escuta até em Assis,
Pois soam como fuzis.
Constatação XIV (Quadrinha em homenagem a Celly Campello e aos que se lembram da canção).
Ela, vestida de astracã,
Aí, eu fiquei menos sua fã.
Preferia, ela, totalmente nua,
Tomando um banho de lua.
Constatação XV (Dupla quadrinha sobre determinadas patologias).
No consultório,
Ele chegou sem ajutório
Foi pagar a consulta
Parecia uma baita multa.
Saiu tonto, inda mais doente,
Como se tivesse tomado
Barris de aguardente.
Coitado!
Constatação XVI (De uma dúvida crucial. Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado).
Saldos de verão,
Saldos de inverno
Preços de ocasião.
O que faz nossa leitora
Assaz consumidora,
Que as lojas paquera?
Se for eterno,
Como o sono,
Tanto no outono
Como a primavera
Cada saldo.
Será que eu me esbaldo
Comprando todo o estoque
Sem que o meu marido
Fique comovido
Por mim compadecido
Sem levar um choque?
Constatação XVII (A saída? Onde fica a saída?)
A chamada Esquerda, no mundo, ficou facciosa; a chamada Direita, como sempre, pavorosa. O Centro, eternamente, em cima do muro. Pobre de nós!
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada pelos torcedores do Paraná e do Botafogo que são os de este assim chamado escriba).
Estar nos estertores da queda
Para o Brasileirão Cê e Bê
A gente entristece e se apieda
Mas logo se consola: Fazer o quê?
Constatação XIX (Quadrinha para ser recitada cada vez que quiser recordar um fato alegre).
Ela veio com um perfume tão inebriante
Que eu fiquei até meio zonzo, cambaleante.
Mas tudo isso foi somente por um instante.
Tirou a roupa. E eu, um eterno expectante...
Constatação XX
Não se pode confundir atino, do verbo atinar*, com átimo**, até por que se alguém estiver mexendo no teu bolso no metrô, no ônibus, no trem, no bonde, no barco e você não se der conta, há o risco de que, num átimo, você tenha a tua carteira surrupiada. Portanto trate de usar a carteira amarrada em uma pochete*** que quem viaja costuma pendurar no pescoço e usar junto ao corpo não a vista das pessoas por razões óbvias. De nada!
*Atinar = [De a-2 + tino1 + -ar2.]
Verbo transitivo direto.
1. Descobrir pelo tino, pelo raciocínio, por conjetura ou por indício; acertar com; dar com; achar: Atinou desde cedo a vocação do filho.
2. Dar tino de; notar, compreender: Pelo comportamento da moça atinou que ela o amava.
Verbo transitivo indireto.
3. Descobrir pelo tino, pelo raciocínio, por conjetura ou por indício; acertar, encontrar:
“Cismou algum tempo no caso; mas, como não atinava a deduzir daí uma ilação razoável, não pensou mais nisso.” (Alexandre Herculano, O Monge de Cister, II, p. 141.)
4. Dirigir-se, encaminhar-se, seguindo algum indício ou conjetura.
5. Lembrar-se de, acertar (com uma coisa que escapara da memória):
“Como eu invejo os que não esqueceram a cor das primeiras calças que vestiram! Eu não atino com a das que enfiei ontem.” (Machado de Assis, Dom Casmurro, p. 476.)
6. Encontrar, acertar, dar:
Não atinou com a entrada.
7. Atentar, reparar:
Lamento que você não atine para a importância deste trabalho.
Verbo intransitivo.
8. Dar com o que se procura; acertar. (Aurélio).
** Átimo = Substantivo masculino.
1. Bras. Instante; momento.
Num átimo. 1. Bras. Em curto espaço de tempo; num abrir e fechar de olhos.
***Pochete = Substantivo feminino.
1. Bolsa pequena que se leva a tiracolo ou presa a cinto (Aurélio).
Constatação XXI (Vige! Já somos mais de 7 bilhões de terráqueos).
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Polícia mata 6 por dia no Brasil”. O texto do jornal da família Mesquita não faz menção se tais mortes foram previstas pela Lei de Thomas Malthus. De acordo com a Wikipédia ele “dizia que a população crescia em progressão algébrica (exponencial), enquanto que a produção de alimentos crescia em progressão aritmética”. “Profecias malthusianas previam fome no mundo em virtude desse crescimento”. A superpopulação ficaria então sem controle até que surjam predadores que façam esse controle externo ou se os predadores e parasitas (doenças) não aparecerem, o descontrole continua até que acabe o alimento disponível no ambiente, gerando competição intraespecífica e controle populacional por fome.
“No caso da população humana esse controle vem sendo feito com guerras, doenças e miséria (O grifo é de Rumorejando)”. “Nossa população está em explosão demográfica desde a revolução francesa, que começou na Inglaterra no século XVII por volta de 1780”.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é previdente; pobre mete os pés pelas mãos.
Constatação II
Rico é irônico; pobre, é venenoso.
Constatação III
Rico é empreendedor; pobre, é aventureiro.
Constatação IV
Rico (a) tem a barriga chapada; pobre, tem barriga d´água.
Constatação V
Rico anda de BWM; pobre em coletivos que já estão numa eme.
Constatação VI
Rico tem parente no exterior que, quando faz visita traz presentes pra família caros; pobre, tem parente que só aparece na hora do almoço ou do jantar.
Constatação VII
Rico é adepto do “dá cá toma lá”; pobre, só toma lá...
Constatação VIII
Rico (a) não se preocupa em equilibrar as contas; pobre é um desequilibrado.
Constatação IX
Rico passa uma temporada no exterior, em país de língua inglesa, para enfrentar o vestibular; pobre, faz o Enem.
Constatação X
Rico faz conta de cabeça; pobre, faz de conta que faz conta.