quarta-feira, 1 de abril de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES NA FALTA DE MAIORES
Constatação I
O presidente do BNDES, economista Luciano Coutinho, alega que os contratos das empreiteiras para financiar obras no exterior não podem ser divulgados. Digamos, que vá. Mas é preciso que fique claro, como em qualquer financiamento, empréstimo ou seja algo desse jaez qual é a capacidade de pagamento do financiado e como será feita a recuperação do dinheiro emprestado. A análise pelo corpo técnico do BNDES deve ter especificado, caso contrário como o conselho que julga o pedido de financiamento teria dado sua aprovação. E quem são os membros desse conselho? Deve-se lembrar de que a presidência da República perdoou certos créditos de países, dados no passado. Afinal, basta o perdão de S. Excia.? E daí, tá acabado?
Constatação II
Já que falamos no assunto, Luiz Gonzaga Belluzzo, economista e professor, consultor editorial da revista Carta Capital, conselheiro econômico da presidente Dilma foi mais modesto do que seu colega Luciano Coutinho. Belluzzo quebrou a Sociedade Esportiva Palmeiras e levou o time para a Segundona. O economista Luciano Coutinho não quebrou o BNDES porque o governo injetou a dinheirama que o Banco dito social estava necessitando. É aquela velha história de banco estatal não quebra...
Constatação III (Vige!).
E como mandou pôr no túmulo do marido àquela esposa que deu graças quando ele morreu, tendo, inclusive, dado uma mãozinha para acelerar que tal “infausto e tão triste evento” (o grifo é dela) acontecesse: “Aqui jaz um cidadão virtuoso, cuja maior virtuosidade, por modéstia, não foi deixar um legado das suas inúmeras e incontáveis atitudes nem sempre questionáveis”.
Constatação IV (De uma dúvida crucial).
Quando uma pessoa vive na base do autoelogio, dizendo que ela é inteligente, trata-se de uma referência a sua – dela – cabeça, seu cérebro ou ao seu umbigo, ou ainda, a todas essas três partes do seu corpo humano. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado!
Constatação V
Quando o ex-presidente da República e ex-presidente do senado, José Sarney ficou recebendo o execrável auxílio-moradia, alegando, ao ser flagrado, que foi um erro de contabilidade, ele deu uma de joão-ninguém*?
*João-ninguém = n substantivo masculino. Indivíduo sem importância, que não tem peso social e destituído de qualquer poder econômico (Houaiss).
Constatação VI
Na constatação anterior, a minha revisora, que pede para não ser identificada, sugeriu
que ao invés de joão-ninguém fosse utilizado  “joão-sem-braço, mas com mão-leve”*.
Vige!
*Máo-leve = Substantivo de dois gêneros.
1.Bras. Gír. Gatuno, ratoneiro, ladrão. [Pl.: mãos-leves. Cf. ter mão leve.] (Aurélio).
Constatação VII (De conselhos úteis).
Cuide para não dar um passo errado não só na vida, como também quando você estiver subindo ou descendo uma escada.
Constatação VIII
Se a presidente (a), Dilma Rousseff, vier a ser defenestrada da sua atual (des)função, em condições de pressão e temperatura normais democráticas deverá assumir o Sr. Michel Miguel Elias Temer Lulia, advogado, doutor em Direito e político brasileiro, presidente do Partido do Movimento Democrático Brasileiro, e atual vice-presidente do Brasil.
Segundo os seus inimigos, afora muita politicagem, ele não se destacou como todos os vices de qualquer e/ou alguma coisa. Se for verdadeira essa assertiva, vale a máxima do guru Millôr Fernandes: “A ociosidade é a mãe de todos os vices”.
Constatação IX
Declaro a quem interessar possa que Rumorejando ao xingar alguém de fdp jamais tem a intenção de se referir à progenitora do xingado. O epíteto se refere estritamente ao caráter, comportamento, às atitudes da pessoa. Atualmente, as pessoas visadas, como em todos os tempos, são os políticos e governantes que estão quebrando o nosso país e também os estados e municípios, particularmente no meu estado do Paraná. E não só é Rumorejando que utiliza essa expressão – em alguns casos, tão laudatória – que faz parte do vernáculo. É comum ver irmãos se xingando da mesma maneira, mormente quando o assunto é herança que, aliás, como a coluna já havia publicado, é o maior desagregador das famílias. É evidente que os irmãos não estariam xingando a própria mãe... Elementar!
Constatação X (Ah, esse nosso vernáculo).
Comumente, não é comum que político não mente.
Constatação XI
Não se pode confundir coquete* com caguete**, até porque ninguém delata alguém por coqueteria. Delata mais por filhada pu...ce (Veja de novo a constatação IX).
*Coquete = Adjetivo de dois gêneros.
1. Que procura despertar a admiração de outrem:
2. Diz-se de quem é faceiro e cuida exageradamente da aparência por prazer ou a fim de agradar aos outros. [Nessas acepç., no Brasil, é m. us. no fem.]
3.P. ext. Que é leviano, volúvel, inconstante. [Diz-se de mulher.]
Substantivo de dois gêneros.
4. Pessoa coquete (Aurélio).
**Caguete = Substantivo de dois gêneros.
3. Bras. Gír. Espião de polícia; dedo-duro:
4. Bras. Gír. Pessoa que delata outrem; dedo-duro, delator (Aurélio).
Constatação XII
E como expunha aos amigos o seu sucesso, como casanova (indivíduo mulherengo), o obcecado: “Quando, eventualmente, no auge, no delírio do orgasmo, elas me pedem para eu bater nelas, então eu intensifico a minha surra de beijos, a minha sova de língua, a minha tunda de carícias, os apertões dos meus abraços. E dependendo da insistência, com o carinho de um tapinha de leve na poupança delas. Não tem erro, a felicidade delas é visível até para quem não quer ver”. Comentário, em uníssono, dos ouvintes: “Vige!”
Constatação XIII
E também não se pode confundir coordenado com condenado, até porque ninguém viu, até hoje, quem nada um nado coordenado ser condenado por não ganhar uma eventual competição ou coisas desse jaez.
Constatação XIV [Do tempo que os animais recitavam que nem gente. Hoje, corvos (re)cocitram; (re)corvejam].
“Deixe de preguiça
E guarde esse baralho”,
Disse a corva pro corvo.
“Não seja um estorvo,
Não me dê trabalho.
Eu quero pôr a mesa.
Preparei uma carniça,
A óleo e alho,
Digna da realeza”.
Constatação XV (Decepção familiar).
Reuni todo o meu pessoal
Pra ler meu parco testamento
A decepção foi de modo tal
Que até deu neles um abatimento.
Constatação XVI
Deu, certa vez, na mídia: “Distrito Federal tem pior distribuição de renda do País. Segundo vários pesquisadores, a principal causa da má distribuição da renda no Distrito Federal e entorno é o contraste entre a elite do funcionalismo público em Brasília e o grande número de pobres e miseráveis nas cidades satélites”. Os pesquisadores esqueceram, o que é imperdoável, de agregar ao seu trabalho, viva “nóis”...
Constatação XVII
Também deu na mídia: “Nova Yorque fecha restaurante com sobremesa de US$ 25 mil. Fiscalização encontrou ratos, moscas e baratas no Serendipity 3”. Não ficou esclarecido se foram por razões do que foi encontrado que a sobremesa atingia aquele elevado valor. Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XVIII
Deu, certa vez, na mídia: Um deputado defendeu o aumento do salário do Congresso, em quase 100%, justificando que evitaria que eles, os congressistas, pudessem cair em tentação de se corromper. Ele, provavelmente esqueceu de que quanto mais tem, mais quer... Rumorejando desconhece se o pai da pátria encaminhou projeto no sentido de se pagar condignamente à polícia e/ou os professores, por exemplo, pela mesma razão. Quem tiver alguma informação a respeito, por favor, comentários no blog. Mais uma vez, obrigado.
Constatação XIX
Ainda na mídia: Um estudo publicado na revista especializada Journal of Experimental Social Psychology sugere que os homens mudam de comportamento e "emburrecem" para se adequar ao estereótipo de quem, maldosamente é cognominada preconceituosamente de "loira burra". E Rumorejando pensava – maldosamente, diga-se de passagem – que era uma questão de contagio...
 Constatação XX (Via pseudo-haicai).
“Não sinto amarguras”,
Vibra o masoquista,
“Com mil e uma agruras”.
Constatação XXI (Dúvida crucial do Amigo, lamentavelmente já falecido, Renato Emilio Coimbra, referindo-se a determinados jogadores de futebol).
Até quando (quosque tandem)
Cuidarás mais de tuas pernas
E menos de teus cabelos?
Constatação XXII
E já que falamos no assunto, na Constatação XVII: Os salários dos pais da pátria estão cada vez mais atrativos. Isso, sem falar das oportunidades de negócios... Afinal, Aquila non capit muscas - A águia não apanha moscas. (Tá certo o latim, professor Figurelli?)
Constatação XXIII (De dúvidas cruciais).
E já que falamos no assunto na Constatação XVII, deu na mídia: “Cientistas criam kit para detectar comida estragada”. Mutatis mutandis, mudando o que se deve mudar (Ainda recorrendo ao professor Figurelli se está correto): Será que não se poderia criar um kit para detectar se um candidato a quaisquer cargos tem um passado ilibado, tendo em vista que o presidente da República, também por essa razão, teve dificuldade em formar o seu – dele – ministério com gente decente? E o que tem deputado eleito nessa última eleição com processos é impressionante. Aliás, por que numa certa época se exigia que o cidadão apresentasse Atestado de Bons Antecedentes, obtido nos meios policiais, e, hoje em dia, não se exige mais? Aliás, o Ficha Limpa tem funcionado precariamente. Como também era de se imaginar? Quem souber as respectivas respostas, por favor, comentários no blog. Como sempre, como dizem as pessoas educadas, obrigado.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico faz manifestação; pobre vandaliza (Colaboração de Marina da Silva de Belo Horizonte).
Constatação II
Rico compra título de nobreza; pobre, quando aumentam o salário mínimo acham que ele vai se aburguesar.
Constatação III
Rico nada em piscina térmica; pobre, nas enchentes do bairro onde vive.
Constatação IV
Rico mora, a cada seis meses, num hemisfério para fugir do inverno; pobre mora onde consegue pagar o aluguel ou debaixo da ponte ou viaduto.
Constatação V (Ambos educadíssimos).
Rico extasiado diz: “Caramba!”; pobre, desapontado, diz: “Diacho!”.


Nenhum comentário: