quarta-feira, 12 de novembro de 2014

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Déficit educacional no País, dificulta saída da pobreza”. Alguma dúvida – crucial, ou não –, prezado leitor?
Constatação II
O Papa Bento XVI disse, quando da sua visita ao Brasil, que “Evangelização da América foi encontro, não imposição”. Sobre as afirmações dos evangelistas que os índios não tinham alma e não era pecado fazer o que os colonizadores fizeram com eles nada foi dito pelo então líder maior da Igreja.
Constatação III (De tentativas de diálogos esclarecedores entre grandes amigos).
-“Eu estive na festa de Beltrana e vi quando você entrou, acompanhado de tua mulher. Só que eu sempre te vi nessas festas entrando com ela de mãos dadas ou de braços dados e estranhei que nem bem lado a lado vocês estavam. Haviam brigado?”
-“Não! Dessa vez, não. Acontece que, com a entrada dela na idade crítica, ela começou a se comportar, digamos, de maneira estranha, não aceitando meus abraços, beijos; sexo, nem falar. Ela fechou a loja”.
-“Ah, bom... Quer dizer, ah ruim... Quer dizer... Loja?!”
Constatação IV
“País vai recuperar R$ 500 milhões com delações na Lava Jato diz força tarefa”. Dúvida crucial de Rumorejando: E os mais dos outros 500 milhões como é que fica? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
E já que falamos no assunto, por que será que nunca acontece nada para as empreiteiras por que já faz tempo que, como entidade corruptora eles continuam lépidos e graciosos. Será por que eles representam a galinha dos ovos de ouro? Quem souber, etc. Obrigado, novamente.
Constatação VI
E ainda sobre o assunto. O ex-diretor da Petrobrás, no esquema da delação premiada, juntamente com o doleiro, deram a relação completa de quem recebeu propina e o respectivo valor. Evidentemente, a negativa dos apontados foi intensa. Este fato faz lembrar a história, já contada por este assim chamado escriba em algum Rumorejando anterior: A polícia, em altas horas da noite aborda um cidadão andando pela rua, carregando um porco: “Onde você está levando este porco?” pergunta o policial. “Porco? Que porco?” “Este aí que está nas tuas costas e ombro”. “É mesmo. Nem reparei. Xô porco. Sai daí”...
Constatação VII (De uma dúvida crucial).
Por que será que a grande parte dos políticos brasileiros é ou se tornam figuras abjetas?
Nota: Mesmo achando que é pela própria condição do povo brasileiro – que Rumorejando não concorda – favor mencionar alguma outra que o caro leitor achar.
Constatação VIII
Rumorejando toma a liberdade e – por que não dizer – ousadia de sugerir à Globo que mude o horário das novelas para mais tarde e os jogos de futebol começassem mais cedo. Com isso, haveria dupla ou mais vantagens: nos dias de jogo os torcedores iriam para casa mais cedo e deixariam de ver o famigerado Jornal Nacional o que faria as pessoas se sentirem mais felizes, mesmo que o seu deles – time tenha perdido. De nada!
Constatação IX (De uma dúvida, não necessariamente crucial).
Foi o seno
Que havia falado
Que se ele e o co-seno
Fossem elevados
Ao quadrado,
E devidamente
Somados
Algo tão comum,
Atualmente,
Ficariam eternamente
Como um?
Constatação X
Não se pode confundir casca grossa que, segundo o Aurelião, “Diz-se de, ou pessoa grosseira, mal-educada, rude, ordinária” com Cascadura, bairro do Rio de Janeiro,
muito embora nada impeça que haja casca grossa morando em Cascadura ou alhures. 
A recíproca é como é e tá acabado (maneira de encerrar a “constatação” quando o autor não sabe se a recíproca é verdadeira ou não. Perdão, leitores).
Constatação XI (Quadrinha para ser recitada na rampa do Planalto, desde que a guarda o permita, é claro).
Sua Excelência, Senhora Presidente
O prazo para ser atendido pelo SUS
É tão demorado e inconveniente
Que é melhor se tratar com uca* e mentruz.
*Uca = Aguardente de cana; cachaça.
Constatação XII
O amigo Sérgio Antunes de Freitas, de Brasília, colocou, no dia 20-05-2007, em seu site, http://www.reforme.com.br/kitnet/, que lamentavelmente atualmente está hibernando, onde também costumava prestigiar este locutor que vos fala, digo, digita: “Um aluno intitulou Resumo a conclusão de seu trabalho. Nele, ao ler tantas evasivas e indefinições de opiniões (dos tipos "eu, enquanto ser pensante, acho..." ou "até que ponto..."), o professor colocou uma letra P antes do título”. Taí mais um exemplo, dentre vários, que Rumorejando costuma publicar, que não se deve confundir resumo com presumo...
Constatação XIII
O seu nariz
Tinha um matiz
Como ela sempre quis:
Cor de anis,
Quase por um triz,
Tendendo pro gris
E cheio de verniz.
E, da questão, o xis
É que por esses brasis,
E em um ou outro país
Quando espirram em S. Luis,
Com tal nariz e tal força motriz,
Se escuta até em Assis,
Pois soam como fuzis.
Constatação XIV (Quadrinha em homenagem a Celly Campello e aos que se lembram da canção).
Ela, vestida de astracã,
Aí, eu fiquei menos sua fã.
Preferia, ela, totalmente nua,
Tomando um banho de lua.
Constatação XV (Dupla quadrinha sobre determinadas patologias).
No consultório,
Ele chegou sem ajutório
Foi pagar a consulta
Parecia uma baita multa.
Saiu tonto, inda mais doente,
Como se tivesse tomado
Barris de aguardente.
Coitado!
Constatação XVI (De uma dúvida crucial. Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado).
Saldos de verão,
Saldos de inverno
Preços de ocasião.
O que faz nossa leitora
Assaz consumidora,
Que as lojas paquera?
Se for eterno,
Como o sono,
Tanto no outono
Como a primavera
Cada saldo.
Será que eu me esbaldo
Comprando todo o estoque
Sem que o meu marido
Fique comovido
Por mim compadecido
Sem levar um choque?
Constatação XVII (A saída? Onde fica a saída?)
A chamada Esquerda, no mundo, ficou facciosa; a chamada Direita, como sempre, pavorosa. O Centro, eternamente, em cima do muro. Pobre de nós!
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada pelos torcedores do Paraná e do Botafogo que são os de este assim chamado escriba).
Estar nos estertores da queda
Para o Brasileirão Cê e Bê
A gente entristece e se apieda
Mas logo se consola: Fazer o quê?
Constatação XIX (Quadrinha para ser recitada cada vez que quiser recordar um fato alegre).
Ela veio com um perfume tão inebriante
Que eu fiquei até meio zonzo, cambaleante.
Mas tudo isso foi somente por um instante.
Tirou a roupa. E eu, um eterno expectante...
Constatação XX
Não se pode confundir atino, do verbo atinar*, com átimo**, até por que se alguém estiver mexendo no teu bolso no metrô, no ônibus, no trem, no bonde, no barco e você não se der conta, há o risco de que, num átimo, você tenha a tua carteira surrupiada. Portanto trate de usar a carteira amarrada em uma pochete*** que quem viaja costuma pendurar no pescoço e usar junto ao corpo não a vista das pessoas por razões óbvias. De nada!
*Atinar = [De a-2 + tino1 + -ar2.]
Verbo transitivo direto.
1. Descobrir pelo tino, pelo raciocínio, por conjetura ou por indício; acertar com; dar com; achar: Atinou desde cedo a vocação do filho.
2. Dar tino de; notar, compreender: Pelo comportamento da moça atinou que ela o amava.
Verbo transitivo indireto.
3. Descobrir pelo tino, pelo raciocínio, por conjetura ou por indício; acertar, encontrar:
“Cismou algum tempo no caso; mas, como não atinava a deduzir daí uma ilação razoável, não pensou mais nisso.” (Alexandre Herculano, O Monge de Cister, II, p. 141.)
4. Dirigir-se, encaminhar-se, seguindo algum indício ou conjetura.
5. Lembrar-se de, acertar (com uma coisa que escapara da memória):
“Como eu invejo os que não esqueceram a cor das primeiras calças que vestiram! Eu não atino com a das que enfiei ontem.” (Machado de Assis, Dom Casmurro, p. 476.)
6. Encontrar, acertar, dar:
Não atinou com a entrada.
7. Atentar, reparar:
Lamento que você não atine para a importância deste trabalho.
Verbo intransitivo.
8. Dar com o que se procura; acertar. (Aurélio).
** Átimo = Substantivo masculino.
1. Bras. Instante; momento.
Num átimo. 1. Bras. Em curto espaço de tempo; num abrir e fechar de olhos.
***Pochete = Substantivo feminino.
1. Bolsa pequena que se leva a tiracolo ou presa a cinto (Aurélio).
Constatação XXI (Vige! Já somos mais de 7 bilhões de terráqueos).
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Polícia mata 6 por dia no Brasil”. O texto do jornal da família Mesquita não faz menção se tais mortes foram previstas pela Lei de Thomas Malthus. De acordo com a Wikipédia ele “dizia que a população crescia em progressão algébrica (exponencial), enquanto que a produção de alimentos crescia em progressão aritmética”. “Profecias malthusianas previam fome no mundo em virtude desse crescimento”. A superpopulação ficaria então sem controle até que surjam predadores que façam esse controle externo ou se os predadores e parasitas (doenças) não aparecerem, o descontrole continua até que acabe o alimento disponível no ambiente, gerando competição intraespecífica e controle populacional por fome.
“No caso da população humana esse controle vem sendo feito com guerras, doenças e miséria (O grifo é de Rumorejando)”. “Nossa população está em explosão demográfica desde a revolução francesa, que começou na Inglaterra no século XVII por volta de 1780”.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é previdente; pobre mete os pés pelas mãos.
Constatação II
Rico é irônico; pobre, é venenoso.
Constatação III
Rico é empreendedor; pobre, é aventureiro.
Constatação IV
Rico (a) tem a barriga chapada; pobre, tem barriga d´água.
Constatação V
Rico anda de BWM; pobre em coletivos que já estão numa eme.
Constatação VI
Rico tem parente no exterior que, quando faz visita traz presentes pra família caros; pobre, tem parente que só aparece na hora do almoço ou do jantar.
Constatação VII
Rico é adepto do “dá cá toma lá”; pobre, só toma lá...
Constatação VIII
Rico (a) não se preocupa em equilibrar as contas; pobre é um desequilibrado.
Constatação IX
Rico passa uma temporada no exterior, em país de língua inglesa, para enfrentar o vestibular; pobre, faz o Enem.
Constatação X
Rico faz conta de cabeça; pobre, faz de conta que faz conta.
          

Nenhum comentário: