quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES. 
Constatação I
E como elucubrava o obcecado: “Tendo em vista que a maioria não sabe quais são os pontos erógenos das pessoas, não têm noção de anatomia da sua parceira e elas do seu parceiro, faz-se necessário que eu inaugure o ineditismo de um Curso de Bolinagem para ambos os sexos. Para elas, desde que assim o desejem, com aulas práticas”.
Constatação II (De uma dúvida assaz crucial).
Se presidente, no feminino, pode ser presidenta, matrona, no masculino, pode ser matrono? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação III (De outra dúvida crucial).
Quando dizem que o rei está sentado no trono, isso quer dizer exatamente o quê? Quem puder aclarar, por favor, comentários no blog. Mais uma vez, obrigado.
Constatação IV
Não se pode confundir opíparo que o dicionário Aurélio dá como “Adjetivo. Esplêndido, pomposo, suntuoso, faustoso, lauto”, com ovíparo que o mesmo dicionário assinala como “Adjetivo. Substantivo masculino. “Zool. Diz-se de, ou animal que põe ovos, que se reproduz por meio de ovos”, ainda que a gente possa comer um opíparo almoço ou jantar a base de omeletes e também a base de determinadas aves. Não é o caso deste assim chamado escriba, tendo em vista ser vegetariano, notícia esta que, por sua vez, é de transcendental importância para o futuro da Humanidade...
Constatação V
Não se pode confundir treta que o dicionário Aurélio dá como “Substantivo feminino.
Ardil, estratagema” com tetra que é o que o Brasil alcançou na Copa do Mundo e o almejado hexa, como é sobejamente sabido, não aconteceu nem na base de treta como aconteceu contra a Coréia com o auxilio do juiz, que entrou para a história, deu para ir muito longe, mormente em um placar que também entrou para a história no jogo contra a Alemanha que viria ser a campeã. Vige!
Constatação VI
O que acontece no BBB 15, à semelhança dos anteriores, também é de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Entretanto, é muito educativo, dependendo de quê...
Constatação VII
Pergunta aos três Poderes da República no âmbito federal, no estadual e no municipal: O que é que vocês não estão fazendo no momento?
Constatação VIII
Apelidou a mulher de Heca. Aos amigos explicou que era para pronunciar de modo aspirado o H, por isso se deveria escrever com H. Somente, para despistar. E o restante, eca, era o feminino de eco porque é ele, o eco, que sempre tem a última palavra...
Constatação IX
Foi o chefe dos símios que, numa assembleia geral para tratar de assuntos concernentes ao meio ambiente, ao abrir a reunião se dirigiu aos presentes conclamando: “Vamos chamar a atenção dos ditos animais racionais que de racionais não têm nada?” Eles costumam dizer, fazendo troça, que nós e alguns deles mesmos fazemos macaquices. Substantivos pejorativos, ou não, mas a verdade é eles estão destruindo a natureza e consequentemente a flora e fauna, nosso habitat. Na verdade, eles estão fazendo o que sempre fizeram. Vejam: Nós, eles dizem, que costumamos fazer macaquices. Mas nós não fazemos mal a ninguém. “Eles, ao contrário, estão fazendo humanices”. “Até quando?”
Constatação X
Os leitores e leitoras já se deram conta de como os governantes, com a maior desfaçatez, dizem qualquer coisa para explicar e/ou justificar os fatos, como por exemplo, “os apagões”, “a falta de água”, “falta de investimentos em infraestrutura”, “no segundo semestre a economia deverá melhorar”, “a gasolina não vai subir”, “vamos combater a inflação” e por aí afora? Data vênia, como diria nossos juristas, mas Rumorejando acha que a mentira, para eles, se tornou tão corriqueira e eles não só subestimam a inteligência alheia, como estão às tintas para o que o povo acha. VIGE!!!
Constatação XI
Deu na mídia: “O ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, delator da Lava Jato, afirmou à Polícia Federal que a compra da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, pode ter envolvido uma propina de US$ 20 milhões a US$ 30 milhões - valor supostamente pago pela Astra Oil, antiga dona, ao ex-diretor de Internacional da estatal Nestor Cerveró e ao lobista Fernando Antonio Falcão Soares, Fernando Baiano, braços do PMDB no esquema”. “Havia boatos na empresa de que o grupo de Nestor Cerveró, incluindo o PMDB e Fernando Baiano, teria dividido algo entre vinte e trinta milhões de dólares, recebidos provavelmente da Astra". Comentário de Rumorejando: “Provavelmente, ou melhor, evidentemente, Vige!!!”
Constatação XII (De uma sextilha para ver se a cidadã se manca e volta a ficar rechonchuda. Coitada!).
Depois que deixou
De tomar sorvete,
A gorduchona ficou
Um tanto magrete
Foi alvo de motete*
Aí, se emburrou.
*Motete = 1. Dito engraçado ou satírico.
2. Mús. Composição polifônica, de caráter religioso ou profano, a várias vozes (a capela ou com acompanhamento instrumental), e cada uma com ritmo e texto próprios.
3. Mús. P. ext. Qualquer composição poética para ser cantada com música. [Sin. de 2 e 3: moteto.] (Aurélio).
Constatação XIII (De uma dúvida apavorante).
Deu na mídia, mais precisamente na MSN Brasil: “O país registrou déficit em transações correntes de 10,317 bilhões de dólares em dezembro, informou o Banco Central nesta sexta-feira, acumulando no ano rombo recorde de 90,948 bilhões de dólares, ou 4,17 por cento do Produto Interno Bruto (PIB)”. Data vênia, como diria nossos juristas, mas será que a corrupção em todos os estados, municípios, nos três Poderes da República não supera em muito tal número? Quem souber a resposta, através de medição em algum corruptômetro, ou outro meio, por favor, comentários no blog para saciar a curiosidade – segundo alguns, aparentemente malsã – dos nossos prezados leitores. Obrigado.
Constatação XIV
Costuma-se dizer que o Brasil começa a trabalhar somente depois do carnaval. Do jeito que tem sido dado a ver, já se passaram muitos carnavais e o governo, até agora, não se fez presente. Tampouco mostrou e faz mistério para que tanto ministério. A impressão que se tem é que o país vai efetivamente começar a executar sua missão depois do carnaval. A dúvida que fica é que não se sabe exatamente em qual ano...
Constatação XV
Muito embora soem foneticamente da mesma maneira, não se pode confundir mal versar (pôr em verso; versejar [Aurélio]) com malversar (administrar mal; fazer subtrações ou desvios abusivos de; dilapidar [Aurélio]), muito embora as operações de malversar, detectadas – por exemplo, apenas para citar um – no Lava Jato pode-se mal versar e serem recitadas como, por exemplo, na quadrinha a seguir:
Mesmo pegando cadeia
Fiz um excelente negócio
Pois eu não sou beócio*
Não ficar de mão-cheia**
*Beócio = 2. Fig. Curto de inteligência; ignorante, boçal. 3.Fig. Simplório, ingênuo (Aurélio).
**De mão-cheia = “Ótimo, excelente; de encher as medidas” (Aurélio).
Constatação XVI
Deu na mídia e foi transcrita no facebook: “Uma pesquisa mostrou que as pessoas mais ricas preferem que o papel higiênico venha da parte de cima do rolo. Consequentemente, aquelas que têm salários menores costumam posicionar o rolo para que o papel venha da parte debaixo”. Taí uma pesquisa de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
Constatação XVII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Lula exalta integração em festa boliviana em São Paulo. Ex-presidente afirma que, enquanto o PT governar o País, boliviano será tratado como brasileiro”. Data vênia, como diria nossos juristas, mas Rumorejando nunca ficou sabendo que o ex-presidente tinha algo contra os bolivianos...
Constatação XVIII
Ele insistiu com ela para irem a um motel
Com argumento tal que parecia catequese.
Chegando lá, porém que feio e ridículo papel!
“Esse desempenho, é de quem viaja na maionese”.
Constatação XIX
O governo brasileiro ficou sofisticado. Ao invés de anteriormente apenas fazer tolice, ele agora também faz parvoíce*. Vige!
*Parvoíce = Substantivo feminino.
1. Ato, dito ou escrito de parvo; parvalhice, parvoeira, parvoiçada, parvulez.
2. Qualidade ou estado de parvo; parvidade, parvoeira, parvulez.
3. V. demência (2) (Aurélio).
Constatação XX
Não se pode confundir afetivo com efetivo, muito embora tenha político que pretende ser afetivo, quando arruma um emprego no governo para uma amante, aliviando a despesa dele por transferir para a “viúva”, que aí somos nós todos que pagamos. Normalmente esse tipo emprego não exige muito esforço de quem dele desfruta e se encontra no rol dos que se intitulam como efetivo. E viva “nóis”!!!
Constatação XXI (Quadrinha infantil para ser recitada agora no início das aulas, mormente por quem vai ser alfabetizado).
Começar pelo bê-á-bá
E quanto é dois mais dois,
Mais importante não há,
Nem pode deixar pra depois.
Constatação XXII (Quadrinha para ser recitada em reunião do Mercosul sem ser machista).
As atuais mulheres na presidência
Do Brasil e dos hermanos, da Argentina,
Viraram uma execrável indecência
Que não se cura nem com penicilina.
Constatação XXIII (Relembrando as tragédias da História do Brasil).
Lágrimas de crocodilo
A oposição derramou
Quando Jânio se evaporou,
Dizendo: “Fi-lo porque qui-lo”.
Constatação XXIV (Quadrinha, não otimista nem pessimista, apenas realista, para ser recitada em certos países).
Em uma previsão astrológica
Disseram que tudo ia melhorar
No fim, como sempre, deu a lógica:
Não é que ainda conseguiu piorar?

RICOS & POBRES
Constatação I 
Rico faz charminho; pobre, c. doce.
Constatação II
Rico só conversa agradavelmente; pobre, só papo furado.
Constatação III
O relacionamento de um casal rico é um chocolate de um doce cacau; de casal pobre, é um quebra-pau.
Constatação IV
Casal rico jamais discute; casal pobre vive de mal.
Constatação V
Rico é patriota; pobre é só derrota.
Constatação VI
Rico é um desbravador; pobre, um demolidor.
Constatação VII
Rico preserva a natureza; pobre não faz parte dela.
Constatação VIII
Rico detém o poder; pobre, só fica no querer.
Constatação IX
Rico dá exemplo de bem viver; pobre, de mal morrer.
Constatação X
Rico é sincero; pobre só conta deslavada mentira.

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Site: www.rimasprimas.com.br

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES. 
Constatação I
Quando se envelhece, ao invés de existirem os conhecidos três estados físicos que se encontram na natureza, isto é, o sólido, líquido e gasoso, surge um quarto: o borrachudo...
Constatação II
No rock and roll o instrumento que mais se destaca é o da percussão. Data vênia, como diria nossos juristas, mas Rumorejando acha que se destaca em detrimento da harmonia. Tenho, opinativamente, dito.
Constatação III (De uma dúvida crucial).
A fragilidade da brasilidade* é uma necedade**?
*Brasilidade = Substantivo feminino. Bras.
1. Propriedade distintiva do brasileiro e do Brasil.
2. Brasileirismo (5). (Aurélio).
**Necedade = Substantivo feminino.
1. Ignorância crassa; estupidez, inépcia.
2. Disparate, dislate, tolice. [Sin. ger.: nescidade.] (Aurélio).
Constatação IV
E como elucubrava aquele cinéfilo, amante de filmes de aventura e um obcecado inveterado: “Ah, se aquela vizinha que aparece nua na janela do seu apartamento topasse, eu, imitando os heróis do cinema, como, por exemplo, o Harrison Ford, nos filmes Indiana Jones dava-lhe uma saraivada e uma surra de beijos, umas chibatadas de língua, faria cócegas com a minha barba e bigode e, ainda, uma massageada com... Deixa pra lá!
Constatação V
E como elucubrava aquele outro obcecado – nada a ver com o anterior –, citando seu guru Karkl Marx: “De cada um, de acordo com a sua capacidade; a cada um de acordo com a sua necessidade”.
Constatação VI (De uma dúvida crucial, via pseudo-haicai).
Foi o pobre do marreco,
Quando viu, com o ganso, a marreca,
Quase teve um treco?
Constatação VII
Não se pode confundir conivência com conveniência, até porque não há conivência com toda essa conveniência que nos tem sido dada a ver pelos pais da pátria e por tantos outros que deixamos de mencionar pela restrição de espaço no blog. Pela mesma razão, deixamos de mencionar quanto à recíproca, pelo que pedimos sinceras escusas aos nossos prezados leitores.
Constatação VIII (De outra dúvida crucial).
Quando a amante começa a ter atitudes maternais para o lado do parceiro, o cidadão tem que cessar, ou mudar o relacionamento para não cometer incesto? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog, justificando suas razões, para podermos esclarecer aos nossos milhares de leitores. Obrigado.
Constatação IX (De uma quadrinha como conselho útil. De nada!).
Agradeça quem te previne:
Algum sarilho, algum empecilho?
Não esquente, não se amofine.
Escute o mestre Altamiro Carrilho.
Constatação X (De uma terceira dúvida crucial, entre tantas mais, de um brasileiro cordial. Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado).
Quando a gente,
Tá no fundo do poço
Anuente,
Ciente,
Sabedor
Que vai ter
Que roer
Um osso,
Vira reivindicador,
Contestador,
Arma um quiproquó
Do que tá vigente?
Ou fica condizente,
Mesmo inconformado,
Penalizado
Com o status quo?
Constatação XI
Este negócio das assim chamadas autoridades constituídas de reagirem grosseiramente, em algum ato público, com os protestos da população, ou quando alguém diz ao infrator no trânsito que “ele não e Deus para fazer o que quiser” e que se tem assistido, ao longo dos anos, as barbaridades que tem indefinidamente acontecido nos três poderes da República é, de alguma forma, a ressurreição, dentre outros, do “Você sabe com quem tá falando”. Estas retro ditas autoridades, com sua reação, se julgam estarem acima do bem e do mal e que, data vênia, como diriam nossos juristas, bem mereceriam a resposta: “Sei sim com quem estou falando. E que fique bem claro: grande m.”
Constatação XII (De uma quarta dúvida crucial. Vige!).
Quando a amante tem ímpetos não libidinais para o lado do parceiro, o cidadão tem que cessar, ou mudar o relacionamento? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog, justificando suas razões, para podermos, como já foi dito anteriormente, esclarecer aos nossos milhares de leitores, obcecados ou não. Obrigado.
Constatação XIII
Depois das eternas partidas,
Sem vitória, do meu Paraná,
Estou qual alma-perdidas
E fiquei até meio gagá.
Constatação XIV
Não se pode confundir trapo com trepa, até porque quem trepa no telhado, só para dar um único exemplo desse verbo, arrisca cair lá de cima e ficar com a roupa que é só um trapo. Isso sem falar de que pode se machucar. A recíproca para esses casos aéreo-anti-desnudez ainda estamos pesquisando se verdadeira ou não. Tão logo tenhamos os dados pertinentes, daremos a conhecer aos nossos prezados leitores. Por favor, aguardem, pois.
Constatação XV
Ela armou um forrobodó
A maior confusão
De até fazer dó.
Não é que o maridão
Passou
Da conta
Quando tomou,
Apenas, somente, só
Mais uma
E chegou
Em casa
Quando o galo cantou,
Batendo asa
E quando o sol desponta.
“Aonde você andou?”
Ela perguntou.
“Estive com o Luma,
O Antônio e o João”,
Ele contestou.
“Fazendo o quê?”
Ela questionou
“Já te revelo
E vou ser honesto.
Fui a uma reunião.
Depois rolou
Um inocente truco,
Modesto,
Singelo.
E não sou maluco
De tomar água mineral
Que não combina
Com este nobre,
Ainda que de pobre,
Carteado.
“Triste sina
A minha se você acha tal
Primordial”.
E deu-lhe um pau
Com o rolo de macarrão
No costado
Que o deixou
Bastante machucado,
Lesionado
Estropiado.
Coitado!
Constatação XVI
Este assim chamado escriba pretende se candidatar à presidência da Liga Antidifamação do Sexo Masculino, tendo em vista que o atual presidente não tomou as devidas providências, rebatendo as afirmações da esposa do presidente do Senado, Renan Calheiros, de que “os homens são todos burros”, quando foi noticiado aquele envolvimento de S. Excia. Com uma cidadã que, a guisa de informação aos nossos leitores, acabou posando em determinadas revistas especializadas o que foi noticiado, com muito alarde, na época, pela mídia. Já, no que concerne a delação premiada, muito em voga em nosso país, agora, com relação à Petrobrás onde S. Excia. foi delatado, a mídia passou quase que por cima e a consorte não se pronunciou. Vige!
Constatação XVII
Era um cara tão cumpridor das leis, mas tão cumpridor que até parecia que tinha sido educado em algum país de 1º Mundo. Imaginem que até aos domingos quando passava perto de uma escola obedecia à sinalização e diminuía substancialmente a velocidade. Sem dúvida uma exceção à regra, um estranho no ninho. Para a maioria, um subvertedor da ordem, um retardador do bom andamento do fluxo do trânsito...
Constatação XVIII
E como, na sua cantada, procurava mostrar sapiência, para sua mais recente conquista, o obcecado, citando George Bernard Shaw: “A virtude não passa de tentação insuficiente”.
Constatação XIX
A boazuda,
Para impressionar
O namorado,
Um eterno obcecado,
Recitava Neruda
Sem se atrapalhar
E sem se deixar
Apalpar,
Deixando ele deitado
Ali, ao lado.
Coitado!
Constatação XX (Ah, esse nosso vernáculo eufemisticamente passível de eventual mal-entendido).
Ele se enrabichou pelo rabo de cavalo dela que ia até onde as costas mudam de nome.
Constatação XXI (De mais outra dúvida crucial, essa, também, via pseudo-haicai).
E, por sua vez, foi o ganso,
Quando viu a gansa com o pato,
Não teve mais descanso?
Constatação XXII (De um pseudo-soneto).

Petrobrás e Catilina.

A delação dita premiada
Deixou gente em polvorosa
Que não estava preparada
Pra que viesse dar uma rebordosa.

A relação dos que tiraram proveito
Até agora relacionada, é em número tal
Que o famoso jeitinho brasileiro virou jeito
Como nunca se havia visto algo igual.

O que causa um maior espanto
É que o corpo de funcionários
Não protestou pouco, nem, assim, um tanto.

Desconhecimento, integrante, conivência?
Não deve ser mistério os partícipes desses cenários.
Até quando se abusará de nossa paciência?

Constatação XXIII (De uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade).
Declaro a quem interessar possa que, este assim chamado escriba, a semelhança das vezes anteriores, não pretende assistir o BBB 15, mesmo sabendo do alto interesse que o programa poderá suscitar sob a ótica cultural, intelectual e de elevado saber. Obrigado pela atenção.
Constatação XXIV (Perdão, leitores, pelo desabafo).
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão, cujo jornal está fazendo 140 anos de existência e a quem Rumorejando cumprimenta por tal evento: “1% da população mundial detém 50% do PIB do planeta. Elite já acumula riqueza equivalente a tudo que os demais 99% das pessoas detém. Os dados foram apresentados em 19 de janeiro de 2015, pela entidade Oxfam, às vésperas do Fórum Econômico Mundial de Davos e que justamente reúne a cúpula do Planeta. Hoje, uma a cada nove pessoas ainda passa fome no planeta que produz alimentos para três planetas e mais de 1 bilhão de pessoas ganham menos de US$ 1,25 por dia. O que chama a atenção da entidade, porém, é que a concentração de riqueza é cada vez maior. Em 2009, a parcela de 1% mais rica da população mundial acumulava 44% do PIB do planeta. Em 2014, essa taxa chegou a 48% e, em 2016, ela atingirá 50%.
Rumorejando, sem querer dar uma de pitonisa, afirma, categoricamente, que a reunião de Davos não vai levar a merda nenhuma. Tampouco a bosta alguma. Capitalismo, com as respectivas globalizações da vida é muito bom. Para quem desfruta das suas delícias.
1% deve pensar: “99% que se f...”

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é destemido; pobre é temeroso.
Constatação II
Rica é sensualíssima; classe média alta, é ninfomaniaquíssima; classe média pobre, é assanhadíssima; pobre é taradíssima.
Constatação III
Rico, se não fatura mais do que fatura, fica inconformado; pobre, não tem opção a não ser dizer “muito obrigado”.
Constatação IV
Rico recebe a louvação de panegírico*; pobre a pecha de vampírico.
*Panegírico = “elogio solene” (Houaiss).
Constatação V
Rico tem filho pródigo; pobre, tem filho menino de rua.
Constatação VI
Rico é irônico; pobre, é grosseiro.
Constatação VII
Rico constrói uma mansão; pobre, prepara a massa e dobra a ferragem.
Constatação VIII
Rico é diplomático; pobre nem sabe se expressar.
Constatação IX
Rico faz concessões; pobre, só exigências.
Constatação X
Rico é conciliador; pobre é obrigado a abrir a mão.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Alguém aí conhece algum remédio salvífico*, ou reza, ou mandiga, ou seja lá o que seja, para o nosso país? Quem conhece, por favor, divulgue na mídia que, talvez, chegue a quem de direito. Vige!
*Salvífico = Adjetivo.
1 Que traz ou produz salvação (Aurélio).
Constatação II
A voz da gostosa vizinha,
Que vejo pela janela
Nua ao telefone,
Do apartamento ao lado,
Que faz jus a uma cantadela,
Falando com o namorado,
O tocador chinfrim
De flauta e saxofone:
“Venha que eu tô sozinha”,
Me deixa inquieto, insone,
Infeliz e mal-humorado.
Sou mesmo um coitado!
Pobre de mim!
Constatação III (De uma dúvida crucial).
Capitalismo selvagem.
Esquerda caviar.
Esquerda não caviar.
Socialismo utópico.
Corrupção universal.
Infinitas crenças e religiões.
Será que o sistema implantado pelas formigas e abelhas com aquela estrutura social delas não faz com que elas façam troça de nós? Quem tiver essa informação, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IV
Depois de muito estudar sobre o assunto, o obcecado chegou a algumas conclusões: “A ereção é um fenômeno físico. Ela necessita ter uma causa para ter um efeito. Cessada àquela, cessa esta. No entanto, em alguns casos, ela necessita de estímulos exógenos e endógenos e, em alguns casos de fatores místicos, como, por exemplo, de um macaco hidráulico, de um milagre, de reza braba, de remédios químicos ou fitológicos. Qualquer um deles é perfeitamente justificável, tendo em vista encerrar aspectos caritativos, espirituais e sublimes. Tenho didaticamente, tanto na teoria como na prática, dito”.
Constatação V (De outra dúvida crucial).
O “Curtir”, do facebook, mesmo sendo hipocrisia, não deixa de ser uma espécie de relações públicas?
Constatação VI
E como cantava o mulherio aquele conquistador, consultor de empresas com especialização em otimização de produção e produtividade: “Os meus lábios estão em capacidade ociosa. Faz-se mister que que eles se ocupem dos teus que, por sinal devem estar seu um grau de utilidade incompatível com o bom senso dos nossos corações.
Constatação VII
Eu não sei o porquê de falar mal tanto mal da corrupção em geral e a do nosso país, em particular. No nosso caso local do mensalão, do petrolão e de outros “ãos” que vem se divisando por aí como o caso das hidroelétricas (hidroeletricão?) e outros mais. Afinal, segundo o guru Millôr Fernandes, “se a corrupção se generalizar, restabelece-se a Justiça”...
Constatação VIII
E já que falamos no guru Millôr, no livro A Bíblia do Caos, comentando sobre “moda” ele escreveu: “O lema socializante – “A cada um de acordo com suas necessidades” – provou-se um fracasso assim que esbarrou na moda feminina”. “As modas vão e vem, mudam sempre; o ridículo que é permanente”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando afirma categoricamente que o guru faleceu anos antes da atual Ministra da Agricultura comparecer a posse do segundo mandato da presidente (a), vestida com um modelo, baseado numa pamonha*. Muito menos, é claro, mostrando coerência consigo mesma.
Pamonha = Substantivo feminino. Bras.
1. Espécie de bolo feito de milho verde, leite de coco, manteiga, canela, erva-doce e açúcar, e cozido em tubos das folhas do próprio milho ou de folhas de bananeira, atados nas extremidades.
Substantivo de dois gêneros.
2. Pessoa mole, preguiçosa, inerte, desajeitada; pastelão, pamonha-azeda.
Adjetivo de dois gêneros.
3. Diz-se de pamonha (2).
4. Fig. Bobo, tolo, toleirão (Aurélio).
Constatação IX
A diferença ou semelhança entre uma pessoa alienada parcial e uma alienada total é que esta não se dá conta que é uma alienada parcial e àquela não se dá conta que ela é uma alienada total. Elementar, crianças!
Constatação X
Quando uma pessoa que está sofrendo com uma doença, por ora, incurável, morre, as pessoas – familiares e amigos – costumam dizer: “Finalmente, descansou”. Essa não deixa de ser uma forma de descanso. Evidente que há outras. No tempo que queriam me fazer um az do basquete e eu tinha 16/17 anos e já media 1,86m de altura e atuava pelo Centro Israelita do Paraná como juvenil e o time fazia a preliminar dos adultos do time Duque de Caxias, já que, por sua vez, não tinha time de juvenis. O nosso assim formado esquadrão, que nunca havia jogado antes na vida, recebeu o bê-á-bá de um técnico, chamado Chemim, um campeão, cá na terra, não só de basquete, como também de vôlei. Em um jogo contra um time que viria a revelar para o futuro alguns nomes para seleção paranaense de basquete, este foi logo demonstrando o seu poderio. Como eu era o pivô do time, tinha a função de fora do garrafão adversário, ao receber a bola, girar para tentar encestar. Me marcando estava um amigo que ficou o tempo todo dizendo no meu ouvido: “Não adianta girar, Jucão”. Mesmo com a explicação do técnico que a gente deveria revidar de alguma forma, o fato que eu fiquei arrasado com a guerra de nervos e não fiz nada durante o jogo. Lá pelas tantas, o técnico me substituiu e quando saí da cancha ele me deu um tapinha amigável nas costas e disse: “Descanse um pouco, Juca”. E eu na minha santa ingenuidade: “Mas eu não estou cansado”...
Constatação XI
Os pássaros e outros componentes do reino animal não têm pudores. Eles se amam na frente de todo o mundo. As pessoas, consideradas no reino animal de racionais poderiam fazer o mesmo. É raríssimo as que fazem e, muitas vezes, acabam presas por tal razão, já que é universalmente proibido. No entanto, não é só por isso. A opção entre quatro paredes, isto é, em recinto fechado evita que seja um espetáculo público. E, em função do desempenho, eles têm medo de invariavelmente serem vaiados, apupados, achincalhados... Vige!
Constatação XII
Com a formação do novo Ministério para fazer parte do segundo mandato da Presidente (a), inclusive de alguns ministros preparando o espírito da nação da sua – deles – inexperiência, você, caro leitor também acha, como Rumorejando – data vênia, é claro –, que o governo vem incentivando o quanto pior, melhor?
Constatação XIII (De mais ima dúvida crucial).
Quando uma alta autoridade de algum país importante, ou não, é flagrado por uma câmera indiscreta tirando meleca do nariz – também conhecida por tatu – e colocando na sua – dele – boca é uma simples demonstração de que ele é humano, adepto de fazer porcaria ou o quê? Quem souber a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XIV (Quadrinha para ser recitada para o meu Paraná, antes do início do campeonato paranaense e lembrando aos diretores e jogadores que não se pode nem se deve ficar eternamente na Segundona).
Ao longo da vida,
O meu time tem tido,
Tem sofrido
Muita recaída.
Constatação XV
De um paulista amigo, velho leitor de Rumorejando que enviou o texto a seguir pedindo para não ser citado. Deu, certa vez, na mídia: “Acusado de ter posto a mão no jarro, Dualib põe o futuro nas mãos dos advogados e do cardiologista e seu destino passsa pelas mãos do desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo José Percival Albano Nogueira Júnior”. “Data vênia, como você costuma assinalar na sua coluna, se referindo aos juristas, mas eu acho que, assim como as centopéias tem muitos pés, nessa notícia tem mãos em demasia”. Comentário de Rumorejando ao agradecer a colaboração do amigo paulista: Vige!
Constatação XVI
Ainda que foneticamente soe igual, não se pode confundir a versão com aversão, muito embora a versão que se ouve dos políticos corruptos ou de pessoas ligadas a eles provoca aversão em todos aqueles que esperam atitudes corretas deles a quem lhes foi outorgado um mandato executivo, legislativo ou judiciário. A recíproca não é necessariamente verdadeira. Tem gente do sexo masculino que tem aversão por um prato específico, ou por mulher, por exemplo, apresentando a versão sincera ou não de tal proceder. Como diria um obcecado, nada a ver com os obcecados que comparecem em Rumorejando: “Vige!”
Constatação XVII
Ali, na praia
Ao lado da esposa,
De uma fealdade
Como a desnecessidade,
Ele lançou uma mirada,
Qual uma azagaia*,
Deixando, com o olhar,
Uma gata inteiramente
Desnudada,
Tão somente.
-“Você tá olhando pro mar,
Ou pra alguma mariposa?”
Ela perguntou,
Querendo aparentar
Calma e indiferença,
Mas parecendo uma sentença.
-“Pro mar, pras ondas, pras vagas”,
Com ar beatifico, ele contestou.
- “Pras vagas ou pras bundas
Das vagabundas?”,
Ela trocadilhou.
-“Seu desavergonhado.
Seu safado,
Seu tarado”.
Coitado!
*Azagaia = “Qualquer lança curta de arremesso” (Houaiss).
Constatação XVIII
Rumorejando continua a publicar sua sessão pornográfica. A primeira delas deu na mídia recentemente: “O Banco Itaú teve um lucro líquido acima de 4 bilhões de reais no trimestre. O Bradesco teve um desempenho quase igual. Quanto a colocação de mais caixas para evitar filas nada disso ocorreu o que contribuiu para o aumento dos lucros, digo, da pornografia. Cruz Credo!
Constatação XIX
Deu, certa vez, na mídia:Saito lamenta sumiço de pertences das vítimas da Gol”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que, ao invés de apenas lamentar, não seria difícil pedir à polícia para rastrear quem anda usando cartões de crédito e outros pertences das vitimas. E, de preferência, punindo exemplarmente, ao contrário do que tem acontecido com os políticos.
Constatação XX
Também deu, certa vez, na mídia quando os citados eram presidentes dos seus respectivos países: Bush e Sarkozy comem hambúrguer e cachorro-quente em almoço”. Taí uma notícia que foi de transcendental importância para o futuro da Humanidade.
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico tem futuro; pobre, nem presente, muito menos passado.
Constatação II
Rico apresenta um pretexto plenamente justificável; pobre uma desculpa invariavelmente esfarrapada.
Constatação III
Rico é obstinado; pobre é cabeça dura.
Constatação IV
Rico sempre dialoga; pobre, sempre cala a boca.
Constatação V
Rico tem ideias avançadas; pobre, não tem ideia alguma.
Constatação VI
Rico é uma personagem ilustre; pobre, não tem brilho algum.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Ah, esse nosso vernáculo).
-“Fulano não tem vindo trabalhar. Temos que dar um chega pra lá nele”.
-“Um chega pra lá pra que ocorra um chega pra cá?”
Constatação II
Não se pode confundir modos com modas, muito embora os jovens, hoje em dia, acham que dentre as muitas modas existentes não cumprimentar, ou dizer “com licença”, “obrigado”, “desculpe” faz parte dos bons modos. A recíproca não é verdadeira. Podem-se ter modos que não façam parte das modas vigentes, como por exemplo, os trabalhos em artesanato, não xingar o juiz em jogo de futebol, dar o passo, no transito, para o carro que quer sair da garagem ou estacionamento, respeitar o pedestre e assim por diante.
Constatação III
Esta estória dramatizada e rimada, que se segue, foi utilizada pelo professor e compositor Henrique Morozowicz, também chamado Henrique de Curitiba, que a transformou em uma ópera bufa. Quando da sua apresentação em primeira audição, na Capela do Santa Maria, em Curitiba, por iniciativa dos irmãos de Henrique,  Milena e Norton Morozowicz, com a intenção de homenageá-lo já que – logo em seguida a sua criação Henrique veio a falecer – este assim chamado escriba esteve presente. Chamado a dirigir algumas palavras foi possível externar o quanto era importante ser parceiro de Henrique, fato que jamais havia imaginado. Recebi dos presentes uma manifestação apoteótica e foram meus dois minutos de glória em toda a minha vida. Vamos ao texto, pois:
Destemido,
Como Don Quixote,
Ele chegou
Na assim chamada
Mansão plebeia,
De madrugada
E incontinente
Falou
Pra mulher,
Com a língua embrulhada
Tão somente:
“Minha Dulcinéia,
Minha eterna amada,
Minha dileta amiga
Torna-se mister
Que te diga
Que já está decidido
Que não quero discussão.
Tive que fazer serão.
Ponto final.
Ela não hesitou
Nem por um momento.
Assim, tal e qual,
Como um estalante chicote,
Brandiu,
No seu – dele – congote,
O rolo de macarrão
Que estava à mão
E, enquanto batia,
Com muita tecnologia
Que até parecia
Elevado conhecimento,
Contínuo treinamento,
Gritou,
Bramiu:
“Não sou moinhos de vento,
Nem sirvo pra plateia
Pra assistir
Pra engolir
Esse batom
Na camisa.
Sinto por você ojeriza,
Seu depravado,
Seu tarado”.
Coitado!
Coitada!
Coitado?
Constatação IV
Quando no dia 09 de janeiro de 2007 o obcecado leu na mídia que o jogador Schweinsteiger, que foi eleito no ano passado o homem mais bonito da Alemanha, disse “que prefere marcar gols a fazer sexo” cuspiu para o lado, estufou o peito e proferiu a seguinte frase: “Não vejo porque uma coisa tem que ser excludente em relação à outra. A minha maneira de fazer gol é assaz diferente”.
Constatação V (Colaboração do Amigo maringaense Edson Ferreira dos Santos).
-Rico se hospeda no hotel Deville; pobre dorme na pensão Devila*
 -Rico tem carteira da O.A.B.(Ordem dos Advogados do Brasil); pobre também tem carteira da O.A.B.(Organização dos Ambulantes do Brasil).
*Pensão em Maringá.
Constatação VI
Não se pode confundir entrar em reforma com entrar em forma, muito embora uma ou outra mulher quando faz uma recauchutagem geral, após entrar em reforma, o faz com a intenção de entrar em forma, no que concerne a beleza física, esquecendo-se de, concomitantemente, entrar em uma reforma geral.
Constatação VII
Quando se lê, na mídia, que “cozinhas de 3.200 anos foram encontradas no Egito”, logo vem à memória se não teria a mesma idade aquele inesquecível bife, do restaurante metido à besta – pelo preço que cobrava e pela pouca comida que servia – que, num esforço baldado, a gente tentou, sem conseguir, cortar com faca tipo serrinha.
Constatação VIII (De diálogos meio sofismáveis entre amigas piedosas).
-“Gertrudes, você não sabe da maior. O meu genro, que sempre disse ser ateu, está frequentando cultos de uma porção de casas de orações”.
-“E qual é a religião que ele adotou Emengardina?”
-“Ele afirma ser a dele, baseada em seguir, apenas, os 10 Mandamentos”.
-“Mas logo ele que, segundo você, é um mentiroso contumaz”.
-“Mas mentir não faz, especificamente, parte dos Mandamentos”.
-“Claro que faz. Faz parte daquele que diz: Não Roubarás”.
-“Como assim. O que é que tem uma coisa a ver com a outra?”
-“Mentir é roubar a verdade da palavra”.
-“Ah bom! Quer dizer, ah ruim, quer dizer...”
Constatação IX
Não se pode confundir excita com exercita, muito embora tenha gente que se excita enquanto se exercita. Não ficou claro que espécie de exercício é utilizado para atingir tal desiderato. Tão logo Rumorejando tenha tal imprescindível informação, dará a conhecer aos nossos prezados leitores, inclusive abordando o assunto quanto à veracidade ou não da recíproca. Obrigado pela compreensão.
Constatação X
Coisas que são dadas a ver no trânsito: O cidadão, normalmente que está com pressa em não fazer nada, pára, inclusive se atravessando na faixa de pedestres, um pouco mais pra frente dos outros carros parados e emparelhados normalmente que estão esperando abrir o sinal. Daí o apressadinho fica sem ângulo de visão do semáforo e quando acende o sinal verde só se dá conta e arranca em função do fluxo do tráfego, passando a costurar todo o mundo para recuperar o suposto atraso e, depois, repetir a mesma coisa na esquina seguinte.
Constatação XI
O septuagenário, ex-sexagenário, ex-quinquagenário, etc. elucubra: “como as minhas pernas não obedecem ao que o cérebro determina ou insta, vou, ao invés de falar mal delas, passar apenas a sugerir e recomendar que o façam. Talvez dê resultado”...
Constatação XII (E como, pretensiosamente, poetava o obcecado).
Quando tirei a sua calcinha,
Deu para vislumbrar
Aquela magnificência
Que mostrava no andar
Aquela malemolência.
Corada era a sua bunda,
Ou melhor, sua bundinha.
Parecia uma face
Rubicunda
Como se, volta e meia,
Apanhasse
Com uma peia.
Puxa como me senti feliz
Ao realizar um sonho
Tão acalentado,
Tão esperado,
Nada bisonho,
Como eu sempre quis.
E não me envergonho
Em confessar
Que de tanta felicidade
Diante daquela honorável,
Respeitável
Majestade
Eu me emocionei.
E, aí, eu chorei...
Constatação XIII
O ministro do Planejamento Nelson Barbosa deve ir para o Livro Guinness dos Recordes. Mal assumiu o seu – dele – ministério já começou a ser fritado. Vige!
Constatação XIV
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Guerra por cargos do 2º. Escalão”. Vige!
RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é colaborador; pobre, é cúmplice.
Constatação II
Rico é refinado; pobre, é desleixado.
Constatação III
Rico é de refutar, contestar; pobre, é maria-vai-com-as-outras.
Constatação IV
Rico é convidado para um banquete; pobre vai de peru a um rega-bofe.
Constatação V
Rico é um paradigma; pobre, é um imoderado.
Constatação VI
Rico segue o regulamento, a lei, a ordem; pobre é um baderneiro, um desordeiro.
Constatação VII
Rico dança uma valsa como se estivesse levitando com seu par; pobre arrasta o pé num arrasta-pé.
Constatação VIII
Rico fuma cachimbo com fumo irlandês; pobre, fuma guimba.
Constatação IX
Rico vive em harmonia, em paz; pobre, em tumulto.
FÁBULA CONFABULADA (INDIGNA DO GURU MILLÔR).
Numa cidade chinesa, mais especificamente em Lhasa vivia uma família, cujo titular era o cidadão chamado Kal Tah Zuh Dek. Com a abertura chinesa ele, de um trabalho numa lavoura que era cultivada somente para a subsistência da família, passou a se dedicar a um pequeno comércio. Como ele não morava longe da fronteira de Burma, passou a importar e exportar, principalmente exportar alguns produtos que, como se sabe em todos os países do mundo, os produtos chineses são vendidos a um preço relativamente barato. Segundo os entendidos, a política chinesa é àquela de ir comendo a sopa pelas beiras para depois ficar com a parte principal. Isso traduzido pelos nominados entendidos a malévola intenção dos chineses é ir fazendo com que as fábricas dos países fechem por não aguentar a concorrência da China que paga muito mal seus operários num esquema que tangencia estreitamente a escravidão. Desse modo chegará o dia que somente a China terá produtos para fornecer aos países e, então, o preço será imposto por um único produtor. Mas tudo isso já é outra história e que agora não vem para o caso. O fato é que da proximidade da fronteira de Burma, Kalt Tah estendeu o seu negócio para outros países próximos como Nepal, Índia, a eterna disputada Bangladesh e outros pouco mais distantes. Já tão próspero, montou apartamento em Hong Kong e tornou-se um cidadão, digamos, urbano. Escusado se torna dizer que nesse crescimento fez parte uma variável chamada contrabando, o que é inerente a quaisquer fronteiras ao redor do mundo. Como a inveja também é inerente às pessoas ricas ou não, não faltou vizinhos que denunciaram ou se preferirem o delataram para as autoridades chinesas a atividade ilegal do contrabando. Kal Tah foi preso e passou vários dias na prisão. Em curto espaço de tempo foi solto e não se sabe se foi com pagamento de fiança, ou seja, lá o que for, como acontece em certos países, sendo que estes, deixamos de citar porquanto também não vem, não veio e nunca virá ao caso.
Para os amigos muito chegados Kal Tah contou que o meteram numa cela gelada, felizmente não na companhia de algum mau-caráter, porém sem uma cama. Apenas com um banco de pedra para sentar. “Vejam”, contou ele, “eu já estive na Oceania, lá na Groelândia; atravessei o Circulo Polar Ártico para ver o sol da meia-noite, na Finlândia; estive na cidade do Papai Noel, a Lapônia, assim que o frio nunca me assustou. No entanto, aquele banco de pedra vai me deixar in saecula saeculorum com frio na bunda”.
Os amigos acharam muita graça no relato, fingiram que entenderam a citação em latim e daquela data em diante apelidaram Kal Tah de “bunda fria”, o que se constituiu  em um fato inédito já que em condições normais de pressão e temperatura costuma-se chamar as pessoas de bunda-mole.
Moral: Não só focinho de cachorro e/ou bunda de mulher é fria. Dependendo do caso, de alguns homens também.